SlideShare uma empresa Scribd logo
A sociologia no Brasil
Prof. Dr. Richard Romancini
Periodização
1. A Herança Histórico-cultural da Sociologia (1888-1930)
Período dos Pensadores Sociais (1888-1924)
Período da Sociologia de Cátedra (1824-1934)
2. Etapa Contemporânea da Sociologia (1934-)
Período da Sociologia Científica (1934-1957)
Período de Crise e Diversificação (1957-1984/5)
Período de Busca de uma Nova Identidade (1984/5-)
Fonte: Liedke Filho (2005)
Quadro síntese
Fonte: Liedke Filho (2005)
A Herança Histórico-cultural da Sociologia
no Brasil: O período dos pensadores sociais
- Reflexão social a partir do contexto de luta pela
independência dos países latino-americanos
- Teoria social elaborada por políticos, a partir de
diferentes influências europeias (iluminismo,
positivismo, evolucionismo, etc.)
- Duas problemáticas centrais:
- a formação do Estado nacional brasileiro (liberais versus
autoritários;
- a questão da identidade nacional (questão racial:
racistas versus defensores do relativismo étnico-
cultural).
“No primeiro [momento], é
praticada por intelectuais não
especializados, interessados
principalmente em formular
princípios teóricos ou interpretar
de modo global a sociedade
brasileira. Além disso, não se
registra o seu ensino, nem a
existência da pesquisa empírica
sobre aspectos delimitados da
realidade presente.” (Candido, 2006
[1956], p. 271, destaque nosso)
A Herança Histórico-cultural da Sociologia no
Brasil: O período dos pensadores sociais
Antonio Candido (1918-)
Fonte: Wikipédia
A Herança Histórico-cultural da Sociologia no
Brasil: O período dos pensadores sociais
Euclides da Cunha
(1886-1909)
Obra: Os Sertões
(1902)
Fonte: Wikipédia
Sílvio Romero (1851-
1914)
Obras: Contos
Populares do Brasil
(1885)
Fonte: Wikipédia
Oliveira Viana (1883-
1951)
Obra: Populações
meridionais do Brasil
(1919)
Fonte: Wikipédia
Alberto Torres (1865-
1917)
Obra: O Problema
Nacional Brasileiro
(1912)
Fonte: Wikipédia
A Herança Histórico-cultural da Sociologia
no Brasil: O período dos pensadores sociais
- Antecedendo e em continuidade à
reflexão social feita pelos homens
de ação, desenvolve-se uma
atividade intelectual ligada às
expedições científicas, que possuíam
também preocupações
antropológicas
- Na linhagem mais avançada no
tempo desta corrente, autores como
Batista Lacerda, Nina Rodrigues e
Roquette Pinto podem ser
considerados pioneiros do estudo
científico do homem no Brasil.
Edgar Roquette-Pinto (1884-1954)
Fonte: Rádio Roquette Pinto
A Herança Histórico-cultural da Sociologia
no Brasil: O período dos pensadores sociais
- Autodidatismo caracteriza o período.
- “A intenção principal não é fazer investigação
sociológica propriamente dita, mas considerar
fatores sociais na análise de certas relações como,
por exemplo, as conexões entre o Direito e a
Sociologia, a literatura e o contexto social, o
Estado e a organização social” (Liedke Filho, 2005,
p. 380).
- Desenvolvimento desta tendência, porém, leva a
um efetivo enraizamento da disciplina sociológica
no país.
A Herança Histórico-cultural da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia de Cátedra
- Período marcado pela criação de cátedras de
Sociologia em Faculdades de Direito (na AL) e nas
Escolas Normais no Brasil (influência da Escola Nova)
- Ideias sociológicas acerca de problemas sociais como
urbanização, migrações, analfabetismo e pobreza
- Produção de autores como Gilberto Freyre (Casa
Grande e Senzala, etc.), de viés otimista do ponto de
vista racial
- Aumento da complexidade social (que desemboca na
revolução de 1930) explica a força e interesse pelos
estudos científicos da sociedade
A Herança Histórico-cultural da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia de Cátedra
Gilberto Freyre (1900-
1987)
Obra: Casa-grande &
senzala (1933)
Fonte: Wikipédia
“Se Oliveira Viana é um fim da linha de ‘teoria
geral do Brasil’ sob um ponto de vista
evolutivo, Gilberto Freyre, embora ligado a
ela, é um começo, pela renovação dos
métodos e a larga informação teórica em que
se fundou. As suas obras são ainda tributárias
da História; mas [...] apareceu desde logo, ao
modo da dos predecessores que estudamos,
como Sociologia – como a fórmula brasileira
da investigação sociológica. [...] Como em
Euclides da Cunha, temos aqui uma obra cujas
virtudes literárias estão no nível da
capacidade científica.” (Candido, 2006 [1956],
p. 282-3 e 284)
“[...] dado o caráter sincrético da
nossa Sociologia, há outros estudiosos
rotulados como historiadores,
geógrafos, juristas etc., que produzem
obras sensivelmente análogas às
menos técnicas (no sentido específico)
dentre as referidas, que superam
muitas vezes em importância. Basta
mencionar [...] a obra de Caio Prado
Júnior sobre a Formação do Brasil
contemporâneo (1942), para não falar
na de Sérgio Buarque de Holanda [...]
(Raízes do Brasil, 1936) [...]”.
A Herança Histórico-cultural da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia de Cátedra
Fonte:
Wikipédia
Parte 1: https://www.youtube.com/watch?v=2LjYRwJJqAg (48’)
Parte 2: https://www.youtube.com/watch?v=5E8qD9mAxOE (36’)
A Herança Histórico-cultural da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia de Cátedra
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
“Até a década de 40, a produção do
pensamento sociológico no Brasil se fazia
dentro de um contexto em que literatura,
filosofia, discurso político, beletrismo, se
misturavam. Uma disciplina marcada pelo
ecletismo e pelo ensaísmo, que se
construía sobre o fundamento de
afirmações genéricas que prescindiam de
um trabalho sistemático de pesquisa.”
(Ortiz, 1990, p. 165)
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
- Hegemonia da visão funcionalista-estrutural
- Institucionalização e prática do ensino e da
pesquisa em sociologia, similar ao dos
centros sociológicos dos países centrais.
- Criação da Escola Livre de Sociologia e
Política de São Paulo (1933) e com a criação
da Seção de Sociologia e Ciência Política da
Faculdade de Filosofia da Universidade de
São Paulo (1934).
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
Parte 1: https://www.youtube.com/watch?v=dwcnILuLuH4
Parte 2: https://www.youtube.com/watch?v=YtHOow-f05c
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
- Temáticas principais da década de
cinquenta: população, imigração e
colonização; - relações étnicas, contatos e
assimilação (o negro; o índio e o branco
colonizador); - educação; - história social; -
Direito e Ciência Política; - estudos de
comunidades; análises regionais e Sociologia
rural e urbana.
- Publicação de manuais (ensino secundário) e
livros de teorias e métodos sociológicos
- Nos anos 1950 há ainda a preocupação com
a criação de uma “sociologia autêntica”, de
teor nacionalista (polêmica Guerreiro
Ramos/ISEB e Florestan Fernandes/USP)
Alberto Guerreira
Ramos (1915-1982)
Obras: A sociologia
industrial (1951),
Cartilha do aprendiz
Sociólogo (1955)
Fonte: História da
Administração
Polêmica Florestan-Guerreira Ramos
“Quando escreve ‘O Padrão de Trabalho Científico dos Sociólogos
Brasileiros’ (1958), Florestan tem em mente uma formação
intelectual que seja fundamentalmente pautada pelas ‘normas,
valores e ideais do saber científico’. [...] Primeiro, uma ruptura em
relação ao senso comum, o discurso dos juristas, jornalistas e
críticos literários, segundo, um distanciamento em relação à
aplicação imediata do método sociológico para a resolução de
problemas sociais: uma crítica da sua utilidade. Posição
antagônica à de Guerreiro Ramos, que imaginava a Sociologia
como uma espécie de ‘salvação’, corpo teórico cuja vocação seria
‘tornar-se um saber vulgarizado’. Adepto de uma visão
genuinamente nacional [...] olhava com desconfiança as
influências estrangeiras.” (Ortiz, 1990, p. 167)
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
“Julgada no conjunto a contribuição
metodológica de Florestan Fernandes, e
aferida ao sentido da nossa evolução
sociológica, vemos que representa a grande
expressão teórica do processo pelo qual vimos
passando de uma Sociologia global para uma
Sociologia com objeto definido, de um
método evolutivo e comparativo para formas
mais rigorosas de indução. Representa o sinal
de que realizamos no Brasil, por vários modos,
a marcha geral da Sociologia à busca de
caráter científico: restrição de campo,
definição de objeto, determinação de
método.” (Candido, 2006, p. 295)
Florestan Fernandes (1920-1995)
Obras: O Problema do Método
na Investigação Sociológica
(1947), Ensaio sobre o método de
interpretação funcionalista na
sociologia (1953), entre outras
Fonte: Wikipédia
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
https://www.youtube.com/watch?v=iJxJd0jXuWw (12’)
Outras preocupações desse momento
-Teoria da Modernização e sua análise do
processo de transição da sociedade
tradicional para a sociedade moderna
-Tratamento sistemático da transição da
sociedade tradicional para a modernidade.
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
- Teoria da Modernização: Brasil – sociedade dual, parte
arcaica e parte moderna
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O período da Sociologia Científica
- “Sociologia Científica” busca da adoção dos princípios
básicos do conhecimento científico em geral e
procedimentos de pesquisa refinados, para alcançar um
padrão de ensino e pesquisa similar àquele dos países
centrais
- Defendia uma estreita associação entre modernização,
democratização e condições favoráveis à evolução da
Sociologia.
- Regimes ditatoriais na AL, a partir dos anos 1970 dificultaram
projeto
- Embate entre “Neocolonialismo/Neo-imperialismo” versus
“Sociologia Nacional” – crítica mesmo a certa adoção do
marxismo
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O Período de crise e diversificação da
Sociologia Brasileira
- Emergência do marxismo, no final dos anos 1950, com
críticas às visões anteriores
- Renovação teórico-metodológica e temática do final
dos anos 60, particularmente em termos da
formulação de estudos acerca da dependência
- Contexto mundial (guerra fria, revoluções socialistas,
etc.) e crises locais (ditadura militar) explicam
diversidade e problemáticas sociológicas em destaque,
com os desenvolvimentos teóricos da Teoria da
Dependência e do Novo Autoritarismo
A Etapa Contemporânea da Sociologia no
Brasil: O Período de crise e diversificação da
Sociologia Brasileira
- Apesar do movimento geral de repressão (fechamento do
ISEB, em 1964; cassações na USP, em 1969) houve uma
expansão institucional dos estudos sociológicos, derivada
da Reforma Universitária (criação de departamentos e
centros de pesquisa, como o CEBRAP, independentes)
- “Até os anos 60 a Sociologia era um bem restrito a alguns
centros, uma nova situação se instaura com a ampliação
desordenada do mercado. Por isso os esforços de
regulamentação da profissão se concentram neste
período (lei 72.493, julho de 1973; projeto de lei do
Senado Nº 74, 1974)” (Ortiz, 1990, p. 170)
A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: A
Sociologia Brasileira hoje: em busca de uma Nova
Identidade
- A ênfase em estudos relativos à dependência,
vigentes na primeira metade da década de
70, veio a ser substituída, na segunda metade
da década, pela temática da reativação da
sociedade civil
- Temática dos movimentos sociais veio a dar
lugar à pesquisa acerca das identidades
sociais e representações sociais
- Para Liedke (2005, p. 425 e 426), a “Sociologia seguiu um
caminho epistemológico e teórico-metodológico muito
problemático, com o privilegiamento de abordagens
microssociais e uma ênfase exacerbada na questão das
identidades, das representações e do imaginário dos agentes
sociais” [...]
“Rapidamente, ocorreu uma dissociação da questão dos
movimentos sociais em relação a condições macroestruturais,
passando a Sociologia a dedicar-se massivamente a enfocar as
identidades e representações sociais dos movimentos urbanos
e rurais, do movimento sindical, dos movimentos feministas e
gay, do movimento negro e dos movimentos ecológicos.”]
A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: A
Sociologia Brasileira hoje: em busca de uma Nova
Identidade
- Outra crítica é a de Renato Ortiz (1990, p. 173):
“Com o crescimento do mercado universitário, a
produção em Ciências Sociais começa a ser
simples reprodutora da razão organizacional. A
defesa dos interesses corporativos, sobretudo
quando existem recursos para isso, torna-se
preponderante sobre o projeto acadêmico.”
- De qualquer modo, temáticas recentes de
pesquisa são: globalização, da pós-modernidade e
multiculturalismo
A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: A
Sociologia Brasileira hoje: em busca de uma Nova
Identidade
Referências
CANDIDO, Antonio. A sociologia no Brasil. Tempo
Social, revista de sociologia da USP, v. 18, n. 1, p. 271-
301, junho 2006.
LIEDKE FILHO, Enno D. A Sociologia no Brasil: história,
teorias e desafios. Sociologias, Porto Alegre, ano 7, nº
14, p. 376-437, jul/dez 2005.
ORTIZ, Renato. Notas sobre as Ciências Sociais no
Brasil. Novos Estudos CEBRAP, Nº 27, p. 163-175,
julho de 1990.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sociologia clássica 1
Sociologia clássica 1Sociologia clássica 1
Sociologia clássica 1
Douglas Gregorio
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Religião e Sociologia
Religião e SociologiaReligião e Sociologia
Religião e Sociologia
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
roberto mosca junior
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
rblfilos
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
Janny Vitoriano
 
Sociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibularSociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibular
Edenilson Morais
 
3ºAno - Soc disciplinar & soc controle
3ºAno - Soc disciplinar & soc controle 3ºAno - Soc disciplinar & soc controle
3ºAno - Soc disciplinar & soc controle
Luis Felipe Carvalho
 
Vigiar e punir
Vigiar e punirVigiar e punir
Vigiar e punir
roberto mosca junior
 
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Paula Meyer Piagentini
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
Elizeu Nascimento Silva
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
Edirlene Fraga
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
Over Lane
 
Sociologia no Brasil
Sociologia no BrasilSociologia no Brasil
Sociologia no Brasil
Bruno Barbosa
 
POS MODERNIDADE
POS MODERNIDADEPOS MODERNIDADE
POS MODERNIDADE
Victor França
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
pascoalnaib
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 
Culturas jovens
Culturas jovensCulturas jovens
Culturas jovens
Edenilson Morais
 
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Carson Souza
 

Mais procurados (20)

Sociologia clássica 1
Sociologia clássica 1Sociologia clássica 1
Sociologia clássica 1
 
Estratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade SocialEstratificação e Desigualdade Social
Estratificação e Desigualdade Social
 
Religião e Sociologia
Religião e SociologiaReligião e Sociologia
Religião e Sociologia
 
Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
Pobreza, exclusão social, desigualdade e violência.
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
 
Capitalismo
CapitalismoCapitalismo
Capitalismo
 
Sociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibularSociologia para o vestibular
Sociologia para o vestibular
 
3ºAno - Soc disciplinar & soc controle
3ºAno - Soc disciplinar & soc controle 3ºAno - Soc disciplinar & soc controle
3ºAno - Soc disciplinar & soc controle
 
Vigiar e punir
Vigiar e punirVigiar e punir
Vigiar e punir
 
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
Jogo de Tabuleiro Sociologia - Correntes Sociológicas
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01Aula 05   escola de frankfurt e teoria crítica 01
Aula 05 escola de frankfurt e teoria crítica 01
 
Filosofia política
Filosofia políticaFilosofia política
Filosofia política
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
 
Sociologia no Brasil
Sociologia no BrasilSociologia no Brasil
Sociologia no Brasil
 
POS MODERNIDADE
POS MODERNIDADEPOS MODERNIDADE
POS MODERNIDADE
 
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do TomaziSlide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
Slide livro Sociologia ensino médio capitulo 21 do Tomazi
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Culturas jovens
Culturas jovensCulturas jovens
Culturas jovens
 
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
 

Semelhante a A sociologia no brasil

Sociologia 7
Sociologia 7Sociologia 7
A sociologia no brasil por antonio candido
A sociologia no brasil por antonio candidoA sociologia no brasil por antonio candido
A sociologia no brasil por antonio candido
Carlos Weinman
 
Sociologia no brasil
Sociologia no brasilSociologia no brasil
Sociologia no brasil
Milton Fabiano Silva
 
Pensamento social brasileiro
Pensamento social brasileiro Pensamento social brasileiro
Pensamento social brasileiro
Luciene Medina
 
Sociologia 9
Sociologia 9Sociologia 9
Sociologia no brasil e seus principais representantes
Sociologia no brasil e seus principais representantesSociologia no brasil e seus principais representantes
Sociologia no brasil e seus principais representantes
edsonfgodoy
 
Sociologia 1
Sociologia 1Sociologia 1
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
Renata Aguiar
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?
guest6a86aa
 
Sociologia clássica 2
Sociologia clássica 2Sociologia clássica 2
Sociologia clássica 2
Douglas Gregorio
 
Apresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptx
Apresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptxApresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptx
Apresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptx
JOOLUIZDASILVALOPES
 
Nova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohn
Nova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohnNova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohn
Nova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohn
Rosane Domingues
 
Teoria da comunicação Unidade V
Teoria da comunicação Unidade VTeoria da comunicação Unidade V
Teoria da comunicação Unidade V
Harutchy
 
Artigo 6-fabiano
Artigo 6-fabianoArtigo 6-fabiano
Artigo 6-fabiano
MARCELGONALVES15
 
Estudos avançados
Estudos avançadosEstudos avançados
Estudos avançados
Luciel Silva
 
1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...
1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...
1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...
UFMT Universidade Federal de Mato Grosso
 
Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...
Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...
Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...
DouglasVazdeBarrosMo
 
Capítulo 4 - Antropologia Brasileira
Capítulo 4 - Antropologia BrasileiraCapítulo 4 - Antropologia Brasileira
Capítulo 4 - Antropologia Brasileira
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Antropologia do colonialismo
Antropologia do colonialismoAntropologia do colonialismo
Antropologia do colonialismo
Zelinda Barros
 

Semelhante a A sociologia no brasil (20)

Sociologia 7
Sociologia 7Sociologia 7
Sociologia 7
 
A sociologia no brasil por antonio candido
A sociologia no brasil por antonio candidoA sociologia no brasil por antonio candido
A sociologia no brasil por antonio candido
 
Sociologia no brasil
Sociologia no brasilSociologia no brasil
Sociologia no brasil
 
Pensamento social brasileiro
Pensamento social brasileiro Pensamento social brasileiro
Pensamento social brasileiro
 
Sociologia 9
Sociologia 9Sociologia 9
Sociologia 9
 
Sociologia no brasil e seus principais representantes
Sociologia no brasil e seus principais representantesSociologia no brasil e seus principais representantes
Sociologia no brasil e seus principais representantes
 
Sociologia 1
Sociologia 1Sociologia 1
Sociologia 1
 
Aula de psicologia
Aula de psicologiaAula de psicologia
Aula de psicologia
 
O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?O QUE É SOCIOLOGIA?
O QUE É SOCIOLOGIA?
 
Sociologia clássica 2
Sociologia clássica 2Sociologia clássica 2
Sociologia clássica 2
 
Apresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptx
Apresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptxApresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptx
Apresentação sobre a origem e desenvolvimento da Sociologia na Bolívia.pptx
 
Nova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohn
Nova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohnNova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohn
Nova teoria-dos-movimentos-sociais---maria-da-gloria-gohn
 
Teoria da comunicação Unidade V
Teoria da comunicação Unidade VTeoria da comunicação Unidade V
Teoria da comunicação Unidade V
 
Artigo 6-fabiano
Artigo 6-fabianoArtigo 6-fabiano
Artigo 6-fabiano
 
Estudos avançados
Estudos avançadosEstudos avançados
Estudos avançados
 
1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...
1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...
1. PLANO DE ENSINO - SEMINÁRIO DE LINHA DE PESQUISA 1: Territórios, sociedade...
 
Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...
Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...
Proposta de Microtesauro do Domínio História da Ideias Poíticas e Pensamento ...
 
Capítulo 4 - Antropologia Brasileira
Capítulo 4 - Antropologia BrasileiraCapítulo 4 - Antropologia Brasileira
Capítulo 4 - Antropologia Brasileira
 
Aula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllll
Aula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllllAula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllll
Aula Sociologia Contemporânea.pptxllllllllllllllllll
 
Antropologia do colonialismo
Antropologia do colonialismoAntropologia do colonialismo
Antropologia do colonialismo
 

Mais de richard_romancini

Selecting a dissertation topic: range and scope
Selecting a dissertation topic: range and scopeSelecting a dissertation topic: range and scope
Selecting a dissertation topic: range and scope
richard_romancini
 
TIPOLOGIAS DE JOGOS
TIPOLOGIAS DE JOGOSTIPOLOGIAS DE JOGOS
TIPOLOGIAS DE JOGOS
richard_romancini
 
A EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do Norte
A EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do NorteA EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do Norte
A EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do Norte
richard_romancini
 
JOGOS DE CARTAS: evolução e tipos
JOGOS DE CARTAS: evolução e tiposJOGOS DE CARTAS: evolução e tipos
JOGOS DE CARTAS: evolução e tipos
richard_romancini
 
Recursos para pesquisa na internet e revisão de literatura
Recursos para pesquisa na internet e revisão de literaturaRecursos para pesquisa na internet e revisão de literatura
Recursos para pesquisa na internet e revisão de literatura
richard_romancini
 
A pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicas
A pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicasA pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicas
A pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicas
richard_romancini
 
Comunicação Organizacional e Relações Públicas
Comunicação Organizacional e Relações PúblicasComunicação Organizacional e Relações Públicas
Comunicação Organizacional e Relações Públicas
richard_romancini
 
Perspectivas teóricas em RP
Perspectivas teóricas em RPPerspectivas teóricas em RP
Perspectivas teóricas em RP
richard_romancini
 
O campo da comunicação no Brasil
O campo da comunicação no BrasilO campo da comunicação no Brasil
O campo da comunicação no Brasil
richard_romancini
 
Mass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismoMass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismo
richard_romancini
 
Marxismo e comunicação
Marxismo e comunicaçãoMarxismo e comunicação
Marxismo e comunicação
richard_romancini
 
A sociologia marxista
A sociologia marxistaA sociologia marxista
A sociologia marxista
richard_romancini
 
Sociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismoSociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismo
richard_romancini
 
A sociologia weberiana
A sociologia weberianaA sociologia weberiana
A sociologia weberiana
richard_romancini
 
Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959)
Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959) Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959)
Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959)
richard_romancini
 
Transformações no vídeo popular
Transformações no vídeo popularTransformações no vídeo popular
Transformações no vídeo popular
richard_romancini
 
Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...
Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...
Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...
richard_romancini
 
As primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERN
As primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERNAs primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERN
As primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERN
richard_romancini
 
Humberto Mauro
Humberto MauroHumberto Mauro
Humberto Mauro
richard_romancini
 
Edgar Roquette-Pinto
Edgar Roquette-PintoEdgar Roquette-Pinto
Edgar Roquette-Pinto
richard_romancini
 

Mais de richard_romancini (20)

Selecting a dissertation topic: range and scope
Selecting a dissertation topic: range and scopeSelecting a dissertation topic: range and scope
Selecting a dissertation topic: range and scope
 
TIPOLOGIAS DE JOGOS
TIPOLOGIAS DE JOGOSTIPOLOGIAS DE JOGOS
TIPOLOGIAS DE JOGOS
 
A EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do Norte
A EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do NorteA EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do Norte
A EVOLUÇÃO DOS JOGOS DE TABULEIRO na América do Norte
 
JOGOS DE CARTAS: evolução e tipos
JOGOS DE CARTAS: evolução e tiposJOGOS DE CARTAS: evolução e tipos
JOGOS DE CARTAS: evolução e tipos
 
Recursos para pesquisa na internet e revisão de literatura
Recursos para pesquisa na internet e revisão de literaturaRecursos para pesquisa na internet e revisão de literatura
Recursos para pesquisa na internet e revisão de literatura
 
A pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicas
A pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicasA pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicas
A pesquisa em Relações Públicas e Boas práticas acadêmicas
 
Comunicação Organizacional e Relações Públicas
Comunicação Organizacional e Relações PúblicasComunicação Organizacional e Relações Públicas
Comunicação Organizacional e Relações Públicas
 
Perspectivas teóricas em RP
Perspectivas teóricas em RPPerspectivas teóricas em RP
Perspectivas teóricas em RP
 
O campo da comunicação no Brasil
O campo da comunicação no BrasilO campo da comunicação no Brasil
O campo da comunicação no Brasil
 
Mass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismoMass communication research e funcionalismo
Mass communication research e funcionalismo
 
Marxismo e comunicação
Marxismo e comunicaçãoMarxismo e comunicação
Marxismo e comunicação
 
A sociologia marxista
A sociologia marxistaA sociologia marxista
A sociologia marxista
 
Sociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismoSociologia: antecedentes e positivismo
Sociologia: antecedentes e positivismo
 
A sociologia weberiana
A sociologia weberianaA sociologia weberiana
A sociologia weberiana
 
Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959)
Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959) Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959)
Manifestos dos pioneiros da Educação Nova (1932) e dos educadores (1959)
 
Transformações no vídeo popular
Transformações no vídeo popularTransformações no vídeo popular
Transformações no vídeo popular
 
Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...
Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...
Televisão comunitária: mobilização social para democratizar a comunicação no ...
 
As primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERN
As primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERNAs primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERN
As primeiras iniciativas da Teleducação no Brasil: os Projetos SACI e EXERN
 
Humberto Mauro
Humberto MauroHumberto Mauro
Humberto Mauro
 
Edgar Roquette-Pinto
Edgar Roquette-PintoEdgar Roquette-Pinto
Edgar Roquette-Pinto
 

Último

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
edivirgesribeiro1
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
analuisasesso
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
NatySousa3
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptxAula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
Aula história , caracteristicas e esteriótipos em relação a DANÇA DE SALAO.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de CarvalhoO sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
O sentimento nacional brasiliero, segundo o historiador Jose Murlo de Carvalho
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdfCADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
CADERNO DE CONCEITOS E ORIENTAÇÕES DO CENSO ESCOLAR 2024.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 

A sociologia no brasil

  • 1. A sociologia no Brasil Prof. Dr. Richard Romancini
  • 2. Periodização 1. A Herança Histórico-cultural da Sociologia (1888-1930) Período dos Pensadores Sociais (1888-1924) Período da Sociologia de Cátedra (1824-1934) 2. Etapa Contemporânea da Sociologia (1934-) Período da Sociologia Científica (1934-1957) Período de Crise e Diversificação (1957-1984/5) Período de Busca de uma Nova Identidade (1984/5-) Fonte: Liedke Filho (2005)
  • 4. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período dos pensadores sociais - Reflexão social a partir do contexto de luta pela independência dos países latino-americanos - Teoria social elaborada por políticos, a partir de diferentes influências europeias (iluminismo, positivismo, evolucionismo, etc.) - Duas problemáticas centrais: - a formação do Estado nacional brasileiro (liberais versus autoritários; - a questão da identidade nacional (questão racial: racistas versus defensores do relativismo étnico- cultural).
  • 5. “No primeiro [momento], é praticada por intelectuais não especializados, interessados principalmente em formular princípios teóricos ou interpretar de modo global a sociedade brasileira. Além disso, não se registra o seu ensino, nem a existência da pesquisa empírica sobre aspectos delimitados da realidade presente.” (Candido, 2006 [1956], p. 271, destaque nosso) A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período dos pensadores sociais Antonio Candido (1918-) Fonte: Wikipédia
  • 6. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período dos pensadores sociais Euclides da Cunha (1886-1909) Obra: Os Sertões (1902) Fonte: Wikipédia Sílvio Romero (1851- 1914) Obras: Contos Populares do Brasil (1885) Fonte: Wikipédia Oliveira Viana (1883- 1951) Obra: Populações meridionais do Brasil (1919) Fonte: Wikipédia Alberto Torres (1865- 1917) Obra: O Problema Nacional Brasileiro (1912) Fonte: Wikipédia
  • 7. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período dos pensadores sociais - Antecedendo e em continuidade à reflexão social feita pelos homens de ação, desenvolve-se uma atividade intelectual ligada às expedições científicas, que possuíam também preocupações antropológicas - Na linhagem mais avançada no tempo desta corrente, autores como Batista Lacerda, Nina Rodrigues e Roquette Pinto podem ser considerados pioneiros do estudo científico do homem no Brasil. Edgar Roquette-Pinto (1884-1954) Fonte: Rádio Roquette Pinto
  • 8. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período dos pensadores sociais - Autodidatismo caracteriza o período. - “A intenção principal não é fazer investigação sociológica propriamente dita, mas considerar fatores sociais na análise de certas relações como, por exemplo, as conexões entre o Direito e a Sociologia, a literatura e o contexto social, o Estado e a organização social” (Liedke Filho, 2005, p. 380). - Desenvolvimento desta tendência, porém, leva a um efetivo enraizamento da disciplina sociológica no país.
  • 9. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia de Cátedra - Período marcado pela criação de cátedras de Sociologia em Faculdades de Direito (na AL) e nas Escolas Normais no Brasil (influência da Escola Nova) - Ideias sociológicas acerca de problemas sociais como urbanização, migrações, analfabetismo e pobreza - Produção de autores como Gilberto Freyre (Casa Grande e Senzala, etc.), de viés otimista do ponto de vista racial - Aumento da complexidade social (que desemboca na revolução de 1930) explica a força e interesse pelos estudos científicos da sociedade
  • 10. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia de Cátedra Gilberto Freyre (1900- 1987) Obra: Casa-grande & senzala (1933) Fonte: Wikipédia “Se Oliveira Viana é um fim da linha de ‘teoria geral do Brasil’ sob um ponto de vista evolutivo, Gilberto Freyre, embora ligado a ela, é um começo, pela renovação dos métodos e a larga informação teórica em que se fundou. As suas obras são ainda tributárias da História; mas [...] apareceu desde logo, ao modo da dos predecessores que estudamos, como Sociologia – como a fórmula brasileira da investigação sociológica. [...] Como em Euclides da Cunha, temos aqui uma obra cujas virtudes literárias estão no nível da capacidade científica.” (Candido, 2006 [1956], p. 282-3 e 284)
  • 11. “[...] dado o caráter sincrético da nossa Sociologia, há outros estudiosos rotulados como historiadores, geógrafos, juristas etc., que produzem obras sensivelmente análogas às menos técnicas (no sentido específico) dentre as referidas, que superam muitas vezes em importância. Basta mencionar [...] a obra de Caio Prado Júnior sobre a Formação do Brasil contemporâneo (1942), para não falar na de Sérgio Buarque de Holanda [...] (Raízes do Brasil, 1936) [...]”. A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia de Cátedra Fonte: Wikipédia
  • 12. Parte 1: https://www.youtube.com/watch?v=2LjYRwJJqAg (48’) Parte 2: https://www.youtube.com/watch?v=5E8qD9mAxOE (36’) A Herança Histórico-cultural da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia de Cátedra
  • 13. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica “Até a década de 40, a produção do pensamento sociológico no Brasil se fazia dentro de um contexto em que literatura, filosofia, discurso político, beletrismo, se misturavam. Uma disciplina marcada pelo ecletismo e pelo ensaísmo, que se construía sobre o fundamento de afirmações genéricas que prescindiam de um trabalho sistemático de pesquisa.” (Ortiz, 1990, p. 165)
  • 14. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica - Hegemonia da visão funcionalista-estrutural - Institucionalização e prática do ensino e da pesquisa em sociologia, similar ao dos centros sociológicos dos países centrais. - Criação da Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo (1933) e com a criação da Seção de Sociologia e Ciência Política da Faculdade de Filosofia da Universidade de São Paulo (1934).
  • 15. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica Parte 1: https://www.youtube.com/watch?v=dwcnILuLuH4 Parte 2: https://www.youtube.com/watch?v=YtHOow-f05c
  • 16. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica - Temáticas principais da década de cinquenta: população, imigração e colonização; - relações étnicas, contatos e assimilação (o negro; o índio e o branco colonizador); - educação; - história social; - Direito e Ciência Política; - estudos de comunidades; análises regionais e Sociologia rural e urbana. - Publicação de manuais (ensino secundário) e livros de teorias e métodos sociológicos - Nos anos 1950 há ainda a preocupação com a criação de uma “sociologia autêntica”, de teor nacionalista (polêmica Guerreiro Ramos/ISEB e Florestan Fernandes/USP) Alberto Guerreira Ramos (1915-1982) Obras: A sociologia industrial (1951), Cartilha do aprendiz Sociólogo (1955) Fonte: História da Administração
  • 17. Polêmica Florestan-Guerreira Ramos “Quando escreve ‘O Padrão de Trabalho Científico dos Sociólogos Brasileiros’ (1958), Florestan tem em mente uma formação intelectual que seja fundamentalmente pautada pelas ‘normas, valores e ideais do saber científico’. [...] Primeiro, uma ruptura em relação ao senso comum, o discurso dos juristas, jornalistas e críticos literários, segundo, um distanciamento em relação à aplicação imediata do método sociológico para a resolução de problemas sociais: uma crítica da sua utilidade. Posição antagônica à de Guerreiro Ramos, que imaginava a Sociologia como uma espécie de ‘salvação’, corpo teórico cuja vocação seria ‘tornar-se um saber vulgarizado’. Adepto de uma visão genuinamente nacional [...] olhava com desconfiança as influências estrangeiras.” (Ortiz, 1990, p. 167) A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica
  • 18. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica “Julgada no conjunto a contribuição metodológica de Florestan Fernandes, e aferida ao sentido da nossa evolução sociológica, vemos que representa a grande expressão teórica do processo pelo qual vimos passando de uma Sociologia global para uma Sociologia com objeto definido, de um método evolutivo e comparativo para formas mais rigorosas de indução. Representa o sinal de que realizamos no Brasil, por vários modos, a marcha geral da Sociologia à busca de caráter científico: restrição de campo, definição de objeto, determinação de método.” (Candido, 2006, p. 295) Florestan Fernandes (1920-1995) Obras: O Problema do Método na Investigação Sociológica (1947), Ensaio sobre o método de interpretação funcionalista na sociologia (1953), entre outras Fonte: Wikipédia
  • 19. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica https://www.youtube.com/watch?v=iJxJd0jXuWw (12’)
  • 20. Outras preocupações desse momento -Teoria da Modernização e sua análise do processo de transição da sociedade tradicional para a sociedade moderna -Tratamento sistemático da transição da sociedade tradicional para a modernidade. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica
  • 21. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica - Teoria da Modernização: Brasil – sociedade dual, parte arcaica e parte moderna
  • 22. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O período da Sociologia Científica - “Sociologia Científica” busca da adoção dos princípios básicos do conhecimento científico em geral e procedimentos de pesquisa refinados, para alcançar um padrão de ensino e pesquisa similar àquele dos países centrais - Defendia uma estreita associação entre modernização, democratização e condições favoráveis à evolução da Sociologia. - Regimes ditatoriais na AL, a partir dos anos 1970 dificultaram projeto - Embate entre “Neocolonialismo/Neo-imperialismo” versus “Sociologia Nacional” – crítica mesmo a certa adoção do marxismo
  • 23. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O Período de crise e diversificação da Sociologia Brasileira - Emergência do marxismo, no final dos anos 1950, com críticas às visões anteriores - Renovação teórico-metodológica e temática do final dos anos 60, particularmente em termos da formulação de estudos acerca da dependência - Contexto mundial (guerra fria, revoluções socialistas, etc.) e crises locais (ditadura militar) explicam diversidade e problemáticas sociológicas em destaque, com os desenvolvimentos teóricos da Teoria da Dependência e do Novo Autoritarismo
  • 24. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: O Período de crise e diversificação da Sociologia Brasileira - Apesar do movimento geral de repressão (fechamento do ISEB, em 1964; cassações na USP, em 1969) houve uma expansão institucional dos estudos sociológicos, derivada da Reforma Universitária (criação de departamentos e centros de pesquisa, como o CEBRAP, independentes) - “Até os anos 60 a Sociologia era um bem restrito a alguns centros, uma nova situação se instaura com a ampliação desordenada do mercado. Por isso os esforços de regulamentação da profissão se concentram neste período (lei 72.493, julho de 1973; projeto de lei do Senado Nº 74, 1974)” (Ortiz, 1990, p. 170)
  • 25. A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: A Sociologia Brasileira hoje: em busca de uma Nova Identidade - A ênfase em estudos relativos à dependência, vigentes na primeira metade da década de 70, veio a ser substituída, na segunda metade da década, pela temática da reativação da sociedade civil - Temática dos movimentos sociais veio a dar lugar à pesquisa acerca das identidades sociais e representações sociais
  • 26. - Para Liedke (2005, p. 425 e 426), a “Sociologia seguiu um caminho epistemológico e teórico-metodológico muito problemático, com o privilegiamento de abordagens microssociais e uma ênfase exacerbada na questão das identidades, das representações e do imaginário dos agentes sociais” [...] “Rapidamente, ocorreu uma dissociação da questão dos movimentos sociais em relação a condições macroestruturais, passando a Sociologia a dedicar-se massivamente a enfocar as identidades e representações sociais dos movimentos urbanos e rurais, do movimento sindical, dos movimentos feministas e gay, do movimento negro e dos movimentos ecológicos.”] A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: A Sociologia Brasileira hoje: em busca de uma Nova Identidade
  • 27. - Outra crítica é a de Renato Ortiz (1990, p. 173): “Com o crescimento do mercado universitário, a produção em Ciências Sociais começa a ser simples reprodutora da razão organizacional. A defesa dos interesses corporativos, sobretudo quando existem recursos para isso, torna-se preponderante sobre o projeto acadêmico.” - De qualquer modo, temáticas recentes de pesquisa são: globalização, da pós-modernidade e multiculturalismo A Etapa Contemporânea da Sociologia no Brasil: A Sociologia Brasileira hoje: em busca de uma Nova Identidade
  • 28. Referências CANDIDO, Antonio. A sociologia no Brasil. Tempo Social, revista de sociologia da USP, v. 18, n. 1, p. 271- 301, junho 2006. LIEDKE FILHO, Enno D. A Sociologia no Brasil: história, teorias e desafios. Sociologias, Porto Alegre, ano 7, nº 14, p. 376-437, jul/dez 2005. ORTIZ, Renato. Notas sobre as Ciências Sociais no Brasil. Novos Estudos CEBRAP, Nº 27, p. 163-175, julho de 1990.