SlideShare uma empresa Scribd logo
MODELO
VERDADE PRÁTICA
• Oremos e vigiemos para que não sejamos surpreendidos
pelas obras da carne.
LEITURA DIÁRIA
• Segunda - Gl 5,19: O perigo da prostituição, da impureza e da
lascívia
• Terça – Gl 5.20a: O perigo da idolatria, das feitiçarias e das
inimizades
• Quarta – Gl 5.20b: O perigo das contendas, das disputas e das
iras
• Quinta – Gl 5.21: O perigo da inveja, dos homicídios, das
bebedices e das glutonarias
• Sexta – Gl 5.21a: O perigo fatal das obras da carne
• Sábado – Gl 5.16: Como vencer as obras da carne
OBJETIVO GERAL
Explicar o perigo das obras da carne.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS
• I. Identificar o que é
concupiscência da carne;
• II. Mostrar o que é um caráter
moldado pelo Espírito;
• III. Saber que uma vida que
não agrada a Deus vive
segundo a carne e é
infrutífera.
ESBOÇO DA LIÇÃO
I - A VIDA CONDUZIDA PELA CONCUPISCÊNCIA DA CARNE
• 1. A concupiscência da carne.
• 2. A vida guiada pela concupiscência da carne.
• 3- A vida conduzida pela concupiscência dos olhos.
II – A DEGRADAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
• 1. O caráter.
• 2. O caráter moldado pelo Espírito.
• 3. Ataques ao seu caráter.
Ill - UMA VIDA QUE NÃO AGRADA A DEUS
• 1. Viver segundo a carne.
• 2. Vivendo como espinheiro.
• 3. Uma vida infrutífera.
PONTO CENTRAL
A natureza adâmica deve ser controlada pelo Espírito.
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
Lucas 6.39 – 49
• 39 E dizia-lhes uma parábola: Pode porventura o cego guiar o cego? Não
cairão ambos na cova?
• 40 O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito
será como o seu mestre.
• 41 E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não
reparas na trave que está no teu próprio olho?
• 42 Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro
que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu
olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para
tirar o argueiro que está no olho de teu irmão.
• 43 Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê
bom fruto.
• 44 Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se
colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos.
• 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o
homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da
abundância do seu coração fala a boca.
• 46 E por que me chamais, SENHOR, Senhor, e não fazeis o que eu digo?
• 47 Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu
vos mostrarei a quem é semelhante:
• 48 É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem
fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com
ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava
fundada sobre a rocha.
• 49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou
uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a
corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.
TEXTO ÁUREO
"...Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade,
o espírito está pronto, mas a carne é fraca..." (Mt 26.41)
INTRODUÇÃO
• A lição deste domingo é um alerta para os que querem
agradar a Deus e ter uma vida frutífera.
• Estudaremos o perigo das obras da carne.
• Precisamos ter cuidado, pois dentro de todo crente habita
duas naturezas: a natureza adâmica, a qual foi corrompida na
Queda, e a nova natureza, que é resultado da regeneração, do
novo nascimento (Jo 3.3).
• Veremos que a natureza adâmica, se não for controlada pelo
Espírito, produz frutos que levam o crente à morte espiritual.
CARNAL
• Esta palavra aparece somente no Novo Testamento, embora o
termo 'carnalmente' seja encontrado três vezes no Antigo
Testamento. 'Carnal' aparece no Novo Testamento onze vezes,
e 'carnalmente' uma vez. 'Carnal' significa 'pertinente à
carne'.
• O substantivo SARX significa basicamente o corpo de um
animal ou de uma pessoa, ou a carne de um animal. No
entanto, no Novo Testamento, o termo 'carnal' algumas vezes
está literalmente relacionado à carne, e algumas vezes à
antiga natureza humana corrompida por Adão, que é
encontrada em todos os homens."
• “...Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na
verdade, o espírito está pronto, mas A CARNE É FRACA...”
• Embora não seja citada a referência bíblica no dito cartaz, é
evidente que foi extraída de um dos evangelhos que expõe os
momentos da angústia de Jesus, que antecederam sua prisão
no Getsêmani (Lucas 22.39-46; e, João 18.1), onde, naquela
noite, ocorreu o mais doloroso incidente de toda a história
dos sofrimentos do nosso Salvador.
• As palavras foram ditas por Jesus aos seus discípulos. Ele
estaria brincando com os seus discípulos ao dizer aquelas
palavras? Estaria mentindo? Seria algo sem nexo, e ele não
sabia o que dizia?
• Na versão Almeida Revista e Corrigida o texto de Mateus
26.41 não deixa dúvida: “Vigiai e orai, para que não entreis
em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas A CARNE
É FRACA”. A KJV (King James Version), considerada a mais fiel
tradução da Bíblia em relação aos textos originais, corrobora
com a mesma expressão: “…a carne é fraca”.
I - A VIDA CONDUZIDA PELA
CONCUPISCÊNCIA DA CARNE
1. A concupiscência da carne.
AFINAL O QUE É A CONCUPISCÊNCIA?
• Podemos seguramente defini-la como os desejos de nossa
alma e de nossa carne. Segundo o dicionário Michaelis
"Grande desejo de bens ou gozos materiais. 2. Apetite
sexual."
• Partindo dessa premissa podemos dividir essa concupiscência
em três grupos:
• "Concupiscência da Carne, dos Olhos e Soberba da Vida”,
segundo o que nos revela o magistério do Apóstolo João.
LEIA COM ATENÇÃO:
• “Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne,
a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai,
mas do mundo.” (I Jo 2:16)
2. A vida guiada pela
concupiscência da carne.
• Andar segundo a carne é estar sempre perseguindo,
desejando, e fazendo as coisas que agradam à carne, qualquer
aspecto que a carne possa usar ou qualquer que seja a
vestimenta que ela possa assumir seja no molde e formato
dos caminhos mais grosseiros e flagrantes do mundo profano.
• Mas são os mais grosseiros e mais manifestos pecadores as
únicas pessoas das quais pode ser dito que andam segundo a
carne? Não estará toda religião humana, em todas as suas
formas e modas variadas, sob a varredura desta espada que
tudo devora? Sim! Todo aquele que está aprisionado e que é
conduzido por uma religião carnal, anda tanto na carne
quanto aqueles que estão abandonados às suas indulgências
mais grosseiras.
3- A vida conduzida pela
concupiscência dos olhos.
• Quando fala sobre “concupiscência dos olhos” também fala
sobre o desejo pecaminoso de olhos que buscam aquilo que
desagrada a Deus.
• Assim, vemos que concupiscência não se aplica apenas a área
sexual como alguns pensam, mas a todas as áreas onde o
desejo humano de alguma forma desagrada a Deus,
ofendendo-o através da prática continuada do pecado.
• O texto de Paulo aos Romanos exemplifica bem essa questão:
“...Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento,
despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque,
sem lei, está morto o pecado...” (Rm 7. 8)
II – A DEGRADAÇÃO DO
CARÁTER CRISTÃO
1. O caráter.
DEFINIÇÃO
• Segundo o Dicionário Aurélio, caráter é definido por:
“qualidade inerente a uma pessoa, animal ou coisa; o que os
distingue de outra pessoa, animal ou coisa; o conjunto dos
traços particulares, o modo de ser de um indivíduo, ou de um
grupo; índole, natureza, temperamento”.
• O significado literal do termo grego charaktēr é “estampa”,
“impressão”, “gravação”, “sinal”, “marca” ou “reprodução
exata”.
• Caráter é algo que vai sendo formado e impresso com o
tempo em nosso interior, uma verdadeira marca.
• O caráter de cada qual não é formado do dia para noite.
• É um processo gradual que está relacionado a um amplo
conjunto de fatores que influenciam na formação de cada um.
2. O caráter moldado pelo Espírito.
DEFINIÇÃO
• Temperamento é o estado fisiológico, ou constituição
particular do corpo. Constituição moral: índole, têmpera.
Temperamento é o conjunto das disposições orgânicas que
constitui cada natureza face dos mesmos estímulos
externos.
CARACTERES DO TEMPERAMENTO
• O temperamento é inato: a criança já nasce com um
determinado temperamento, embora este muito tarde se
manifeste. O temperamento é mais profundo do que nossa
consciência. É um poder inconsciente que opera sem cessar e
automaticamente. Porque o temperamento tem sua raiz em
nossa subconsciência, tem um efeito inevitável em nossa vida
consciente, em nossas emoções, intelecto e vontade.
3. Ataques ao seu caráter.
O Mundo
• O sermão foi iniciado sobre o significado e a relevância dada
pelo tema “mundo” no Novo Testamento. Essa palavra mundo
pode ser traduzida de três diferentes raízes do grego, cujo
significado é “cosmos”, “ecumenio” e “era”.
• O mundo “cosmos”refere-se às “coisas colocadas em ordem”.
O universo em si pode ser chamado de cosmos por esse
motivo.
• O mundo “ecumênico”, de onde deriva a palavra ecumênico, é
o mundo como “habitação da humanidade”, como referido
em João 3:16 – “Deus amou o mundo de tal maneira…”, ou
seja, Deus amou as pessoas. E o mundo “era” é aquele que se
refere ao “espaço e o tempo”, como está em Romanos 12:1–
“Não vos conformeis com este mundo…”, ou seja, com este
tempo, com esta cultura.
Ill - UMA VIDA
QUE NÃO AGRADA A DEUS
1. Viver segundo a carne.
CONCEITO BIBLICO DE ANDAR/VIVER NA CARNE
• a. Significado: viver de acordo com os impulsos, viver para
satisfazer a si mesmo, atender suas vontades próprias; luxúria;
hedonismo — estado de rebelião e autonomia.
• b. Servir a si mesmo: ‘cujo deus é o ventre”; “servir ao
ventre” – figura empregada para descrever o andar por seu
próprio governo (rejeita o governo de Deus) e para satisfazer
seus próprios desejos (rejeita a natureza humana
físico/espiritual).
• i. “Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é
para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas” (Fp
3.19; compare com 2Tm 4.10).
2. Vivendo como espinheiro.
• “...Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim
dá fruto bom. Toda árvore é reconhecida por seus frutos.
Ninguém colhe figos de espinheiro...” (Lc 6.43-45)
• Sabemos que a árvore é identificada não por suas flores ou
folhas, mas por seus frutos. Jamais vamos colher laranja de
uma macieira, pois cada árvore produz o seu fruto segundo
sua espécie (Gn 1.11).
• O Senhor Jesus utilizou a figura das árvores frutíferas e do
espinheiro para referir-se a pessoas.
• O espinheiro representa pessoas que podem estar no meio do
Povo de Deus, mas que são incapazes de produzir bons frutos,
resultados aprovados por Deus.
3. Uma vida infrutífera.
A Necessidade do Cristão Produzir Fruto Espiritual
• Em Mateus 7:15-23 encontramos algumas notáveis
declarações saídas dos lábios de nosso Salvador, Jesus, sobre
a grande necessidade de reproduzirmos o caráter cristão em
nossas vidas.
• Conforme Ele disse, os falsos profetas seriam reconhecidos
pelo tipo de fruto que produzissem: “Assim toda árvore boa
produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus.
• Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore
má produzir frutos bons.
• Toda árvore que não produzir bom fruto é cortada e lançada
ao fogo”. (vv. 17-19)
Marcos 11,13-14
• “13 Ao ver, à distância, uma
figueira coberta de folhagem,
foi ver se acharia algum fruto.
Mas nada encontrou senão
folhas, pois não era tempo de
figos. 14 Dirigindo-se à arvore
disse: Ninguém jamais coma
do teu fruto.” (Marcos 11,13-
14) Bíblia de Jerusalém.
https://sites.google.com/site/expositivocombr31/jesus-e-a-figueira
http://ebdexpositivo.blogspot.com.br/2017/01/licao-03.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Obras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do EspíritoObras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do Espírito
Luciana Evangelista
 
Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2 O propósito do fruto do espí...
Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2  O propósito do fruto do espí...Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2  O propósito do fruto do espí...
Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2 O propósito do fruto do espí...
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo
talmidimted
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
Pastor Natalino Das Neves
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da CarneLição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Erberson Pinheiro
 
Lição 3 aluno
Lição 3 alunoLição 3 aluno
Lição 3 aluno
Demerval Fernandes
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
Natalino das Neves Neves
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderadaEbd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaLição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Erberson Pinheiro
 
Lição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoLição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecado
boasnovassena
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
Pastor Natalino Das Neves
 
A Maravilhosa Graça
A Maravilhosa GraçaA Maravilhosa Graça
A Maravilhosa Graça
Márcio Martins
 
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidosLBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
Natalino das Neves Neves
 
Lição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificaçãoLição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificação
Ailton da Silva
 
Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]
Marcio Daudt
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
Ricardo Gondim
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
Natalino das Neves Neves
 
Licao 1
Licao 1Licao 1

Mais procurados (20)

Obras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do EspíritoObras da carne e o Fruto do Espírito
Obras da carne e o Fruto do Espírito
 
Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2 O propósito do fruto do espí...
Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2  O propósito do fruto do espí...Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2  O propósito do fruto do espí...
Lições bíblicas do 1° trimestre de 2017 lição 2 O propósito do fruto do espí...
 
3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo3. a nova vida em cristo
3. a nova vida em cristo
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.Ebd 1 trimestre 2017 lição 3  O perigo das obras da carne.
Ebd 1 trimestre 2017 lição 3 O perigo das obras da carne.
 
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da CarneLição 3 - O Perigo das Obras da Carne
Lição 3 - O Perigo das Obras da Carne
 
Lição 3 aluno
Lição 3 alunoLição 3 aluno
Lição 3 aluno
 
Lição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecadoLição 9 - Mortos para o pecado
Lição 9 - Mortos para o pecado
 
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
EBD 1°TRIMESTRE 2017 Lição 10 Mansidão:Torna o crente apto para evitar pelejas.
 
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderadaEbd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
Ebd 1° trim 2017 aula 11 Vivendo de forma moderada
 
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma ModeradaLição 11 - Vivendo de Forma Moderada
Lição 11 - Vivendo de Forma Moderada
 
Lição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecadoLição 9 mortos para o pecado
Lição 9 mortos para o pecado
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
A Maravilhosa Graça
A Maravilhosa GraçaA Maravilhosa Graça
A Maravilhosa Graça
 
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidosLBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
LBJ Lição 12 - A igreja e a salvação dos perdidos
 
Lição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificaçãoLição 4 - os benefícios da justificação
Lição 4 - os benefícios da justificação
 
Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]Lições biblicas 2017[342]
Lições biblicas 2017[342]
 
O tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeitoO tabernáculo perfeito
O tabernáculo perfeito
 
Lição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela féLição 5 - A justificação pela fé
Lição 5 - A justificação pela fé
 
Licao 1
Licao 1Licao 1
Licao 1
 

Destaque

o carater de um cristão
o carater de um cristãoo carater de um cristão
o carater de um cristão
iuventudebatista
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃOLIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.
Márcio Martins
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
Polícia Militar do Estado do Tocantins
 
A formação do caráter cristão jorge himitian
A formação do caráter  cristão   jorge himitianA formação do caráter  cristão   jorge himitian
A formação do caráter cristão jorge himitian
Ebenézer Ximenes de Melo
 
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Lição 8   A natureza do caráter cristãoLição 8   A natureza do caráter cristão
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Wander Sousa
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espíritoEbd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
GIDEONE Moura Santos Ferreira
 
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderdaLBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
Natalino das Neves Neves
 
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificaçãoLBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
Natalino das Neves Neves
 
Carater cristao aula 3 - pressao do grupo
Carater cristao   aula 3 - pressao do grupoCarater cristao   aula 3 - pressao do grupo
Carater cristao aula 3 - pressao do grupo
jvictormm
 
Ap009
Ap009Ap009
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Natalino das Neves Neves
 
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros CristaosOs Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
tenmario04
 
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igrejaLBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
Natalino das Neves Neves
 
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaLição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Erberson Pinheiro
 
3.o carater de cristo
3.o carater de cristo3.o carater de cristo
3.o carater de cristo
talmidimted
 
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissençõesLBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
Natalino das Neves Neves
 
Carater
CaraterCarater
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
Natalino das Neves Neves
 

Destaque (20)

o carater de um cristão
o carater de um cristãoo carater de um cristão
o carater de um cristão
 
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃOLIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
LIÇÃO 01 - A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
 
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃOLIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
LIÇÃO 13 - UMA VIDA DE FRUTIFICAÇÃO
 
Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.Uma Vida de Frutificação.
Uma Vida de Frutificação.
 
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINALIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
LIÇÃO 12 - QUEM AMA CUMPRE PLENAMENTE A LEI DIVINA
 
A formação do caráter cristão jorge himitian
A formação do caráter  cristão   jorge himitianA formação do caráter  cristão   jorge himitian
A formação do caráter cristão jorge himitian
 
Lição 8 A natureza do caráter cristão
Lição 8   A natureza do caráter cristãoLição 8   A natureza do caráter cristão
Lição 8 A natureza do caráter cristão
 
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espíritoEbd 1 trimestre 2017 lição 1  as obras da carne e o fruto do espírito
Ebd 1 trimestre 2017 lição 1 as obras da carne e o fruto do espírito
 
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderdaLBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
LBA Lição 11 - Vivendo de forma moderda
 
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificaçãoLBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
LBA Lição 13 - Uma vida de frutificação
 
Carater cristao aula 3 - pressao do grupo
Carater cristao   aula 3 - pressao do grupoCarater cristao   aula 3 - pressao do grupo
Carater cristao aula 3 - pressao do grupo
 
Ap009
Ap009Ap009
Ap009
 
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha naturezaLba lição 4   alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
Lba lição 4 alegria, fruto do espírito; inveja, hábito da velha natureza
 
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros CristaosOs Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
Os Desafios da EBD nos Dias Atuais para a Formação de Verdadeiros Cristaos
 
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igrejaLBJ Lição 9 -  A missão ensinadora da igreja
LBJ Lição 9 - A missão ensinadora da igreja
 
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha NaturezaLição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
Lição 4 - Alegria, Fruto do Espírito, Inveja, hábito da Velha Natureza
 
3.o carater de cristo
3.o carater de cristo3.o carater de cristo
3.o carater de cristo
 
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissençõesLBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
LBA Lição 6 - Paciência, evitando as dissenções
 
Carater
CaraterCarater
Carater
 
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizadesLBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
LBA Lição 5 - Paz de deus, antídoto contra as inimizades
 

Semelhante a E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03

O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
Pr. Andre Luiz
 
Slide pdf
Slide pdfSlide pdf
Slide pdf
Jesildo Seixas
 
Lição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carneLição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carne
Ailton da Silva
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
JUERP
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Gerson G. Ramos
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
Pés Descalços
 
Tríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do HomemTríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do Homem
lucena
 
Coroa da criação
Coroa da criaçãoCoroa da criação
Coroa da criação
Pastor Robson Colaço
 
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRAINSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
perymarques
 
Instrumentos do pecado ou vasos de honra
Instrumentos do pecado ou vasos de honraInstrumentos do pecado ou vasos de honra
Instrumentos do pecado ou vasos de honra
Pr. Pery Marques Marques
 
Lição 12 - O Juízo final
Lição 12 - O Juízo finalLição 12 - O Juízo final
Lição 12 - O Juízo final
Ailton da Silva
 
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
AlexDoAprisco1
 
Slide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para face
Slide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para faceSlide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para face
Slide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para face
Vilma Longuini
 
Vois sois o sal da terra e a luz do mundo
Vois sois o sal da terra e a luz do mundoVois sois o sal da terra e a luz do mundo
Vois sois o sal da terra e a luz do mundo
Sergio Menezes
 
Doutrina tiago 4 (parte 2)
Doutrina  tiago 4 (parte 2)Doutrina  tiago 4 (parte 2)
Doutrina tiago 4 (parte 2)
Joel Silva
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptxdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
Tiago Silva
 
Personalidade entre os cristãos
Personalidade entre os cristãosPersonalidade entre os cristãos
Personalidade entre os cristãos
Joel Silva
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
Joel Silva
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdfdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
Tiago Silva
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
Joel Silva
 

Semelhante a E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03 (20)

O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
O perigo das obras da carne - Lição 3 - 1ºTrimestre 2017
 
Slide pdf
Slide pdfSlide pdf
Slide pdf
 
Lição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carneLição 3 - O perigo das obras da carne
Lição 3 - O perigo das obras da carne
 
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
“Tudo é lícito, mas nem tudo convém”
 
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
Tessalônica n dias de Paulo_Resumo_Liç_332012
 
Curso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo BíblicoCurso Evangelismo Bíblico
Curso Evangelismo Bíblico
 
Tríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do HomemTríplice Constituição do Homem
Tríplice Constituição do Homem
 
Coroa da criação
Coroa da criaçãoCoroa da criação
Coroa da criação
 
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRAINSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
INSTRUMENTOS DO PECADO OU VASOS DE HONRA
 
Instrumentos do pecado ou vasos de honra
Instrumentos do pecado ou vasos de honraInstrumentos do pecado ou vasos de honra
Instrumentos do pecado ou vasos de honra
 
Lição 12 - O Juízo final
Lição 12 - O Juízo finalLição 12 - O Juízo final
Lição 12 - O Juízo final
 
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdfETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
ETA LEADERSHIP MÓDULO 1 AULA 02.pptx.pdf
 
Slide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para face
Slide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para faceSlide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para face
Slide li c ao 2 - 3t - 2019 - a mordomia do corpo para face
 
Vois sois o sal da terra e a luz do mundo
Vois sois o sal da terra e a luz do mundoVois sois o sal da terra e a luz do mundo
Vois sois o sal da terra e a luz do mundo
 
Doutrina tiago 4 (parte 2)
Doutrina  tiago 4 (parte 2)Doutrina  tiago 4 (parte 2)
Doutrina tiago 4 (parte 2)
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptxdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pptx
 
Personalidade entre os cristãos
Personalidade entre os cristãosPersonalidade entre os cristãos
Personalidade entre os cristãos
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdfdoutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
doutrina-saldaterra-170722220552 (2).pdf
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 

Mais de Joel Silva

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
Joel Silva
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
Joel Silva
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
Joel Silva
 

Mais de Joel Silva (20)

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 10
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 08
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 07
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 06
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 05
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 04
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 03
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 02
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 01
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 03
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 13
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 12
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 11
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 10
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 09
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 08
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07E.b.d   adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
E.b.d adultos 4ºtrimestre2016 lição 07
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 06
 
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05E.b.d   adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
E.b.d adultos 4ºtrimestre 2016 lição 05
 

Último

1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Lourhana
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
AlessandroSanches8
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 

Último (16)

1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
1984 DE GEORGE ORWELL ILUSTRADO E COMENTADO
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxasMalleus Maleficarum: o martelo das bruxas
Malleus Maleficarum: o martelo das bruxas
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO      [MUSEOLOGIA]
MUSEU EGÍPCIO DO CAIRO [MUSEOLOGIA]
 
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução AnimicaEscola de A E Aula 96 Evolução Animica
Escola de A E Aula 96 Evolução Animica
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 

E.b.d adultos 1ºtrimestre 2017 lição 03

  • 2. VERDADE PRÁTICA • Oremos e vigiemos para que não sejamos surpreendidos pelas obras da carne.
  • 3. LEITURA DIÁRIA • Segunda - Gl 5,19: O perigo da prostituição, da impureza e da lascívia • Terça – Gl 5.20a: O perigo da idolatria, das feitiçarias e das inimizades • Quarta – Gl 5.20b: O perigo das contendas, das disputas e das iras • Quinta – Gl 5.21: O perigo da inveja, dos homicídios, das bebedices e das glutonarias • Sexta – Gl 5.21a: O perigo fatal das obras da carne • Sábado – Gl 5.16: Como vencer as obras da carne
  • 4. OBJETIVO GERAL Explicar o perigo das obras da carne.
  • 5. OBJETIVOS ESPECÍFICOS • I. Identificar o que é concupiscência da carne; • II. Mostrar o que é um caráter moldado pelo Espírito; • III. Saber que uma vida que não agrada a Deus vive segundo a carne e é infrutífera.
  • 6. ESBOÇO DA LIÇÃO I - A VIDA CONDUZIDA PELA CONCUPISCÊNCIA DA CARNE • 1. A concupiscência da carne. • 2. A vida guiada pela concupiscência da carne. • 3- A vida conduzida pela concupiscência dos olhos. II – A DEGRADAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO • 1. O caráter. • 2. O caráter moldado pelo Espírito. • 3. Ataques ao seu caráter. Ill - UMA VIDA QUE NÃO AGRADA A DEUS • 1. Viver segundo a carne. • 2. Vivendo como espinheiro. • 3. Uma vida infrutífera.
  • 7. PONTO CENTRAL A natureza adâmica deve ser controlada pelo Espírito.
  • 8. LEITURA BÍBLICA EM CLASSE Lucas 6.39 – 49 • 39 E dizia-lhes uma parábola: Pode porventura o cego guiar o cego? Não cairão ambos na cova? • 40 O discípulo não é superior a seu mestre, mas todo o que for perfeito será como o seu mestre. • 41 E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? • 42 Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não atentando tu mesmo na trave que está no teu olho? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão. • 43 Porque não há boa árvore que dê mau fruto, nem má árvore que dê bom fruto.
  • 9. • 44 Porque cada árvore se conhece pelo seu próprio fruto; pois não se colhem figos dos espinheiros, nem se vindimam uvas dos abrolhos. • 45 O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca. • 46 E por que me chamais, SENHOR, Senhor, e não fazeis o que eu digo? • 47 Qualquer que vem a mim e ouve as minhas palavras, e as observa, eu vos mostrarei a quem é semelhante: • 48 É semelhante ao homem que edificou uma casa, e cavou, e abriu bem fundo, e pôs os alicerces sobre a rocha; e, vindo a enchente, bateu com ímpeto a corrente naquela casa, e não a pôde abalar, porque estava fundada sobre a rocha. • 49 Mas o que ouve e não pratica é semelhante ao homem que edificou uma casa sobre terra, sem alicerces, na qual bateu com ímpeto a corrente, e logo caiu; e foi grande a ruína daquela casa.
  • 10. TEXTO ÁUREO "...Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca..." (Mt 26.41)
  • 11. INTRODUÇÃO • A lição deste domingo é um alerta para os que querem agradar a Deus e ter uma vida frutífera. • Estudaremos o perigo das obras da carne. • Precisamos ter cuidado, pois dentro de todo crente habita duas naturezas: a natureza adâmica, a qual foi corrompida na Queda, e a nova natureza, que é resultado da regeneração, do novo nascimento (Jo 3.3). • Veremos que a natureza adâmica, se não for controlada pelo Espírito, produz frutos que levam o crente à morte espiritual.
  • 12.
  • 13. CARNAL • Esta palavra aparece somente no Novo Testamento, embora o termo 'carnalmente' seja encontrado três vezes no Antigo Testamento. 'Carnal' aparece no Novo Testamento onze vezes, e 'carnalmente' uma vez. 'Carnal' significa 'pertinente à carne'. • O substantivo SARX significa basicamente o corpo de um animal ou de uma pessoa, ou a carne de um animal. No entanto, no Novo Testamento, o termo 'carnal' algumas vezes está literalmente relacionado à carne, e algumas vezes à antiga natureza humana corrompida por Adão, que é encontrada em todos os homens."
  • 14. • “...Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas A CARNE É FRACA...”
  • 15. • Embora não seja citada a referência bíblica no dito cartaz, é evidente que foi extraída de um dos evangelhos que expõe os momentos da angústia de Jesus, que antecederam sua prisão no Getsêmani (Lucas 22.39-46; e, João 18.1), onde, naquela noite, ocorreu o mais doloroso incidente de toda a história dos sofrimentos do nosso Salvador. • As palavras foram ditas por Jesus aos seus discípulos. Ele estaria brincando com os seus discípulos ao dizer aquelas palavras? Estaria mentindo? Seria algo sem nexo, e ele não sabia o que dizia? • Na versão Almeida Revista e Corrigida o texto de Mateus 26.41 não deixa dúvida: “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas A CARNE É FRACA”. A KJV (King James Version), considerada a mais fiel tradução da Bíblia em relação aos textos originais, corrobora com a mesma expressão: “…a carne é fraca”.
  • 16. I - A VIDA CONDUZIDA PELA CONCUPISCÊNCIA DA CARNE
  • 17. 1. A concupiscência da carne.
  • 18. AFINAL O QUE É A CONCUPISCÊNCIA? • Podemos seguramente defini-la como os desejos de nossa alma e de nossa carne. Segundo o dicionário Michaelis "Grande desejo de bens ou gozos materiais. 2. Apetite sexual." • Partindo dessa premissa podemos dividir essa concupiscência em três grupos: • "Concupiscência da Carne, dos Olhos e Soberba da Vida”, segundo o que nos revela o magistério do Apóstolo João. LEIA COM ATENÇÃO: • “Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.” (I Jo 2:16)
  • 19. 2. A vida guiada pela concupiscência da carne.
  • 20. • Andar segundo a carne é estar sempre perseguindo, desejando, e fazendo as coisas que agradam à carne, qualquer aspecto que a carne possa usar ou qualquer que seja a vestimenta que ela possa assumir seja no molde e formato dos caminhos mais grosseiros e flagrantes do mundo profano. • Mas são os mais grosseiros e mais manifestos pecadores as únicas pessoas das quais pode ser dito que andam segundo a carne? Não estará toda religião humana, em todas as suas formas e modas variadas, sob a varredura desta espada que tudo devora? Sim! Todo aquele que está aprisionado e que é conduzido por uma religião carnal, anda tanto na carne quanto aqueles que estão abandonados às suas indulgências mais grosseiras.
  • 21. 3- A vida conduzida pela concupiscência dos olhos.
  • 22. • Quando fala sobre “concupiscência dos olhos” também fala sobre o desejo pecaminoso de olhos que buscam aquilo que desagrada a Deus. • Assim, vemos que concupiscência não se aplica apenas a área sexual como alguns pensam, mas a todas as áreas onde o desejo humano de alguma forma desagrada a Deus, ofendendo-o através da prática continuada do pecado. • O texto de Paulo aos Romanos exemplifica bem essa questão: “...Mas o pecado, tomando ocasião pelo mandamento, despertou em mim toda sorte de concupiscência; porque, sem lei, está morto o pecado...” (Rm 7. 8)
  • 23. II – A DEGRADAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO
  • 25. DEFINIÇÃO • Segundo o Dicionário Aurélio, caráter é definido por: “qualidade inerente a uma pessoa, animal ou coisa; o que os distingue de outra pessoa, animal ou coisa; o conjunto dos traços particulares, o modo de ser de um indivíduo, ou de um grupo; índole, natureza, temperamento”. • O significado literal do termo grego charaktēr é “estampa”, “impressão”, “gravação”, “sinal”, “marca” ou “reprodução exata”. • Caráter é algo que vai sendo formado e impresso com o tempo em nosso interior, uma verdadeira marca. • O caráter de cada qual não é formado do dia para noite. • É um processo gradual que está relacionado a um amplo conjunto de fatores que influenciam na formação de cada um.
  • 26. 2. O caráter moldado pelo Espírito.
  • 27. DEFINIÇÃO • Temperamento é o estado fisiológico, ou constituição particular do corpo. Constituição moral: índole, têmpera. Temperamento é o conjunto das disposições orgânicas que constitui cada natureza face dos mesmos estímulos externos. CARACTERES DO TEMPERAMENTO • O temperamento é inato: a criança já nasce com um determinado temperamento, embora este muito tarde se manifeste. O temperamento é mais profundo do que nossa consciência. É um poder inconsciente que opera sem cessar e automaticamente. Porque o temperamento tem sua raiz em nossa subconsciência, tem um efeito inevitável em nossa vida consciente, em nossas emoções, intelecto e vontade.
  • 28. 3. Ataques ao seu caráter.
  • 29. O Mundo • O sermão foi iniciado sobre o significado e a relevância dada pelo tema “mundo” no Novo Testamento. Essa palavra mundo pode ser traduzida de três diferentes raízes do grego, cujo significado é “cosmos”, “ecumenio” e “era”. • O mundo “cosmos”refere-se às “coisas colocadas em ordem”. O universo em si pode ser chamado de cosmos por esse motivo. • O mundo “ecumênico”, de onde deriva a palavra ecumênico, é o mundo como “habitação da humanidade”, como referido em João 3:16 – “Deus amou o mundo de tal maneira…”, ou seja, Deus amou as pessoas. E o mundo “era” é aquele que se refere ao “espaço e o tempo”, como está em Romanos 12:1– “Não vos conformeis com este mundo…”, ou seja, com este tempo, com esta cultura.
  • 30. Ill - UMA VIDA QUE NÃO AGRADA A DEUS
  • 31. 1. Viver segundo a carne.
  • 32. CONCEITO BIBLICO DE ANDAR/VIVER NA CARNE • a. Significado: viver de acordo com os impulsos, viver para satisfazer a si mesmo, atender suas vontades próprias; luxúria; hedonismo — estado de rebelião e autonomia. • b. Servir a si mesmo: ‘cujo deus é o ventre”; “servir ao ventre” – figura empregada para descrever o andar por seu próprio governo (rejeita o governo de Deus) e para satisfazer seus próprios desejos (rejeita a natureza humana físico/espiritual). • i. “Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas” (Fp 3.19; compare com 2Tm 4.10).
  • 33. 2. Vivendo como espinheiro.
  • 34. • “...Nenhuma árvore boa dá fruto ruim, nenhuma árvore ruim dá fruto bom. Toda árvore é reconhecida por seus frutos. Ninguém colhe figos de espinheiro...” (Lc 6.43-45) • Sabemos que a árvore é identificada não por suas flores ou folhas, mas por seus frutos. Jamais vamos colher laranja de uma macieira, pois cada árvore produz o seu fruto segundo sua espécie (Gn 1.11). • O Senhor Jesus utilizou a figura das árvores frutíferas e do espinheiro para referir-se a pessoas. • O espinheiro representa pessoas que podem estar no meio do Povo de Deus, mas que são incapazes de produzir bons frutos, resultados aprovados por Deus.
  • 35. 3. Uma vida infrutífera.
  • 36. A Necessidade do Cristão Produzir Fruto Espiritual • Em Mateus 7:15-23 encontramos algumas notáveis declarações saídas dos lábios de nosso Salvador, Jesus, sobre a grande necessidade de reproduzirmos o caráter cristão em nossas vidas. • Conforme Ele disse, os falsos profetas seriam reconhecidos pelo tipo de fruto que produzissem: “Assim toda árvore boa produz bons frutos, porém a árvore má produz frutos maus. • Não pode a árvore boa produzir frutos maus, nem a árvore má produzir frutos bons. • Toda árvore que não produzir bom fruto é cortada e lançada ao fogo”. (vv. 17-19)
  • 37. Marcos 11,13-14 • “13 Ao ver, à distância, uma figueira coberta de folhagem, foi ver se acharia algum fruto. Mas nada encontrou senão folhas, pois não era tempo de figos. 14 Dirigindo-se à arvore disse: Ninguém jamais coma do teu fruto.” (Marcos 11,13- 14) Bíblia de Jerusalém. https://sites.google.com/site/expositivocombr31/jesus-e-a-figueira