SlideShare uma empresa Scribd logo
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 1
O rio passa por vários biomas brasileiros, como
a Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga, além dos
mangues e regiões litorâneas de Alagoas e
Sergipe.
A bacia do rio São Francisco é uma das doze regiões hidrográficas do Brasil, e possui
grande importância para o país não somente pelo volume de água que é transportado,
mas pelo potencial hídrico que pode ser aproveitado. A bacia abrange uma área de
drenagem de cerca de 640 mil Km², o que corresponde a 8% do território nacional,
percorrendo 2.830 km em sete estados brasileiros e atingindo mais de 521 municípios.
A bacia é formada pelo rio São Francisco, o principal curso d’água, e seus afluentes –
aproximadamente 168 –, estendendo-se pelas regiões Centro-Oeste, Sudeste e
Nordeste do Brasil, sendo a principal fonte de água doce na última citada.
Os principais afluentes em Minas Gerais são os rios: Paraopeba, Abaeté, das Velhas,
Jequitaí, Paracatu, Urucuia, Verde Grande, Carinhanha, Corrente e Grande.
Durante muito tempo acreditou-se que a sua nascente fosse a Serra da Canastra, no
município de São Roque de Minas, em Minas Gerais. Mas na verdade, sua nascente
real está localizada na cidade de Medeiros, também em Minas Gerais. O rio atravessa
o estado da Bahia, fazendo divisa ao norte com Pernambuco, e também dos estados
de Sergipe e Alagoas, por fim desaguando no Oceano Atlântico. A área da bacia ainda
engloba parte do estado de Goiás e do Distrito Federal.
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 2
As regiões por onde passa o rio São Francisco possuem as condições naturais das
mais diversas, podendo ser encontrados biomas como a Mata Atlântica (na Serra da
Canastra – MG), o cerrado (entre o sudoeste baiano e Minas Gerais), a caatinga
(nordeste baiano), o mangue e vegetação litorânea nas áreas de transição no Baixo
São Francisco (Alagoas e Sergipe). Entretanto devido ao adensamento populacional
próximo à bacia do rio São Francisco, principalmente na região metropolitana de Belo
Horizonte, estes biomas encontram-se ameaçados.
Atualmente há cinco usinas hidrelétricas presentes na bacia do rio São Francisco:
Paulo Afonso (BA), Três Marias (MG), Xingó (AL/SE), Sobradinho (BA/PE) e Itaparica
(PE). Além do uso dos seus recursos hídricos para geração de energia elétrica, existe
na região a prática da pesca e irrigação de plantações. A ocupação econômica da
região também engloba a atividade mineradora, siderúrgica, industrial, agrícola e
pecuária.
A precipitação média anual na bacia é de 1.036 mm, variando em cada região, como
desde 600 mm no semiárido nordestino – entre Sobradinho e Xingó (BA) – até mais de
1.400 mm nas nascentes – Alto São Francisco (MG).
As características da bacia hidrográfica do rio São Francisco são únicas e nos levam à
comparação com outros rios famosos de suma importância, que hoje o tornam
conhecido também como “Nilo brasileiro”. Ambos possuem algumas similaridades,
como estarem geograficamente localizados em regiões de clima árido, beneficiando as
regiões onde passam.
● Uma grande similaridade entre o Rio Nilo, africano, e o Rio São Francisco, brasileiro
já encontramos no traçado de ambos, pois os dois têm traçado sul-norte.
● Outra característica similar é em relação as suas nascentes, o Nilo nasce em área
tropical úmida e corre para o deserto, enquanto o São Francisco também tem sua
nascente em área tropical e corre para a região semiárida do sertão nordestino.
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 3
● Quanto a utilização ambos são utilizados para transporte, irrigação, e geração de
energia.
● Apresentam também suas diferenças entre eles encontra-se no tipo de foz, pois,
enquanto o Nilo, nas proximidades de Alexandria, tem a sua foz em forma de delta, o
São Francisco, na divisa entre Sergipe e Alagoas tem a sua foz em forma de estuário.
Considerando as características físicas do continente africano, o rio Nilo é um fator
geográfico de fundamental importância histórica e atual para a população africana.
A explicação para isso esta no fato de que o Rio Nilo atravessa mais de 2 mil
quilômetros de deserto, propiciando áreas mais úmidas e férteis, fornecendo água e
solos agricultáveis em suas margens. Isso justifica a presença de muitas
aglomerações humanas, como ocorre no Cairo e em Alexandria (Egito) e em Cartum e
Omdurman (Sudão). Outro fato importante do Rio Nilo é a barragem de Assuan,
situada a 950 km do Cairo, que fornece energia elétrica para todo o Egito e controla o
volume da vazão de água nas cheias.
Vale esclarecer ainda que, ao norte e ao sul do continente africano, ocorrem áreas
extremamente secas, com destaque para os Desertos do Saara (ao norte) e, Namíbia
e do Kalahari (ao sul). A formação dos desertos da Namíbia e do Kalahari ao Sul tem
como fatores naturais à presença da corrente fria de Benguela, essa corrente oceânica
fria faz com que massas de ar úmidas e quentes com origem no Atlântico perca suas
características originais, transformando-se em uma massa fria e seca ao chegar ao
continente.
O continente africano possui uma área aproximada de 30 milhões de km², sendo que
80% desse território situa-se a zona intertropical e em contradição a essa
característica o continente tem uma hidrografia pobre , fato que esta associado com a
forte diferenciação climática do continente africano, como por exemplo a presença de
extensas áreas de climas desérticos, semiáridos e mediterrâneos, tanto ao norte,
quanto ao sul. Por exemplo o Deserto do Saara ao norte e o da Namíbia e Kalhari ao
sul.
Assoreamento do Rio São Francisco
O rio São Francisco, ou “Velho Chico”, é um dos principais rios do Brasil, nasce na
Serra da Canastra, região do Chapadão da Zagaia, Minas Gerais. Atualmente, essa
região não apresenta mais a alta concentração de vegetação que havia há algumas
décadas.
Além da diminuição da vegetação local e ribeirinha (mata ciliar), a intensa exploração
de recursos hídricos, minerais e vegetais nos últimos 500 anos na bacia do Rio São
Francisco tem gerado irreparáveis perdas ambientais e sociais na região e na
extensão do rio.
Nos últimos anos, tem se aprofundado problemas ambientais como assoreamento,
desmatamento, erosão e poluição. No aspecto social, a realidade mais visível é a falta
de peixes para os pescadores que largam a profissão e migram para as cidades. O
assoreamento do rio e os demais impactos ambientais está relacionado às atividades
econômicas nas regiões banhadas pelo Velho Chico.
O assoreamento ocorre a partir da redução da correnteza e da mata nativa de uma
determinada área verde, causa a obstrução da água pela acumulação de sedimentos,
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 4
areia e detritos dispensados pela natureza, como um tronco, ou pelo homem, com por
exemplo uma lata de alumínio.
Em 1972, na região foi criado o Parque Nacional da Serra da Canastra para a
proteção da nascente do Rio, situada no município de São Roque. Segundo a história,
o rio foi descoberto pelo navegador Américo Vespúcio em 4 de outubro de 1591.
Na atualidade, o rio continua a sofrer abuso indiscriminado no decorrer de seu leito,
além das atividades industriais, principalmente as indústrias de transformação
presentes na Grande Belo Horizonte, há uma pressão demográfica presente no Alto
São Francisco. Uma das principais fontes de poluição é a agricultura, os projetos de
implementação de irrigação, por exemplo, provoca o desmatamento da mata ciliar.
Em 1970, a mata nativa cobria 85% dos 12 milhões de hectares do norte de Minas
Gerais. Em 1990, esse número havia caído para 35%. Anualmente, mais de 400 mil
hectares de cerrado são desmatados na bacia, o que provoca um profundo processo
de erosão, inserido o solo em estado de voçoroca.
TRANSPOSIÇÃO

Recomendado para você

Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas

O Brasil possui a maior reserva hídrica do mundo, com bacias como a do Amazonas, a maior do mundo, e a do Tocantins-Araguaia, a maior totalmente dentro do Brasil. A rede hidrográfica brasileira é proveniente de três centros dispersores de água e inclui também bacias importantes como a do São Francisco, a Platina e outras.

Atividades dde geografia relevo, clima
Atividades dde geografia relevo, climaAtividades dde geografia relevo, clima
Atividades dde geografia relevo, clima

O documento apresenta um mapa com informações sobre as condições climáticas e temperaturas em diferentes cidades brasileiras. Ele também discute conceitos relacionados a relevo, clima, tempo e hidrografia, com perguntas sobre suas características e relações.

Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2

EXERCÍCIOS DE GEOGRAFIA SOBRE A REGIONALIZAÇÃO MUNDIAL DIRECIONADOS AOS ALUNOS DO OITAVO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL 2.

mundialexercíciosgeografia
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 5
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 6
Características da bacia hidrográfica
do rio São Francisco
Bartinho Página 7

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Rio são francisco
Rio são franciscoRio são francisco
Rio são francisco
IzaddoraVentura
 
Bacia Hidrográfica
Bacia HidrográficaBacia Hidrográfica
Bacia Hidrográfica
Hidrologia UFC
 
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Salageo Cristina
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
João José Ferreira Tojal
 
Atividades dde geografia relevo, clima
Atividades dde geografia relevo, climaAtividades dde geografia relevo, clima
Atividades dde geografia relevo, clima
Atividades Diversas Cláudia
 
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
flaviocosac
 
Bacias Secundárias do Brasil
Bacias Secundárias do BrasilBacias Secundárias do Brasil
Bacias Secundárias do Brasil
Rogério Bartilotti
 
Hidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas ContinentaisHidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas Continentais
Professora Verônica Santos
 
Guia de aprendizagem 3º ano 2º semestre-2015
Guia de aprendizagem  3º ano  2º semestre-2015Guia de aprendizagem  3º ano  2º semestre-2015
Guia de aprendizagem 3º ano 2º semestre-2015
Eduardo Oliveira
 
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisAula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
ProfMario De Mori
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
Prof. Francesco Torres
 
Avaliação de Geografia - Cartografia
Avaliação de Geografia - CartografiaAvaliação de Geografia - Cartografia
Avaliação de Geografia - Cartografia
Frederico Marques Sodré
 
Atividades geografia orientação & localização
Atividades geografia   orientação & localizaçãoAtividades geografia   orientação & localização
Atividades geografia orientação & localização
Doug Caesar
 
Aspectos Naturais da America Central
Aspectos Naturais da America CentralAspectos Naturais da America Central
Aspectos Naturais da America Central
Patrícia Éderson Dias
 
Exemplo de artigo jor
Exemplo de artigo   jorExemplo de artigo   jor
Exemplo de artigo jor
Leandro Oliveira
 
RIOS VOADORES
RIOS VOADORESRIOS VOADORES
RIOS VOADORES
Conceição Fontolan
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Saulo Lucena
 
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAIATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
Prof. Noe Assunção
 
Interpretação multinacionais e educação interdisciplinar (1)
Interpretação multinacionais e educação   interdisciplinar (1)Interpretação multinacionais e educação   interdisciplinar (1)
Interpretação multinacionais e educação interdisciplinar (1)
Atividades Diversas Cláudia
 

Mais procurados (20)

Rio são francisco
Rio são franciscoRio são francisco
Rio são francisco
 
Bacia Hidrográfica
Bacia HidrográficaBacia Hidrográfica
Bacia Hidrográfica
 
Hidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasilHidrografia e hidreletricas no brasil
Hidrografia e hidreletricas no brasil
 
Bacias hidrográficas
Bacias hidrográficasBacias hidrográficas
Bacias hidrográficas
 
Atividades dde geografia relevo, clima
Atividades dde geografia relevo, climaAtividades dde geografia relevo, clima
Atividades dde geografia relevo, clima
 
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
Exercícios de geografia - Regionalização Mundial - 8º ano do E.F.2
 
Amazônia
AmazôniaAmazônia
Amazônia
 
Bacias Secundárias do Brasil
Bacias Secundárias do BrasilBacias Secundárias do Brasil
Bacias Secundárias do Brasil
 
Hidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas ContinentaisHidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas Continentais
 
Guia de aprendizagem 3º ano 2º semestre-2015
Guia de aprendizagem  3º ano  2º semestre-2015Guia de aprendizagem  3º ano  2º semestre-2015
Guia de aprendizagem 3º ano 2º semestre-2015
 
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisAula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
 
Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 
Avaliação de Geografia - Cartografia
Avaliação de Geografia - CartografiaAvaliação de Geografia - Cartografia
Avaliação de Geografia - Cartografia
 
Atividades geografia orientação & localização
Atividades geografia   orientação & localizaçãoAtividades geografia   orientação & localização
Atividades geografia orientação & localização
 
Aspectos Naturais da America Central
Aspectos Naturais da America CentralAspectos Naturais da America Central
Aspectos Naturais da America Central
 
Exemplo de artigo jor
Exemplo de artigo   jorExemplo de artigo   jor
Exemplo de artigo jor
 
RIOS VOADORES
RIOS VOADORESRIOS VOADORES
RIOS VOADORES
 
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas BrasileirasHidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
Hidrografia- Principais partes de um rio; Bacias Hidrográficas Brasileiras
 
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAIATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
 
Interpretação multinacionais e educação interdisciplinar (1)
Interpretação multinacionais e educação   interdisciplinar (1)Interpretação multinacionais e educação   interdisciplinar (1)
Interpretação multinacionais e educação interdisciplinar (1)
 

Destaque

Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Rogério Bartilotti
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
Rogério Bartilotti
 
Áreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - BrasilÁreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - Brasil
Rogério Bartilotti
 
Porradão do Bartinho
Porradão do BartinhoPorradão do Bartinho
Porradão do Bartinho
Rogério Bartilotti
 
Treinamento - Meio Ambiente
Treinamento - Meio AmbienteTreinamento - Meio Ambiente
Treinamento - Meio Ambiente
Rogério Bartilotti
 
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos ClimáticosLista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Rogério Bartilotti
 
Como analisar um climograma
Como analisar um climogramaComo analisar um climograma
Como analisar um climograma
Rogério Bartilotti
 
Porradão do Bartinho II
Porradão do Bartinho IIPorradão do Bartinho II
Porradão do Bartinho II
Rogério Bartilotti
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e Questões
Rogério Bartilotti
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacional
Rogério Bartilotti
 
Roteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio AmazônicoRoteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio Amazônico
Rogério Bartilotti
 
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaProblemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Rogério Bartilotti
 
Exercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Exercícios - Geologia e Geomorfologia BrasileiraExercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Exercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Rogério Bartilotti
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Rogério Bartilotti
 
Classificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroClassificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo Brasileiro
Rogério Bartilotti
 
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - BrasilTabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
Rogério Bartilotti
 
Divisão Regional Brasileira
Divisão Regional BrasileiraDivisão Regional Brasileira
Divisão Regional Brasileira
Rogério Bartilotti
 
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução BrasilLista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
Rogério Bartilotti
 
Lista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios RecentesLista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios Recentes
Rogério Bartilotti
 
Principais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaPrincipais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra Fria
CADUCOC
 

Destaque (20)

Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de EnergiaTreinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
Treinamento - Recursos Minerais e Fontes de Energia
 
Recursos Minerais
Recursos MineraisRecursos Minerais
Recursos Minerais
 
Áreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - BrasilÁreas de Transição - Brasil
Áreas de Transição - Brasil
 
Porradão do Bartinho
Porradão do BartinhoPorradão do Bartinho
Porradão do Bartinho
 
Treinamento - Meio Ambiente
Treinamento - Meio AmbienteTreinamento - Meio Ambiente
Treinamento - Meio Ambiente
 
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos ClimáticosLista - Fatores e Elementos Climáticos
Lista - Fatores e Elementos Climáticos
 
Como analisar um climograma
Como analisar um climogramaComo analisar um climograma
Como analisar um climograma
 
Porradão do Bartinho II
Porradão do Bartinho IIPorradão do Bartinho II
Porradão do Bartinho II
 
Migrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e QuestõesMigrações internacionais Teoria e Questões
Migrações internacionais Teoria e Questões
 
Fases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacionalFases do crescimento populacional
Fases do crescimento populacional
 
Roteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio AmazônicoRoteiro básico - Domínio Amazônico
Roteiro básico - Domínio Amazônico
 
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da ÁguaProblemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
Problemas Atmosféricos e Geopolítica da Água
 
Exercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Exercícios - Geologia e Geomorfologia BrasileiraExercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
Exercícios - Geologia e Geomorfologia Brasileira
 
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
Histórico da interferência humana nos ecossistemas e Conferências sobre o mei...
 
Classificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo BrasileiroClassificação do Relevo Brasileiro
Classificação do Relevo Brasileiro
 
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - BrasilTabela de Eras Geológicas - Brasil
Tabela de Eras Geológicas - Brasil
 
Divisão Regional Brasileira
Divisão Regional BrasileiraDivisão Regional Brasileira
Divisão Regional Brasileira
 
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução BrasilLista de Exercícos - Introdução Brasil
Lista de Exercícos - Introdução Brasil
 
Lista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios RecentesLista inicial - Exercícios Recentes
Lista inicial - Exercícios Recentes
 
Principais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra FriaPrincipais eventos da Guerra Fria
Principais eventos da Guerra Fria
 

Semelhante a Bacia do São Francisco

Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco
Kaique Dadalto
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são francisco
Marcos Paulo
 
Rio são francisco
Rio são francisco Rio são francisco
Rio são francisco
Rogerio Melo
 
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Naira Delazari
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
SempreViva Eliana
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
SempreViva Eliana
 
A Bacia Amazônica
 A Bacia Amazônica A Bacia Amazônica
A Bacia Amazônica
Joemille Leal
 
Geografia da Bahia
Geografia da BahiaGeografia da Bahia
Geografia da Bahia
CADUCOC1
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
SIMONE SCHADE
 
Bacia do são francisco
Bacia do são francisco Bacia do são francisco
Bacia do são francisco
Edmar Souza
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Saulo Lucena
 
Rio são francisco obras de transposição
Rio são francisco obras de transposiçãoRio são francisco obras de transposição
Rio são francisco obras de transposição
Felipe Dias Guimarães
 
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território BrasileiroUE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
Silvio Araujo de Sousa
 
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas BrasilierosUE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
Silvio Araujo de Sousa
 
Transposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoTransposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São Francisco
Bruno Labanca Lopes
 
Atualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.ppt
Atualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.pptAtualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.ppt
Atualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.ppt
Igor da Silva
 
1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf
1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf
1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf
Millyy2
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
Carlão Otavio
 
Bacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileirasBacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileiras
eunamahcado
 
Caatinga
CaatingaCaatinga

Semelhante a Bacia do São Francisco (20)

Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco Bacia do Rio São francisco
Bacia do Rio São francisco
 
Bacia do são francisco
Bacia do são franciscoBacia do são francisco
Bacia do são francisco
 
Rio são francisco
Rio são francisco Rio são francisco
Rio são francisco
 
Bacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São FranciscoBacia Hidrográfica do São Francisco
Bacia Hidrográfica do São Francisco
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
 
Velho Chico
Velho ChicoVelho Chico
Velho Chico
 
A Bacia Amazônica
 A Bacia Amazônica A Bacia Amazônica
A Bacia Amazônica
 
Geografia da Bahia
Geografia da BahiaGeografia da Bahia
Geografia da Bahia
 
Hidrografia
HidrografiaHidrografia
Hidrografia
 
Bacia do são francisco
Bacia do são francisco Bacia do são francisco
Bacia do são francisco
 
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
Hidrografia: a água no Planeta Terra - Estudo dos rios brasileiros e bacias h...
 
Rio são francisco obras de transposição
Rio são francisco obras de transposiçãoRio são francisco obras de transposição
Rio são francisco obras de transposição
 
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território BrasileiroUE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
UE5 - EF - 6º série - A Natureza do Território Brasileiro
 
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas BrasilierosUE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
UE5 - 6S - EF - Biomas Brasilieros
 
Transposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São FranciscoTransposição do Rio São Francisco
Transposição do Rio São Francisco
 
Atualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.ppt
Atualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.pptAtualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.ppt
Atualidades - Transposição do Rio Sao Francisco.ppt
 
1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf
1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf
1cCaatinga-bacia_do_rio_Sao_Francisco..pdf
 
Bacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileirasBacias hidrográficas brasileiras
Bacias hidrográficas brasileiras
 
Bacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileirasBacias hidrograficas- brasileiras
Bacias hidrograficas- brasileiras
 
Caatinga
CaatingaCaatinga
Caatinga
 

Mais de Rogério Bartilotti

Transportes
TransportesTransportes
Transportes
Rogério Bartilotti
 
Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo Brasileiro
Rogério Bartilotti
 
Treinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IITreinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte II
Rogério Bartilotti
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte ii
Rogério Bartilotti
 
Treinamento blocos
Treinamento blocosTreinamento blocos
Treinamento blocos
Rogério Bartilotti
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Rogério Bartilotti
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Revisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de SextaRevisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de Sexta
Rogério Bartilotti
 
Da URSS a Rússia
Da URSS a RússiaDa URSS a Rússia
Da URSS a Rússia
Rogério Bartilotti
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Rogério Bartilotti
 
Treinamento Cartografia
Treinamento CartografiaTreinamento Cartografia
Treinamento Cartografia
Rogério Bartilotti
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Rogério Bartilotti
 
Eras Geológicas
Eras GeológicasEras Geológicas
Eras Geológicas
Rogério Bartilotti
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
Rogério Bartilotti
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
Rogério Bartilotti
 
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, TransiçãoDomínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Rogério Bartilotti
 
Focos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na ÁfrciaFocos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na Áfrcia
Rogério Bartilotti
 
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morroTreinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Rogério Bartilotti
 
Comércio Internacional
Comércio InternacionalComércio Internacional
Comércio Internacional
Rogério Bartilotti
 

Mais de Rogério Bartilotti (19)

Transportes
TransportesTransportes
Transportes
 
Agentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo BrasileiroAgentes externos e Relevo Brasileiro
Agentes externos e Relevo Brasileiro
 
Treinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte IITreinamento - Climatologia - parte II
Treinamento - Climatologia - parte II
 
Fatores e elementos do clima parte ii
Fatores e elementos do clima   parte iiFatores e elementos do clima   parte ii
Fatores e elementos do clima parte ii
 
Treinamento blocos
Treinamento blocosTreinamento blocos
Treinamento blocos
 
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e SolosTreinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
Treinamento: Geologia, Geomorfologia e Solos
 
Pedologia
PedologiaPedologia
Pedologia
 
Revisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de SextaRevisao 2 - Aulas de Sexta
Revisao 2 - Aulas de Sexta
 
Da URSS a Rússia
Da URSS a RússiaDa URSS a Rússia
Da URSS a Rússia
 
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. AmbientaisTreinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
Treinamento: Hidrografia, Pedologia e Prob. Ambientais
 
Treinamento Cartografia
Treinamento CartografiaTreinamento Cartografia
Treinamento Cartografia
 
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do ClimaTreinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
Treinamento do Bartinho - Fatores e Elementos do Clima
 
Eras Geológicas
Eras GeológicasEras Geológicas
Eras Geológicas
 
Ordens Mundiais
Ordens MundiaisOrdens Mundiais
Ordens Mundiais
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, TransiçãoDomínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
Domínio: Caatinga, Araucária, Pradarias, Transição
 
Focos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na ÁfrciaFocos de tensão na Áfrcia
Focos de tensão na Áfrcia
 
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morroTreinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
Treinamento: Cerrado, Caatinga e Mares de morro
 
Comércio Internacional
Comércio InternacionalComércio Internacional
Comércio Internacional
 

Último

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
Daniel273024
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 

Último (20)

Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
STALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolaresSTALINISMO apresentação slides para escolares
STALINISMO apresentação slides para escolares
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 

Bacia do São Francisco

  • 1. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 1 O rio passa por vários biomas brasileiros, como a Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga, além dos mangues e regiões litorâneas de Alagoas e Sergipe. A bacia do rio São Francisco é uma das doze regiões hidrográficas do Brasil, e possui grande importância para o país não somente pelo volume de água que é transportado, mas pelo potencial hídrico que pode ser aproveitado. A bacia abrange uma área de drenagem de cerca de 640 mil Km², o que corresponde a 8% do território nacional, percorrendo 2.830 km em sete estados brasileiros e atingindo mais de 521 municípios. A bacia é formada pelo rio São Francisco, o principal curso d’água, e seus afluentes – aproximadamente 168 –, estendendo-se pelas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste do Brasil, sendo a principal fonte de água doce na última citada. Os principais afluentes em Minas Gerais são os rios: Paraopeba, Abaeté, das Velhas, Jequitaí, Paracatu, Urucuia, Verde Grande, Carinhanha, Corrente e Grande. Durante muito tempo acreditou-se que a sua nascente fosse a Serra da Canastra, no município de São Roque de Minas, em Minas Gerais. Mas na verdade, sua nascente real está localizada na cidade de Medeiros, também em Minas Gerais. O rio atravessa o estado da Bahia, fazendo divisa ao norte com Pernambuco, e também dos estados de Sergipe e Alagoas, por fim desaguando no Oceano Atlântico. A área da bacia ainda engloba parte do estado de Goiás e do Distrito Federal.
  • 2. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 2 As regiões por onde passa o rio São Francisco possuem as condições naturais das mais diversas, podendo ser encontrados biomas como a Mata Atlântica (na Serra da Canastra – MG), o cerrado (entre o sudoeste baiano e Minas Gerais), a caatinga (nordeste baiano), o mangue e vegetação litorânea nas áreas de transição no Baixo São Francisco (Alagoas e Sergipe). Entretanto devido ao adensamento populacional próximo à bacia do rio São Francisco, principalmente na região metropolitana de Belo Horizonte, estes biomas encontram-se ameaçados. Atualmente há cinco usinas hidrelétricas presentes na bacia do rio São Francisco: Paulo Afonso (BA), Três Marias (MG), Xingó (AL/SE), Sobradinho (BA/PE) e Itaparica (PE). Além do uso dos seus recursos hídricos para geração de energia elétrica, existe na região a prática da pesca e irrigação de plantações. A ocupação econômica da região também engloba a atividade mineradora, siderúrgica, industrial, agrícola e pecuária. A precipitação média anual na bacia é de 1.036 mm, variando em cada região, como desde 600 mm no semiárido nordestino – entre Sobradinho e Xingó (BA) – até mais de 1.400 mm nas nascentes – Alto São Francisco (MG). As características da bacia hidrográfica do rio São Francisco são únicas e nos levam à comparação com outros rios famosos de suma importância, que hoje o tornam conhecido também como “Nilo brasileiro”. Ambos possuem algumas similaridades, como estarem geograficamente localizados em regiões de clima árido, beneficiando as regiões onde passam. ● Uma grande similaridade entre o Rio Nilo, africano, e o Rio São Francisco, brasileiro já encontramos no traçado de ambos, pois os dois têm traçado sul-norte. ● Outra característica similar é em relação as suas nascentes, o Nilo nasce em área tropical úmida e corre para o deserto, enquanto o São Francisco também tem sua nascente em área tropical e corre para a região semiárida do sertão nordestino.
  • 3. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 3 ● Quanto a utilização ambos são utilizados para transporte, irrigação, e geração de energia. ● Apresentam também suas diferenças entre eles encontra-se no tipo de foz, pois, enquanto o Nilo, nas proximidades de Alexandria, tem a sua foz em forma de delta, o São Francisco, na divisa entre Sergipe e Alagoas tem a sua foz em forma de estuário. Considerando as características físicas do continente africano, o rio Nilo é um fator geográfico de fundamental importância histórica e atual para a população africana. A explicação para isso esta no fato de que o Rio Nilo atravessa mais de 2 mil quilômetros de deserto, propiciando áreas mais úmidas e férteis, fornecendo água e solos agricultáveis em suas margens. Isso justifica a presença de muitas aglomerações humanas, como ocorre no Cairo e em Alexandria (Egito) e em Cartum e Omdurman (Sudão). Outro fato importante do Rio Nilo é a barragem de Assuan, situada a 950 km do Cairo, que fornece energia elétrica para todo o Egito e controla o volume da vazão de água nas cheias. Vale esclarecer ainda que, ao norte e ao sul do continente africano, ocorrem áreas extremamente secas, com destaque para os Desertos do Saara (ao norte) e, Namíbia e do Kalahari (ao sul). A formação dos desertos da Namíbia e do Kalahari ao Sul tem como fatores naturais à presença da corrente fria de Benguela, essa corrente oceânica fria faz com que massas de ar úmidas e quentes com origem no Atlântico perca suas características originais, transformando-se em uma massa fria e seca ao chegar ao continente. O continente africano possui uma área aproximada de 30 milhões de km², sendo que 80% desse território situa-se a zona intertropical e em contradição a essa característica o continente tem uma hidrografia pobre , fato que esta associado com a forte diferenciação climática do continente africano, como por exemplo a presença de extensas áreas de climas desérticos, semiáridos e mediterrâneos, tanto ao norte, quanto ao sul. Por exemplo o Deserto do Saara ao norte e o da Namíbia e Kalhari ao sul. Assoreamento do Rio São Francisco O rio São Francisco, ou “Velho Chico”, é um dos principais rios do Brasil, nasce na Serra da Canastra, região do Chapadão da Zagaia, Minas Gerais. Atualmente, essa região não apresenta mais a alta concentração de vegetação que havia há algumas décadas. Além da diminuição da vegetação local e ribeirinha (mata ciliar), a intensa exploração de recursos hídricos, minerais e vegetais nos últimos 500 anos na bacia do Rio São Francisco tem gerado irreparáveis perdas ambientais e sociais na região e na extensão do rio. Nos últimos anos, tem se aprofundado problemas ambientais como assoreamento, desmatamento, erosão e poluição. No aspecto social, a realidade mais visível é a falta de peixes para os pescadores que largam a profissão e migram para as cidades. O assoreamento do rio e os demais impactos ambientais está relacionado às atividades econômicas nas regiões banhadas pelo Velho Chico. O assoreamento ocorre a partir da redução da correnteza e da mata nativa de uma determinada área verde, causa a obstrução da água pela acumulação de sedimentos,
  • 4. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 4 areia e detritos dispensados pela natureza, como um tronco, ou pelo homem, com por exemplo uma lata de alumínio. Em 1972, na região foi criado o Parque Nacional da Serra da Canastra para a proteção da nascente do Rio, situada no município de São Roque. Segundo a história, o rio foi descoberto pelo navegador Américo Vespúcio em 4 de outubro de 1591. Na atualidade, o rio continua a sofrer abuso indiscriminado no decorrer de seu leito, além das atividades industriais, principalmente as indústrias de transformação presentes na Grande Belo Horizonte, há uma pressão demográfica presente no Alto São Francisco. Uma das principais fontes de poluição é a agricultura, os projetos de implementação de irrigação, por exemplo, provoca o desmatamento da mata ciliar. Em 1970, a mata nativa cobria 85% dos 12 milhões de hectares do norte de Minas Gerais. Em 1990, esse número havia caído para 35%. Anualmente, mais de 400 mil hectares de cerrado são desmatados na bacia, o que provoca um profundo processo de erosão, inserido o solo em estado de voçoroca. TRANSPOSIÇÃO
  • 5. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 5
  • 6. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 6
  • 7. Características da bacia hidrográfica do rio São Francisco Bartinho Página 7