SlideShare uma empresa Scribd logo
Aula 70 – Doutrina de Pedro,
João e Judas
Cesar Augusto Cardoso
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas
• Pedro, o primeiro dos apóstolos deixou uma
importante contribuição para a humanidade
com seus ensinamentos, simples, claros e
objetivos.
• O novo testamento possui duas epístolas de
Pedro.
• As epístolas incentivam cristãos a refletirem
diariamente sobre os ensinamentos de Cristo.
Epístolas de Pedro
• Mantendo essa conduta receberemos a
herança divina
• Assim conseguiremos avanços definitivos e
eternos
• Temos em nós todas as virtudes, mas estão
latentes.
• Os ensinamentos de Pedro reforçam os
ensinamentos de Jesus.
Epístolas de Pedro
• A evolução espiritual é caracterizada pela
distância entre espírito e matéria, as
necessidades materiais.
• O apóstolo desejava que fossemos puros
como crianças recém nascidas, e nos fosse
oferecido os verdadeiros ensinamentos para
nossa reforma íntima, transformando o
homem velho em novo homem.
Epístolas de Pedro
• Pedro diz que não poderemos ficar parados.
Como filhos obedientes, devemos, dar a nossa
palavra e nosso testemunho. A ignorância não
pode prevalecer.
• Todo aquele que deseja mudar apresenta um
comportamento equivalente as suas conquistas.
• Pedro pede ao Cristão para obedecer as leis dos
homens e cultivar o respeito ao próximo, dado
seu testemunho compatível com sua vivência
crística.
Epístolas de Pedro
• Pedro diz que todos tem a oportunidade de
edificação, encarnados ou desencarnados.
• Nossa mudança começa no lar, em nossos
relacionamentos domésticos.
• Pedro valoriza a simplicidade que aparece
naturalmente com o aprimoramento de
nossas virtudes, deixando de refletir nosso
orgulho e vaidade.
Epístolas de Pedro
• Jesus e os apóstolos recomendam prudência e
vigiarmos em orações.
• Somos deficientes e temos dificuldades nas
lutas diárias para nossa transformação.
• Daí, o por que em vigiar a mente e policiar
nossas atitudes, só assim não seremos
comprometidos com mais faltas perante as
leis naturais.
Epístolas de Pedro
• Os ensinamentos evangélicos estão ao
alcance de todos, de todas as formas, todas as
classes e culturas.
• Aos alunos das Escolas de Aprendizes do
Evangelho, Pedro faz uma oportuna
advertência:
Epístolas de Pedro
• Quando entramos em contato com os
ensinamentos apostólicos, principalmente a
luz do espiritismo, enxergamos a possibilidade
da libertação das travas do primitivo, das
nossas necessidades primárias, que são
necessárias mas não representam a essência
da nossa evolução.
Epístolas de Pedro
• O aprendiz durante a escola, recebe estímulos
de todas as formas que o conduz para a
libertação.
• A convivência com outros alunos, a
experiência do dirigente, os temas, o trabalho
evangélico, as caravanas e campanhas de
combate aos vícios e paixões, apresentam
resultados positivos no caminho dos ideais
crísticos.
Epístolas de Pedro
• Por outro lado, fora da escola, o aluno recebe
estímulos contrários empurrando-o para a
ociosidade, vícios e paixões.
• Os estímulos devem ser analisados
escolhendo assim o caminho certo.
• Todo cuidado é pouco. O conhecimento nos
traz responsabilidades.
Epístolas de Pedro
• Pedro diz: Aquele que já conhece, erra mais.
• O grande escudo do aprendiz é o trabalho,
aplicados ao ideal de reforma interior.
• O Trabalho manterá o aprendiz no caminho
certo.
Epístolas de Pedro
Epístolas de João
Epístolas de João
• Filho de Zebedeu e irmão de Tiago Maior
• Jesus entregou sua mãe aos seus cuidados e
foi o único apóstolo que se atreveu a
permanecer ao pé da cruz (Jo 19.26-27).
• Escreveu o evangelho, três epístolas e o livro
do apocalipse Sobre João
Epístolas de João
• Relacionadas a conflitos existentes nas
comunidades cristãs de Éfeso e da Ásia Menor
na virada do século I para o II.
• Certos membros tentavam conciliar idéias
cristãs a outras, provenientes do gnotismo, de
filosofias gregas e de práticas de magia
Epístolas de João
• João chama a todos a vivenciar o amor e diz
que o maior ensinamento é amar uns aos
outros.
• Adverte que os prazeres materiais nos
mantém presos.
Epístolas de João
• Todas as coisas do mundo devem ser
utilizadas para nossa libertação e não para nos
escravizar.
• Não devemos ser conquistados pelo mundo,
mas sim aproveitar as lições que esse mundo
nos oferece para evoluirmos.
Epístolas de João
• João chamava a todos, carinhosamente de
“Filhinho”.
• E disse: “ Meus filhinhos, não amemos de
palavra, nem de língua, mas por obra e em
verdade”
• João nos diz sobre a eficácia da oração:
– “ E esta é a confiança que temos nele, que, se
pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade,
ele nos ouve.”
Epístola de Judas
Epístola de Judas
• Epístola de Judas é nome dado à epístola do
apóstolo São Judas Tadeu, escrita
provavelmente no ano 65dC.
• Destinatários da epístola poderiam ser judeus
convertidos ao cristianismo espalhados pela
Ásia Menor, embora a epístola não dê
informações para que público específico Judas
teria se dirigido.
Epístola de Judas
• O seu conteúdo apenas indica que os
destinatários seriam pessoas conhecedoras do
Antigo Testamento e das tradições judaicas,
não havendo referências expressas aos
gentios.
• A epístola é bem pequena
– Apenas 25 versículos em um único capítulo
Epístola de Judas
• Inicia-se com uma curta introdução de dois
versos.
• Fala sobre o perigo da atuação de homens
perversos que estavam tentando alterar o
propósito da fé cristã.
– falsos profetas ou falsos mestres.
Epístolas de Judas
• Esses falsos profetas, não tem sabedoria
divina.
• Falam apenas de coisas supérfluas,
procurando sujar a conquista alheia.
Epístola de Judas
• O verdadeiro mestre além de falar,
exemplifica, nada pede se não for capaz de
fazê-lo.
• Valoriza todo trabalho comum de reforma
íntima, não se coloca em um pedestal.
• É humilde.
Epístolas de João e Judas
• Ao aprendiz do Evangelho:
– Busque nos apóstolos de Cristo, o exemplo do dia
a dia.
– E nunca se esqueça do ensinamento de
Emmanuel:
Não é lógica a luta que travamos
para conquistarmos as coisas
materiais, por que mais tarde,
travaremos maior luta para nos
despojarmos dessas conquistas que
na verdade marcavam a nossa
inferioridade.
Lembre-se aprendiz que não foi chamado a repousar, mas à
peleja árdua, em que a demonstração do esforço individual é
imperativo divino....constitui obrigação o combate
permanente pela vitória do amor e da verdade, na Terra,
através de ásperos testemunhos, por que todos nós,
encarnados e desencarnados, oscilantes entre a animalidade
e a espiritualidade, entre o vale do homem e a culminância
do Cristo, estamos constrangidos a batalhar até o definitivo
triunfo sobre nós mesmos pela posse da Vida Imortal.
Emmanuel – F.C.Xavier. Vinha de Luz. Item 49 - Cooperemos fielmente. Reflexão sobre Serviço
Cristão
Obrigado
Como evoluir espiritualmente?
• Estudar
• Participar das aulas de evangelização
• Orar
• Praticar o Evangelho
Como evoluir espiritualmente?
• Amar os nossos inimigos
– Pagar o mal com o bem
– Perdão
• Não praticar a maledicência
• Ver o lado bom da vida bom humor
Como evoluir espiritualmente?
• Combater os vícios
• Trocar os defeitos por qualidades
REFORMA ÍNTIMA
Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
Alencar Santana
 
CURSO BÁSICO - AULA 13 -
CURSO BÁSICO - AULA 13 - CURSO BÁSICO - AULA 13 -
CURSO BÁSICO - AULA 13 -
Luiz Henrique Faleiros
 
A113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES I
A113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES IA113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES I
A113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES I
Daniel de Melo
 
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕESA059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
Daniel de Melo
 
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMAAULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
Daniel de Melo
 
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIAA026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
Daniel de Melo
 
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Denise Tofoli
 
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1aEscola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Roseli Lemes
 
EAE 2 a criação
EAE 2 a criaçãoEAE 2 a criação
EAE 2 a criação
Roseli Lemes
 
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
Daniel de Melo
 
Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...
Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...
Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...
Fatima Novato
 
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida RuralEae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
PatiSousa1
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Tiburcio Santos
 
AULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃO
AULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃOAULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃO
AULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃO
Daniel de Melo
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Eduardo Ottonelli Pithan
 
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
Daniel de Melo
 
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptxAULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
Wanderley Gomes
 
As mulheres da casa do caminho
As mulheres da casa do caminhoAs mulheres da casa do caminho
As mulheres da casa do caminho
Izabel Cristina Fonseca
 
Eae aula 1 - inaugural - eae
Eae   aula 1 - inaugural - eaeEae   aula 1 - inaugural - eae
Eae aula 1 - inaugural - eae
Roberto Rossignatti
 
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDORCERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
Alex Silva
 

Mais procurados (20)

( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01( Espiritismo)   e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
( Espiritismo) e a e - aula 37 # a genese da alma # 01
 
CURSO BÁSICO - AULA 13 -
CURSO BÁSICO - AULA 13 - CURSO BÁSICO - AULA 13 -
CURSO BÁSICO - AULA 13 -
 
A113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES I
A113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES IA113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES I
A113 EAE DM - REGRAS PARA A EDUCAÇÃO, CONDUTA E APERFEIÇOAMENTO DOS SERES I
 
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕESA059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
A059 EAE DM - APÓSTOLO PAULO E SUAS PREGAÇÕES
 
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMAAULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
 
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIAA026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
 
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
Esboço do livro A Gênese - curso básico espiritismo - Escola Aprendizes do Ev...
 
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1aEscola de Aprendizes do Evangelho - 1a
Escola de Aprendizes do Evangelho - 1a
 
EAE 2 a criação
EAE 2 a criaçãoEAE 2 a criação
EAE 2 a criação
 
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
A109 EAE DM - RECURSOS DO CRISTÃO - 20200604v2
 
Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...
Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...
Aula 103 104-105 - regras para educação, conduta e aperfeiçoamento dos seres ...
 
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida RuralEae 35 As Parábolas III - Vida Rural
Eae 35 As Parábolas III - Vida Rural
 
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetasPalestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
Palestra ESE 21 Falsos cristos e profetas
 
AULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃO
AULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃOAULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃO
AULA 002 EAE DM - A CRIAÇÃO
 
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e leiCapítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
Capítulo 1 do Evangelho Segundo o Espiritsmo - Não vim destruir e lei
 
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
 
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptxAULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
AULA INAUGURAL plano convite Edgard Armond.pptx
 
As mulheres da casa do caminho
As mulheres da casa do caminhoAs mulheres da casa do caminho
As mulheres da casa do caminho
 
Eae aula 1 - inaugural - eae
Eae   aula 1 - inaugural - eaeEae   aula 1 - inaugural - eae
Eae aula 1 - inaugural - eae
 
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDORCERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
 

Destaque

Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2
Moisés Sampaio
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
Moisés Sampaio
 
Cartas Gerais
Cartas GeraisCartas Gerais
Cartas Gerais
Egmon Pereira
 
1, 2 pedro e judas
1, 2 pedro e judas1, 2 pedro e judas
1, 2 pedro e judas
Eloi Lago
 
A segunda carta de Pedro
A segunda carta de PedroA segunda carta de Pedro
A segunda carta de Pedro
Pastor Marcello Rocha
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Natalino das Neves Neves
 
2 PEDRO 2
2 PEDRO 22 PEDRO 2
Judas
JudasJudas
1, 2, 3 joão
1, 2, 3 joão1, 2, 3 joão
1, 2, 3 joão
Eloi Lago
 
A fonte da verdadeira comunhão (1 João)
A fonte da verdadeira comunhão (1 João)A fonte da verdadeira comunhão (1 João)
A fonte da verdadeira comunhão (1 João)
Daniel Junior
 
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
Robson Oliveira
 
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Pr. Eli Rocha Silva
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
Moisés Sampaio
 
Que Espiritualidade é Essa
Que Espiritualidade é EssaQue Espiritualidade é Essa
Que Espiritualidade é Essa
Celinilson Sales
 
Epistolade Sao Judas
Epistolade Sao JudasEpistolade Sao Judas
Epistolade Sao Judas
JNR
 
2 Pedro R
2 Pedro R2 Pedro R
2 Pedro R
Dave Gifford
 
Exortação Final Sobre a Vida Cristã
Exortação Final Sobre a Vida CristãExortação Final Sobre a Vida Cristã
Exortação Final Sobre a Vida Cristã
JUERP
 
Pedro 2
Pedro 2Pedro 2
Pedro 2
Gelci Agne
 
O discipulado Cristão – Uma Visão Atual
O discipulado Cristão – Uma Visão AtualO discipulado Cristão – Uma Visão Atual
O discipulado Cristão – Uma Visão Atual
JUERP
 
2 Pedro S
2 Pedro S2 Pedro S
2 Pedro S
Dave Gifford
 

Destaque (20)

Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2Epístolas gerais aula 2
Epístolas gerais aula 2
 
Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1Epístolas gerais - aula 1
Epístolas gerais - aula 1
 
Cartas Gerais
Cartas GeraisCartas Gerais
Cartas Gerais
 
1, 2 pedro e judas
1, 2 pedro e judas1, 2 pedro e judas
1, 2 pedro e judas
 
A segunda carta de Pedro
A segunda carta de PedroA segunda carta de Pedro
A segunda carta de Pedro
 
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
Epistolas paulinas e gerais_IBADEP_Llição 1
 
2 PEDRO 2
2 PEDRO 22 PEDRO 2
2 PEDRO 2
 
Judas
JudasJudas
Judas
 
1, 2, 3 joão
1, 2, 3 joão1, 2, 3 joão
1, 2, 3 joão
 
A fonte da verdadeira comunhão (1 João)
A fonte da verdadeira comunhão (1 João)A fonte da verdadeira comunhão (1 João)
A fonte da verdadeira comunhão (1 João)
 
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo1 joão 1.ppt;5 7, estudo
1 joão 1.ppt;5 7, estudo
 
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
Reflexões na primeira carta de joão cap. 1 a 3
 
Jesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiroJesus e o dinheiro
Jesus e o dinheiro
 
Que Espiritualidade é Essa
Que Espiritualidade é EssaQue Espiritualidade é Essa
Que Espiritualidade é Essa
 
Epistolade Sao Judas
Epistolade Sao JudasEpistolade Sao Judas
Epistolade Sao Judas
 
2 Pedro R
2 Pedro R2 Pedro R
2 Pedro R
 
Exortação Final Sobre a Vida Cristã
Exortação Final Sobre a Vida CristãExortação Final Sobre a Vida Cristã
Exortação Final Sobre a Vida Cristã
 
Pedro 2
Pedro 2Pedro 2
Pedro 2
 
O discipulado Cristão – Uma Visão Atual
O discipulado Cristão – Uma Visão AtualO discipulado Cristão – Uma Visão Atual
O discipulado Cristão – Uma Visão Atual
 
2 Pedro S
2 Pedro S2 Pedro S
2 Pedro S
 

Semelhante a Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas

Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
israelargatao
 
Requisitos completo
Requisitos completoRequisitos completo
Requisitos completo
Alice Lirio
 
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivoApostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Izabela Oliveira
 
Iii enob 2011 ctl salvador
Iii enob 2011 ctl salvadorIii enob 2011 ctl salvador
Iii enob 2011 ctl salvador
carmoafreitas
 
Aulas de envangelização da criança ciclo 1 (ame-jf)
Aulas de envangelização da criança   ciclo 1 (ame-jf)Aulas de envangelização da criança   ciclo 1 (ame-jf)
Aulas de envangelização da criança ciclo 1 (ame-jf)
Angela Venancio
 
Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011
newton bandini
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
Dalila Melo
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
Dalila Melo
 
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoA importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
Joary Jossué Carlesso
 
A missao de jesus
A missao de jesusA missao de jesus
A missao de jesus
Francisco Baptista
 
Apresentação do documento 85 da cnbb
Apresentação do  documento 85 da cnbbApresentação do  documento 85 da cnbb
Apresentação do documento 85 da cnbb
Bernadetecebs .
 
O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02
O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02
O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02
luxem_
 
3º. trimestre 2012 – jesus cristo
3º. trimestre 2012 – jesus cristo3º. trimestre 2012 – jesus cristo
3º. trimestre 2012 – jesus cristo
Andreza Ephigênia Nunes Rocha
 
O evangelizador. apostila
O evangelizador. apostilaO evangelizador. apostila
O evangelizador. apostila
Alice Lirio
 
Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1
Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1
Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1
Ana Paula Peixer
 
A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012
Cris Janeiro
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
Alfredo Lopes
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 093º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
Joel Silva
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis   lição 093º trimestre 2015 juvenis   lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
Joel Oliveira
 
IGREJA QUADRANGULAR.pptx
IGREJA QUADRANGULAR.pptxIGREJA QUADRANGULAR.pptx
IGREJA QUADRANGULAR.pptx
PriscilaGarcia206577
 

Semelhante a Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas (20)

Palavras de células Maio
Palavras de células MaioPalavras de células Maio
Palavras de células Maio
 
Requisitos completo
Requisitos completoRequisitos completo
Requisitos completo
 
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivoApostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
Apostila para formação de evangelismo pessoal e coletivo
 
Iii enob 2011 ctl salvador
Iii enob 2011 ctl salvadorIii enob 2011 ctl salvador
Iii enob 2011 ctl salvador
 
Aulas de envangelização da criança ciclo 1 (ame-jf)
Aulas de envangelização da criança   ciclo 1 (ame-jf)Aulas de envangelização da criança   ciclo 1 (ame-jf)
Aulas de envangelização da criança ciclo 1 (ame-jf)
 
Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011Curso Expositor Espírita 2011
Curso Expositor Espírita 2011
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
Manifeste seu progresso
Manifeste seu progressoManifeste seu progresso
Manifeste seu progresso
 
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germanoA importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
A importância da liderança para o fortalecimento do discipulado pr. joão germano
 
A missao de jesus
A missao de jesusA missao de jesus
A missao de jesus
 
Apresentação do documento 85 da cnbb
Apresentação do  documento 85 da cnbbApresentação do  documento 85 da cnbb
Apresentação do documento 85 da cnbb
 
O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02
O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02
O PREPARO E O INÍCIO DO MINISTÉRIO DE JESUS | Aula 02
 
3º. trimestre 2012 – jesus cristo
3º. trimestre 2012 – jesus cristo3º. trimestre 2012 – jesus cristo
3º. trimestre 2012 – jesus cristo
 
O evangelizador. apostila
O evangelizador. apostilaO evangelizador. apostila
O evangelizador. apostila
 
Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1
Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1
Estudo Jesus e os Evangelhos Escola da Vida 1
 
A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012A catequese e seus desafios 2012
A catequese e seus desafios 2012
 
Força educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espíritaForça educadora da doutrina espírita
Força educadora da doutrina espírita
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 093º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
 
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
3º trimestre 2015 juvenis   lição 093º trimestre 2015 juvenis   lição 09
3º trimestre 2015 juvenis lição 09
 
IGREJA QUADRANGULAR.pptx
IGREJA QUADRANGULAR.pptxIGREJA QUADRANGULAR.pptx
IGREJA QUADRANGULAR.pptx
 

Último

Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
LaerciodeSouzaSilva1
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 

Último (20)

Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptxLição 11 -  Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
Lição 11 - Avivamento e a Missão da Igreja.pptx
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 

Aula 70 –doutrina de pedro, joão e judas

  • 1. Aula 70 – Doutrina de Pedro, João e Judas Cesar Augusto Cardoso
  • 4. • Pedro, o primeiro dos apóstolos deixou uma importante contribuição para a humanidade com seus ensinamentos, simples, claros e objetivos. • O novo testamento possui duas epístolas de Pedro. • As epístolas incentivam cristãos a refletirem diariamente sobre os ensinamentos de Cristo. Epístolas de Pedro
  • 5. • Mantendo essa conduta receberemos a herança divina • Assim conseguiremos avanços definitivos e eternos • Temos em nós todas as virtudes, mas estão latentes. • Os ensinamentos de Pedro reforçam os ensinamentos de Jesus. Epístolas de Pedro
  • 6. • A evolução espiritual é caracterizada pela distância entre espírito e matéria, as necessidades materiais. • O apóstolo desejava que fossemos puros como crianças recém nascidas, e nos fosse oferecido os verdadeiros ensinamentos para nossa reforma íntima, transformando o homem velho em novo homem. Epístolas de Pedro
  • 7. • Pedro diz que não poderemos ficar parados. Como filhos obedientes, devemos, dar a nossa palavra e nosso testemunho. A ignorância não pode prevalecer. • Todo aquele que deseja mudar apresenta um comportamento equivalente as suas conquistas. • Pedro pede ao Cristão para obedecer as leis dos homens e cultivar o respeito ao próximo, dado seu testemunho compatível com sua vivência crística. Epístolas de Pedro
  • 8. • Pedro diz que todos tem a oportunidade de edificação, encarnados ou desencarnados. • Nossa mudança começa no lar, em nossos relacionamentos domésticos. • Pedro valoriza a simplicidade que aparece naturalmente com o aprimoramento de nossas virtudes, deixando de refletir nosso orgulho e vaidade. Epístolas de Pedro
  • 9. • Jesus e os apóstolos recomendam prudência e vigiarmos em orações. • Somos deficientes e temos dificuldades nas lutas diárias para nossa transformação. • Daí, o por que em vigiar a mente e policiar nossas atitudes, só assim não seremos comprometidos com mais faltas perante as leis naturais. Epístolas de Pedro
  • 10. • Os ensinamentos evangélicos estão ao alcance de todos, de todas as formas, todas as classes e culturas. • Aos alunos das Escolas de Aprendizes do Evangelho, Pedro faz uma oportuna advertência: Epístolas de Pedro
  • 11. • Quando entramos em contato com os ensinamentos apostólicos, principalmente a luz do espiritismo, enxergamos a possibilidade da libertação das travas do primitivo, das nossas necessidades primárias, que são necessárias mas não representam a essência da nossa evolução. Epístolas de Pedro
  • 12. • O aprendiz durante a escola, recebe estímulos de todas as formas que o conduz para a libertação. • A convivência com outros alunos, a experiência do dirigente, os temas, o trabalho evangélico, as caravanas e campanhas de combate aos vícios e paixões, apresentam resultados positivos no caminho dos ideais crísticos. Epístolas de Pedro
  • 13. • Por outro lado, fora da escola, o aluno recebe estímulos contrários empurrando-o para a ociosidade, vícios e paixões. • Os estímulos devem ser analisados escolhendo assim o caminho certo. • Todo cuidado é pouco. O conhecimento nos traz responsabilidades. Epístolas de Pedro
  • 14. • Pedro diz: Aquele que já conhece, erra mais. • O grande escudo do aprendiz é o trabalho, aplicados ao ideal de reforma interior. • O Trabalho manterá o aprendiz no caminho certo. Epístolas de Pedro
  • 16. Epístolas de João • Filho de Zebedeu e irmão de Tiago Maior • Jesus entregou sua mãe aos seus cuidados e foi o único apóstolo que se atreveu a permanecer ao pé da cruz (Jo 19.26-27). • Escreveu o evangelho, três epístolas e o livro do apocalipse Sobre João
  • 17. Epístolas de João • Relacionadas a conflitos existentes nas comunidades cristãs de Éfeso e da Ásia Menor na virada do século I para o II. • Certos membros tentavam conciliar idéias cristãs a outras, provenientes do gnotismo, de filosofias gregas e de práticas de magia
  • 18. Epístolas de João • João chama a todos a vivenciar o amor e diz que o maior ensinamento é amar uns aos outros. • Adverte que os prazeres materiais nos mantém presos.
  • 19. Epístolas de João • Todas as coisas do mundo devem ser utilizadas para nossa libertação e não para nos escravizar. • Não devemos ser conquistados pelo mundo, mas sim aproveitar as lições que esse mundo nos oferece para evoluirmos.
  • 20. Epístolas de João • João chamava a todos, carinhosamente de “Filhinho”. • E disse: “ Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade” • João nos diz sobre a eficácia da oração: – “ E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.”
  • 22. Epístola de Judas • Epístola de Judas é nome dado à epístola do apóstolo São Judas Tadeu, escrita provavelmente no ano 65dC. • Destinatários da epístola poderiam ser judeus convertidos ao cristianismo espalhados pela Ásia Menor, embora a epístola não dê informações para que público específico Judas teria se dirigido.
  • 23. Epístola de Judas • O seu conteúdo apenas indica que os destinatários seriam pessoas conhecedoras do Antigo Testamento e das tradições judaicas, não havendo referências expressas aos gentios. • A epístola é bem pequena – Apenas 25 versículos em um único capítulo
  • 24. Epístola de Judas • Inicia-se com uma curta introdução de dois versos. • Fala sobre o perigo da atuação de homens perversos que estavam tentando alterar o propósito da fé cristã. – falsos profetas ou falsos mestres.
  • 25. Epístolas de Judas • Esses falsos profetas, não tem sabedoria divina. • Falam apenas de coisas supérfluas, procurando sujar a conquista alheia.
  • 26. Epístola de Judas • O verdadeiro mestre além de falar, exemplifica, nada pede se não for capaz de fazê-lo. • Valoriza todo trabalho comum de reforma íntima, não se coloca em um pedestal. • É humilde.
  • 27. Epístolas de João e Judas • Ao aprendiz do Evangelho: – Busque nos apóstolos de Cristo, o exemplo do dia a dia. – E nunca se esqueça do ensinamento de Emmanuel: Não é lógica a luta que travamos para conquistarmos as coisas materiais, por que mais tarde, travaremos maior luta para nos despojarmos dessas conquistas que na verdade marcavam a nossa inferioridade.
  • 28. Lembre-se aprendiz que não foi chamado a repousar, mas à peleja árdua, em que a demonstração do esforço individual é imperativo divino....constitui obrigação o combate permanente pela vitória do amor e da verdade, na Terra, através de ásperos testemunhos, por que todos nós, encarnados e desencarnados, oscilantes entre a animalidade e a espiritualidade, entre o vale do homem e a culminância do Cristo, estamos constrangidos a batalhar até o definitivo triunfo sobre nós mesmos pela posse da Vida Imortal. Emmanuel – F.C.Xavier. Vinha de Luz. Item 49 - Cooperemos fielmente. Reflexão sobre Serviço Cristão
  • 30. Como evoluir espiritualmente? • Estudar • Participar das aulas de evangelização • Orar • Praticar o Evangelho
  • 31. Como evoluir espiritualmente? • Amar os nossos inimigos – Pagar o mal com o bem – Perdão • Não praticar a maledicência • Ver o lado bom da vida bom humor
  • 32. Como evoluir espiritualmente? • Combater os vícios • Trocar os defeitos por qualidades REFORMA ÍNTIMA