SlideShare uma empresa Scribd logo
AULA – PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL E REVOLUÇÃO RUSSA
Você sabe qual é o maior país do mundo em extensão? Se você disse Rússia, acertou precisamente.
O território russo ocupa uma área de 17 milhões de quilômetros quadrados, ou seja, praticamente o dobro do
tamanho do Brasil. Ocupando uma área tão grande, a Rússia abriga em seu interior uma variedade étnica de
cerca de 150 grupos diferentes. Como explicar uma diversidade tão grande? Uma das razões é que
muitos desses povos foram conquistados pelos russos entre os séculos XVII e XIX, época em que o país
viveu um grande processo de expansão territorial. Até o início do século XX, a Rússia era governada por
czares. Enquanto vários países europeus já haviam estabelecido condições mais democráticas de governo, a
população russa ainda continuava sem nenhum tipo de direito político, social ou trabalhista. Em 1917, essa
grave situação culminou em uma revolução. Além de tirar o país das mãos do czar, os revolucionários,
defensores do socialismo, organizaram a saída dos russos da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o
primeiro conflito global do mundo contemporâneo.
CONDIÇÕES QUE PROPICIARAM A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL E A REVOLUÇÃO RUSSA.
No final do século XIX e início do século XX, os Estados Unidos e diversos países da Europa viveram um
período de grandes avanços tecnológicos. Invenções como a bicicleta, o metrô, o bonde elétrico, o
automóvel, o avião, o telégrafo, o rádio e o trator, foram criadas nesse período. Elas faziam parte da chamada
Segunda Revolução Industrial. Avanços também ocorreram no campo das ciências e da cultura. A criação de
vacinas contra doenças como tuberculose, cólera e tétano aumentou a expectativa de vida. A invenção do
cinema e a difusão da imprensa contribuíram para democratizar o acesso ao lazer e a informações. Em
alguns países europeus, a educação tornou-se obrigatória e gratuita, elevando, assim, o padrão educacional
da população. Do ponto de vista social e político, a sociedade europeia também passou por mudanças. As
eleições livres se consolidaram como um princípio da democracia, e as mulheres saíram às ruas exigindo o
direito de votar e de serem votadas. A vida em alguns países da Europa parecia tão próspera e feliz para as
camadas alta e média da população que esse período ficou conhecido como BELLE ÉPOQUE, expressão
francesa que significa Bela Época. Seriacopi, Reinaldo e Azevedo, Gislane, Inspire história: 9º ano: ensino fundamental, ed. –
São Paulo: FTD, 2018. II.
" Este livro é um pedaço da história, da história tal como eu a vi. Não pretende ser senão um relato.
pormenorizado da Revolução de Outubro, isto é, daqueles dias em que os bolcheviques na frente dos
operários e soldados da Rússia, tomaram o poder e os colocaram nas mãos dos sovietes. Trata-se
principalmente de Petrogrado, que foi a centro o próprio coração da insurreição. Mas o leitor deve ter em
mente que tudo que se passou em Petrogrado repetiu-se, quase exatamente com intensidade maior ou
menor e a intervalos mais curtos ou mais longos em toda a Rússia. (...) (...) As classes dominantes
pretendiam uma revolução unicamente política que, tirando o poder do Czar o passasse as suas mãos.
Queriam fazer na Rússia uma revolução constitucional, segundo o modelo da França ou dos Estados Unidos,
ou então uma monarquia constitucional como a da Inglaterra. Ora, as massas populares queriam, porém, uma
verdadeira democracia operária e camponesa.
William English Walling, no seu livro A mensagem da Rússia, (...) descreve perfeitamente o estado de espírito
dos trabalhadores russos, cuja quase unanimidade apoiaria, mais tarde, o bolchevismo: Os trabalhadores
compreendiam perfeitamente que mesmo sob um governo liberal, corriam o risco de continuar a morrer de
fome se o poder ainda permanecesse nas mãos de outras classes sociais. (...) Os trabalhadores russos
reconheciam que as instituições políticas norte-americanas eram preferíveis as deles, mas não queriam trocar
um despotismo por outro (o da classe capitalista)... (...) Foi assim que se desenvolveu na Rússia, em pleno
curso de uma guerra exterior, depois da revolução política, a revolução social que fez triunfar o bolchevismo.
Qualquer que seja a nossa opinião respeito do bolchevismo é inegável que a Revolução Russa foi um dos
grandes acontecimentos da história da humanidade e que a subida ao poder dos bolcheviques é um fato de
importância mundial. (...) Os historiadores desejarão conhecer o que se passou em Petrogrado, em novembro
(outubro) de 1917, qual o estado de espírito do povo, a fisionomia de seus chefes, suas palavras, seus atos.
Foi pensando neles que escrevi este livro. No curso da luta, minhas simpatias na eram neutras. Mas ao traçar
a história desses grandes dias, quis considerar os acontecimentos como cronista consciencioso, esforçando-
me por fixar a verdade. Nova York, 1º de janeiro de 1919.” Adaptado de REED, John Os dez dias que abalaram o mundo. São Paulo, Círculo do Livro,
s/d. p.11-6. In: Faria, Ricardo de Moura, Marques, Adhemar Martins, Berutti, Flavio Costa. Construindo a História – Belo Horizonte. Ed. Lê, 1987
.
01. Por que, até o final do século XIX, a Rússia não era considerada uma sociedade democrática?
02. Por que, segundo John Reed, a Revolução Russa foi um dos grandes acontecimentos da História da
humanidade? Explique.
3. De acordo com sua opinião, o que John Reed quis dizer quando afirmou que “no curso da luta, minhas
simpatias não eram neutras”.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção

Socialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 anoSocialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 ano
AEDFL
 
A revolução socialista de Outubro de 1917.pdf
A revolução socialista de Outubro de 1917.pdfA revolução socialista de Outubro de 1917.pdf
A revolução socialista de Outubro de 1917.pdf
Rafa Rafael JW
 
As matancas-de-anarquistas-na-rev-russa
As matancas-de-anarquistas-na-rev-russaAs matancas-de-anarquistas-na-rev-russa
As matancas-de-anarquistas-na-rev-russamoratonoise
 
Caderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismoCaderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismo
Laboratório de História
 
Caderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismoCaderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismo
Laboratório de História
 
1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho
Luiz Antonio Souza
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
Denyse Ursulino
 
A cultura do cinema 12º
A cultura do cinema 12ºA cultura do cinema 12º
A cultura do cinema 12º
Associação de Pais C appalmesc
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdf
ATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdfATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdf
ATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdf
adelania gouveia lima
 
O caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdade
O caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdadeO caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdade
O caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdade
Emerson Mathias
 
Teste modulo 7
Teste modulo 7Teste modulo 7
Teste modulo 7
Sérgio Machado
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
luizinhovlr
 
Proposta de correcção 12º ano
Proposta de correcção 12º anoProposta de correcção 12º ano
Proposta de correcção 12º ano
Lucília Oliveira
 
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comumPlano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Universidade Estadual da Paraíba (UEPB)
 
Ma000010
Ma000010Ma000010
Ma000010
Igor Bulhões
 
Esquerdismo, doença infantil do comunismo
Esquerdismo, doença infantil do comunismoEsquerdismo, doença infantil do comunismo
Esquerdismo, doença infantil do comunismo
UJS_Maringa
 
Apresentação CEFE - Antecedentes Históricos Mundiais face à Terceira Revolução
Apresentação CEFE - Antecedentes Históricos  Mundiais face à Terceira RevoluçãoApresentação CEFE - Antecedentes Históricos  Mundiais face à Terceira Revolução
Apresentação CEFE - Antecedentes Históricos Mundiais face à Terceira Revolução
CEFEbr
 
Exercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docx
Exercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docxExercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docx
Exercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docx
RAFAELASCARI1
 
Conceito de modernidade eurocentrismo
Conceito de modernidade eurocentrismoConceito de modernidade eurocentrismo
Conceito de modernidade eurocentrismo
FRANCISCO PALOSQUE
 
12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx
12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx
12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx
ssuserb21eb0
 

Semelhante a AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção (20)

Socialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 anoSocialismo e revolução russa 9 ano
Socialismo e revolução russa 9 ano
 
A revolução socialista de Outubro de 1917.pdf
A revolução socialista de Outubro de 1917.pdfA revolução socialista de Outubro de 1917.pdf
A revolução socialista de Outubro de 1917.pdf
 
As matancas-de-anarquistas-na-rev-russa
As matancas-de-anarquistas-na-rev-russaAs matancas-de-anarquistas-na-rev-russa
As matancas-de-anarquistas-na-rev-russa
 
Caderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismoCaderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismo
 
Caderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismoCaderno diário marxismo leninismo
Caderno diário marxismo leninismo
 
1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho
 
Revolução Russa
Revolução RussaRevolução Russa
Revolução Russa
 
A cultura do cinema 12º
A cultura do cinema 12ºA cultura do cinema 12º
A cultura do cinema 12º
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdf
ATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdfATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdf
ATIVIDADE REVOLUÇÃO RUSSA.pdf
 
O caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdade
O caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdadeO caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdade
O caráter popular das Revoluções e o sentido da liberdade
 
Teste modulo 7
Teste modulo 7Teste modulo 7
Teste modulo 7
 
Revolução russa
Revolução russaRevolução russa
Revolução russa
 
Proposta de correcção 12º ano
Proposta de correcção 12º anoProposta de correcção 12º ano
Proposta de correcção 12º ano
 
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comumPlano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
Plano de aula Revolução Russa- A importância do cidadão comum
 
Ma000010
Ma000010Ma000010
Ma000010
 
Esquerdismo, doença infantil do comunismo
Esquerdismo, doença infantil do comunismoEsquerdismo, doença infantil do comunismo
Esquerdismo, doença infantil do comunismo
 
Apresentação CEFE - Antecedentes Históricos Mundiais face à Terceira Revolução
Apresentação CEFE - Antecedentes Históricos  Mundiais face à Terceira RevoluçãoApresentação CEFE - Antecedentes Históricos  Mundiais face à Terceira Revolução
Apresentação CEFE - Antecedentes Históricos Mundiais face à Terceira Revolução
 
Exercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docx
Exercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docxExercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docx
Exercício para 9ª ano dissertativo REVOLUÇÃO RUSSA.docx
 
Conceito de modernidade eurocentrismo
Conceito de modernidade eurocentrismoConceito de modernidade eurocentrismo
Conceito de modernidade eurocentrismo
 
12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx
12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx
12. SIMBOLISMO - EDIÇÃO 2021.pptx
 

Mais de Prof. Noe Assunção

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
Prof. Noe Assunção
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
Prof. Noe Assunção
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
Prof. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
Prof. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
Prof. Noe Assunção
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
Prof. Noe Assunção
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Prof. Noe Assunção
 

Mais de Prof. Noe Assunção (20)

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe AssunçãoAtividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
Atividade do filme tempos modernos - Prof. Ms. Noe Assunção
 

Último

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
ANDRÉA FERREIRA
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
ClaudiaMainoth
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
HisrelBlog
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
karinenobre2033
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 

Último (20)

O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
A festa junina é uma tradicional festividade popular que acontece durante o m...
 
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdfJOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
JOGO DA VELHA FESTA JUNINA - ARQUIVO GRATUITO.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIASA SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
A SOCIOLOGIA E O TRABALHO: ANÁLISES E VIVÊNCIAS
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIAAPRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
APRESENTAÇÃO PARA AULA DE URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 

AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção

  • 1. AULA – PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL E REVOLUÇÃO RUSSA Você sabe qual é o maior país do mundo em extensão? Se você disse Rússia, acertou precisamente. O território russo ocupa uma área de 17 milhões de quilômetros quadrados, ou seja, praticamente o dobro do tamanho do Brasil. Ocupando uma área tão grande, a Rússia abriga em seu interior uma variedade étnica de cerca de 150 grupos diferentes. Como explicar uma diversidade tão grande? Uma das razões é que muitos desses povos foram conquistados pelos russos entre os séculos XVII e XIX, época em que o país viveu um grande processo de expansão territorial. Até o início do século XX, a Rússia era governada por czares. Enquanto vários países europeus já haviam estabelecido condições mais democráticas de governo, a população russa ainda continuava sem nenhum tipo de direito político, social ou trabalhista. Em 1917, essa grave situação culminou em uma revolução. Além de tirar o país das mãos do czar, os revolucionários, defensores do socialismo, organizaram a saída dos russos da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), o primeiro conflito global do mundo contemporâneo. CONDIÇÕES QUE PROPICIARAM A PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL E A REVOLUÇÃO RUSSA. No final do século XIX e início do século XX, os Estados Unidos e diversos países da Europa viveram um período de grandes avanços tecnológicos. Invenções como a bicicleta, o metrô, o bonde elétrico, o automóvel, o avião, o telégrafo, o rádio e o trator, foram criadas nesse período. Elas faziam parte da chamada Segunda Revolução Industrial. Avanços também ocorreram no campo das ciências e da cultura. A criação de vacinas contra doenças como tuberculose, cólera e tétano aumentou a expectativa de vida. A invenção do cinema e a difusão da imprensa contribuíram para democratizar o acesso ao lazer e a informações. Em alguns países europeus, a educação tornou-se obrigatória e gratuita, elevando, assim, o padrão educacional da população. Do ponto de vista social e político, a sociedade europeia também passou por mudanças. As eleições livres se consolidaram como um princípio da democracia, e as mulheres saíram às ruas exigindo o direito de votar e de serem votadas. A vida em alguns países da Europa parecia tão próspera e feliz para as camadas alta e média da população que esse período ficou conhecido como BELLE ÉPOQUE, expressão francesa que significa Bela Época. Seriacopi, Reinaldo e Azevedo, Gislane, Inspire história: 9º ano: ensino fundamental, ed. – São Paulo: FTD, 2018. II. " Este livro é um pedaço da história, da história tal como eu a vi. Não pretende ser senão um relato. pormenorizado da Revolução de Outubro, isto é, daqueles dias em que os bolcheviques na frente dos operários e soldados da Rússia, tomaram o poder e os colocaram nas mãos dos sovietes. Trata-se principalmente de Petrogrado, que foi a centro o próprio coração da insurreição. Mas o leitor deve ter em mente que tudo que se passou em Petrogrado repetiu-se, quase exatamente com intensidade maior ou menor e a intervalos mais curtos ou mais longos em toda a Rússia. (...) (...) As classes dominantes pretendiam uma revolução unicamente política que, tirando o poder do Czar o passasse as suas mãos. Queriam fazer na Rússia uma revolução constitucional, segundo o modelo da França ou dos Estados Unidos, ou então uma monarquia constitucional como a da Inglaterra. Ora, as massas populares queriam, porém, uma verdadeira democracia operária e camponesa. William English Walling, no seu livro A mensagem da Rússia, (...) descreve perfeitamente o estado de espírito dos trabalhadores russos, cuja quase unanimidade apoiaria, mais tarde, o bolchevismo: Os trabalhadores compreendiam perfeitamente que mesmo sob um governo liberal, corriam o risco de continuar a morrer de fome se o poder ainda permanecesse nas mãos de outras classes sociais. (...) Os trabalhadores russos reconheciam que as instituições políticas norte-americanas eram preferíveis as deles, mas não queriam trocar um despotismo por outro (o da classe capitalista)... (...) Foi assim que se desenvolveu na Rússia, em pleno curso de uma guerra exterior, depois da revolução política, a revolução social que fez triunfar o bolchevismo. Qualquer que seja a nossa opinião respeito do bolchevismo é inegável que a Revolução Russa foi um dos grandes acontecimentos da história da humanidade e que a subida ao poder dos bolcheviques é um fato de importância mundial. (...) Os historiadores desejarão conhecer o que se passou em Petrogrado, em novembro (outubro) de 1917, qual o estado de espírito do povo, a fisionomia de seus chefes, suas palavras, seus atos. Foi pensando neles que escrevi este livro. No curso da luta, minhas simpatias na eram neutras. Mas ao traçar a história desses grandes dias, quis considerar os acontecimentos como cronista consciencioso, esforçando- me por fixar a verdade. Nova York, 1º de janeiro de 1919.” Adaptado de REED, John Os dez dias que abalaram o mundo. São Paulo, Círculo do Livro, s/d. p.11-6. In: Faria, Ricardo de Moura, Marques, Adhemar Martins, Berutti, Flavio Costa. Construindo a História – Belo Horizonte. Ed. Lê, 1987 .
  • 2. 01. Por que, até o final do século XIX, a Rússia não era considerada uma sociedade democrática? 02. Por que, segundo John Reed, a Revolução Russa foi um dos grandes acontecimentos da História da humanidade? Explique. 3. De acordo com sua opinião, o que John Reed quis dizer quando afirmou que “no curso da luta, minhas simpatias não eram neutras”.