SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
A sombra da escravidão
16-01-2010
José Carlos Nunes Barreto *
Na busca por entender melhor a desigualdade social no Brasil,o doutor Adalberto Cardoso, do IUPRJ,revisita a história
social do trabalho na Nação, em publicação intitulada “escravidão e sociabilidade capitalista: um ensaio sobre
inércia social” no Le Monde Diplomatique número 30.
Nele, algumas hipóteses sociológicas surgem, ao se descortinar o padrão de incorporação de trabalhadores no Genesis da
ordem capitalista no País. A marca profunda no imaginário e nas práticas sociais teve na escravidão de 400 anos seu
lastro, e perdura até hoje.
Não é difícil, principalmente para os afro-brasileiros, constatar suas conclusões, qual sejam, uma hierarquia social de
grande rigidez e muita desigualdade pouco vazada pelos não brancos; a dificuldade que gerações sucessivas tiveram, e
ainda tem, para se livrar deste paradigma,que contribui para uma imagem depreciativa do povo; a construção de uma
ética do trabalho degradado,uma vez que somente para escravos ou negros,além da indiferença moral das elites ante
as carências da maioria.
O autor mostra que a história social do trabalho sofreu profunda revisão no Brasil nas últimas duas décadas, como
resultado da exploração inovadora de antigos documentos, e de pesquisa estável em diferentes instituições acadêmicas
inclusive aquelas fora do eixo São Paulo - Rio. E esta revisão bibliográfica reconhece a escravidão como momento
inicial da história do trabalho no País, cabendo ressaltar que antes da revisão, se considerava a imigração européia como
tal,apesar de ocorrida centenas de anos depois.
Florestan Fernandes apesar da estatura de seu trabalho,focou suas investigações sobre o destino marginal dos ex-
escravos, por isso apenas tangenciou a questão.Celso Furtado a elaborou melhor ao estudar o porque da hipótese de São
Paulo ser considerada o berço do capitalismo brasileiro,erroneamente desvinculado do resto do País, em virtude de nos
anos 50 ,os capitais liberados pelo café, terem financiado a consolidação do capitalismo. Observou-se um mercado de
trabalho desigual, caracterizado pela lenta incorporação dos negros e seus descendentes, apesar da distante ordem
escravocrata.
Alguns traços de violência, absorvidos ao longo do tempo pela sociedade do trabalho brasileira, mostradas neste
precioso ensaio, cunham o termo “escravos modernos” no cenário em que “senhores”
mantém coletividades inteiras de escravos, algo explicado pela dialética hegeliana como de “subordinação
consentida”, em hoje que nossos fiscais do trabalho ousam libertar tais vítimas da escravidão, que também são
brancos,além negros e índios.
Cardoso cita Florestan e diz “na sociedade escravocrata prevaleceu a orientação para impedir todo florescimento
da vida social organizada, entre os escravos e libertos”, o que joga luz sobre a decisão de importar trabalhadores
europeus e dar-lhes a condição negada aos negros, de uma gleba de terra para produzir.
Concluo como o autor afirmando que houve uma grande inércia estrutural que teceu o ambiente de sociabilidade
capitalista no Brasil,o qual teve de se haver com um ordenamento social muito mais rígido que em outras partes do
mundo,com a desqualificação do negro e do elemento nacional como trabalhadores aptos à lide capitalista - o que a
literatura tradicional sobre o tema não estava disposta a reconhecer, até que sopraram os ventos benfazejos desta
revisão.
Gazeta do Triângulo
http://www.gazetadotriangulo.com.br/site Produzido em Joomla! Criado em: 6 September, 2010, 16:36
* Professor doutor
Gazeta do Triângulo
http://www.gazetadotriangulo.com.br/site Produzido em Joomla! Criado em: 6 September, 2010, 16:36

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caio prado jr1
Caio prado jr1Caio prado jr1
Caio prado jr1
NESUERJ
 
Biblio dos pioneiros
Biblio dos pioneirosBiblio dos pioneiros
Biblio dos pioneiros
Janelas21
 
Raízes
RaízesRaízes
Raízes
mhmcrj
 

Mais procurados (18)

Caio prado jr1
Caio prado jr1Caio prado jr1
Caio prado jr1
 
Escravidão racial o legado do racismo aula de história prof. silvânio barcelos
Escravidão racial o legado do racismo  aula de história prof. silvânio barcelosEscravidão racial o legado do racismo  aula de história prof. silvânio barcelos
Escravidão racial o legado do racismo aula de história prof. silvânio barcelos
 
Resenha critica do livro raizes do brasil
Resenha critica do livro raizes do brasilResenha critica do livro raizes do brasil
Resenha critica do livro raizes do brasil
 
Raizes do brasil
Raizes do brasilRaizes do brasil
Raizes do brasil
 
H9 2 bim_aluno_2014
H9 2 bim_aluno_2014H9 2 bim_aluno_2014
H9 2 bim_aluno_2014
 
Filosofia e Sociologia Rubia
Filosofia e Sociologia Rubia Filosofia e Sociologia Rubia
Filosofia e Sociologia Rubia
 
Brasil não reserva datas para heróis negros
Brasil não reserva datas para heróis negrosBrasil não reserva datas para heróis negros
Brasil não reserva datas para heróis negros
 
Ibercom - RuPaul, Camp, Normatividade
Ibercom - RuPaul, Camp, NormatividadeIbercom - RuPaul, Camp, Normatividade
Ibercom - RuPaul, Camp, Normatividade
 
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humanoFronteira. a degradação do outro nos confins do humano
Fronteira. a degradação do outro nos confins do humano
 
Caio prado jr.
Caio prado jr.Caio prado jr.
Caio prado jr.
 
Biblio dos pioneiros
Biblio dos pioneirosBiblio dos pioneiros
Biblio dos pioneiros
 
Críticas ao pensamento das senzalas e casa grande
Críticas ao pensamento das senzalas e casa grandeCríticas ao pensamento das senzalas e casa grande
Críticas ao pensamento das senzalas e casa grande
 
2 o estado burgues
2 o estado burgues2 o estado burgues
2 o estado burgues
 
Proposta de redação Preconceito
Proposta de redação PreconceitoProposta de redação Preconceito
Proposta de redação Preconceito
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileira Sociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
Raízes
RaízesRaízes
Raízes
 
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racialVI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
VI ENAPS - Tribuna de Debates - APS e a questão racial
 
Brasil nao reserva datas para herois negros
Brasil nao reserva datas para herois negrosBrasil nao reserva datas para herois negros
Brasil nao reserva datas para herois negros
 

Destaque

Paula pedidooooooooooooo
Paula pedidoooooooooooooPaula pedidooooooooooooo
Paula pedidooooooooooooo
ginaresdiaz
 
Circular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistos
Circular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistosCircular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistos
Circular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistos
Consolidador Aéreo
 
Gabarito exame de suficiencia
Gabarito exame de suficienciaGabarito exame de suficiencia
Gabarito exame de suficiencia
deltagrajau
 
Ejemplo salas
Ejemplo salasEjemplo salas
Ejemplo salas
wubbaffet
 
Orientações Tutoria - EEM Santa Tereza
Orientações Tutoria - EEM Santa TerezaOrientações Tutoria - EEM Santa Tereza
Orientações Tutoria - EEM Santa Tereza
Escola Tereza
 
Exercícios de avaliação 01 professor
Exercícios de avaliação 01 professorExercícios de avaliação 01 professor
Exercícios de avaliação 01 professor
pronatecvja
 
14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política
14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política
14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política
Guy Valerio Barros dos Santos
 

Destaque (20)

Paula pedidooooooooooooo
Paula pedidoooooooooooooPaula pedidooooooooooooo
Paula pedidooooooooooooo
 
Mapa conceitual
Mapa conceitualMapa conceitual
Mapa conceitual
 
Ficha Trabalho Áreas 1
Ficha Trabalho Áreas 1Ficha Trabalho Áreas 1
Ficha Trabalho Áreas 1
 
Circular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistos
Circular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistosCircular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistos
Circular 53 APAVT - egipto - aumento do preço dos vistos
 
Informações (24)
Informações (24)Informações (24)
Informações (24)
 
Vito
VitoVito
Vito
 
Gabarito exame de suficiencia
Gabarito exame de suficienciaGabarito exame de suficiencia
Gabarito exame de suficiencia
 
8389e8db4a985a1e3f657e528fb34ad4
8389e8db4a985a1e3f657e528fb34ad48389e8db4a985a1e3f657e528fb34ad4
8389e8db4a985a1e3f657e528fb34ad4
 
Introducción a Excel 2010
Introducción a Excel 2010Introducción a Excel 2010
Introducción a Excel 2010
 
O adolescente em viagem
O adolescente em viagemO adolescente em viagem
O adolescente em viagem
 
1a6aab0e891f0fa8611466dab2656b6d
1a6aab0e891f0fa8611466dab2656b6d1a6aab0e891f0fa8611466dab2656b6d
1a6aab0e891f0fa8611466dab2656b6d
 
Theekoyvillageoffice
TheekoyvillageofficeTheekoyvillageoffice
Theekoyvillageoffice
 
Análise swot da indústria da moda
Análise swot da indústria da modaAnálise swot da indústria da moda
Análise swot da indústria da moda
 
Saude 02
Saude 02Saude 02
Saude 02
 
Ejemplo salas
Ejemplo salasEjemplo salas
Ejemplo salas
 
Orientações Tutoria - EEM Santa Tereza
Orientações Tutoria - EEM Santa TerezaOrientações Tutoria - EEM Santa Tereza
Orientações Tutoria - EEM Santa Tereza
 
A bateria descarregada
A bateria descarregadaA bateria descarregada
A bateria descarregada
 
Exercícios de avaliação 01 professor
Exercícios de avaliação 01 professorExercícios de avaliação 01 professor
Exercícios de avaliação 01 professor
 
La disciplina
La disciplinaLa disciplina
La disciplina
 
14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política
14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política
14.05.14.prefeito de ilhéus considera ação da appi intolerante e política
 

Semelhante a A sombra da escravidao

Cap 15 relações raciais no brasil
Cap 15 relações raciais no brasilCap 15 relações raciais no brasil
Cap 15 relações raciais no brasil
Joao Balbi
 
7o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 167o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 16
Raquel Avila
 
“Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç...
 “Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç... “Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç...
“Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç...
Emerson Mathias
 
Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...
Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...
Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...
Silvânio Barcelos
 
Caio prado jr formação do brasil contemporâneo
Caio prado jr formação do brasil contemporâneoCaio prado jr formação do brasil contemporâneo
Caio prado jr formação do brasil contemporâneo
Jorge Miklos
 
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania   uma trajetória de lutasAbolição e cidadania   uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
Kleyton Skankara
 
Entre o publico e o privado relacoes de genero no pensamento positivista e ...
Entre o publico e o privado   relacoes de genero no pensamento positivista e ...Entre o publico e o privado   relacoes de genero no pensamento positivista e ...
Entre o publico e o privado relacoes de genero no pensamento positivista e ...
sioliv
 

Semelhante a A sombra da escravidao (20)

Cap 15 relações raciais no brasil
Cap 15 relações raciais no brasilCap 15 relações raciais no brasil
Cap 15 relações raciais no brasil
 
7o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 167o. ano.revisão do capítulo 16
7o. ano.revisão do capítulo 16
 
Capítulo 9 do livro de Sociologia
Capítulo 9 do livro de Sociologia Capítulo 9 do livro de Sociologia
Capítulo 9 do livro de Sociologia
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
“Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç...
 “Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç... “Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç...
“Precisa-se de creada branca. Prefere-se estrangeira.”Os libertos e as relaç...
 
Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...
Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...
Diáspora negra, um olhar para além da visão idealizada do africano na bibliog...
 
[2ºAno] Sociologia Brasileira
[2ºAno] Sociologia Brasileira[2ºAno] Sociologia Brasileira
[2ºAno] Sociologia Brasileira
 
Capítulo 9 Sociologia
Capítulo 9 SociologiaCapítulo 9 Sociologia
Capítulo 9 Sociologia
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 09 do Tomazi
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
Escravos sem senhores: escravidão, trabalho e poder no Mundo Romano
Escravos sem senhores: escravidão, trabalho e poder no Mundo RomanoEscravos sem senhores: escravidão, trabalho e poder no Mundo Romano
Escravos sem senhores: escravidão, trabalho e poder no Mundo Romano
 
Caio prado jr formação do brasil contemporâneo
Caio prado jr formação do brasil contemporâneoCaio prado jr formação do brasil contemporâneo
Caio prado jr formação do brasil contemporâneo
 
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania   uma trajetória de lutasAbolição e cidadania   uma trajetória de lutas
Abolição e cidadania uma trajetória de lutas
 
sobre a lei 10.639
sobre a lei 10.639sobre a lei 10.639
sobre a lei 10.639
 
capitulo-18.pptx
capitulo-18.pptxcapitulo-18.pptx
capitulo-18.pptx
 
Entre o publico e o privado relacoes de genero no pensamento positivista e ...
Entre o publico e o privado   relacoes de genero no pensamento positivista e ...Entre o publico e o privado   relacoes de genero no pensamento positivista e ...
Entre o publico e o privado relacoes de genero no pensamento positivista e ...
 
Módulo - Literatura marginal
Módulo - Literatura marginalMódulo - Literatura marginal
Módulo - Literatura marginal
 
O GENOCÍDIO DO POVO PRETO COMO REFLEXO DA FORMAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DA SOCIABIL...
O GENOCÍDIO DO POVO PRETO COMO REFLEXO DA FORMAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DA SOCIABIL...O GENOCÍDIO DO POVO PRETO COMO REFLEXO DA FORMAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DA SOCIABIL...
O GENOCÍDIO DO POVO PRETO COMO REFLEXO DA FORMAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DA SOCIABIL...
 
1 fase comentada 2011
1 fase comentada 20111 fase comentada 2011
1 fase comentada 2011
 
Monografia Simone Pedagogia 2010
Monografia Simone Pedagogia 2010Monografia Simone Pedagogia 2010
Monografia Simone Pedagogia 2010
 

Mais de blogprofbarreto

Mais de blogprofbarreto (20)

Amor, dom supremo
Amor, dom supremoAmor, dom supremo
Amor, dom supremo
 
Homens, ideias e imortalidade
Homens, ideias e imortalidadeHomens, ideias e imortalidade
Homens, ideias e imortalidade
 
Felicidade interna bruta
Felicidade interna brutaFelicidade interna bruta
Felicidade interna bruta
 
A voz rouca das ruas
A voz rouca das ruasA voz rouca das ruas
A voz rouca das ruas
 
Jacy de assis, presídio ou escola
Jacy de assis, presídio ou escolaJacy de assis, presídio ou escola
Jacy de assis, presídio ou escola
 
Crimes de guerra
Crimes de guerraCrimes de guerra
Crimes de guerra
 
O bom pastor
O bom pastorO bom pastor
O bom pastor
 
Cisne negro
Cisne negroCisne negro
Cisne negro
 
Lua de sangue e páscoa
Lua de sangue e páscoaLua de sangue e páscoa
Lua de sangue e páscoa
 
A nova passeata dos 100 mil
A nova passeata dos 100 milA nova passeata dos 100 mil
A nova passeata dos 100 mil
 
Carta aberta aos prefeitos
Carta aberta aos prefeitosCarta aberta aos prefeitos
Carta aberta aos prefeitos
 
Carta aberta ao stf
Carta aberta ao stfCarta aberta ao stf
Carta aberta ao stf
 
Na casa do pai
Na casa do paiNa casa do pai
Na casa do pai
 
Pensamento positivo
Pensamento positivoPensamento positivo
Pensamento positivo
 
A era da inteligência social
A era da inteligência socialA era da inteligência social
A era da inteligência social
 
A maior das inteligencias
A maior das inteligenciasA maior das inteligencias
A maior das inteligencias
 
Apresentacao empresarial
Apresentacao empresarialApresentacao empresarial
Apresentacao empresarial
 
As pessoas em primeiro lugar
As pessoas em primeiro lugarAs pessoas em primeiro lugar
As pessoas em primeiro lugar
 
Brasil mostra tua cara!
Brasil mostra tua cara!Brasil mostra tua cara!
Brasil mostra tua cara!
 
Cidades sustentaveis
Cidades sustentaveisCidades sustentaveis
Cidades sustentaveis
 

Último

Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
andreaLisboa7
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
FLAVIA LEZAN
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
lbgsouza
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
azulassessoria9
 

Último (20)

Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoasInsegurança nunca mais tem afeta pessoas
Insegurança nunca mais tem afeta pessoas
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdfAPOSTILA- COMPLETA  De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
APOSTILA- COMPLETA De FILOSOFIA-DA-EDUCAÇÃO.pdf
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 

A sombra da escravidao

  • 1. A sombra da escravidão 16-01-2010 José Carlos Nunes Barreto * Na busca por entender melhor a desigualdade social no Brasil,o doutor Adalberto Cardoso, do IUPRJ,revisita a história social do trabalho na Nação, em publicação intitulada “escravidão e sociabilidade capitalista: um ensaio sobre inércia social” no Le Monde Diplomatique número 30. Nele, algumas hipóteses sociológicas surgem, ao se descortinar o padrão de incorporação de trabalhadores no Genesis da ordem capitalista no País. A marca profunda no imaginário e nas práticas sociais teve na escravidão de 400 anos seu lastro, e perdura até hoje. Não é difícil, principalmente para os afro-brasileiros, constatar suas conclusões, qual sejam, uma hierarquia social de grande rigidez e muita desigualdade pouco vazada pelos não brancos; a dificuldade que gerações sucessivas tiveram, e ainda tem, para se livrar deste paradigma,que contribui para uma imagem depreciativa do povo; a construção de uma ética do trabalho degradado,uma vez que somente para escravos ou negros,além da indiferença moral das elites ante as carências da maioria. O autor mostra que a história social do trabalho sofreu profunda revisão no Brasil nas últimas duas décadas, como resultado da exploração inovadora de antigos documentos, e de pesquisa estável em diferentes instituições acadêmicas inclusive aquelas fora do eixo São Paulo - Rio. E esta revisão bibliográfica reconhece a escravidão como momento inicial da história do trabalho no País, cabendo ressaltar que antes da revisão, se considerava a imigração européia como tal,apesar de ocorrida centenas de anos depois. Florestan Fernandes apesar da estatura de seu trabalho,focou suas investigações sobre o destino marginal dos ex- escravos, por isso apenas tangenciou a questão.Celso Furtado a elaborou melhor ao estudar o porque da hipótese de São Paulo ser considerada o berço do capitalismo brasileiro,erroneamente desvinculado do resto do País, em virtude de nos anos 50 ,os capitais liberados pelo café, terem financiado a consolidação do capitalismo. Observou-se um mercado de trabalho desigual, caracterizado pela lenta incorporação dos negros e seus descendentes, apesar da distante ordem escravocrata. Alguns traços de violência, absorvidos ao longo do tempo pela sociedade do trabalho brasileira, mostradas neste precioso ensaio, cunham o termo “escravos modernos” no cenário em que “senhores” mantém coletividades inteiras de escravos, algo explicado pela dialética hegeliana como de “subordinação consentida”, em hoje que nossos fiscais do trabalho ousam libertar tais vítimas da escravidão, que também são brancos,além negros e índios. Cardoso cita Florestan e diz “na sociedade escravocrata prevaleceu a orientação para impedir todo florescimento da vida social organizada, entre os escravos e libertos”, o que joga luz sobre a decisão de importar trabalhadores europeus e dar-lhes a condição negada aos negros, de uma gleba de terra para produzir. Concluo como o autor afirmando que houve uma grande inércia estrutural que teceu o ambiente de sociabilidade capitalista no Brasil,o qual teve de se haver com um ordenamento social muito mais rígido que em outras partes do mundo,com a desqualificação do negro e do elemento nacional como trabalhadores aptos à lide capitalista - o que a literatura tradicional sobre o tema não estava disposta a reconhecer, até que sopraram os ventos benfazejos desta revisão. Gazeta do Triângulo http://www.gazetadotriangulo.com.br/site Produzido em Joomla! Criado em: 6 September, 2010, 16:36
  • 2. * Professor doutor Gazeta do Triângulo http://www.gazetadotriangulo.com.br/site Produzido em Joomla! Criado em: 6 September, 2010, 16:36