SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 27
A vida é difícil, bem o sei. Compõe-se de mil nadas, que são
picadas de alfinetes, mas que acabam por ferir. Se, porém,
atentarmos nos deveres que nos são impostos, nas consolações
e compensações que, por outro lado, recebemos, havemos de
reconhecer que são as bênçãos muito mais numerosas do
que as dores. O fardo parece menos pesado, quando se olha
para o alto, do que quando se curva para a terra a fronte.
Coragem, amigos! Tendes no Cristo o vosso modelo. Mais sofreu ele do
que qualquer de vós e nada tinha de que se censurar, ao passo que vós
tendes de expiar o vosso passado e de vos fortalecer para o futuro.
Sede, pois, pacientes, sede cristãos. Essa palavra resume tudo.
– Um Espírito amigo. (Havre, 1862.)
O Evangelho segundo o Espiritismo » Capítulo IX –
Bem-aventurados os que são dóceis e pacíficos » Instruções dos Espíritos » A paciência
O tempo passa muito rápido, as exigências materiais se
ampliam, as relações são frágeis, os problemas se apresentam
e as dores surgem.
A dor é uma bênção que Deus envia a seus eleitos;
Instruções dos Espíritos » A paciência
Na dor não há divisão de seres, todos independente da cor, da
raça, da religião ou do poder aquisitivo que se tenha, ela vai
estar presente.
Há uma mudança energética no nosso
planeta.
O campo energético da Terra está mudando para
uma campo energético mais elevado e com ela
todos os habitantes do planeta em todos os reinos
também terão que mudar vibratoriamente.
Essa troca energética afeta todas as pessoas. Algumas
mais, outras menos, de acordo com o entendimento e a
consciência de cada um.
Certo é que todos terão a oportunidade da troca dessa
base energética, porém os sintomas são diferentes, já
que a resistência ou a ignorância dos fatos
determinarão a intensidade e a duração deles.
Isso está ocorrendo pelo processo de
Transição da Terra.
Isso acontece porque muitas das energias são trocadas
enquanto estamos dormindo. Quanto mais mudamos a
nossa consciência para nos adequarmos à Nova
Terra, mais rapidamente o nosso corpo físico ficará
pronto.
Por mais que no atual momento as coisas possam
parecer que estão fugindo do controle, não estão, tudo
segue seu percurso porque há um Ser no comando
disso tudo e nada está fora do lugar.
Se precisamos mudar nossa sequência energética,
precisamos entender que isso irá trazer tanto dores
físicas, quanto morais, pois irá mexer fundo nas
nossas emoções e sentimentos.
Mas acima de tudo, afetará a consciência
humana, pois a Terra é uma Escola de
consciência.
Há crianças que já estão nascendo com essa nova base
energética, mas os adultos, muitos ainda permanecem
numa frequência baixa. Como não é possível
desencarnar todos ao mesmo tempo e reencarnar na
nova base, a forte incidência de Luz que a Terra está
recebendo vai mudando aos poucos os velhos corpos
para adequá-los às novas energias.
É um processo natural, pois, até as células que
compõem o corpo humano são trocadas em média a
cada 3 meses.
Mas, o que tem haver a dor com tudo isso?
A dor está ligada a evolução, nada consegue
evoluir sem um processo doloroso, num planeta
de expiações, porque a vida necessita passar por
transformações. E a dor em si, vem ao nosso
encontro para nos alertar que precisamos
aprender algo que estamos deixando a desejar.
Do latim “dolor, dolóris” a palavra dor significa desconforto
físico, tormento ou inquietação. As dores podem ser:
Físicas:
Decorrentes da
sensação
desagradável que
se apresenta no
corpo físico;
Decorrente do
sentimento de
mágoa, decepção,
perda de entes
queridos e
desgostos do
coração;
Emocional: Moral :
Decorrente do
arrependimento
ou remorso pelo
dano causado a
outro ou a si
mesmo;
Social :
Decorrente das dificuldades de sobrevivência,
desigualdades.
O sofrimento é a forma que expressamos a dor que
sentimos. Pessoas podem sofrer as mesmas dores
diante das situações, mas o sofrimento pelo que
passam pode ser muito distinto. Para uns é
insuportável, enquanto para outros é tolerável.
Todavia, a dor e o sofrimento são consequências naturais da
evolução do Espírito, como fatores necessários ao despertamento de
sua consciência individual no seio da Consciência Cósmica de Deus.
A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional
Nos planos inferiores da criação não há evolução sem dor.
A dor não é reação cega ou punição que espanca, mas medida
pedagógica que educa, corrige e cura, pois sob a disciplina
retificadora da Lei de Causa e Efeito o Espírito fortifica sua
memória e afirma a sua característica pensante.
A resistência cria a Dor
A resistência é sinal que não aceitamos o que nos chegou para
nos mostrar que precisamos apender algo. Criamos resistência
à mudança, nos falta discernimento. Toda vez que não
aceitamos uma situação que não está nas nossas mãos muda-
la ou melhora-la, geralmente temos dificuldades de
aceitar.
E tem a situação em que só compete a nós a mudança e se
não realizamos é porque nos acomodamos e não queremos
sair da zona de conforto.
O Espírito do homem, por ser de origem divina, pressente em
sua intimidade que há de ser feliz, mas incipiente e ainda
incapaz de alcançar essa ventura completa nas suas primeiras
tentativas, sofre desilusões e toma por sofrimento detestável
as correções cármicas que o conduzem novamente ao caminho
certo.
Quantos homens caem por causa de sua própria culpa vitimados pelo
desleixo, imprevidência, orgulho e ambição? Quantas pessoas
arruinadas pela desordem, desânimo, má conduta ou por não
limitarem seus desejos?
Quantas doenças e enfermidades resultam da imprudência e
excessos de toda ordem? Quantos pais são infelizes por causa
dos filhos, por não combaterem neles desde pequeninos as
manifestações de suas más tendências?
Os sofrimentos com que nos defrontamos na vida presente,
quando não são originados na vida atual só podem ser
consequências de erros cometidos em vidas anteriores.
Desta forma, é a dor que, muitas vezes, provoca o
despertamento da consciência para que o homem busque as
forças íntimas e a espiritualidade de forma a superá-la e
reparar seu passado. A dor é a alavanca que força o homem a
mudar pois seus atos, sentimentos e pensamentos estão em
desacordo com a harmonia e a saúde do Espírito.
As crises violentas de dor e sofrimento muitas vezes são necessárias
ao Espírito reincidente em suas faltas. A dor nos faz olhar para dentro,
penetrar a alma, devassar o íntimo e melhorar os efeitos, socorrendo
e agindo nas causas que são diretamente ligadas ao afastamento das
Leis Divinas.
Como tem o papel educativo a dor perdura durante o tempo
necessário para que o homem se transforme e melhore, ou seja a
duração e a natureza de seus sofrimentos dependem do tempo que
ele gaste em melhorar-se.
À medida que progride e que os sentimentos se
lhe depuram, seus sofrimentos diminuem e
mudam de natureza.
A questão do sofrimento foi estudada pelo Buda que nos
legou um caminho de superação através das
Quatro Nobres Verdades:
1ª– A verdade do sofrimento: estamos presos numa experiência
reencarnatória cíclica até nos depurarmos e reconhecer o sofrimento, é o
primeiro passo;
2ª– A verdade da causa: por não satisfazermos os desejos de nosso ego
inferior surgem os três venenos: o apego, o ódio e a ignorância;
3ª - A verdade da cessação: extinta a causa cessa o sofrimento
ou seja, quando eliminamos em nós esses venenos cessa o
sofrimento;
4ª– A verdade do caminho: é a senda óctupla composta por visão correta,
intenção correta, fala correta, ação correta, meio de vida correto, esforço
Isso não quer dizer que desenvolvendo virtudes
estaremos livres das dificuldades. Significa estar no
meio de dificuldades e não sofrer, não deixar o
desespero e o sofrimento invadirem a alma. É o
caminho da serenidade.
“O sofrimento é o misterioso operário que trabalha nas
profundezas de nossa alma, e trabalha por nossa elevação”.
“Em todo o universo o sofrimento é sobretudo um meio
educativo e purificador”. “O primeiro juiz enviado por Deus é o
sofrimento, que procura despertar a consciência adormecida”.
“É apelo à ascensão. Sem ele seria difícil acordar a consciência para a
realidade superior. Aguilhão benéfico, o sofrimento evita-nos a
precipitação nos despenhadeiros do mal, auxilia-nos a prosseguir
entre as margens do caminho, mantendo-nos a correção necessária ao
êxito do plano redentor”.
(Equipe FEB, 1995)
Allan Kardec, no cap. VI de O Evangelho Segundo o Espiritismo, diz-nos
que todos os sofrimentos, misérias, decepções, dores físicas, perda de
entes queridos encontram sua consolação na fé no futuro, na
confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens.
Naquele que não crê na vida futura as aflições se abatem com todo o
seu peso, e nenhuma esperança vem suavizar lhe a amargura.
O jugo será leve desde que obedeçamos à lei. Mas, que lei?
A lei áurea deixada por Jesus:
“Fazer aos outros o que gostaríamos que nos fosse feito”. Praticando-
a, vamos atualizando as nossas potencialidades de justiça, amor e
caridade, primeiramente com relação a Deus e, secundariamente, com
relação a nós mesmos e ao nosso próximo. (Agenda espírita)
Se a dor te visita o coração, improvisando tempestades de
lágrimas em teu campo interior, não te confies ao incêndio do
desespero, nem ao gelo da lamentação. Recorda o tesouro do
tempo, retira-te da amargura que te ocupa, indebitamente, e
trabalha servindo. O trabalho é um refúgio contra as aflições
que dominam a alma. O serviço aos semelhantes gera valoroso
otimismo.
[...]Na luta e na tranquilidade, no sofrimento e na
alegria, na tristeza ou na esperança, segue agindo e
auxiliando.
Trabalhar é produzir transformação, oportunidade
e movimento.
Servir é criar simpatia, fraternidade e luz.
Chico Xavier - Emmanuel
Referências bibliográficas:
1.Fisiologia da Alma – Ramatis
2.O Evangelho segundo o Espiritismo – Allan
Kardec
Quando o trabalhador converte o trabalho
em alegria, o trabalho se transforma na
alegria do trabalhador.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
CeiClarencio
 
Terra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritosTerra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritos
bonattinho
 

Mais procurados (20)

O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalhoSegundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
Segundo Módulo - Aula 03 - Lei do trabalho
 
Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
 
Causas das aflições
Causas das afliçõesCausas das aflições
Causas das aflições
 
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptxNECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
NECESSIDADE DA ENCARNAÇÃO.pptx
 
A educacao do espirito
A educacao do espiritoA educacao do espirito
A educacao do espirito
 
Brasil coração do mundo, pátria do evangelho
Brasil coração do mundo, pátria do evangelhoBrasil coração do mundo, pátria do evangelho
Brasil coração do mundo, pátria do evangelho
 
Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21Estudos do evangelho 21
Estudos do evangelho 21
 
Laços familia
Laços familiaLaços familia
Laços familia
 
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
APEGO E LIBERTAÇÃO VISÃO ESPÍRITA
 
Porta estreita
Porta estreitaPorta estreita
Porta estreita
 
09 de maio 2015 o papel das mães na terra
09 de maio 2015   o papel das mães na terra09 de maio 2015   o papel das mães na terra
09 de maio 2015 o papel das mães na terra
 
AULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalhoAULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalho
 
Terra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritosTerra escola dos espíritos
Terra escola dos espíritos
 
Palestra Espírita - As três revelações
Palestra Espírita - As três revelaçõesPalestra Espírita - As três revelações
Palestra Espírita - As três revelações
 
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMOREFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
REFORMA INTIMA E ESPIRITISMO
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
 
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucuraO processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
O processo obsessivo - obsessor e obsidiado - obsessão e loucura
 
O Dever
O DeverO Dever
O Dever
 
Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!Dimensões espirituais do centro espírita!
Dimensões espirituais do centro espírita!
 

Semelhante a A dor.pptx

Penas E Gozos Terrenos
Penas E  Gozos  TerrenosPenas E  Gozos  Terrenos
Penas E Gozos Terrenos
meebpeixotinho
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
apqbarros
 
Mente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entenderMente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entender
MarianaGuadalupi
 
As bases do transformar se
As bases do transformar seAs bases do transformar se
As bases do transformar se
paikachambi
 

Semelhante a A dor.pptx (20)

Motivos de Resignação
Motivos de ResignaçãoMotivos de Resignação
Motivos de Resignação
 
AUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DOR
AUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DORAUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DOR
AUTOCONHECER-SE ATRAVÉS DA DOR
 
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e ProgressoO Perdão,lei de Evolução e Progresso
O Perdão,lei de Evolução e Progresso
 
Penas E Gozos Terrenos
Penas E  Gozos  TerrenosPenas E  Gozos  Terrenos
Penas E Gozos Terrenos
 
Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01Perdo 130429173017-phpapp01
Perdo 130429173017-phpapp01
 
Causas anteriores das aflições
Causas anteriores das afliçõesCausas anteriores das aflições
Causas anteriores das aflições
 
O porque da dor!!!
O porque da dor!!!O porque da dor!!!
O porque da dor!!!
 
Considerando o arrependimento
Considerando o arrependimentoConsiderando o arrependimento
Considerando o arrependimento
 
Motivos de resignação
Motivos de resignaçãoMotivos de resignação
Motivos de resignação
 
Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
O Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - EspiritismoO Auto Perdão - Espiritismo
O Auto Perdão - Espiritismo
 
Mente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entenderMente humana e necessidades para se entender
Mente humana e necessidades para se entender
 
Suicidio parte-dois
Suicidio parte-doisSuicidio parte-dois
Suicidio parte-dois
 
Boletim o pae dezembro 2019
Boletim o pae   dezembro 2019 Boletim o pae   dezembro 2019
Boletim o pae dezembro 2019
 
Por que comigo
Por que comigoPor que comigo
Por que comigo
 
As fases do perdão
As fases do perdãoAs fases do perdão
As fases do perdão
 
As bases do transformar se
As bases do transformar seAs bases do transformar se
As bases do transformar se
 
Dor e bênção
Dor e bênçãoDor e bênção
Dor e bênção
 
Superação, saúde mental e física, espiritismo, André Luiz, Bezerra de Menezes
Superação, saúde mental e física, espiritismo, André Luiz, Bezerra de MenezesSuperação, saúde mental e física, espiritismo, André Luiz, Bezerra de Menezes
Superação, saúde mental e física, espiritismo, André Luiz, Bezerra de Menezes
 
Spinoza
Spinoza Spinoza
Spinoza
 

Mais de M.R.L

Mais de M.R.L (20)

Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...Ciclos de Aprendizados:  “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
Ciclos de Aprendizados: “Uma Análise da Evolução Espiritual Através das Exis...
 
Arrependimento e expiação... como se define
Arrependimento e expiação... como se defineArrependimento e expiação... como se define
Arrependimento e expiação... como se define
 
Olhos de ver.pptx
Olhos de ver.pptxOlhos de ver.pptx
Olhos de ver.pptx
 
Reflexões para o ano novo.pptx
Reflexões para o ano novo.pptxReflexões para o ano novo.pptx
Reflexões para o ano novo.pptx
 
A Mulher Hemorroíssa.pptx
A Mulher Hemorroíssa.pptxA Mulher Hemorroíssa.pptx
A Mulher Hemorroíssa.pptx
 
Parabola da Grande Ceia.pptx
Parabola da Grande Ceia.pptxParabola da Grande Ceia.pptx
Parabola da Grande Ceia.pptx
 
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
Quem  me segue não anda nas trevas.pdfQuem  me segue não anda nas trevas.pdf
Quem me segue não anda nas trevas.pdf
 
Sermão do Monte.pdf
Sermão do Monte.pdfSermão do Monte.pdf
Sermão do Monte.pdf
 
Os primeiros lugares.pptx
Os primeiros lugares.pptxOs primeiros lugares.pptx
Os primeiros lugares.pptx
 
codigo penal da vida futura.pptx
codigo penal da vida futura.pptxcodigo penal da vida futura.pptx
codigo penal da vida futura.pptx
 
Afinidade e sintonia.pptx
Afinidade e sintonia.pptxAfinidade e sintonia.pptx
Afinidade e sintonia.pptx
 
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptxAparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
Aparelhos utilizados em reunião mediunica.pptx
 
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptxMulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
 
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptxOrganizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
Organizações do mal para afastar os trabalhadores das casas espiritas.pptx
 
Ataques a centros espiritas.pptx
Ataques a centros espiritas.pptxAtaques a centros espiritas.pptx
Ataques a centros espiritas.pptx
 
O bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptxO bem e o mal.pptx
O bem e o mal.pptx
 
Porque o bem que quero esse não faço.pptx
Porque o bem que quero esse não faço.pptxPorque o bem que quero esse não faço.pptx
Porque o bem que quero esse não faço.pptx
 
aparelhos reunião mediunicaa.pptx
aparelhos reunião mediunicaa.pptxaparelhos reunião mediunicaa.pptx
aparelhos reunião mediunicaa.pptx
 
Arrogância.pptx
Arrogância.pptxArrogância.pptx
Arrogância.pptx
 
Renova-me.pptx
Renova-me.pptxRenova-me.pptx
Renova-me.pptx
 

Último

O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
thandreola
 

Último (10)

O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
O SAGRADO CORAÇÃO DA JUSTIÇA II / 25/05/2024
 
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
Letra A reforma versão - atos 2 letra a reforma atos 2
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptxBíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
Bíblia sagrada - JOel - slides powerpoint.pptx
 
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Lição 8 - Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdfEVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
EVOLUÇAO EM DOIS MUNDOS FRANCISCO (1).pdf
 
Oração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De CássiaOração De Santa Rita De Cássia
Oração De Santa Rita De Cássia
 
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
João Calvino e o Cânticos dos Salmos: uma introdução ao pensamento de Calvino...
 

A dor.pptx

  • 1.
  • 2. A vida é difícil, bem o sei. Compõe-se de mil nadas, que são picadas de alfinetes, mas que acabam por ferir. Se, porém, atentarmos nos deveres que nos são impostos, nas consolações e compensações que, por outro lado, recebemos, havemos de reconhecer que são as bênçãos muito mais numerosas do que as dores. O fardo parece menos pesado, quando se olha para o alto, do que quando se curva para a terra a fronte. Coragem, amigos! Tendes no Cristo o vosso modelo. Mais sofreu ele do que qualquer de vós e nada tinha de que se censurar, ao passo que vós tendes de expiar o vosso passado e de vos fortalecer para o futuro. Sede, pois, pacientes, sede cristãos. Essa palavra resume tudo. – Um Espírito amigo. (Havre, 1862.) O Evangelho segundo o Espiritismo » Capítulo IX – Bem-aventurados os que são dóceis e pacíficos » Instruções dos Espíritos » A paciência
  • 3. O tempo passa muito rápido, as exigências materiais se ampliam, as relações são frágeis, os problemas se apresentam e as dores surgem. A dor é uma bênção que Deus envia a seus eleitos; Instruções dos Espíritos » A paciência Na dor não há divisão de seres, todos independente da cor, da raça, da religião ou do poder aquisitivo que se tenha, ela vai estar presente.
  • 4. Há uma mudança energética no nosso planeta. O campo energético da Terra está mudando para uma campo energético mais elevado e com ela todos os habitantes do planeta em todos os reinos também terão que mudar vibratoriamente.
  • 5. Essa troca energética afeta todas as pessoas. Algumas mais, outras menos, de acordo com o entendimento e a consciência de cada um. Certo é que todos terão a oportunidade da troca dessa base energética, porém os sintomas são diferentes, já que a resistência ou a ignorância dos fatos determinarão a intensidade e a duração deles. Isso está ocorrendo pelo processo de Transição da Terra.
  • 6. Isso acontece porque muitas das energias são trocadas enquanto estamos dormindo. Quanto mais mudamos a nossa consciência para nos adequarmos à Nova Terra, mais rapidamente o nosso corpo físico ficará pronto. Por mais que no atual momento as coisas possam parecer que estão fugindo do controle, não estão, tudo segue seu percurso porque há um Ser no comando disso tudo e nada está fora do lugar.
  • 7. Se precisamos mudar nossa sequência energética, precisamos entender que isso irá trazer tanto dores físicas, quanto morais, pois irá mexer fundo nas nossas emoções e sentimentos. Mas acima de tudo, afetará a consciência humana, pois a Terra é uma Escola de consciência.
  • 8. Há crianças que já estão nascendo com essa nova base energética, mas os adultos, muitos ainda permanecem numa frequência baixa. Como não é possível desencarnar todos ao mesmo tempo e reencarnar na nova base, a forte incidência de Luz que a Terra está recebendo vai mudando aos poucos os velhos corpos para adequá-los às novas energias. É um processo natural, pois, até as células que compõem o corpo humano são trocadas em média a cada 3 meses.
  • 9. Mas, o que tem haver a dor com tudo isso? A dor está ligada a evolução, nada consegue evoluir sem um processo doloroso, num planeta de expiações, porque a vida necessita passar por transformações. E a dor em si, vem ao nosso encontro para nos alertar que precisamos aprender algo que estamos deixando a desejar.
  • 10.
  • 11. Do latim “dolor, dolóris” a palavra dor significa desconforto físico, tormento ou inquietação. As dores podem ser: Físicas: Decorrentes da sensação desagradável que se apresenta no corpo físico; Decorrente do sentimento de mágoa, decepção, perda de entes queridos e desgostos do coração; Emocional: Moral : Decorrente do arrependimento ou remorso pelo dano causado a outro ou a si mesmo; Social : Decorrente das dificuldades de sobrevivência, desigualdades.
  • 12. O sofrimento é a forma que expressamos a dor que sentimos. Pessoas podem sofrer as mesmas dores diante das situações, mas o sofrimento pelo que passam pode ser muito distinto. Para uns é insuportável, enquanto para outros é tolerável. Todavia, a dor e o sofrimento são consequências naturais da evolução do Espírito, como fatores necessários ao despertamento de sua consciência individual no seio da Consciência Cósmica de Deus. A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional
  • 13. Nos planos inferiores da criação não há evolução sem dor. A dor não é reação cega ou punição que espanca, mas medida pedagógica que educa, corrige e cura, pois sob a disciplina retificadora da Lei de Causa e Efeito o Espírito fortifica sua memória e afirma a sua característica pensante.
  • 14. A resistência cria a Dor A resistência é sinal que não aceitamos o que nos chegou para nos mostrar que precisamos apender algo. Criamos resistência à mudança, nos falta discernimento. Toda vez que não aceitamos uma situação que não está nas nossas mãos muda- la ou melhora-la, geralmente temos dificuldades de aceitar. E tem a situação em que só compete a nós a mudança e se não realizamos é porque nos acomodamos e não queremos sair da zona de conforto.
  • 15. O Espírito do homem, por ser de origem divina, pressente em sua intimidade que há de ser feliz, mas incipiente e ainda incapaz de alcançar essa ventura completa nas suas primeiras tentativas, sofre desilusões e toma por sofrimento detestável as correções cármicas que o conduzem novamente ao caminho certo. Quantos homens caem por causa de sua própria culpa vitimados pelo desleixo, imprevidência, orgulho e ambição? Quantas pessoas arruinadas pela desordem, desânimo, má conduta ou por não limitarem seus desejos?
  • 16. Quantas doenças e enfermidades resultam da imprudência e excessos de toda ordem? Quantos pais são infelizes por causa dos filhos, por não combaterem neles desde pequeninos as manifestações de suas más tendências? Os sofrimentos com que nos defrontamos na vida presente, quando não são originados na vida atual só podem ser consequências de erros cometidos em vidas anteriores.
  • 17. Desta forma, é a dor que, muitas vezes, provoca o despertamento da consciência para que o homem busque as forças íntimas e a espiritualidade de forma a superá-la e reparar seu passado. A dor é a alavanca que força o homem a mudar pois seus atos, sentimentos e pensamentos estão em desacordo com a harmonia e a saúde do Espírito.
  • 18. As crises violentas de dor e sofrimento muitas vezes são necessárias ao Espírito reincidente em suas faltas. A dor nos faz olhar para dentro, penetrar a alma, devassar o íntimo e melhorar os efeitos, socorrendo e agindo nas causas que são diretamente ligadas ao afastamento das Leis Divinas. Como tem o papel educativo a dor perdura durante o tempo necessário para que o homem se transforme e melhore, ou seja a duração e a natureza de seus sofrimentos dependem do tempo que ele gaste em melhorar-se.
  • 19. À medida que progride e que os sentimentos se lhe depuram, seus sofrimentos diminuem e mudam de natureza.
  • 20. A questão do sofrimento foi estudada pelo Buda que nos legou um caminho de superação através das Quatro Nobres Verdades: 1ª– A verdade do sofrimento: estamos presos numa experiência reencarnatória cíclica até nos depurarmos e reconhecer o sofrimento, é o primeiro passo; 2ª– A verdade da causa: por não satisfazermos os desejos de nosso ego inferior surgem os três venenos: o apego, o ódio e a ignorância;
  • 21. 3ª - A verdade da cessação: extinta a causa cessa o sofrimento ou seja, quando eliminamos em nós esses venenos cessa o sofrimento; 4ª– A verdade do caminho: é a senda óctupla composta por visão correta, intenção correta, fala correta, ação correta, meio de vida correto, esforço
  • 22. Isso não quer dizer que desenvolvendo virtudes estaremos livres das dificuldades. Significa estar no meio de dificuldades e não sofrer, não deixar o desespero e o sofrimento invadirem a alma. É o caminho da serenidade.
  • 23. “O sofrimento é o misterioso operário que trabalha nas profundezas de nossa alma, e trabalha por nossa elevação”. “Em todo o universo o sofrimento é sobretudo um meio educativo e purificador”. “O primeiro juiz enviado por Deus é o sofrimento, que procura despertar a consciência adormecida”. “É apelo à ascensão. Sem ele seria difícil acordar a consciência para a realidade superior. Aguilhão benéfico, o sofrimento evita-nos a precipitação nos despenhadeiros do mal, auxilia-nos a prosseguir entre as margens do caminho, mantendo-nos a correção necessária ao êxito do plano redentor”. (Equipe FEB, 1995)
  • 24. Allan Kardec, no cap. VI de O Evangelho Segundo o Espiritismo, diz-nos que todos os sofrimentos, misérias, decepções, dores físicas, perda de entes queridos encontram sua consolação na fé no futuro, na confiança na justiça de Deus, que o Cristo veio ensinar aos homens. Naquele que não crê na vida futura as aflições se abatem com todo o seu peso, e nenhuma esperança vem suavizar lhe a amargura. O jugo será leve desde que obedeçamos à lei. Mas, que lei? A lei áurea deixada por Jesus: “Fazer aos outros o que gostaríamos que nos fosse feito”. Praticando- a, vamos atualizando as nossas potencialidades de justiça, amor e caridade, primeiramente com relação a Deus e, secundariamente, com relação a nós mesmos e ao nosso próximo. (Agenda espírita)
  • 25. Se a dor te visita o coração, improvisando tempestades de lágrimas em teu campo interior, não te confies ao incêndio do desespero, nem ao gelo da lamentação. Recorda o tesouro do tempo, retira-te da amargura que te ocupa, indebitamente, e trabalha servindo. O trabalho é um refúgio contra as aflições que dominam a alma. O serviço aos semelhantes gera valoroso otimismo.
  • 26. [...]Na luta e na tranquilidade, no sofrimento e na alegria, na tristeza ou na esperança, segue agindo e auxiliando. Trabalhar é produzir transformação, oportunidade e movimento. Servir é criar simpatia, fraternidade e luz. Chico Xavier - Emmanuel
  • 27. Referências bibliográficas: 1.Fisiologia da Alma – Ramatis 2.O Evangelho segundo o Espiritismo – Allan Kardec Quando o trabalhador converte o trabalho em alegria, o trabalho se transforma na alegria do trabalhador.

Notas do Editor

  1. A dor nos torna universais. Ela nos iguala,
  2. Ressonância de shurman. A Terra pulsa, é como se a Terra tivesse um coração. Nós estamos conectados a essa frequência, tanto que os astronautas quando faziam suas viagens ao espaço e se distanciavam se anulando dessa frequência eles se sentiam mal, tiveram que construir um simulador que emitia a mesma frequências para se equilibrarem e terem saúde novamente.
  3. Para nos transformar significativamente só algo que nos traz muita dor, para nos despertar verdadeiramente.
  4. Se ainda permanecemos reencarnando nesse mundo, é porque ainda não conseguimos nos libertar das amarras que nos prende aqui. Ainda não conseguimos nos transformar verdadeiramente.
  5. Jung diferente de Freud já tinha uma visão mais espiritualista. Não é somente ficarmos tendo pensamentos de que um dia seremos seres iluminados, mas tomar consciência da escuridão que nos impede de chegarmos lá. Estar ciente das sombras, do nosso lado negativo, quando assumimos que temos alguma dificuldade já um passo para começarmos a trabalhar isso.
  6. Porque é inevitável? Porque tudo que fizermos contra as Leis de Deus, voltará contra nós, e todo processo em que estivermos estagnados ela virá ao nosso encontro para nos fazer seguir em frente. E tudo que estamos passando no momento presente a maior parte não está ligada ao nosso passado, mas no nosso presente, em como estamos dando seguimento a nossa vida através das nossas ações e das nossas escolhas.
  7. Questionamos muitas vezes porque os animais sofrem, afinal eles não tem carma. Eles estão passando por processos de aprendizado. Eles não tem consciência como a nossa, e nem inteligência como a nossa. Mas, tem a capacidade de aprendizado, junto com o instinto de sobrevivência.
  8. Incipiente: iniciante Somos algozes de nós mesmos.
  9. Quantas vezes, infelizmente vemos pessoas a vida inteira lutar com doenças tanto físicas, quanto espirituais que só dependem delas a melhoria? Buscam tratamento e assim que se sentem melhores voltam ao mesmo padrão de antes. Não temos que frequentar uma casa espirita por obrigação, por medo ou por achar que se não for. eu vou me sentir mal, afinal eu começo a sentir minhas companhias espirituais que eu mesmo atraio, e se eu não for tomar um passe ou fazer tratamento eu vou ficar mal. Não se tem comprometimento com elas mesmas, de aproveitar a oportunidade oferecida para fazer disso um meio, um caminho de mudança com muito esforço pessoal.
  10. A dor ela tem tempo para acabar. Citar ex do haroldo