SlideShare uma empresa Scribd logo
Disciplina de : História
9ºE 2014/2015
Índice
 Introdução…………………………………………………………………..pág.3
 O que é a Arte Nova?.......................................................pág.4
 Em que consiste?.............................................................pág.6
 Características…………………………………………………………….pág.7
 Artistas……………………………………………………………………….pág.8
 Arquitetura………………………………………………………..........pág.10
 Pinturas……………………………………………………………………..pág.13
 Esculturas…………………………………………………………………..pág.15
 Materiais usados………………………………………………………..pág.16
 Setores artísticos……………………………………………………….pág.17
 A Arte Nova em Portugal , Europa e Mundo………………pág.19
 Expansão do movimento……………………………………………pág.23
 Conclusão………………………………………………………...........pág. 24
Introdução
 Nos neste trabalho vamos falar sobre a Arte Nova.
 Esperemos que gostem.
O que é a Arte Nova?
 A Arte Nova foi tardia e de pouca duração em Portugal.
 A arte nova teve inicio por volta do ano de 1860 e terminou
em 1910( finais do século XIX e inicio do século XX).
 Os princípios estéticos adotados pela Arte Nova portuguesa
era semelhante ao do estilo que já proliferava na Europa;
 A influência francesa foi a que mais se fez notar nas
construções deste estilo no território português.
 A aplicação da Arte Nova em Portugal deveu-se sobretudo à
ação da burguesia urbana , que nas cidades de Lisboa ,
Porto e Aveiro desenvolveram edifícios marcantemente
deste estilo.
Continuação
 A Arte Nova foi um estilo estético essencialmente de
design e arquitetura que também influenciou o mundo
das artes plásticas.
 O nome surgiu de uma loja parisiense chamada
justamente Art nouveau.
Sonho, Mucha,
1898
Poesia, Mucha
Em que consiste?
 Clima espiritual e cultural da época denominado “Belle Époque”
que irá terminar tragicamente ao eclodir a 1ª Guerra Mundial.
 Caracterizando-se por uma reação aos Revivalismos, representa
um novo estilo na arquitetura e nas artes decorativas.
 O estilo Arte Nova é visível em objetos de uso comum como
adornos, móveis, livros, revistas e artigos de arte aplicada.
Leque, Mucha,
1899
Cycles Perfecta,
Mucha, 1902
Características
 Elementos inspirados na natureza ;
 Ausência de claro-escuro, da ilusão do espaço e do volume;
 Elementos lineares ondulantes e sem peso;
 Linhas curvas em forma de planta trepadeira;
 Assimetria, alusão constante à vida vegetal, a feminilidade e a ausência
de temática religiosa;
 A mulher e as flores tornam-se os principais elementos da decoração;
 Influência japonesa;
 Em comum com o Arts and Crafts – a admiração pelos elementos da
natureza, coesão entre a estrutura e a decoração, no entanto, afasta-se
na medida em que aceita incondicionalmente a intervenção da
máquina, mas não faz uso dela;
 Utilização de novos materiais: ladrilho cozido, ferro, betão, vidro, etc;
 Qualidade dos materiais;
 Gosto por tudo o que é moderno;
 Fascínio pela utilização da luz elétrica;
 Preocupações funcionalistas;
 Carácter intelectual ligado ao simbolismo;
Artistas
William Morris , nasceu a 24
de março de 1834 no Reino
Unido, e faleceu a 3 de
Outubro de 1896
Antoni Gaudi , nasceu a 25 de
junho de 1852 em Espanha, e
faleceu a 10 de junho de 1926
Charles Rennie
Mackintosh nasceu
a 7 de junho de
1868 no Reino
Unido, e faleceu
a 10 de dezembro
de 1928
Gustav Klimt nasceu a
14 de julho de 1862 em
Áustria, e faleceu a 6
de fevereiro de 1918
René Lalique
nasceu a 6 de
abril de 1860
em França, e
faleceu a 5 de
maio de 1945
Henry Clemens Van
de Velde nasceu a 3
de abril de 1863 em
Bélgica, e faleceu
a 25 de outubro de
1957
Artistas
Continuação
Peter Behrens
nasceu a 14 de abril
de 1868 em
Alemanha, e faleceu
a 27 de fevereiro de
1940
Hector
Guimard
nasceu a 10 de
março de 1867
em França, e
faleceu a 20 de
maio de 1942
Victor
Horta
nasceu a 6
de janeiro
de 1861 em
Bélgica, e
faleceu a 8
de
setembro
de 1947,
Alfons Maria Mucha
nasceu a 24 de julho de
1860República Checa e
faleceu a 14 de julho de
1939
Arquitetura
Hotel Solvay. Bruxelas, 1898. Arquiteto
Victor Horta.
Hotel Tassel. Bruxelas, 1892. Arquiteto
Victor Horta.
Entrada do Metrô de
Paris. Hector Guimard.
1900
Janela estilo Arte Nova, Porto
Portão estilo Arte Nova, Vila Real
de Santo António
Fachada estilo Arte Nova, em Aveiro
“Retrato de
Fritza Riedler",
óleo sobre tela
de Gustav Klimt,
1906
"A Medicina", óleo sobre
tela de Gustav Klimt,
1900-1907
"O Abraço", pormenor
do Friso de Stoclet de
Gustav Klimt, 1905-
1909
Pinturas
"O Beijo", óleo sobre tela de Gustav
Klimt, c. 1907
"Bosque de Faias", óleo sobre tela de Gustav
Klimt, 1903
Esculturas
Tischlampe, Peter
Behrens, 1902
Hervidor de Agua, Peter
Behrens, 1910
Silla Lateral, Peter
Behrens, 1902
Materiais usados
 -Ferro, vidro, betão materiais modernos tardou a
chegar a Portugal, bem como a arquitetura do ferro só
por volta de 1860 se verificou um aumento de
construção de edifícios deste género no país.
Setores artísticos
 Arquitetura:
Portões, varandas e escadarias eram trabalhadas
minuciosamente por habilidosos artesãos que davam às
peças os contornos típicos do estilo. A tónica ornamental
florista, naturalista e curvilínea era uma constante nos
pormenores dos edifícios.
 Mobiliário:
O mobiliário da Arte Nova comporta todas as variedades
dos estilos regionais do movimento. Fiéis ao espírito deste
estilo, poucos foram os artesãos que se especializaram
exclusivamente em mobiliário, e a maioria foi formada em
outras artes e ofícios.
Continuação
 Ourivesaria:
A joalharia preocupava-se tanto em mostrar riqueza
como com a arte. As pedras preciosas, em especial a
lapidação e aplicação de diamantes, tinham sido o
ponto central da habilidade dos artesãos. Havia uma
hierarquia dos materiais que se podiam usar e que
correspondia inteiramente ao seu valor e rareza.
Utilizava todo tipo de metal, bem como ónix, cristal,
esmalte, vidro, madrepérola, âmbar, marfim e até
chifre.
A Arte Nova em Portugal, Europa e Mundo
 EUROPA:
-Bélgica:Em Bruxelas, Bélgica, o estilo foi desenvolvido com a ajuda dos arquitetos Victor
Horta e Henry Van de Velde.
-França e Suíça:Em Paris, a Maison de l’Art Nouveau, naquela época administrada por
Siegfried Bing, apresentou objetos Art Nouveau. Artistas como Émile Gallé, Louis
Majorelle e Victor Prouvé em Nancy, França, iniciaram a École de Nancy, dando uma nova
influencia para o Art Nouveau. Outros designers de Art Nouveau na França, Bélgica e
Suíça são Theophile Alexandre Steinlein, Hector Guimard e Jules Lavirotte. O artista
Alfons Mucha trabalhou em Paris por vários anos.
-Alemanha:O Art Nouveau Alemão é geralmente conhecido por seu nome
alemão, Jugendstil. Baseando-se na gravura tradicional alemã, o estilo usa
bordas precisas e duras, um elemento bem diferente do estilo naturalístico
da época. O estilo era usado principalmente em Hamburgo. A arte
Jugenstil inclui uma variedade de métodos diferentes, aplicados por uma
grande variedade de artistas individuais. Métodos variam do clássico ao
romântico. Uma característica do Jugendstil é a tipografia usada, a
combinação da letra e imagem que é inconfundível. A combinação foi
usada em capas de livros, propagandas e pôsteres de exibição. Designers
frequentemente usavam typefaces de exibição únicos que entravam em
harmonia com a imagem.
A Arte Nova em Portugal, Europa e Mundo
-Grã- Britania :No Reino Unido, o Art Nouveau se desenvolveu a partir do movimento de
“Arts and Crafts”. O inicio de um estilo Art Nouveau pode ser reconhecido na década de
1880 por meio de alguns desenhos progressistas, como o desenho de Arthur Mackmurdo
para a capa de seu livro sobre as igrejas da cidade feitas por Sir Christopher Wren,
publicado em 1883. Glasgow eventualmente se tornou o local mais importante na Grã-
Bretanha devido às criações de Charles Rennie Mackintosh e seus colegas. O grupo de
artistas conhecidos como a Escola de Dunbar, eram ativos em, como era conhecido na
Escócia, Art Noovoo. Outros notáveis designers britânicos de Art Nouveau incluem
Walter Crane, Arthur Lasenby Liberty, Charles Ashbee e Aubrey Beardsley.
-Áustria : Uma abordagem local para o Art Nouveau é representada pelos artistas da
secessão vienense, uma secessão que iniciou em 3 de Abril de 1897 por Gustav Klimt,
Koloman Moser, Josef Hoffmann, Joseph Maria Olbrich, Max Kurzweil, Otto
Wagner entre outros. Eles se opuseram à orientação conservadora em relação ao
historicismo expressada pelo Vienna Künstlerhaus.
Casa Estúdio Victor Horta
A Arte Nova em Portugal , Europa e Mundo
 Portugal: Em Portugal, a Arte Nova ou Art Nouveau é situado principalmente em
Aveiro e no Porto. São principalmente lojas e casas particulares reservada para a
burguesia que fez fortuna no negócio e na indústria.
Em Aveiro, os edifícios Art Nouveau concentrem-se especialmente na rua João
Mendoça e a volta do canal central da Ria.
A propagação do Art Nouveau em Portugal, apesar de atrasado devido a um lento
desenvolvimento da indústria, prosperou em cidades como Porto e Aveiro, nas quais
podem ser encontrados numerosos prédios influenciados por modelos europeus, em
específico a arquitetura francesa.
Francisco Augusto da Silva Rocha e Ernesto
Korrodi, Casa do Major Pessoa,1907, Aveiro
A Arte Nova em Portugal , Europa e Mundo
 Mundo:
-Argentina:Do outro lado do Rio da Prata, Buenos Aires ainda conserva parte de sua arquitetura
Art Nouveau, também trazido por imigrantes italianos e espanhóis que desenvolveram o
Jugendstil ,Liberty ,Modernisme e variedades de Art Nouveau. Outra cidade Argentina onde
esta arquitetura foi protegida é Rosário, um porto importante no Rio Paraná.
-Uruguai:Montevidéu é um bom exemplo da influencia do Art Nouveau no outro lado do
atlântico. O estilo é muito aparente tanto na arquitetura do centro da cidade quanto o da
periferia. Montevideo manteve uma comunicação intense com Paris, Londres e Barcelona
durante o apogeu do Art Nouveau, quando a cidade estava recebendo imigração em massa,
especialmente da Itália e da Espanha. Estes também foram os anos em que Montevideo
desenvolveu a estrutura de seus espaços urbanos, os quais fatores ajudam a explicar a presença
generalizada de Art Nouveau lá.
Catedral da Sagrada Família, de Antoni
Gaudí, um dos cultores da Arte Nova,
Barcelona
Expansão do Movimento
 Estilo- Fauvismo, futurismo, cubismo, escola de Paris.
 Mente- Simbolismo , expressionismo, suprematismo,
surrealismo.
 Função- Arts e crafts, Art Noveau , construtivismo,
Arte Deco , Estilo internacional.
Edifício Arte Nova -
Almeirim
Conclusão
 Com este trabalho aprendemos que a arte nova foi
muito importante no séc.. XIX e XX em vários aspetos
como a escultura, a pintura e a arquitetura, usando
muitas cores e padrões, vários materiais como o vidro o
ferro e a porcelana.
 Esperemos que tenham gostado.
A arte nova

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Módulo 9 arte e função
Módulo 9   arte e funçãoMódulo 9   arte e função
Módulo 9 arte e função
cattonia
 
Pintura e escultura em Portugal nos finais do século XIX
Pintura e escultura em Portugal nos finais do século XIXPintura e escultura em Portugal nos finais do século XIX
Pintura e escultura em Portugal nos finais do século XIX
Carlos Pinheiro
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Ana Barreiros
 
Pós-impressionismo
Pós-impressionismoPós-impressionismo
Pós-impressionismo
marta Maria
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
Paulo Fonseca
 
Expressionismo
Expressionismo Expressionismo
Rococó
RococóRococó
Rococó
Ana Barreiros
 
As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xx
Ana Barreiros
 
Arts & Crafts e Arte Nova
Arts & Crafts e Arte NovaArts & Crafts e Arte Nova
Arts & Crafts e Arte Nova
Michele Pó
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
Carlos Pinheiro
 
A Escultura de Rodin
A Escultura de RodinA Escultura de Rodin
A Escultura de Rodin
Michele Pó
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
Ana Barreiros
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
Carlos Pinheiro
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
Inês Filipa
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
Ana Barreiros
 
A arquitetura do ferro e do vidro
A arquitetura do ferro e do vidroA arquitetura do ferro e do vidro
A arquitetura do ferro e do vidro
Carlos Pinheiro
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
Jorge Almeida
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
Carla Freitas
 
Arquitectura romantica
Arquitectura romanticaArquitectura romantica
Arquitectura romantica
Andreia Ramos
 
1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres
hcaslides
 

Mais procurados (20)

Módulo 9 arte e função
Módulo 9   arte e funçãoMódulo 9   arte e função
Módulo 9 arte e função
 
Pintura e escultura em Portugal nos finais do século XIX
Pintura e escultura em Portugal nos finais do século XIXPintura e escultura em Portugal nos finais do século XIX
Pintura e escultura em Portugal nos finais do século XIX
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Pós-impressionismo
Pós-impressionismoPós-impressionismo
Pós-impressionismo
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Expressionismo
Expressionismo Expressionismo
Expressionismo
 
Rococó
RococóRococó
Rococó
 
As grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xxAs grandes ruturas no início do seculo xx
As grandes ruturas no início do seculo xx
 
Arts & Crafts e Arte Nova
Arts & Crafts e Arte NovaArts & Crafts e Arte Nova
Arts & Crafts e Arte Nova
 
O romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pinturaO romantismo na arquitetura e na pintura
O romantismo na arquitetura e na pintura
 
A Escultura de Rodin
A Escultura de RodinA Escultura de Rodin
A Escultura de Rodin
 
O romantismo
O romantismoO romantismo
O romantismo
 
Naturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na PinturaNaturalismo e Realismo na Pintura
Naturalismo e Realismo na Pintura
 
Expressionismo
ExpressionismoExpressionismo
Expressionismo
 
Arte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xixArte em Portugal finais seculo xix
Arte em Portugal finais seculo xix
 
A arquitetura do ferro e do vidro
A arquitetura do ferro e do vidroA arquitetura do ferro e do vidro
A arquitetura do ferro e do vidro
 
A Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIXA Arquitectura do Ferro no século XIX
A Arquitectura do Ferro no século XIX
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Arquitectura romantica
Arquitectura romanticaArquitectura romantica
Arquitectura romantica
 
1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres1ª Grande Exposição de Londres
1ª Grande Exposição de Londres
 

Semelhante a A arte nova

Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019
Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019
Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
turmaweb2010
 
Art nouveau estilo
Art nouveau   estiloArt nouveau   estilo
Art nouveau estilo
Emanuel000
 
Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019
Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019
Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019
CLEBER LUIS DAMACENO
 
02 art nouveau
02 art nouveau02 art nouveau
02 art nouveau
Monique Araripe
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
guest89bf27
 
ArtNouveau
ArtNouveauArtNouveau
ArtNouveau
turmaweb2010
 
L'art nouveau
L'art nouveauL'art nouveau
L'art nouveau
Maria Gomes
 
L'Art Nouveau
L'Art NouveauL'Art Nouveau
L'Art Nouveau
Henry Chinaglia Filho
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
Luiz Carlos Dias
 
Arte nova e o Funcionalismo
Arte nova e o FuncionalismoArte nova e o Funcionalismo
Arte nova e o Funcionalismo
saraquel98
 
Art Nouveau.pptx
Art Nouveau.pptxArt Nouveau.pptx
Art Nouveau.pptx
celsofernandobuckerf2
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
Laguat
 
Arte nouveau
Arte nouveauArte nouveau
Arte nouveau
Laguat
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
Laguat
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
Hely Costa Júnior
 
Marli
MarliMarli
13,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 2020
13,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 202013,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 2020
13,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 2020
CLEBER LUIS DAMACENO
 
Aula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdf
Aula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdfAula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdf
Aula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdf
SilviaRaquelChiarell1
 
Modernismo
ModernismoModernismo

Semelhante a A arte nova (20)

Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019
Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019
Art Noveau, Simbolismo ,Les Nabis, Fauvismo 2019
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
 
Art nouveau estilo
Art nouveau   estiloArt nouveau   estilo
Art nouveau estilo
 
Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019
Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019
Art Noveau,Simb,Nabis,Fauves 2019
 
02 art nouveau
02 art nouveau02 art nouveau
02 art nouveau
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
 
ArtNouveau
ArtNouveauArtNouveau
ArtNouveau
 
L'art nouveau
L'art nouveauL'art nouveau
L'art nouveau
 
L'Art Nouveau
L'Art NouveauL'Art Nouveau
L'Art Nouveau
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
 
Arte nova e o Funcionalismo
Arte nova e o FuncionalismoArte nova e o Funcionalismo
Arte nova e o Funcionalismo
 
Art Nouveau.pptx
Art Nouveau.pptxArt Nouveau.pptx
Art Nouveau.pptx
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
 
Arte nouveau
Arte nouveauArte nouveau
Arte nouveau
 
Art nouveau
Art nouveauArt nouveau
Art nouveau
 
Art Nouveau
Art NouveauArt Nouveau
Art Nouveau
 
Marli
MarliMarli
Marli
 
13,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 2020
13,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 202013,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 2020
13,14,15,16 art noveau,simb,nabis,fauves 2020
 
Aula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdf
Aula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdfAula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdf
Aula 3_Art Nouveau e Art Decó.pdf
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 

Último

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
AdrianoMontagna1
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
nunesly
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
3ª série HIS - PROVA PAULISTA DIA 1 - 1º BIM-24.pdf
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
A importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino MédioA importância das conjunções- Ensino Médio
A importância das conjunções- Ensino Médio
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 

A arte nova

  • 1. Disciplina de : História 9ºE 2014/2015
  • 2. Índice  Introdução…………………………………………………………………..pág.3  O que é a Arte Nova?.......................................................pág.4  Em que consiste?.............................................................pág.6  Características…………………………………………………………….pág.7  Artistas……………………………………………………………………….pág.8  Arquitetura………………………………………………………..........pág.10  Pinturas……………………………………………………………………..pág.13  Esculturas…………………………………………………………………..pág.15  Materiais usados………………………………………………………..pág.16  Setores artísticos……………………………………………………….pág.17  A Arte Nova em Portugal , Europa e Mundo………………pág.19  Expansão do movimento……………………………………………pág.23  Conclusão………………………………………………………...........pág. 24
  • 3. Introdução  Nos neste trabalho vamos falar sobre a Arte Nova.  Esperemos que gostem.
  • 4. O que é a Arte Nova?  A Arte Nova foi tardia e de pouca duração em Portugal.  A arte nova teve inicio por volta do ano de 1860 e terminou em 1910( finais do século XIX e inicio do século XX).  Os princípios estéticos adotados pela Arte Nova portuguesa era semelhante ao do estilo que já proliferava na Europa;  A influência francesa foi a que mais se fez notar nas construções deste estilo no território português.  A aplicação da Arte Nova em Portugal deveu-se sobretudo à ação da burguesia urbana , que nas cidades de Lisboa , Porto e Aveiro desenvolveram edifícios marcantemente deste estilo.
  • 5. Continuação  A Arte Nova foi um estilo estético essencialmente de design e arquitetura que também influenciou o mundo das artes plásticas.  O nome surgiu de uma loja parisiense chamada justamente Art nouveau. Sonho, Mucha, 1898 Poesia, Mucha
  • 6. Em que consiste?  Clima espiritual e cultural da época denominado “Belle Époque” que irá terminar tragicamente ao eclodir a 1ª Guerra Mundial.  Caracterizando-se por uma reação aos Revivalismos, representa um novo estilo na arquitetura e nas artes decorativas.  O estilo Arte Nova é visível em objetos de uso comum como adornos, móveis, livros, revistas e artigos de arte aplicada. Leque, Mucha, 1899 Cycles Perfecta, Mucha, 1902
  • 7. Características  Elementos inspirados na natureza ;  Ausência de claro-escuro, da ilusão do espaço e do volume;  Elementos lineares ondulantes e sem peso;  Linhas curvas em forma de planta trepadeira;  Assimetria, alusão constante à vida vegetal, a feminilidade e a ausência de temática religiosa;  A mulher e as flores tornam-se os principais elementos da decoração;  Influência japonesa;  Em comum com o Arts and Crafts – a admiração pelos elementos da natureza, coesão entre a estrutura e a decoração, no entanto, afasta-se na medida em que aceita incondicionalmente a intervenção da máquina, mas não faz uso dela;  Utilização de novos materiais: ladrilho cozido, ferro, betão, vidro, etc;  Qualidade dos materiais;  Gosto por tudo o que é moderno;  Fascínio pela utilização da luz elétrica;  Preocupações funcionalistas;  Carácter intelectual ligado ao simbolismo;
  • 8. Artistas William Morris , nasceu a 24 de março de 1834 no Reino Unido, e faleceu a 3 de Outubro de 1896 Antoni Gaudi , nasceu a 25 de junho de 1852 em Espanha, e faleceu a 10 de junho de 1926 Charles Rennie Mackintosh nasceu a 7 de junho de 1868 no Reino Unido, e faleceu a 10 de dezembro de 1928 Gustav Klimt nasceu a 14 de julho de 1862 em Áustria, e faleceu a 6 de fevereiro de 1918 René Lalique nasceu a 6 de abril de 1860 em França, e faleceu a 5 de maio de 1945 Henry Clemens Van de Velde nasceu a 3 de abril de 1863 em Bélgica, e faleceu a 25 de outubro de 1957
  • 9. Artistas Continuação Peter Behrens nasceu a 14 de abril de 1868 em Alemanha, e faleceu a 27 de fevereiro de 1940 Hector Guimard nasceu a 10 de março de 1867 em França, e faleceu a 20 de maio de 1942 Victor Horta nasceu a 6 de janeiro de 1861 em Bélgica, e faleceu a 8 de setembro de 1947, Alfons Maria Mucha nasceu a 24 de julho de 1860República Checa e faleceu a 14 de julho de 1939
  • 10. Arquitetura Hotel Solvay. Bruxelas, 1898. Arquiteto Victor Horta. Hotel Tassel. Bruxelas, 1892. Arquiteto Victor Horta.
  • 11. Entrada do Metrô de Paris. Hector Guimard. 1900 Janela estilo Arte Nova, Porto
  • 12. Portão estilo Arte Nova, Vila Real de Santo António Fachada estilo Arte Nova, em Aveiro
  • 13. “Retrato de Fritza Riedler", óleo sobre tela de Gustav Klimt, 1906 "A Medicina", óleo sobre tela de Gustav Klimt, 1900-1907 "O Abraço", pormenor do Friso de Stoclet de Gustav Klimt, 1905- 1909 Pinturas
  • 14. "O Beijo", óleo sobre tela de Gustav Klimt, c. 1907 "Bosque de Faias", óleo sobre tela de Gustav Klimt, 1903
  • 15. Esculturas Tischlampe, Peter Behrens, 1902 Hervidor de Agua, Peter Behrens, 1910 Silla Lateral, Peter Behrens, 1902
  • 16. Materiais usados  -Ferro, vidro, betão materiais modernos tardou a chegar a Portugal, bem como a arquitetura do ferro só por volta de 1860 se verificou um aumento de construção de edifícios deste género no país.
  • 17. Setores artísticos  Arquitetura: Portões, varandas e escadarias eram trabalhadas minuciosamente por habilidosos artesãos que davam às peças os contornos típicos do estilo. A tónica ornamental florista, naturalista e curvilínea era uma constante nos pormenores dos edifícios.  Mobiliário: O mobiliário da Arte Nova comporta todas as variedades dos estilos regionais do movimento. Fiéis ao espírito deste estilo, poucos foram os artesãos que se especializaram exclusivamente em mobiliário, e a maioria foi formada em outras artes e ofícios.
  • 18. Continuação  Ourivesaria: A joalharia preocupava-se tanto em mostrar riqueza como com a arte. As pedras preciosas, em especial a lapidação e aplicação de diamantes, tinham sido o ponto central da habilidade dos artesãos. Havia uma hierarquia dos materiais que se podiam usar e que correspondia inteiramente ao seu valor e rareza. Utilizava todo tipo de metal, bem como ónix, cristal, esmalte, vidro, madrepérola, âmbar, marfim e até chifre.
  • 19. A Arte Nova em Portugal, Europa e Mundo  EUROPA: -Bélgica:Em Bruxelas, Bélgica, o estilo foi desenvolvido com a ajuda dos arquitetos Victor Horta e Henry Van de Velde. -França e Suíça:Em Paris, a Maison de l’Art Nouveau, naquela época administrada por Siegfried Bing, apresentou objetos Art Nouveau. Artistas como Émile Gallé, Louis Majorelle e Victor Prouvé em Nancy, França, iniciaram a École de Nancy, dando uma nova influencia para o Art Nouveau. Outros designers de Art Nouveau na França, Bélgica e Suíça são Theophile Alexandre Steinlein, Hector Guimard e Jules Lavirotte. O artista Alfons Mucha trabalhou em Paris por vários anos. -Alemanha:O Art Nouveau Alemão é geralmente conhecido por seu nome alemão, Jugendstil. Baseando-se na gravura tradicional alemã, o estilo usa bordas precisas e duras, um elemento bem diferente do estilo naturalístico da época. O estilo era usado principalmente em Hamburgo. A arte Jugenstil inclui uma variedade de métodos diferentes, aplicados por uma grande variedade de artistas individuais. Métodos variam do clássico ao romântico. Uma característica do Jugendstil é a tipografia usada, a combinação da letra e imagem que é inconfundível. A combinação foi usada em capas de livros, propagandas e pôsteres de exibição. Designers frequentemente usavam typefaces de exibição únicos que entravam em harmonia com a imagem.
  • 20. A Arte Nova em Portugal, Europa e Mundo -Grã- Britania :No Reino Unido, o Art Nouveau se desenvolveu a partir do movimento de “Arts and Crafts”. O inicio de um estilo Art Nouveau pode ser reconhecido na década de 1880 por meio de alguns desenhos progressistas, como o desenho de Arthur Mackmurdo para a capa de seu livro sobre as igrejas da cidade feitas por Sir Christopher Wren, publicado em 1883. Glasgow eventualmente se tornou o local mais importante na Grã- Bretanha devido às criações de Charles Rennie Mackintosh e seus colegas. O grupo de artistas conhecidos como a Escola de Dunbar, eram ativos em, como era conhecido na Escócia, Art Noovoo. Outros notáveis designers britânicos de Art Nouveau incluem Walter Crane, Arthur Lasenby Liberty, Charles Ashbee e Aubrey Beardsley. -Áustria : Uma abordagem local para o Art Nouveau é representada pelos artistas da secessão vienense, uma secessão que iniciou em 3 de Abril de 1897 por Gustav Klimt, Koloman Moser, Josef Hoffmann, Joseph Maria Olbrich, Max Kurzweil, Otto Wagner entre outros. Eles se opuseram à orientação conservadora em relação ao historicismo expressada pelo Vienna Künstlerhaus. Casa Estúdio Victor Horta
  • 21. A Arte Nova em Portugal , Europa e Mundo  Portugal: Em Portugal, a Arte Nova ou Art Nouveau é situado principalmente em Aveiro e no Porto. São principalmente lojas e casas particulares reservada para a burguesia que fez fortuna no negócio e na indústria. Em Aveiro, os edifícios Art Nouveau concentrem-se especialmente na rua João Mendoça e a volta do canal central da Ria. A propagação do Art Nouveau em Portugal, apesar de atrasado devido a um lento desenvolvimento da indústria, prosperou em cidades como Porto e Aveiro, nas quais podem ser encontrados numerosos prédios influenciados por modelos europeus, em específico a arquitetura francesa. Francisco Augusto da Silva Rocha e Ernesto Korrodi, Casa do Major Pessoa,1907, Aveiro
  • 22. A Arte Nova em Portugal , Europa e Mundo  Mundo: -Argentina:Do outro lado do Rio da Prata, Buenos Aires ainda conserva parte de sua arquitetura Art Nouveau, também trazido por imigrantes italianos e espanhóis que desenvolveram o Jugendstil ,Liberty ,Modernisme e variedades de Art Nouveau. Outra cidade Argentina onde esta arquitetura foi protegida é Rosário, um porto importante no Rio Paraná. -Uruguai:Montevidéu é um bom exemplo da influencia do Art Nouveau no outro lado do atlântico. O estilo é muito aparente tanto na arquitetura do centro da cidade quanto o da periferia. Montevideo manteve uma comunicação intense com Paris, Londres e Barcelona durante o apogeu do Art Nouveau, quando a cidade estava recebendo imigração em massa, especialmente da Itália e da Espanha. Estes também foram os anos em que Montevideo desenvolveu a estrutura de seus espaços urbanos, os quais fatores ajudam a explicar a presença generalizada de Art Nouveau lá. Catedral da Sagrada Família, de Antoni Gaudí, um dos cultores da Arte Nova, Barcelona
  • 23. Expansão do Movimento  Estilo- Fauvismo, futurismo, cubismo, escola de Paris.  Mente- Simbolismo , expressionismo, suprematismo, surrealismo.  Função- Arts e crafts, Art Noveau , construtivismo, Arte Deco , Estilo internacional. Edifício Arte Nova - Almeirim
  • 24. Conclusão  Com este trabalho aprendemos que a arte nova foi muito importante no séc.. XIX e XX em vários aspetos como a escultura, a pintura e a arquitetura, usando muitas cores e padrões, vários materiais como o vidro o ferro e a porcelana.  Esperemos que tenham gostado.