SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
DOUTRINA DE PEDRO, JOÃODOUTRINA DE PEDRO, JOÃO EE
JUDASJUDAS
EAEEAE Aula 70Aula 70
 Purificando as vossas almas pelo
Espírito na obediência à verdade,
para o amor fraternal, não fingido;
amai-vos ardentemente uns aos
outros com um coração puro.
(1 Pedro 1:22)
 Sendo de novo gerados, não de
semente corruptível, mas da
incorruptível, pela palavra de Deus,
viva, e que permanece para
sempre. (1 Pedro 1:23)
Na imagem é Jesus em seu contato com Pedro, chamando para
semear os ensinamentos de Jesus.
 Pedro, o primeiro dos apóstolos deixou uma importante contribuição para a
humanidade com seus ensinamentos, simples, claros e objetivos.
 O novo testamento possui duas epístolas
de Pedro.
 As epístolas incentivam cristãos a refletirem
diariamente sobre os ensinamentos de Cristo.
 Mantendo essa conduta receberemos a
herança divina.
 Assim conseguiremos avanços definitivos
e eternos.
Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
 Temos em nós todas as virtudes, mas estão latentes.
 Os ensinamentos de Pedro reforçam os ensinamentos de Jesus.
 A evolução espiritual é caracterizada pela distância entre espírito e
matéria, isto é, das necessidades puramente materiais.
 O apóstolo desejava que fossemos puros como crianças recém
nascidas e nos fosse oferecido os verdadeiros ensinamentos para
nossa reforma íntima, como método indispensável à transformação
do homem velho em novo homem.
 Pedro diz que não poderemos ficar parados. Como filhos
obedientes, devemos, dar a nossa palavra e nosso testemunho. A
ignorância não pode prevalecer.
 Todo aquele que deseja mudar, que compreende os preciosos
ensinamentos evangélicos, apresenta um comportamento
equivalente as suas conquistas.
Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
 Pedro pede ao Cristão para obedecer as leis dos homens e
cultivar o respeito ao próximo, dado seu testemunho
compatível com sua vivência crística.
 Pedro diz que todos tem a oportunidade de edificação,
encarnados ou desencarnados.
 Nossa mudança começa no lar, em nossos relacionamentos
domésticos.
 Pedro valoriza a simplicidade que aparece naturalmente com
o aprimoramento de nossas virtudes, deixando de refletir
nosso orgulho e vaidade.
 Jesus e os apóstolos recomendam prudência e vigiarmos em
orações.
Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
 Somos deficientes e temos dificuldades nas lutas diárias para
nossa transformação.
Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
 Daí, o por que em vigiar a mente e policiar nossas atitudes, só assim não
seremos comprometidos com mais faltas perante as leis naturais.
 A mensagem de Cristo foi deixada à todos, pelos esclarecimento, pelo
trabalho e pela reconstrução do que tivessem destruído, conquistar o
equilíbrio necessário que levará a todos para os caminhos da evolução.
Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
 Os ensinamentos evangélicos e dos Espíritos são extraordinários,
pois apresentam-se de todas as formas e estão ao alcance de
todos, de todas as classes e culturas. Espíritos das mais altas
esferas apresentam-se humildemente transmitindo–nos valiosos
ensinamentos, de tão sublime teor que nos deixam patente de sua
condição elevada, estão sempre nos auxiliando.
Sabedores das nossas dificuldades nas lutas que travamos para
nossa transformação, vêm em nosso socorro para que não
incorramos em maiores compromissos perante as Leis Naturais.
Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
 Quando entramos em contato com os
ensinamentos apostólicos,
principalmente a luz do espiritismo,
enxergamos a possibilidade da
libertação das travas do primitivo, das
nossas necessidades primárias, que
são necessárias mas não
representam a essência da nossa
evolução.
 No capítulo 2 de sua 2ª Epístola, o
Apóstolo refere-se aos falsos mestres
e aproveita a oportunidade de
ministrar ensinamentos de elevada
significação para todos os que estão
travando a grande batalha: a
transformação do homem velho no
homem novo.
 Nos versículos 18 a 22 lê-se: Aqueles que estavam se afastando dos que
andam em erro prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servo da
corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal também se faz servo.
 Depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo conhecimento do
Senhor e Salvado Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos,
tornou-se-lhes o último estado pior que o primeiro.
 O aprendiz durante a escola, recebe estímulos de todas as formas que o
conduz para a libertação.
 A convivência com outros alunos, a experiência do dirigente, os temas, o
trabalho evangélico, as caravanas e campanhas de combate aos vícios e
paixões, apresentam resultados positivos no caminho dos ideais crísticos.
 Por outro lado fora da escola, o aluno recebe estímulos contrários empurrando-
o para a ociosidade, vícios e paixões.
 Os estímulos devem ser analisados escolhendo assim o caminho certo.
 Todo cuidado é pouco. O conhecimento nos traz responsabilidades.
 Pedro diz: Aquele que já conhece, erra mais.
 O grande escudo do aprendiz é o trabalho, aplicados ao ideal de reforma
interior.
 Estará lado a lado com pessoas que vibram na mesma sintonia.
 O Trabalho nós mantém na conduta correta e nos faz mais que vencedor por
Aquele que nos amou
 Jesus entregou sua mãe aos seus cuidados e
foi o único apóstolo que se atreveu a
permanecer ao pé da cruz (Jo 19.26-27).
 Escreveu o evangelho, três epístolas e o livro do
apocalipse Sobre João.
 Irmãos, não vos escrevo mandamento novo,
mas o mandamento antigo, que desde o
princípio tivestes. Este mandamento antigo é a
palavra que desde o princípio ouvistes. (1 João
2:7)
 E esta é a promessa que ele nos fez: a vida
eterna. (1 João 2:25)
 São relacionadas a conflitos existentes nas
comunidades cristãs de Éfeso e da Ásia Menor
na virada do século I para o II.
EPÍSTOLAS DE JOÃOEPÍSTOLAS DE JOÃO
Epístolas de JoãoEpístolas de João
 João chama a todos a vivenciar o amor e diz que o maior ensinamento é
amar uns aos outros.
 Adverte que os prazeres materiais nos mantém presos.
Epístolas de JoãoEpístolas de João
 Todas as coisas do mundo devem ser utilizadas para nossa
libertação e não para nos escravizar.
Epístolas de JoãoEpístolas de João
 Não devemos ser conquistados pelo mundo, mas sim
aproveitar as lições que esse mundo nos oferece para
evoluirmos.
 João chamava a todos, carinhosamente de “Filhinho”.
 E disse: “Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de
língua, mas por obra e em verdade” (1 João 3:18)
 João nos diz sobre a eficácia da oração:
“E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma
coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.”
EPÍSTOLA DE JUDASEPÍSTOLA DE JUDAS
 Judas é o irmão de Jesus.
(Mateus 13:55)
 Que se tornou crente só depois
da ressurreição. (João 7:5; Atos1:14)
 Conservai-vos a vós mesmos no
amor de Deus, esperando a
misericórdia de nosso Senhor
Jesus Cristo para a vida eterna.
(Judas 1:21)
 E apiedai-vos de alguns,
usando de discernimento.
(Judas 1:22)
Epístolas de JudasEpístolas de Judas
 Epístola de Judas é nome dado à epístola do apóstolo São Judas
Tadeu, escrita provavelmente no ano 65dC.
 Destinatários da epístola poderiam ser judeus convertidos ao
cristianismo espalhados pela Ásia Menor, embora a epístola não dê
informações para que público específico Judas teria se dirigido.
 O seu conteúdo apenas indica que os destinatários seriam pessoas
conhecedoras do Antigo Testamento e das tradições judaicas, não
havendo referências expressas aos gentios.
 A epístola é bem pequena apenas 25 versículos em um único
capítulo.
 Inicia-se com uma curta introdução de dois versos.
 Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados,
santificados em Deus Pai, e conservados por Jesus Cristo: Misericórdia,
e paz, e amor vos sejam multiplicados. (Judas 1:1,2)
Epístolas de JudasEpístolas de Judas
 Fala sobre o perigo da atuação de homens perversos que estavam
tentando alterar o propósito da fé cristã. Falsos profetas ou falsos
mestres.
 Esses falsos profetas, não tem sabedoria divina.
 Falam apenas de coisas supérfluas, procurando sujar a conquista
alheia. Seus semelhantes tem que fazer o que eles dizem, mas eles
mesmos não são capazes de fazê-lo.
 O verdadeiro mestre além de falar, exemplifica, nada pede se não
for capaz de fazê-lo.
 Valoriza todo trabalho comum de reforma íntima, não se coloca em
um pedestal.
 É humilde.
Epístolas de JudasEpístolas de Judas
 Ao aprendiz do Evangelho: Busque nos apóstolos de
Cristo, o exemplo do dia a dia.
 E nunca se esqueça do ensinamento de Emmanuel:
Não é lógica a luta que travamos para conquistarmosNão é lógica a luta que travamos para conquistarmos
as coisas materiais, por que mais tarde, travaremosas coisas materiais, por que mais tarde, travaremos
maior luta para nos despojarmos dessas conquistasmaior luta para nos despojarmos dessas conquistas
que na verdade marcavam a nossa inferioridade.que na verdade marcavam a nossa inferioridade.
Lembre-se aprendiz que não foi chamado a
repousar, mas à peleja árdua, em que a
demonstração do esforço individual é imperativo
divino... constitui obrigação o combate permanente
pela vitória do amor e da verdade, na Terra, através
de ásperos testemunhos, por que todos nós,
encarnados e desencarnados, oscilantes entre a
animalidade e a espiritualidade, entre o vale do
homem e a culminância do Cristo, estamos
constrangidos a batalhar até o definitivo triunfo sobre
nós mesmos pela posse da Vida Imortal.
Emmanuel – F. C. Xavier - Vinha de Luz. Item 49 - Cooperemos fielmente.
Reflexão sobre Serviço Cristão
Como evoluir espiritualmenteComo evoluir espiritualmente??
 Estudar, participar das aulas de evangelização,
 Ter o hábito da prece,
 Praticar o Evangelho,
 Amar os nossos inimigos,
 Praticar o bem,
 Aprender a perdoar,
 Não ter maledicência,
 Ver o lado bom da vida sempre, com bom humor,
 Combater os vícios,
 Trocar nossos defeitos, por qualidades,
 Reforma íntima.
Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Para os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesusPara os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesus
Tatiana Bonfim
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
umecamaqua
 

Mais procurados (20)

Para os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesusPara os espíritas, quem é jesus
Para os espíritas, quem é jesus
 
CRISTIANISMO E ESPIRITISMO
CRISTIANISMO E ESPIRITISMOCRISTIANISMO E ESPIRITISMO
CRISTIANISMO E ESPIRITISMO
 
Educação à Luz do Espiritismo
Educação à Luz do EspiritismoEducação à Luz do Espiritismo
Educação à Luz do Espiritismo
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
 
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélicaAula 12 curso básico aliança espírita evangélica
Aula 12 curso básico aliança espírita evangélica
 
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moralPalestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
Palestra Espírita - A caridade material e a caridade moral
 
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
 
O compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefaO compromisso com a tarefa
O compromisso com a tarefa
 
O argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olhoO argueiro e a trave no olho
O argueiro e a trave no olho
 
Paulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moralPaulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moral
 
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do EvangelhoAula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
Aula 39_Últimos Dias em Jerusalém_Escola de Aprendizes do Evangelho
 
O Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro EspíritaO Papel do Centro Espírita
O Papel do Centro Espírita
 
A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)
A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)
A lei de amor (ESE, Cap XI, item 8)
 
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o EspiritismoCB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
CB 16 Esboço do Livro O Evangelho Segundo o Espiritismo
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2   a prece = importância, eficácia e açãoRoteiro 2   a prece = importância, eficácia e ação
Roteiro 2 a prece = importância, eficácia e ação
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 
Curso Básico de Espiritismo 7
Curso Básico de Espiritismo 7Curso Básico de Espiritismo 7
Curso Básico de Espiritismo 7
 
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕESA059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
 

Semelhante a Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas

Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Rubens Tatekawa
 
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
Paulo Dias Nogueira
 

Semelhante a Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas (20)

3º. trimestre 2012 – jesus cristo
3º. trimestre 2012 – jesus cristo3º. trimestre 2012 – jesus cristo
3º. trimestre 2012 – jesus cristo
 
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docxApostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
Apostila-Novos-Convertidos-Assembleia-de-Deus-PDF.docx
 
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
Cursobasicodeevangelismo 120805154410-phpapp02
 
3 ra primeira semana para envio- Retiro de Advento/Natal 2013…
3 ra primeira semana para envio- Retiro de Advento/Natal 2013…3 ra primeira semana para envio- Retiro de Advento/Natal 2013…
3 ra primeira semana para envio- Retiro de Advento/Natal 2013…
 
Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
 
Livro que revela a verdade
Livro que revela a verdadeLivro que revela a verdade
Livro que revela a verdade
 
Curso basico de evangelismo
Curso basico de evangelismoCurso basico de evangelismo
Curso basico de evangelismo
 
P1203 testemunhas
P1203 testemunhasP1203 testemunhas
P1203 testemunhas
 
Apostila evangelismo
Apostila evangelismoApostila evangelismo
Apostila evangelismo
 
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...Jesus e a mulher cananéia   a salvação de deus é para todos -  14 08 2005 - 1...
Jesus e a mulher cananéia a salvação de deus é para todos - 14 08 2005 - 1...
 
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de SalvaçãoLição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
Lição 2 - O comunicador e a mensagem de Salvação
 
Comentário: 6° domingo de Pascoa - Ano C
Comentário: 6° domingo de Pascoa - Ano CComentário: 6° domingo de Pascoa - Ano C
Comentário: 6° domingo de Pascoa - Ano C
 
Comentário: Domingo de Páscoa
Comentário: Domingo de PáscoaComentário: Domingo de Páscoa
Comentário: Domingo de Páscoa
 
Comentário: Domingo de Pascoa - Ano A, B e C
Comentário: Domingo de Pascoa - Ano A, B e CComentário: Domingo de Pascoa - Ano A, B e C
Comentário: Domingo de Pascoa - Ano A, B e C
 
Comentário: Domingo de Pascoa - Anos A, B e C
Comentário: Domingo de Pascoa - Anos A, B e CComentário: Domingo de Pascoa - Anos A, B e C
Comentário: Domingo de Pascoa - Anos A, B e C
 
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SPMissões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
 
Lição 2 o evangelho da graça 3º trimestre de 2015
Lição 2   o evangelho da graça  3º trimestre de 2015Lição 2   o evangelho da graça  3º trimestre de 2015
Lição 2 o evangelho da graça 3º trimestre de 2015
 
Lição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graçaLição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graça
 
Lição 02 - O evangelho da graça
Lição 02 - O  evangelho da graçaLição 02 - O  evangelho da graça
Lição 02 - O evangelho da graça
 
1 2 3 JOÃO Hernandes Dias-Lopes.pdf
1 2 3 JOÃO  Hernandes Dias-Lopes.pdf1 2 3 JOÃO  Hernandes Dias-Lopes.pdf
1 2 3 JOÃO Hernandes Dias-Lopes.pdf
 

Mais de PatiSousa1

Aula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptAula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.ppt
PatiSousa1
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do Cristão
PatiSousa1
 
Basico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxBasico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptx
PatiSousa1
 
AULA 30.pptx
AULA 30.pptxAULA 30.pptx
AULA 30.pptx
PatiSousa1
 
Eae 19 Os Essênios
Eae 19  Os EssêniosEae 19  Os Essênios
Eae 19 Os Essênios
PatiSousa1
 

Mais de PatiSousa1 (20)

Aula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.pptAula 15 Reis Magos.ppt
Aula 15 Reis Magos.ppt
 
EAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do CristãoEAE Os recursos do Cristão
EAE Os recursos do Cristão
 
Basico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptxBasico aula 6.pptx
Basico aula 6.pptx
 
AULA 30.pptx
AULA 30.pptxAULA 30.pptx
AULA 30.pptx
 
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)Aula 105 EAE Regras para a educação.  Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
Aula 105 EAE Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres (III)
 
Aula 104
Aula 104Aula 104
Aula 104
 
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
Eae 77 - AMOR COMO LEI SOBERANA E O VALOR CIENTIFICO DA PRECE, LEI DA SOLIDAR...
 
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
EAE 16 -  Infância e Juventude do MessiasEAE 16 -  Infância e Juventude do Messias
EAE 16 - Infância e Juventude do Messias
 
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da ÉpocaEae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
Eae 18 As Seitas Nacionais - Costumes da Época
 
Eae 19 Os Essênios
Eae 19  Os EssêniosEae 19  Os Essênios
Eae 19 Os Essênios
 
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
Eae 105 Regras para a educação. Conduta e aperfeiçoamento dos seres ( III )
 
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.Eae 22  À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
Eae 22 À volta a Jerusalém e as escolas rabínicas.
 
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profanoEae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
Eae 108 O Cristão no meio religioso e no meio profano
 
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUALEae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
Eae 91 NORMAS DA VIDA ESPIRITUAL
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das Epístolas
 
Eae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontadeEae 75 O pensamento e a vontade
Eae 75 O pensamento e a vontade
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar
 
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigosEae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
Eae 89 Amor a Deus, ao próximo e aos inimigos
 
CB Aula 17
CB Aula 17CB Aula 17
CB Aula 17
 

Último

Último (7)

Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
pregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptxpregacao romanos    12 9-21  honrar   uns aos outros.pptx
pregacao romanos 12 9-21 honrar uns aos outros.pptx
 
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
Coletânea De Orações Cristãs Parte 2
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docxCulto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
Culto esboço de Pregação expositiva sermão em João.docx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da ProvidênciaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 133 - Lógica da Providência
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 

Eae 70 Doutrinas de Pedro, João e Judas

  • 1. DOUTRINA DE PEDRO, JOÃODOUTRINA DE PEDRO, JOÃO EE JUDASJUDAS EAEEAE Aula 70Aula 70
  • 2.  Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro. (1 Pedro 1:22)  Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. (1 Pedro 1:23) Na imagem é Jesus em seu contato com Pedro, chamando para semear os ensinamentos de Jesus.
  • 3.  Pedro, o primeiro dos apóstolos deixou uma importante contribuição para a humanidade com seus ensinamentos, simples, claros e objetivos.  O novo testamento possui duas epístolas de Pedro.  As epístolas incentivam cristãos a refletirem diariamente sobre os ensinamentos de Cristo.  Mantendo essa conduta receberemos a herança divina.  Assim conseguiremos avanços definitivos e eternos. Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
  • 4.  Temos em nós todas as virtudes, mas estão latentes.  Os ensinamentos de Pedro reforçam os ensinamentos de Jesus.  A evolução espiritual é caracterizada pela distância entre espírito e matéria, isto é, das necessidades puramente materiais.  O apóstolo desejava que fossemos puros como crianças recém nascidas e nos fosse oferecido os verdadeiros ensinamentos para nossa reforma íntima, como método indispensável à transformação do homem velho em novo homem.  Pedro diz que não poderemos ficar parados. Como filhos obedientes, devemos, dar a nossa palavra e nosso testemunho. A ignorância não pode prevalecer.  Todo aquele que deseja mudar, que compreende os preciosos ensinamentos evangélicos, apresenta um comportamento equivalente as suas conquistas. Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
  • 5.  Pedro pede ao Cristão para obedecer as leis dos homens e cultivar o respeito ao próximo, dado seu testemunho compatível com sua vivência crística.  Pedro diz que todos tem a oportunidade de edificação, encarnados ou desencarnados.  Nossa mudança começa no lar, em nossos relacionamentos domésticos.  Pedro valoriza a simplicidade que aparece naturalmente com o aprimoramento de nossas virtudes, deixando de refletir nosso orgulho e vaidade.  Jesus e os apóstolos recomendam prudência e vigiarmos em orações. Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
  • 6.  Somos deficientes e temos dificuldades nas lutas diárias para nossa transformação. Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
  • 7.  Daí, o por que em vigiar a mente e policiar nossas atitudes, só assim não seremos comprometidos com mais faltas perante as leis naturais.  A mensagem de Cristo foi deixada à todos, pelos esclarecimento, pelo trabalho e pela reconstrução do que tivessem destruído, conquistar o equilíbrio necessário que levará a todos para os caminhos da evolução. Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
  • 8.  Os ensinamentos evangélicos e dos Espíritos são extraordinários, pois apresentam-se de todas as formas e estão ao alcance de todos, de todas as classes e culturas. Espíritos das mais altas esferas apresentam-se humildemente transmitindo–nos valiosos ensinamentos, de tão sublime teor que nos deixam patente de sua condição elevada, estão sempre nos auxiliando. Sabedores das nossas dificuldades nas lutas que travamos para nossa transformação, vêm em nosso socorro para que não incorramos em maiores compromissos perante as Leis Naturais. Epístolas de PedroEpístolas de Pedro
  • 9.  Quando entramos em contato com os ensinamentos apostólicos, principalmente a luz do espiritismo, enxergamos a possibilidade da libertação das travas do primitivo, das nossas necessidades primárias, que são necessárias mas não representam a essência da nossa evolução.  No capítulo 2 de sua 2ª Epístola, o Apóstolo refere-se aos falsos mestres e aproveita a oportunidade de ministrar ensinamentos de elevada significação para todos os que estão travando a grande batalha: a transformação do homem velho no homem novo.
  • 10.  Nos versículos 18 a 22 lê-se: Aqueles que estavam se afastando dos que andam em erro prometendo-lhes liberdade, sendo eles mesmos servo da corrupção. Porque de quem alguém é vencido, do tal também se faz servo.  Depois de terem escapado das corrupções do mundo pelo conhecimento do Senhor e Salvado Jesus Cristo, forem outra vez envolvidos nelas e vencidos, tornou-se-lhes o último estado pior que o primeiro.  O aprendiz durante a escola, recebe estímulos de todas as formas que o conduz para a libertação.  A convivência com outros alunos, a experiência do dirigente, os temas, o trabalho evangélico, as caravanas e campanhas de combate aos vícios e paixões, apresentam resultados positivos no caminho dos ideais crísticos.  Por outro lado fora da escola, o aluno recebe estímulos contrários empurrando- o para a ociosidade, vícios e paixões.
  • 11.  Os estímulos devem ser analisados escolhendo assim o caminho certo.  Todo cuidado é pouco. O conhecimento nos traz responsabilidades.  Pedro diz: Aquele que já conhece, erra mais.  O grande escudo do aprendiz é o trabalho, aplicados ao ideal de reforma interior.  Estará lado a lado com pessoas que vibram na mesma sintonia.  O Trabalho nós mantém na conduta correta e nos faz mais que vencedor por Aquele que nos amou
  • 12.  Jesus entregou sua mãe aos seus cuidados e foi o único apóstolo que se atreveu a permanecer ao pé da cruz (Jo 19.26-27).  Escreveu o evangelho, três epístolas e o livro do apocalipse Sobre João.  Irmãos, não vos escrevo mandamento novo, mas o mandamento antigo, que desde o princípio tivestes. Este mandamento antigo é a palavra que desde o princípio ouvistes. (1 João 2:7)  E esta é a promessa que ele nos fez: a vida eterna. (1 João 2:25)  São relacionadas a conflitos existentes nas comunidades cristãs de Éfeso e da Ásia Menor na virada do século I para o II. EPÍSTOLAS DE JOÃOEPÍSTOLAS DE JOÃO
  • 13. Epístolas de JoãoEpístolas de João  João chama a todos a vivenciar o amor e diz que o maior ensinamento é amar uns aos outros.  Adverte que os prazeres materiais nos mantém presos.
  • 14. Epístolas de JoãoEpístolas de João  Todas as coisas do mundo devem ser utilizadas para nossa libertação e não para nos escravizar.
  • 15. Epístolas de JoãoEpístolas de João  Não devemos ser conquistados pelo mundo, mas sim aproveitar as lições que esse mundo nos oferece para evoluirmos.  João chamava a todos, carinhosamente de “Filhinho”.  E disse: “Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade” (1 João 3:18)  João nos diz sobre a eficácia da oração: “E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.”
  • 16. EPÍSTOLA DE JUDASEPÍSTOLA DE JUDAS  Judas é o irmão de Jesus. (Mateus 13:55)  Que se tornou crente só depois da ressurreição. (João 7:5; Atos1:14)  Conservai-vos a vós mesmos no amor de Deus, esperando a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna. (Judas 1:21)  E apiedai-vos de alguns, usando de discernimento. (Judas 1:22)
  • 17. Epístolas de JudasEpístolas de Judas  Epístola de Judas é nome dado à epístola do apóstolo São Judas Tadeu, escrita provavelmente no ano 65dC.  Destinatários da epístola poderiam ser judeus convertidos ao cristianismo espalhados pela Ásia Menor, embora a epístola não dê informações para que público específico Judas teria se dirigido.  O seu conteúdo apenas indica que os destinatários seriam pessoas conhecedoras do Antigo Testamento e das tradições judaicas, não havendo referências expressas aos gentios.  A epístola é bem pequena apenas 25 versículos em um único capítulo.  Inicia-se com uma curta introdução de dois versos.  Judas, servo de Jesus Cristo, e irmão de Tiago, aos chamados, santificados em Deus Pai, e conservados por Jesus Cristo: Misericórdia, e paz, e amor vos sejam multiplicados. (Judas 1:1,2)
  • 18. Epístolas de JudasEpístolas de Judas  Fala sobre o perigo da atuação de homens perversos que estavam tentando alterar o propósito da fé cristã. Falsos profetas ou falsos mestres.  Esses falsos profetas, não tem sabedoria divina.  Falam apenas de coisas supérfluas, procurando sujar a conquista alheia. Seus semelhantes tem que fazer o que eles dizem, mas eles mesmos não são capazes de fazê-lo.  O verdadeiro mestre além de falar, exemplifica, nada pede se não for capaz de fazê-lo.  Valoriza todo trabalho comum de reforma íntima, não se coloca em um pedestal.  É humilde.
  • 19. Epístolas de JudasEpístolas de Judas  Ao aprendiz do Evangelho: Busque nos apóstolos de Cristo, o exemplo do dia a dia.  E nunca se esqueça do ensinamento de Emmanuel: Não é lógica a luta que travamos para conquistarmosNão é lógica a luta que travamos para conquistarmos as coisas materiais, por que mais tarde, travaremosas coisas materiais, por que mais tarde, travaremos maior luta para nos despojarmos dessas conquistasmaior luta para nos despojarmos dessas conquistas que na verdade marcavam a nossa inferioridade.que na verdade marcavam a nossa inferioridade.
  • 20. Lembre-se aprendiz que não foi chamado a repousar, mas à peleja árdua, em que a demonstração do esforço individual é imperativo divino... constitui obrigação o combate permanente pela vitória do amor e da verdade, na Terra, através de ásperos testemunhos, por que todos nós, encarnados e desencarnados, oscilantes entre a animalidade e a espiritualidade, entre o vale do homem e a culminância do Cristo, estamos constrangidos a batalhar até o definitivo triunfo sobre nós mesmos pela posse da Vida Imortal. Emmanuel – F. C. Xavier - Vinha de Luz. Item 49 - Cooperemos fielmente. Reflexão sobre Serviço Cristão
  • 21. Como evoluir espiritualmenteComo evoluir espiritualmente??  Estudar, participar das aulas de evangelização,  Ter o hábito da prece,  Praticar o Evangelho,  Amar os nossos inimigos,  Praticar o bem,  Aprender a perdoar,  Não ter maledicência,  Ver o lado bom da vida sempre, com bom humor,  Combater os vícios,  Trocar nossos defeitos, por qualidades,  Reforma íntima.