SlideShare uma empresa Scribd logo
Cultura
Material e Imaterial;
patrimônio
e diversidade cultural no Brasil
• A diversidade cultural engloba as diferenças culturais que
existem entre as pessoas, como a linguagem, danças, vestimenta,
tradições e heranças fisicas e biologicas, bem como a forma como as
sociedades organizam-se conforme a sua concepção de moral e de
religião, a forma como eles interagem com o ambiente etc.
• O termo diversidade diz respeito à variedade e convivência de idéias,
características ou elementos diferentes entre si, em determinado
assunto, situação ou ambiente.
• Se refere a crenças, comportamentos, valores, instituições, regras
morais que permeiam e "preenchem" a sociedade. Explica e dá
sentido a cosmologia social, é a identidade própria de um grupo
humano em um território e num determinado período.
•
Cultura Material
• Numa definição mais clássica, a cultura material pode
assim ser entendida como o conjunto de artefatos criados
pelo homem, combinando matérias-primas e tecnologia, o
qual se distingue das estruturas fixas pelo seu caráter
móvel.
• A noção de cultura material, que, em princípio, se aplicaria
apenas a objetos isolados, poderá ser alargada de forma a
abranger quase todas as produções humanas, levando a
que alguns estudiosos considerem a história da tecnologia,
os estudos de folclore, a antropologia cultural, a
arqueologia histórica, a geografia cultural e mesmo a
história da arte como sub-campos de estudos de cultura
material.
Cultura Imaterial
• A cultura imaterial é o conhecimento que não foi ensinado por meio
de livros, registros formais ou ensinamentos sistemáticos, mas sim,
o conhecimento transmitido na prática, na forma oral ou por meio
de gestos, de geração para geração. Tradição e transmissão de
conhecimento são fatores essenciais para a continuidade da cultura
intangível, também chamada de cultura imaterial, e para a construção
da identidade um grupo, povo ou nação.
• O patrimônio cultural de um povo não é composto apenas por
elementos materiais, mas também através de manifestações da
cultura imaterial, ele é constituído de práticas, representações,
técnicas, objetos e lugares do mesmo.
• Exemplos de bens imateriais que estão com o processo de registro
em andamento são a capoeira, o teatro mamulengo e o complexo
cultural do bumba-meu-boi do Maranhão, a Festa do Divino Espírito
Santo de Pirenópolis, a Farmacopéia Popular do Cerrado e o Circo de
Tradição Familiar...
Patrimônio Artístico
Os bens materiais e imateriais que formam o patrimônio
cultural brasileiro são, portanto, os modos específicos de criar
e fazer (as descobertas e os processos genuínos na ciência , nas artes e na
tecnologia); as construções referenciais e exemplares da
tradição brasileira , incluindo bens imóveis (igrejas, casas, praças,
conjuntos urbanos) e bens móveis (obras de arte ou artesanato); as
criações imateriais como a literatura e a música; as expressões
e os modos de viver, como a linguagem e os costumes; os
locais dotados de expressivo valor para a história, a
arqueologia, a paleontologia e a ciência em geral, assim como
as paisagens e as áreas de proteção ecológica da fauna e da
flora.
Quando se preserva legalmente e na prática o patrimônio cultural, conserva-se a
memória do que fomos e do que somos: a identidade da nação. Patrimônio,
etimologicamente, significa "herança paterna"- na verdade, a riqueza comum que
nós herdamos como cidadãos, e que se vai transmitindo de geração a geração.
O tombamento de bens culturais
Tombar, de acordo com normas legais, equivale a registrar, com o objetivo de
proteger, controlar, guardar. Tombamento, também chamado tombo,
provavelmente originado do latim tomex, significa inventário, arrolamento,
registro.
O tombamento de bens culturais, visando a sua preservação e restauração, é de
interesse do estado e da sociedade.
História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no
Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira.
• A cultura africana chegou ao Brasil com os povos escravizados
trazidos da África durante o longo período em que durou o tráfico
negreiro transatlântico.
• A diversidade cultural da África refletiu-se na diversidade dos
escravos, pertencentes a diversas etnias que falavam idiomas
diferentes e trouxeram tradições distintas.
• Os africanos trazidos ao Brasil incluíram bantos, nagôs e jejes, cujas
crenças religiosas deram origem às religiões afro-brasileiras, e os
haucás e malês, de religião islâmica e alfabetizados em árabe. Assim
como a indígena, a cultura africana foi geralmente suprimida pelos
colonizadores.
• Na colônia, os escravos aprendiam o português, eram batizados
com nomes portugueses e obrigados a se converter ao catolicismo.
Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos
LEI No 10.639, DE 9 DE JANEIRO DE 2003.
Mensagem de veto Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação
nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-
Brasileira", e dá outras providências.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte
Lei: Art. 1o A Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar acrescida dos seguintes arts. 26-A, 79 A e 79-B:
"Art. 26-A. Nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares, torna-
se obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira.
§ 1o O conteúdo programático a que se refere o caput deste artigo incluirá o estudo da História
da África e dos Africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na
formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social,
econômica e política pertinentes à História do Brasil.
§ 2o Os conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira serão ministrados no âmbito de
todo o currículo escolar, em especial nas áreas de Educação Artística e de Literatura e
História Brasileiras.
§ 3o (VETADO)"
"Art. 79-A. (VETADO)"
"Art. 79-B. O calendário escolar incluirá o dia 20 de novembro como ‘Dia Nacional da
Consciência Negra’."
Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 9 de janeiro de 2003; 182o da Independência e 115o da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Cristovam Ricardo Cavalcanti Buarque
Este texto não substitui o publicado no D.O.U. de 10.1.2003
História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira.
• Os africanos contribuíram para a cultura brasileira em uma
enormidade de aspectos: dança, música, religião, culinária e
idioma.
• Essa influência se faz notar em grande parte do país; em
certos estados como Bahia, Maranhão, Pernambuco, Alagoas,
Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul a
cultura afro-brasileira é particularmente destacada em
virtude da migração dos escravos.
• Os bantos, nagôs e jejes no Brasil colonial criaram o
candomblé, religião afro-brasileira baseada no culto aos
orixás praticada atualmente em todo o território. Largamente
distribuída também é a umbanda, uma religião sincrética que
mistura elementos africanos com o catolicismo e o
espiritismo, incluindo a associação de santos católicos com os
orixás.
História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira.
• A influência da cultura africana é também evidente na culinária
regional, especialmente na Bahia, onde foi introduzido o
dendezeiro, uma palmeira africana da qual se extrai o azeite-de-
dendê. Este azeite é utilizado em vários pratos de influência
africana como o vatapá, o caruru e o acarajé.
• Na música a cultura africana contribuiu com os ritmos que são a
base de boa parte da música popular brasileira. Gêneros musicais
coloniais de influência africana, como o lundu, terminaram dando
origem à base rítmica do maxixe, samba, choro, bossa-nova e
outros gêneros musicais atuais. Também há alguns instrumentos
musicais brasileiros, como o berimbau, o afoxé e o agogô, que são
de origem africana.
• O berimbau é o instrumento utilizado para criar o ritmo que
acompanha os passos da capoeira, mistura de dança e arte
marcial criada pelos escravos no Brasil colonial.
• A palavra Orixá quer dizer “Coroa Iluminada”; “Espírito de Luz”. O princípio mais evoluído
existente em nosso sistema, manifestado através das forças da natureza.
LUNDU
• Copie o link abaixo no seu navegador.
• http://www.youtube.com/watch?v=YpgGUCqUaeA
ORIXÁS
VATAPÁ – ACARAJÉ - CARURU
MACUMBA
• Copie o link abaixo no seu navegador.
• http://www.youtube.com/watch?v=ItYW8lSwL8s
História dos povos indígenas e a
formação sócio-cultural brasileira.
• http://www.youtube.com/watch?v=Wa7-o3EIatQ
História dos povos indígenas e a formação sócio-cultural
brasileira.
• A colonização do território brasileiro pelos europeus representou em grande
parte a destruição física dos indígenas através de guerras e escravidão, tendo
sobrevivido apenas uma pequena parte das nações indígenas originais.
• A cultura indígena foi também parcialmente eliminada pela ação da catequese
e intensa miscigenação com outras etnias. Atualmente, apenas algumas
poucas nações indígenas ainda existem e conseguem manter parte da sua
cultura original.
• O indígena brasileiro é representando sua rica arte plumária e de pintura
corporal.
• Apesar disso, a cultura e os conhecimentos dos indígenas sobre a terra foram
determinantes durante a colonização, influenciando a língua, a culinária, o
folclore e o uso de objetos caseiros diversos como a rede de descanso. Um dos
aspectos mais notáveis da influência indígena foi a chamada língua geral
(Língua geral paulista, Nheengatu), uma língua derivada do Tupí-Guarani com
termos da língua portuguesa que serviu de língua franca no interior do Brasil
até meados do século XVIII, principalmente nas regiões de influência paulista e
na região amazônica.
História dos povos indígenas e a formação sócio-cultural brasileira.
• O português brasileiro guarda, de fato, inúmeros termos de origem
indígena, especialmente derivados do Tupi-Guarani. De maneira geral,
nomes de origem indígena são frequentes na designação de animais e
plantas nativos (jaguar, capivara, ipê, jacarandá, etc ).
• A influência indígena é também forte no folclore do interior brasileiro,
povoado de seres fantásticos como o curupira, o saci-pererê, o boitatá
e a iara, entre outros.
• Na culinária brasileira, a mandioca, a erva mate, o açaí e a jabuticaba,
inúmeros pescados e outros frutos da terra, além de pratos como os
pirões, entraram na alimentação brasileira por influência indígena. Essa
influência se faz mais forte em certas regiões do país, em que esses
grupos conseguiram se manter mais distantes da ação colonizadora,
principalmente em porções da Região Norte do Brasil.
PESQUISAR:
• Funções da arte, do trabalho e da produção dos artistas em
seus meios culturais.
• Realidade indígena no Brasil.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
GernciadeProduodeMat
 
A diversidade e a cultura afrobrasileira
A diversidade e a cultura afrobrasileiraA diversidade e a cultura afrobrasileira
A diversidade e a cultura afrobrasileira
prof_roseli_barbosa
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
Isaquel Silva
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Frederico Marques Sodré
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Nancihorta
 
A transição para o trabalho livre e assalariado
A transição para o trabalho livre e assalariadoA transição para o trabalho livre e assalariado
A transição para o trabalho livre e assalariado
Edenilson Morais
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
feraps
 
Dia da consciência negra
Dia da consciência negraDia da consciência negra
Dia da consciência negra
Marcelo Fernandes
 
A cultura do nordeste
A cultura do nordesteA cultura do nordeste
A cultura do nordeste
Nicole Gouveia
 
3.as correntes históricas
3.as correntes históricas3.as correntes históricas
3.as correntes históricas
Jose Ribamar Santos
 
Aula patrimônio cultural
Aula patrimônio culturalAula patrimônio cultural
Aula patrimônio cultural
Curso Letrados
 
História, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeHistória, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidade
Viegas Fernandes da Costa
 
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismoColonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
alinemaiahistoria
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
Paulo Alexandre
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
Paula Naranjo
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
Daniele Lino
 
O tempo em historia
O tempo em historiaO tempo em historia
O tempo em historia
Ana Barreiros
 
Avaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de HistóriaAvaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de História
Acrópole - História & Educação
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Valéria Shoujofan
 
escravidão na antiguidade e na modernidade
escravidão na antiguidade e na modernidadeescravidão na antiguidade e na modernidade
escravidão na antiguidade e na modernidade
GiovannaPokorny
 

Mais procurados (20)

HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
HISTÓRIA | 1ª SÉRIE | HABILIDADE DA BNCC - (EM13CHS103) D1/D4
 
A diversidade e a cultura afrobrasileira
A diversidade e a cultura afrobrasileiraA diversidade e a cultura afrobrasileira
A diversidade e a cultura afrobrasileira
 
História Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos AfricanosHistória Cultural dos Povos Africanos
História Cultural dos Povos Africanos
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
 
Influência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasilInfluência da-cultura-africana-no-brasil
Influência da-cultura-africana-no-brasil
 
A transição para o trabalho livre e assalariado
A transição para o trabalho livre e assalariadoA transição para o trabalho livre e assalariado
A transição para o trabalho livre e assalariado
 
Formação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiroFormação do povo brasileiro
Formação do povo brasileiro
 
Dia da consciência negra
Dia da consciência negraDia da consciência negra
Dia da consciência negra
 
A cultura do nordeste
A cultura do nordesteA cultura do nordeste
A cultura do nordeste
 
3.as correntes históricas
3.as correntes históricas3.as correntes históricas
3.as correntes históricas
 
Aula patrimônio cultural
Aula patrimônio culturalAula patrimônio cultural
Aula patrimônio cultural
 
História, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidadeHistória, memória, patrimônio e identidade
História, memória, patrimônio e identidade
 
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismoColonialismo, neocolonialismo, imperialismo
Colonialismo, neocolonialismo, imperialismo
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
 
Cultura indígena
Cultura indígenaCultura indígena
Cultura indígena
 
Cultura negra
Cultura negraCultura negra
Cultura negra
 
O tempo em historia
O tempo em historiaO tempo em historia
O tempo em historia
 
Avaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de HistóriaAvaliação Diagnóstica de História
Avaliação Diagnóstica de História
 
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e AbsolutismoFormação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
Formação das Monarquias Nacionais e Absolutismo
 
escravidão na antiguidade e na modernidade
escravidão na antiguidade e na modernidadeescravidão na antiguidade e na modernidade
escravidão na antiguidade e na modernidade
 

Semelhante a 241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf

Cultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticasCultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticas
Bia Mattar
 
Questão racial
Questão racialQuestão racial
Questão racial
Pedro Neves
 
áFrica 2012
áFrica 2012áFrica 2012
áFrica 2012
Arlete Monteiro
 
ENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileira
ENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileiraENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileira
ENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileira
PROENEM - Unicruz
 
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfRaizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Maria Claudia F.Graca
 
Cultura indígena e cultura afro uma reflexão histórica
Cultura indígena e cultura afro uma reflexão históricaCultura indígena e cultura afro uma reflexão histórica
Cultura indígena e cultura afro uma reflexão histórica
Wesly Alves de Sá
 
Enem - CULTURA - por Cadu
Enem - CULTURA - por CaduEnem - CULTURA - por Cadu
Enem - CULTURA - por Cadu
Carlos Glufke
 
Slide africa
Slide africaSlide africa
Slide africa
barbaramartinez2016
 
Resam
ResamResam
A influência africana
A influência africanaA influência africana
A influência africana
Ana Roberta Souza
 
Paper africa
Paper africaPaper africa
Paper africa
barbaramartinez2016
 
Projeto feira de cultura
Projeto feira de culturaProjeto feira de cultura
Projeto feira de cultura
Luciene Rosa Gugé
 
Brasil!
Brasil!Brasil!
A formação da cultura brasileira/ Dicas para o Enem
A formação da cultura brasileira/ Dicas para o EnemA formação da cultura brasileira/ Dicas para o Enem
A formação da cultura brasileira/ Dicas para o Enem
Joemille Leal
 
A importância do negro na sociedade brasileira
A importância do negro na sociedade brasileiraA importância do negro na sociedade brasileira
A importância do negro na sociedade brasileira
Luana Reverti
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
Valeria Santos
 
Cultura - Definição
Cultura - DefiniçãoCultura - Definição
Cultura - Definição
Victor Cruz
 
Fabiana
FabianaFabiana
Fabiana
George Alex
 
Cultura 1
Cultura 1Cultura 1
20171030120022
2017103012002220171030120022
20171030120022
Delso De Jesus Cardoso
 

Semelhante a 241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf (20)

Cultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticasCultura e manifestações artísticas
Cultura e manifestações artísticas
 
Questão racial
Questão racialQuestão racial
Questão racial
 
áFrica 2012
áFrica 2012áFrica 2012
áFrica 2012
 
ENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileira
ENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileiraENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileira
ENEM - HISTÓRIA - Cultura brasileira
 
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdfRaizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
Raizes_Culturais_Brasileiras__Africanos__ensino_basico.pdf
 
Cultura indígena e cultura afro uma reflexão histórica
Cultura indígena e cultura afro uma reflexão históricaCultura indígena e cultura afro uma reflexão histórica
Cultura indígena e cultura afro uma reflexão histórica
 
Enem - CULTURA - por Cadu
Enem - CULTURA - por CaduEnem - CULTURA - por Cadu
Enem - CULTURA - por Cadu
 
Slide africa
Slide africaSlide africa
Slide africa
 
Resam
ResamResam
Resam
 
A influência africana
A influência africanaA influência africana
A influência africana
 
Paper africa
Paper africaPaper africa
Paper africa
 
Projeto feira de cultura
Projeto feira de culturaProjeto feira de cultura
Projeto feira de cultura
 
Brasil!
Brasil!Brasil!
Brasil!
 
A formação da cultura brasileira/ Dicas para o Enem
A formação da cultura brasileira/ Dicas para o EnemA formação da cultura brasileira/ Dicas para o Enem
A formação da cultura brasileira/ Dicas para o Enem
 
A importância do negro na sociedade brasileira
A importância do negro na sociedade brasileiraA importância do negro na sociedade brasileira
A importância do negro na sociedade brasileira
 
História e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígenaHistória e cultura afro brasileira e indígena
História e cultura afro brasileira e indígena
 
Cultura - Definição
Cultura - DefiniçãoCultura - Definição
Cultura - Definição
 
Fabiana
FabianaFabiana
Fabiana
 
Cultura 1
Cultura 1Cultura 1
Cultura 1
 
20171030120022
2017103012002220171030120022
20171030120022
 

Último

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 

Último (20)

Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 

241642272 1-cutura-material-e-imaterial-pdf

  • 1. Cultura Material e Imaterial; patrimônio e diversidade cultural no Brasil
  • 2. • A diversidade cultural engloba as diferenças culturais que existem entre as pessoas, como a linguagem, danças, vestimenta, tradições e heranças fisicas e biologicas, bem como a forma como as sociedades organizam-se conforme a sua concepção de moral e de religião, a forma como eles interagem com o ambiente etc. • O termo diversidade diz respeito à variedade e convivência de idéias, características ou elementos diferentes entre si, em determinado assunto, situação ou ambiente. • Se refere a crenças, comportamentos, valores, instituições, regras morais que permeiam e "preenchem" a sociedade. Explica e dá sentido a cosmologia social, é a identidade própria de um grupo humano em um território e num determinado período. •
  • 3. Cultura Material • Numa definição mais clássica, a cultura material pode assim ser entendida como o conjunto de artefatos criados pelo homem, combinando matérias-primas e tecnologia, o qual se distingue das estruturas fixas pelo seu caráter móvel. • A noção de cultura material, que, em princípio, se aplicaria apenas a objetos isolados, poderá ser alargada de forma a abranger quase todas as produções humanas, levando a que alguns estudiosos considerem a história da tecnologia, os estudos de folclore, a antropologia cultural, a arqueologia histórica, a geografia cultural e mesmo a história da arte como sub-campos de estudos de cultura material.
  • 4. Cultura Imaterial • A cultura imaterial é o conhecimento que não foi ensinado por meio de livros, registros formais ou ensinamentos sistemáticos, mas sim, o conhecimento transmitido na prática, na forma oral ou por meio de gestos, de geração para geração. Tradição e transmissão de conhecimento são fatores essenciais para a continuidade da cultura intangível, também chamada de cultura imaterial, e para a construção da identidade um grupo, povo ou nação. • O patrimônio cultural de um povo não é composto apenas por elementos materiais, mas também através de manifestações da cultura imaterial, ele é constituído de práticas, representações, técnicas, objetos e lugares do mesmo. • Exemplos de bens imateriais que estão com o processo de registro em andamento são a capoeira, o teatro mamulengo e o complexo cultural do bumba-meu-boi do Maranhão, a Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis, a Farmacopéia Popular do Cerrado e o Circo de Tradição Familiar...
  • 5. Patrimônio Artístico Os bens materiais e imateriais que formam o patrimônio cultural brasileiro são, portanto, os modos específicos de criar e fazer (as descobertas e os processos genuínos na ciência , nas artes e na tecnologia); as construções referenciais e exemplares da tradição brasileira , incluindo bens imóveis (igrejas, casas, praças, conjuntos urbanos) e bens móveis (obras de arte ou artesanato); as criações imateriais como a literatura e a música; as expressões e os modos de viver, como a linguagem e os costumes; os locais dotados de expressivo valor para a história, a arqueologia, a paleontologia e a ciência em geral, assim como as paisagens e as áreas de proteção ecológica da fauna e da flora.
  • 6. Quando se preserva legalmente e na prática o patrimônio cultural, conserva-se a memória do que fomos e do que somos: a identidade da nação. Patrimônio, etimologicamente, significa "herança paterna"- na verdade, a riqueza comum que nós herdamos como cidadãos, e que se vai transmitindo de geração a geração. O tombamento de bens culturais Tombar, de acordo com normas legais, equivale a registrar, com o objetivo de proteger, controlar, guardar. Tombamento, também chamado tombo, provavelmente originado do latim tomex, significa inventário, arrolamento, registro. O tombamento de bens culturais, visando a sua preservação e restauração, é de interesse do estado e da sociedade.
  • 7. História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira. • A cultura africana chegou ao Brasil com os povos escravizados trazidos da África durante o longo período em que durou o tráfico negreiro transatlântico. • A diversidade cultural da África refletiu-se na diversidade dos escravos, pertencentes a diversas etnias que falavam idiomas diferentes e trouxeram tradições distintas. • Os africanos trazidos ao Brasil incluíram bantos, nagôs e jejes, cujas crenças religiosas deram origem às religiões afro-brasileiras, e os haucás e malês, de religião islâmica e alfabetizados em árabe. Assim como a indígena, a cultura africana foi geralmente suprimida pelos colonizadores. • Na colônia, os escravos aprendiam o português, eram batizados com nomes portugueses e obrigados a se converter ao catolicismo.
  • 8. Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI No 10.639, DE 9 DE JANEIRO DE 2003. Mensagem de veto Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro- Brasileira", e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art. 1o A Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar acrescida dos seguintes arts. 26-A, 79 A e 79-B: "Art. 26-A. Nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio, oficiais e particulares, torna- se obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-Brasileira. § 1o O conteúdo programático a que se refere o caput deste artigo incluirá o estudo da História da África e dos Africanos, a luta dos negros no Brasil, a cultura negra brasileira e o negro na formação da sociedade nacional, resgatando a contribuição do povo negro nas áreas social, econômica e política pertinentes à História do Brasil. § 2o Os conteúdos referentes à História e Cultura Afro-Brasileira serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de Educação Artística e de Literatura e História Brasileiras. § 3o (VETADO)" "Art. 79-A. (VETADO)" "Art. 79-B. O calendário escolar incluirá o dia 20 de novembro como ‘Dia Nacional da Consciência Negra’." Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação. Brasília, 9 de janeiro de 2003; 182o da Independência e 115o da República. LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA Cristovam Ricardo Cavalcanti Buarque Este texto não substitui o publicado no D.O.U. de 10.1.2003
  • 9. História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira. • Os africanos contribuíram para a cultura brasileira em uma enormidade de aspectos: dança, música, religião, culinária e idioma. • Essa influência se faz notar em grande parte do país; em certos estados como Bahia, Maranhão, Pernambuco, Alagoas, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul a cultura afro-brasileira é particularmente destacada em virtude da migração dos escravos. • Os bantos, nagôs e jejes no Brasil colonial criaram o candomblé, religião afro-brasileira baseada no culto aos orixás praticada atualmente em todo o território. Largamente distribuída também é a umbanda, uma religião sincrética que mistura elementos africanos com o catolicismo e o espiritismo, incluindo a associação de santos católicos com os orixás.
  • 10. História cultural dos povos africanos. A luta dos negros no Brasil e o negro na formação da sociedade brasileira. • A influência da cultura africana é também evidente na culinária regional, especialmente na Bahia, onde foi introduzido o dendezeiro, uma palmeira africana da qual se extrai o azeite-de- dendê. Este azeite é utilizado em vários pratos de influência africana como o vatapá, o caruru e o acarajé. • Na música a cultura africana contribuiu com os ritmos que são a base de boa parte da música popular brasileira. Gêneros musicais coloniais de influência africana, como o lundu, terminaram dando origem à base rítmica do maxixe, samba, choro, bossa-nova e outros gêneros musicais atuais. Também há alguns instrumentos musicais brasileiros, como o berimbau, o afoxé e o agogô, que são de origem africana. • O berimbau é o instrumento utilizado para criar o ritmo que acompanha os passos da capoeira, mistura de dança e arte marcial criada pelos escravos no Brasil colonial. • A palavra Orixá quer dizer “Coroa Iluminada”; “Espírito de Luz”. O princípio mais evoluído existente em nosso sistema, manifestado através das forças da natureza.
  • 11. LUNDU • Copie o link abaixo no seu navegador. • http://www.youtube.com/watch?v=YpgGUCqUaeA
  • 14. MACUMBA • Copie o link abaixo no seu navegador. • http://www.youtube.com/watch?v=ItYW8lSwL8s
  • 15. História dos povos indígenas e a formação sócio-cultural brasileira. • http://www.youtube.com/watch?v=Wa7-o3EIatQ
  • 16. História dos povos indígenas e a formação sócio-cultural brasileira. • A colonização do território brasileiro pelos europeus representou em grande parte a destruição física dos indígenas através de guerras e escravidão, tendo sobrevivido apenas uma pequena parte das nações indígenas originais. • A cultura indígena foi também parcialmente eliminada pela ação da catequese e intensa miscigenação com outras etnias. Atualmente, apenas algumas poucas nações indígenas ainda existem e conseguem manter parte da sua cultura original. • O indígena brasileiro é representando sua rica arte plumária e de pintura corporal. • Apesar disso, a cultura e os conhecimentos dos indígenas sobre a terra foram determinantes durante a colonização, influenciando a língua, a culinária, o folclore e o uso de objetos caseiros diversos como a rede de descanso. Um dos aspectos mais notáveis da influência indígena foi a chamada língua geral (Língua geral paulista, Nheengatu), uma língua derivada do Tupí-Guarani com termos da língua portuguesa que serviu de língua franca no interior do Brasil até meados do século XVIII, principalmente nas regiões de influência paulista e na região amazônica.
  • 17. História dos povos indígenas e a formação sócio-cultural brasileira. • O português brasileiro guarda, de fato, inúmeros termos de origem indígena, especialmente derivados do Tupi-Guarani. De maneira geral, nomes de origem indígena são frequentes na designação de animais e plantas nativos (jaguar, capivara, ipê, jacarandá, etc ). • A influência indígena é também forte no folclore do interior brasileiro, povoado de seres fantásticos como o curupira, o saci-pererê, o boitatá e a iara, entre outros. • Na culinária brasileira, a mandioca, a erva mate, o açaí e a jabuticaba, inúmeros pescados e outros frutos da terra, além de pratos como os pirões, entraram na alimentação brasileira por influência indígena. Essa influência se faz mais forte em certas regiões do país, em que esses grupos conseguiram se manter mais distantes da ação colonizadora, principalmente em porções da Região Norte do Brasil.
  • 18. PESQUISAR: • Funções da arte, do trabalho e da produção dos artistas em seus meios culturais. • Realidade indígena no Brasil.