SlideShare uma empresa Scribd logo
Da Teoria à Prática do Behaviorismo
Radical: Aplicações na Saúde e nas
Organizações
Da Teoria à Prática do Behaviorismo
Radical: Aplicações na Saúde e nas
Organizações
COMPONENTES
ANA KIHARA GOMES DE SOUSA FONTINELES
CAMYLA VITÓRIA LIMA SOARES
CHARLENE VIANA MAGALHÃES
IRLEANNA CRISTYNE PEREIRA OLIVEIRA
JANAILDE GODINHO SANTOS
LUÍS ALBERTO DE LIMA CLARO
JANAÍNA SOUSA DA SILVA
JAQUELINE AMANDA SILVA DE OLIVEIRA GONÇALVES
MARIA DA CONCEIÇÃO DA SILVEIRA DE MOURA
MARINE MARIA DE MORAIS SILVA
VALQUÍRIA FERNANDES OLIVEIRA
VILCIELEN DA SILVA ALVES
ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
APLICADA ÀS ORGANIZAÇÕES
DEFINIÇÃO
▪ O Comportamento Organizacional é o estudo dos indivíduos
(individualmente ou em grupo) e o do seu comportamento dentro do
contexto de uma organização e num determinado ambiente de
trabalho.
▪ O Comportamento Organizacional estuda as ações e atitudes de
indivíduos (enquanto atores diretos do funcionamento da organização)
e a forma comportamental de atuação de uma organização, como um
todo, bem como o seu efeito sobre o seu funcionamento e o
desempenho.
▪ O Comportamento Organizacional envolve o estudo da aprendizagem,
percepção, criatividade, motivação, personalidade, o desempenho da
tarefa, o comportamento cooperativo, os comportamentos desviantes,
ética e cognição.
A abordagem Contingencial
Não existe uma única maneira para melhor gerir pessoas.
– Diferentes situações requerem abordagens diversificadas de gestão na
tomada de decisões sobre os métodos e processos de gestão.
– O conhecimento do comportamento organizacional e a gestão efetiva é
essencial antes de decidir um determinado curso de ação.
– As organizações têm expectativas em relação aos seus funcionários
(enquanto colaboradores) e vice-versa. Ou seja, a organização espera
alcançar os seus objetivos através das ações dos seus funcionários na
realização e concretização de tarefas. Os funcionários esperam
alcançar, através da organização, os seus objetivos pessoais. A esta
interdependência designa-se de processo de reciprocidade.
O Desenvolvimento do Comportamento
Organizacional
A Gestão das Necessidades e o Comportamento
Necessidades e
Desejos do
Colaborador
Comportamento
do
Colaborador
Ação dos
Gestores
Meio envolvente
▪ As diferentes formas da gestão emocional não são, naturalmente, dadas
como simples traços da personalidade ou simples perfis tipificáveis dos
seres humanos. A perspectiva histórica mostra que existem diversas
formas de lidar e interpretar como as pessoas lidam com as suas
emoções.
▪ Num adulto a gestão emocional é um processo de aprendizagem e em
estreita relação com as dependências vividas por cada um de nós. De
fato, as habilidades de gestão das emoções tem que ser reaprendido
por cada nova geração.
▪ Na nossa sociedade existem diferentes vivências e uma história pessoal
diferenciada, aprendemos e criamos padrões de poder e de
dependência. Os pressupostos de auto-organização e de disciplina são
diferentes de pessoa para pessoa. O que para uns pode ser o mais
correto, poderá ser incorrecto para outros. A incompreensão, as tensões
pessoais e conflitos são o resultado mais notório no comportamento e na
gestão emocional.
A Gestão das Emoções e o Comportamento
▪ As atitudes e o comportamento formam em muitas situações a criação
de maneiras de estar das empresas, criando culturas próprias e em
formas de comunidade fechadas (way of life);
▪ A dissonância cognitiva acontece quando entramos em contradição com
as nossas crenças, atitudes e ações. Um exemplo clássico de
dissonância cognitiva é a de qualquer fumante saber que o cigarro é um
dos causadores do câncer do pulmão, de doenças respiratórias e de
redução na esperança de vida; mas continua a fumar (atitude) e ao
mesmo tempo desejar ter uma longa vida saudável, já que os malefícios
do tabaco só afectam alguns (crença);
A minimização de dissonâncias cognitivas nas organizações acontece
quando o bem estar e a gestão das organizações é colocado como uma
das orientações
▪
O Comportamento e a Dissonância Cognitiva
O Comportamento Organizacional ajuda a explicar
porque diferentes práticas podem afetar o esforço
de produtividade, de motivação e de avaliação dos
colaboradores numa empresa, mas também
compreender, prevenir e prever os efeitos
resultantes das políticas de gestão de recursos
humanos.
Em resumo o Comportamento Organizacional
CONTRIBUIÇÃO DA ANÁLISE DO
COMPORTAMENTO PARA A ÁREA DA SAÚDE
Considerando as múltiplas interações entre o sujeito e o
ambiente, pode-se concluir que, um dos fatores
fundamentais na manutenção de estados de saúde são os
padrões comportamentais de cada indivíduo. Sabe-se que
as respostas emitidas pelos sujeitos implicam diretamente
em seus estados de saúde. Sendo assim, uma das ciências
que pode contribuir com a análise e intervenção na saúde
individual ou coletiva, como propõe a Psicologia da Saúde, é
a Análise do Comportamento.
COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE ANÁLISE DO
COMPORTAMENTO E ÁREA DA SAÚDE
Para a Análise do Comportamento, uma resposta, seja
ela considerada “saudável” ou não, foi selecionada pelas
consequências e, portanto, é adaptativa as condições
ambientais e integrada ao repertório do sujeito, gerando a
necessidade de compreendê-la funcionalmente para
possíveis intervenções. A compreensão de quais
contingências afetam ou afetaram o comportamento do
sujeito é de vital importância para as intervenções na
saúde.
COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE ANÁLISE DO
COMPORTAMENTO E ÁREA DA SAÚDE
A forma como um sujeito se comporta altera as
condições integrantes do continuum saúde-doença
o que configura uma complexa interrelação entre
as respostas que o sujeito emite, as variáveis que
controlam seus comportamentos e, também, as
múltiplas condições que promovem ou não
estados de saúde
COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE ANÁLISE DO
COMPORTAMENTO E ÁREA DA SAÚDE
COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE
Para entendermos como a Análise do
Comportamento se relaciona com a saúde, é
necessário resgatar alguns pressupostos básicos do
Behaviorismo Radical, filosofia que sustenta a
ciência do comportamento, a saber: a) A noção de
comportamento como interação entre organismo e
ambiente, e sua sujeição às leis do reforço; b) A
multideterminação do comportamento e a influência
dos três níveis de variação e seleção: filogênese,
ontogênese e cultura.
COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE?
c) A noção de monismo físico, contrapondo-se
à visão dualista predominante no senso
comum e em teorias psicológicas e filosóficas
tradicionalistas. É claro que apenas esses três
elementos não são os únicos necessários ao
entendimento da visão analítico-
comportamental sobre as psicopatologias,
mas, para fins de um texto [bastante!]
introdutório sobre o tema, considero-os os
essenciais.
COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE?
A saúde pode ser compreendida como o bem estar
físico, psicológico e social. Já a psicologia na saúde é
compreendida como uma área de atuação que utiliza de
vários procedimentos e ações por meio de uma
perspectiva positiva de promover qualidade de vida. A
promoção da saúde tem como base práticas
interventivas e preventivas, breves ou extensas,
individual ou em grupo, que estão direcionadas ao
paciente e/ou ao seu ambiente.
COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE?
A principal ênfase do profissional que utiliza esta abordagem
Behaviorista é investigar a relação de contingências de
dependência entre as variáveis ambientais e a ação do
indivíduo em um determinado contexto. A Análise do
Comportamento compreende que por mais inadequado que
determinada conduta/estado possa parecer a priori, ela tem
sua função, pois foi selecionada historicamente por
consequências reforçadoras.
COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE?
O principal objetivo desta abordagem é o de verificar em
quais contingências determinados comportamentos
clinicamente relevantes se instalaram e quais as variáveis
ambientais que o mantém. Esta abordagem também
possibilita ao indivíduo o autoconhecimento e a promoção de
mudanças comportamentais salutares assim como pode ser
fator protetor para possíveis comportamentos aversivos.
COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO
CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE?
O behaviorismo não utiliza apenas a aplicação básica de
métodos ou instrumentos, mas também contempla uma
investigação detalhada de condutas que sejam relevantes
para a promoção da saúde do sujeito e busca trazer uma
maior capacidade de discriminação e controle de tais
comportamentos, assim como sua generalização não apenas
para o ambiente terapêutico, mas também para o ambiente
natural dos pacientes.
CONCLUINDO...
É importante difundir a psicoterapia comportamental
como uma das possíveis formas de promoção à
saúde de indivíduos, sendo uma abordagem
disponibilizada em distintos centros integrados de
saúde.
REFERÊNCIAS
CALHEIROS, T. C., Amaral, M., Gon, M. C. C., & Costa Júnior, Á. L.
(2016). Análise do comportamento e saúde: levantamento e análise
de artigos em bases de acesso livre. Temas em Psicologia, 24(3), 947-
961. https://doi.org/10.9788/ TP2016.3-10Pt
CORREIA, Matheus Rodrigues; DUTRA, Júlio Afonso Alves.
Comportamento Organizacional e Análise da Atuação dos
Recursos Humanos. Id on Line Rev. Psic., Maio/2022, vol.16, n.60, p.
908-926, ISSN: 1981-1179.
MARIN, R., Moraes, A.B.A., & Faleiros, P. B. (2017). Uma revisão de
temas da saúde estudados pela análise do comportamento. In D.
L. O. Vilas Boas, F. Cassas, H. L. Gusso, & P. C. M. Mayer
(Orgs.), Comportamento em foco (v. 6, pp. 156-168). São Paulo:
Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental.
RIBEIRO, M. (no prelo). Psicologia e Gestão de Pessoas:
Reflexões, Críticas e Temas Afins. Editora Vetor. [ Links ]

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx

Texto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICO
Texto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICOTexto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICO
Texto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICO
Psicologia_2015
 
Etica em Psicoterapia
Etica em PsicoterapiaEtica em Psicoterapia
Etica em Psicoterapia
Marcelo da Rocha Carvalho
 
A clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamentalA clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamental
Taís Calheiros
 
Curso de gestão de pessoal parte 1/5
Curso de gestão de pessoal   parte 1/5Curso de gestão de pessoal   parte 1/5
Curso de gestão de pessoal parte 1/5
ABCursos OnLine
 
Joana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticosJoana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticos
comunidadedepraticas
 
Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no TrabalhoQualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho
Henrique Abrantes
 
éTica e enfermagem
éTica e enfermageméTica e enfermagem
éTica e enfermagem
Maria Clara Figueiredo
 
Terapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentaisTerapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentais
Rodrigo Abreu
 
Abordagens Tratamento das Drogas.ppt
Abordagens Tratamento das Drogas.pptAbordagens Tratamento das Drogas.ppt
Abordagens Tratamento das Drogas.ppt
AntnioMalvarMartinsN1
 
Comportamentoorganizacional
ComportamentoorganizacionalComportamentoorganizacional
Comportamentoorganizacional
marioedsonminillo
 
Abordagem Comportamental
Abordagem ComportamentalAbordagem Comportamental
Abordagem Comportamental
rafaelpouzada
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Rui Loureiro
 
Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?
Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?
Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?
MaeSoaresdaSilva
 
Psicologia Organizacional
Psicologia OrganizacionalPsicologia Organizacional
Psicologia Organizacional
Salvador Abreu
 
Trabalho em Power Point
Trabalho em Power PointTrabalho em Power Point
Trabalho em Power Point
BetaBetuxa
 
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
Fabio Ferreira
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
Leon Pires
 
Ética em Intervenção Neuropsicologica
Ética em Intervenção NeuropsicologicaÉtica em Intervenção Neuropsicologica
Ética em Intervenção Neuropsicologica
Emanuel F. da Conceição António
 
Diagnósticos de Enfermagem Negligenciados
Diagnósticos de Enfermagem NegligenciadosDiagnósticos de Enfermagem Negligenciados
Diagnósticos de Enfermagem Negligenciados
resenfe2013
 
TCC. Maria do Carmo Cruz da Conceição
TCC. Maria do Carmo Cruz da ConceiçãoTCC. Maria do Carmo Cruz da Conceição
TCC. Maria do Carmo Cruz da Conceição
Fábio Munhoz
 

Semelhante a Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx (20)

Texto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICO
Texto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICOTexto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICO
Texto 6 ACONSELHAMENTO PSICOLOGICO
 
Etica em Psicoterapia
Etica em PsicoterapiaEtica em Psicoterapia
Etica em Psicoterapia
 
A clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamentalA clínica analítico-comportamental
A clínica analítico-comportamental
 
Curso de gestão de pessoal parte 1/5
Curso de gestão de pessoal   parte 1/5Curso de gestão de pessoal   parte 1/5
Curso de gestão de pessoal parte 1/5
 
Joana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticosJoana_Grupos_terapeuticos
Joana_Grupos_terapeuticos
 
Qualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no TrabalhoQualidade de Vida no Trabalho
Qualidade de Vida no Trabalho
 
éTica e enfermagem
éTica e enfermageméTica e enfermagem
éTica e enfermagem
 
Terapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentaisTerapias Cognitivas- compoortamentais
Terapias Cognitivas- compoortamentais
 
Abordagens Tratamento das Drogas.ppt
Abordagens Tratamento das Drogas.pptAbordagens Tratamento das Drogas.ppt
Abordagens Tratamento das Drogas.ppt
 
Comportamentoorganizacional
ComportamentoorganizacionalComportamentoorganizacional
Comportamentoorganizacional
 
Abordagem Comportamental
Abordagem ComportamentalAbordagem Comportamental
Abordagem Comportamental
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?
Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?
Ética_Psicologia: O que é Ética na psicologia?
 
Psicologia Organizacional
Psicologia OrganizacionalPsicologia Organizacional
Psicologia Organizacional
 
Trabalho em Power Point
Trabalho em Power PointTrabalho em Power Point
Trabalho em Power Point
 
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
A ÉTICA NA INSTIUIÇÃO DE SAÚDE: desafios do ser ético na atuação do psicólogo...
 
Teoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracaoTeoria comportamental administracao
Teoria comportamental administracao
 
Ética em Intervenção Neuropsicologica
Ética em Intervenção NeuropsicologicaÉtica em Intervenção Neuropsicologica
Ética em Intervenção Neuropsicologica
 
Diagnósticos de Enfermagem Negligenciados
Diagnósticos de Enfermagem NegligenciadosDiagnósticos de Enfermagem Negligenciados
Diagnósticos de Enfermagem Negligenciados
 
TCC. Maria do Carmo Cruz da Conceição
TCC. Maria do Carmo Cruz da ConceiçãoTCC. Maria do Carmo Cruz da Conceição
TCC. Maria do Carmo Cruz da Conceição
 

Mais de ValquiriaFernandesOl2

indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptxindicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Rose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdfRose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdf
ValquiriaFernandesOl2
 
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.pptPsicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
Aula I.pptx
Aula I.pptxAula I.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptxA sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptxFormação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
ValquiriaFernandesOl2
 
Análise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptxAnálise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptxSLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
Deficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.pptDeficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdfEDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
ValquiriaFernandesOl2
 
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
ValquiriaFernandesOl2
 
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.pptAula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
ValquiriaFernandesOl2
 

Mais de ValquiriaFernandesOl2 (15)

indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptxindicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
indicadoresdequalidadenaeducaoinfantil-120725212718-phpapp01.pptx
 
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptxppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
ppt-2-avaliac3a7c3a3o-e-flexibilizac3a7c3a3o-curricular (3).pptx
 
Rose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdfRose Piaget 1 (1).pdf
Rose Piaget 1 (1).pdf
 
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.pptPsicomotricidade Relacional 2.ppt
Psicomotricidade Relacional 2.ppt
 
Aula I.pptx
Aula I.pptxAula I.pptx
Aula I.pptx
 
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptxA sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
A sexualidade na vida da pessoa com deficiência.pptx
 
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptxFormação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
Formação Pacto - Módulo 01 - Professores - 2023 dayanne(1).pptx
 
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
Slide da Web - Estágio Curricular Supervisionado de Áreas Específicas - Prof....
 
Análise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptxAnálise do Desenho Infantil.pptx
Análise do Desenho Infantil.pptx
 
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptxSLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
SLIDE_DO_PROJETO_SS_NA_ESCOLA.pptx
 
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).pptppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
ppt-formao-educao-especial-2 (5).ppt
 
Deficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.pptDeficiência Auditiva.ppt
Deficiência Auditiva.ppt
 
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdfEDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
EDITAL REFORMA ESCOLA VITORINO FREIRE.pdf
 
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
15_setembro_Angela_SESC_ENEM.pptx
 
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.pptAula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
Aula I - Impacto da pandemia na perspectiva de educação inclusiva.ppt
 

Último

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Biblioteca UCS
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
Escola Municipal Jesus Cristo
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
MariaFatima425285
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
carlaslr1
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
DanielCastro80471
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
MatildeBrites
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
Manuais Formação
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, CPAD, A Realidade Bíblica do Inferno, 2Tr24.pptx
 
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
BULLYING NÃO É AMOR.pdf LIVRO PARA TRABALHAR COM ALUNOS ATRAVÉS DE PROJETOS...
 
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdfEJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
EJA -livro para professor -dos anos iniciais letramento e alfabetização.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
Sistema de Bibliotecas UCS - Chronica do emperador Clarimundo, donde os reis ...
 
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docxPROPOSTA CURRICULAR  EDUCACAO FISICA.docx
PROPOSTA CURRICULAR EDUCACAO FISICA.docx
 
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptxFato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
Fato X Opinião (Língua Portuguesa 9º Ano).pptx
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdfCaderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
Caderno de Formação_PORTUGUÊS ESTRAN.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdfEspecialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
Especialidade - Animais Ameaçados de Extinção(1).pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023Memorial do convento slides- português 2023
Memorial do convento slides- português 2023
 
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manualUFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
UFCD_8298_Cozinha criativa_índice do manual
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 

Análise do Comportamento nas Organizações e na Saúde.pptx

  • 1. Da Teoria à Prática do Behaviorismo Radical: Aplicações na Saúde e nas Organizações
  • 2. Da Teoria à Prática do Behaviorismo Radical: Aplicações na Saúde e nas Organizações COMPONENTES ANA KIHARA GOMES DE SOUSA FONTINELES CAMYLA VITÓRIA LIMA SOARES CHARLENE VIANA MAGALHÃES IRLEANNA CRISTYNE PEREIRA OLIVEIRA JANAILDE GODINHO SANTOS LUÍS ALBERTO DE LIMA CLARO JANAÍNA SOUSA DA SILVA JAQUELINE AMANDA SILVA DE OLIVEIRA GONÇALVES MARIA DA CONCEIÇÃO DA SILVEIRA DE MOURA MARINE MARIA DE MORAIS SILVA VALQUÍRIA FERNANDES OLIVEIRA VILCIELEN DA SILVA ALVES
  • 4. DEFINIÇÃO ▪ O Comportamento Organizacional é o estudo dos indivíduos (individualmente ou em grupo) e o do seu comportamento dentro do contexto de uma organização e num determinado ambiente de trabalho. ▪ O Comportamento Organizacional estuda as ações e atitudes de indivíduos (enquanto atores diretos do funcionamento da organização) e a forma comportamental de atuação de uma organização, como um todo, bem como o seu efeito sobre o seu funcionamento e o desempenho. ▪ O Comportamento Organizacional envolve o estudo da aprendizagem, percepção, criatividade, motivação, personalidade, o desempenho da tarefa, o comportamento cooperativo, os comportamentos desviantes, ética e cognição.
  • 5. A abordagem Contingencial Não existe uma única maneira para melhor gerir pessoas. – Diferentes situações requerem abordagens diversificadas de gestão na tomada de decisões sobre os métodos e processos de gestão. – O conhecimento do comportamento organizacional e a gestão efetiva é essencial antes de decidir um determinado curso de ação. – As organizações têm expectativas em relação aos seus funcionários (enquanto colaboradores) e vice-versa. Ou seja, a organização espera alcançar os seus objetivos através das ações dos seus funcionários na realização e concretização de tarefas. Os funcionários esperam alcançar, através da organização, os seus objetivos pessoais. A esta interdependência designa-se de processo de reciprocidade. O Desenvolvimento do Comportamento Organizacional
  • 6. A Gestão das Necessidades e o Comportamento Necessidades e Desejos do Colaborador Comportamento do Colaborador Ação dos Gestores Meio envolvente
  • 7. ▪ As diferentes formas da gestão emocional não são, naturalmente, dadas como simples traços da personalidade ou simples perfis tipificáveis dos seres humanos. A perspectiva histórica mostra que existem diversas formas de lidar e interpretar como as pessoas lidam com as suas emoções. ▪ Num adulto a gestão emocional é um processo de aprendizagem e em estreita relação com as dependências vividas por cada um de nós. De fato, as habilidades de gestão das emoções tem que ser reaprendido por cada nova geração. ▪ Na nossa sociedade existem diferentes vivências e uma história pessoal diferenciada, aprendemos e criamos padrões de poder e de dependência. Os pressupostos de auto-organização e de disciplina são diferentes de pessoa para pessoa. O que para uns pode ser o mais correto, poderá ser incorrecto para outros. A incompreensão, as tensões pessoais e conflitos são o resultado mais notório no comportamento e na gestão emocional. A Gestão das Emoções e o Comportamento
  • 8. ▪ As atitudes e o comportamento formam em muitas situações a criação de maneiras de estar das empresas, criando culturas próprias e em formas de comunidade fechadas (way of life); ▪ A dissonância cognitiva acontece quando entramos em contradição com as nossas crenças, atitudes e ações. Um exemplo clássico de dissonância cognitiva é a de qualquer fumante saber que o cigarro é um dos causadores do câncer do pulmão, de doenças respiratórias e de redução na esperança de vida; mas continua a fumar (atitude) e ao mesmo tempo desejar ter uma longa vida saudável, já que os malefícios do tabaco só afectam alguns (crença); A minimização de dissonâncias cognitivas nas organizações acontece quando o bem estar e a gestão das organizações é colocado como uma das orientações ▪ O Comportamento e a Dissonância Cognitiva
  • 9. O Comportamento Organizacional ajuda a explicar porque diferentes práticas podem afetar o esforço de produtividade, de motivação e de avaliação dos colaboradores numa empresa, mas também compreender, prevenir e prever os efeitos resultantes das políticas de gestão de recursos humanos. Em resumo o Comportamento Organizacional
  • 10. CONTRIBUIÇÃO DA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PARA A ÁREA DA SAÚDE
  • 11. Considerando as múltiplas interações entre o sujeito e o ambiente, pode-se concluir que, um dos fatores fundamentais na manutenção de estados de saúde são os padrões comportamentais de cada indivíduo. Sabe-se que as respostas emitidas pelos sujeitos implicam diretamente em seus estados de saúde. Sendo assim, uma das ciências que pode contribuir com a análise e intervenção na saúde individual ou coletiva, como propõe a Psicologia da Saúde, é a Análise do Comportamento. COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE ANÁLISE DO COMPORTAMENTO E ÁREA DA SAÚDE
  • 12. Para a Análise do Comportamento, uma resposta, seja ela considerada “saudável” ou não, foi selecionada pelas consequências e, portanto, é adaptativa as condições ambientais e integrada ao repertório do sujeito, gerando a necessidade de compreendê-la funcionalmente para possíveis intervenções. A compreensão de quais contingências afetam ou afetaram o comportamento do sujeito é de vital importância para as intervenções na saúde. COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE ANÁLISE DO COMPORTAMENTO E ÁREA DA SAÚDE
  • 13. A forma como um sujeito se comporta altera as condições integrantes do continuum saúde-doença o que configura uma complexa interrelação entre as respostas que o sujeito emite, as variáveis que controlam seus comportamentos e, também, as múltiplas condições que promovem ou não estados de saúde COMPREENDENDO A RELAÇÃO ENTRE ANÁLISE DO COMPORTAMENTO E ÁREA DA SAÚDE
  • 14. COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE Para entendermos como a Análise do Comportamento se relaciona com a saúde, é necessário resgatar alguns pressupostos básicos do Behaviorismo Radical, filosofia que sustenta a ciência do comportamento, a saber: a) A noção de comportamento como interação entre organismo e ambiente, e sua sujeição às leis do reforço; b) A multideterminação do comportamento e a influência dos três níveis de variação e seleção: filogênese, ontogênese e cultura.
  • 15. COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE? c) A noção de monismo físico, contrapondo-se à visão dualista predominante no senso comum e em teorias psicológicas e filosóficas tradicionalistas. É claro que apenas esses três elementos não são os únicos necessários ao entendimento da visão analítico- comportamental sobre as psicopatologias, mas, para fins de um texto [bastante!] introdutório sobre o tema, considero-os os essenciais.
  • 16. COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE? A saúde pode ser compreendida como o bem estar físico, psicológico e social. Já a psicologia na saúde é compreendida como uma área de atuação que utiliza de vários procedimentos e ações por meio de uma perspectiva positiva de promover qualidade de vida. A promoção da saúde tem como base práticas interventivas e preventivas, breves ou extensas, individual ou em grupo, que estão direcionadas ao paciente e/ou ao seu ambiente.
  • 17. COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE? A principal ênfase do profissional que utiliza esta abordagem Behaviorista é investigar a relação de contingências de dependência entre as variáveis ambientais e a ação do indivíduo em um determinado contexto. A Análise do Comportamento compreende que por mais inadequado que determinada conduta/estado possa parecer a priori, ela tem sua função, pois foi selecionada historicamente por consequências reforçadoras.
  • 18. COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE? O principal objetivo desta abordagem é o de verificar em quais contingências determinados comportamentos clinicamente relevantes se instalaram e quais as variáveis ambientais que o mantém. Esta abordagem também possibilita ao indivíduo o autoconhecimento e a promoção de mudanças comportamentais salutares assim como pode ser fator protetor para possíveis comportamentos aversivos.
  • 19. COMO A ANÁLISE DO COMPORTAMENTO CONTRIBUI NA ÁREA DA SAÚDE? O behaviorismo não utiliza apenas a aplicação básica de métodos ou instrumentos, mas também contempla uma investigação detalhada de condutas que sejam relevantes para a promoção da saúde do sujeito e busca trazer uma maior capacidade de discriminação e controle de tais comportamentos, assim como sua generalização não apenas para o ambiente terapêutico, mas também para o ambiente natural dos pacientes.
  • 20. CONCLUINDO... É importante difundir a psicoterapia comportamental como uma das possíveis formas de promoção à saúde de indivíduos, sendo uma abordagem disponibilizada em distintos centros integrados de saúde.
  • 21. REFERÊNCIAS CALHEIROS, T. C., Amaral, M., Gon, M. C. C., & Costa Júnior, Á. L. (2016). Análise do comportamento e saúde: levantamento e análise de artigos em bases de acesso livre. Temas em Psicologia, 24(3), 947- 961. https://doi.org/10.9788/ TP2016.3-10Pt CORREIA, Matheus Rodrigues; DUTRA, Júlio Afonso Alves. Comportamento Organizacional e Análise da Atuação dos Recursos Humanos. Id on Line Rev. Psic., Maio/2022, vol.16, n.60, p. 908-926, ISSN: 1981-1179. MARIN, R., Moraes, A.B.A., & Faleiros, P. B. (2017). Uma revisão de temas da saúde estudados pela análise do comportamento. In D. L. O. Vilas Boas, F. Cassas, H. L. Gusso, & P. C. M. Mayer (Orgs.), Comportamento em foco (v. 6, pp. 156-168). São Paulo: Associação Brasileira de Psicologia e Medicina Comportamental. RIBEIRO, M. (no prelo). Psicologia e Gestão de Pessoas: Reflexões, Críticas e Temas Afins. Editora Vetor. [ Links ]