SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
41

EXERCÍCIOS EXTRAS
01. (UFRRJ) Uma pessoa bebe 200 gramas de água, calor específico igual a 1 cal/g°C, a 20 °C. Sabendo-se
que a temperatura de seu corpo é praticamente constante e vale 36,5 ° a quantidade de calor absorvida pela
C,
água é igual a:
a) 730 cal.
b) 15 600 cal.
c) 3 300 cal.
d) 1 750 cal.
e) 0,01750 cal.
02. Consideremos uma amostra de alumínio, cujo calor específico é c = 0,217 cal/g° Se a massa da amostra
C.
é m = 50 g, qual a quantidade de calor que deve trocar para que sua temperatura:
a) aumente de 10 ° para 60 °
C
C?
b) diminua de 80 ° para 20 °
C
C
03. Ao receber 6 000 cal, um corpo de 250 g aumenta sua temperatura em 40 °C, sem mudar de fase. Qual o
calor específico do material que constitui o corpo?
04. (Fuvest – SP)
a) Quantas calorias são necessárias para se aquecer 200 L de água, de 15 ° a 70 °
C
C?
b) Qual a potência média necessária para realizar essa operação em 3h?
05. Um corpo de massa igual a 10 kg recebeu 20 kcal, e sua temperatura passou de 50 ° para 100 °
C
C.
a) Qual o calor específico desse corpo?
b) Qual a capacidade térmica desse corpo?
06. Um corpo de massa 800 g é aquecido por meio de uma fonte, cuja potência constante é 300 cal/min.
Sabendo-se que a variação de temperatura ocorre segundo o gráfico a seguir, determine a capacidade térmica
da substância que constitui o corpo.
θ (°
C)

100
50

0

40

t (min)

07. Um corpo, inicialmente sólido, de massa 80 g, recebe calor e sofre variação de temperatura, conforme
indica o gráfico.
θ (°
C)

D

300
B

C

200

100

A
100

300

600

Q (cal)

Pedem-se:
a) a temperatura de fusão da substância.
b) o calor latente de fusão do corpo.
c) o calor específico do corpo no estado sólido.
d) o calor específico no estado líquido.

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
42

08. Um corpo sólido de massa igual a 200 g absorve 1 800 cal e sua temperatura passa de 30 ° para 40 °
C
C.
Nesta temperatura, ele começa a derreter e absorve 3 200 cal durante a fusão completa.
a) Qual a capacidade térmica do corpo?
b) Qual o calor latente de fusão do corpo?
09. A tabela abaixo apresenta a massa m de cinco objetos de metal, com seus respectivos calores específicos
sensíveis c.
METAL
Alumínio
Ferro
Cobre
Prata
Chumbo

c(cal/gºC)
0,217
0,113
0,093
0,056
0,031

m(g)
100
200
300
400
500

Com base nos dados fornecidos pela tabela coloque as substâncias em ordem crescente de capacidade
térmica.
10. (FUVEST) Um ser humano adulto e saudável consome, em média, uma potência de 120 J/s. Uma “caloria
3
alimentar” (1kcal) corresponde, aproximadamente, a 4,0 x 10 J. Para nos mantermos saudáveis, quantas
“calorias alimentares” devemos utilizar, por dia, a partir dos alimentos que ingerimos?
2

11. A capacidade térmica de um recipiente é de 2,0 . 10 cal/ºC. Coloca-se no recipiente 1,0 L de água. O
conjunto encontra-se inicialmente a 25 ºC. Qual é a quantidade de calor necessária para elevar a temperatura
do conjunto a 50 ºC?
Dados:
Calor específico da água: 1,0 cal/g.ºC
3
Densidade da água: 1,0 g/cm
12. Uma fonte térmica fornece calor com potência de 30 W (W = J/s). Um bloco homogêneo, de massa 100 g,
recebe calor desta fonte e sua temperatura se eleva de 20 ºC a 30 ºC durante o intervalo de tempo de 90 s.
Qual é o calor específico da substância que constitui o bloco?
13. Determine o intervalo de tempo necessário para aquecer 20 L de água de 20 ºC a 50 ºC, utilizando-se um
coletor solar que fornece calor com potência média de 3,0 kW.
Dados:
Calor específico da água: 1,0 cal/g.ºC
Densidade da água: 1,0 g/cm3
1 cal = 4 J
14, Num calorímetro de capacidade térmica 20 cal/ºC e a 20 ºC, colocam-se 40 g de água a 80 ºC. Sendo 1,0
cal/g.ºC o calor específico da água, determine a temperatura final de equilíbrio térmico.
15. Dois blocos de mesmo metal e de massas iguais a 1000 g, encontram-se a uma certa temperatura θ. Um
dos blocos é colocado em um recipiente de capacidade térmica desprezível e que contém 300 g de água a 10
ºC. A temperatura final de equilíbrio é de 20 ºC. O outro bloco é colocado em um novo recipiente, também de
capacidade térmica desprezível e que contém 200 g de água a 15 ºC. A temperatura final do conjunto
estabiliza-se a 25 ºC.
Determine:
a) O calor específico do metal que constitui os blocos.
b) A temperatura inicial θ dos blocos.
16. Três líquidos, A, B e C, de massas mA, mB e mC encontram-se respectivamente a 12 ºC, 20 ºC e 24 ºC. Se
misturássemos os líquidos A e B, a temperatura final de equilíbrio seria de 18 ºC. Por outro lado, se
misturássemos os líquidos B e C teríamos no equilíbrio térmico a temperatura de 22 ºC. Qual seria a
temperatura de equilíbrio térmico da mistura de A com C?
17. Num calorímetro a 20 ºC, misturam-se 100 g de água a 30 ºC com 200 g de óleo a 60 ºC. Atingido o
equilíbrio térmico constata-se que a temperatura final é de 40 ºC.
Qual é o equivalente em água do calorímetro?

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
43

Dados:
Calor específico da água = 1 cal/g.ºC
Calor específico do óleo = 0,5 cal/g.ºC
18. (Unesp 2012) Clarice colocou em uma xícara 50 mL de café a 80 ° 100 mL de leite a 50 ° e, para cuidar
C,
C
de sua forma física, adoçou com 2 mL de adoçante líquido a 20 °C. Sabe-se que o calor específico do café vale
1 cal/(g.° do leite vale 0,9 cal/(g.° do adoçante vale 2 cal/(g.°C) e que a capacidade térmica da xícara é
C),
C),
desprezível.
Considerando que as densidades do leite, do café e do adoçante sejam iguais e que a perda de calor para a
atmosfera é desprezível, depois de atingido o equilíbrio térmico, a temperatura final da bebida de Clarice, em
° estava entre:
C,
a) 75,0 e 85,0.
b) 65,0 e 74,9.
c) 55,0 e 64,9.
d) 45,0 e 54,9.
e) 35,0 e 44,9.
19. (Unesp 2011) Uma bolsa térmica com 500 g de água à temperatura inicial de 60 ºC é empregada para
tratamento da dor nas costas de um paciente. Transcorrido um certo tempo desde o início do tratamento, a
temperatura da água contida na bolsa é de 40 ºC.
Considerando que o calor específico da água é 1 cal/(g.ºC), e supondo que 60% do calor cedido pela água foi
absorvido pelo corpo do paciente, a quantidade de calorias recebidas pelo paciente no tratamento foi igual a:
a) 2 000.
b) 4 000.
c) 6 000.
d) 8 000.
e) 10 000.
20. Julgue os itens abaixo:
I.
II.
III.
IV.

Dois corpos à mesma temperatura estão em equilíbrio térmico e não trocam calor entre si.
Quanto maior o calor latente de um corpo, maior a quantidade de calor que uma certa massa do corpo
deve receber para que tenha um certo aumento de temperatura.
Dois corpos de mesmo calor específico podem ter capacidades térmicas diferentes.
O calor armazenado em um corpo é denominado calor específico.

21. Com relação aos conceitos de calor, capacidade térmica e calor específico, é correto afirmar:
01) A capacidade térmica de um corpo corresponde à quantidade de calor que ele absorve para aumentar
de 1 ºC a sua temperatura.
02) A capacidade térmica de um corpo não depende da sua massa.
04) O calor específico de um material não depende da sua massa.
08) Quanto maior for o calor específico de um material, maior será a sua capacidade térmica.
16) O calor específico de um corpo depende do material de que é constituído.
32) Se dois corpos receberem a mesma quantidade de calor, aquele que tiver maior capacidade térmica
sofrerá menor variação de temperatura.
22. (UFPR) Dois corpos de massas diferentes estão inicialmente em contato térmico, de modo que suas
temperaturas são iguais. Em seguida isola-se um do outro e ambos recebem a mesma quantidade de calor de
uma fonte térmica. A respeito de suas temperaturas imediatamente após essa operação, é correto afirmar que:
01) devem ser iguais;
02) serão iguais se os dois corpos tiverem igual volume;
04) seriam iguais se suas capacidades térmicas fossem iguais;
08) somente seriam iguais se o calor específico de um corpo fosse igual ao do outro;
16) seriam as mesmas se os corpos tivessem a mesma massa e o mesmo calor específico
23. (UNIJUÍ-RS) Das alternativas abaixo, assinale aquelas que estiverem certas.
01) Um quilograma de ferro e um quilograma de alumínio possuem a mesma capacidade térmica.

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
44

02) O óleo de cozinha esfria mais rapidamente que igual quantidade de água, na mesma temperatura,
porque possui menor calor específico.
04) Para elevar a temperatura de 50 g de água e de 50 g de óleo de cozinha, de 20 ºC para 50 ºC,
devemos fornecer diferentes quantidades de calor.
08) Para aquecer um litro de água de 20 ºC até 70 ºC, devemos fornecer 50 kcal.
16) Dois corpos que possuem a mesma capacidade térmica podem possuir diferentes massas.
24. Assinalar a afirmativa falsa:
a) A capacidade térmica de um corpo é função de sua massa.
b) Quando recebido por um corpo, o calor sensível produz apenas variação de temperatura.
c) O calor específico sensível é uma característica do material de que é feito o corpo, não dependendo da sua
massa.
d) A capacidade térmica de um corpo indica a quantidade de calor que cada unidade de massa desse corpo
necessita para sua temperatura variar uma unidade.
e) O valor da capacidade térmica de um corpo depende do material de que este é feito.
25. No início da noite, o nadador observa que, embora o ambiente esteja frio, a água da piscina parece
"morna"; nas primeiras horas da manhã, o nadador dirá que a água da piscina está "fria", mesmo que o
ambiente esteja a uma temperatura agradável. A sensação de morna e fria experimentada na água da piscina
pode ser mais bem explicada pela asserção:
a) O calor específico da água leva muito tempo para se igualar ao calor específico do corpo do nadador.
b) A água necessita ceder ou receber uma maior quantidade de calor para sofrer a mesma variação de
temperatura do ambiente.
c) As moléculas de água são mais livres que as moléculas do nadador, e isso dificulta a transferência de calor.
d) Essa diferença de sensação térmica é ilusória, sendo necessária a utilização de um termômetro para
comprovar a diferença de temperatura da água à noite e pela manhã.
e) Devido ao alto valor do calor específico da água, as transferências de calor acontecem rapidamente na
água.
26. (Fatec) Um sistema A está em equilíbrio térmico com outro B e este não está em equilíbrio térmico com um
terceiro C. Então podemos dizer que:
a) Os sistemas A e B possuem a mesma quantidade de calor.
b) A temperatura de A é diferente da de B.
c) Os sistemas A e B possuem a mesma temperatura.
d) A temperatura de B é diferente da de C, mas C pode ter temperatura igual à do sistema A.
e) Nenhuma das respostas.
27. (MED-Santos) O gráfico a seguir mostra a variação da quantidade de calor absorvida por dois corpos A e B,
de massas iguais, em função da temperatura.

a) A capacidade térmica de A é menor que a de B.
b) As capacidades térmicas dos dois são iguais.
c) O calor específico de A é maior que o de B.
d) A capacidade térmica de A é maior que a de B.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
45

GABARITO
GABARITO
01. OPÇÃO C.
Dados:
m = 200 g
c = 1 cal/g°
C
TO = 20 °
C
T = 36,5 °
C
∆T = 36,5 – 20 = 16,5 °
C
02.
Dados:
c = 0,271 cal/g°
C
m = 50 g

Q = m . c . ∆T
Q = 200 . 1 . 16,5
Q = 3 300 cal.

b) ∆T = 20 - 80 = - 60 °
C

Q = m.c.∆T = 50 . 0,217 . 50

Q = m.c.∆T = 50 . 0,217 . (- 60)

Q = 542,5 cal
03.
Dados:
Q = 6 000 cal
m = 250 g
∆T = 40 °
C

a) ∆T = 60 – 10 = 50 °C

Q = - 651 cal

Q = m.c.∆T
6000 = 250 . c. 40
6000 = 10000c
c = 6000/10000

c = 0,6 cal/g°
C

04.
Dados:
V = 200 L
3
m = 200 kg = 200 . 10 kg
To = 15 °
C
T = 70 °
C
∆T = 70 – 15 = 55 °
C
∆t = 3 h
c = 1 cal/g°
C

a) Q = m . c . ∆T
3

Q = 200 . 10 . 1 . 55
3

Q = 11000 . 10
7

Q = 1,1 . 10 cal

b) A potência é em W (watts) = J/s, portanto temos
que transformar cal em J e h em s.
Como 1 cal = 4,18 J temos que:
7
7
Q = 1,1 . 10 . 4,18 = 4,6 . 10 J
Como 1 h = 3600 s, temos que:
4
∆t = 3 . 3600 = 10800 s = 1,08 . 10 s
Assim teremos:
P= Q
∆t

05.
Dados:
m = 10 kg = 10 000 g
Q = 20 kcal = 20 000 cal
To = 50 °
C
T = 100 °C
∆T = 100 – 50 = 50 °C

7

3

→ P = 4,6 . 10 → P = 4,3 . 10 W
4
1,08 . 10

a) Q = m . c . ∆T

b) C = m . c

20 000 = 10 000 . c . 50

C = 10 000 . 0,04

20 000 = 500 000c

C = 400 cal/°C

c = 20 000 = 0,04 cal/g°C
500 000

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
46

06.
Dados:
P = 300 cal/min
m = 800 g
To = 50 °
C
T = 100 °C
∆T = 100 – 50 = 50 °C
∆t = 40 min

P= Q
∆t

→ 300 = Q
40

C= Q
∆T

→

Q = 300 . 40 = 12 000 cal

→ C = 12 000
50

→

C = 240 cal/°C

07.
Dados:
m = 80 g

a) Efetuando a leitura do gráfico: TF = 200 °
C.
θ (°
C)

b) Q2 = 300 – 100 = 200 cal

D

300

Q2 = m . LF → 200 = 80 . LF

∆T2 = 100 °
C

B

fusão

200

C

líquido

LF = 2,5 cal/g

sólido

∆T1 = 100 °
C
100

c) Q1 = m . csol . ∆T → 100 = 80 . csol . 100

A

C
100 = 8000csol → csol = 0,012 cal/g°
100

300

Q1 = 100 cal

600

Q (cal)

d) Q3 = m . cliq . ∆T → 300 = 80 . cliq . 100
300 = 8000cliq → cliq = 0,0375 cal/g°
C

Q3 = 300 cal

Q2 = 200 cal

08.
Dados:
m = 200 g
Qs = 1 800 cal
To = 30 °
C
T = 40 °
C
∆T = 40 – 30 = 10 °
C
QL = 3 200 cal

a)
C = Q = 1 800 = 180 cal/°C
∆T
10

3 200 = 200 . LF
LF = 3 200 =16 cal/g
200

09.
CAl = m . c = 100 . 0,217 = 21,7 cal/°C
CFe = m . c = 200 . 0,113 = 22,6 cal/°C
CCu = m . c = 300 . 0,093 = 27,9 cal/°C
CAg = m . c = 400 . 0,056 = 22,4 cal/°C
CPb = m . c = 500 . 0,031 = 15,5 cal/°C
10.
Dados:
P = 120 J/s
3
1 kcal = 4,0 . 10 J

b)
Q=m.L

Em ordem crescente temos que:
CPb < CAl < CAg < CFe < CCu

Primeiro devemos descobrir quanto de energia um adulto consome em 1 dia, para
isso temos que lembrar que em 1 dia temos 24 h e transformá-las em segundos.
1 h ---------------- 3600 s
24 h ---------------- x

x = 24 . 3600
x = 86400 s

Agora usando a fórmula da potência calculamos a energia.
P= Q
∆t

Prof. Thiago Miranda

→ 120 =

Q
86400

3

→ Q = 120 . 86400 = 10368000J = 10368 . 10 J

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
47

Agora basta fazermos a seguinte regra de três:
3

1 caloria elementar -------------- 4,0 . 10 J
3
N calorias elementares ---------- 10368 . 10 J
3

3

N = 103688 . 10 = 2592 calorias elementares ≡ 2,6 . 10 calorias elementares.
3
4,0 . 10
11.
Cálculo da massa de água: m = d . V → m = 1,0 . 1,0 → m = 1,0 kg = 1000 g
Q = Qrecipiente + Qágua => Q = C. θ + m.c. t
2

Q = 2 . 10 . 25 + 1000 . 1 . 25

Q = 5000 + 25000

→

12. Pot = Q/ t => Pot = m.c. T/ t

4

Q = 3 .10 cal

→

30 = (100 . c . 10)/90

→

c = 2,7 J/g.ºC

→

13. Cálculo da massa de água: m = d . V
3

3

3

Sendo d = 1 g/cm e V = 20 L = 20.10 cm , vem:
3

3

m = 1 . 20 . 10 = 20 . 10 g
Q=m.c. T
Pot = Q/ t

3

Q = 20 . 10 . 1 . 30

→

3

14.
Qcalorímetro + Qágua = 0
60T = 3600

5

3 . 10 = (24 . 10 )/ t

→

→

→

→
→

5

5

Q = 6 . 10 cal = 24 . 10 J
t = 800 s = 13 min 20 s

C. t+m.c. T=0

→

20.(T - 20) + 40 . 1 . (T - 80) = 0

T = 60 ºC

15.
Qbloco1 + Qágua1 = 0

→

1000 . c . (20 - T) + 300 . 1 . (20 - 10) = 0

→

Qbloco2 + Qágua2 = 0

→

1000 . c . (25 - T) + 200 . 1 . (25 - 15) = 0

→ c . (25 - T) = -2 (2)

(1) ÷ (2)

→

(20 - T)/(25 - T) = 3/2

→

40 – 2T = 75 – 3T

→

c . (20 - T) = - 3 (1)

T = 35 ºC

De (1): c = 0,2 cal/g/ºC
16.
QA + QB = 0

→

mA . cA . (18 - 12) + mB . cB . (18 - 20) = 0

QB + QC = 0

→

mB . cB . (22 - 20) + mC.cC . (22 - 24) = 0

QA + QC = 0

→

mA . cA . (T - 12) + mC . cC . (T - 24) = 0

T - 12 = - 3T + 72

→

→
→
→

mB . cB = 3mA . cA (1)
mB . cB = mC .cC (2)
(mB.cB/3) . (T - 12) +mB . cB . (T - 24) = 0

T = 21 ºC

17.
O equivalente em água do calorímetro é a massa de água cuja capacidade térmica é igual à do calorímetro.
Sendo C a capacidade térmica do calorímetro e mágua a massa de água cuja capacidade térmica é a mesma do
calorímetro, podemos escrever:

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-
48

C = mágua . cágua
Qcalorímetro + Qágua + Qóleo = 0

→

mágua .c . (40 - 20) + 100 . 1 . (40 - 30) + 200 . 0,5 . (40 - 60) = 0

mágua . cágua . 20 + 1000 - 2000 = 0
Sendo cágua = 1 cal/g.ºC, vem: mágua = 50 g
18. OPÇÃO C.
19. OPÇÃO C.
20. V, F, V, F.
21. 01 + 04 + 08 + 16 + 32
22. 04 + 16
23. 02 + 04 + 08 + 16
24. OPÇÃO D.
25. OPÇÃO B.
26. OPÇÃO C.
27. OPÇÃO A.

Prof. Thiago Miranda

o-mundo-da-fisica.blogspot.com
mundo-da-

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Trabalho e potência
Trabalho e potênciaTrabalho e potência
Trabalho e potência
 
Temperatura e Calor
Temperatura e Calor Temperatura e Calor
Temperatura e Calor
 
Medidas e sistema de unidades
Medidas e sistema de unidadesMedidas e sistema de unidades
Medidas e sistema de unidades
 
Termodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvidoTermodinâmica resolvido
Termodinâmica resolvido
 
Física (calorimetria)
Física (calorimetria)Física (calorimetria)
Física (calorimetria)
 
1 ¬ lei da termodinâmica
1 ¬ lei da termodinâmica1 ¬ lei da termodinâmica
1 ¬ lei da termodinâmica
 
Tabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º anoTabela periódica 9º ano
Tabela periódica 9º ano
 
Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slides
 
Ap termodinamica
Ap termodinamicaAp termodinamica
Ap termodinamica
 
02 calorimetria
02 calorimetria02 calorimetria
02 calorimetria
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Cinemática introdução
Cinemática introduçãoCinemática introdução
Cinemática introdução
 
Slide sobre termometria
Slide sobre termometriaSlide sobre termometria
Slide sobre termometria
 
Segunda Lei Da TermodinâMica
Segunda Lei Da TermodinâMicaSegunda Lei Da TermodinâMica
Segunda Lei Da TermodinâMica
 
Calor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latenteCalor sensivel e calor latente
Calor sensivel e calor latente
 
Dilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exerciciosDilatacao linear exercicios
Dilatacao linear exercicios
 
Velocidade média, instantânea e aceleração escalar
Velocidade média, instantânea e aceleração escalarVelocidade média, instantânea e aceleração escalar
Velocidade média, instantânea e aceleração escalar
 
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2  ano prof. waldir montenegroAtividades física 2  ano prof. waldir montenegro
Atividades física 2 ano prof. waldir montenegro
 
Dilatação térmica aula
Dilatação térmica   aulaDilatação térmica   aula
Dilatação térmica aula
 
Noções básicas de cinemática
Noções básicas de cinemáticaNoções básicas de cinemática
Noções básicas de cinemática
 

Destaque

Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...Rodrigo Penna
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
CalorimetriaEDER LIMA
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...Videoaulas De Física Apoio
 
Fisica 002 calorimetria
Fisica   002 calorimetriaFisica   002 calorimetria
Fisica 002 calorimetriacon_seguir
 
Apostila 2ano presao e atividade sensivel
Apostila 2ano  presao e atividade sensivelApostila 2ano  presao e atividade sensivel
Apostila 2ano presao e atividade sensivelEmerson Assis
 
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...Rodrigo Penna
 
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...Rodrigo Penna
 
919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)Adriano Capilupe
 
Análise de Dados - Gráfico - Calor Específico
Análise de Dados - Gráfico - Calor EspecíficoAnálise de Dados - Gráfico - Calor Específico
Análise de Dados - Gráfico - Calor EspecíficoEduardo Tuba
 
Treinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super medTreinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super medemanuel
 
Fisica exercicios resolvidos 012
Fisica exercicios resolvidos  012Fisica exercicios resolvidos  012
Fisica exercicios resolvidos 012comentada
 
Questões resolvidas de vestibulares de termodinâmica
Questões resolvidas de vestibulares de termodinâmicaQuestões resolvidas de vestibulares de termodinâmica
Questões resolvidas de vestibulares de termodinâmicaLazaro Silva
 
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...Rodrigo Penna
 
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...Rodrigo Penna
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiacomentada
 
1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c
1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c
1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_cRaphaela Reale
 
Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot.c...
Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blogspot.c...Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blogspot.c...
Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot.c...Rodrigo Penna
 

Destaque (20)

Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria   - Conteúdo vinculado ao blog    ...
Questões Corrigidas, em Word: Calorimetria - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...
www.aulasdefisicaapoio.com - Física – Exercícios Resolvidos Estudo dos Gases ...
 
Fisica 002 calorimetria
Fisica   002 calorimetriaFisica   002 calorimetria
Fisica 002 calorimetria
 
Apostila 2ano presao e atividade sensivel
Apostila 2ano  presao e atividade sensivelApostila 2ano  presao e atividade sensivel
Apostila 2ano presao e atividade sensivel
 
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...Questões Corrigidas, em Word:  Transmissão de Calor  - Conteúdo vinculado ao ...
Questões Corrigidas, em Word: Transmissão de Calor - Conteúdo vinculado ao ...
 
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...Questões Corrigidas, em Word:  Termodinâmica  - Conteúdo vinculado ao blog   ...
Questões Corrigidas, em Word: Termodinâmica - Conteúdo vinculado ao blog ...
 
919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)919 Questões de Física (resolvidas)
919 Questões de Física (resolvidas)
 
Análise de Dados - Gráfico - Calor Específico
Análise de Dados - Gráfico - Calor EspecíficoAnálise de Dados - Gráfico - Calor Específico
Análise de Dados - Gráfico - Calor Específico
 
Treinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super medTreinamento - Monera e vírus super super med
Treinamento - Monera e vírus super super med
 
Fisica exercicios resolvidos 012
Fisica exercicios resolvidos  012Fisica exercicios resolvidos  012
Fisica exercicios resolvidos 012
 
Questões resolvidas de vestibulares de termodinâmica
Questões resolvidas de vestibulares de termodinâmicaQuestões resolvidas de vestibulares de termodinâmica
Questões resolvidas de vestibulares de termodinâmica
 
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases   - Conteúdo vinculado ao blog...
Questões Corrigidas, em Word: Estudo dos Gases - Conteúdo vinculado ao blog...
 
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação   - Conteúdo vinculado ...
Questões Corrigidas, em Word: Temperatura e Dilatação - Conteúdo vinculado ...
 
Fisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologiaFisica tópico 1 – termologia
Fisica tópico 1 – termologia
 
1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c
1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c
1 lista de_exercicios_do_3_ano_em_3_bim_2011_fis_c
 
Atividade derecuperacao2ano2014
Atividade derecuperacao2ano2014Atividade derecuperacao2ano2014
Atividade derecuperacao2ano2014
 
Exercícios de Termometria
Exercícios de TermometriaExercícios de Termometria
Exercícios de Termometria
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot.c...
Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blogspot.c...Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog      http://fisicanoenem.blogspot.c...
Ufmg 2004-1ª - Conteúdo vinculado ao blog http://fisicanoenem.blogspot.c...
 

Semelhante a Exercícios extras_calorimetria

Av2 2º ano 3º bim listão
Av2 2º ano 3º bim   listãoAv2 2º ano 3º bim   listão
Av2 2º ano 3º bim listãojacoanderle
 
Aula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.ppt
Aula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.pptAula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.ppt
Aula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.pptFabianneRodrigues4
 
Calorimetria:Quantidade e trocas de calor
Calorimetria:Quantidade e trocas de calorCalorimetria:Quantidade e trocas de calor
Calorimetria:Quantidade e trocas de calorAnselmo Roxa
 
Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2resolvidos
 
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...Fernanda Katiusca Santos
 
Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03comentada
 
calorimetria (2).pptx
calorimetria (2).pptxcalorimetria (2).pptx
calorimetria (2).pptxpaulo72321
 
CorreçãO AvaliaçãO 2ano
CorreçãO AvaliaçãO 2anoCorreçãO AvaliaçãO 2ano
CorreçãO AvaliaçãO 2anofisico.dersa
 
Calorimetria avançado - 2013
Calorimetria   avançado - 2013Calorimetria   avançado - 2013
Calorimetria avançado - 2013eduardo
 
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004Paulo Cezar Rangel de Lima
 
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004Paulo Cezar Rangel de Lima
 
Termologiatransmissaodecalordilatacao
TermologiatransmissaodecalordilatacaoTermologiatransmissaodecalordilatacao
Termologiatransmissaodecalordilatacaobrendarezende
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoIrmão Jáder
 

Semelhante a Exercícios extras_calorimetria (20)

Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Av2 2º ano 3º bim listão
Av2 2º ano 3º bim   listãoAv2 2º ano 3º bim   listão
Av2 2º ano 3º bim listão
 
CALORIMETRIA
CALORIMETRIACALORIMETRIA
CALORIMETRIA
 
Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)
 
Aula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.ppt
Aula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.pptAula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.ppt
Aula I - CALORIMETRIA máquinas térmicas.ppt
 
Calorimetria:Quantidade e trocas de calor
Calorimetria:Quantidade e trocas de calorCalorimetria:Quantidade e trocas de calor
Calorimetria:Quantidade e trocas de calor
 
Lista 2° ano
Lista 2° anoLista 2° ano
Lista 2° ano
 
Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2Listasabado6 fisica2
Listasabado6 fisica2
 
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...Calorimetria  calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
Calorimetria calor sensível, calor latente, calor específico e capacidade té...
 
Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03Fisica 2 exercicios gabarito 03
Fisica 2 exercicios gabarito 03
 
calorimetria (2).pptx
calorimetria (2).pptxcalorimetria (2).pptx
calorimetria (2).pptx
 
Calorimetria
CalorimetriaCalorimetria
Calorimetria
 
Termometria e calorimetria
Termometria  e calorimetriaTermometria  e calorimetria
Termometria e calorimetria
 
CorreçãO AvaliaçãO 2ano
CorreçãO AvaliaçãO 2anoCorreçãO AvaliaçãO 2ano
CorreçãO AvaliaçãO 2ano
 
Calorimetria avançado - 2013
Calorimetria   avançado - 2013Calorimetria   avançado - 2013
Calorimetria avançado - 2013
 
Física - Calorimetria
Física - CalorimetriaFísica - Calorimetria
Física - Calorimetria
 
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
Exercícios de Recuperação de Física Térmica - 2ª Série turma 2004
 
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
Exercícios de Recuperação em Física Térmica - 2ªSérie Turma 2004
 
Termologiatransmissaodecalordilatacao
TermologiatransmissaodecalordilatacaoTermologiatransmissaodecalordilatacao
Termologiatransmissaodecalordilatacao
 
Apostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-anoApostila de-fisica-2º-ano
Apostila de-fisica-2º-ano
 

Mais de O mundo da FÍSICA

3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° anoO mundo da FÍSICA
 
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° anoO mundo da FÍSICA
 
3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano
3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano
3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° anoO mundo da FÍSICA
 
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° anoO mundo da FÍSICA
 
3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano
3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano
3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° AnoO mundo da FÍSICA
 
3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano
3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano
3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° AnoO mundo da FÍSICA
 
3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C
3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C
3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_CO mundo da FÍSICA
 
3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM
3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM
3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AMO mundo da FÍSICA
 
3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B
3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B
3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_BO mundo da FÍSICA
 
3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BMO mundo da FÍSICA
 
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° AnoO mundo da FÍSICA
 
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° AnoO mundo da FÍSICA
 
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° AnoO mundo da FÍSICA
 
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° AnoO mundo da FÍSICA
 

Mais de O mundo da FÍSICA (20)

3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo II_3° ano
 
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_3° ano
 
3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano
3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano
3° etapa_3° avaliaçã_Tipo II_2° ano
 
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano
3° etapa_3° avaliação_Tipo I_2° ano
 
Potência e energia
Potência e energiaPotência e energia
Potência e energia
 
Espelho planos
Espelho planosEspelho planos
Espelho planos
 
Reflexão da luz
Reflexão da luzReflexão da luz
Reflexão da luz
 
Óptica introdução
Óptica introduçãoÓptica introdução
Óptica introdução
 
3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano
3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano
3° Etapa_2° Avaliação Simulado_3° Ano
 
3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano
3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano
3° Etapa_2° Avaliação_Simulado_2° Ano
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C
3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C
3° Bimestre_2° Avaliação_1° ano_A_B_C
 
3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM
3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM
3° Bimestre_2° Avaliação_2° ano EJA_AM
 
3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B
3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B
3° Bimestre_2° Avaliação_3° ano_A_B
 
3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM
3° Bimestre_2° Avaliação_3° Ano EJA_AM_BM
 
Óptica introdução
Óptica introduçãoÓptica introdução
Óptica introdução
 
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo II_3° Ano
 
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano
3° Eetapa_1° Avaliação_Tipo I_3° Ano
 
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo II_2° Ano
 
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano
3° Etapa_1° Avaliação_Tipo I_2° Ano
 

Último

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAElianeAlves383563
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaIlda Bicacro
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Rosana Andrea Miranda
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 

Último (20)

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIAHISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
HISTORIA DA XILOGRAVURA A SUA IMPORTANCIA
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 

Exercícios extras_calorimetria

  • 1. 41 EXERCÍCIOS EXTRAS 01. (UFRRJ) Uma pessoa bebe 200 gramas de água, calor específico igual a 1 cal/g°C, a 20 °C. Sabendo-se que a temperatura de seu corpo é praticamente constante e vale 36,5 ° a quantidade de calor absorvida pela C, água é igual a: a) 730 cal. b) 15 600 cal. c) 3 300 cal. d) 1 750 cal. e) 0,01750 cal. 02. Consideremos uma amostra de alumínio, cujo calor específico é c = 0,217 cal/g° Se a massa da amostra C. é m = 50 g, qual a quantidade de calor que deve trocar para que sua temperatura: a) aumente de 10 ° para 60 ° C C? b) diminua de 80 ° para 20 ° C C 03. Ao receber 6 000 cal, um corpo de 250 g aumenta sua temperatura em 40 °C, sem mudar de fase. Qual o calor específico do material que constitui o corpo? 04. (Fuvest – SP) a) Quantas calorias são necessárias para se aquecer 200 L de água, de 15 ° a 70 ° C C? b) Qual a potência média necessária para realizar essa operação em 3h? 05. Um corpo de massa igual a 10 kg recebeu 20 kcal, e sua temperatura passou de 50 ° para 100 ° C C. a) Qual o calor específico desse corpo? b) Qual a capacidade térmica desse corpo? 06. Um corpo de massa 800 g é aquecido por meio de uma fonte, cuja potência constante é 300 cal/min. Sabendo-se que a variação de temperatura ocorre segundo o gráfico a seguir, determine a capacidade térmica da substância que constitui o corpo. θ (° C) 100 50 0 40 t (min) 07. Um corpo, inicialmente sólido, de massa 80 g, recebe calor e sofre variação de temperatura, conforme indica o gráfico. θ (° C) D 300 B C 200 100 A 100 300 600 Q (cal) Pedem-se: a) a temperatura de fusão da substância. b) o calor latente de fusão do corpo. c) o calor específico do corpo no estado sólido. d) o calor específico no estado líquido. Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 2. 42 08. Um corpo sólido de massa igual a 200 g absorve 1 800 cal e sua temperatura passa de 30 ° para 40 ° C C. Nesta temperatura, ele começa a derreter e absorve 3 200 cal durante a fusão completa. a) Qual a capacidade térmica do corpo? b) Qual o calor latente de fusão do corpo? 09. A tabela abaixo apresenta a massa m de cinco objetos de metal, com seus respectivos calores específicos sensíveis c. METAL Alumínio Ferro Cobre Prata Chumbo c(cal/gºC) 0,217 0,113 0,093 0,056 0,031 m(g) 100 200 300 400 500 Com base nos dados fornecidos pela tabela coloque as substâncias em ordem crescente de capacidade térmica. 10. (FUVEST) Um ser humano adulto e saudável consome, em média, uma potência de 120 J/s. Uma “caloria 3 alimentar” (1kcal) corresponde, aproximadamente, a 4,0 x 10 J. Para nos mantermos saudáveis, quantas “calorias alimentares” devemos utilizar, por dia, a partir dos alimentos que ingerimos? 2 11. A capacidade térmica de um recipiente é de 2,0 . 10 cal/ºC. Coloca-se no recipiente 1,0 L de água. O conjunto encontra-se inicialmente a 25 ºC. Qual é a quantidade de calor necessária para elevar a temperatura do conjunto a 50 ºC? Dados: Calor específico da água: 1,0 cal/g.ºC 3 Densidade da água: 1,0 g/cm 12. Uma fonte térmica fornece calor com potência de 30 W (W = J/s). Um bloco homogêneo, de massa 100 g, recebe calor desta fonte e sua temperatura se eleva de 20 ºC a 30 ºC durante o intervalo de tempo de 90 s. Qual é o calor específico da substância que constitui o bloco? 13. Determine o intervalo de tempo necessário para aquecer 20 L de água de 20 ºC a 50 ºC, utilizando-se um coletor solar que fornece calor com potência média de 3,0 kW. Dados: Calor específico da água: 1,0 cal/g.ºC Densidade da água: 1,0 g/cm3 1 cal = 4 J 14, Num calorímetro de capacidade térmica 20 cal/ºC e a 20 ºC, colocam-se 40 g de água a 80 ºC. Sendo 1,0 cal/g.ºC o calor específico da água, determine a temperatura final de equilíbrio térmico. 15. Dois blocos de mesmo metal e de massas iguais a 1000 g, encontram-se a uma certa temperatura θ. Um dos blocos é colocado em um recipiente de capacidade térmica desprezível e que contém 300 g de água a 10 ºC. A temperatura final de equilíbrio é de 20 ºC. O outro bloco é colocado em um novo recipiente, também de capacidade térmica desprezível e que contém 200 g de água a 15 ºC. A temperatura final do conjunto estabiliza-se a 25 ºC. Determine: a) O calor específico do metal que constitui os blocos. b) A temperatura inicial θ dos blocos. 16. Três líquidos, A, B e C, de massas mA, mB e mC encontram-se respectivamente a 12 ºC, 20 ºC e 24 ºC. Se misturássemos os líquidos A e B, a temperatura final de equilíbrio seria de 18 ºC. Por outro lado, se misturássemos os líquidos B e C teríamos no equilíbrio térmico a temperatura de 22 ºC. Qual seria a temperatura de equilíbrio térmico da mistura de A com C? 17. Num calorímetro a 20 ºC, misturam-se 100 g de água a 30 ºC com 200 g de óleo a 60 ºC. Atingido o equilíbrio térmico constata-se que a temperatura final é de 40 ºC. Qual é o equivalente em água do calorímetro? Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 3. 43 Dados: Calor específico da água = 1 cal/g.ºC Calor específico do óleo = 0,5 cal/g.ºC 18. (Unesp 2012) Clarice colocou em uma xícara 50 mL de café a 80 ° 100 mL de leite a 50 ° e, para cuidar C, C de sua forma física, adoçou com 2 mL de adoçante líquido a 20 °C. Sabe-se que o calor específico do café vale 1 cal/(g.° do leite vale 0,9 cal/(g.° do adoçante vale 2 cal/(g.°C) e que a capacidade térmica da xícara é C), C), desprezível. Considerando que as densidades do leite, do café e do adoçante sejam iguais e que a perda de calor para a atmosfera é desprezível, depois de atingido o equilíbrio térmico, a temperatura final da bebida de Clarice, em ° estava entre: C, a) 75,0 e 85,0. b) 65,0 e 74,9. c) 55,0 e 64,9. d) 45,0 e 54,9. e) 35,0 e 44,9. 19. (Unesp 2011) Uma bolsa térmica com 500 g de água à temperatura inicial de 60 ºC é empregada para tratamento da dor nas costas de um paciente. Transcorrido um certo tempo desde o início do tratamento, a temperatura da água contida na bolsa é de 40 ºC. Considerando que o calor específico da água é 1 cal/(g.ºC), e supondo que 60% do calor cedido pela água foi absorvido pelo corpo do paciente, a quantidade de calorias recebidas pelo paciente no tratamento foi igual a: a) 2 000. b) 4 000. c) 6 000. d) 8 000. e) 10 000. 20. Julgue os itens abaixo: I. II. III. IV. Dois corpos à mesma temperatura estão em equilíbrio térmico e não trocam calor entre si. Quanto maior o calor latente de um corpo, maior a quantidade de calor que uma certa massa do corpo deve receber para que tenha um certo aumento de temperatura. Dois corpos de mesmo calor específico podem ter capacidades térmicas diferentes. O calor armazenado em um corpo é denominado calor específico. 21. Com relação aos conceitos de calor, capacidade térmica e calor específico, é correto afirmar: 01) A capacidade térmica de um corpo corresponde à quantidade de calor que ele absorve para aumentar de 1 ºC a sua temperatura. 02) A capacidade térmica de um corpo não depende da sua massa. 04) O calor específico de um material não depende da sua massa. 08) Quanto maior for o calor específico de um material, maior será a sua capacidade térmica. 16) O calor específico de um corpo depende do material de que é constituído. 32) Se dois corpos receberem a mesma quantidade de calor, aquele que tiver maior capacidade térmica sofrerá menor variação de temperatura. 22. (UFPR) Dois corpos de massas diferentes estão inicialmente em contato térmico, de modo que suas temperaturas são iguais. Em seguida isola-se um do outro e ambos recebem a mesma quantidade de calor de uma fonte térmica. A respeito de suas temperaturas imediatamente após essa operação, é correto afirmar que: 01) devem ser iguais; 02) serão iguais se os dois corpos tiverem igual volume; 04) seriam iguais se suas capacidades térmicas fossem iguais; 08) somente seriam iguais se o calor específico de um corpo fosse igual ao do outro; 16) seriam as mesmas se os corpos tivessem a mesma massa e o mesmo calor específico 23. (UNIJUÍ-RS) Das alternativas abaixo, assinale aquelas que estiverem certas. 01) Um quilograma de ferro e um quilograma de alumínio possuem a mesma capacidade térmica. Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 4. 44 02) O óleo de cozinha esfria mais rapidamente que igual quantidade de água, na mesma temperatura, porque possui menor calor específico. 04) Para elevar a temperatura de 50 g de água e de 50 g de óleo de cozinha, de 20 ºC para 50 ºC, devemos fornecer diferentes quantidades de calor. 08) Para aquecer um litro de água de 20 ºC até 70 ºC, devemos fornecer 50 kcal. 16) Dois corpos que possuem a mesma capacidade térmica podem possuir diferentes massas. 24. Assinalar a afirmativa falsa: a) A capacidade térmica de um corpo é função de sua massa. b) Quando recebido por um corpo, o calor sensível produz apenas variação de temperatura. c) O calor específico sensível é uma característica do material de que é feito o corpo, não dependendo da sua massa. d) A capacidade térmica de um corpo indica a quantidade de calor que cada unidade de massa desse corpo necessita para sua temperatura variar uma unidade. e) O valor da capacidade térmica de um corpo depende do material de que este é feito. 25. No início da noite, o nadador observa que, embora o ambiente esteja frio, a água da piscina parece "morna"; nas primeiras horas da manhã, o nadador dirá que a água da piscina está "fria", mesmo que o ambiente esteja a uma temperatura agradável. A sensação de morna e fria experimentada na água da piscina pode ser mais bem explicada pela asserção: a) O calor específico da água leva muito tempo para se igualar ao calor específico do corpo do nadador. b) A água necessita ceder ou receber uma maior quantidade de calor para sofrer a mesma variação de temperatura do ambiente. c) As moléculas de água são mais livres que as moléculas do nadador, e isso dificulta a transferência de calor. d) Essa diferença de sensação térmica é ilusória, sendo necessária a utilização de um termômetro para comprovar a diferença de temperatura da água à noite e pela manhã. e) Devido ao alto valor do calor específico da água, as transferências de calor acontecem rapidamente na água. 26. (Fatec) Um sistema A está em equilíbrio térmico com outro B e este não está em equilíbrio térmico com um terceiro C. Então podemos dizer que: a) Os sistemas A e B possuem a mesma quantidade de calor. b) A temperatura de A é diferente da de B. c) Os sistemas A e B possuem a mesma temperatura. d) A temperatura de B é diferente da de C, mas C pode ter temperatura igual à do sistema A. e) Nenhuma das respostas. 27. (MED-Santos) O gráfico a seguir mostra a variação da quantidade de calor absorvida por dois corpos A e B, de massas iguais, em função da temperatura. a) A capacidade térmica de A é menor que a de B. b) As capacidades térmicas dos dois são iguais. c) O calor específico de A é maior que o de B. d) A capacidade térmica de A é maior que a de B. e) Todas as afirmativas são verdadeiras. Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 5. 45 GABARITO GABARITO 01. OPÇÃO C. Dados: m = 200 g c = 1 cal/g° C TO = 20 ° C T = 36,5 ° C ∆T = 36,5 – 20 = 16,5 ° C 02. Dados: c = 0,271 cal/g° C m = 50 g Q = m . c . ∆T Q = 200 . 1 . 16,5 Q = 3 300 cal. b) ∆T = 20 - 80 = - 60 ° C Q = m.c.∆T = 50 . 0,217 . 50 Q = m.c.∆T = 50 . 0,217 . (- 60) Q = 542,5 cal 03. Dados: Q = 6 000 cal m = 250 g ∆T = 40 ° C a) ∆T = 60 – 10 = 50 °C Q = - 651 cal Q = m.c.∆T 6000 = 250 . c. 40 6000 = 10000c c = 6000/10000 c = 0,6 cal/g° C 04. Dados: V = 200 L 3 m = 200 kg = 200 . 10 kg To = 15 ° C T = 70 ° C ∆T = 70 – 15 = 55 ° C ∆t = 3 h c = 1 cal/g° C a) Q = m . c . ∆T 3 Q = 200 . 10 . 1 . 55 3 Q = 11000 . 10 7 Q = 1,1 . 10 cal b) A potência é em W (watts) = J/s, portanto temos que transformar cal em J e h em s. Como 1 cal = 4,18 J temos que: 7 7 Q = 1,1 . 10 . 4,18 = 4,6 . 10 J Como 1 h = 3600 s, temos que: 4 ∆t = 3 . 3600 = 10800 s = 1,08 . 10 s Assim teremos: P= Q ∆t 05. Dados: m = 10 kg = 10 000 g Q = 20 kcal = 20 000 cal To = 50 ° C T = 100 °C ∆T = 100 – 50 = 50 °C 7 3 → P = 4,6 . 10 → P = 4,3 . 10 W 4 1,08 . 10 a) Q = m . c . ∆T b) C = m . c 20 000 = 10 000 . c . 50 C = 10 000 . 0,04 20 000 = 500 000c C = 400 cal/°C c = 20 000 = 0,04 cal/g°C 500 000 Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 6. 46 06. Dados: P = 300 cal/min m = 800 g To = 50 ° C T = 100 °C ∆T = 100 – 50 = 50 °C ∆t = 40 min P= Q ∆t → 300 = Q 40 C= Q ∆T → Q = 300 . 40 = 12 000 cal → C = 12 000 50 → C = 240 cal/°C 07. Dados: m = 80 g a) Efetuando a leitura do gráfico: TF = 200 ° C. θ (° C) b) Q2 = 300 – 100 = 200 cal D 300 Q2 = m . LF → 200 = 80 . LF ∆T2 = 100 ° C B fusão 200 C líquido LF = 2,5 cal/g sólido ∆T1 = 100 ° C 100 c) Q1 = m . csol . ∆T → 100 = 80 . csol . 100 A C 100 = 8000csol → csol = 0,012 cal/g° 100 300 Q1 = 100 cal 600 Q (cal) d) Q3 = m . cliq . ∆T → 300 = 80 . cliq . 100 300 = 8000cliq → cliq = 0,0375 cal/g° C Q3 = 300 cal Q2 = 200 cal 08. Dados: m = 200 g Qs = 1 800 cal To = 30 ° C T = 40 ° C ∆T = 40 – 30 = 10 ° C QL = 3 200 cal a) C = Q = 1 800 = 180 cal/°C ∆T 10 3 200 = 200 . LF LF = 3 200 =16 cal/g 200 09. CAl = m . c = 100 . 0,217 = 21,7 cal/°C CFe = m . c = 200 . 0,113 = 22,6 cal/°C CCu = m . c = 300 . 0,093 = 27,9 cal/°C CAg = m . c = 400 . 0,056 = 22,4 cal/°C CPb = m . c = 500 . 0,031 = 15,5 cal/°C 10. Dados: P = 120 J/s 3 1 kcal = 4,0 . 10 J b) Q=m.L Em ordem crescente temos que: CPb < CAl < CAg < CFe < CCu Primeiro devemos descobrir quanto de energia um adulto consome em 1 dia, para isso temos que lembrar que em 1 dia temos 24 h e transformá-las em segundos. 1 h ---------------- 3600 s 24 h ---------------- x x = 24 . 3600 x = 86400 s Agora usando a fórmula da potência calculamos a energia. P= Q ∆t Prof. Thiago Miranda → 120 = Q 86400 3 → Q = 120 . 86400 = 10368000J = 10368 . 10 J o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 7. 47 Agora basta fazermos a seguinte regra de três: 3 1 caloria elementar -------------- 4,0 . 10 J 3 N calorias elementares ---------- 10368 . 10 J 3 3 N = 103688 . 10 = 2592 calorias elementares ≡ 2,6 . 10 calorias elementares. 3 4,0 . 10 11. Cálculo da massa de água: m = d . V → m = 1,0 . 1,0 → m = 1,0 kg = 1000 g Q = Qrecipiente + Qágua => Q = C. θ + m.c. t 2 Q = 2 . 10 . 25 + 1000 . 1 . 25 Q = 5000 + 25000 → 12. Pot = Q/ t => Pot = m.c. T/ t 4 Q = 3 .10 cal → 30 = (100 . c . 10)/90 → c = 2,7 J/g.ºC → 13. Cálculo da massa de água: m = d . V 3 3 3 Sendo d = 1 g/cm e V = 20 L = 20.10 cm , vem: 3 3 m = 1 . 20 . 10 = 20 . 10 g Q=m.c. T Pot = Q/ t 3 Q = 20 . 10 . 1 . 30 → 3 14. Qcalorímetro + Qágua = 0 60T = 3600 5 3 . 10 = (24 . 10 )/ t → → → → → 5 5 Q = 6 . 10 cal = 24 . 10 J t = 800 s = 13 min 20 s C. t+m.c. T=0 → 20.(T - 20) + 40 . 1 . (T - 80) = 0 T = 60 ºC 15. Qbloco1 + Qágua1 = 0 → 1000 . c . (20 - T) + 300 . 1 . (20 - 10) = 0 → Qbloco2 + Qágua2 = 0 → 1000 . c . (25 - T) + 200 . 1 . (25 - 15) = 0 → c . (25 - T) = -2 (2) (1) ÷ (2) → (20 - T)/(25 - T) = 3/2 → 40 – 2T = 75 – 3T → c . (20 - T) = - 3 (1) T = 35 ºC De (1): c = 0,2 cal/g/ºC 16. QA + QB = 0 → mA . cA . (18 - 12) + mB . cB . (18 - 20) = 0 QB + QC = 0 → mB . cB . (22 - 20) + mC.cC . (22 - 24) = 0 QA + QC = 0 → mA . cA . (T - 12) + mC . cC . (T - 24) = 0 T - 12 = - 3T + 72 → → → → mB . cB = 3mA . cA (1) mB . cB = mC .cC (2) (mB.cB/3) . (T - 12) +mB . cB . (T - 24) = 0 T = 21 ºC 17. O equivalente em água do calorímetro é a massa de água cuja capacidade térmica é igual à do calorímetro. Sendo C a capacidade térmica do calorímetro e mágua a massa de água cuja capacidade térmica é a mesma do calorímetro, podemos escrever: Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-
  • 8. 48 C = mágua . cágua Qcalorímetro + Qágua + Qóleo = 0 → mágua .c . (40 - 20) + 100 . 1 . (40 - 30) + 200 . 0,5 . (40 - 60) = 0 mágua . cágua . 20 + 1000 - 2000 = 0 Sendo cágua = 1 cal/g.ºC, vem: mágua = 50 g 18. OPÇÃO C. 19. OPÇÃO C. 20. V, F, V, F. 21. 01 + 04 + 08 + 16 + 32 22. 04 + 16 23. 02 + 04 + 08 + 16 24. OPÇÃO D. 25. OPÇÃO B. 26. OPÇÃO C. 27. OPÇÃO A. Prof. Thiago Miranda o-mundo-da-fisica.blogspot.com mundo-da-