SlideShare uma empresa Scribd logo
FREUDO pai da psicanálise
Uallace Durial Pimentel
Isadora Robinault
Introdução
• Nome: Sigmund Schlomo Freud
• Nascimento: 06 de maio de 1856
• Onde: em Freiberg, na Moravia (hoje República Checa)
• O que: Médico, fundador da psicanálise.
Desconstruiu e completou pensamentos filosóficos em relação à razão e o
subconsciente.
Criou muitas teorias sobre sexualidade e o desenvolvimento psicossexual de
um indivíduo.
Formalizou o estudo da formação de personalidade definindo o Id, o Ego e o
Superego.
Tratou, principalmente, de pacientes histéricos e neuróticos.
Contexto histórico
• A Inglaterra era a grande potência mundial,repercursora da Revolução
Industrial, até os EUA assumir esse posto no século XX.
• Viena era uma cidade grande e, com o começo da sua industrialização,
ganhou muitos imigrantes, em particular, checos.
• Viena experimentava uma grande evolução cultural e científica.
• Os sucessivos progressos culturais em todos os campos do saber humano,
foram tão marcantes que o século XIX entrou para a história como sendo o
Século da Razão.
• A doutrina da igreja ainda influenciava muito na sociedade. O sexo era
restringido somente ao casamento, a valorização da vida familiar era intensa
e o erotismo era poribido.
• A mulher não deveria sentir prazer sexual, correndo o risco de ser tratada
como doente, pecadora ou louca.
A vida
• De família judia, era filho de um mal sucedido comerciante de lã.
• Na infância possuiu um mal relacionamento com o pai severo e autoritário e quase 20 anos
mais velho que sua mãe, por quem Freud seria apaixonado (viria a influenciar o complexo
de Édipo).
• Em 1860 sua família se mudou para Viena, onde Freud viveu até os 80 anos.
• Ambicioso por reconhecimento, Freud foi sempre o primeiro de sua classe e quando adulto
dominava 8 idiomas.
• Em 1873 ingressou na Universidade de Viena, um ano antes do habitual, para cursar
medicina.
• Ao se formar, em 1882, entrou no Hospital Geral de Viena. Onde conheceu Joseph Breuer
que lhe mostrou a hipnose e começou a se interessar pelo tratamento da histeria.
• Em 1883 retorna a Viena e começa a tratar pacientes histéricos e passa a utilizar a cocaína
como medicamento, além de sessões de hipnose antecedida por massagem e repouso. Então
descobre o método de livre associação.
• Em 1900 publica sua grande obra A interpretação dos sonhos.
A interpretação dos sonhos
• Freud distinguiu três níveis de consciência :
• - Consciente - diz respeito à capacidade de ter percepção dos sentimentos,
pensamentos, lembranças e fantasias do momento;
• - Pré-consciente - relaciona-se com os conteúdos que podem facilmente
chegar à consciência;
• - Inconsciente - refere-se ao material não disponível à consciência ou ao
escrutínio do indivíduo. (Lembranças traumaticas reprimidas, reservatorio
de impulsos eticamente inaceitaveis)
Os Sonhos, para Freud, são uma maneira do psiquismo de “realização de
desejos” os sonhos são tentativas por parte do inconsciente para resolver um
conflito de algum tipo, seja algo recente ou algo do passado mais distante.
A vida
• Em 1909 Freud se casa com Martha Bernays com quem viria a ter seis filhos,
dentre eles, Anna Freud, que também se tornaria psicanalista.
• Freud acreditava que a causa da histeria era a repressão de emoções, sobretudo
de caráter sexual, causadas pelas cobranças sociais da época.
• Começou a publicar trabalhos relacionados ao desenvolvimento da sexualidade
na infância, o que causou bastante polêmica.
• No auge de seu sucesso atraiu discípulos, dentre eles, Carl Jung que o
abandonou posteriormente para criar suas próprias teorias psicanalíticas.
• A psicanálise se difundiu por diversos países. Em 1920 mais de 200 livros sobre
psicanálise já haviam sido publicados.
• Em 1923 publica O Ego e o Id.
• E em 1924 publica A Dissolução do complexo de Édipo.
O Ego e o Id
• Id - É regido pelo princípio do prazer (Psiquê que visa apenas o prazer do
indivíduo).
• Ego - É o sistema que estabelece o equilíbrio entre as exigências do id, as
exigências da realidade e as ordens do superego. A verdadeira
personalidade, que decide se acata as decisões do (Id) ou do (Superego).
• O superego é o aspecto moral da personalidade, produto da internalização
dos valores e padrões recebidos dos pais e da sociedade. Viria a ser percebido
por Freud com o Complexo de Édipo.
Complexo de Édipo
• A criança, a castração e a diferença entre os gêneros – “ter pênis” ou “não ter pênis”.
• Ao perceber sua identidade como ser não castrado, assim como o pai, o menino tende
a disputar com ele e associar a mãe como primeiro exemplo de sexo oposto torna-se
objeto de energia libidinal.
• O Id desejaria matar o pai, como fez Édipo, mas o Ego lembra que o pai é mais forte.
– medo da castração.
• Quando o menino se dá conta de sua identidade de homem, a autoridade do pai é
introjetada e dá-se origem ao Superego.
• Na menina, o efeito corre ao contrário. Percebe que é “castrada” tomando rancor da
mãe e dirigindo-se ao pai como meio de compensação.
Mecanismos de defesa
• Os mecanismos de defesa são determinados pela forma como se dá a organização do
ego: quando bem organizado, tende a ter reações mais conscientes e racionais, , são
ações psicológicas que buscam reduzir as manifestações iminentemente perigosas ao
Ego, como medo, ansiedade, culpa e etc
Compensação
• Esse mecanismo de defesa tem por característica a tentativa do indivíduo de
equilibrar suas qualidades e deficiências, por exemplo, uma pessoa que não tem boas
notas e se consola por ser bonita.
• Expiação
• É o mecanismo psíquico de cobrança. O sujeito se vê cobrado a pagar pelos seus erros
no exato momento em que os comete, com esperança na crença de que o erro será
imediatamente ou magicamente anulado.
Mecanismos de defesa
• Fantasia
• É uma espécie de teatro mental onde o indivíduo protagoniza uma história diferente
daquela que vive na realidade, onde seus desejos não podem ser satisfeitos. Nessa
realidade criada, o desejo é satisfeito e a ansiedade diminuída
• Formação Reativa
• É um mecanismo caracterizado pela aderência a um pensamento contrário àquele que
foi, de alguma forma, recalcado. As formações reativas têm a peculiaridade de se
tornar uma alteração na estrutura da personalidade, colocando o indivíduo em alerta,
como se o perigo estivesse sempre presente e prestes a destruí-lo. Um exemplo, uma
pessoa com comportamentos homofóbicos, que na verdade, sente-se atraído por
pessoas do mesmo sexo.
Mecanismos de defesa
• Identificação
• É o mecanismo baseado na assimilação de características de outros, que se
transformam em modelos para o individuo. Como exemplo podemos citar o momento
em que as crianças assimilam características parentais, para posteriormente
poderem se diferenciar.
• Projeção
• Resumidamente, podemos dizer que é o deslocamento de um impulso interno para
exterior, ou do indivíduo para outro.Um exemplo é uma mulher que se sente atraída
por outra mulher, mas projeta esse sentimento no marido, gerando a desconfiança de
que será traída, ou seja, de que a atração é sentida pelo marido. Além desse, outros
exemplos de projeção podem estar na causa de preconceitos e violência.
A vida
• Freud atingiu o auge de seu sucesso entre as décadas de 1920 e 1930.
• Nos últimos 16 anos de sua vida submeteu-se a 33 cirurgias para tratar o
câncer de boca.
• Em 1933 os Nazistas subiram ao poder na Alemanha e Freud foi perseguido
por eles.
• Em 1938 os Nazistas ocuparam a Austria e Freud fugiu para Londres, com
muito pesar por amor à Viena, apesar de ser revelado uma grande
admiração pela capital.
• Sua filha Anna Freud foi detida e quatro de suas irmãs morreram em
campos de concentração.
• Freud morre no dia 23 de setembro de 1939 por overdose de morfina dada
por seu médico.
Pensamentos Freud
• PAZ
“O desenvolvimento da civilização certamente impôs um autocontrole cada vez
maior, fazendo com que o indivíduo moderno consiga vigiar sua própria conduta
de modo muito mais rígido do que no passado.’
•
RELIGIÃO
• Freud, que definiu a religião como uma neurose obsessiva da coletividade
humana, cuja origem está nos "tabus", nas proibições. Ele diz: "seria muito
agradável que Deus existisse, e que houvesse criado o mundo, e que sua
providência fosse benevolente
Homosexualidade
Segundo Freud, a homossexualidade se explica como uma saída “negativa” do
complexo de Édipo.
A contribuição freudiana
• Avanços de tratamentos psicanalítios de diversos transtornos mentais.
• Evitar o recurso aos produtos farmacêuticos
• Mudança na ideia do que é ser humano
Hoje, cientistas e psicólogos entendem o ser humano como um animal dotado
de razão, mas uma razão imperfeita, altamente influenciada por seus desejos
e sentimentos, às vezes inconscientes, às vezes inconfessáveis, atormentado
pela contradição entre esses impulsos e a vida em sociedade.
Bibliografia
• http://www.suapesquisa.com/biografias/freud.htm
• http://www.infoescola.com/psicanalise/sigmund-freud/
• http://educacao.uol.com.br/biografias/sigmund-freud.htm
• http://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php/Afinal,_o_que_%C3%A9_Pervers%C3%A3o%3F
• http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/como-cocaina-era-usada-antes-ser-proibida-
679623.shtml
• http://www.lpm.com.br/livros/Imagens/interpretacao_dos_sonhos_16x23_trecho.pdf
• http://filosofia.uol.com.br/filosofia/ideologia-sabedoria/45/artigo302538-1.asp
• http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932000000300002
• http://educaterra.terra.com.br/voltaire/cultura/2003/05/19/001.htm
• http://historiabruno.blogspot.com.br/2013/06/a-vida-de-sigmund-freud-1856-1939-uma.html
• http://historiabruno.blogspot.com.br/2012/02/o-mundo-dos-imperios-em-1850.html
• https://pt.wikipedia.org/wiki/Viena
• https://luciaschaefer.wordpress.com/2013/07/02/resumo-do-volume-xix-de-
sigmund-freud-o-ego-e-o-id/
• http://filosofia.ceseccaieiras.com.br/freud-id-ego-e-superego
• http://historiahoje.com/tabus-do-seculo-xix-da-esterilidade-a-libertinagem/
• http://www.psicoloucos.com/psicologias/psicanalise/id-ego-e-superego
• https://pt.wikipedia.org/wiki/Complexo_de_%C3%89dipo
• http://www.isepol.com/laboratorio/disciplinas/laboratorio1/disc2_castracao.html
• http://www.ufjf.br/renato_nunes/files/2012/06/Sigmund-Freud-e-Carl-Jung-
slides.pdf
• http://psicob.blogspot.com.br/2008/04/freud-e-o-inconsciente.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Freud - O desenvolvimento sexual infantil
Freud - O desenvolvimento sexual infantilFreud - O desenvolvimento sexual infantil
Freud - O desenvolvimento sexual infantil
Anaí Peña
 
Sigmund Freud - Psicanálise
Sigmund Freud - PsicanáliseSigmund Freud - Psicanálise
Sigmund Freud - Psicanálise
CatarinaNeivas
 
Freud. slide
Freud. slideFreud. slide
Freud. slide
silvanacastellan
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Bruno Carrasco
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
Andréa Forgiarni Cechin
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Deisiane Cazaroto
 
Freud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesaFreud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesa
Fábio Vasconcelos
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
Carolina Pacheco
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
Michele Santiago
 
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de FreudFases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
Lucas Vinícius
 
As sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanáliseAs sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanálise
Patricia Ruiz
 
Sigmund freud
Sigmund freudSigmund freud
Sigmund freud
Ranlig
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
IsmaelOQueiroz
 
Freud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimentoFreud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimento
psicologiaazambuja
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
UNESC
 
Teorias de freud
Teorias de freudTeorias de freud
Teorias de freud
astraquinasns
 
2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente
norberto faria
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Jorge Barbosa
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
Alexandre Simoes
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES

Mais procurados (20)

Freud - O desenvolvimento sexual infantil
Freud - O desenvolvimento sexual infantilFreud - O desenvolvimento sexual infantil
Freud - O desenvolvimento sexual infantil
 
Sigmund Freud - Psicanálise
Sigmund Freud - PsicanáliseSigmund Freud - Psicanálise
Sigmund Freud - Psicanálise
 
Freud. slide
Freud. slideFreud. slide
Freud. slide
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Teoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTicaTeoria PsicanalíTica
Teoria PsicanalíTica
 
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem PsicanaliticaTeoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
Teoria e Pratica - Abordagem Psicanalitica
 
Freud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesaFreud e os mecanismos de defesa
Freud e os mecanismos de defesa
 
Psicanalise
PsicanalisePsicanalise
Psicanalise
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de FreudFases do desenvolvimento  de acordo com a Teoria de Freud
Fases do desenvolvimento de acordo com a Teoria de Freud
 
As sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanáliseAs sete escolas da psicanálise
As sete escolas da psicanálise
 
Sigmund freud
Sigmund freudSigmund freud
Sigmund freud
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Freud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimentoFreud e o desenvolvimento
Freud e o desenvolvimento
 
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freudDesenvolvimento psicossexual segundo freud
Desenvolvimento psicossexual segundo freud
 
Teorias de freud
Teorias de freudTeorias de freud
Teorias de freud
 
2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente2. freud e o inconsciente
2. freud e o inconsciente
 
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento PsicossexualFreud e o Desenvolvimento Psicossexual
Freud e o Desenvolvimento Psicossexual
 
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analíticoCURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
CURSO FUNDAMENTOS DA PSICANÁLISE- Aula 1: A histeria e o setting analítico
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 

Semelhante a Freud apresentação

Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
JessicaDassi
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
27101992
 
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptxAs sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
AbimaelCorradaSilva1
 
Carl Jung
Carl Jung Carl Jung
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Abordagem psicanalítica na educação
Abordagem psicanalítica na educaçãoAbordagem psicanalítica na educação
Abordagem psicanalítica na educação
LIVROS PSI
 
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdfSigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Luiz Henrique Pimentel Novais Silva
 
Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"
Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"
Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"
Tacio Aguiar
 
Aula 01 - psicologia aplicada a enfermagem
Aula 01 - psicologia aplicada a enfermagemAula 01 - psicologia aplicada a enfermagem
Aula 01 - psicologia aplicada a enfermagem
DiegoFernandes857616
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundoPsiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
Gustavo Henrique
 
Desenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento PsicossexualDesenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento Psicossexual
Kivya Damasceno
 
Freud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatdaFreud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatda
gcz2dp7sff
 
Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud
UFG-Universidade Federal de Goias
 
Apresentaopsicanlise
ApresentaopsicanliseApresentaopsicanlise
Apresentaopsicanlise
Manuela Santos
 
Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01
Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01
Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01
27101992
 
Carl Jung
Carl JungCarl Jung
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)
andrea cristina
 
Freudppt ppt-130704195250-phpapp02
Freudppt ppt-130704195250-phpapp02Freudppt ppt-130704195250-phpapp02
Freudppt ppt-130704195250-phpapp02
L R
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
John Wainwright
 

Semelhante a Freud apresentação (20)

Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptxTeorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
Teorias e Técnicas Psicoterápicas I - Aula 4.pptx
 
Piscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifaPiscicanálise 3 faifa
Piscicanálise 3 faifa
 
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptxAs sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
As sete escolas da psicanálise Russélia Godoy.pptx
 
Carl Jung
Carl Jung Carl Jung
Carl Jung
 
Sigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdfSigmund_FREUD .pdf
Sigmund_FREUD .pdf
 
Abordagem psicanalítica na educação
Abordagem psicanalítica na educaçãoAbordagem psicanalítica na educação
Abordagem psicanalítica na educação
 
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdfSigmund Freud e a Psicanálise .pdf
Sigmund Freud e a Psicanálise .pdf
 
Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"
Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"
Power point do Curso "Vida e Obra de Sigmund Freud"
 
Aula 01 - psicologia aplicada a enfermagem
Aula 01 - psicologia aplicada a enfermagemAula 01 - psicologia aplicada a enfermagem
Aula 01 - psicologia aplicada a enfermagem
 
Psicanálise
PsicanálisePsicanálise
Psicanálise
 
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundoPsiquiatria no brasil_e_no_mundo
Psiquiatria no brasil_e_no_mundo
 
Desenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento PsicossexualDesenvolvimento Psicossexual
Desenvolvimento Psicossexual
 
Freud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatdaFreud - teorias da personalidade aplicatda
Freud - teorias da personalidade aplicatda
 
Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud Slide sobre Sigmund Freud
Slide sobre Sigmund Freud
 
Apresentaopsicanlise
ApresentaopsicanliseApresentaopsicanlise
Apresentaopsicanlise
 
Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01
Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01
Teoriapsicanaltica 090908145127-phpapp01
 
Carl Jung
Carl JungCarl Jung
Carl Jung
 
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)
Freud e-a-psicanlise-1204326364108510-2 (1)
 
Freudppt ppt-130704195250-phpapp02
Freudppt ppt-130704195250-phpapp02Freudppt ppt-130704195250-phpapp02
Freudppt ppt-130704195250-phpapp02
 
Freud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método PsicanalíticoFreud - O Método Psicanalítico
Freud - O Método Psicanalítico
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 

Freud apresentação

  • 1. FREUDO pai da psicanálise Uallace Durial Pimentel Isadora Robinault
  • 2. Introdução • Nome: Sigmund Schlomo Freud • Nascimento: 06 de maio de 1856 • Onde: em Freiberg, na Moravia (hoje República Checa) • O que: Médico, fundador da psicanálise. Desconstruiu e completou pensamentos filosóficos em relação à razão e o subconsciente. Criou muitas teorias sobre sexualidade e o desenvolvimento psicossexual de um indivíduo. Formalizou o estudo da formação de personalidade definindo o Id, o Ego e o Superego. Tratou, principalmente, de pacientes histéricos e neuróticos.
  • 3. Contexto histórico • A Inglaterra era a grande potência mundial,repercursora da Revolução Industrial, até os EUA assumir esse posto no século XX. • Viena era uma cidade grande e, com o começo da sua industrialização, ganhou muitos imigrantes, em particular, checos. • Viena experimentava uma grande evolução cultural e científica. • Os sucessivos progressos culturais em todos os campos do saber humano, foram tão marcantes que o século XIX entrou para a história como sendo o Século da Razão. • A doutrina da igreja ainda influenciava muito na sociedade. O sexo era restringido somente ao casamento, a valorização da vida familiar era intensa e o erotismo era poribido. • A mulher não deveria sentir prazer sexual, correndo o risco de ser tratada como doente, pecadora ou louca.
  • 4. A vida • De família judia, era filho de um mal sucedido comerciante de lã. • Na infância possuiu um mal relacionamento com o pai severo e autoritário e quase 20 anos mais velho que sua mãe, por quem Freud seria apaixonado (viria a influenciar o complexo de Édipo). • Em 1860 sua família se mudou para Viena, onde Freud viveu até os 80 anos. • Ambicioso por reconhecimento, Freud foi sempre o primeiro de sua classe e quando adulto dominava 8 idiomas. • Em 1873 ingressou na Universidade de Viena, um ano antes do habitual, para cursar medicina. • Ao se formar, em 1882, entrou no Hospital Geral de Viena. Onde conheceu Joseph Breuer que lhe mostrou a hipnose e começou a se interessar pelo tratamento da histeria. • Em 1883 retorna a Viena e começa a tratar pacientes histéricos e passa a utilizar a cocaína como medicamento, além de sessões de hipnose antecedida por massagem e repouso. Então descobre o método de livre associação. • Em 1900 publica sua grande obra A interpretação dos sonhos.
  • 5. A interpretação dos sonhos • Freud distinguiu três níveis de consciência : • - Consciente - diz respeito à capacidade de ter percepção dos sentimentos, pensamentos, lembranças e fantasias do momento; • - Pré-consciente - relaciona-se com os conteúdos que podem facilmente chegar à consciência; • - Inconsciente - refere-se ao material não disponível à consciência ou ao escrutínio do indivíduo. (Lembranças traumaticas reprimidas, reservatorio de impulsos eticamente inaceitaveis) Os Sonhos, para Freud, são uma maneira do psiquismo de “realização de desejos” os sonhos são tentativas por parte do inconsciente para resolver um conflito de algum tipo, seja algo recente ou algo do passado mais distante.
  • 6. A vida • Em 1909 Freud se casa com Martha Bernays com quem viria a ter seis filhos, dentre eles, Anna Freud, que também se tornaria psicanalista. • Freud acreditava que a causa da histeria era a repressão de emoções, sobretudo de caráter sexual, causadas pelas cobranças sociais da época. • Começou a publicar trabalhos relacionados ao desenvolvimento da sexualidade na infância, o que causou bastante polêmica. • No auge de seu sucesso atraiu discípulos, dentre eles, Carl Jung que o abandonou posteriormente para criar suas próprias teorias psicanalíticas. • A psicanálise se difundiu por diversos países. Em 1920 mais de 200 livros sobre psicanálise já haviam sido publicados. • Em 1923 publica O Ego e o Id. • E em 1924 publica A Dissolução do complexo de Édipo.
  • 7. O Ego e o Id • Id - É regido pelo princípio do prazer (Psiquê que visa apenas o prazer do indivíduo). • Ego - É o sistema que estabelece o equilíbrio entre as exigências do id, as exigências da realidade e as ordens do superego. A verdadeira personalidade, que decide se acata as decisões do (Id) ou do (Superego). • O superego é o aspecto moral da personalidade, produto da internalização dos valores e padrões recebidos dos pais e da sociedade. Viria a ser percebido por Freud com o Complexo de Édipo.
  • 8. Complexo de Édipo • A criança, a castração e a diferença entre os gêneros – “ter pênis” ou “não ter pênis”. • Ao perceber sua identidade como ser não castrado, assim como o pai, o menino tende a disputar com ele e associar a mãe como primeiro exemplo de sexo oposto torna-se objeto de energia libidinal. • O Id desejaria matar o pai, como fez Édipo, mas o Ego lembra que o pai é mais forte. – medo da castração. • Quando o menino se dá conta de sua identidade de homem, a autoridade do pai é introjetada e dá-se origem ao Superego. • Na menina, o efeito corre ao contrário. Percebe que é “castrada” tomando rancor da mãe e dirigindo-se ao pai como meio de compensação.
  • 9. Mecanismos de defesa • Os mecanismos de defesa são determinados pela forma como se dá a organização do ego: quando bem organizado, tende a ter reações mais conscientes e racionais, , são ações psicológicas que buscam reduzir as manifestações iminentemente perigosas ao Ego, como medo, ansiedade, culpa e etc Compensação • Esse mecanismo de defesa tem por característica a tentativa do indivíduo de equilibrar suas qualidades e deficiências, por exemplo, uma pessoa que não tem boas notas e se consola por ser bonita. • Expiação • É o mecanismo psíquico de cobrança. O sujeito se vê cobrado a pagar pelos seus erros no exato momento em que os comete, com esperança na crença de que o erro será imediatamente ou magicamente anulado.
  • 10. Mecanismos de defesa • Fantasia • É uma espécie de teatro mental onde o indivíduo protagoniza uma história diferente daquela que vive na realidade, onde seus desejos não podem ser satisfeitos. Nessa realidade criada, o desejo é satisfeito e a ansiedade diminuída • Formação Reativa • É um mecanismo caracterizado pela aderência a um pensamento contrário àquele que foi, de alguma forma, recalcado. As formações reativas têm a peculiaridade de se tornar uma alteração na estrutura da personalidade, colocando o indivíduo em alerta, como se o perigo estivesse sempre presente e prestes a destruí-lo. Um exemplo, uma pessoa com comportamentos homofóbicos, que na verdade, sente-se atraído por pessoas do mesmo sexo.
  • 11. Mecanismos de defesa • Identificação • É o mecanismo baseado na assimilação de características de outros, que se transformam em modelos para o individuo. Como exemplo podemos citar o momento em que as crianças assimilam características parentais, para posteriormente poderem se diferenciar. • Projeção • Resumidamente, podemos dizer que é o deslocamento de um impulso interno para exterior, ou do indivíduo para outro.Um exemplo é uma mulher que se sente atraída por outra mulher, mas projeta esse sentimento no marido, gerando a desconfiança de que será traída, ou seja, de que a atração é sentida pelo marido. Além desse, outros exemplos de projeção podem estar na causa de preconceitos e violência.
  • 12. A vida • Freud atingiu o auge de seu sucesso entre as décadas de 1920 e 1930. • Nos últimos 16 anos de sua vida submeteu-se a 33 cirurgias para tratar o câncer de boca. • Em 1933 os Nazistas subiram ao poder na Alemanha e Freud foi perseguido por eles. • Em 1938 os Nazistas ocuparam a Austria e Freud fugiu para Londres, com muito pesar por amor à Viena, apesar de ser revelado uma grande admiração pela capital. • Sua filha Anna Freud foi detida e quatro de suas irmãs morreram em campos de concentração. • Freud morre no dia 23 de setembro de 1939 por overdose de morfina dada por seu médico.
  • 13. Pensamentos Freud • PAZ “O desenvolvimento da civilização certamente impôs um autocontrole cada vez maior, fazendo com que o indivíduo moderno consiga vigiar sua própria conduta de modo muito mais rígido do que no passado.’ • RELIGIÃO • Freud, que definiu a religião como uma neurose obsessiva da coletividade humana, cuja origem está nos "tabus", nas proibições. Ele diz: "seria muito agradável que Deus existisse, e que houvesse criado o mundo, e que sua providência fosse benevolente Homosexualidade Segundo Freud, a homossexualidade se explica como uma saída “negativa” do complexo de Édipo.
  • 14. A contribuição freudiana • Avanços de tratamentos psicanalítios de diversos transtornos mentais. • Evitar o recurso aos produtos farmacêuticos • Mudança na ideia do que é ser humano Hoje, cientistas e psicólogos entendem o ser humano como um animal dotado de razão, mas uma razão imperfeita, altamente influenciada por seus desejos e sentimentos, às vezes inconscientes, às vezes inconfessáveis, atormentado pela contradição entre esses impulsos e a vida em sociedade.
  • 15. Bibliografia • http://www.suapesquisa.com/biografias/freud.htm • http://www.infoescola.com/psicanalise/sigmund-freud/ • http://educacao.uol.com.br/biografias/sigmund-freud.htm • http://www.ufrgs.br/psicopatologia/wiki/index.php/Afinal,_o_que_%C3%A9_Pervers%C3%A3o%3F • http://guiadoestudante.abril.com.br/aventuras-historia/como-cocaina-era-usada-antes-ser-proibida- 679623.shtml • http://www.lpm.com.br/livros/Imagens/interpretacao_dos_sonhos_16x23_trecho.pdf • http://filosofia.uol.com.br/filosofia/ideologia-sabedoria/45/artigo302538-1.asp • http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98932000000300002 • http://educaterra.terra.com.br/voltaire/cultura/2003/05/19/001.htm • http://historiabruno.blogspot.com.br/2013/06/a-vida-de-sigmund-freud-1856-1939-uma.html • http://historiabruno.blogspot.com.br/2012/02/o-mundo-dos-imperios-em-1850.html
  • 16. • https://pt.wikipedia.org/wiki/Viena • https://luciaschaefer.wordpress.com/2013/07/02/resumo-do-volume-xix-de- sigmund-freud-o-ego-e-o-id/ • http://filosofia.ceseccaieiras.com.br/freud-id-ego-e-superego • http://historiahoje.com/tabus-do-seculo-xix-da-esterilidade-a-libertinagem/ • http://www.psicoloucos.com/psicologias/psicanalise/id-ego-e-superego • https://pt.wikipedia.org/wiki/Complexo_de_%C3%89dipo • http://www.isepol.com/laboratorio/disciplinas/laboratorio1/disc2_castracao.html • http://www.ufjf.br/renato_nunes/files/2012/06/Sigmund-Freud-e-Carl-Jung- slides.pdf • http://psicob.blogspot.com.br/2008/04/freud-e-o-inconsciente.html