SlideShare uma empresa Scribd logo
ILUMINISMO
.
  AO FINAL DESTA AULA SERÁ IMPORTANTE
                      ENTENDER:




 O que foi o iluminismo;

 Quem foram seus principais pensadores;
 O que foi o liberalismo econômico;
 Despotismo Esclarecido.
Inicia-se na França e posteriormente difundiu-se
                         por toda a Europa e pela América. Apresentou

Iluminismo               alguns pontos em comum com o humanismo
                         renascentista como a rejeição ao misticismo e a
                         crença na razão. Porém, o iluminismo criticava o
                         absolutismo     monárquico,    ao   contrário   dos
                         renascentistas, e defendiam novas formas políticas
                         como a república democrática. Foram defensores
                         da liberdade de pensamento e de ação.
 O   seres   humanos
                               Só por meio da razão o ser
 têm direitos naturais
                               humano poderia alcançar o
 que não podem ser
                               conhecimento, a harmonia
 violados
                               em sociedade e a liberdade
                               individual.
O movimento iluminista surgiu como insatisfação, principalmente dos
setores intelectualizados da sociedade, contra os excessos e opressões
impostos   pelo   sistema   absolutista.   Os   iluministas   propunham   a
reorganização da sociedade com uma política voltada para o ser humano,
sobretudo para garantir-lhe liberdade.
Outro aspecto da filosofia iluminista era a ideia de progresso contínuo da
sociedade. No entanto, este progresso somente seria possível se as
pessoas fossem educadas segundo o princípio da ciência e da razão.


                             O século XVIII foi chamado de
                                    século das Luzes.
A BURGUESIA E OS ILUMINISTAS


    A burguesia apoiou estas ideias visto que era um setor bastante
prejudicado pela política centralizadora dos absolutistas (mercantilismo).
Esta camada da sociedade durante a formação das monarquias nacionais
esteve alinhada aos interesses da centralização e da política mercantilista
que lhe garantia o monopólio do comércio. No entanto, com o tempo
alguns empresários passaram a se interessar pela liberdade de comércio
e de mercado o que fez a burguesia se afastar do absolutismo.
Quais são os mais importantes princípios adotados pelos iluministas?
Os iluministas acreditavam que o direito a liberdade era um
direito natural e inviolável e acreditavam que somente
através da razão os homens poderiam chegar a uma
convivência harmoniosa em sociedade, assim como alcançar
a liberdade individual.
AS ENCICLOPÉDIAS
         As ideias iluministas precisavam ser
divulgadas, para isso Denis Diderot e Jean
D’lambert organizaram a grande enciclopédia,
75 volumes que compilaram toda a produção
cultural daquele período. (política, econômica,
filosófica,    artes)   Inúmeros     pensadores
contribuíram para a enciclopédia. Nos artigos
os   autores     desenvolviam   os      ideais   de
liberdade contestando o antigo regime e a
Igreja     Católica     e   estiveram      sempre
preocupados com uma produção racional do
conhecimento.
ILUMINISTAS FRANCESES


 Criticavam a servidão, que simbolizava a permanência das relações

feudais de trabalho no campo.

 Se posicionaram contra o regime absolutista e o mercantilismo, que

limitavam a liberdade e o direito à propriedade
 Condenavam a influência da Igreja católica sobre a sociedade,
principalmente na educação e na cultura.
 Criticavam também a desigualdade de direitos e deveres entre os
indivíduos.
                    Posso não concordar com
                    nenhuma das palavras que você
                    disser, mas defenderei até a
                    morte o direito de você dizê-las.
                    Voltaire
PRINCIPAIS FILÓSOFOS ILUMINISTAS



  Montesquieu – em “O espírito das leis” analisa
diversas formas de governo para mostrar a
superioridade da monarquia constitucional inglesa.
Defendia a divisão dos Estados em três poderes
independentes      para    que       não    houvesse
acumulação    de     poderes   nas    mão    de   um
governante.     Os     poderes       controlar-se-iam
mutuamente o Executivo, o Legislativo e o
Judiciário. Inspirou a Revolução Americana e a
Revolução Francesa.
Voltaire – criticou duramente os privilégios da
                       nobreza e da Igreja e defendeu as liberdades
                       individuais. Criticou o absolutismo de direito divino
                       propondo a participação da burguesia no governo.
                       Influenciou alguns governantes conhecidos como
                       déspotas esclarecidos.


  Rousseau – o mais radical dos pensadores. Criticou o
absolutismo e a burguesia defendendo uma sociedade
baseada na justiça, na igualdade e na soberania do povo.
Acusou a propriedade privada de destruir a liberdade e
promover o despotismo e a corrupção. Defendeu a
vontade da comunidade deveria prevalecer e não a
vontade individual. Inspirou o movimento mais radical da
Revolução Francesa e o movimento socialista.
A ESCOLA FISIOCRATA E O LIBERALISMO
                                           ECONÔMICO
  A Escola fisiocrata combatia as práticas mercantilistas e defendia o individualismo
econômico baseado no governo da natureza, considerava a agricultura como a
principal fonte de riquezas. Eram favoráveis ao livre comércio e propunham a
abolição dos monopólios. Esta Escola influenciou o liberalismo econômico que teve
como principal representante Adam Smith. No livro “A riqueza das nações” defendeu
um novo sistema econômico baseado na plena liberdade de concorrência cuja lei
seria a da oferta e da procura. Esta lei regularia a produção e a distribuição da
riqueza e defendia o trabalho livre como a verdadeira fonte de riqueza da sociedade
(“mão invisível” do mercado).
Esta corrente econômica influencia até hoje muitos pensadores econômicos que são
chamados neoliberais.
O que foi liberalismo
   econômico?




                        Riqueza das Nações de Adam Smith
O liberalismo econômico estava baseado na plena
liberdade de concorrência cuja lei seria a da oferta e da
procura.
DESPOTISMO ESCLARECIDO: UNIÃO
                      ENTRE ABSOLUTISMO E ILUMINISMO
   No século XVIII nos países em que a burguesia não teve força suficiente para
promover as reformas liberais e derrubar o absolutismo, os próprios monarcas
proveram a modernização de seus estados sem, contudo, abrir mão do poder.
   Foram inspirados no pensamento de Voltaire, que defendia as mudanças
através de um despotismo esclarecido. Desenvolveu-se sobretudo em lugares de
economia atrasada e essencialmente agrícola, onde a burguesia era inexistente ou
muito fraca. O Estado, nestes casos, elaborou reformas administrativas e jurídicas,
dirigindo a economia e orientando a educação. O despotismo esclarecido contribui
para acelerar a modernização de alguns países. Os déspotas esclarecidos
legitimam o seu poder com o argumento de que governam em nome da felicidade
dos seus povos, de acordo com o novo pensamento iluminista.
RÚSSIA


  Catarina governou a Rússia entre 1762 e1796 e foi leitora entusiasmada dos
iluministas franceses. Em seu reinado tentou transformar a Rússia em um Estado
moderno:
 tomou bens da Igreja e os redistribuiu aos nobres.
 elevou os impostos pagos pelos camponeses.
 manteve a servidão e reafirmou os direitos dos proprietários sobre os servos.
 estimulou o desenvolvimento industrial e a formação de um grupo burguês.


   No entanto, estas medidas somente duraram até a eclosão da Revolução
Francesa. Catarina temendo que as ideias revolucionárias influenciassem a
população russa afastou de seu governo as ideias iluministas.
PORTUGAL
   O despotismo esclarecido em Portugal foi exercido por Marquês de Pombal, ministro de
dom José I. Durante seu governo Pombal tentou equilibrar as finanças do Reino, que estavam
abaladas pelo declínio da exploração do ouro no Brasil. Para isso:
 Reforçou os vínculos coloniais para que o pacto colonial fosse cumprido. Exigiu que a
colônia recolhesse 100 arrobas de ouro por ano.
 Criou a derrama e a Real Extração, órgão do governo que exercia o monopólio da
exploração de diamantes em Minas.
 Expulsou os jesuítas de Portugal e das colônias alegando que formavam uma organização
que pretendia ser um “Estado dentro do Estado”.
 Restringiu os privilégios da nobreza e do clero.
 Criou o Banco Real e proibiu a exportação de metais preciosos na tentativa de equilibrar a
balança comercial do reino.
Ainda assim não conseguiu contornar a crise econômica e teve suas medidas revogadas por
Maria I.
O que foi o Despotismo Esclarecido?




                 Marquês de Pombal
Despotismo Esclarecido foi um regime de governo pelo qual
alguns governantes adotaram os princípios iluministas para
estabelecer reformas em seus países e modernizá-los, sem
abrir mão do absolutismo.
Questão 01 PUC-RJ: Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo:
I - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da
identidade da sociedade ocidental.
II - O pensamento iluminista caracterizou-se pela ênfase conferida à razão, entendida como
inerente à condição humana.
III - Diversos pensadores iluministas conferiram uma importância central à educação enquanto
instrumento promotor da civilização.
IV - A filosofia iluminista proclamou a liberdade como direito incontestável de todo ser
humano.
Assinale:
(A) se apenas a afirmativa II estiver correta.
(B) se apenas as afirmativas I e IV estiverem corretas.
(C) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas.
(D) se apenas as afirmativas I, II e IV estiverem corretas.
(E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
Resolução:


I - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje,
elementos essenciais da identidade da sociedade ocidental.
II - O pensamento iluminista caracterizou-se pela ênfase conferida à
razão, entendida como inerente à condição humana.
III - Diversos pensadores iluministas conferiram uma importância central à
educação enquanto instrumento promotor da civilização.
IV - A filosofia iluminista proclamou a liberdade como direito incontestável
de todo ser humano.


Letra E - todas estão corretas
Questão 02 - PUC-RJ: “Assim em Paris e nas grandes cidades, a burguesia era superior à
nobreza em riqueza, em talento e em méritos pessoais. Inclusive nas cidades de província ela
era superior à nobreza rural; e ainda que sentisse esta superioridade, era humilhada e
excluída da carreira militar pelos regulamentos do exército e também excluída do alto clero, e,
já que a escolha dos bispos e dos altos dignatários eclesiásticos recaía sobre os nobres, ela o
era também em muitos capítulos de catedrais. Também a alta magistratura a rejeitava, pois a
maioria das cortes soberanas só admitia nobres em seu seio. Inclusive para ocupar os cargos
menos importantes no quadro de funcionários do Conselho de Estado aos lugares eminentes
de intendente, eram exigidas provas de nobreza nos últimos tempos.“
           Marquês de Bouilli IN: Ilmar R. Mattos e outros. História. Rio de Janeiro: Francisco Alves/ Edutel, 1977. 83 pg.


   O trecho acima é parte das memórias de um nobre francês do século XVIII. Sua vida, em
boa parte, coincidiu com a crise da - Sociedade do Antigo Regime. Uma expressão dessa
crise foi a formulação e difusão de idéias - as idéias iluministas - por meio das quais
criticavam-se as estruturas que davam sentido a essa sociedade.

   A partir da leitura do texto, IDENTIFIQUE um elemento característico da Sociedade do
Antigo Regime que foi duramente criticado pelos filósofos iluminista.
RESOLUÇÃO:


- A noção de privilégio;

- O caráter estamental da sociedade;

- A desigualdade de oportunidades legalmente
referendadas.
Questão 03 -        MACKENZIE:Na segunda metade do século XVIII, surgiram monarcas que
implementaram novas feições ao Absolutismo, adequando seus estados e governos às idéias da
época. Assinale a alternativa que apresenta elementos do Despotismo Esclarecido.
a) A igualdade jurídica entre os cidadãos, o anticlericalismo , o combate às idéias fisiocratas, a
supressão do liberalismo econômico e a separação dos três poderes.
b) O anticlericalismo, o fim do Absolutismo, a reformulação das relações entre o Estado e a Igreja
e o fortalecimento da Monarquia.
c) O estímulo à organização e à tolerância religiosa, a abolição do Antigo Regime, a
desregulamentação dos ofícios, a contestação ao Estado e ao sistema monárquico.
d) O fim das práticas mercantilistas, a organização do ensino nos moldes dos enciclopedistas e a
adoção das propostas do filósofo iluminista Montesquieu para o fortalecimento dos privilégios
feudais.
e) A reformulação das relações entre o Estado e a Igreja, o desenvolvimento das atividades
manufatureiras e a realização de algumas reformas sociais, sem o abandono do absolutismo na
prática política.
RESOLUÇÃO:
a) A igualdade jurídica entre os cidadãos, o anticlericalismo , o combate às
idéias fisiocratas, a supressão do liberalismo econômico e a separação dos três
poderes.
b) O anticlericalismo, o fim do Absolutismo, a reformulação das relações entre o
Estado e a Igreja e o fortalecimento da Monarquia.
c) O estímulo à organização e à tolerância religiosa, a abolição do Antigo
Regime, a desregulamentação dos ofícios, a contestação ao Estado e ao
sistema monárquico.
d) O fim das práticas mercantilistas, a organização do ensino nos moldes dos
enciclopedistas e a adoção das propostas do filósofo iluminista Montesquieu
para o fortalecimento dos privilégios feudais.
e) A reformulação das relações entre o Estado e a Igreja, o desenvolvimento
das atividades manufatureiras e a realização de algumas reformas sociais, sem
o abandono do absolutismo na prática política.
Bibliografia


PAZZINATO, Alceu L.; SENISE, Maria Helena V. Triunfo da Razão. In. “História
Moderna e Contemporânea”. 14ª ed. Editora Ática, São Paulo: 2006.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
shivbhudia
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
A filosofia iluminista
A filosofia iluministaA filosofia iluminista
A filosofia iluminista
Jonathan Leite Alves Santos
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
joana71
 
O Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das LuzesO Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das Luzes
Samara Coimbra
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
Julivan Estevam
 
Iluminismo
Iluminismo Iluminismo
Iluminismo
Delziene Jesus
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
Paulo Alexandre
 
Iluminismo.melissa
Iluminismo.melissaIluminismo.melissa
Iluminismo.melissa
JoanaRitaSilva
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
Leonardo Caputo
 
Iluminismo power point
Iluminismo power pointIluminismo power point
Iluminismo power point
Odairdesouza
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
História 8º ano aula 2
História 8º ano   aula 2História 8º ano   aula 2
História 8º ano aula 2
Eloy Souza
 
Renascimento, Iluminismo, Romantismo E Liberalismo
Renascimento, Iluminismo, Romantismo E LiberalismoRenascimento, Iluminismo, Romantismo E Liberalismo
Renascimento, Iluminismo, Romantismo E Liberalismo
Luci Bonini
 
Iluminismo e liberalismo
Iluminismo e liberalismoIluminismo e liberalismo
Iluminismo e liberalismo
Elton Zanoni
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
Foz
 
Um século de mudanças - O iluminismo
Um século de mudanças - O iluminismoUm século de mudanças - O iluminismo
Um século de mudanças - O iluminismo
Zé Mário
 
Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.
Dênis Ribas
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
MarceloFreitas
 
Iluminismo e despotismo
Iluminismo e  despotismoIluminismo e  despotismo
Iluminismo e despotismo
Blendo Widston
 

Mais procurados (20)

Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
A filosofia iluminista
A filosofia iluministaA filosofia iluminista
A filosofia iluminista
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
O Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das LuzesO Iluminismo, O Século das Luzes
O Iluminismo, O Século das Luzes
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Iluminismo
Iluminismo Iluminismo
Iluminismo
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo.melissa
Iluminismo.melissaIluminismo.melissa
Iluminismo.melissa
 
Historia Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8anoHistoria Iluminismo 8ano
Historia Iluminismo 8ano
 
Iluminismo power point
Iluminismo power pointIluminismo power point
Iluminismo power point
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
História 8º ano aula 2
História 8º ano   aula 2História 8º ano   aula 2
História 8º ano aula 2
 
Renascimento, Iluminismo, Romantismo E Liberalismo
Renascimento, Iluminismo, Romantismo E LiberalismoRenascimento, Iluminismo, Romantismo E Liberalismo
Renascimento, Iluminismo, Romantismo E Liberalismo
 
Iluminismo e liberalismo
Iluminismo e liberalismoIluminismo e liberalismo
Iluminismo e liberalismo
 
O iluminismo
O iluminismoO iluminismo
O iluminismo
 
Um século de mudanças - O iluminismo
Um século de mudanças - O iluminismoUm século de mudanças - O iluminismo
Um século de mudanças - O iluminismo
 
Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.Aula sobre o iluminismo.
Aula sobre o iluminismo.
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Iluminismo e despotismo
Iluminismo e  despotismoIluminismo e  despotismo
Iluminismo e despotismo
 

Destaque

www.AulasParticularesApoio.Com.Br - História - Iluminismo
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - História -  Iluminismowww.AulasParticularesApoio.Com.Br - História -  Iluminismo
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - História - Iluminismo
Anna Paula
 
VIDEO- AULA 9º ANOS REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIX
VIDEO- AULA 9º ANOS  REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIXVIDEO- AULA 9º ANOS  REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIX
VIDEO- AULA 9º ANOS REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIX
Márcia Diniz
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Janaína Tavares
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
Janaína Tavares
 
Atividades Feudalismo I
Atividades Feudalismo IAtividades Feudalismo I
Atividades Feudalismo I
Doug Caesar
 
Cruzadinha feudalismo
Cruzadinha feudalismoCruzadinha feudalismo
Cruzadinha feudalismo
Marcia Oliveira Lupion
 
Atividades feudalismo na idade média
Atividades   feudalismo na idade médiaAtividades   feudalismo na idade média
Atividades feudalismo na idade média
Atividades Diversas Cláudia
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Rui Neto
 

Destaque (8)

www.AulasParticularesApoio.Com.Br - História - Iluminismo
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - História -  Iluminismowww.AulasParticularesApoio.Com.Br - História -  Iluminismo
www.AulasParticularesApoio.Com.Br - História - Iluminismo
 
VIDEO- AULA 9º ANOS REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIX
VIDEO- AULA 9º ANOS  REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIXVIDEO- AULA 9º ANOS  REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIX
VIDEO- AULA 9º ANOS REVISÃO ILUMINISMO E DOUTRINAS SOCIAIS DO SÉCULO XIX
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Atividades Feudalismo I
Atividades Feudalismo IAtividades Feudalismo I
Atividades Feudalismo I
 
Cruzadinha feudalismo
Cruzadinha feudalismoCruzadinha feudalismo
Cruzadinha feudalismo
 
Atividades feudalismo na idade média
Atividades   feudalismo na idade médiaAtividades   feudalismo na idade média
Atividades feudalismo na idade média
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 

Semelhante a www.ensinofundamental.net.br - História - Iluminismo

O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Marília Pimentel
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
João Medeiros
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
João Medeiros
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Mozão Fraga
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
Expedito Martins
 
Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a
Valmir Gomes
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo - www.carloszaranza.com
Iluminismo - www.carloszaranza.comIluminismo - www.carloszaranza.com
Iluminismo - www.carloszaranza.com
Carlos Zaranza
 
2º ano filosofia - aula 27 - 23.08.16
2º ano   filosofia - aula 27 - 23.08.162º ano   filosofia - aula 27 - 23.08.16
2º ano filosofia - aula 27 - 23.08.16
Professor Liniker Santana
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)
eunamahcado
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
JPedroSR
 
iluminismo, seus pensadores e influências
iluminismo, seus pensadores e influênciasiluminismo, seus pensadores e influências
iluminismo, seus pensadores e influências
KleginaldoPaz2
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
Fatima Freitas
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
Thamires Liima
 
O Iluminismo
O Iluminismo  O Iluminismo
O Iluminismo
Thamires Liima
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
LianaSuzuki
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
eduardodemiranda
 
Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
ProfessoresColeguium
 

Semelhante a www.ensinofundamental.net.br - História - Iluminismo (20)

O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecidoIluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a Iluminismo 2ª ano a
Iluminismo 2ª ano a
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo - www.carloszaranza.com
Iluminismo - www.carloszaranza.comIluminismo - www.carloszaranza.com
Iluminismo - www.carloszaranza.com
 
2º ano filosofia - aula 27 - 23.08.16
2º ano   filosofia - aula 27 - 23.08.162º ano   filosofia - aula 27 - 23.08.16
2º ano filosofia - aula 27 - 23.08.16
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)Iluminismo(lutero)
Iluminismo(lutero)
 
O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)O iluminismo(Resumo)
O iluminismo(Resumo)
 
iluminismo, seus pensadores e influências
iluminismo, seus pensadores e influênciasiluminismo, seus pensadores e influências
iluminismo, seus pensadores e influências
 
Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido  Iluminismo e despotismo esclarecido
Iluminismo e despotismo esclarecido
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Iluminismo
O Iluminismo  O Iluminismo
O Iluminismo
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIIIIdeias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
Ideias revolucionárias dos séculos XVII e XVIII
 
Iluminismo 2012
Iluminismo 2012Iluminismo 2012
Iluminismo 2012
 

Mais de EnsinoFundamental

www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Relevo
www.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Relevowww.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Relevo
www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Relevo
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - História - Renascimento
www.ensinofundamental.net.br - História -  Renascimentowww.ensinofundamental.net.br - História -  Renascimento
www.ensinofundamental.net.br - História - Renascimento
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Reforma Agrária
www.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Reforma Agráriawww.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Reforma Agrária
www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Reforma Agrária
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Produto Notável
www.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Produto Notávelwww.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Produto Notável
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Produto Notável
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Oração Subordinada II
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Oração Subordinada IIwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Oração Subordinada II
www.ensinofundamental.net.br - Português - Oração Subordinada II
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Conjunto de Números Inteiros
www.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Conjunto de Números Inteiroswww.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Conjunto de Números Inteiros
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Conjunto de Números Inteiros
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - História - Cruzadas
www.ensinofundamental.net.br - História -  Cruzadaswww.ensinofundamental.net.br - História -  Cruzadas
www.ensinofundamental.net.br - História - Cruzadas
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
EnsinoFundamental
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
EnsinoFundamental
 

Mais de EnsinoFundamental (9)

www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Relevo
www.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Relevowww.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Relevo
www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Relevo
 
www.ensinofundamental.net.br - História - Renascimento
www.ensinofundamental.net.br - História -  Renascimentowww.ensinofundamental.net.br - História -  Renascimento
www.ensinofundamental.net.br - História - Renascimento
 
www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Reforma Agrária
www.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Reforma Agráriawww.ensinofundamental.net.br - Geografia -  Reforma Agrária
www.ensinofundamental.net.br - Geografia - Reforma Agrária
 
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Produto Notável
www.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Produto Notávelwww.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Produto Notável
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Produto Notável
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Oração Subordinada II
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Oração Subordinada IIwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Oração Subordinada II
www.ensinofundamental.net.br - Português - Oração Subordinada II
 
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Conjunto de Números Inteiros
www.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Conjunto de Números Inteiroswww.ensinofundamental.net.br - Matemática -  Conjunto de Números Inteiros
www.ensinofundamental.net.br - Matemática - Conjunto de Números Inteiros
 
www.ensinofundamental.net.br - História - Cruzadas
www.ensinofundamental.net.br - História -  Cruzadaswww.ensinofundamental.net.br - História -  Cruzadas
www.ensinofundamental.net.br - História - Cruzadas
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominalwww.ensinofundamental.net.br - Português -  Concordância Nominal
www.ensinofundamental.net.br - Português - Concordância Nominal
 
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicadowww.ensinofundamental.net.br - Português -  Sujeito e Predicado
www.ensinofundamental.net.br - Português - Sujeito e Predicado
 

Último

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 

Último (20)

Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 

www.ensinofundamental.net.br - História - Iluminismo

  • 2. . AO FINAL DESTA AULA SERÁ IMPORTANTE ENTENDER:  O que foi o iluminismo;  Quem foram seus principais pensadores;  O que foi o liberalismo econômico;  Despotismo Esclarecido.
  • 3. Inicia-se na França e posteriormente difundiu-se por toda a Europa e pela América. Apresentou Iluminismo alguns pontos em comum com o humanismo renascentista como a rejeição ao misticismo e a crença na razão. Porém, o iluminismo criticava o absolutismo monárquico, ao contrário dos renascentistas, e defendiam novas formas políticas como a república democrática. Foram defensores da liberdade de pensamento e de ação. O seres humanos Só por meio da razão o ser têm direitos naturais humano poderia alcançar o que não podem ser conhecimento, a harmonia violados em sociedade e a liberdade individual.
  • 4. O movimento iluminista surgiu como insatisfação, principalmente dos setores intelectualizados da sociedade, contra os excessos e opressões impostos pelo sistema absolutista. Os iluministas propunham a reorganização da sociedade com uma política voltada para o ser humano, sobretudo para garantir-lhe liberdade. Outro aspecto da filosofia iluminista era a ideia de progresso contínuo da sociedade. No entanto, este progresso somente seria possível se as pessoas fossem educadas segundo o princípio da ciência e da razão. O século XVIII foi chamado de século das Luzes.
  • 5. A BURGUESIA E OS ILUMINISTAS A burguesia apoiou estas ideias visto que era um setor bastante prejudicado pela política centralizadora dos absolutistas (mercantilismo). Esta camada da sociedade durante a formação das monarquias nacionais esteve alinhada aos interesses da centralização e da política mercantilista que lhe garantia o monopólio do comércio. No entanto, com o tempo alguns empresários passaram a se interessar pela liberdade de comércio e de mercado o que fez a burguesia se afastar do absolutismo.
  • 6. Quais são os mais importantes princípios adotados pelos iluministas?
  • 7. Os iluministas acreditavam que o direito a liberdade era um direito natural e inviolável e acreditavam que somente através da razão os homens poderiam chegar a uma convivência harmoniosa em sociedade, assim como alcançar a liberdade individual.
  • 8. AS ENCICLOPÉDIAS As ideias iluministas precisavam ser divulgadas, para isso Denis Diderot e Jean D’lambert organizaram a grande enciclopédia, 75 volumes que compilaram toda a produção cultural daquele período. (política, econômica, filosófica, artes) Inúmeros pensadores contribuíram para a enciclopédia. Nos artigos os autores desenvolviam os ideais de liberdade contestando o antigo regime e a Igreja Católica e estiveram sempre preocupados com uma produção racional do conhecimento.
  • 9. ILUMINISTAS FRANCESES  Criticavam a servidão, que simbolizava a permanência das relações feudais de trabalho no campo.  Se posicionaram contra o regime absolutista e o mercantilismo, que limitavam a liberdade e o direito à propriedade  Condenavam a influência da Igreja católica sobre a sociedade, principalmente na educação e na cultura.  Criticavam também a desigualdade de direitos e deveres entre os indivíduos. Posso não concordar com nenhuma das palavras que você disser, mas defenderei até a morte o direito de você dizê-las. Voltaire
  • 10. PRINCIPAIS FILÓSOFOS ILUMINISTAS Montesquieu – em “O espírito das leis” analisa diversas formas de governo para mostrar a superioridade da monarquia constitucional inglesa. Defendia a divisão dos Estados em três poderes independentes para que não houvesse acumulação de poderes nas mão de um governante. Os poderes controlar-se-iam mutuamente o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Inspirou a Revolução Americana e a Revolução Francesa.
  • 11. Voltaire – criticou duramente os privilégios da nobreza e da Igreja e defendeu as liberdades individuais. Criticou o absolutismo de direito divino propondo a participação da burguesia no governo. Influenciou alguns governantes conhecidos como déspotas esclarecidos. Rousseau – o mais radical dos pensadores. Criticou o absolutismo e a burguesia defendendo uma sociedade baseada na justiça, na igualdade e na soberania do povo. Acusou a propriedade privada de destruir a liberdade e promover o despotismo e a corrupção. Defendeu a vontade da comunidade deveria prevalecer e não a vontade individual. Inspirou o movimento mais radical da Revolução Francesa e o movimento socialista.
  • 12. A ESCOLA FISIOCRATA E O LIBERALISMO ECONÔMICO A Escola fisiocrata combatia as práticas mercantilistas e defendia o individualismo econômico baseado no governo da natureza, considerava a agricultura como a principal fonte de riquezas. Eram favoráveis ao livre comércio e propunham a abolição dos monopólios. Esta Escola influenciou o liberalismo econômico que teve como principal representante Adam Smith. No livro “A riqueza das nações” defendeu um novo sistema econômico baseado na plena liberdade de concorrência cuja lei seria a da oferta e da procura. Esta lei regularia a produção e a distribuição da riqueza e defendia o trabalho livre como a verdadeira fonte de riqueza da sociedade (“mão invisível” do mercado). Esta corrente econômica influencia até hoje muitos pensadores econômicos que são chamados neoliberais.
  • 13. O que foi liberalismo econômico? Riqueza das Nações de Adam Smith
  • 14. O liberalismo econômico estava baseado na plena liberdade de concorrência cuja lei seria a da oferta e da procura.
  • 15. DESPOTISMO ESCLARECIDO: UNIÃO ENTRE ABSOLUTISMO E ILUMINISMO No século XVIII nos países em que a burguesia não teve força suficiente para promover as reformas liberais e derrubar o absolutismo, os próprios monarcas proveram a modernização de seus estados sem, contudo, abrir mão do poder. Foram inspirados no pensamento de Voltaire, que defendia as mudanças através de um despotismo esclarecido. Desenvolveu-se sobretudo em lugares de economia atrasada e essencialmente agrícola, onde a burguesia era inexistente ou muito fraca. O Estado, nestes casos, elaborou reformas administrativas e jurídicas, dirigindo a economia e orientando a educação. O despotismo esclarecido contribui para acelerar a modernização de alguns países. Os déspotas esclarecidos legitimam o seu poder com o argumento de que governam em nome da felicidade dos seus povos, de acordo com o novo pensamento iluminista.
  • 16. RÚSSIA Catarina governou a Rússia entre 1762 e1796 e foi leitora entusiasmada dos iluministas franceses. Em seu reinado tentou transformar a Rússia em um Estado moderno:  tomou bens da Igreja e os redistribuiu aos nobres.  elevou os impostos pagos pelos camponeses.  manteve a servidão e reafirmou os direitos dos proprietários sobre os servos.  estimulou o desenvolvimento industrial e a formação de um grupo burguês. No entanto, estas medidas somente duraram até a eclosão da Revolução Francesa. Catarina temendo que as ideias revolucionárias influenciassem a população russa afastou de seu governo as ideias iluministas.
  • 17. PORTUGAL O despotismo esclarecido em Portugal foi exercido por Marquês de Pombal, ministro de dom José I. Durante seu governo Pombal tentou equilibrar as finanças do Reino, que estavam abaladas pelo declínio da exploração do ouro no Brasil. Para isso:  Reforçou os vínculos coloniais para que o pacto colonial fosse cumprido. Exigiu que a colônia recolhesse 100 arrobas de ouro por ano.  Criou a derrama e a Real Extração, órgão do governo que exercia o monopólio da exploração de diamantes em Minas.  Expulsou os jesuítas de Portugal e das colônias alegando que formavam uma organização que pretendia ser um “Estado dentro do Estado”.  Restringiu os privilégios da nobreza e do clero.  Criou o Banco Real e proibiu a exportação de metais preciosos na tentativa de equilibrar a balança comercial do reino. Ainda assim não conseguiu contornar a crise econômica e teve suas medidas revogadas por Maria I.
  • 18. O que foi o Despotismo Esclarecido? Marquês de Pombal
  • 19. Despotismo Esclarecido foi um regime de governo pelo qual alguns governantes adotaram os princípios iluministas para estabelecer reformas em seus países e modernizá-los, sem abrir mão do absolutismo.
  • 20. Questão 01 PUC-RJ: Analise as afirmativas abaixo referentes ao Iluminismo: I - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da sociedade ocidental. II - O pensamento iluminista caracterizou-se pela ênfase conferida à razão, entendida como inerente à condição humana. III - Diversos pensadores iluministas conferiram uma importância central à educação enquanto instrumento promotor da civilização. IV - A filosofia iluminista proclamou a liberdade como direito incontestável de todo ser humano. Assinale: (A) se apenas a afirmativa II estiver correta. (B) se apenas as afirmativas I e IV estiverem corretas. (C) se apenas as afirmativas II e III estiverem corretas. (D) se apenas as afirmativas I, II e IV estiverem corretas. (E) se todas as afirmativas estiverem corretas.
  • 21. Resolução: I - Muitas das idéias propostas pelos filósofos iluministas são, hoje, elementos essenciais da identidade da sociedade ocidental. II - O pensamento iluminista caracterizou-se pela ênfase conferida à razão, entendida como inerente à condição humana. III - Diversos pensadores iluministas conferiram uma importância central à educação enquanto instrumento promotor da civilização. IV - A filosofia iluminista proclamou a liberdade como direito incontestável de todo ser humano. Letra E - todas estão corretas
  • 22. Questão 02 - PUC-RJ: “Assim em Paris e nas grandes cidades, a burguesia era superior à nobreza em riqueza, em talento e em méritos pessoais. Inclusive nas cidades de província ela era superior à nobreza rural; e ainda que sentisse esta superioridade, era humilhada e excluída da carreira militar pelos regulamentos do exército e também excluída do alto clero, e, já que a escolha dos bispos e dos altos dignatários eclesiásticos recaía sobre os nobres, ela o era também em muitos capítulos de catedrais. Também a alta magistratura a rejeitava, pois a maioria das cortes soberanas só admitia nobres em seu seio. Inclusive para ocupar os cargos menos importantes no quadro de funcionários do Conselho de Estado aos lugares eminentes de intendente, eram exigidas provas de nobreza nos últimos tempos.“ Marquês de Bouilli IN: Ilmar R. Mattos e outros. História. Rio de Janeiro: Francisco Alves/ Edutel, 1977. 83 pg. O trecho acima é parte das memórias de um nobre francês do século XVIII. Sua vida, em boa parte, coincidiu com a crise da - Sociedade do Antigo Regime. Uma expressão dessa crise foi a formulação e difusão de idéias - as idéias iluministas - por meio das quais criticavam-se as estruturas que davam sentido a essa sociedade. A partir da leitura do texto, IDENTIFIQUE um elemento característico da Sociedade do Antigo Regime que foi duramente criticado pelos filósofos iluminista.
  • 23. RESOLUÇÃO: - A noção de privilégio; - O caráter estamental da sociedade; - A desigualdade de oportunidades legalmente referendadas.
  • 24. Questão 03 - MACKENZIE:Na segunda metade do século XVIII, surgiram monarcas que implementaram novas feições ao Absolutismo, adequando seus estados e governos às idéias da época. Assinale a alternativa que apresenta elementos do Despotismo Esclarecido. a) A igualdade jurídica entre os cidadãos, o anticlericalismo , o combate às idéias fisiocratas, a supressão do liberalismo econômico e a separação dos três poderes. b) O anticlericalismo, o fim do Absolutismo, a reformulação das relações entre o Estado e a Igreja e o fortalecimento da Monarquia. c) O estímulo à organização e à tolerância religiosa, a abolição do Antigo Regime, a desregulamentação dos ofícios, a contestação ao Estado e ao sistema monárquico. d) O fim das práticas mercantilistas, a organização do ensino nos moldes dos enciclopedistas e a adoção das propostas do filósofo iluminista Montesquieu para o fortalecimento dos privilégios feudais. e) A reformulação das relações entre o Estado e a Igreja, o desenvolvimento das atividades manufatureiras e a realização de algumas reformas sociais, sem o abandono do absolutismo na prática política.
  • 25. RESOLUÇÃO: a) A igualdade jurídica entre os cidadãos, o anticlericalismo , o combate às idéias fisiocratas, a supressão do liberalismo econômico e a separação dos três poderes. b) O anticlericalismo, o fim do Absolutismo, a reformulação das relações entre o Estado e a Igreja e o fortalecimento da Monarquia. c) O estímulo à organização e à tolerância religiosa, a abolição do Antigo Regime, a desregulamentação dos ofícios, a contestação ao Estado e ao sistema monárquico. d) O fim das práticas mercantilistas, a organização do ensino nos moldes dos enciclopedistas e a adoção das propostas do filósofo iluminista Montesquieu para o fortalecimento dos privilégios feudais. e) A reformulação das relações entre o Estado e a Igreja, o desenvolvimento das atividades manufatureiras e a realização de algumas reformas sociais, sem o abandono do absolutismo na prática política.
  • 26. Bibliografia PAZZINATO, Alceu L.; SENISE, Maria Helena V. Triunfo da Razão. In. “História Moderna e Contemporânea”. 14ª ed. Editora Ática, São Paulo: 2006.