SlideShare uma empresa Scribd logo
BAUMAN, Zigmund. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: 
Jorge Zahar Ed., 2001. 259p.
Zygmunt Bauman Nasceu em 1925 
Sociólogo polonês que iniciou sua 
carreira na Universidade de Varsóvia 
onde teve artigos e livros censurados 
e em 1968 foi afastado da 
universidade. 
No início da década de 70 ele assumiu 
o cargo de professor titular da 
Universidade de Leeds, onde teve 
contato com o intelectual que 
inspiraria profundamente seu 
pensamento, o filósofo islandês Ji 
Caze. 
Atualmente é professor emérito de 
sociologia das universidades de Leeds 
e Varsóvia.
Passagem da 
modernidade Sólida para 
Modernidade Líquida 
Bauman não utiliza o 
termo pós-modernidade 
Poder de mudança e 
adaptação 
Afetação nos mais variados 
aspectos da vida 
Emancipação 
Individualidade 
Tempo/espaço 
Trabalho 
Comunidade
Características 
LÍQUIDO 
Não mantém sua forma com 
facilidade 
Movem-se facilmente 
(respingam, escorrem) 
Sua extraordinária mobilidade 
faz com sejam associados à 
leveza 
O tempo importa mais que o 
espaço que ocupa (o espaço é 
preenchido apenas por um 
momento) 
SÓLIDO 
Liga que une seus 
átomos indica a 
estabilidade dos sólidos 
São rígidos e precisam 
sofrer uma tensão de 
forças para moldar-se a 
novas formas 
Diminuam a significação 
do tempo
“Tudo o que era sólido se 
desmancha no ar, tudo o 
que era sagrado é 
profanado, e as pessoas 
são finalmente forçadas 
a encarar com 
serenidade sua posição 
social e suas relações 
recíprocas” 
Transformação da 
modernidade (dos seus 
aspectos sólidos para 
liquefação) 
Construção de uma nova 
ordem definida pela 
economia
Era urgente derreter os sólidos 
para que o mundo se tornasse 
previsível e administrável 
“Derreter os sólidos” – crenças e 
tradições que permitiam que os 
sólidos resistissem a liquefação 
Limpar a área para o surgimento 
de novos sólidos duradouros e 
perfeitos - a construção de um 
mundo novo 
Primeiro sólido a ser dissolvido: o 
impedimento da atuação de 
movimentos sociais, a fim de 
construir uma nova ordem 
eliminando os direitos
Nova ordem surgiu com o 
derretimento dos grilhões 
que aprisionavam a 
liberdade individual de 
escolher e agir que só seria 
sanada com a 
flexibilização, a 
desregulamentação e a 
liberação do mercado
Modernidade Sólida Modernidade 
Líquida 
Fábrica Empresa 
Permanência Impermanência 
Fronteirizado Desfronteirizado 
Equipe Rede 
Rigidez Flexibilidade 
Reprodução Criatividade 
Administração 
(futuro) 
Gestão /incertezas)
Apresentação modernidade líquida
Emancipação 
Emancipar é libertar-se da 
sociedade; 
Liberdade -emancipação das crenças 
e integração de novos valores 
Bênçãos mistas da liberdade; 
Identidade impulsionada pelo 
desejo; 
Industria cultural 
Busca constante por realizações; 
Sociedade consumista e 
individualizada; 
Indivíduo deprimido e solitário.
Sociedade de Consumidores 
Modernidade sólida – sociedade 
de produtores 
Modernidade líquida – sociedade 
de consumidores 
Sociedade de consumidores – 
liberdade (possibilidade de 
escolha de mercadorias e 
identidades) 
Liberdade(possibilidade de 
escolhas)- Emancipação? 
Indivíduo destituído de sua 
subjetividade, perde as raízes 
Política-vida - Deriva da 
pragmática de comprar, ou seja, o 
ter é muito mais que o ser 
Consumo associado à felicidade
Não se busca as causas comuns 
 Necessidade de fazer parte da rede 
A figura de lideres para causas 
coletivas ficou esvaziada 
A figura do líder foi substituída pela 
dos conselheiros – atuam por meio 
de exemplos 
Tendência das pessoas a 
procurarem um modelo 
(celebridades) 
Privado sendo exposto para 
consumo público. 
Expulsão da Política - os problemas 
não-privados foram expulsos da 
agenda pública. 
Individualização anuncia problemas 
para cidadania, pois as
crítica 
Hospitalidade à crítica (de agente 
passivo para agente ativo) 
Crítica desdentada 
Inversão da tarefa da teoria crítica 
(hoje a tarefa é defender a esfera pública 
do esvaziamento pelo individualismo)
Individualização 
Identidade - O individuo tenta solidificar compartilhando as 
mesmas coisas. Ela é única e individual e somente pode ser 
consolidada quando se adquire o objeto que todo mundo 
compra. 
comprar identidades 
 Identidade volátil e instável - Moda 
A individualização gera corrosão e desintegração da cidadania

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cultura
CulturaCultura
Cultura
Jhonatan Max
 
Religião e Sociologia
Religião e SociologiaReligião e Sociologia
Religião e Sociologia
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
Moacyr Anício
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
Beatriz Schnaider Tontini
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 
O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO
Rudolf Rotchild Costa Cavalcante
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
roberto mosca junior
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
José Aristides Silva Gamito
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Juliana Corvino de Araújo
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Carmem Rocha
 
Cultura - Sociologia
Cultura - SociologiaCultura - Sociologia
Cultura - Sociologia
Jonathas Morato da Costa
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
marifonseca
 
Modernidade
ModernidadeModernidade
Sociologia no Brasil
Sociologia no BrasilSociologia no Brasil
Sociologia no Brasil
Bruno Barbosa
 
Sociologia Capítulo 18 - Cultura e Ideologia
Sociologia Capítulo 18 - Cultura e IdeologiaSociologia Capítulo 18 - Cultura e Ideologia
Sociologia Capítulo 18 - Cultura e Ideologia
Miro Santos
 
Sociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteSociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambiente
EEBMiguelCouto
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
José Ferreira Júnior
 
Etnocentrismo
EtnocentrismoEtnocentrismo

Mais procurados (20)

Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Religião e Sociologia
Religião e SociologiaReligião e Sociologia
Religião e Sociologia
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Sociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e SociedadeSociologia, Cultura e Sociedade
Sociologia, Cultura e Sociedade
 
Indústria Cultural
Indústria CulturalIndústria Cultural
Indústria Cultural
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
 
Sociologia brasileira
Sociologia brasileiraSociologia brasileira
Sociologia brasileira
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
 
Cultura - Sociologia
Cultura - SociologiaCultura - Sociologia
Cultura - Sociologia
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
 
Modernidade
ModernidadeModernidade
Modernidade
 
Sociologia no Brasil
Sociologia no BrasilSociologia no Brasil
Sociologia no Brasil
 
Sociologia Capítulo 18 - Cultura e Ideologia
Sociologia Capítulo 18 - Cultura e IdeologiaSociologia Capítulo 18 - Cultura e Ideologia
Sociologia Capítulo 18 - Cultura e Ideologia
 
Sociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambienteSociologia e meio ambiente
Sociologia e meio ambiente
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Etnocentrismo
EtnocentrismoEtnocentrismo
Etnocentrismo
 

Semelhante a Apresentação modernidade líquida

Liberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes Sociais
Liberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes SociaisLiberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes Sociais
Liberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes Sociais
Erica Frau
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
Ericka Bastos
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
Paulo Henrique
 
Trabalho a.i 2013
Trabalho a.i 2013Trabalho a.i 2013
Trabalho a.i 2013
Kevin Cardoso
 
Aula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptx
Aula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptxAula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptx
Aula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptx
BrenoLopes46
 
O império do efêmero - Gilles Lipovetsky
O império do efêmero - Gilles LipovetskyO império do efêmero - Gilles Lipovetsky
O império do efêmero - Gilles Lipovetsky
Andressa Silva
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
aulasgege
 
Seminario Bauman Final
Seminario Bauman FinalSeminario Bauman Final
Seminario Bauman Final
Clovis Castelo Junior , MSc
 
Zygmunt baumam
Zygmunt baumamZygmunt baumam
Zygmunt baumam
sociofilo2012
 
Slides (2).pptx
Slides (2).pptxSlides (2).pptx
Slides (2).pptx
LinaKelly3
 
Sociologia
Sociologia Sociologia
Sociologia
julilp10
 
Liberdades individuais e coerção social
Liberdades individuais e coerção socialLiberdades individuais e coerção social
Liberdades individuais e coerção social
sociologianocivitatis
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
HisrelBlog
 
Bauman.ppt
Bauman.pptBauman.ppt
Bauman.ppt
FbioPeronCarballo
 
Individualismo
IndividualismoIndividualismo
Teoria Social Contemporânea Giddens II
Teoria Social Contemporânea Giddens II Teoria Social Contemporânea Giddens II
Teoria Social Contemporânea Giddens II
ALCIONE
 
3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx
3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx
3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx
SamaraDosSantosCarva1
 
Fichamento O Que é Sociologia
Fichamento   O Que é SociologiaFichamento   O Que é Sociologia
Fichamento O Que é Sociologia
Wladimir Crippa
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
roberto mosca junior
 
Clássicos da sociologia
Clássicos da sociologiaClássicos da sociologia
Clássicos da sociologia
Luciano Carvalho
 

Semelhante a Apresentação modernidade líquida (20)

Liberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes Sociais
Liberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes SociaisLiberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes Sociais
Liberdades Individuais e Coerção Social / Instituiçoes Sociais
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
 
Mudança e transformação social
Mudança e transformação socialMudança e transformação social
Mudança e transformação social
 
Trabalho a.i 2013
Trabalho a.i 2013Trabalho a.i 2013
Trabalho a.i 2013
 
Aula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptx
Aula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptxAula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptx
Aula de Introducao a Sociologia - O que é sociologia.pptx
 
O império do efêmero - Gilles Lipovetsky
O império do efêmero - Gilles LipovetskyO império do efêmero - Gilles Lipovetsky
O império do efêmero - Gilles Lipovetsky
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Seminario Bauman Final
Seminario Bauman FinalSeminario Bauman Final
Seminario Bauman Final
 
Zygmunt baumam
Zygmunt baumamZygmunt baumam
Zygmunt baumam
 
Slides (2).pptx
Slides (2).pptxSlides (2).pptx
Slides (2).pptx
 
Sociologia
Sociologia Sociologia
Sociologia
 
Liberdades individuais e coerção social
Liberdades individuais e coerção socialLiberdades individuais e coerção social
Liberdades individuais e coerção social
 
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIMSOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
SOCIOLOGIA: O PENSAMENTO DE ÉMILE DURKHEIM
 
Bauman.ppt
Bauman.pptBauman.ppt
Bauman.ppt
 
Individualismo
IndividualismoIndividualismo
Individualismo
 
Teoria Social Contemporânea Giddens II
Teoria Social Contemporânea Giddens II Teoria Social Contemporânea Giddens II
Teoria Social Contemporânea Giddens II
 
3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx
3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx
3EM_Aula 1 - Sociologia uma ciência da sociedade.pptx
 
Fichamento O Que é Sociologia
Fichamento   O Que é SociologiaFichamento   O Que é Sociologia
Fichamento O Que é Sociologia
 
Norbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieuNorbert elias e pierre bourdieu
Norbert elias e pierre bourdieu
 
Clássicos da sociologia
Clássicos da sociologiaClássicos da sociologia
Clássicos da sociologia
 

Último

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Luiz C. da Silva
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da TerraUma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
Uma Breve História da Origem, Formação e Evolução da Terra
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 

Apresentação modernidade líquida

  • 1. BAUMAN, Zigmund. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001. 259p.
  • 2. Zygmunt Bauman Nasceu em 1925 Sociólogo polonês que iniciou sua carreira na Universidade de Varsóvia onde teve artigos e livros censurados e em 1968 foi afastado da universidade. No início da década de 70 ele assumiu o cargo de professor titular da Universidade de Leeds, onde teve contato com o intelectual que inspiraria profundamente seu pensamento, o filósofo islandês Ji Caze. Atualmente é professor emérito de sociologia das universidades de Leeds e Varsóvia.
  • 3. Passagem da modernidade Sólida para Modernidade Líquida Bauman não utiliza o termo pós-modernidade Poder de mudança e adaptação Afetação nos mais variados aspectos da vida Emancipação Individualidade Tempo/espaço Trabalho Comunidade
  • 4. Características LÍQUIDO Não mantém sua forma com facilidade Movem-se facilmente (respingam, escorrem) Sua extraordinária mobilidade faz com sejam associados à leveza O tempo importa mais que o espaço que ocupa (o espaço é preenchido apenas por um momento) SÓLIDO Liga que une seus átomos indica a estabilidade dos sólidos São rígidos e precisam sofrer uma tensão de forças para moldar-se a novas formas Diminuam a significação do tempo
  • 5. “Tudo o que era sólido se desmancha no ar, tudo o que era sagrado é profanado, e as pessoas são finalmente forçadas a encarar com serenidade sua posição social e suas relações recíprocas” Transformação da modernidade (dos seus aspectos sólidos para liquefação) Construção de uma nova ordem definida pela economia
  • 6. Era urgente derreter os sólidos para que o mundo se tornasse previsível e administrável “Derreter os sólidos” – crenças e tradições que permitiam que os sólidos resistissem a liquefação Limpar a área para o surgimento de novos sólidos duradouros e perfeitos - a construção de um mundo novo Primeiro sólido a ser dissolvido: o impedimento da atuação de movimentos sociais, a fim de construir uma nova ordem eliminando os direitos
  • 7. Nova ordem surgiu com o derretimento dos grilhões que aprisionavam a liberdade individual de escolher e agir que só seria sanada com a flexibilização, a desregulamentação e a liberação do mercado
  • 8. Modernidade Sólida Modernidade Líquida Fábrica Empresa Permanência Impermanência Fronteirizado Desfronteirizado Equipe Rede Rigidez Flexibilidade Reprodução Criatividade Administração (futuro) Gestão /incertezas)
  • 10. Emancipação Emancipar é libertar-se da sociedade; Liberdade -emancipação das crenças e integração de novos valores Bênçãos mistas da liberdade; Identidade impulsionada pelo desejo; Industria cultural Busca constante por realizações; Sociedade consumista e individualizada; Indivíduo deprimido e solitário.
  • 11. Sociedade de Consumidores Modernidade sólida – sociedade de produtores Modernidade líquida – sociedade de consumidores Sociedade de consumidores – liberdade (possibilidade de escolha de mercadorias e identidades) Liberdade(possibilidade de escolhas)- Emancipação? Indivíduo destituído de sua subjetividade, perde as raízes Política-vida - Deriva da pragmática de comprar, ou seja, o ter é muito mais que o ser Consumo associado à felicidade
  • 12. Não se busca as causas comuns  Necessidade de fazer parte da rede A figura de lideres para causas coletivas ficou esvaziada A figura do líder foi substituída pela dos conselheiros – atuam por meio de exemplos Tendência das pessoas a procurarem um modelo (celebridades) Privado sendo exposto para consumo público. Expulsão da Política - os problemas não-privados foram expulsos da agenda pública. Individualização anuncia problemas para cidadania, pois as
  • 13. crítica Hospitalidade à crítica (de agente passivo para agente ativo) Crítica desdentada Inversão da tarefa da teoria crítica (hoje a tarefa é defender a esfera pública do esvaziamento pelo individualismo)
  • 14. Individualização Identidade - O individuo tenta solidificar compartilhando as mesmas coisas. Ela é única e individual e somente pode ser consolidada quando se adquire o objeto que todo mundo compra. comprar identidades  Identidade volátil e instável - Moda A individualização gera corrosão e desintegração da cidadania