SlideShare uma empresa Scribd logo
“A cidadania se constrói com a convivência, cabe a educação despertar os seus frutos.”
1) (Enem 2019) A maior parte das agressões e manifestações discriminatórias contra as religiões de
matrizes africanas (Umbanda e candomblé) ocorrem em locais públicos (57%).Éna rua, na via pública,
que tiveram lugar mais de 2/3 das agressões, geralmente em locais próximos às casas de culto
dessas religiões. O transporte público também é apontado como um local em que os adeptos das
religiões de matrizes africanas são discriminados, geralmente quando se encontram paramentados
por conta dos preceitos religiosos.REGO, L. F.;FONSECA, D. P. R.; GIACOMINI, S. M. Cartografia social de
terreiros no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2014.
As práticas descritas no texto não fazem parte da dinâmica de uma sociedade democrática porque:
A. Garantem as expressões religiosas.
B. Promovem a diversidade de etnias.
C. Aceitam todas as religiões de maneira igual.
D. Estimulam os rituais de matrizes africanas.
E. Restringem a liberdade de credo.
2) (Enem PPL 2019) A linguagem é uma grande força de socialização, provavelmente a maior que
existe. Com isso não queremos dizer apenas o fato mais ou menos óbvio de que a interação social
dotada de significado é praticamente impossível sem a LINGUAGEM, mas que o mero fato de haver
uma FALA comum serve como um símbolo peculiarmente poderoso da solidariedade social entre
aqueles que falam aquela língua.SAPIR, E. A linguagem. São Paulo: Perspectiva, 1980.
O texto destaca o entendimento segundo o qual a LINGUAGEM, como elemento do processo de
socialização, constitui-se a partir de uma:
A. Necessidade de ligação com o sobrenatural e com o universo.
B. Solidariedade social de um grupo social
C. Necessidade de organizar o conhecimento científico de um povo..
D. organização de caráter econômico.
E. Herança religiosa de um povo.
3) (Enem PPL 2019) As crianças devem saudar as pessoas distintas, os professores e senhoras
conhecidas que encontrarem, que elas não se negarão a corresponder. Não devem empurrar ninguém
nem cortar o passo dos transeuntes. Não escrever nas paredes e portas coisa alguma. Nunca atirar
pedras. Não atirar cascas de frutas no chão, o que pode ser motivo de desastres gravíssimos. Nunca
fitar de propósito os olhos sobre pessoas aleijadas ou rir-se de algum defeito físico do próximo.A
Imprensa, n. 67, 27 abr. 1914.
O discurso sobre a infância, veiculado pelo jornal no início do século XX, visava a promoção de:
A. Formas religiosas de interação.
B. Valores ultrapassados de cidadania.
C. Normas sociomorais de civilidade e convivência.
D. Concepções antigas de disciplina.
E. Temas importados da psicologia
4) Num país que conviveu com o trabalho escravo durante quatro séculos, o trabalho doméstico é
ainda considerado um subemprego. E os indivíduos que atuam nessa área são, muitas vezes, vistos
pelos patrões como um mal necessário: é preciso ter em casa alguém que limpe o banheiro, lave a
roupa, tire o pó e arrume a gaveta. Existe uma inegável desvalorização das atividades domésticas em
relação a outros tipos de trabalho.RANGEL, C. Domésticas: nascer, deixar, permanecer ou simplesmente estar.
In: SOUZA, E. (Org.). Negritude, cinema e educação. Belo Horizonte: Mazza, 2011 (adaptado).
Objeto de legislação recente, o enfrentamento do problema mencionado resultou na:
A) criação de novos ofícios domésticos.
B) ampliação de direitos sociais.
C) redução da desigualdade de gênero.
D) Ótima representação sindical.
E) Fim definitivo da atividade informal.
GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
SECRETARIA DO ESTADO DE EDUCAÇÃO – SEEDUC-RJ
CURSISTA:_______________________________TURMA___________
6) A elaboração da Lei n. 11.340/06 (Lei Maria da Penha) partiu, em grande medida, de uma perspectiva
crítica aos resultados obtidos pela criação dos Juizados Especiais Criminais direcionada à
banalização do conflito de gênero, observada na prática corriqueira da aplicação de medidas
alternativas correspondentes ao pagamento de cestas básicas pelos acusados.VASCONCELOS, F. B.
Disponível em: www.cartacapital.com.br. Acesso em: 11 dez. 2012 (adaptado).
No contexto descrito, a lei citada pode alterar a situação da mulher ao proporcionar sua
A) atuação como provedora do lar.
B) inserção no mercado de trabalho.
C) presença em instituições policiais.
D) proteção contra ações de violência.
E) participação enquanto política.
7) A cidadania é um conceito que possui diversos significados, em geral, relacionados com a
participação sujeito-cidadão dentro da sociedade e a relação com seus direitos e deveres.
Assinale a alternativa que melhor expressa a ideia de cidadania:
A) a maneira que o indivíduo encontra para responsabilizar o Estado por sua condição.
B) a conjunção entre direitos políticos, civis e sociais.
C) o direito do cidadão de agir livremente na sociedade.
D) uma perspectiva que toma o indivíduo como responsável apenas pela sua própria vida.
8) A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar
ativamente da vida e do governo de seu povo. Quemnão tem cidadania está marginalizado ou
excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do
grupo social”.(DALLARI, Direitos Humanos e Cidadania. SãoPaulo: Moderna, 1998. p.14)
De que maneira uma pessoa pode ter IMPEDIDO o seu direito à cidadania política?
a) Exercendo seu direito à liberdade de expressão.
b) Através do voto ou da participação em sindicatos e movimentos sociais.
c) Não estando filiada a um partido político.
d) Não tendo garantido os direitos políticos ou os meios necessários para uma participação efetiva.
9) No Brasil, a luta contra a miséria e a fome é um compromisso para a garantia da cidadania da
população. Essa relação entre a condição de vida e cidadania se dá porque:
a) a pobreza é um fato natural para os indivíduos que não se adequam ao mercado de trabalho.
b) a miséria e a fome não são responsabilidades dos governos e não se relacionam com a cidadania.
c) a cidadania é utilizada como ferramenta de produção de desigualdades.
d) a miséria e a fome impedem que os cidadãos tenham garantidos o direito a uma vida digna e afetam sua
participação na sociedade.
Só uma saúde perfeita póde dar à mulher belleza e encanto
capazes de a tornar adorável aos olhos masculinos!
Para ter uma saúde assim,tome “A SAUDE DA MULHER”, o
remédioque trazno nome o resumo das suas virtudes. “A SAUDE
DA MULHER” regulariza o funcionamento do delicado organismo
feminino.
5) O anúncio publicitário da década de 1940 (Ao lado)
reforça os seguintes estereótipos atribuídos
historicamente a uma mulher ou suposta natureza
feminina:
A. A) Instinto maternal.
B. B) Fragilidade física e necessidade de aceitação.
C. C) Isolamento social .
D. D) Dependência econômica e desejo de ostentação.
E. E) Mentalidade rica e eficiente nos serviços domésticos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociaisTópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades filosofia mito
Atividades filosofia mitoAtividades filosofia mito
Atividades filosofia mito
Atividades Diversas Cláudia
 
Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades Diversas Cláudia
 
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Mary Alvarenga
 
Atividade Sociologia
Atividade Sociologia Atividade Sociologia
Atividade Sociologia
Maira Conde
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Mary Alvarenga
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
Prof. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
Prof. Noe Assunção
 
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades Diversas Cláudia
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
Paula Meyer Piagentini
 
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Plano Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Plano   Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano Plano   Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Plano Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Mary Alvarenga
 
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Ciência tecnologia e filosofia   3º anoCiência tecnologia e filosofia   3º ano
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Mary Alvarenga
 
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação ReligiosaApostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
elias pereira
 
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes SociaisAtividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
Professor Belinaso
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel
Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau MaquiavelAvaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel
Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel
Frederico Marques Sodré
 
Texto de sociologia 3 ano
Texto de sociologia 3 anoTexto de sociologia 3 ano
Texto de sociologia 3 ano
Helan Couto
 

Mais procurados (20)

Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 1   Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 1 Participação política e cidadania - 3º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociaisTópico 3 cidadania e direitos sociais
Tópico 3 cidadania e direitos sociais
 
Atividades filosofia mito
Atividades filosofia mitoAtividades filosofia mito
Atividades filosofia mito
 
Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2
Prova 8ano ensino religioso 2b pet 2
 
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologiaAtividades senso cumum   topico 1 e 2 sociologia
Atividades senso cumum topico 1 e 2 sociologia
 
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
Atividades de Filosofia - III bimestre - 2014
 
Atividade Sociologia
Atividade Sociologia Atividade Sociologia
Atividade Sociologia
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CULTURA- Questões discursivas - 1º ano Ensino Médio...
 
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e chargesAtividades de sociologia interpretação de textos e charges
Atividades de sociologia interpretação de textos e charges
 
Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)Lista de exercícios (Sociologia)
Lista de exercícios (Sociologia)
 
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Plano Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Plano   Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano Plano   Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
Plano Bimestral de Filosofia 1º, 2º e 3º ano
 
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
Ciência tecnologia e filosofia   3º anoCiência tecnologia e filosofia   3º ano
Ciência tecnologia e filosofia 3º ano
 
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação ReligiosaApostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
Apostila Para as 40 aulas de Educação Religiosa
 
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes SociaisAtividade de Sociologia - Redes Sociais
Atividade de Sociologia - Redes Sociais
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO -  Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - CONCEITO DE TRABALHO - Prof. Noe Assunção
 
Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel
Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau MaquiavelAvaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel
Avaliação de Filosofia 3ª série - Nicolau Maquiavel
 
Texto de sociologia 3 ano
Texto de sociologia 3 anoTexto de sociologia 3 ano
Texto de sociologia 3 ano
 

Semelhante a AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx

Avaliação recuperativa - 1º Sociologia Prof. Noe Assunção
Avaliação recuperativa - 1º  Sociologia  Prof. Noe AssunçãoAvaliação recuperativa - 1º  Sociologia  Prof. Noe Assunção
Avaliação recuperativa - 1º Sociologia Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Avaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 cAvaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 c
Marcia Oliveira
 
Td 1 de redação 2015
Td 1 de redação 2015Td 1 de redação 2015
Td 1 de redação 2015
Fernando Lima
 
Tema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdf
Tema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdfTema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdf
Tema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdf
AnaAugustaLagesZuqui
 
Web vozes
Web vozesWeb vozes
Web vozes
AkemyMorimoto
 
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.pptAula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
GiseleDias67
 
Manifestações Populares: Despertando para a Realidade
Manifestações Populares: Despertando para a RealidadeManifestações Populares: Despertando para a Realidade
Manifestações Populares: Despertando para a Realidade
Maria Nattana Araujo
 
A mídia como evidenciadora do racismo no futebol
A mídia como evidenciadora do racismo no futebolA mídia como evidenciadora do racismo no futebol
A mídia como evidenciadora do racismo no futebol
Paulo Roberto D'Agustini
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humana
Luci Bonini
 
Desigualdades raciais no brasil
Desigualdades raciais no brasilDesigualdades raciais no brasil
Desigualdades raciais no brasil
População Negra e Saúde
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
ProfMario De Mori
 
Atividades de sociologia
Atividades de sociologiaAtividades de sociologia
Atividades de sociologia
Atividades Diversas Cláudia
 
ESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃO
ESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃOESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃO
ESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃO
Estadodedireito
 
Educomunicação para a cidadania juvenil fernando coelho da silva
Educomunicação para a cidadania juvenil   fernando coelho da silvaEducomunicação para a cidadania juvenil   fernando coelho da silva
Educomunicação para a cidadania juvenil fernando coelho da silva
Luara Schamó
 
Pluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e EtniaPluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e Etnia
Welton Castro
 
Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16
Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16
Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16
Thyago Nogueira
 
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistasMANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
NdiaOliveira43
 
Democracia X Fome
 Democracia  X  Fome Democracia  X  Fome
Democracia X Fome
Eduardo Oliveira
 
Avaliação de filosofia 3 nm
Avaliação de filosofia 3 nmAvaliação de filosofia 3 nm
Avaliação de filosofia 3 nm
Marcia Oliveira
 
Enem 2011
Enem 2011Enem 2011

Semelhante a AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx (20)

Avaliação recuperativa - 1º Sociologia Prof. Noe Assunção
Avaliação recuperativa - 1º  Sociologia  Prof. Noe AssunçãoAvaliação recuperativa - 1º  Sociologia  Prof. Noe Assunção
Avaliação recuperativa - 1º Sociologia Prof. Noe Assunção
 
Avaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 cAvaliação sociologia 3 c
Avaliação sociologia 3 c
 
Td 1 de redação 2015
Td 1 de redação 2015Td 1 de redação 2015
Td 1 de redação 2015
 
Tema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdf
Tema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdfTema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdf
Tema de redação - A desvalorização do trabalho voluntário no Brasil.pdf
 
Web vozes
Web vozesWeb vozes
Web vozes
 
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.pptAula 2 - CIDADANIA.ppt
Aula 2 - CIDADANIA.ppt
 
Manifestações Populares: Despertando para a Realidade
Manifestações Populares: Despertando para a RealidadeManifestações Populares: Despertando para a Realidade
Manifestações Populares: Despertando para a Realidade
 
A mídia como evidenciadora do racismo no futebol
A mídia como evidenciadora do racismo no futebolA mídia como evidenciadora do racismo no futebol
A mídia como evidenciadora do racismo no futebol
 
Políticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humanaPolíticas públicas e dignidade humana
Políticas públicas e dignidade humana
 
Desigualdades raciais no brasil
Desigualdades raciais no brasilDesigualdades raciais no brasil
Desigualdades raciais no brasil
 
100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02100 DICAS ENEM PARTE 02
100 DICAS ENEM PARTE 02
 
Atividades de sociologia
Atividades de sociologiaAtividades de sociologia
Atividades de sociologia
 
ESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃO
ESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃOESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃO
ESTADO DE DIREITO - 26 EDIÇÃO
 
Educomunicação para a cidadania juvenil fernando coelho da silva
Educomunicação para a cidadania juvenil   fernando coelho da silvaEducomunicação para a cidadania juvenil   fernando coelho da silva
Educomunicação para a cidadania juvenil fernando coelho da silva
 
Pluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e EtniaPluralidade Cultural e Etnia
Pluralidade Cultural e Etnia
 
Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16
Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16
Informativo Fábrica de Imagens - ED. 16
 
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistasMANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
MANUAL SejaAntirracista.pdf manual para estabelecer cidadãos antirracistas
 
Democracia X Fome
 Democracia  X  Fome Democracia  X  Fome
Democracia X Fome
 
Avaliação de filosofia 3 nm
Avaliação de filosofia 3 nmAvaliação de filosofia 3 nm
Avaliação de filosofia 3 nm
 
Enem 2011
Enem 2011Enem 2011
Enem 2011
 

Mais de Prof. Noe Assunção

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
Prof. Noe Assunção
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
Prof. Noe Assunção
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
Prof. Noe Assunção
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
Prof. Noe Assunção
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe AssunçãoReflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 

Mais de Prof. Noe Assunção (20)

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe AssunçãoReflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
Reflexoes video maria da penha- prof. Noe Assunção
 

Último

A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
jetroescola
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
marcos oliveira
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
AngelicaCostaMeirele2
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
SupervisoEMAC
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 

Último (20)

A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptxLicao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
Licao de adultos Topico 1 CPAD edit.pptx
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p..._jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
_jogo-brinquedo-brincadeira-e-a-e-ducacao-tizuko-morchida-kishimoto-leandro-p...
 
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
farmacologia-segura-em-mapas-mentais-reduzindo-os-riscos-da-terapeutica-24040...
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdfCaderno 1 -  Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
Caderno 1 - Módulo Água JMS 2024 (1).pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 

AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx

  • 1. “A cidadania se constrói com a convivência, cabe a educação despertar os seus frutos.” 1) (Enem 2019) A maior parte das agressões e manifestações discriminatórias contra as religiões de matrizes africanas (Umbanda e candomblé) ocorrem em locais públicos (57%).Éna rua, na via pública, que tiveram lugar mais de 2/3 das agressões, geralmente em locais próximos às casas de culto dessas religiões. O transporte público também é apontado como um local em que os adeptos das religiões de matrizes africanas são discriminados, geralmente quando se encontram paramentados por conta dos preceitos religiosos.REGO, L. F.;FONSECA, D. P. R.; GIACOMINI, S. M. Cartografia social de terreiros no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2014. As práticas descritas no texto não fazem parte da dinâmica de uma sociedade democrática porque: A. Garantem as expressões religiosas. B. Promovem a diversidade de etnias. C. Aceitam todas as religiões de maneira igual. D. Estimulam os rituais de matrizes africanas. E. Restringem a liberdade de credo. 2) (Enem PPL 2019) A linguagem é uma grande força de socialização, provavelmente a maior que existe. Com isso não queremos dizer apenas o fato mais ou menos óbvio de que a interação social dotada de significado é praticamente impossível sem a LINGUAGEM, mas que o mero fato de haver uma FALA comum serve como um símbolo peculiarmente poderoso da solidariedade social entre aqueles que falam aquela língua.SAPIR, E. A linguagem. São Paulo: Perspectiva, 1980. O texto destaca o entendimento segundo o qual a LINGUAGEM, como elemento do processo de socialização, constitui-se a partir de uma: A. Necessidade de ligação com o sobrenatural e com o universo. B. Solidariedade social de um grupo social C. Necessidade de organizar o conhecimento científico de um povo.. D. organização de caráter econômico. E. Herança religiosa de um povo. 3) (Enem PPL 2019) As crianças devem saudar as pessoas distintas, os professores e senhoras conhecidas que encontrarem, que elas não se negarão a corresponder. Não devem empurrar ninguém nem cortar o passo dos transeuntes. Não escrever nas paredes e portas coisa alguma. Nunca atirar pedras. Não atirar cascas de frutas no chão, o que pode ser motivo de desastres gravíssimos. Nunca fitar de propósito os olhos sobre pessoas aleijadas ou rir-se de algum defeito físico do próximo.A Imprensa, n. 67, 27 abr. 1914. O discurso sobre a infância, veiculado pelo jornal no início do século XX, visava a promoção de: A. Formas religiosas de interação. B. Valores ultrapassados de cidadania. C. Normas sociomorais de civilidade e convivência. D. Concepções antigas de disciplina. E. Temas importados da psicologia 4) Num país que conviveu com o trabalho escravo durante quatro séculos, o trabalho doméstico é ainda considerado um subemprego. E os indivíduos que atuam nessa área são, muitas vezes, vistos pelos patrões como um mal necessário: é preciso ter em casa alguém que limpe o banheiro, lave a roupa, tire o pó e arrume a gaveta. Existe uma inegável desvalorização das atividades domésticas em relação a outros tipos de trabalho.RANGEL, C. Domésticas: nascer, deixar, permanecer ou simplesmente estar. In: SOUZA, E. (Org.). Negritude, cinema e educação. Belo Horizonte: Mazza, 2011 (adaptado). Objeto de legislação recente, o enfrentamento do problema mencionado resultou na: A) criação de novos ofícios domésticos. B) ampliação de direitos sociais. C) redução da desigualdade de gênero. D) Ótima representação sindical. E) Fim definitivo da atividade informal. GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SECRETARIA DO ESTADO DE EDUCAÇÃO – SEEDUC-RJ CURSISTA:_______________________________TURMA___________
  • 2. 6) A elaboração da Lei n. 11.340/06 (Lei Maria da Penha) partiu, em grande medida, de uma perspectiva crítica aos resultados obtidos pela criação dos Juizados Especiais Criminais direcionada à banalização do conflito de gênero, observada na prática corriqueira da aplicação de medidas alternativas correspondentes ao pagamento de cestas básicas pelos acusados.VASCONCELOS, F. B. Disponível em: www.cartacapital.com.br. Acesso em: 11 dez. 2012 (adaptado). No contexto descrito, a lei citada pode alterar a situação da mulher ao proporcionar sua A) atuação como provedora do lar. B) inserção no mercado de trabalho. C) presença em instituições policiais. D) proteção contra ações de violência. E) participação enquanto política. 7) A cidadania é um conceito que possui diversos significados, em geral, relacionados com a participação sujeito-cidadão dentro da sociedade e a relação com seus direitos e deveres. Assinale a alternativa que melhor expressa a ideia de cidadania: A) a maneira que o indivíduo encontra para responsabilizar o Estado por sua condição. B) a conjunção entre direitos políticos, civis e sociais. C) o direito do cidadão de agir livremente na sociedade. D) uma perspectiva que toma o indivíduo como responsável apenas pela sua própria vida. 8) A cidadania expressa um conjunto de direitos que dá à pessoa a possibilidade de participar ativamente da vida e do governo de seu povo. Quemnão tem cidadania está marginalizado ou excluído da vida social e da tomada de decisões, ficando numa posição de inferioridade dentro do grupo social”.(DALLARI, Direitos Humanos e Cidadania. SãoPaulo: Moderna, 1998. p.14) De que maneira uma pessoa pode ter IMPEDIDO o seu direito à cidadania política? a) Exercendo seu direito à liberdade de expressão. b) Através do voto ou da participação em sindicatos e movimentos sociais. c) Não estando filiada a um partido político. d) Não tendo garantido os direitos políticos ou os meios necessários para uma participação efetiva. 9) No Brasil, a luta contra a miséria e a fome é um compromisso para a garantia da cidadania da população. Essa relação entre a condição de vida e cidadania se dá porque: a) a pobreza é um fato natural para os indivíduos que não se adequam ao mercado de trabalho. b) a miséria e a fome não são responsabilidades dos governos e não se relacionam com a cidadania. c) a cidadania é utilizada como ferramenta de produção de desigualdades. d) a miséria e a fome impedem que os cidadãos tenham garantidos o direito a uma vida digna e afetam sua participação na sociedade. Só uma saúde perfeita póde dar à mulher belleza e encanto capazes de a tornar adorável aos olhos masculinos! Para ter uma saúde assim,tome “A SAUDE DA MULHER”, o remédioque trazno nome o resumo das suas virtudes. “A SAUDE DA MULHER” regulariza o funcionamento do delicado organismo feminino. 5) O anúncio publicitário da década de 1940 (Ao lado) reforça os seguintes estereótipos atribuídos historicamente a uma mulher ou suposta natureza feminina: A. A) Instinto maternal. B. B) Fragilidade física e necessidade de aceitação. C. C) Isolamento social . D. D) Dependência econômica e desejo de ostentação. E. E) Mentalidade rica e eficiente nos serviços domésticos.