SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 46
Baixar para ler offline
CIÊNCIAS NATURAIS


                    7
SISMOS

Abalos naturais que ocorrem bruscamente, num determinado local
    da litosfera terrestre, durante um espaço de tempo curto.




                           Nuno Correia 2012/13            2
A principal causa dos sismo está relacionada com os
 movimentos tectónicos que originam falhas ou que
            reativam falhas preexistentes.




                     Nuno Correia 2012/13         3
A ORIGEM DE UM SISMO




       Nuno Correia 2012/13   4
Os movimento das placas litosféricas ou das falhas ocasionam a
acumulação de energia que, ao libertar-se bruscamente, dá origem a
um sismo.




                            Nuno Correia 2012/13               5
Nuno Correia 2012/13   6
A energia libertada pela rutura dos materiais propaga-se, a partir do
                     foco, por ondas sísmicas.

                                                      epicentro




 foco sísmico
ou hipocentro


         propagação de
         ondas sísmicas




                             Nuno Correia 2012/13                  7
QUANDO O EPICENTRO É NO MAR




           Nuno Correia 2012/13   8
Nuno Correia 2012/13   9
SISMOS PREMONITÓRIOS E RÉPLICAS




             Nuno Correia 2012/13   10
Nuno Correia 2012/13   11
O REGISTO DOS SISMOS




       Nuno Correia 2012/13   12
SISMÓGRAFO




                          13
   Nuno Correia 2012/13
O registo das ondas sísmicas é realizado por aparelhos muito
sensíveis, capazes de captar as oscilações de um corpo e de as
transformar em sinais passíveis de registo – os sismógrafos.

                           Nuno Correia 2012/13             14
Tambor
                                     ?
Suporte   ?                              giratório




                                         ?        Aparo




                                              ?      Base fixa




                                     ?   Massa inerte




              Nuno Correia 2012/13                               15
Os registos obtidos designam-se por sismogramas.


                           Nuno Correia 2012/13    16
Geralmente, um sismo é registado por três aparelhos orientados de
                          forma diferente:

dois captam oscilações horizontais
(segundo direções norte-sul e este-
             oeste);




                                            o terceiro regista as oscilações
                                                        verticais.



                             Nuno Correia 2012/13                        17
MEDIÇÃO DOS SISMOS

A grandeza de um sismo depende da quantidade da energia libertada,
da profundidade do foco, da distância ao epicentro e do tipo de rochas
                atravessadas pelas ondas sísmicas.




                              Nuno Correia 2012/13                 18
Intensidade sísmica



  Medidas que
permitem avaliar
 a grandeza de
   um sismo




                                          Magnitude sísmica



                   Nuno Correia 2012/13                         19
Nuno Correia 2012/13   20
ESCALA DE RICHTER




      Nuno Correia 2012/13   21
ESCALA DE MERCALLI MODIFICADA




            Nuno Correia 2012/13   22
Explica a necessidade de se utilizarem duas escalas diferentes
para avaliar um sismo.

Completa a frase seguinte. O sismo ocorrido ontem teve uma
magnitude de 7,3 na escala de…




                            Nuno Correia 2012/13             23
A PREVENÇÃO SÍSMICA


                      Mapa de isossistas




       Nuno Correia 2012/13                24
Nuno Correia 2012/13   25
PORTUGAL ENCONTRA -SE NUMA ZONA
   DE RISCO SÍSMICO MODERADO




             Nuno Correia 2012/13   26
A ZONA LITORAL SUL É AQUELA QUE
APRESENTA MAIOR RISCO SÍSMICO
           Porquê?????




             Nuno Correia 2012/13   27
Nuno Correia 2012/13   28
PREVENÇÃO

Compreende medidas para minimizar os efeito
               do sismo.




                  Nuno Correia 2012/13    29
Sismos de maior magnitude verificados nos últimos 100 anos
Data               Local                           Magnitude
16-12-1920         Ningxia-Kansu, China               8,5
02-03-1933         Sanriku, Japão                     8,4
15-01-1934         Bilhar, Índia                      8,1
10-11-1938         Ilhas Shumagin, Alasca             8,2
07-12-1944         Tonankai, Japão                    8,1
22-08-1949         Ilha Quenn Charlotte, Canadá       8,1
15-08-1950         Tibete                             8,6
09-03-1957         Ilha Andreanof, Alasca             9,1
04-12-1957         Gobi-Altai, Mongólia               8,1
22-05-1960         Chile                              9,5
28-03-1964         Prince William Sound, Alasca       9,2
04-02-1965         Ilha Rat, Alasca                   8,7
09-06-1994         Bolívia                            8,2
23-06-2001         Peru                               8,4
25-09-2003         Hokkaido, Japão                    8,3
27-02-2010         Concepción, Chile                  8,8
11-03-2011         Sendai, Japão                      8,9

                            Nuno Correia 2012/13               30
                                                               3/7
Alguns dos sismos mais mortíferos da história

Data                     Local                          Mortos (*)
1290                     Chihli, China                   200 000
1556                     Shensi, China                   830 000
1667                     Shemakha, Azerbaijão            80 000
1737                     Calcutá, Índia                  300 000
1755                     Lisboa, Portugal                70 000
1908                     Messina, Itália                 120 000
1920                     Ningxia-Kansu, China            200 000
1923                     Kwanto, Japão                   143 000
1927                     Tsinghai, China                 200 000
1970                     Yungay, Peru                    66 000
1976                     Tangshan, China                 255 000
2004                     Samatra, Indonésia              220 000
2008                     Sichuan, China                  69 000
2010                     Porto Prince, Haiti             200 000
(*) número aproximado




                                Nuno Correia 2012/13                 31
                                                                     4/7
Muitas populações humanas vivem em zonas de grande risco sísmico.
 Grandes cidades foram construídas próximo dos limites de placas
                          litosféricas.




                            Nuno Correia 2012/13              32
A probabilidade de ocorrência de um grande
sismo em determinada zona é conhecida
mas, no entanto, a previsão da sua data exata
ainda não é possível.

Sendo, então, os sismos dos fenómenos
naturais mais destrutivos mas de difícil
previsão, a melhor arma das populações
contra os seus efeitos é a prevenção.




                             Nuno Correia 2012/13   33
Carta de intensidades
    O estudo dos dados        máximas
sismológicos de diferentes
 estações ajudam-nos na
 elaboração de cartas de
   perigosidade sísmica.
                                            Intensidade V

                                            Intensidade VI

                                            Intensidade VII

  O estudo destas cartas                    Intensidade VIII

permitem-nos, entre outras                  Intensidade IX

  coisas, decidir o tipo e                  Intensidade X

qualidade das construções
a edificar em cada região.




                             Nuno Correia 2012/13              34
Nuno Correia 2012/13   35
Nuno Correia 2012/13   36
Nuno Correia 2012/13   37
Nuno Correia 2012/13   38
Nuno Correia 2012/13   39
40
Nuno Correia 2012/13
Nuno Correia 2012/13   41
Nuno Correia 2012/13   42
Nuno Correia 2012/13   43
Tal como acontece com os vulcões...




        - vulcão




                             Nuno Correia 2012/13   44
... a ocorrência de sismos está associada a zonas geologicamente
instáveis, tais como os limites das placas litosféricas.




       - sismo




                           Nuno Correia 2012/13             45
Nuno Correia 2012/13   46

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Paisagens geológicas
Paisagens geológicasPaisagens geológicas
Paisagens geológicas
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
3 tectónica de placas
3   tectónica de placas3   tectónica de placas
3 tectónica de placas
 
Terra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudançaTerra um planeta em mudança
Terra um planeta em mudança
 
Ficha teórico prática rochas
Ficha teórico prática rochasFicha teórico prática rochas
Ficha teórico prática rochas
 
X - ROCHAS SEDIMENTARES
X - ROCHAS SEDIMENTARESX - ROCHAS SEDIMENTARES
X - ROCHAS SEDIMENTARES
 
Física e Química 7º Ano - Resumo
Física e Química 7º Ano - ResumoFísica e Química 7º Ano - Resumo
Física e Química 7º Ano - Resumo
 
Vulcanismo 7º
Vulcanismo 7ºVulcanismo 7º
Vulcanismo 7º
 
Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico Mobilismo Geológico
Mobilismo Geológico
 
ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas
ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochasciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas
ciencias-naturais-teste-sobre-minerais-e-rochas
 
8 sismologia
8   sismologia8   sismologia
8 sismologia
 
O ciclo das rochas
O ciclo das rochasO ciclo das rochas
O ciclo das rochas
 
Localização relativa
Localização relativaLocalização relativa
Localização relativa
 
Atividade sismica
Atividade sismicaAtividade sismica
Atividade sismica
 
Ciências 8º ano - Célula
Ciências 8º ano - CélulaCiências 8º ano - Célula
Ciências 8º ano - Célula
 
Resumo 10º ano - ciclo das rochas
Resumo   10º ano - ciclo das rochasResumo   10º ano - ciclo das rochas
Resumo 10º ano - ciclo das rochas
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 
FT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
FT4 - Morfologia dos Fundos OceânicosFT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
FT4 - Morfologia dos Fundos Oceânicos
 
Princípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológicoPrincípios básicos do raciocínio geológico
Princípios básicos do raciocínio geológico
 
7o ano ficha porto editora
7o ano ficha porto editora7o ano ficha porto editora
7o ano ficha porto editora
 

Destaque

Destaque (8)

Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Sismos 1
Sismos 1Sismos 1
Sismos 1
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICASIX - ROCHAS MAGMÁTICAS
IX - ROCHAS MAGMÁTICAS
 
Rochas magmáticas
Rochas magmáticasRochas magmáticas
Rochas magmáticas
 
Rochas Metamórficas
Rochas MetamórficasRochas Metamórficas
Rochas Metamórficas
 
Atividade vulcânica
Atividade vulcânicaAtividade vulcânica
Atividade vulcânica
 
Rochas sedimentares
Rochas sedimentaresRochas sedimentares
Rochas sedimentares
 

Semelhante a Sismos: origem e medição

Cincias Naturais7 sismologia
Cincias Naturais7 sismologiaCincias Naturais7 sismologia
Cincias Naturais7 sismologiaLeonardo Alves
 
Ciências Naturais7 sismologia
Ciências Naturais7 sismologiaCiências Naturais7 sismologia
Ciências Naturais7 sismologiaLeonardo Alves
 
Geologia 10 sismologia
Geologia 10   sismologiaGeologia 10   sismologia
Geologia 10 sismologiaNuno Correia
 
Sismos e Maremotos
Sismos e MaremotosSismos e Maremotos
Sismos e MaremotosTCHOKAN
 
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)
ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)Nuno Correia
 
Sismos e vulcões
Sismos e vulcõesSismos e vulcões
Sismos e vulcõesFilipe Leal
 
sismologia-10-ano-geologia.pdf
sismologia-10-ano-geologia.pdfsismologia-10-ano-geologia.pdf
sismologia-10-ano-geologia.pdfCarlaMarisa6
 
Ppt 28 Intensidade E Magnitude
Ppt 28   Intensidade E MagnitudePpt 28   Intensidade E Magnitude
Ppt 28 Intensidade E MagnitudeNuno Correia
 
Atividade sísmica
Atividade sísmicaAtividade sísmica
Atividade sísmicaacatarina82
 

Semelhante a Sismos: origem e medição (20)

Cincias Naturais7 sismologia
Cincias Naturais7 sismologiaCincias Naturais7 sismologia
Cincias Naturais7 sismologia
 
Ciências Naturais7 sismologia
Ciências Naturais7 sismologiaCiências Naturais7 sismologia
Ciências Naturais7 sismologia
 
Geologia 10 sismologia
Geologia 10   sismologiaGeologia 10   sismologia
Geologia 10 sismologia
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Cap6 sismologia
Cap6 sismologiaCap6 sismologia
Cap6 sismologia
 
Sismologia
Sismologia Sismologia
Sismologia
 
G21 - Sismologia 1
G21 - Sismologia 1G21 - Sismologia 1
G21 - Sismologia 1
 
Ppt 26 Sismologia
Ppt 26   SismologiaPpt 26   Sismologia
Ppt 26 Sismologia
 
G21 sismologia 1
G21   sismologia 1G21   sismologia 1
G21 sismologia 1
 
Sismos e Maremotos
Sismos e MaremotosSismos e Maremotos
Sismos e Maremotos
 
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)
ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)ApresentaçãO 1   PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)
ApresentaçãO 1 PrincíPios BáSicos Do RaciocíNio GeolóGico (Parte 3)
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
Sismos
SismosSismos
Sismos
 
ONDAS_SÍSMICAS.ppt
ONDAS_SÍSMICAS.pptONDAS_SÍSMICAS.ppt
ONDAS_SÍSMICAS.ppt
 
Sismos e vulcões
Sismos e vulcõesSismos e vulcões
Sismos e vulcões
 
sismologia-10-ano-geologia.pdf
sismologia-10-ano-geologia.pdfsismologia-10-ano-geologia.pdf
sismologia-10-ano-geologia.pdf
 
5ºteste bg versão 1
5ºteste bg versão 15ºteste bg versão 1
5ºteste bg versão 1
 
Ppt 28 Intensidade E Magnitude
Ppt 28   Intensidade E MagnitudePpt 28   Intensidade E Magnitude
Ppt 28 Intensidade E Magnitude
 
Atividade sísmica
Atividade sísmicaAtividade sísmica
Atividade sísmica
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 

Mais de Nuno Correia

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1Nuno Correia
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações ClimáticasNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celularNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoralNuno Correia
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipoNuno Correia
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonasNuno Correia
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontaisNuno Correia
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasiaNuno Correia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismoNuno Correia
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentesNuno Correia
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidadeNuno Correia
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimasNuno Correia
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insularesNuno Correia
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentesNuno Correia
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Nuno Correia
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)Nuno Correia
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Nuno Correia
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Nuno Correia
 

Mais de Nuno Correia (20)

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações Climáticas
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celular
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoral
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipo
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonas
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontais
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismo
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentes
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimas
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insulares
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentes
 
Zonas costeiras
Zonas costeirasZonas costeiras
Zonas costeiras
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamentalgeone480617
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino FundamentalCartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
Cartilha 1º Ano Alfabetização _ 1º Ano Ensino Fundamental
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 

Sismos: origem e medição

  • 2. SISMOS Abalos naturais que ocorrem bruscamente, num determinado local da litosfera terrestre, durante um espaço de tempo curto. Nuno Correia 2012/13 2
  • 3. A principal causa dos sismo está relacionada com os movimentos tectónicos que originam falhas ou que reativam falhas preexistentes. Nuno Correia 2012/13 3
  • 4. A ORIGEM DE UM SISMO Nuno Correia 2012/13 4
  • 5. Os movimento das placas litosféricas ou das falhas ocasionam a acumulação de energia que, ao libertar-se bruscamente, dá origem a um sismo. Nuno Correia 2012/13 5
  • 7. A energia libertada pela rutura dos materiais propaga-se, a partir do foco, por ondas sísmicas. epicentro foco sísmico ou hipocentro propagação de ondas sísmicas Nuno Correia 2012/13 7
  • 8. QUANDO O EPICENTRO É NO MAR Nuno Correia 2012/13 8
  • 10. SISMOS PREMONITÓRIOS E RÉPLICAS Nuno Correia 2012/13 10
  • 12. O REGISTO DOS SISMOS Nuno Correia 2012/13 12
  • 13. SISMÓGRAFO 13 Nuno Correia 2012/13
  • 14. O registo das ondas sísmicas é realizado por aparelhos muito sensíveis, capazes de captar as oscilações de um corpo e de as transformar em sinais passíveis de registo – os sismógrafos. Nuno Correia 2012/13 14
  • 15. Tambor ? Suporte ? giratório ? Aparo ? Base fixa ? Massa inerte Nuno Correia 2012/13 15
  • 16. Os registos obtidos designam-se por sismogramas. Nuno Correia 2012/13 16
  • 17. Geralmente, um sismo é registado por três aparelhos orientados de forma diferente: dois captam oscilações horizontais (segundo direções norte-sul e este- oeste); o terceiro regista as oscilações verticais. Nuno Correia 2012/13 17
  • 18. MEDIÇÃO DOS SISMOS A grandeza de um sismo depende da quantidade da energia libertada, da profundidade do foco, da distância ao epicentro e do tipo de rochas atravessadas pelas ondas sísmicas. Nuno Correia 2012/13 18
  • 19. Intensidade sísmica Medidas que permitem avaliar a grandeza de um sismo Magnitude sísmica Nuno Correia 2012/13 19
  • 21. ESCALA DE RICHTER Nuno Correia 2012/13 21
  • 22. ESCALA DE MERCALLI MODIFICADA Nuno Correia 2012/13 22
  • 23. Explica a necessidade de se utilizarem duas escalas diferentes para avaliar um sismo. Completa a frase seguinte. O sismo ocorrido ontem teve uma magnitude de 7,3 na escala de… Nuno Correia 2012/13 23
  • 24. A PREVENÇÃO SÍSMICA Mapa de isossistas Nuno Correia 2012/13 24
  • 26. PORTUGAL ENCONTRA -SE NUMA ZONA DE RISCO SÍSMICO MODERADO Nuno Correia 2012/13 26
  • 27. A ZONA LITORAL SUL É AQUELA QUE APRESENTA MAIOR RISCO SÍSMICO Porquê????? Nuno Correia 2012/13 27
  • 29. PREVENÇÃO Compreende medidas para minimizar os efeito do sismo. Nuno Correia 2012/13 29
  • 30. Sismos de maior magnitude verificados nos últimos 100 anos Data Local Magnitude 16-12-1920 Ningxia-Kansu, China 8,5 02-03-1933 Sanriku, Japão 8,4 15-01-1934 Bilhar, Índia 8,1 10-11-1938 Ilhas Shumagin, Alasca 8,2 07-12-1944 Tonankai, Japão 8,1 22-08-1949 Ilha Quenn Charlotte, Canadá 8,1 15-08-1950 Tibete 8,6 09-03-1957 Ilha Andreanof, Alasca 9,1 04-12-1957 Gobi-Altai, Mongólia 8,1 22-05-1960 Chile 9,5 28-03-1964 Prince William Sound, Alasca 9,2 04-02-1965 Ilha Rat, Alasca 8,7 09-06-1994 Bolívia 8,2 23-06-2001 Peru 8,4 25-09-2003 Hokkaido, Japão 8,3 27-02-2010 Concepción, Chile 8,8 11-03-2011 Sendai, Japão 8,9 Nuno Correia 2012/13 30 3/7
  • 31. Alguns dos sismos mais mortíferos da história Data Local Mortos (*) 1290 Chihli, China 200 000 1556 Shensi, China 830 000 1667 Shemakha, Azerbaijão 80 000 1737 Calcutá, Índia 300 000 1755 Lisboa, Portugal 70 000 1908 Messina, Itália 120 000 1920 Ningxia-Kansu, China 200 000 1923 Kwanto, Japão 143 000 1927 Tsinghai, China 200 000 1970 Yungay, Peru 66 000 1976 Tangshan, China 255 000 2004 Samatra, Indonésia 220 000 2008 Sichuan, China 69 000 2010 Porto Prince, Haiti 200 000 (*) número aproximado Nuno Correia 2012/13 31 4/7
  • 32. Muitas populações humanas vivem em zonas de grande risco sísmico. Grandes cidades foram construídas próximo dos limites de placas litosféricas. Nuno Correia 2012/13 32
  • 33. A probabilidade de ocorrência de um grande sismo em determinada zona é conhecida mas, no entanto, a previsão da sua data exata ainda não é possível. Sendo, então, os sismos dos fenómenos naturais mais destrutivos mas de difícil previsão, a melhor arma das populações contra os seus efeitos é a prevenção. Nuno Correia 2012/13 33
  • 34. Carta de intensidades O estudo dos dados máximas sismológicos de diferentes estações ajudam-nos na elaboração de cartas de perigosidade sísmica. Intensidade V Intensidade VI Intensidade VII O estudo destas cartas Intensidade VIII permitem-nos, entre outras Intensidade IX coisas, decidir o tipo e Intensidade X qualidade das construções a edificar em cada região. Nuno Correia 2012/13 34
  • 44. Tal como acontece com os vulcões...  - vulcão Nuno Correia 2012/13 44
  • 45. ... a ocorrência de sismos está associada a zonas geologicamente instáveis, tais como os limites das placas litosféricas.  - sismo Nuno Correia 2012/13 45