SlideShare uma empresa Scribd logo
As áreas metropolitanas
•   Devido a:
-   Elevado crescimento demográfico
-   Descentralização das indústrias e dos serviços
-   Desenvolvimento dos transportes
    dá-se o alargamento das áreas urbanas para as
    suas periferias, formando contínuos urbanos

• Formam-se as áreas metropolitanas:
  extensa área urbanizada constituída por uma
  grande cidade (que exerce um efeito polarizador
  sobre as restantes) e todo o espaço mais ou
  menos urbanizado que a envolve que, numa
  estreita relação de interdependência, domina e
  organiza esse espaço regional
• Formada com a aplicação da Lei 44/91, alterada
  posteriormente pela Lei 10/2003, cujas
  alterações foram:
- Modificação da designação para Grande Área
  Metropolitana (GAM)
- Constituição das Comunidades Urbanas
  (ComUrb)

• Para a constituição destas unidades é necessário
  responder a determinados requisitos:
- Continuidade territorial dos concelhos integrantes
- 350 mil habitantes             - 150 mil habitantes
- 9 municípios                   - 3 municípios
Atribuições e competências das GAM
(Lei 10/2003):
• Articulação dos investimentos
• Coordenação de actuação em áreas como infra-
  estruturas, saúde, educação, ambiente,
  segurança, acessibilidade e transportes, …
• Planeamento e gestão estratégica, económica,
  social e territorial dos seus municípios
4 as áreas metropolitanas
Características das áreas
metropolitanas:
• Elevado potencial polarizador do território
  porque atrai população e emprego
• Rede de transportes densa e eficaz, onde se
  realizam intensos fluxos de pessoas e bens
• Grande expressividade dos movimentos
  pendulares
• Perda demográfica das áreas mais centrais a
  favor dos subúrbios, acompanhado da
  descentralização de actividades ligadas aos
  sectores secundário e terciário
4 as áreas metropolitanas
Constituição:
• Constituição da AML permite a conjugação de
  inúmeros factores capazes de permitir o
  desenvolvimento urbano sustentável e a melhoria da
  qualidade de vida da sua população devido a:
- Englobar a capital do país
- Reunir uma maior concentração geográfica de
  recursos estratégicos para o desenvolvimento
- Ser um pólo de atracção de pessoas e actividades
  qualificadas de outros países
- Ter a presença de importantes redes supranacionais
  de cooperação e intercambio
- Ter um importante património cultural
- Ter uma base económica baseada na diversificação
  (da agricultura aos serviços)
Características demográficas:
• População em 2001 = 2 673 542 hab.




• Densidade populacional = 835 hab/km2
• Diminuição da população nos concelhos de
  Lisboa, Barreiro e Amadora a favor de Sintra,
  Seixal, Cascais, Sesimbra, Mafra e Vila Franca de
  Xira
• Perda da função residencial nos concelhos
  centrais justifica-se pela terciarização desta área
• Concelhos com:
- menor construção industrial
- maior qualidade ambiental
- maior acessibilidade ao centro de Lisboa
     registam maior crescimento populacional
Distribuição das actividades
económicas:
• Contribui em 36% para o PIB
• População activa = 1,3 milhões de pessoas
• Concentra sedes de cerca de 30% das empresas
  nacionais
• Em todos os concelhos, a população activa
  concentra-se no sector III
• Quanto às actividades terciárias:
- Comércio assume grande importância no
  concelho de Loures
- Hotéis e restaurantes assumem elevada
  importância em Lisboa, Amadora, Sintra,
  Cascais, Sesimbra e Setúbal
- Administração Pública, educação, saúde
  desempenham um papel importante em Lisboa,
  Oeiras e Cascais
• No que se refere ao sector I:
- Os concelhos mais próximos de Lisboa
  (Amadora, Oeiras, Almada, Seixal, Barreiro,
  Loures, Odivelas) registam valores pouco
  significativos de população activa no sector I
- À medida que nos afastamos de Lisboa aumenta
  a importância do sector I, nomeadamente nos
  concelhos de Montijo e Alcochete
• Quanto ao sector II:
- A população activa é mais expressiva nos
  concelhos de Sesimbra, Odivelas, Seixal, Moita,
  Palmela, Montijo
- Quanto às actividades destacam-se a construção
  civil, as indústrias de madeira e de papel, de
  edição e impressão e os têxteis
- Actividade industrial concentra-se nos concelhos
  mais periféricos devido a:
  - disponibilidade de terrenos a preços acessíveis
  - boas vias de comunicação que aumentam a
  acessibilidade para acesso de matéria-primas e
  escoamento dos produtos
Pontos fracos:
Pontos fortes:
4 as áreas metropolitanas
Constituição:
Características demográficas:
• População em 2001 = 1 252 842 hab.




• Densidade populacional = 1546,6 hab/km2
• Concelhos centrais concentram grande parte da
  população:
- Porto = 21%
- Vila Nova Gaia = 22%
- Gondomar e Matosinhos = 13%
• Diminuição da população residente na área
  central. De 1991 para 2001, o concelho do Porto
  perdeu 15% da sua população
• Concelhos onde se verifica maior crescimento
  populacional são Maia (30%), Valongo, Póvoa de
  Varzim e Vila Nova de Gaia (16%)
• Perda da função residencial no concelho do
  Porto está relacionada com a crescente
  terciarização da cidade
Distribuição das actividades
económicas:
• Predomínio do sector III, sendo especialmente
  significativo no concelho do Porto (86%), mas os
  concelhos de Matosinhos e Espinho possuem
  uma população activa no sector III superior a
  75%
• As actividades terciárias dominantes
  relacionam-se com:
- Comércio – Porto e Gondomar
- Hotelaria e restauração – Porto e Espinho
- Serviços públicos - Porto
• Sector II tem bastante importância, empregando
  cerca de 22% da população activa da AM
• É mais expressivo nos concelhos de Vila de
  Conde, Valongo, V.N. Gaia, Póvoa de Varzim e
  Maia
• Destacam-se as actividades relacionadas com:
- Indústrias de bens de consumo, tradicionais, de
  trabalho intensivo e pouco exigentes na
  qualificação da mão-de-obra (têxteis, vestuário,
  calçado)
- Indústrias alimentares, bebidas e tabaco
- Indústrias de madeira e cortiça
- Indústria metalúrgica de base e produtos
  metálicos
• Nos últimos anos beneficiou da implantação de
  novas e modernas unidades industriais, baseada
  na investigação científica e tecnológica, como o
  Europarque e os Parques de Ciência e
  Tecnologia do Porto e da Maia

• Sector I tem uma importância muito reduzida,
  sendo mais significativo nos concelhos limítrofes
  (Vila de Conde e Póvoa de Varzim)
Pontos fracos:
Pontos fortes:
4 as áreas metropolitanas
• Cidade do Porto tem menor grau polarizador
  que Lisboa, que se reflecte na menor amplitude
  dos movimentos pendulares. Esse poder de
  polarização é atenuado pela existência de
  cidades próximas (Braga e Aveiro) que detêm
  grande autonomia económica e apresentam
  características de bacias de emprego. Lisboa
  estabelece relações pendulares com concelhos
  geograficamente mais distantes
  (Entroncamento, Torres Vedras, Vendas Novas),
  o que confirma o seu maior grau polarizador
• Densidade populacional à mais elevada na AMP
• As migrações pendulares são mais intensas na
  AMP, que exerce um poder atractivo sobre
  concelhos como Mesão Frio, Esposende e Ovar
• Na AML existem:
- 4 pólos de emprego (Lisboa, Oeiras, Setúbal,
  Palmela)
- 3 pólos de estudo (Lisboa, Almada, Setúbal)
• Na AMP existem:
- 2 pólos de emprego (Porto e Maia)
- 1 pólo de estudo (Porto)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
bruno oliveira
 
Rede urbana nacional
Rede urbana nacionalRede urbana nacional
Rede urbana nacional
Cacilda Basto
 
Rede urbana rel_cidade-campo
Rede urbana rel_cidade-campoRede urbana rel_cidade-campo
Rede urbana rel_cidade-campo
Ilda Bicacro
 
Corr 11 teste2_dez_2016
Corr 11 teste2_dez_2016Corr 11 teste2_dez_2016
Corr 11 teste2_dez_2016
Ilda Bicacro
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
713773
 
renda locativa áreas funcionais lugar central
 renda locativa áreas funcionais lugar central renda locativa áreas funcionais lugar central
renda locativa áreas funcionais lugar central
Ministério da Educação
 
A expansão urbana
A expansão urbanaA expansão urbana
A expansão urbana
Ilda Bicacro
 
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comumA agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
Ilda Bicacro
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbana
Ilda Bicacro
 
FunçõEs Urbanas
FunçõEs UrbanasFunçõEs Urbanas
FunçõEs Urbanas
Maria Adelaide
 
Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)
Idalina Leite
 
Expansão urbana
Expansão urbanaExpansão urbana
Expansão urbana
Cacilda Basto
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
713773
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
Ilda Bicacro
 
Problemas urbanos
Problemas urbanosProblemas urbanos
Problemas urbanos
bruno oliveira
 
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
Idalina Leite
 
As áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºanoAs áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºano
Rita Pontes
 
Espaço urbano cidades
Espaço urbano cidadesEspaço urbano cidades
Espaço urbano cidades
Idalina Leite
 
Fluxos urbanos
Fluxos urbanosFluxos urbanos
Fluxos urbanos
Idalina Leite
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
Ilda Bicacro
 

Mais procurados (20)

eografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanaseografiaA organização das áreas urbanas
eografiaA organização das áreas urbanas
 
Rede urbana nacional
Rede urbana nacionalRede urbana nacional
Rede urbana nacional
 
Rede urbana rel_cidade-campo
Rede urbana rel_cidade-campoRede urbana rel_cidade-campo
Rede urbana rel_cidade-campo
 
Corr 11 teste2_dez_2016
Corr 11 teste2_dez_2016Corr 11 teste2_dez_2016
Corr 11 teste2_dez_2016
 
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º AnoAs características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
As características da rede urbana: o caso de Portugal - Geografia 11º Ano
 
renda locativa áreas funcionais lugar central
 renda locativa áreas funcionais lugar central renda locativa áreas funcionais lugar central
renda locativa áreas funcionais lugar central
 
A expansão urbana
A expansão urbanaA expansão urbana
A expansão urbana
 
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comumA agricultura portuguesa e a política agrícola comum
A agricultura portuguesa e a política agrícola comum
 
As características da rede urbana
As características da rede urbanaAs características da rede urbana
As características da rede urbana
 
FunçõEs Urbanas
FunçõEs UrbanasFunçõEs Urbanas
FunçõEs Urbanas
 
Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)Problemas urbanos, soluções (2)
Problemas urbanos, soluções (2)
 
Expansão urbana
Expansão urbanaExpansão urbana
Expansão urbana
 
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º anoA expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
A expansão urbana em Portugal - Geografia 11º ano
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
 
Problemas urbanos
Problemas urbanosProblemas urbanos
Problemas urbanos
 
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
9ºano: Cidades, critérios de definição e formas de expansão
 
As áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºanoAs áreas rurais - geografia 11ºano
As áreas rurais - geografia 11ºano
 
Espaço urbano cidades
Espaço urbano cidadesEspaço urbano cidades
Espaço urbano cidades
 
Fluxos urbanos
Fluxos urbanosFluxos urbanos
Fluxos urbanos
 
As fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agráriosAs fragilidades dos sistemas agrários
As fragilidades dos sistemas agrários
 

Destaque

Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoÁreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Idalina Leite
 
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do portoáReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
Miguel Silva
 
A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
Maria Adelaide
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
Gonçalo Paiva
 
Correção teste5 fev
Correção teste5 fevCorreção teste5 fev
Correção teste5 fev
manjosp
 
Areas urbanas
Areas urbanasAreas urbanas
Areas urbanas
manjosp
 
Área metropolitana do porto
Área metropolitana do portoÁrea metropolitana do porto
Área metropolitana do porto
Joana_bessa
 
A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1
A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1
A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1
Maria Adelaide
 
Lisboa
LisboaLisboa
Lisboa
20014
 
Os problemas urbanos
Os problemas urbanosOs problemas urbanos
Os problemas urbanos
Paula Melo
 
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreirabe Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
Plataforma Empreendedor
 
4 área metropolitana lisboa
4 área metropolitana lisboa4 área metropolitana lisboa
4 área metropolitana lisboa
Luz Campos
 
Uso Da Terra Mato Grosso
Uso Da Terra Mato GrossoUso Da Terra Mato Grosso
Uso Da Terra Mato Grosso
Edwin Keizer
 
áReas metropolitanas
áReas metropolitanasáReas metropolitanas
áReas metropolitanas
jesusricocastro
 
Debate Área Metropolitana
Debate Área MetropolitanaDebate Área Metropolitana
Debate Área Metropolitana
Concejo de Medellín
 
Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1
mariajosantos
 
Cidade de lisboa
Cidade de lisboaCidade de lisboa
Cidade de lisboa
Sofia Pinto
 
Estremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejoEstremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejo
Endl Félix Muriel
 
A cidadania europeia
A cidadania europeiaA cidadania europeia
A cidadania europeia
Adriana Duarte
 
Aula 24 janeiro.2
Aula 24 janeiro.2Aula 24 janeiro.2
Aula 24 janeiro.2
ManuelaPeres
 

Destaque (20)

Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e PortoÁreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
Áreas Metropolitanas de Lisboa e Porto
 
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do portoáReas metropolitanas de lisboa e do porto
áReas metropolitanas de lisboa e do porto
 
A ExpansãO Urbana
A ExpansãO UrbanaA ExpansãO Urbana
A ExpansãO Urbana
 
Geografia11ºano
Geografia11ºanoGeografia11ºano
Geografia11ºano
 
Correção teste5 fev
Correção teste5 fevCorreção teste5 fev
Correção teste5 fev
 
Areas urbanas
Areas urbanasAreas urbanas
Areas urbanas
 
Área metropolitana do porto
Área metropolitana do portoÁrea metropolitana do porto
Área metropolitana do porto
 
A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1
A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1
A RecuperaçãO Da Qualidade Urbana 1
 
Lisboa
LisboaLisboa
Lisboa
 
Os problemas urbanos
Os problemas urbanosOs problemas urbanos
Os problemas urbanos
 
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreirabe Involved - AML - António Fonseca Ferreira
be Involved - AML - António Fonseca Ferreira
 
4 área metropolitana lisboa
4 área metropolitana lisboa4 área metropolitana lisboa
4 área metropolitana lisboa
 
Uso Da Terra Mato Grosso
Uso Da Terra Mato GrossoUso Da Terra Mato Grosso
Uso Da Terra Mato Grosso
 
áReas metropolitanas
áReas metropolitanasáReas metropolitanas
áReas metropolitanas
 
Debate Área Metropolitana
Debate Área MetropolitanaDebate Área Metropolitana
Debate Área Metropolitana
 
Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1Multifuncionalidade 11ºlh1
Multifuncionalidade 11ºlh1
 
Cidade de lisboa
Cidade de lisboaCidade de lisboa
Cidade de lisboa
 
Estremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejoEstremadura e ribatejo
Estremadura e ribatejo
 
A cidadania europeia
A cidadania europeiaA cidadania europeia
A cidadania europeia
 
Aula 24 janeiro.2
Aula 24 janeiro.2Aula 24 janeiro.2
Aula 24 janeiro.2
 

Semelhante a 4 as áreas metropolitanas

Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
Professora Verônica Santos
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Raffaella Ergün
 
Cap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileiraCap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileira
profacacio
 
Espaço urbano brasileiro
Espaço urbano brasileiroEspaço urbano brasileiro
Espaço urbano brasileiro
Pré Master
 
apontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdfapontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdf
Silvia Couto
 
Áreas de Fixação Humana
Áreas de Fixação HumanaÁreas de Fixação Humana
Áreas de Fixação Humana
AERM
 
Expansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdf
Expansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdfExpansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdf
Expansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdf
Victria62
 
Cidades (blog)
Cidades (blog)Cidades (blog)
Cidades (blog)
Rosária Zamith
 
Unidade 4
Unidade 4Unidade 4
Unidade 4
Christie Freitas
 
1 Urbano Rural Cidade
1  Urbano Rural Cidade1  Urbano Rural Cidade
1 Urbano Rural Cidade
Ministério da Educação
 
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
cduptl
 
Distribuição da População Portuguesa
Distribuição da População PortuguesaDistribuição da População Portuguesa
Distribuição da População Portuguesa
Catarina Castro
 
gA expansão urbana
gA expansão urbanagA expansão urbana
gA expansão urbana
bruno oliveira
 
11 app-características rede urbana (1)
11 app-características rede urbana (1)11 app-características rede urbana (1)
11 app-características rede urbana (1)
bruno oliveira
 
O EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeo
O EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeoO EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeo
O EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeo
guestd2543940
 
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptxUrbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
GabriellyReis7
 
Urbanização conceitos e definições.pptx
Urbanização conceitos e definições.pptxUrbanização conceitos e definições.pptx
Urbanização conceitos e definições.pptx
Glauco Rodrigues
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
Anderson Silva
 
áReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrpáReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrp
Geografias Geo
 
População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesa
Tina Lima
 

Semelhante a 4 as áreas metropolitanas (20)

Urbanização brasileira
Urbanização brasileiraUrbanização brasileira
Urbanização brasileira
 
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas UrbanasGeografia A 11 ano - Áreas Urbanas
Geografia A 11 ano - Áreas Urbanas
 
Cap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileiraCap. 5 - A urbanização brasileira
Cap. 5 - A urbanização brasileira
 
Espaço urbano brasileiro
Espaço urbano brasileiroEspaço urbano brasileiro
Espaço urbano brasileiro
 
apontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdfapontamentos geografia 8ºano.pdf
apontamentos geografia 8ºano.pdf
 
Áreas de Fixação Humana
Áreas de Fixação HumanaÁreas de Fixação Humana
Áreas de Fixação Humana
 
Expansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdf
Expansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdfExpansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdf
Expansão urbana-cidades e áreas urbanasIII.pptx.pdf
 
Cidades (blog)
Cidades (blog)Cidades (blog)
Cidades (blog)
 
Unidade 4
Unidade 4Unidade 4
Unidade 4
 
1 Urbano Rural Cidade
1  Urbano Rural Cidade1  Urbano Rural Cidade
1 Urbano Rural Cidade
 
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
Programa CDU Ponte de Lima Autárquicas 2009
 
Distribuição da População Portuguesa
Distribuição da População PortuguesaDistribuição da População Portuguesa
Distribuição da População Portuguesa
 
gA expansão urbana
gA expansão urbanagA expansão urbana
gA expansão urbana
 
11 app-características rede urbana (1)
11 app-características rede urbana (1)11 app-características rede urbana (1)
11 app-características rede urbana (1)
 
O EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeo
O EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeoO EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeo
O EspaçO Urbano Do Mundo ContemporâNeo
 
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptxUrbanização no Brasil Gaby.pptx
Urbanização no Brasil Gaby.pptx
 
Urbanização conceitos e definições.pptx
Urbanização conceitos e definições.pptxUrbanização conceitos e definições.pptx
Urbanização conceitos e definições.pptx
 
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASILO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO NO BRASIL
 
áReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrpáReas de fixação humanaesrp
áReas de fixação humanaesrp
 
População portuguesa
População portuguesaPopulação portuguesa
População portuguesa
 

Mais de Elsa Condeço

Áreas Funcionais
Áreas FuncionaisÁreas Funcionais
Áreas Funcionais
Elsa Condeço
 
União europeia unida na diversidade
União europeia   unida na diversidadeUnião europeia   unida na diversidade
União europeia unida na diversidade
Elsa Condeço
 
Variação radiação solar
Variação radiação solarVariação radiação solar
Variação radiação solar
Elsa Condeço
 
União europeia unida na diversidade versão projectável
União europeia unida na diversidade versão projectávelUnião europeia unida na diversidade versão projectável
União europeia unida na diversidade versão projectável
Elsa Condeço
 
Políticas demográficas
Políticas demográficasPolíticas demográficas
Políticas demográficas
Elsa Condeço
 
Sistema solar; Atmosfera; Radiação solar
Sistema solar; Atmosfera; Radiação solarSistema solar; Atmosfera; Radiação solar
Sistema solar; Atmosfera; Radiação solar
Elsa Condeço
 

Mais de Elsa Condeço (6)

Áreas Funcionais
Áreas FuncionaisÁreas Funcionais
Áreas Funcionais
 
União europeia unida na diversidade
União europeia   unida na diversidadeUnião europeia   unida na diversidade
União europeia unida na diversidade
 
Variação radiação solar
Variação radiação solarVariação radiação solar
Variação radiação solar
 
União europeia unida na diversidade versão projectável
União europeia unida na diversidade versão projectávelUnião europeia unida na diversidade versão projectável
União europeia unida na diversidade versão projectável
 
Políticas demográficas
Políticas demográficasPolíticas demográficas
Políticas demográficas
 
Sistema solar; Atmosfera; Radiação solar
Sistema solar; Atmosfera; Radiação solarSistema solar; Atmosfera; Radiação solar
Sistema solar; Atmosfera; Radiação solar
 

4 as áreas metropolitanas

  • 2. Devido a: - Elevado crescimento demográfico - Descentralização das indústrias e dos serviços - Desenvolvimento dos transportes dá-se o alargamento das áreas urbanas para as suas periferias, formando contínuos urbanos • Formam-se as áreas metropolitanas: extensa área urbanizada constituída por uma grande cidade (que exerce um efeito polarizador sobre as restantes) e todo o espaço mais ou menos urbanizado que a envolve que, numa estreita relação de interdependência, domina e organiza esse espaço regional
  • 3. • Formada com a aplicação da Lei 44/91, alterada posteriormente pela Lei 10/2003, cujas alterações foram: - Modificação da designação para Grande Área Metropolitana (GAM) - Constituição das Comunidades Urbanas (ComUrb) • Para a constituição destas unidades é necessário responder a determinados requisitos: - Continuidade territorial dos concelhos integrantes - 350 mil habitantes - 150 mil habitantes - 9 municípios - 3 municípios
  • 4. Atribuições e competências das GAM (Lei 10/2003): • Articulação dos investimentos • Coordenação de actuação em áreas como infra- estruturas, saúde, educação, ambiente, segurança, acessibilidade e transportes, … • Planeamento e gestão estratégica, económica, social e territorial dos seus municípios
  • 6. Características das áreas metropolitanas: • Elevado potencial polarizador do território porque atrai população e emprego • Rede de transportes densa e eficaz, onde se realizam intensos fluxos de pessoas e bens • Grande expressividade dos movimentos pendulares • Perda demográfica das áreas mais centrais a favor dos subúrbios, acompanhado da descentralização de actividades ligadas aos sectores secundário e terciário
  • 9. • Constituição da AML permite a conjugação de inúmeros factores capazes de permitir o desenvolvimento urbano sustentável e a melhoria da qualidade de vida da sua população devido a: - Englobar a capital do país - Reunir uma maior concentração geográfica de recursos estratégicos para o desenvolvimento - Ser um pólo de atracção de pessoas e actividades qualificadas de outros países - Ter a presença de importantes redes supranacionais de cooperação e intercambio - Ter um importante património cultural - Ter uma base económica baseada na diversificação (da agricultura aos serviços)
  • 10. Características demográficas: • População em 2001 = 2 673 542 hab. • Densidade populacional = 835 hab/km2
  • 11. • Diminuição da população nos concelhos de Lisboa, Barreiro e Amadora a favor de Sintra, Seixal, Cascais, Sesimbra, Mafra e Vila Franca de Xira
  • 12. • Perda da função residencial nos concelhos centrais justifica-se pela terciarização desta área • Concelhos com: - menor construção industrial - maior qualidade ambiental - maior acessibilidade ao centro de Lisboa registam maior crescimento populacional
  • 14. • Contribui em 36% para o PIB • População activa = 1,3 milhões de pessoas • Concentra sedes de cerca de 30% das empresas nacionais • Em todos os concelhos, a população activa concentra-se no sector III
  • 15. • Quanto às actividades terciárias: - Comércio assume grande importância no concelho de Loures - Hotéis e restaurantes assumem elevada importância em Lisboa, Amadora, Sintra, Cascais, Sesimbra e Setúbal - Administração Pública, educação, saúde desempenham um papel importante em Lisboa, Oeiras e Cascais
  • 16. • No que se refere ao sector I: - Os concelhos mais próximos de Lisboa (Amadora, Oeiras, Almada, Seixal, Barreiro, Loures, Odivelas) registam valores pouco significativos de população activa no sector I - À medida que nos afastamos de Lisboa aumenta a importância do sector I, nomeadamente nos concelhos de Montijo e Alcochete
  • 17. • Quanto ao sector II: - A população activa é mais expressiva nos concelhos de Sesimbra, Odivelas, Seixal, Moita, Palmela, Montijo - Quanto às actividades destacam-se a construção civil, as indústrias de madeira e de papel, de edição e impressão e os têxteis - Actividade industrial concentra-se nos concelhos mais periféricos devido a: - disponibilidade de terrenos a preços acessíveis - boas vias de comunicação que aumentam a acessibilidade para acesso de matéria-primas e escoamento dos produtos
  • 22. Características demográficas: • População em 2001 = 1 252 842 hab. • Densidade populacional = 1546,6 hab/km2
  • 23. • Concelhos centrais concentram grande parte da população: - Porto = 21% - Vila Nova Gaia = 22% - Gondomar e Matosinhos = 13%
  • 24. • Diminuição da população residente na área central. De 1991 para 2001, o concelho do Porto perdeu 15% da sua população • Concelhos onde se verifica maior crescimento populacional são Maia (30%), Valongo, Póvoa de Varzim e Vila Nova de Gaia (16%) • Perda da função residencial no concelho do Porto está relacionada com a crescente terciarização da cidade
  • 26. • Predomínio do sector III, sendo especialmente significativo no concelho do Porto (86%), mas os concelhos de Matosinhos e Espinho possuem uma população activa no sector III superior a 75% • As actividades terciárias dominantes relacionam-se com: - Comércio – Porto e Gondomar - Hotelaria e restauração – Porto e Espinho - Serviços públicos - Porto
  • 27. • Sector II tem bastante importância, empregando cerca de 22% da população activa da AM • É mais expressivo nos concelhos de Vila de Conde, Valongo, V.N. Gaia, Póvoa de Varzim e Maia • Destacam-se as actividades relacionadas com: - Indústrias de bens de consumo, tradicionais, de trabalho intensivo e pouco exigentes na qualificação da mão-de-obra (têxteis, vestuário, calçado) - Indústrias alimentares, bebidas e tabaco - Indústrias de madeira e cortiça - Indústria metalúrgica de base e produtos metálicos
  • 28. • Nos últimos anos beneficiou da implantação de novas e modernas unidades industriais, baseada na investigação científica e tecnológica, como o Europarque e os Parques de Ciência e Tecnologia do Porto e da Maia • Sector I tem uma importância muito reduzida, sendo mais significativo nos concelhos limítrofes (Vila de Conde e Póvoa de Varzim)
  • 32. • Cidade do Porto tem menor grau polarizador que Lisboa, que se reflecte na menor amplitude dos movimentos pendulares. Esse poder de polarização é atenuado pela existência de cidades próximas (Braga e Aveiro) que detêm grande autonomia económica e apresentam características de bacias de emprego. Lisboa estabelece relações pendulares com concelhos geograficamente mais distantes (Entroncamento, Torres Vedras, Vendas Novas), o que confirma o seu maior grau polarizador
  • 33. • Densidade populacional à mais elevada na AMP • As migrações pendulares são mais intensas na AMP, que exerce um poder atractivo sobre concelhos como Mesão Frio, Esposende e Ovar • Na AML existem: - 4 pólos de emprego (Lisboa, Oeiras, Setúbal, Palmela) - 3 pólos de estudo (Lisboa, Almada, Setúbal) • Na AMP existem: - 2 pólos de emprego (Porto e Maia) - 1 pólo de estudo (Porto)