SlideShare uma empresa Scribd logo
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
INTRODUÇÃO
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A definição do que é a missão da igreja cristã é sem dúvida um
dos pontos mais cruciais da teologia.
Afinal, o que Deus requer que seu povo faça, exerça e realize no
mundo a qual ela foi enviada?
O que devemos entender por missão cristã?
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Segundo Bosch (2002, p. 466), a missão da igreja foi
compreendida, nos séculos precedentes, de várias maneiras: “Às
vezes ela foi interpretada primordialmente em termos
soteriológicos: como salvar indivíduos da condenação eterna. Ou
em termos culturais: como apresentar pessoas do Oriente e do
Sul as bênçãos e privilégios do Ocidente Cristão”.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
DESENVOLVIMENTO
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Contudo, após a Primeira Guerra Mundial, lentamente,
processou-se uma mudança. Karl Barth tornou-se um dos
primeiros teólogos a articular a missão como atividade de Deus e
não como atividade da igreja. (BOSCH, 2002, p. 467).
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A partir de então, a missão começou a ser vista não apenas
como atividade proselitista, mas a partir da perspectiva missio
Dei. Nessa perspectiva, a missão é derivada da própria natureza
de Deus, ou seja, a missão da igreja não é uma missão da própria
igreja, mas, sim, uma extensão da missão de Deus, na qual o
Deus Pai envia o Deus Filho, e o Deus Filho envia o Deus Espírito
Santo, e o Deus Pai, Filho e Espírito Santo enviam a igreja para
dentro do mundo. (BOSCH, 2002, p. 467).
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A partir de então, a missão começou a ser vista não apenas
como atividade proselitista, mas a partir da perspectiva missio
Dei. Nessa perspectiva, a missão é derivada da própria natureza
de Deus, ou seja, a missão da igreja não é uma missão da própria
igreja, mas, sim, uma extensão da missão de Deus, na qual o
Deus Pai envia o Deus Filho, e o Deus Filho envia o Deus Espírito
Santo, e o Deus Pai, Filho e Espírito Santo enviam a igreja para
dentro do mundo. (BOSCH, 2002, p. 467).
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A dimensão orgânica da missão da igreja envolve o
desenvolvimento interno da comunidade da fé. Costas (1994, p.
113) afirma que essa dimensão está imbricada ao sistema de
relação entre os membros: sua forma de governo, sua estrutura
financeira, seus líderes, o tipo de atividade na qual se investe seu
tempo e seus recursos e sua celebração cultural.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A missão da igreja na dimensão orgânica está relacionada ao
desenvolvimento interno da igreja. Nesse sentido, Carriker
(2007, p. 12) aponta que a edificação interna da igreja se realiza
por meio da comunhão, do ensino e do serviço dos membros na
igreja e na sociedade.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A dimensão conceptual
Essa dimensão, segundo Costas (1994, p.113) acentua a
necessidade que a igreja tem de pensar crítica e reverentemente
sobre a fé, ao calor da palavra e da oração; de avaliar honesta e
conscientemente, à luz da fé e da realidade concreta, as imagens
que forja de si mesma, de sua missão e de seu mundo.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A missão da igreja é a diaconal.
Essa dimensão trata sobre o serviço que a igreja presta ao
mundo como prova concreta do amor redentor de Deus. Ela
envolve o impacto que o ministério reconciliador da igreja exerce
sobre o mundo, o seu grau de participação da vida, dos conflitos,
dos temores, e das esperanças da sociedade, na medida em que
o seus serviços ajudam a aliviar a dor humana e a transformar as
condições sociais que têm condenado milhões de homens,
mulheres e crianças à pobreza.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A dimensão numérica relaciona-se à reprodução e ao
crescimento numérico que a igreja deve procurar. Essa dimensão
é parte fundamental da igreja, pois ao proclamar o evangelho,
chamando os homens ao arrependimento de seus pecados e à fé
em Jesus Cristo, a igreja incorpora novos crentes, inserindo-os na
comunidade cristã.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Para Padilha (1992, p. 207), “a missão da igreja só pode ser
entendida à luz do Reino de Deus”5. Para ele, falar do Reino de
Deus é falar do propósito redentor de Deus para toda a criação e
da vocação histórica que a igreja tem a respeito desse propósito.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A ênfase central do Novo Testamento é que Jesus veio para
cumprir as profecias do Antigo Testamento e que, por meio de
sua pessoa e de sua obra, o reino de Deus tornou-se uma
realidade presente. Ou seja, o Reino de Deus foi inaugurado em
Cristo. Mesmo que a consumação dessa nova era se realizará no
futuro, “aqui e agora” é possível desfrutar dessas bênçãos do
Reino de Deus (PADILHA, 1992, p. 198).
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Como foi dito, a missão integral é a soma da evangelização com a
ação social. Para Padilha (1992):
Tanto a evangelização como a responsabilidade social podem ser entendidas
unicamente à luz do fato de, em Cristo Jesus, o Reino de Deus ter invadido a história e
agora é uma realidade presente e ao mesmo tempo uma esperança futura, um “já” e
ao mesmo tempo um “ainda não”. Neste sentido, o Reino de Deus não é o
melhoramento social progressivo da humanidade, segundo o qual a tarefa da igreja é
transformar a terra em céu, e isto agora” e nem “o reinado interior de Deus presente
nas disposições morais e espirituais da alma, com base no coração”. Antes, ele é o
poder de Deus, liberto na história, que traz boas novas aos pobres, libertando aos
cativos, vista aos cegos e libertação aos oprimidos. (1992, p. 206)
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Ed René Kivitiz (2012, p. 62) sustenta que a missão integral é a
soma da evangelização com a ação social da igreja. A missão
integral enfatiza de modo claro que a evangelização e a ação
social não se separam, tornando necessário pregar Jesus Cristo
como Senhor e Salvador de forma verbal e prática.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Verbal, no que diz respeito à palavra de Deus e ao plano salvífico
de Jesus para a restauração, transformação, libertação e cura do
homem, ou seja, de toda humanidade através do poder do
Espírito Santo na vida espiritual e no relacionamento com Deus.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Prática, no que diz respeito ao testemunho, ao amor e à vida de
Jesus, na ação física e solidária para com as necessidades dos
pobres e marginalizados, proporcionando restauração,
transformação, libertação e cura no viver do próximo dentro da
sociedade, através do Espírito Santo no contato pessoal e social.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
Pastoral Urbana
Como foi observado anteriormente, a missão da igreja, segundo
o Pacto de Lausanne, envolve tanto a evangelização quanto a
ação social. A Pastoral Urbana de Comblin envolve esses dois
elementos na construção de um padrão missiológico para a
atuação das igrejas nos centros urbanos.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A Pastoral Urbana deve apresentar às igrejas diretrizes
norteadoras para essa intervenção nos problemas sociais da
cidade, dirigindo, assim, o seu agir na cidade. A Pastoral Urbana
corresponde a toda iniciativa concreta de intervir positivamente
na vida dos moradores de um centro urbano.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
CONCLUSÃO
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A Missão da Igreja é ampla e abrange várias dimensões. Através
deste estudo, foi constatado que a mensagem da salvação,
pregada pela igreja, deve resultar, além da evangelização, em
uma mensagem de juízo sobre toda a forma de alienação, de
opressão e de discriminação. O seu discurso de amor deve ser
acompanhado de ações práticas.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
A missão da igreja está relacionada à pregar Jesus Cristo de
forma verbal e também de forma prática. Essa última envolve a
ação solidária para com as necessidades dos pobres e oprimidos,
oferecendo restauração, transformação, libertação e cura, pois
através do serviço social a igreja deve aliviar a dor humana e
transformar as condições sociais que têm levado milhares de
homens à extrema pobreza.
A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
Adenísio dos Reis
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Éder Tomé
 
Lição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptx
Lição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptxLição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptx
Lição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptx
Celso Napoleon
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
André Rocha
 
Janela1040
Janela1040 Janela1040
Janela1040
mrcelo35
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Erberson Pinheiro
 
O batismo nas águas
O  batismo nas águasO  batismo nas águas
O batismo nas águas
Marcelo Santos
 
3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão
faculdadeteologica
 
O casamento bíblico
O casamento bíblicoO casamento bíblico
O casamento bíblico
Moisés Sampaio
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
Éder Tomé
 
Lição 10 - O Culto Racional
Lição 10 - O Culto RacionalLição 10 - O Culto Racional
Lição 10 - O Culto Racional
Éder Tomé
 
Panorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1TimóteoPanorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1Timóteo
Respirando Deus
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
Moisés Sampaio
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Éder Tomé
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
rodrigocristao84
 
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
RODRIGO FERREIRA
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de CristoLição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de Cristo
Éder Tomé
 
Aula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologiaAula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologia
casa
 

Mais procurados (20)

O diaconato
O diaconatoO diaconato
O diaconato
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
Lição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptx
Lição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptxLição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptx
Lição 10 – O Desafio da Janela 10/40.pptx
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo A doutrina do espírito santo
A doutrina do espírito santo
 
Janela1040
Janela1040 Janela1040
Janela1040
 
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristãoLição 1 - A formação do caráter do cristão
Lição 1 - A formação do caráter do cristão
 
O batismo nas águas
O  batismo nas águasO  batismo nas águas
O batismo nas águas
 
3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão3 fundamentos bíblicos da missão
3 fundamentos bíblicos da missão
 
O casamento bíblico
O casamento bíblicoO casamento bíblico
O casamento bíblico
 
Lição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da SalvaçãoLição 10 - O Processo da Salvação
Lição 10 - O Processo da Salvação
 
Lição 10 - O Culto Racional
Lição 10 - O Culto RacionalLição 10 - O Culto Racional
Lição 10 - O Culto Racional
 
Panorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1TimóteoPanorama do NT - 1Timóteo
Panorama do NT - 1Timóteo
 
Uma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibradaUma vida cristã equilibrada
Uma vida cristã equilibrada
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
 
Estudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismoEstudo sobre evangelismo
Estudo sobre evangelismo
 
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
 
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptxLição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
Lição 3 - A Natureza da Igreja - Escola Bíblica Dominical.pptx
 
Lição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de CristoLição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de Cristo
 
Aula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologiaAula de missiologia basico em theologia
Aula de missiologia basico em theologia
 

Destaque

7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
faculdadeteologica
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
faculdadeteologica
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
faculdadeteologica
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
faculdadeteologica
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
faculdadeteologica
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
faculdadeteologica
 
1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia
faculdadeteologica
 
2 teologia da m issão
2 teologia da m issão2 teologia da m issão
2 teologia da m issão
faculdadeteologica
 

Destaque (8)

7 teologia da missão
7 teologia da missão7 teologia da missão
7 teologia da missão
 
9 missão urbana
9 missão urbana9 missão urbana
9 missão urbana
 
8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia8 natureza e missão da teologia
8 natureza e missão da teologia
 
5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas5 missão integral das igrejas
5 missão integral das igrejas
 
10 mobilização missionária
10 mobilização missionária10 mobilização missionária
10 mobilização missionária
 
4 antropologia missionária
4 antropologia missionária4 antropologia missionária
4 antropologia missionária
 
1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia1 introdução à missiologia
1 introdução à missiologia
 
2 teologia da m issão
2 teologia da m issão2 teologia da m issão
2 teologia da m issão
 

Semelhante a 6 a missão da igreja

As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
Oswaldo Michaelano
 
Missio dei x missio ecclesiae
Missio dei  x  missio ecclesiaeMissio dei  x  missio ecclesiae
Missio dei x missio ecclesiae
Romildo Fernandes Gurgel Gurgel
 
Texto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_dei
Texto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_deiTexto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_dei
Texto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_dei
Vinicio Pacifico
 
Missiologia
MissiologiaMissiologia
Missiologia
Hebert Balieiro
 
Apostila missiologia
Apostila missiologiaApostila missiologia
Apostila missiologia
BispoAlberto
 
Desafios da gestão
Desafios da gestãoDesafios da gestão
Desafios da gestão
Conage
 
Catequese Renovada
Catequese RenovadaCatequese Renovada
Catequese Renovada
Rodrigo Oliveira
 
Pami 2008 2012 #2008 = texto-base apresentacao
Pami 2008 2012 #2008 =  texto-base   apresentacaoPami 2008 2012 #2008 =  texto-base   apresentacao
Pami 2008 2012 #2008 = texto-base apresentacao
Ricardo Cassen
 
Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)
Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)
Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)
Rodrigo Catini Flaibam
 
Cânones plano para a vida e missão
Cânones   plano para a vida e missãoCânones   plano para a vida e missão
Cânones plano para a vida e missão
Paulo Dias Nogueira
 
Apresentação ponto 1 e 2
Apresentação ponto 1 e 2Apresentação ponto 1 e 2
Apresentação ponto 1 e 2
Renata R. Lucas
 
Aula 4 missão educacional da igreja - i e ii
Aula 4   missão educacional da igreja - i e iiAula 4   missão educacional da igreja - i e ii
Aula 4 missão educacional da igreja - i e ii
Carla Geanfrancisco Falasca
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
Bernadetecebs .
 
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃOFUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
Paulo David
 
O que é missão Integral?
O que é missão Integral?O que é missão Integral?
O que é missão Integral?
Jean Francesco
 
Comissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdfComissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdf
Igreja Evangélica Assembleia de Deus
 
12 ist - a vida cristã - liturgia
12   ist - a vida cristã - liturgia12   ist - a vida cristã - liturgia
12 ist - a vida cristã - liturgia
Léo Mendonça
 
René Padilha
René PadilhaRené Padilha
René Padilha
Jailson Santos
 
Itinerário da missão pe. altevir maio 2011
Itinerário da missão pe. altevir maio 2011Itinerário da missão pe. altevir maio 2011
Encontro de catequistas sao jose
Encontro de catequistas sao joseEncontro de catequistas sao jose
Encontro de catequistas sao jose
paroquiasaojose
 

Semelhante a 6 a missão da igreja (20)

As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja  As Dimensões missionarias da Igreja
As Dimensões missionarias da Igreja
 
Missio dei x missio ecclesiae
Missio dei  x  missio ecclesiaeMissio dei  x  missio ecclesiae
Missio dei x missio ecclesiae
 
Texto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_dei
Texto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_deiTexto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_dei
Texto 2 a-proposito_do_conceito_de_missio_dei
 
Missiologia
MissiologiaMissiologia
Missiologia
 
Apostila missiologia
Apostila missiologiaApostila missiologia
Apostila missiologia
 
Desafios da gestão
Desafios da gestãoDesafios da gestão
Desafios da gestão
 
Catequese Renovada
Catequese RenovadaCatequese Renovada
Catequese Renovada
 
Pami 2008 2012 #2008 = texto-base apresentacao
Pami 2008 2012 #2008 =  texto-base   apresentacaoPami 2008 2012 #2008 =  texto-base   apresentacao
Pami 2008 2012 #2008 = texto-base apresentacao
 
Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)
Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)
Diretrizes Gerais da Evangelização da Igreja no Brasil 2011-2015 (Visão Geral)
 
Cânones plano para a vida e missão
Cânones   plano para a vida e missãoCânones   plano para a vida e missão
Cânones plano para a vida e missão
 
Apresentação ponto 1 e 2
Apresentação ponto 1 e 2Apresentação ponto 1 e 2
Apresentação ponto 1 e 2
 
Aula 4 missão educacional da igreja - i e ii
Aula 4   missão educacional da igreja - i e iiAula 4   missão educacional da igreja - i e ii
Aula 4 missão educacional da igreja - i e ii
 
Missão é sair
Missão é sairMissão é sair
Missão é sair
 
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃOFUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
FUNDAMENTOS TEOLÓGICOS DA MISSÃO
 
O que é missão Integral?
O que é missão Integral?O que é missão Integral?
O que é missão Integral?
 
Comissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdfComissão cultural e a grande comissão pdf
Comissão cultural e a grande comissão pdf
 
12 ist - a vida cristã - liturgia
12   ist - a vida cristã - liturgia12   ist - a vida cristã - liturgia
12 ist - a vida cristã - liturgia
 
René Padilha
René PadilhaRené Padilha
René Padilha
 
Itinerário da missão pe. altevir maio 2011
Itinerário da missão pe. altevir maio 2011Itinerário da missão pe. altevir maio 2011
Itinerário da missão pe. altevir maio 2011
 
Encontro de catequistas sao jose
Encontro de catequistas sao joseEncontro de catequistas sao jose
Encontro de catequistas sao jose
 

Mais de faculdadeteologica

10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
faculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
faculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
faculdadeteologica
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
faculdadeteologica
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
faculdadeteologica
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
faculdadeteologica
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
faculdadeteologica
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
faculdadeteologica
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
faculdadeteologica
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
faculdadeteologica
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
faculdadeteologica
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
faculdadeteologica
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
faculdadeteologica
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
faculdadeteologica
 
psicologia da educação
psicologia da educaçãopsicologia da educação
psicologia da educação
faculdadeteologica
 
psicologia familiar
psicologia familiarpsicologia familiar
psicologia familiar
faculdadeteologica
 
psicologia da religião
psicologia da religiãopsicologia da religião
psicologia da religião
faculdadeteologica
 
introdução á psicanálise
introdução á psicanáliseintrodução á psicanálise
introdução á psicanálise
faculdadeteologica
 
ética cristã
ética cristãética cristã
ética cristã
faculdadeteologica
 

Mais de faculdadeteologica (20)

10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
4 fundamentos bíblicos escatológicos ii
 
5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos5 conceitos escatológicos
5 conceitos escatológicos
 
6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías6 escatologia em isaías
6 escatologia em isaías
 
7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel7 escatologia em daniel
7 escatologia em daniel
 
8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i8 escatologia em apocalípse i
8 escatologia em apocalípse i
 
9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii9 escatologia em apocalípse ii
9 escatologia em apocalípse ii
 
10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii10 escatologia em apocalípse iii
10 escatologia em apocalípse iii
 
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i3 fundamentos bíblicos escatológicos i
3 fundamentos bíblicos escatológicos i
 
2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii2 introdução à escatologia ii
2 introdução à escatologia ii
 
1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i1 introdução à escatologia i
1 introdução à escatologia i
 
02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas02 doutrinas bíblicas
02 doutrinas bíblicas
 
doutrinas bíblicas
doutrinas bíblicasdoutrinas bíblicas
doutrinas bíblicas
 
psicologia da educação
psicologia da educaçãopsicologia da educação
psicologia da educação
 
psicologia familiar
psicologia familiarpsicologia familiar
psicologia familiar
 
psicologia da religião
psicologia da religiãopsicologia da religião
psicologia da religião
 
introdução á psicanálise
introdução á psicanáliseintrodução á psicanálise
introdução á psicanálise
 
ética cristã
ética cristãética cristã
ética cristã
 

Último

1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
AlexandreJr7
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
DavidBertelli3
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 

Último (20)

1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
Especialidade  Arqueologia  Bíblica.pptxEspecialidade  Arqueologia  Bíblica.pptx
Especialidade Arqueologia Bíblica.pptx
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita RafaelA Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
A Parábola da Figueira Seca - Grupo Espírita Rafael
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 

6 a missão da igreja

  • 1. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 2. INTRODUÇÃO A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 3. A definição do que é a missão da igreja cristã é sem dúvida um dos pontos mais cruciais da teologia. Afinal, o que Deus requer que seu povo faça, exerça e realize no mundo a qual ela foi enviada? O que devemos entender por missão cristã? A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 4. Segundo Bosch (2002, p. 466), a missão da igreja foi compreendida, nos séculos precedentes, de várias maneiras: “Às vezes ela foi interpretada primordialmente em termos soteriológicos: como salvar indivíduos da condenação eterna. Ou em termos culturais: como apresentar pessoas do Oriente e do Sul as bênçãos e privilégios do Ocidente Cristão”. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 6. Contudo, após a Primeira Guerra Mundial, lentamente, processou-se uma mudança. Karl Barth tornou-se um dos primeiros teólogos a articular a missão como atividade de Deus e não como atividade da igreja. (BOSCH, 2002, p. 467). A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 7. A partir de então, a missão começou a ser vista não apenas como atividade proselitista, mas a partir da perspectiva missio Dei. Nessa perspectiva, a missão é derivada da própria natureza de Deus, ou seja, a missão da igreja não é uma missão da própria igreja, mas, sim, uma extensão da missão de Deus, na qual o Deus Pai envia o Deus Filho, e o Deus Filho envia o Deus Espírito Santo, e o Deus Pai, Filho e Espírito Santo enviam a igreja para dentro do mundo. (BOSCH, 2002, p. 467). A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 8. A partir de então, a missão começou a ser vista não apenas como atividade proselitista, mas a partir da perspectiva missio Dei. Nessa perspectiva, a missão é derivada da própria natureza de Deus, ou seja, a missão da igreja não é uma missão da própria igreja, mas, sim, uma extensão da missão de Deus, na qual o Deus Pai envia o Deus Filho, e o Deus Filho envia o Deus Espírito Santo, e o Deus Pai, Filho e Espírito Santo enviam a igreja para dentro do mundo. (BOSCH, 2002, p. 467). A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 9. A dimensão orgânica da missão da igreja envolve o desenvolvimento interno da comunidade da fé. Costas (1994, p. 113) afirma que essa dimensão está imbricada ao sistema de relação entre os membros: sua forma de governo, sua estrutura financeira, seus líderes, o tipo de atividade na qual se investe seu tempo e seus recursos e sua celebração cultural. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 10. A missão da igreja na dimensão orgânica está relacionada ao desenvolvimento interno da igreja. Nesse sentido, Carriker (2007, p. 12) aponta que a edificação interna da igreja se realiza por meio da comunhão, do ensino e do serviço dos membros na igreja e na sociedade. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 11. A dimensão conceptual Essa dimensão, segundo Costas (1994, p.113) acentua a necessidade que a igreja tem de pensar crítica e reverentemente sobre a fé, ao calor da palavra e da oração; de avaliar honesta e conscientemente, à luz da fé e da realidade concreta, as imagens que forja de si mesma, de sua missão e de seu mundo. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 12. A missão da igreja é a diaconal. Essa dimensão trata sobre o serviço que a igreja presta ao mundo como prova concreta do amor redentor de Deus. Ela envolve o impacto que o ministério reconciliador da igreja exerce sobre o mundo, o seu grau de participação da vida, dos conflitos, dos temores, e das esperanças da sociedade, na medida em que o seus serviços ajudam a aliviar a dor humana e a transformar as condições sociais que têm condenado milhões de homens, mulheres e crianças à pobreza. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 13. A dimensão numérica relaciona-se à reprodução e ao crescimento numérico que a igreja deve procurar. Essa dimensão é parte fundamental da igreja, pois ao proclamar o evangelho, chamando os homens ao arrependimento de seus pecados e à fé em Jesus Cristo, a igreja incorpora novos crentes, inserindo-os na comunidade cristã. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 14. Para Padilha (1992, p. 207), “a missão da igreja só pode ser entendida à luz do Reino de Deus”5. Para ele, falar do Reino de Deus é falar do propósito redentor de Deus para toda a criação e da vocação histórica que a igreja tem a respeito desse propósito. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 15. A ênfase central do Novo Testamento é que Jesus veio para cumprir as profecias do Antigo Testamento e que, por meio de sua pessoa e de sua obra, o reino de Deus tornou-se uma realidade presente. Ou seja, o Reino de Deus foi inaugurado em Cristo. Mesmo que a consumação dessa nova era se realizará no futuro, “aqui e agora” é possível desfrutar dessas bênçãos do Reino de Deus (PADILHA, 1992, p. 198). A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 16. Como foi dito, a missão integral é a soma da evangelização com a ação social. Para Padilha (1992): Tanto a evangelização como a responsabilidade social podem ser entendidas unicamente à luz do fato de, em Cristo Jesus, o Reino de Deus ter invadido a história e agora é uma realidade presente e ao mesmo tempo uma esperança futura, um “já” e ao mesmo tempo um “ainda não”. Neste sentido, o Reino de Deus não é o melhoramento social progressivo da humanidade, segundo o qual a tarefa da igreja é transformar a terra em céu, e isto agora” e nem “o reinado interior de Deus presente nas disposições morais e espirituais da alma, com base no coração”. Antes, ele é o poder de Deus, liberto na história, que traz boas novas aos pobres, libertando aos cativos, vista aos cegos e libertação aos oprimidos. (1992, p. 206) A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 17. Ed René Kivitiz (2012, p. 62) sustenta que a missão integral é a soma da evangelização com a ação social da igreja. A missão integral enfatiza de modo claro que a evangelização e a ação social não se separam, tornando necessário pregar Jesus Cristo como Senhor e Salvador de forma verbal e prática. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 18. Verbal, no que diz respeito à palavra de Deus e ao plano salvífico de Jesus para a restauração, transformação, libertação e cura do homem, ou seja, de toda humanidade através do poder do Espírito Santo na vida espiritual e no relacionamento com Deus. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 19. Prática, no que diz respeito ao testemunho, ao amor e à vida de Jesus, na ação física e solidária para com as necessidades dos pobres e marginalizados, proporcionando restauração, transformação, libertação e cura no viver do próximo dentro da sociedade, através do Espírito Santo no contato pessoal e social. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 20. Pastoral Urbana Como foi observado anteriormente, a missão da igreja, segundo o Pacto de Lausanne, envolve tanto a evangelização quanto a ação social. A Pastoral Urbana de Comblin envolve esses dois elementos na construção de um padrão missiológico para a atuação das igrejas nos centros urbanos. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 21. A Pastoral Urbana deve apresentar às igrejas diretrizes norteadoras para essa intervenção nos problemas sociais da cidade, dirigindo, assim, o seu agir na cidade. A Pastoral Urbana corresponde a toda iniciativa concreta de intervir positivamente na vida dos moradores de um centro urbano. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 22. CONCLUSÃO A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 23. A Missão da Igreja é ampla e abrange várias dimensões. Através deste estudo, foi constatado que a mensagem da salvação, pregada pela igreja, deve resultar, além da evangelização, em uma mensagem de juízo sobre toda a forma de alienação, de opressão e de discriminação. O seu discurso de amor deve ser acompanhado de ações práticas. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ
  • 24. A missão da igreja está relacionada à pregar Jesus Cristo de forma verbal e também de forma prática. Essa última envolve a ação solidária para com as necessidades dos pobres e oprimidos, oferecendo restauração, transformação, libertação e cura, pois através do serviço social a igreja deve aliviar a dor humana e transformar as condições sociais que têm levado milhares de homens à extrema pobreza. A MISSÃO DA IGREJA CRISTÃ