SlideShare uma empresa Scribd logo
Desnutrição
DESNUTRIÇÃO


                        Introdução
• No mundo, 700 milhões de desnutridos, destes 200 milhões são
  crianças moderadamente desnutridas e 70 milhões gravemente;


• No Brasil, três estudos analisaram este índice que evidenciaram que
  a forma crônica (alteração na relação: estatura/idade) é a mais
  prevalente em menores de 5 anos de idade (período de maior
  vulnerabilidade):

   – ENDEF: Estudo Nacional da Despesa Familiar (1974);

   – PNSN: Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (1989);

   – PNDS: Pesquisa Nacional sobre Demografia de Saúde (1996);
DESNUTRIÇÃO


                Introdução
• Conceito: Síndrome caracterizada por
  deficiência de calorias e proteínas,
  acometendo com freqüência os lactentes e
  pré-escolares.
DESNUTRIÇÃO


              Adultos
DESNUTRIÇÃO


                   Etiologia
• Multifatorial;

• Condição sócio-econômica desfavorável;

• Fraco vínculo mãe-filho (retirada precoce do
  aleitamento materno);
DESNUTRIÇÃO


                Classificação
• Etiologia: Primária ou secundária;

• Intensidade: Leve, moderada ou grave;

• Cronologia: Aguda ou crônica;
DESNUTRIÇÃO


                      Quadro Clínico
• Apatia, hipoatividade, anorexia, perda de peso, infecções
  recorrentes, edema (kwashiorkor), diarréia etc;

• Redução dos níveis séricos de glicose e aminoácidos;

• Aumento dos níveis de “hormônios do stress”:
       • Cortisol (Marasmo);
       • ACTH (Kwashiorkor);
       • Catecolaminas;

• Distúrbios relacionados aos micronutrientes:
       • Anemia Ferropriva*, Hipovitaminoses;

Obs.:Perda de Peso é um processo agudo (índice de maior
  sensibilidade que Estatura).
DESNUTRIÇÃO


     Desnutrição Primária Grave

• Marasmo;

• Kwashiorkor;
DESNUTRIÇÃO


                  Marasmo
“Condição relacionada com má nutrição que
  resulta numa deficiência total (energético-
  protéico).”

  – Na criança, a causa mais comum é a retirada
    precoce de aleitamento materno, substituindo por
    misturas com fórmulas caloricamente deficientes;
DESNUTRIÇÃO


                     Marasmo
•   Déficit de peso e estatura;
•   Perda de tecido subcutâneo ;
•   Atrofia muscular importante;
•   Pele “enrugada”;
•   Crianças menores que 12 meses (normalmente);
•   Emagrecimento acentuado;
•   Pele frouxa,costelas proeminentes;
•   Gordura subcutânea ausente;
•   Irritabilidade;


Obs.: Albumina sérica normal e apetite, em geral, preservado.
DESNUTRIÇÃO
DESNUTRIÇÃO


              Kwashiorkor
“Embora a ingestão calórica possa ser adequada,
  observa-se deficiência dietética de proteína.”

Apesar da energia adequada, a deficiência de
 proteínas de alto valor biológico impede a
 adaptação do organismo à desnutrição. A
 instalação costuma ser rápida.
DESNUTRIÇÃO


                Kwashiorkor
  – Deficiência de proteínas;
  – 2-3 anos de vida;
  – Edema,subcutâneo presente;
  – Cabelos finos e quebradiços;
  – Lesões de pele;
  – Apatia,sem apetite;


• Obs.: Albumina sérica reduzida.
DESNUTRIÇÃO
DESNUTRIÇÃO
DESNUTRIÇÃO


                    Diagnóstico
• Exame Clínico
   – Anamnese (Fatores socioeconômicos, histórico de
     doenças, aleitamento materno exclusivo até os 6 meses
     etc);
   – Exame Físico (Ectoscopia , exame sistemático);
• Antropometria
   – Relação PESO/ALTURA, PESO/IDADE, ALTURA/IDADE;
   – Perímetro Cefálico, Perímetro Braquial, Pregas Cutâneas;
• Exames complementares
   – Hemograma, Triglicérides, Glicemia de jejum/pós-prandial,
     dosagem de hormônios, níveis séricos de albumina,
     transferrina etc.
DESNUTRIÇÃO


                Diagnóstico
• Antropometria
                       Alteração Aguda


  – Classificação de Gomez (PESO/IDADE);
                                           Alteração Crônica

  – Classificação de Waterlow (PESO/ALTURA e
    ALTURA/IDADE);
DESNUTRIÇÃO


Curvas de Crescimento (NCHS)




 CURVAS ESTACIONÁRIAS OU
 DECRESCENTES
DESNUTRIÇÃO
DESNUTRIÇÃO


       Classificação de Gomez
DESNUTRIÇÃO


    Classificação de Waterlow
DESNUTRIÇÃO
DESNUTRIÇÃO


                 Tratamento
• Tratamento Psicossocial
• Tratamento Clínico



 Crianças gravemente desnutridas devem ser
  referidas para hospitalização
 A fisiologia das crianças desnutridas é seriamente
  anormal, afetando o seu tratamento
DESNUTRIÇÃO


        Tratamento Psicossocial
• Interdisciplinar (médicos, enfermeiros,
  nutricionistas, psicólogos, terapeutas
  ocupacionais, dentistas e pedagogos)
• Resgate da cidadania e dos direitos básicos da
  pessoa humana que sequer tem noção que os
  tem
DESNUTRIÇÃO


                 Tratamento Clínico
• A 1ª etapa (estabilização) visa salvar a vida da criança
  desnutrida e deve ser considerada como uma
  abordagem emergencial. Visa corrigir problemas
  metabólicos agudos, tais como: distúrbios
  hidroeletrolíticos e ácido-básicos, hipoglicemia,
  hipocalemia, hipocalcemia, distúrbios circulatórios,
  diarréias graves e infecção (apetite)

• A 2ª etapa (reabilitação) visa à reposição de tecidos
  perdidos pelo processo de desnutrição e à
  normalização do crescimento e das funções
  psicomotoras prejudicadas pelas carências sofridas
  (adequação do peso para a estatura de 90%)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nutrição Parenteral
Nutrição ParenteralNutrição Parenteral
Nutrição Parenteral
Safia Naser
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
Karina Pereira
 
Curvas de Crescimento: orientações para Profissionais de Saúde
Curvas de Crescimento: orientações para Profissionais de SaúdeCurvas de Crescimento: orientações para Profissionais de Saúde
Curvas de Crescimento: orientações para Profissionais de Saúde
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Caso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferroprivaCaso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferropriva
MAIQUELE SANTANA
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoNutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
KetlenBatista
 
Intoxicações exógenas aula
Intoxicações exógenas   aulaIntoxicações exógenas   aula
Intoxicações exógenas aula
Eduardo Tibali
 
AULA DE TERAPIA NUTRICIONAL
AULA DE TERAPIA NUTRICIONALAULA DE TERAPIA NUTRICIONAL
AULA DE TERAPIA NUTRICIONAL
Meryellen Moliterno
 
Síndrome Metabólica
Síndrome MetabólicaSíndrome Metabólica
Síndrome Metabólica
Laboratório Sérgio Franco
 
Desnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidosDesnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidos
Rafaela Neves
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
marianagusmao39
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
Alexandre Donha
 
NUTRIÇÃO NO IDOSO
NUTRIÇÃO NO IDOSONUTRIÇÃO NO IDOSO
NUTRIÇÃO NO IDOSO
Rubens Junior
 
AIDIPI Criança
AIDIPI CriançaAIDIPI Criança
AIDIPI Criança
Samuel Cevidanes
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
blogped1
 
Desidratação e diarréia
Desidratação e diarréiaDesidratação e diarréia
Desidratação e diarréia
Gladyanny Veras
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
blogped1
 
Abordagem choque
Abordagem choqueAbordagem choque
Abordagem choque
Yuri Assis
 
Nutrição aplicada à enfermagem (1)
Nutrição aplicada à enfermagem (1)Nutrição aplicada à enfermagem (1)
Nutrição aplicada à enfermagem (1)
deboradamata
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Características recém nascidos: o que é normal e o que não é
Características recém nascidos: o que é normal e o que não éCaracterísticas recém nascidos: o que é normal e o que não é
Características recém nascidos: o que é normal e o que não é
Viviane da Silva
 

Mais procurados (20)

Nutrição Parenteral
Nutrição ParenteralNutrição Parenteral
Nutrição Parenteral
 
Nutrição do idoso
Nutrição do idosoNutrição do idoso
Nutrição do idoso
 
Curvas de Crescimento: orientações para Profissionais de Saúde
Curvas de Crescimento: orientações para Profissionais de SaúdeCurvas de Crescimento: orientações para Profissionais de Saúde
Curvas de Crescimento: orientações para Profissionais de Saúde
 
Caso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferroprivaCaso clinico Anemia ferropriva
Caso clinico Anemia ferropriva
 
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idosoNutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
Nutrição normal e dietética: alimentação do adulto e do idoso
 
Intoxicações exógenas aula
Intoxicações exógenas   aulaIntoxicações exógenas   aula
Intoxicações exógenas aula
 
AULA DE TERAPIA NUTRICIONAL
AULA DE TERAPIA NUTRICIONALAULA DE TERAPIA NUTRICIONAL
AULA DE TERAPIA NUTRICIONAL
 
Síndrome Metabólica
Síndrome MetabólicaSíndrome Metabólica
Síndrome Metabólica
 
Desnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidosDesnutrição e alimentos enriquecidos
Desnutrição e alimentos enriquecidos
 
Pré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção BásicaPré-natal na Atenção Básica
Pré-natal na Atenção Básica
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
NUTRIÇÃO NO IDOSO
NUTRIÇÃO NO IDOSONUTRIÇÃO NO IDOSO
NUTRIÇÃO NO IDOSO
 
AIDIPI Criança
AIDIPI CriançaAIDIPI Criança
AIDIPI Criança
 
Puericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de ConsultaPuericultura - Roteiro de Consulta
Puericultura - Roteiro de Consulta
 
Desidratação e diarréia
Desidratação e diarréiaDesidratação e diarréia
Desidratação e diarréia
 
AMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃOAMAMENTAÇÃO
AMAMENTAÇÃO
 
Abordagem choque
Abordagem choqueAbordagem choque
Abordagem choque
 
Nutrição aplicada à enfermagem (1)
Nutrição aplicada à enfermagem (1)Nutrição aplicada à enfermagem (1)
Nutrição aplicada à enfermagem (1)
 
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC)
 
Características recém nascidos: o que é normal e o que não é
Características recém nascidos: o que é normal e o que não éCaracterísticas recém nascidos: o que é normal e o que não é
Características recém nascidos: o que é normal e o que não é
 

Semelhante a Desnutrição pv

caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptxcaso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
BalthasarRibeiro
 
Nra aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício d...
Nra   aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício  d...Nra   aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício  d...
Nra aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício d...
Eric Liberato
 
Manual 2
 Manual 2 Manual 2
Manual 2
carlosmozer
 
Transtorno Alimentar
Transtorno AlimentarTranstorno Alimentar
Transtorno Alimentar
tarisson clisman santos
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
grupoIII
 
Anorexia
AnorexiaAnorexia
Anorexia
Brendha Soares
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
jogador de futebol
 
Diagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidadeDiagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidade
Guilherme Santos
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
André-Bruno-Filipe
 
OBESIDADE_aula_2010_2.ppt
OBESIDADE_aula_2010_2.pptOBESIDADE_aula_2010_2.ppt
OBESIDADE_aula_2010_2.ppt
SamanthaBatistaMeles
 
11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf
11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf
11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf
medad0rac
 
Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.
Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.
Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.
TiagoCandinguili
 
Comportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bComportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8b
Michele Pó
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
ROSILEIDE
 
Anorexia E Bulimia 3o Ano
Anorexia E  Bulimia 3o AnoAnorexia E  Bulimia 3o Ano
Anorexia E Bulimia 3o Ano
Fernanda Melo
 
UFCD 6575 4 - desnutrição.pdf
UFCD  6575 4 - desnutrição.pdfUFCD  6575 4 - desnutrição.pdf
UFCD 6575 4 - desnutrição.pdf
JacintaRosriocastrog
 
Disturbios Alimentares
Disturbios AlimentaresDisturbios Alimentares
Disturbios Alimentares
hyguer
 
Disturbios Alimentares - Bulimia e Anorexia
Disturbios Alimentares - Bulimia e AnorexiaDisturbios Alimentares - Bulimia e Anorexia
Disturbios Alimentares - Bulimia e Anorexia
hyguer
 
Anorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizadoAnorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizado
ananiasdoamaral
 
Coaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisa
Coaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisaCoaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisa
Coaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisa
CoachingNutrition
 

Semelhante a Desnutrição pv (20)

caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptxcaso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
caso clínico sobre kwashiorkor, bioquímica médica -Medicina Unicerrado.pptx
 
Nra aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício d...
Nra   aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício  d...Nra   aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício  d...
Nra aula 4 - situações fisiológicas e patológicas relevantes - exercício d...
 
Manual 2
 Manual 2 Manual 2
Manual 2
 
Transtorno Alimentar
Transtorno AlimentarTranstorno Alimentar
Transtorno Alimentar
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
 
Anorexia
AnorexiaAnorexia
Anorexia
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
 
Diagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidadeDiagnostico aula 3 obesidade
Diagnostico aula 3 obesidade
 
Disturbios alimentares
Disturbios alimentaresDisturbios alimentares
Disturbios alimentares
 
OBESIDADE_aula_2010_2.ppt
OBESIDADE_aula_2010_2.pptOBESIDADE_aula_2010_2.ppt
OBESIDADE_aula_2010_2.ppt
 
11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf
11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf
11.dinamicaalimentsao_20230324091752.pdf
 
Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.
Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.
Transtornos da nutrição, um conteúdo que aborda aspectos nutricionais.
 
Comportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8bComportamentos Alimentares 8b
Comportamentos Alimentares 8b
 
Transtornos alimentares
Transtornos alimentaresTranstornos alimentares
Transtornos alimentares
 
Anorexia E Bulimia 3o Ano
Anorexia E  Bulimia 3o AnoAnorexia E  Bulimia 3o Ano
Anorexia E Bulimia 3o Ano
 
UFCD 6575 4 - desnutrição.pdf
UFCD  6575 4 - desnutrição.pdfUFCD  6575 4 - desnutrição.pdf
UFCD 6575 4 - desnutrição.pdf
 
Disturbios Alimentares
Disturbios AlimentaresDisturbios Alimentares
Disturbios Alimentares
 
Disturbios Alimentares - Bulimia e Anorexia
Disturbios Alimentares - Bulimia e AnorexiaDisturbios Alimentares - Bulimia e Anorexia
Disturbios Alimentares - Bulimia e Anorexia
 
Anorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizadoAnorexia e bulimia atualizado
Anorexia e bulimia atualizado
 
Coaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisa
Coaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisaCoaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisa
Coaching Nutrition - Alimentação saudável com suporte que você precisa
 

Desnutrição pv

  • 2. DESNUTRIÇÃO Introdução • No mundo, 700 milhões de desnutridos, destes 200 milhões são crianças moderadamente desnutridas e 70 milhões gravemente; • No Brasil, três estudos analisaram este índice que evidenciaram que a forma crônica (alteração na relação: estatura/idade) é a mais prevalente em menores de 5 anos de idade (período de maior vulnerabilidade): – ENDEF: Estudo Nacional da Despesa Familiar (1974); – PNSN: Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (1989); – PNDS: Pesquisa Nacional sobre Demografia de Saúde (1996);
  • 3. DESNUTRIÇÃO Introdução • Conceito: Síndrome caracterizada por deficiência de calorias e proteínas, acometendo com freqüência os lactentes e pré-escolares.
  • 4. DESNUTRIÇÃO Adultos
  • 5. DESNUTRIÇÃO Etiologia • Multifatorial; • Condição sócio-econômica desfavorável; • Fraco vínculo mãe-filho (retirada precoce do aleitamento materno);
  • 6. DESNUTRIÇÃO Classificação • Etiologia: Primária ou secundária; • Intensidade: Leve, moderada ou grave; • Cronologia: Aguda ou crônica;
  • 7. DESNUTRIÇÃO Quadro Clínico • Apatia, hipoatividade, anorexia, perda de peso, infecções recorrentes, edema (kwashiorkor), diarréia etc; • Redução dos níveis séricos de glicose e aminoácidos; • Aumento dos níveis de “hormônios do stress”: • Cortisol (Marasmo); • ACTH (Kwashiorkor); • Catecolaminas; • Distúrbios relacionados aos micronutrientes: • Anemia Ferropriva*, Hipovitaminoses; Obs.:Perda de Peso é um processo agudo (índice de maior sensibilidade que Estatura).
  • 8. DESNUTRIÇÃO Desnutrição Primária Grave • Marasmo; • Kwashiorkor;
  • 9. DESNUTRIÇÃO Marasmo “Condição relacionada com má nutrição que resulta numa deficiência total (energético- protéico).” – Na criança, a causa mais comum é a retirada precoce de aleitamento materno, substituindo por misturas com fórmulas caloricamente deficientes;
  • 10. DESNUTRIÇÃO Marasmo • Déficit de peso e estatura; • Perda de tecido subcutâneo ; • Atrofia muscular importante; • Pele “enrugada”; • Crianças menores que 12 meses (normalmente); • Emagrecimento acentuado; • Pele frouxa,costelas proeminentes; • Gordura subcutânea ausente; • Irritabilidade; Obs.: Albumina sérica normal e apetite, em geral, preservado.
  • 12. DESNUTRIÇÃO Kwashiorkor “Embora a ingestão calórica possa ser adequada, observa-se deficiência dietética de proteína.” Apesar da energia adequada, a deficiência de proteínas de alto valor biológico impede a adaptação do organismo à desnutrição. A instalação costuma ser rápida.
  • 13. DESNUTRIÇÃO Kwashiorkor – Deficiência de proteínas; – 2-3 anos de vida; – Edema,subcutâneo presente; – Cabelos finos e quebradiços; – Lesões de pele; – Apatia,sem apetite; • Obs.: Albumina sérica reduzida.
  • 16. DESNUTRIÇÃO Diagnóstico • Exame Clínico – Anamnese (Fatores socioeconômicos, histórico de doenças, aleitamento materno exclusivo até os 6 meses etc); – Exame Físico (Ectoscopia , exame sistemático); • Antropometria – Relação PESO/ALTURA, PESO/IDADE, ALTURA/IDADE; – Perímetro Cefálico, Perímetro Braquial, Pregas Cutâneas; • Exames complementares – Hemograma, Triglicérides, Glicemia de jejum/pós-prandial, dosagem de hormônios, níveis séricos de albumina, transferrina etc.
  • 17. DESNUTRIÇÃO Diagnóstico • Antropometria Alteração Aguda – Classificação de Gomez (PESO/IDADE); Alteração Crônica – Classificação de Waterlow (PESO/ALTURA e ALTURA/IDADE);
  • 18. DESNUTRIÇÃO Curvas de Crescimento (NCHS) CURVAS ESTACIONÁRIAS OU DECRESCENTES
  • 20. DESNUTRIÇÃO Classificação de Gomez
  • 21. DESNUTRIÇÃO Classificação de Waterlow
  • 23. DESNUTRIÇÃO Tratamento • Tratamento Psicossocial • Tratamento Clínico  Crianças gravemente desnutridas devem ser referidas para hospitalização  A fisiologia das crianças desnutridas é seriamente anormal, afetando o seu tratamento
  • 24. DESNUTRIÇÃO Tratamento Psicossocial • Interdisciplinar (médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais, dentistas e pedagogos) • Resgate da cidadania e dos direitos básicos da pessoa humana que sequer tem noção que os tem
  • 25. DESNUTRIÇÃO Tratamento Clínico • A 1ª etapa (estabilização) visa salvar a vida da criança desnutrida e deve ser considerada como uma abordagem emergencial. Visa corrigir problemas metabólicos agudos, tais como: distúrbios hidroeletrolíticos e ácido-básicos, hipoglicemia, hipocalemia, hipocalcemia, distúrbios circulatórios, diarréias graves e infecção (apetite) • A 2ª etapa (reabilitação) visa à reposição de tecidos perdidos pelo processo de desnutrição e à normalização do crescimento e das funções psicomotoras prejudicadas pelas carências sofridas (adequação do peso para a estatura de 90%)