SlideShare uma empresa Scribd logo
COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
SUAS INFLUÊNCIAS NO AMBIENTE DO TRABALHO
Santos, Desilmaria Dias das Neves¹
Espírito Santo, Denise Felix²
RESUMO
Este artigo tem como propósito apontar um tema que até em meados da
década dos anos 80 não se dava muita importância para sua aplicabilidade dentro
das organizações, que é o comportamento organizacional e suas influencias no
ambiente de trabalho. Em outras palavras, o comportamento organizacional refere
se a Habilidade Humana e quanto suas ações interferem na produtividade, no clima,
na eficácia e desenvolvimento dos negócios.
Entender o comportamento organizacional é fundamental para o
desenvolvimento de pessoas, grupos e a organização.
Comportamento organizacional é o campo de estudo que investiga o impacto
que o indivíduo, grupo e estrutura organizacional influenciam o comportamento
dentro da organização, com o propósito de utilizar o conhecimento em melhorias e
eficácia organizacional.
PALAVRA CHAVE: Comportamento, Organização, Grupos, Indivíduos, Estrutura
¹Tecnóloga em Petróleo e Gás (FAESA/ES), Especialista em Gestão, Licenciamento e Auditoria Ambiental
(UNOPAR), Pós Graduada em Sistema de Gestão Integrado em Petróleo (AVM/RJ) e Pós - Graduando em
Gestão de Processos e Qualidade (UNINTER) .
²Engenheira Eletricista (UFPR), Especialista em Planejamento e Gerenciamento Estratégico (PUC-PR),
orientadora de TCC do centro Universitário (UNINTER)
1 INTRODUÇÃO
Até meados da década de 80 as organizações enfatizavam as habilidades
técnicas para o desenvolvimento de seu negócio, deixando a área do
comportamento de lado.
Nas últimas décadas, os executivos perceberam a importância do
conhecimento do papel humano e suas habilidades dentro da organização.
Deu inicio a uma nova era, onde a organização se preocupa com o que as
pessoas fazem dentro da empresa.
O comportamento organizacional auxilia os executivos através do campo de
estudo que se preocupa com as ações das pessoas dentro da organização e como
esse comportamento interfere no desempenho da empresa.
Entender o comportamento organizacional é fundamental para conhecer as
variáveis do comportamento, de modo a obter eficácia organizacional.
O comportamento organizacional é o conjunto de todos os comportamentos
praticados dentro de uma organização, independente do nível da organização e
hierarquia das pessoas.
Na Ciência, o comportamento organizacional se apóia em outras diversas
disciplinas comportamentais com predominância as disciplinas de Psicologia e
Psicologia Social, Sociologia, Antropologia e Ciência Política, que procura
compreender como o comportamento dos indivíduos e suas influências dentro da
organização.
O objetivo do estudo é melhorar as Habilidades humanas e a eficácia dos
processos, tendo como principais benefícios o aumento de produtividade, diminuição
do turnover, retenção de talentos, aumento da produtividade, entre outros.
Robbins (2005, p.7) coloca que o campo de comportamento organizacional
estuda o comportamento dos indivíduos com o propósito de melhorar a eficácia
organizacional.
Sobral e Mansur (2013) definem o comportamento organizacional como um
campo de estudo sistemático do comportamento dos indivíduos e dos grupos nas
organizações, assim como a estrutura e comportamento da organização.
O estudo no comportamento organizacional é divido em três níveis de
analise, sendo do Individuo, Grupo e Estrutura Organizacional, e dentro desses
níveis existem várias outras temáticas.
2
Robbins (2005 pg. 7) enfatiza que o estudo do comportamento está voltado
aos campos das funções que levam ao absenteísmo, rotatividade, produtividade,
desempenho humano e administração.
Embora o campo de estudo envolva várias disciplinas, existem segundo
Robbins (2005, pg. 07) componentes básicos para o comportamento organizacional,
como a motivação, comportamento e poder de liderança, comunicação interpessoal,
estrutura e processos de grupos, aprendizado, desenvolvimento de atitudes, e
percepção, processos de mudança, conflitos, planejamento do trabalho e estresse
no trabalho.
O desafio da atualidade para o estudo do comportamento organizacional está
em manter um ambiente de trabalho positivo, assim como, administração de
conflitos e o gerenciamento de aspectos como a globalização, diversidade da força
de trabalho, atendimento ao cliente, inovação e mudança, temporariedade,
organização interconectadas, equilíbrio entre a vida pessoal e profissional,
comportamento ético e administração de crise.
Segundo, Robbins (2005, p. 13) um dos desafios mais importante e
abrangente pelas organizações hoje em dia é a adaptação às diferenças entre as
pessoas.
A oportunidade do comportamento organizacional está em melhorar as
habilidades das pessoas e grupos desenvolvendo incentivo, satisfação, garantindo
qualidade de vida e trabalho, aumento da produtividade, diminuir a rotatividade e o
absenteísmo.
Segundo, Robbins (2005, p. 2) o reconhecimento das habilidades
interpessoais por parte dos executivos está estreitamente relacionada com as
necessidades das organizações de conseguir reter funcionários com alto nível de
desempenho, ou seja, perder esses profissionais com alta competência é perder
mercado, pois funcionários que se destacam estão em falta e a alta competitividade
do mercado e empresas com reputação elevadas leva vantagem na hora de suas
escolhas, tornando esse profissional escasso no mercado e mais valorizado.
No cenário atualmente competitivo, reconhecer a habilidade interpessoal e
técnica deve estar entre as estratégias da gestão do século XXI.
3
2 FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO
O comportamento é desenvolvido ao longo das experiências vividas na vida,
pode ser mudado através de estímulos e fortes influencias interna e externa.
O comportamento diz respeito como a pessoa reage em um meio que vive
diante de situações e estímulos recebidos. Como ser sociável o ser humano tem
necessidade de conviver com pessoas diferentes e em diferentes ambientes.
O comportamento organizacional é uma disciplina relativamente nova. Tem
experimentado alguma dificuldade quanto a sua emergência no campo de estudo ou
aplicação. Suas metas são orientar os administradores e executivos a ser mais
efetivo com relação à descrição, compreensão, previsão, controle do comportamento
humano.
2.1 DISCIPLINAS QUE CONTRIBUI PARA O ESTUDO DO COMPORTAMENTO
ORGANIZACIONAL
Psicologia: é a ciência que busca medir, explicar, e algumas vezes, modificar o
comportamento dos seres humanos e dos animais.
Sociologia: Estuda o sistema social no qual os indivíduos desempenham seus
papeis.
Psicologia Social: uma área dentro da psicologia que mistura conceitos da ciência
e da sociologia com foco na influencia de um individuo sobre o outro. Um dos temas
mais investigado é a Mudança.
Antropologia: estuda a sociedade para compreender os seres humanos e suas
atividades.
Ciência Política: estuda o comportamento dos indivíduos e dos grupos dentro de
um ambiente político.
4
2.2 HABILIDADE DOS ADMINISTRADORES
Habilidade Técnica – englobam a capacidade de aplicação de conhecimento ou
especialidades especificas.
Habilidade Humana – A capacidade de trabalhar com outras pessoas e grupos,
compreendendo-as e motivando – as. São competências importantes para a gestão,
assim os executivos precisam desenvolvê-las para motivar pessoas e melhorar a
eficácia dos negócios.
Habilidade Conceitual – A capacidade cognitiva para analisar e diagnosticar
situações complexas, como identificar problemas, desenvolver soluções alternativas
para corrigi-los, avaliar essas alternativas e selecionar a melhor.
3 ADMINISTRANDO DIVERSIDADE DA FORÇA DE TRABALHO
Um dos desafios enfrentados hoje em dia pela a organização é a adaptação
a diversidade da força de trabalho. São pessoas com diversidade de origem, raça,
sexo, idade, deficiência física, parceiro e religião e com vários níveis de cultura, etnia
e estilos de vidas, inseridas num mesmo lugar, tendo que se adaptar a cultura da
organização. O estudo de comportamento organizacional promove a capacidade
dos executivos lidarem com essas diferenças e oferece solução para administrar as
diversidades.
As pessoas não deixam seus valores culturais e preferências de estilo de vida
de lado, mas conseguem se adaptar a cultura da organização enquanto estão
inseridas nela. Para tanto, o desafio dos executivos é acomodar os diferentes grupo
e pessoas atendendo aos seus diferentes estilos de vida, necessidades familiares e
modo de trabalhar.
4 ESFERA DE ESTUDO DO COMPORTAMENTO
 INDIVIDUAL O comportamento individual é um dos campos de estudo do
comportamento organizacional com objetivo de entender a interação do indivíduo
com ambiente organizacional e suas contribuições para a cultura da empresa. A
5
análise do comportamento dos indivíduos é feita com base em suas motivações,
expectativas, habilidade e competências.
Existem varias variáveis que influenciam o comportamento das pessoas.
Sendo elas psicológica (percepção, atitudes, aprendizagem, motivação,
personalidade), variáveis fisiológicas (traços físicos e mentais), variáveis ambientais
(infância, adolescente e classe social) e todas essas variáveis são analisadas para o
estudo e entendimento humano.
 GRUPO - é um conjunto de indivíduos reunidos em torno de um interesse,
objetivo ou tarefa comum. Como seres têm necessidade de ser sociáveis e
partilhar de algum grupo em algum momento da vida. São formados por Grupo
Formal e Informal.
O estudo do comportamento em grupo tem como objetivo entender a
interação desse grupo através do Trabalho de Equipes, Dinâmica de Equipes,
Comunicação, Poder, Conflitos e Comportamento Grupal, aumentando a motivação
de todos e melhorando os resultados obtidos.
 ESTRUTURA ORGANIZACIONAL- O estudo no nível da estrutura esta
relacionado em como o comportamento organizacional pode ser afetado por
diferentes dimensões das organizações. Envolve o estudo das políticas, normas
e padrões da organização e como isso afeta o desempenho das pessoas no
comportamento dento da organização.
5 VARIAVEIS DE COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
Variável comportamental é algo que pode ser alterado, como por exemplo,
uma característica ou valor.
Segundo, Nádia Kienen e Sabrina Wolff (2002, p.13), em seu artigo defendem
que controlar variáveis implica em criar um ambiente que favoreça a ocorrência das
ações necessárias para a consecução dos objetivos organizacionais.
6
É variável do comportamento organizacional a satisfação com o trabalho,
produtividade dos funcionários, estresse no trabalho, capacidade, personalidade e
normas grupais.
5.1 VARIAVEL DEPENDENTE
 Produtividade
 Absenteísmo
 Rotatividade,
 Satisfação com o trabalho
 Comprometimento organizacional
5.2 VARIAVEL INDEPENDENTE
 Inteligência
 Personalidade
 Satisfação com o trabalho
 Experiência
 Motivação
 Padrões de reforço,
 Estilo de liderança
 Alocação de recompensas
 Métodos de seleção
 Planejamento organizacional.
6 FATORES QUE INFLUENCIAM O COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL
6.1 CULTURA ORGANIZACIONAL
É o conjunto de hábitos e crenças que foram estabelecidos por normas, valores,
atitudes e expectativas compartilhadas nas organizações. Toda organização tem
7
uma cultura, crença e valores que se traduzem em comportamento na forma
cognitiva. A cultura de uma organização não muda, porém os valores podem mudar
de acordo com convicções adquiridas no decorrer do tempo.
Com vários conceitos no mundo dos negócios e um tema bastante complexo
a Cultura Organizacional é definida pelo psicólogo social Edgar Schein (1980), como
Modelo de Schein, que se tornaram umas das influências para modelos de cultura
organizacional, que se baseia na idéia de que a cultura organizacional e dividida em
três níveis, Artefato, Normas e Valores, Crenças e Pressupostos.
“A cultura organizacional constitui a maneira pela qual cada organização
aprendeu a lidar com o ambiente. É uma complexa mistura de
pressuposições, crenças, comportamentos, história, mitos, metáforas e
outras idéias que, consideradas juntas, representam a maneira particular
de uma organização funcionar e trabalhar.” Chiavenato (2008 p. 224).
A cultura organizacional representa as normas informais e não informais que
orientam o comportamento dos membros de uma organização no dia-a-dia e que
direcionam suas ações para o alcance dos objetivos organizacionais. Chiavenato
(2008, p. 223).
Cultura é o conjunto de valores, crenças, atitudes, premissas, interpretações,
hábitos, costumes, práticas, conhecimento e comportamento partilhados por um
grupo de pessoas que mantêm sua coesão. Chiavenato (2008, p. 226),
Cada organização tem sua cultura própria, que denominamos cultura
organizacional ou cultura corporativa e que ela mantém e cultiva. Pode influenciar no
desempenho e resultados de um negocio. Na prática a cultura organizacional é
como cada organização quer ser percebida pelo mercado. È como se fosse um
código de conduta a ser seguido pelos membros inseridos na organização,
estimulado o comportamento que trazem resultado e desenvolvimento da empresa.
Em tempos atuais a cultura de uma organização é de suma importância tendo
em vista que é a identidade da empresa e o retrato de como ela se comporta. Por
via, é como ela se identifica no mercado e se diferencia das demais empresas.
6.2 CLIMA ORGANIZACIONAL
O clima é o resultado da cultura na organização como um todo. Constitui o meio
interno de uma organização, a atmosfera psicológica e característica que existe em
8
cada organização. Chiavenato (2008, p.229). Influencia a motivação e o
desempenho humano e a satisfação do trabalho.
“Constitui a qualidade ou a propriedade do ambiente organizacional que é
percebido ou experimentado pelos participantes da empresa e que influencia
o seu comportamento”. Chiavenato (2008, p.229)
O clima organizacional é a percepção dos movimentos gerados a partir das
ações e atitudes oriundas dos cumprimentos de normas e adaptação dos indivíduos
a cultura dentro da organização. O clima não pode ser tocado, mas pode ser
percebido e analisado.
Pode influenciar no comportamento dos indivíduos e grupos, provocando
alterações de comportamento positivamente ou negativamente.
“O termo Clima Organizacional refere-se especificamente às propriedades
motivacionais do ambiente interno de uma organização, ou seja, aos
aspectos internos de uma organização que levam à provocação de
diferentes espécies de motivação nos seus participantes”. Chiavenato
(2008, p. 229).
O clima organizacional não constitui um clima único e uniforme podendo
variar de acordo com a situação psicológica e o estágio motivacional em que se
encontra cada colaborador e a maneira como ele interpreta o contexto da empresa,
através das informações recebidas e percebidas no ambiente interno.
6.3 MOTIVAÇÃO
É como o impulso interno que leva à ação. Assim a principal questão da psicologia
da motivação é o porquê o individuo se comportar de determinada maneira.
“A motivação é um construto e se refere ao direcionamento momentâneo do
pensamento, da atenção, da ação a um objetivo visto pelo individuo como
positivo. Esse direcionamento ativa o comportamento e engloba conceitos
tão diversos como anseio, desejo, muita vontade, esforço, sonho, esperança
entre outros”. KOONTZ, Harold (1988).
Motivação é a impulsão de forças internas que se materializa através da
realização de desejos, objetivos individuais e necessidades humanas. Em outras
palavras, é o prazer e satisfação pela realização de algo desejado.
9
Segundo Robbins (2005, p.2), um estudo sobre a força de trabalho nos
Estados Unidos revelou que salários e benefícios adicionais não são os motivos
pelos quais uma pessoa gosta de seu emprego ou permanece nele. A qualidade no
trabalho e o apoio recebido no ambiente são os mais importantes.
Segundo o Site Portal Educação, motivar é ir além do dinheiro e do desejo. É
entender que o ser humano está em constante mudança e que a todo o momento
suas prioridades, desejos, vontades e necessidades também mudam.
Vivemos atualmente no mundo com economia extremamente capitalista onde
o mercado exige cada vez mais produtos e serviços com qualidade e excelência,
que faz com que as empresas busquem constantemente a preocupação com
satisfação e motivação de seu maior ativo dentro da organização que é o recurso
humano.
O colaborador estando motivado e satisfeito com o trabalho tende a obter
melhor desempenho nos resultados e a ser mais produtivo. Como conseqüência
desempenha um papel muito importante no crescimento e desenvolvimento da
empresa.
Para Abrahan Harold Maslow (1908-1970), “um psicólogo americano criador
da Teoria das Necessidades Humanas. O ser humano possui cinco categorias de
necessidades”, sendo elas:
1) Auto realização – moralidade, criatividade, espontaneidade, solução de
problemas, ausência de preconceito e aceitação dos fatos.
2) Auto - Estima – Auto - estima, confiança, conquista, respeito dos outros e
respeito aos outros.
3) Amor/Relacionamento – amizade, família e intimidade sexual.
4) Segurança – segurança do corpo, do emprego, dos recursos, da moralidade,
da família, da saúde e da prosperidade.
5) Fisiológica – respiração, comida, água, sexo, sono, homeostase e excreção
Estas necessidades estão representadas numa pirâmide onde na base se
encontras as necessidades mais básicas que estão diretamente relacionadas à
sobrevivência.
10
Individuo só sente o desejo de satisfazer a necessidade de um próximo
estádio se a do nível anterior estiver sanado, portanto a motivação para realizar
estes desejos vem de forma gradual.
Chiavenato (2008, p. 235), define:
 Auto Realização - Trabalho criativo e desafiante.
 Estima - Responsabilidade por resultados, reconhecimento e orgulho,
oportunidade e promoções.
 Sociais - Amizade dos colegas, espírito de equipe e gestor amigável.
 Segurança - condições segura de trabalho, remuneração e benefícios e
estabilidade no emprego.
 Fisiológicos - Intervalos de descanso, conforto físico e horário de trabalho
flexível.
Essas motivações funcionam de forma cíclica e repetitiva se rompendo no
surgimento de uma nova necessidade.
Existem três fatores determinantes da motivação para produzir em qualquer
circunstância:
1) Expectativa – objetivos individuais e a força do desejo de atingir tais
objetivos.
2) Recompensa – relação percebida entre a sua produtividade e o alcance dos
objetivos individuais.
3) Relação entre a expectativa e recompensa - capacidade percebida de
influenciar a sua produtividade para satisfazer suas expectativas com as
recompensas.
6.4 LIDERANÇA
Capacidade de influenciar um grupo ou indivíduo para alcançar metas. Podem surgir
naturalmente de dentro de um grupo ou por indicação formal.
11
Atualmente é um dos profissionais mais requisitados e valorizados pelas
organizações, pois possui o potencial não apenas de gerir mais como de conquistar
resultados. Dessa forma toda empresa deve possui um líder de excelência, que
deva ser capaz de administrar equipe, delegar tarefas e impor prazos. Chiavenato
(2000, p. 107) afirma que “Liderança é a influência interpessoal exercida numa
situação e dirigida por de processo de comunicação humana para a consecução de
um determinado objetivo”.
Chiavenato (2000, p.89) ressalta ainda que “Liderança é o processo de
exercer influencia sobre pessoas ou grupos nos esforços para realização de
objetivos em uma determinada situação”.
Liderar é um ato de influenciar pessoas. Os lideres são formadores de
opiniões e em alguns casos, são grandes referencias a ser seguidos, tornando – os
responsáveis pelas mudanças de comportamentos sejam dos indivíduos como do
ambiente como um todo. Tem a capacidade motivar e desmotivar pessoas, e tem o
papel fundamental nas relações humanas e no desempenho de cada individuo.
6.5 DESEMPENHO
É a elevação da performance das ações ou atividades praticados pelos indivíduos e
influenciadas pela direção estratégica de uma organização avaliado á partir de
medição pelos agentes de recursos humanos.
A avaliação de Desempenho é uma apreciação sistemática do desempenho
de cada funcionário em função das atividades que ela desempenha, das metas e
resultados a serem alcançados e do seu potencial de desenvolvimento, que gera
muitos efetivos positivos na empresa.
7 METODOLOGIA
Este Trabalho de Conclusão de Curso foi realizado com base em pesquisa
bibliográfico, sites e blog’s, de autores com referências teóricas e acadêmicas,
campo do conhecimento do comportamento organizacional.
12
8 CONSIDERAÇÕES FINAIS
As pessoas estão cada dia mais procurando equilíbrio entre a vida pessoal e
profissional com o objetivo de obter qualidade de vida. Cargos altos e salários
elevados não são suficientes para que funcionário se sinta satisfeito em seu
trabalho. As pessoas são estimuladas por variáveis de comportamento que inclui
motivação, satisfação, sentimentos, emoções, entre outras que afetam o clima do
ambiente e suas produtividades.
As pessoas demonstram seus interesses, satisfação ou insatisfação por
intermédio das atitudes e ações que podem ser pontos positivos ou negativos.
A Globalização abre um leque de opções no mercado, favorecendo a
mudança rápida de cenários, estimulando o profissional a realizar escolhas de novas
oportunidades, levando a escassez de trabalho e mão –de- obra no mercado.
Entender as habilidades humanas não é uma especificidade da psicologia em
dias atuais, os administradores precisam entender essas habilidades para
administrar com eficácia as variáveis do comportamento humano.
O comportamento organizacional fornece sugestões para ajudar executivos a
enfrentar a escassez crônica de trabalho, pois reter talentos está cada vez mais
difícil para a organização.
Os executivos devem estar preparados para o enfrentamento aos desafios e
oportunidade promovida pelo o estudo do conhecimento do comportamento humano.
Profissional habilidoso tecnicamente é de grande valia para a organização,
porém, sem o conhecimento da habilidade humana não é suficiente para uma
gestão de excelência, ou seja, conclui-se que em tempos modernos apenas as
habilidades técnicas não são mais suficientes para o sucesso da gestão,
necessitando também das habilidades interpessoais.
Manter pessoas motivadas e satisfeitas hoje não é uma tarefa fácil, contudo,
possível. Pois, o comportamento organizacional contribui para a previsibilidade
desses comportamentos através de seus indicadores podendo estes serem
controlados e melhorados a partir de políticas de desenvolvimentos e treinamentos,
desenvolvendo as melhoras necessárias para um comportamentos positivo
promovendo um ambiente agradável.
13
É interessante que os interesses da organização estejam alinhados aos
interesses dos funcionários, proporcionando a harmonia e o bem estar de ambos,
aumentando o engajamento, a produtividade contribuindo com os objetivos para a
qual a organização foi criada.
Um ambiente agradável, um gestor líder relacionável, estrutura com suporte
para soluções rápidas contribui para a alta performance como um todo.
14
9 REFERENCIA
Abraham Harold Maslow (1908-1970). Disponível em:
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Abraham_Maslow> . 15/01/2019, 02h11minh
CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. ed. 2. Rio de Janeiro.
Elsevier, (2000).
CHIAVENATO, Idalberto. Administração Geral e Pública (Provas e Concursos), 2ª
ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 4ª reimpressão. (2008).
Edgar Schein (Nascido em 1928). Disponível em:
<https://pt.wikipedia.org/wiki/Modelo_de_Schein>. 15/01/2018 19h37mim
Motivação nas Organizações. Disponível em:
https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/administracao/motivacao-nas-
organizacoes/10097. 10/02/2019. 21h06mim.
Nádia Kienen, Sabrina Wolff. Artigo Administrar Comportamento Humano em
Contexto Organizacionais, Artigo Volume 2, Julho – dezembro (2002).
Robbins, Stephen P. Comportamento Organizacional. 11ª Ed. São Paulo. Pearson
Prentice Hall. (2005)
Sobral F. J. B. A; Mansur J. A . (2013), Comportamento Organizacional: Diferenças
na Produção Empírica entre a Psicologia e Administração. Revista Pensamento em
Administração, 25.08.2015.
SOBRAL, F. J. B. A.; MANSUR, J. A. Produção Científica Brasileira em
Comportamento Organizacional no período 2000-2010. Revista de Administração
de Empresas, v. 53, n. 1, p. 21-34, 2013.
KOONTZ, Harold (1988). Recursos Humanos: Desenvolvimento de Administradores.
São Paulo: Pioneira, 136 páginas.
15

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Teoria geral dos sistemas
Teoria geral dos sistemasTeoria geral dos sistemas
Teoria geral dos sistemas
Luiz Algarra
 
Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.
Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.
Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.
Helson David
 
Liderança, Motivação e Trabalho em Equipe
Liderança, Motivação e Trabalho em EquipeLiderança, Motivação e Trabalho em Equipe
Liderança, Motivação e Trabalho em Equipe
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
CHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE
CHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDECHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE
CHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE
Sebastião Guimarães
 
6 treinamento gestao de pessoas
6 treinamento gestao de pessoas6 treinamento gestao de pessoas
6 treinamento gestao de pessoas
Afins Cosméticos
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Luis Paulo Barros
 
Desenvolvimento pessoal: Lidar com a frustração
Desenvolvimento pessoal: Lidar com a frustraçãoDesenvolvimento pessoal: Lidar com a frustração
Desenvolvimento pessoal: Lidar com a frustração
Letícia Pires
 
janeiro branco.pptx
janeiro branco.pptxjaneiro branco.pptx
janeiro branco.pptx
NaylaQueiroz2
 
Autoestima
AutoestimaAutoestima
Departamento pessoal
Departamento pessoalDepartamento pessoal
Departamento pessoal
Raimundo Nonato
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
Oficina Psicologia
 
secretariado
secretariadosecretariado
secretariado
Wagner Fernando
 
Saúde mental no trabalho
Saúde mental no trabalhoSaúde mental no trabalho
Saúde mental no trabalho
Fernando Henrique
 
TEORIA MASLOW
TEORIA MASLOWTEORIA MASLOW
TEORIA MASLOW
Carla Brochi
 
Treinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - EmbaliTreinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - Embali
Milton Henrique do Couto Neto
 
Relações trabalhistas - Patrão X Empregado
Relações trabalhistas -  Patrão X EmpregadoRelações trabalhistas -  Patrão X Empregado
Relações trabalhistas - Patrão X Empregado
Érica Rangel
 
Aula 3 - Comportamento Microorganizacional
Aula 3 - Comportamento MicroorganizacionalAula 3 - Comportamento Microorganizacional
Aula 3 - Comportamento Microorganizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Apresentação RH
Apresentação RHApresentação RH
Apresentação RH
mmsml
 
Férias e 13
Férias e 13Férias e 13
Férias e 13
Valéria Lins
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
Leandro Lopes
 

Mais procurados (20)

Teoria geral dos sistemas
Teoria geral dos sistemasTeoria geral dos sistemas
Teoria geral dos sistemas
 
Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.
Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.
Proatividade e a Importância da hierarquia organizacional.
 
Liderança, Motivação e Trabalho em Equipe
Liderança, Motivação e Trabalho em EquipeLiderança, Motivação e Trabalho em Equipe
Liderança, Motivação e Trabalho em Equipe
 
CHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE
CHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDECHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE
CHA - CONHECIMENTO, HABILIDADE E ATITUDE
 
6 treinamento gestao de pessoas
6 treinamento gestao de pessoas6 treinamento gestao de pessoas
6 treinamento gestao de pessoas
 
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de TrabalhoRelacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
Relacionamento Interpessoal no Ambiente de Trabalho
 
Desenvolvimento pessoal: Lidar com a frustração
Desenvolvimento pessoal: Lidar com a frustraçãoDesenvolvimento pessoal: Lidar com a frustração
Desenvolvimento pessoal: Lidar com a frustração
 
janeiro branco.pptx
janeiro branco.pptxjaneiro branco.pptx
janeiro branco.pptx
 
Autoestima
AutoestimaAutoestima
Autoestima
 
Departamento pessoal
Departamento pessoalDepartamento pessoal
Departamento pessoal
 
Saúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalhoSaúde mental e trabalho
Saúde mental e trabalho
 
secretariado
secretariadosecretariado
secretariado
 
Saúde mental no trabalho
Saúde mental no trabalhoSaúde mental no trabalho
Saúde mental no trabalho
 
TEORIA MASLOW
TEORIA MASLOWTEORIA MASLOW
TEORIA MASLOW
 
Treinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - EmbaliTreinamento Liderança - Embali
Treinamento Liderança - Embali
 
Relações trabalhistas - Patrão X Empregado
Relações trabalhistas -  Patrão X EmpregadoRelações trabalhistas -  Patrão X Empregado
Relações trabalhistas - Patrão X Empregado
 
Aula 3 - Comportamento Microorganizacional
Aula 3 - Comportamento MicroorganizacionalAula 3 - Comportamento Microorganizacional
Aula 3 - Comportamento Microorganizacional
 
Apresentação RH
Apresentação RHApresentação RH
Apresentação RH
 
Férias e 13
Férias e 13Férias e 13
Férias e 13
 
Relacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoalRelacionalmento interpessoal
Relacionalmento interpessoal
 

Semelhante a Comportamento organizacional e suas influencias no ambiente de trabalho 0 1399242_0_1406540 (1)

Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Marcela Montalvão Teti
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
Coach Prof. Cesar Rufino
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacional Comportamento organizacional
Comportamento organizacional
Marlei88
 
Comportamento organizacional debora
Comportamento organizacional deboraComportamento organizacional debora
Comportamento organizacional debora
Marlei88
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacional Comportamento organizacional
Comportamento organizacional
Marlei88
 
Comportamento organizacional debora
Comportamento organizacional deboraComportamento organizacional debora
Comportamento organizacional debora
Marlei88
 
Comportamento organizacional debora
Comportamento organizacional deboraComportamento organizacional debora
Comportamento organizacional debora
Marlei88
 
Psicologia Organizacional
Psicologia OrganizacionalPsicologia Organizacional
Psicologia Organizacional
Salvador Abreu
 
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento OrganizacionalAula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Felipe Saraiva Nunes de Pinho
 
Co5
Co5Co5
Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)
Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)
Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)
Marcos Souza
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
Laura Malate
 
aula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.ppt
aula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.pptaula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.ppt
aula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.ppt
PatricMelloMartins1
 
Grh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacionalGrh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacional
beirario
 
Aula 11 fadm
Aula 11 fadmAula 11 fadm
Aula 11 fadm
Francisco L Carvalho
 
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de PessoasAdministração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Meme Maria Souza
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Luis Henrique
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Luis Henrique
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
beirario
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
Rui Loureiro
 

Semelhante a Comportamento organizacional e suas influencias no ambiente de trabalho 0 1399242_0_1406540 (1) (20)

Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacional Comportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Comportamento organizacional debora
Comportamento organizacional deboraComportamento organizacional debora
Comportamento organizacional debora
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacional Comportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Comportamento organizacional debora
Comportamento organizacional deboraComportamento organizacional debora
Comportamento organizacional debora
 
Comportamento organizacional debora
Comportamento organizacional deboraComportamento organizacional debora
Comportamento organizacional debora
 
Psicologia Organizacional
Psicologia OrganizacionalPsicologia Organizacional
Psicologia Organizacional
 
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento OrganizacionalAula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
Aula 1 - Introdução ao Comportamento Organizacional
 
Co5
Co5Co5
Co5
 
Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)
Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)
Aula 1 texto-comportamento organizacional-quadros e trevisan (3)
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
aula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.ppt
aula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.pptaula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.ppt
aula-01-comportamento-organizacional-introduc3a7ao.ppt
 
Grh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacionalGrh e o compotamento organizacional
Grh e o compotamento organizacional
 
Aula 11 fadm
Aula 11 fadmAula 11 fadm
Aula 11 fadm
 
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de PessoasAdministração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
Administração de Recursos Humanos - Gestão de Pessoas
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 
Comportamento organizacional
Comportamento organizacionalComportamento organizacional
Comportamento organizacional
 
Comportamento Organizacional
Comportamento OrganizacionalComportamento Organizacional
Comportamento Organizacional
 

Comportamento organizacional e suas influencias no ambiente de trabalho 0 1399242_0_1406540 (1)

  • 1. COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL SUAS INFLUÊNCIAS NO AMBIENTE DO TRABALHO Santos, Desilmaria Dias das Neves¹ Espírito Santo, Denise Felix² RESUMO Este artigo tem como propósito apontar um tema que até em meados da década dos anos 80 não se dava muita importância para sua aplicabilidade dentro das organizações, que é o comportamento organizacional e suas influencias no ambiente de trabalho. Em outras palavras, o comportamento organizacional refere se a Habilidade Humana e quanto suas ações interferem na produtividade, no clima, na eficácia e desenvolvimento dos negócios. Entender o comportamento organizacional é fundamental para o desenvolvimento de pessoas, grupos e a organização. Comportamento organizacional é o campo de estudo que investiga o impacto que o indivíduo, grupo e estrutura organizacional influenciam o comportamento dentro da organização, com o propósito de utilizar o conhecimento em melhorias e eficácia organizacional. PALAVRA CHAVE: Comportamento, Organização, Grupos, Indivíduos, Estrutura ¹Tecnóloga em Petróleo e Gás (FAESA/ES), Especialista em Gestão, Licenciamento e Auditoria Ambiental (UNOPAR), Pós Graduada em Sistema de Gestão Integrado em Petróleo (AVM/RJ) e Pós - Graduando em Gestão de Processos e Qualidade (UNINTER) . ²Engenheira Eletricista (UFPR), Especialista em Planejamento e Gerenciamento Estratégico (PUC-PR), orientadora de TCC do centro Universitário (UNINTER)
  • 2. 1 INTRODUÇÃO Até meados da década de 80 as organizações enfatizavam as habilidades técnicas para o desenvolvimento de seu negócio, deixando a área do comportamento de lado. Nas últimas décadas, os executivos perceberam a importância do conhecimento do papel humano e suas habilidades dentro da organização. Deu inicio a uma nova era, onde a organização se preocupa com o que as pessoas fazem dentro da empresa. O comportamento organizacional auxilia os executivos através do campo de estudo que se preocupa com as ações das pessoas dentro da organização e como esse comportamento interfere no desempenho da empresa. Entender o comportamento organizacional é fundamental para conhecer as variáveis do comportamento, de modo a obter eficácia organizacional. O comportamento organizacional é o conjunto de todos os comportamentos praticados dentro de uma organização, independente do nível da organização e hierarquia das pessoas. Na Ciência, o comportamento organizacional se apóia em outras diversas disciplinas comportamentais com predominância as disciplinas de Psicologia e Psicologia Social, Sociologia, Antropologia e Ciência Política, que procura compreender como o comportamento dos indivíduos e suas influências dentro da organização. O objetivo do estudo é melhorar as Habilidades humanas e a eficácia dos processos, tendo como principais benefícios o aumento de produtividade, diminuição do turnover, retenção de talentos, aumento da produtividade, entre outros. Robbins (2005, p.7) coloca que o campo de comportamento organizacional estuda o comportamento dos indivíduos com o propósito de melhorar a eficácia organizacional. Sobral e Mansur (2013) definem o comportamento organizacional como um campo de estudo sistemático do comportamento dos indivíduos e dos grupos nas organizações, assim como a estrutura e comportamento da organização. O estudo no comportamento organizacional é divido em três níveis de analise, sendo do Individuo, Grupo e Estrutura Organizacional, e dentro desses níveis existem várias outras temáticas. 2
  • 3. Robbins (2005 pg. 7) enfatiza que o estudo do comportamento está voltado aos campos das funções que levam ao absenteísmo, rotatividade, produtividade, desempenho humano e administração. Embora o campo de estudo envolva várias disciplinas, existem segundo Robbins (2005, pg. 07) componentes básicos para o comportamento organizacional, como a motivação, comportamento e poder de liderança, comunicação interpessoal, estrutura e processos de grupos, aprendizado, desenvolvimento de atitudes, e percepção, processos de mudança, conflitos, planejamento do trabalho e estresse no trabalho. O desafio da atualidade para o estudo do comportamento organizacional está em manter um ambiente de trabalho positivo, assim como, administração de conflitos e o gerenciamento de aspectos como a globalização, diversidade da força de trabalho, atendimento ao cliente, inovação e mudança, temporariedade, organização interconectadas, equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, comportamento ético e administração de crise. Segundo, Robbins (2005, p. 13) um dos desafios mais importante e abrangente pelas organizações hoje em dia é a adaptação às diferenças entre as pessoas. A oportunidade do comportamento organizacional está em melhorar as habilidades das pessoas e grupos desenvolvendo incentivo, satisfação, garantindo qualidade de vida e trabalho, aumento da produtividade, diminuir a rotatividade e o absenteísmo. Segundo, Robbins (2005, p. 2) o reconhecimento das habilidades interpessoais por parte dos executivos está estreitamente relacionada com as necessidades das organizações de conseguir reter funcionários com alto nível de desempenho, ou seja, perder esses profissionais com alta competência é perder mercado, pois funcionários que se destacam estão em falta e a alta competitividade do mercado e empresas com reputação elevadas leva vantagem na hora de suas escolhas, tornando esse profissional escasso no mercado e mais valorizado. No cenário atualmente competitivo, reconhecer a habilidade interpessoal e técnica deve estar entre as estratégias da gestão do século XXI. 3
  • 4. 2 FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO O comportamento é desenvolvido ao longo das experiências vividas na vida, pode ser mudado através de estímulos e fortes influencias interna e externa. O comportamento diz respeito como a pessoa reage em um meio que vive diante de situações e estímulos recebidos. Como ser sociável o ser humano tem necessidade de conviver com pessoas diferentes e em diferentes ambientes. O comportamento organizacional é uma disciplina relativamente nova. Tem experimentado alguma dificuldade quanto a sua emergência no campo de estudo ou aplicação. Suas metas são orientar os administradores e executivos a ser mais efetivo com relação à descrição, compreensão, previsão, controle do comportamento humano. 2.1 DISCIPLINAS QUE CONTRIBUI PARA O ESTUDO DO COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Psicologia: é a ciência que busca medir, explicar, e algumas vezes, modificar o comportamento dos seres humanos e dos animais. Sociologia: Estuda o sistema social no qual os indivíduos desempenham seus papeis. Psicologia Social: uma área dentro da psicologia que mistura conceitos da ciência e da sociologia com foco na influencia de um individuo sobre o outro. Um dos temas mais investigado é a Mudança. Antropologia: estuda a sociedade para compreender os seres humanos e suas atividades. Ciência Política: estuda o comportamento dos indivíduos e dos grupos dentro de um ambiente político. 4
  • 5. 2.2 HABILIDADE DOS ADMINISTRADORES Habilidade Técnica – englobam a capacidade de aplicação de conhecimento ou especialidades especificas. Habilidade Humana – A capacidade de trabalhar com outras pessoas e grupos, compreendendo-as e motivando – as. São competências importantes para a gestão, assim os executivos precisam desenvolvê-las para motivar pessoas e melhorar a eficácia dos negócios. Habilidade Conceitual – A capacidade cognitiva para analisar e diagnosticar situações complexas, como identificar problemas, desenvolver soluções alternativas para corrigi-los, avaliar essas alternativas e selecionar a melhor. 3 ADMINISTRANDO DIVERSIDADE DA FORÇA DE TRABALHO Um dos desafios enfrentados hoje em dia pela a organização é a adaptação a diversidade da força de trabalho. São pessoas com diversidade de origem, raça, sexo, idade, deficiência física, parceiro e religião e com vários níveis de cultura, etnia e estilos de vidas, inseridas num mesmo lugar, tendo que se adaptar a cultura da organização. O estudo de comportamento organizacional promove a capacidade dos executivos lidarem com essas diferenças e oferece solução para administrar as diversidades. As pessoas não deixam seus valores culturais e preferências de estilo de vida de lado, mas conseguem se adaptar a cultura da organização enquanto estão inseridas nela. Para tanto, o desafio dos executivos é acomodar os diferentes grupo e pessoas atendendo aos seus diferentes estilos de vida, necessidades familiares e modo de trabalhar. 4 ESFERA DE ESTUDO DO COMPORTAMENTO  INDIVIDUAL O comportamento individual é um dos campos de estudo do comportamento organizacional com objetivo de entender a interação do indivíduo com ambiente organizacional e suas contribuições para a cultura da empresa. A 5
  • 6. análise do comportamento dos indivíduos é feita com base em suas motivações, expectativas, habilidade e competências. Existem varias variáveis que influenciam o comportamento das pessoas. Sendo elas psicológica (percepção, atitudes, aprendizagem, motivação, personalidade), variáveis fisiológicas (traços físicos e mentais), variáveis ambientais (infância, adolescente e classe social) e todas essas variáveis são analisadas para o estudo e entendimento humano.  GRUPO - é um conjunto de indivíduos reunidos em torno de um interesse, objetivo ou tarefa comum. Como seres têm necessidade de ser sociáveis e partilhar de algum grupo em algum momento da vida. São formados por Grupo Formal e Informal. O estudo do comportamento em grupo tem como objetivo entender a interação desse grupo através do Trabalho de Equipes, Dinâmica de Equipes, Comunicação, Poder, Conflitos e Comportamento Grupal, aumentando a motivação de todos e melhorando os resultados obtidos.  ESTRUTURA ORGANIZACIONAL- O estudo no nível da estrutura esta relacionado em como o comportamento organizacional pode ser afetado por diferentes dimensões das organizações. Envolve o estudo das políticas, normas e padrões da organização e como isso afeta o desempenho das pessoas no comportamento dento da organização. 5 VARIAVEIS DE COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL Variável comportamental é algo que pode ser alterado, como por exemplo, uma característica ou valor. Segundo, Nádia Kienen e Sabrina Wolff (2002, p.13), em seu artigo defendem que controlar variáveis implica em criar um ambiente que favoreça a ocorrência das ações necessárias para a consecução dos objetivos organizacionais. 6
  • 7. É variável do comportamento organizacional a satisfação com o trabalho, produtividade dos funcionários, estresse no trabalho, capacidade, personalidade e normas grupais. 5.1 VARIAVEL DEPENDENTE  Produtividade  Absenteísmo  Rotatividade,  Satisfação com o trabalho  Comprometimento organizacional 5.2 VARIAVEL INDEPENDENTE  Inteligência  Personalidade  Satisfação com o trabalho  Experiência  Motivação  Padrões de reforço,  Estilo de liderança  Alocação de recompensas  Métodos de seleção  Planejamento organizacional. 6 FATORES QUE INFLUENCIAM O COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL 6.1 CULTURA ORGANIZACIONAL É o conjunto de hábitos e crenças que foram estabelecidos por normas, valores, atitudes e expectativas compartilhadas nas organizações. Toda organização tem 7
  • 8. uma cultura, crença e valores que se traduzem em comportamento na forma cognitiva. A cultura de uma organização não muda, porém os valores podem mudar de acordo com convicções adquiridas no decorrer do tempo. Com vários conceitos no mundo dos negócios e um tema bastante complexo a Cultura Organizacional é definida pelo psicólogo social Edgar Schein (1980), como Modelo de Schein, que se tornaram umas das influências para modelos de cultura organizacional, que se baseia na idéia de que a cultura organizacional e dividida em três níveis, Artefato, Normas e Valores, Crenças e Pressupostos. “A cultura organizacional constitui a maneira pela qual cada organização aprendeu a lidar com o ambiente. É uma complexa mistura de pressuposições, crenças, comportamentos, história, mitos, metáforas e outras idéias que, consideradas juntas, representam a maneira particular de uma organização funcionar e trabalhar.” Chiavenato (2008 p. 224). A cultura organizacional representa as normas informais e não informais que orientam o comportamento dos membros de uma organização no dia-a-dia e que direcionam suas ações para o alcance dos objetivos organizacionais. Chiavenato (2008, p. 223). Cultura é o conjunto de valores, crenças, atitudes, premissas, interpretações, hábitos, costumes, práticas, conhecimento e comportamento partilhados por um grupo de pessoas que mantêm sua coesão. Chiavenato (2008, p. 226), Cada organização tem sua cultura própria, que denominamos cultura organizacional ou cultura corporativa e que ela mantém e cultiva. Pode influenciar no desempenho e resultados de um negocio. Na prática a cultura organizacional é como cada organização quer ser percebida pelo mercado. È como se fosse um código de conduta a ser seguido pelos membros inseridos na organização, estimulado o comportamento que trazem resultado e desenvolvimento da empresa. Em tempos atuais a cultura de uma organização é de suma importância tendo em vista que é a identidade da empresa e o retrato de como ela se comporta. Por via, é como ela se identifica no mercado e se diferencia das demais empresas. 6.2 CLIMA ORGANIZACIONAL O clima é o resultado da cultura na organização como um todo. Constitui o meio interno de uma organização, a atmosfera psicológica e característica que existe em 8
  • 9. cada organização. Chiavenato (2008, p.229). Influencia a motivação e o desempenho humano e a satisfação do trabalho. “Constitui a qualidade ou a propriedade do ambiente organizacional que é percebido ou experimentado pelos participantes da empresa e que influencia o seu comportamento”. Chiavenato (2008, p.229) O clima organizacional é a percepção dos movimentos gerados a partir das ações e atitudes oriundas dos cumprimentos de normas e adaptação dos indivíduos a cultura dentro da organização. O clima não pode ser tocado, mas pode ser percebido e analisado. Pode influenciar no comportamento dos indivíduos e grupos, provocando alterações de comportamento positivamente ou negativamente. “O termo Clima Organizacional refere-se especificamente às propriedades motivacionais do ambiente interno de uma organização, ou seja, aos aspectos internos de uma organização que levam à provocação de diferentes espécies de motivação nos seus participantes”. Chiavenato (2008, p. 229). O clima organizacional não constitui um clima único e uniforme podendo variar de acordo com a situação psicológica e o estágio motivacional em que se encontra cada colaborador e a maneira como ele interpreta o contexto da empresa, através das informações recebidas e percebidas no ambiente interno. 6.3 MOTIVAÇÃO É como o impulso interno que leva à ação. Assim a principal questão da psicologia da motivação é o porquê o individuo se comportar de determinada maneira. “A motivação é um construto e se refere ao direcionamento momentâneo do pensamento, da atenção, da ação a um objetivo visto pelo individuo como positivo. Esse direcionamento ativa o comportamento e engloba conceitos tão diversos como anseio, desejo, muita vontade, esforço, sonho, esperança entre outros”. KOONTZ, Harold (1988). Motivação é a impulsão de forças internas que se materializa através da realização de desejos, objetivos individuais e necessidades humanas. Em outras palavras, é o prazer e satisfação pela realização de algo desejado. 9
  • 10. Segundo Robbins (2005, p.2), um estudo sobre a força de trabalho nos Estados Unidos revelou que salários e benefícios adicionais não são os motivos pelos quais uma pessoa gosta de seu emprego ou permanece nele. A qualidade no trabalho e o apoio recebido no ambiente são os mais importantes. Segundo o Site Portal Educação, motivar é ir além do dinheiro e do desejo. É entender que o ser humano está em constante mudança e que a todo o momento suas prioridades, desejos, vontades e necessidades também mudam. Vivemos atualmente no mundo com economia extremamente capitalista onde o mercado exige cada vez mais produtos e serviços com qualidade e excelência, que faz com que as empresas busquem constantemente a preocupação com satisfação e motivação de seu maior ativo dentro da organização que é o recurso humano. O colaborador estando motivado e satisfeito com o trabalho tende a obter melhor desempenho nos resultados e a ser mais produtivo. Como conseqüência desempenha um papel muito importante no crescimento e desenvolvimento da empresa. Para Abrahan Harold Maslow (1908-1970), “um psicólogo americano criador da Teoria das Necessidades Humanas. O ser humano possui cinco categorias de necessidades”, sendo elas: 1) Auto realização – moralidade, criatividade, espontaneidade, solução de problemas, ausência de preconceito e aceitação dos fatos. 2) Auto - Estima – Auto - estima, confiança, conquista, respeito dos outros e respeito aos outros. 3) Amor/Relacionamento – amizade, família e intimidade sexual. 4) Segurança – segurança do corpo, do emprego, dos recursos, da moralidade, da família, da saúde e da prosperidade. 5) Fisiológica – respiração, comida, água, sexo, sono, homeostase e excreção Estas necessidades estão representadas numa pirâmide onde na base se encontras as necessidades mais básicas que estão diretamente relacionadas à sobrevivência. 10
  • 11. Individuo só sente o desejo de satisfazer a necessidade de um próximo estádio se a do nível anterior estiver sanado, portanto a motivação para realizar estes desejos vem de forma gradual. Chiavenato (2008, p. 235), define:  Auto Realização - Trabalho criativo e desafiante.  Estima - Responsabilidade por resultados, reconhecimento e orgulho, oportunidade e promoções.  Sociais - Amizade dos colegas, espírito de equipe e gestor amigável.  Segurança - condições segura de trabalho, remuneração e benefícios e estabilidade no emprego.  Fisiológicos - Intervalos de descanso, conforto físico e horário de trabalho flexível. Essas motivações funcionam de forma cíclica e repetitiva se rompendo no surgimento de uma nova necessidade. Existem três fatores determinantes da motivação para produzir em qualquer circunstância: 1) Expectativa – objetivos individuais e a força do desejo de atingir tais objetivos. 2) Recompensa – relação percebida entre a sua produtividade e o alcance dos objetivos individuais. 3) Relação entre a expectativa e recompensa - capacidade percebida de influenciar a sua produtividade para satisfazer suas expectativas com as recompensas. 6.4 LIDERANÇA Capacidade de influenciar um grupo ou indivíduo para alcançar metas. Podem surgir naturalmente de dentro de um grupo ou por indicação formal. 11
  • 12. Atualmente é um dos profissionais mais requisitados e valorizados pelas organizações, pois possui o potencial não apenas de gerir mais como de conquistar resultados. Dessa forma toda empresa deve possui um líder de excelência, que deva ser capaz de administrar equipe, delegar tarefas e impor prazos. Chiavenato (2000, p. 107) afirma que “Liderança é a influência interpessoal exercida numa situação e dirigida por de processo de comunicação humana para a consecução de um determinado objetivo”. Chiavenato (2000, p.89) ressalta ainda que “Liderança é o processo de exercer influencia sobre pessoas ou grupos nos esforços para realização de objetivos em uma determinada situação”. Liderar é um ato de influenciar pessoas. Os lideres são formadores de opiniões e em alguns casos, são grandes referencias a ser seguidos, tornando – os responsáveis pelas mudanças de comportamentos sejam dos indivíduos como do ambiente como um todo. Tem a capacidade motivar e desmotivar pessoas, e tem o papel fundamental nas relações humanas e no desempenho de cada individuo. 6.5 DESEMPENHO É a elevação da performance das ações ou atividades praticados pelos indivíduos e influenciadas pela direção estratégica de uma organização avaliado á partir de medição pelos agentes de recursos humanos. A avaliação de Desempenho é uma apreciação sistemática do desempenho de cada funcionário em função das atividades que ela desempenha, das metas e resultados a serem alcançados e do seu potencial de desenvolvimento, que gera muitos efetivos positivos na empresa. 7 METODOLOGIA Este Trabalho de Conclusão de Curso foi realizado com base em pesquisa bibliográfico, sites e blog’s, de autores com referências teóricas e acadêmicas, campo do conhecimento do comportamento organizacional. 12
  • 13. 8 CONSIDERAÇÕES FINAIS As pessoas estão cada dia mais procurando equilíbrio entre a vida pessoal e profissional com o objetivo de obter qualidade de vida. Cargos altos e salários elevados não são suficientes para que funcionário se sinta satisfeito em seu trabalho. As pessoas são estimuladas por variáveis de comportamento que inclui motivação, satisfação, sentimentos, emoções, entre outras que afetam o clima do ambiente e suas produtividades. As pessoas demonstram seus interesses, satisfação ou insatisfação por intermédio das atitudes e ações que podem ser pontos positivos ou negativos. A Globalização abre um leque de opções no mercado, favorecendo a mudança rápida de cenários, estimulando o profissional a realizar escolhas de novas oportunidades, levando a escassez de trabalho e mão –de- obra no mercado. Entender as habilidades humanas não é uma especificidade da psicologia em dias atuais, os administradores precisam entender essas habilidades para administrar com eficácia as variáveis do comportamento humano. O comportamento organizacional fornece sugestões para ajudar executivos a enfrentar a escassez crônica de trabalho, pois reter talentos está cada vez mais difícil para a organização. Os executivos devem estar preparados para o enfrentamento aos desafios e oportunidade promovida pelo o estudo do conhecimento do comportamento humano. Profissional habilidoso tecnicamente é de grande valia para a organização, porém, sem o conhecimento da habilidade humana não é suficiente para uma gestão de excelência, ou seja, conclui-se que em tempos modernos apenas as habilidades técnicas não são mais suficientes para o sucesso da gestão, necessitando também das habilidades interpessoais. Manter pessoas motivadas e satisfeitas hoje não é uma tarefa fácil, contudo, possível. Pois, o comportamento organizacional contribui para a previsibilidade desses comportamentos através de seus indicadores podendo estes serem controlados e melhorados a partir de políticas de desenvolvimentos e treinamentos, desenvolvendo as melhoras necessárias para um comportamentos positivo promovendo um ambiente agradável. 13
  • 14. É interessante que os interesses da organização estejam alinhados aos interesses dos funcionários, proporcionando a harmonia e o bem estar de ambos, aumentando o engajamento, a produtividade contribuindo com os objetivos para a qual a organização foi criada. Um ambiente agradável, um gestor líder relacionável, estrutura com suporte para soluções rápidas contribui para a alta performance como um todo. 14
  • 15. 9 REFERENCIA Abraham Harold Maslow (1908-1970). Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Abraham_Maslow> . 15/01/2019, 02h11minh CHIAVENATO, Idalberto. Teoria Geral da Administração. ed. 2. Rio de Janeiro. Elsevier, (2000). CHIAVENATO, Idalberto. Administração Geral e Pública (Provas e Concursos), 2ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 4ª reimpressão. (2008). Edgar Schein (Nascido em 1928). Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Modelo_de_Schein>. 15/01/2018 19h37mim Motivação nas Organizações. Disponível em: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/administracao/motivacao-nas- organizacoes/10097. 10/02/2019. 21h06mim. Nádia Kienen, Sabrina Wolff. Artigo Administrar Comportamento Humano em Contexto Organizacionais, Artigo Volume 2, Julho – dezembro (2002). Robbins, Stephen P. Comportamento Organizacional. 11ª Ed. São Paulo. Pearson Prentice Hall. (2005) Sobral F. J. B. A; Mansur J. A . (2013), Comportamento Organizacional: Diferenças na Produção Empírica entre a Psicologia e Administração. Revista Pensamento em Administração, 25.08.2015. SOBRAL, F. J. B. A.; MANSUR, J. A. Produção Científica Brasileira em Comportamento Organizacional no período 2000-2010. Revista de Administração de Empresas, v. 53, n. 1, p. 21-34, 2013. KOONTZ, Harold (1988). Recursos Humanos: Desenvolvimento de Administradores. São Paulo: Pioneira, 136 páginas. 15