7 
CIÊNCIAS NATURAIS
Abalos naturais que ocorrem bruscamente, num determinado local da litosfera terrestre, durante um espaço de tempo curto. 
...
Nuno Correia 2012/13 
3 
A principal causa dos sismo está relacionada com os movimentos tectónicos que originam falhas ou ...
Nuno Correia 2012/13 
4 
A ORIGEM DE UM SISMO
Os movimento das placas litosféricas ou das falhas ocasionam a acumulação de energia que, ao libertar-se bruscamente, dá o...
Nuno Correia 2012/13 
6
A energia libertada pela rutura dos materiais propaga-se, a partir do foco, por ondas sísmicas. 
foco sísmico 
ou hipocent...
Nuno Correia 2012/13 
8 
QUANDO O EPICENTRO É NO MAR
Nuno Correia 2012/13 
9
Nuno Correia 2012/13 
10 
SISMOS PREMONITÓRIOS E RÉPLICAS
Nuno Correia 2012/13 
11
Nuno Correia 2012/13 
12 
O REGISTO DOS SISMOS
Nuno Correia 2012/13 
13 
SISMÓGRAFO
O registo das ondas sísmicas é realizado por aparelhos muito sensíveis, capazes de captar as oscilações de um corpo e de a...
Massa inerte 
Suporte 
Base fixa 
Aparo 
? 
? 
? 
? 
Tambor 
giratório 
? 
Nuno Correia 2012/13 
15
Os registos obtidos designam-se por sismogramas. 
Nuno Correia 2012/13 
16
Geralmente, um sismo é registado por três aparelhos orientados de forma diferente: 
dois captam oscilações horizontais (se...
Nuno Correia 2012/13 
18 
MEDIÇÃO DOS SISMOS 
A grandeza de um sismo depende da quantidade da energia libertada, da profun...
Nuno Correia 2012/13 
19 
Medidas que permitem avaliar a grandeza de um sismo 
Intensidade sísmica 
Magnitude sísmica
Nuno Correia 2012/13 
20
Nuno Correia 2012/13 
21 
ESCALA DE RICHTER
Nuno Correia 2012/13 
22 
ESCALA DE MERCALLI MODIFICADA
Nuno Correia 2012/13 
23 
Explica a necessidade de se utilizarem duas escalas diferentes para avaliar um sismo. 
Completa ...
Nuno Correia 2012/13 
24 
A PREVENÇÃO SÍSMICA 
Mapa de isossistas
Nuno Correia 2012/13 
25
Nuno Correia 2012/13 
26 
PORTUGAL ENCONTRA-SE NUMA ZONA DE RISCO SÍSMICO MODERADO
Nuno Correia 2012/13 
27 
A ZONA LITORAL SUL É AQUELA QUE APRESENTA MAIOR RISCO SÍSMICO 
Porquê?????
Nuno Correia 2012/13 
28
Compreende medidas para minimizar os efeito do sismo. 
Nuno Correia 2012/13 
29 
PREVENÇÃO
Data 
Local 
Magnitude 
16-12-1920 
Ningxia-Kansu, China 
8,5 
02-03-1933 
Sanriku, Japão 
8,4 
15-01-1934 
Bilhar, Índia ...
Data 
Local 
Mortos (*) 
1290 
Chihli, China 
200 000 
1556 
Shensi, China 
830 000 
1667 
Shemakha, Azerbaijão 
80 000 
1...
Muitas populações humanas vivem em zonas de grande risco sísmico. Grandes cidades foram construídas próximo dos limites de...
A probabilidade de ocorrência de um grande 
sismo em determinada zona é conhecida 
mas, no entanto, a previsão da sua data...
Intensidade V 
Intensidade VI 
Intensidade VII 
Intensidade VIII 
Intensidade IX 
Intensidade X 
Carta de intensidades 
má...
Nuno Correia 2012/13 
35
Nuno Correia 2012/13 
36
Nuno Correia 2012/13 
37
Nuno Correia 2012/13 
38
Nuno Correia 2012/13 
39
Nuno Correia 2012/13 
40
Nuno Correia 2012/13 
41
Nuno Correia 2012/13 
42
Nuno Correia 2012/13 
43
Tal como acontece com os vulcões... 
 - vulcão 
Nuno Correia 2012/13 
44
... a ocorrência de sismos está associada a zonas geologicamente instáveis, tais como os limites das placas litosféricas. ...
Nuno Correia 2012/13 
46
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cincias Naturais7 sismologia

321 visualizações

Publicada em

http://leonardo-alves.com Apresentação sobre sismologia ao nívlel do programa de Ciências Naturais do 7º ano de escolaridade, do 3º ciclo do ensino básico português.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
321
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cincias Naturais7 sismologia

  1. 1. 7 CIÊNCIAS NATURAIS
  2. 2. Abalos naturais que ocorrem bruscamente, num determinado local da litosfera terrestre, durante um espaço de tempo curto. Nuno Correia 2012/13 2 SISMOS
  3. 3. Nuno Correia 2012/13 3 A principal causa dos sismo está relacionada com os movimentos tectónicos que originam falhas ou que reativam falhas preexistentes.
  4. 4. Nuno Correia 2012/13 4 A ORIGEM DE UM SISMO
  5. 5. Os movimento das placas litosféricas ou das falhas ocasionam a acumulação de energia que, ao libertar-se bruscamente, dá origem a um sismo. Nuno Correia 2012/13 5
  6. 6. Nuno Correia 2012/13 6
  7. 7. A energia libertada pela rutura dos materiais propaga-se, a partir do foco, por ondas sísmicas. foco sísmico ou hipocentro propagação de ondas sísmicas epicentro Nuno Correia 2012/13 7
  8. 8. Nuno Correia 2012/13 8 QUANDO O EPICENTRO É NO MAR
  9. 9. Nuno Correia 2012/13 9
  10. 10. Nuno Correia 2012/13 10 SISMOS PREMONITÓRIOS E RÉPLICAS
  11. 11. Nuno Correia 2012/13 11
  12. 12. Nuno Correia 2012/13 12 O REGISTO DOS SISMOS
  13. 13. Nuno Correia 2012/13 13 SISMÓGRAFO
  14. 14. O registo das ondas sísmicas é realizado por aparelhos muito sensíveis, capazes de captar as oscilações de um corpo e de as transformar em sinais passíveis de registo – os sismógrafos. Nuno Correia 2012/13 14
  15. 15. Massa inerte Suporte Base fixa Aparo ? ? ? ? Tambor giratório ? Nuno Correia 2012/13 15
  16. 16. Os registos obtidos designam-se por sismogramas. Nuno Correia 2012/13 16
  17. 17. Geralmente, um sismo é registado por três aparelhos orientados de forma diferente: dois captam oscilações horizontais (segundo direções norte-sul e este- oeste); o terceiro regista as oscilações verticais. Nuno Correia 2012/13 17
  18. 18. Nuno Correia 2012/13 18 MEDIÇÃO DOS SISMOS A grandeza de um sismo depende da quantidade da energia libertada, da profundidade do foco, da distância ao epicentro e do tipo de rochas atravessadas pelas ondas sísmicas.
  19. 19. Nuno Correia 2012/13 19 Medidas que permitem avaliar a grandeza de um sismo Intensidade sísmica Magnitude sísmica
  20. 20. Nuno Correia 2012/13 20
  21. 21. Nuno Correia 2012/13 21 ESCALA DE RICHTER
  22. 22. Nuno Correia 2012/13 22 ESCALA DE MERCALLI MODIFICADA
  23. 23. Nuno Correia 2012/13 23 Explica a necessidade de se utilizarem duas escalas diferentes para avaliar um sismo. Completa a frase seguinte. O sismo ocorrido ontem teve uma magnitude de 7,3 na escala de…
  24. 24. Nuno Correia 2012/13 24 A PREVENÇÃO SÍSMICA Mapa de isossistas
  25. 25. Nuno Correia 2012/13 25
  26. 26. Nuno Correia 2012/13 26 PORTUGAL ENCONTRA-SE NUMA ZONA DE RISCO SÍSMICO MODERADO
  27. 27. Nuno Correia 2012/13 27 A ZONA LITORAL SUL É AQUELA QUE APRESENTA MAIOR RISCO SÍSMICO Porquê?????
  28. 28. Nuno Correia 2012/13 28
  29. 29. Compreende medidas para minimizar os efeito do sismo. Nuno Correia 2012/13 29 PREVENÇÃO
  30. 30. Data Local Magnitude 16-12-1920 Ningxia-Kansu, China 8,5 02-03-1933 Sanriku, Japão 8,4 15-01-1934 Bilhar, Índia 8,1 10-11-1938 Ilhas Shumagin, Alasca 8,2 07-12-1944 Tonankai, Japão 8,1 22-08-1949 Ilha Quenn Charlotte, Canadá 8,1 15-08-1950 Tibete 8,6 09-03-1957 Ilha Andreanof, Alasca 9,1 04-12-1957 Gobi-Altai, Mongólia 8,1 22-05-1960 Chile 9,5 28-03-1964 Prince William Sound, Alasca 9,2 04-02-1965 Ilha Rat, Alasca 8,7 09-06-1994 Bolívia 8,2 23-06-2001 Peru 8,4 25-09-2003 Hokkaido, Japão 8,3 27-02-2010 Concepción, Chile 8,8 11-03-2011 Sendai, Japão 8,9 Sismos de maior magnitude verificados nos últimos 100 anos 3/7 Nuno Correia 2012/13 30
  31. 31. Data Local Mortos (*) 1290 Chihli, China 200 000 1556 Shensi, China 830 000 1667 Shemakha, Azerbaijão 80 000 1737 Calcutá, Índia 300 000 1755 Lisboa, Portugal 70 000 1908 Messina, Itália 120 000 1920 Ningxia-Kansu, China 200 000 1923 Kwanto, Japão 143 000 1927 Tsinghai, China 200 000 1970 Yungay, Peru 66 000 1976 Tangshan, China 255 000 2004 Samatra, Indonésia 220 000 2008 Sichuan, China 69 000 2010 Porto Prince, Haiti 200 000 Alguns dos sismos mais mortíferos da história (*) número aproximado 4/7 Nuno Correia 2012/13 31
  32. 32. Muitas populações humanas vivem em zonas de grande risco sísmico. Grandes cidades foram construídas próximo dos limites de placas litosféricas. Nuno Correia 2012/13 32
  33. 33. A probabilidade de ocorrência de um grande sismo em determinada zona é conhecida mas, no entanto, a previsão da sua data exata ainda não é possível. Sendo, então, os sismos dos fenómenos naturais mais destrutivos mas de difícil previsão, a melhor arma das populações contra os seus efeitos é a prevenção. Nuno Correia 2012/13 33
  34. 34. Intensidade V Intensidade VI Intensidade VII Intensidade VIII Intensidade IX Intensidade X Carta de intensidades máximas O estudo dos dados sismológicos de diferentes estações ajudam-nos na elaboração de cartas de perigosidade sísmica. O estudo destas cartas permitem-nos, entre outras coisas, decidir o tipo e qualidade das construções a edificar em cada região. Nuno Correia 2012/13 34
  35. 35. Nuno Correia 2012/13 35
  36. 36. Nuno Correia 2012/13 36
  37. 37. Nuno Correia 2012/13 37
  38. 38. Nuno Correia 2012/13 38
  39. 39. Nuno Correia 2012/13 39
  40. 40. Nuno Correia 2012/13 40
  41. 41. Nuno Correia 2012/13 41
  42. 42. Nuno Correia 2012/13 42
  43. 43. Nuno Correia 2012/13 43
  44. 44. Tal como acontece com os vulcões...  - vulcão Nuno Correia 2012/13 44
  45. 45. ... a ocorrência de sismos está associada a zonas geologicamente instáveis, tais como os limites das placas litosféricas.  - sismo Nuno Correia 2012/13 45
  46. 46. Nuno Correia 2012/13 46

×