SlideShare uma empresa Scribd logo
I Unidade
1. Introdução aos estudos
históricos
Livro didático: Capítulo 1
História é a ciência que estuda as mudanças e as
permanências verificadas nas sociedades, além da
experiência humana através dos tempos.
O QUE É HISTÓRIA?
 No estudo da História, ao você compreender o que
ocorreu no passado, você entenderá os eventos
que ocorrem no presente e as possibilidades para o
futuro.
 Diante da percepção acima, a História contribui
para desenvolvermos consciência sobre os papéis
desempenhados pelos indivíduos e grupos e no
processo de transformação que está em curso na
sociedade.
POR QUE ESTUDAR HISTÓRIA?
A PESQUISA HISTÓRICA
ἱστορία
Junção dos termos “his” + “oren”, indicando a ideia de
“aprender com o olhar” ou “testemunhar”, mais tarde
o termo foi empregado por Heródoto como “pesquisa”
ou “investigação“, sentido aprimorado por Tucídides.
Heródoto de Halicarnasso
(Ἡρόδοτος)
484 a.C. - 425 a.C.
Tucídides (Θουκυδίδης)
460 a.C. - 395 a.C.
A PESQUISA HISTÓRICA
As fontes Históricas
• Elementos materiais e
imateriais do passado
que contribuem para a
investigação feita pelos
historiadores.
• A partir delas são buscadas informações por meio
de cuidadosos estudos sobre o que significam e
pela interpretação do que elas podem informar.
A PESQUISA HISTÓRICA
• Fontes escritas: Certidões, cartas, testamentos,
livros, jornais, revistas, entre outros.
• Fontes imagéticas ou visuais: Imagens, pinturas,
fotografias, anúncios de publicidade, entre outros.
• Fontes orais: Registros de entrevistas ou relatos
falados.
• Cultura material, fontes arqueológicas ou não-
escritas: Artefatos cotidianos, armas, ruínas,
sepulturas, etc.
FATOS HISTÓRICOS
São os objetos de estudo da História
• São singulares;
• São irreversíveis;
• Possuem repercussão social.
FATOS HISTÓRICOS
Os historiadores desenvolvem seus estudos,
apresentam suas ideias sobre os fatos históricos, mas
elas não são expressões definitivas da Verdade.
• Anacronismo: Emprego de conceitos e ideias de
uma época para analisar os fatos de outro tempo.
• Etnocentrismo: Considerar o seu grupo étnico ou
cultura o centro de tudo, portanto, num plano mais
importante que as outras culturas e sociedades.
CULTURA
“Todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as
crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os
outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem
como membro da sociedade” (Edward Burnett Tylor)
CULTURA MATERIAL CULTURA IMATERIAL
Artefatos e elementos físicos
(artesanato, vestuário,
utensílios...)
Expressões e manifestações
de conhecimento, hábitos e
tradições (mitos, danças,
hábitos...)
CRONOLOGIA
É o conjunto de conhecimentos sobre as medições do
tempo, que é uma dimensão da História.
O tempo é universal, mas não é absoluto, pois há
uma grande variação nas cronologias e na relação
que as sociedades e grupos humanos criaram com o
tempo.
CRONOLOGIA
Calendários  A passagem do tempo costuma ser
organizada através de calendários, povos diferentes
construíram os mais variados calendários ao longo
dos tempos, pois utilizaram referências de suas
próprias culturas e costumes.
Povos antigos como chineses,
sumérios e egípcios já
possuíam seus calendários
por volta de 2.000 anos antes
de Cristo.
CRONOLOGIA
O atual calendário cristão é o Gregoriano, que foi
adotado em 1582 após uma correção do calendário
que era até então utilizado pelos cristão.
1
Referência: Nascimento de Cristo
a.C (Antes de Cristo) d.C (Depois de Cristo)
CONTAGEM DECRESCENTE CONTAGEM CRESCENTE
CRONOLOGIA
É muito comum vermos referências aos séculos, que
em nosso caso precisam dos seguintes cuidados:
1 9 7 5Número de centenas
+ 1
19 + 1 = 20
1) 2)
2 0 0 0Ano terminado com dois zeros
Neste caso, o próprio
número de centenas já
indica o século
2 0
5775
1
3761
1
622
4382
2015
1394
HEBRAICO
CRISTÃO
ISLÂMICO
Calendários ANO ATUAL
CRONOLOGIA
Além dos calendários, os usos cotidianos influem
sobre contagens baseadas nos hábitos da sociedade
(como o emprego de noções como “horário
comercial”) ou através das referências aos períodos:
• Curta duração  Fatos históricos determinados
ou referidos por datas específicas;
• Média duração  Episódios como a Revolução
Francesa (1789-1799), a Segunda Guerra Mundial
(1942-1945);
• Longa duração  Eras inteiras e longos períodos
nos quais se desenvolveram vários fatos.
CRONOLOGIA
A periodização é um recurso artificial que divide
contextos de longa duração, sendo variável conforme
a opção adotada conforme referências culturais e
históricas distintas.
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
O conhecimento histórico é favorecido por diversos
estudos e técnicas de outras ciências e
especialidades:
1. Arqueologia:
Disciplina científica
que estuda as
culturas e os modos
de vida do passado a
partir da análise de
vestígios materiais
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
1. Arqueologia
Arqueologia subaquática
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
2. Paleontologia: Estuda os
fósseis e ossadas
3. Epigrafia: Estuda a escrita
antiga em material pesado
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
4. Paleografia: Estuda a escrita
antiga em materiais leves
(papiros, pergaminhos,
couro...)
5. Codicologia: estudo dos
documentos manuscritos
ou impressos, tanto em
pergaminho como em
papel, encadernados em
formato de livro (códice)
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
6. Numismática:
Estuda moedas
antigas
7. Heráldica: Estuda brasões,
escudos e insígnias
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
8. Genealogia e onomástica: Estudam a origem,
evolução e disseminação das famílias e respectivos
sobrenomes ou apelidos
9. Sigilografia: Estuda selos
apostos nos documentos
para os autenticar
10. Vexilologia: Estuda
bandeiras, estandartes e
insígnias
CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA
Além das ciências, técnicas e especialidades que
estudam fontes históricas, também são importantes
as auxiliares que contribuem para o desenvolvimento
da interpretação histórica: Antropologia, Sociologia,
Filosofia, Economia, Psicologia, Geografia...
TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA
A verificação das fontes é importante para o
desenvolvimento da pesquisa realizada por um
historiador, sendo necessário o trabalho de crítica das
fontes para:
 Assegurar a autenticidade do material
pesquisado;
 Contextualizar a documentação;
 Identificar a relevância do material para a
pesquisa.
TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA
• A historiografia é a arte ou o modo de escrever a
História ou o estudo crítico da História, sendo a
produção do conhecimento histórico sujeita a
transformações e influências.
• O historiador interpreta a analisa os fatos
históricos a partir de suas referências teóricas,
metodológicas e também ideológicas, pois não é
um agente neutro, isolado ou totalmente
imparcial.
TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA
O conhecimento histórico ao longo dos anos ocorreu
dentro de contextos e a partir de perspectivas
variadas, sendo identificadas algumas “escola
históricas”.
• História Positivista: Pretendia oferecer um
conhecimento “incontestável” e buscava a
“verdade histórica”, sendo influenciada pelos
métodos das ciências exatas.
TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA
• História Marxista: Influenciada pelo pensamento
do filósofo Karl Marx, tem como característica o
desenvolvimento de estudos e interpretações que
trazem – entre outros – princípios como os
conflitos entre classes sociais e seus fatores sobre a
organização social.
TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA
• Escola dos Annalles: Surgiu na França, trazendo
uma variada possibilidade de interpretações,
sendo influenciada por vários campos dos estudos
sociais e buscando abordar os “problemas” para
analisar os fatos históricos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
Daniel Alves Bronstrup
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
Paulo Alexandre
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
Daniel Alves Bronstrup
 
Introdução ao estudo de História
Introdução ao estudo de HistóriaIntrodução ao estudo de História
Introdução ao estudo de História
Alex Ferreira dos Santos
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
Nefer19
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
Paulo Alexandre
 
1 história, cultura, patrimônio e tempo
1   história, cultura, patrimônio e tempo1   história, cultura, patrimônio e tempo
1 história, cultura, patrimônio e tempo
Marilia Pimentel
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
Douglas Barraqui
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
joana71
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
alinemaiahistoria
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
Daniel Alves Bronstrup
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
carlosbidu
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
Dirair
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
Eloy Souza
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
Paulo Alexandre
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Portal do Vestibulando
 
Introdução aos estudos históricos
Introdução aos estudos históricosIntrodução aos estudos históricos
Introdução aos estudos históricos
Professor Marcelo
 
Totalitarismo
TotalitarismoTotalitarismo
Totalitarismo
Priscila Azeredo
 
Aula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anosAula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anos
Carlos Néri
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga

Mais procurados (20)

2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.2° ano EM - Revolução Industrial.
2° ano EM - Revolução Industrial.
 
Introdução à história
Introdução à históriaIntrodução à história
Introdução à história
 
1° ano aula slide - feudalismo
1° ano   aula slide - feudalismo1° ano   aula slide - feudalismo
1° ano aula slide - feudalismo
 
Introdução ao estudo de História
Introdução ao estudo de HistóriaIntrodução ao estudo de História
Introdução ao estudo de História
 
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
As Grandes Navegações - 7º Ano (2016)
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
1 história, cultura, patrimônio e tempo
1   história, cultura, patrimônio e tempo1   história, cultura, patrimônio e tempo
1 história, cultura, patrimônio e tempo
 
América portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasilAmérica portuguesa a colonização do brasil
América portuguesa a colonização do brasil
 
Civilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-ColombianasCivilizações Pré-Colombianas
Civilizações Pré-Colombianas
 
O que é historia
O que é historiaO que é historia
O que é historia
 
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 19183ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
3ºano - Primeira Guerra Mundial - 1914 a 1918
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 
Idade média
Idade médiaIdade média
Idade média
 
História 6º ano
História 6º anoHistória 6º ano
História 6º ano
 
Imperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismoImperialismo e neocolonialismo
Imperialismo e neocolonialismo
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
 
Introdução aos estudos históricos
Introdução aos estudos históricosIntrodução aos estudos históricos
Introdução aos estudos históricos
 
Totalitarismo
TotalitarismoTotalitarismo
Totalitarismo
 
Aula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anosAula fontes históricas- 6º anos
Aula fontes históricas- 6º anos
 
Roma Antiga
Roma AntigaRoma Antiga
Roma Antiga
 

Semelhante a Introdução aos estudos históricos

Módulo 0
Módulo 0Módulo 0
Módulo 0
cattonia
 
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
Marilia Pimentel
 
Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos  Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos
Mariana Willendorff Oliveira
 
História, fontes e historiadores
História, fontes e historiadoresHistória, fontes e historiadores
História, fontes e historiadores
Ivanilton Junior
 
A ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxA ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptx
FlviaCristina51
 
Historia fontes historicas
Historia fontes historicasHistoria fontes historicas
Historia fontes historicas
Loredana Ruffo
 
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricosPrevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
Rodrigo Ferreira
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
Privada
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
Privada
 
Aula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptx
Aula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptxAula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptx
Aula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptx
IrisneideMaximo1
 
O que e_a_historia
O que e_a_historiaO que e_a_historia
O que e_a_historia
Ana Cristina F
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
Vítor Santos
 
O que é historia?
O que é historia? O que é historia?
O que é historia?
REYSDS
 
Aula 01 construcao da historia
Aula 01   construcao da historiaAula 01   construcao da historia
Aula 01 construcao da historia
Janaina Flavia Santos Azevedo
 
História como ciência
História como ciênciaHistória como ciência
História como ciência
JoaquimCarvalho1984
 
Actividade 3 trabalho individual
Actividade 3  trabalho individualActividade 3  trabalho individual
Actividade 3 trabalho individual
guest04a61a49
 
A ciência histórica
A ciência históricaA ciência histórica
A ciência histórica
cattonia
 
Introdução aos Estudos Históricos
Introdução aos Estudos HistóricosIntrodução aos Estudos Históricos
Introdução aos Estudos Históricos
EM Pedra Branca
 
Introdução a historia
Introdução a historiaIntrodução a historia
Introdução a historia
Marcio Cicchelli
 
História conceitos
História   conceitosHistória   conceitos
História conceitos
Neryvann Cliff
 

Semelhante a Introdução aos estudos históricos (20)

Módulo 0
Módulo 0Módulo 0
Módulo 0
 
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio1   tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
1 tempo e historia - 1ºano do Ensino Médio
 
Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos  Aula de introdução aos estudos Históricos
Aula de introdução aos estudos Históricos
 
História, fontes e historiadores
História, fontes e historiadoresHistória, fontes e historiadores
História, fontes e historiadores
 
A ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptxA ciência histórica.pptx
A ciência histórica.pptx
 
Historia fontes historicas
Historia fontes historicasHistoria fontes historicas
Historia fontes historicas
 
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricosPrevupe - Introdução aos estudos históricos
Prevupe - Introdução aos estudos históricos
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
 
Revisão galielu
Revisão galieluRevisão galielu
Revisão galielu
 
Aula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptx
Aula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptxAula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptx
Aula II - Fato histórico, sujeito histórico, a história.pptx
 
O que e_a_historia
O que e_a_historiaO que e_a_historia
O que e_a_historia
 
0_história_A.pdf
0_história_A.pdf0_história_A.pdf
0_história_A.pdf
 
O que é historia?
O que é historia? O que é historia?
O que é historia?
 
Aula 01 construcao da historia
Aula 01   construcao da historiaAula 01   construcao da historia
Aula 01 construcao da historia
 
História como ciência
História como ciênciaHistória como ciência
História como ciência
 
Actividade 3 trabalho individual
Actividade 3  trabalho individualActividade 3  trabalho individual
Actividade 3 trabalho individual
 
A ciência histórica
A ciência históricaA ciência histórica
A ciência histórica
 
Introdução aos Estudos Históricos
Introdução aos Estudos HistóricosIntrodução aos Estudos Históricos
Introdução aos Estudos Históricos
 
Introdução a historia
Introdução a historiaIntrodução a historia
Introdução a historia
 
História conceitos
História   conceitosHistória   conceitos
História conceitos
 

Mais de Paulo Alexandre

Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Paulo Alexandre
 
El idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de BrasilEl idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de Brasil
Paulo Alexandre
 
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
 LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
Paulo Alexandre
 
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBESNATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
Paulo Alexandre
 
Saludos en Quéchua
Saludos en QuéchuaSaludos en Quéchua
Saludos en Quéchua
Paulo Alexandre
 
El Guarani en Paraguay
El Guarani en ParaguayEl Guarani en Paraguay
El Guarani en Paraguay
Paulo Alexandre
 
Espelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricosEspelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricos
Paulo Alexandre
 
Conectaaí
ConectaaíConectaaí
Conectaaí
Paulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
Paulo Alexandre
 
Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2
Paulo Alexandre
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
Paulo Alexandre
 
Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2
Paulo Alexandre
 
Responsabilidade social
Responsabilidade socialResponsabilidade social
Responsabilidade social
Paulo Alexandre
 
Subdesenvolvimento
SubdesenvolvimentoSubdesenvolvimento
Subdesenvolvimento
Paulo Alexandre
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Paulo Alexandre
 
Comunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadaniaComunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadania
Paulo Alexandre
 

Mais de Paulo Alexandre (20)

Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1Calendário escolar 2021.xlsx - 1
Calendário escolar 2021.xlsx - 1
 
El idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de BrasilEl idioma de los indígenas de Brasil
El idioma de los indígenas de Brasil
 
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
 LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
LA LENGUA NATIVA DE LOS PUEBLOS ANDINOS
 
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBESNATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
NATIVE AMERICANS CHEROKEE TRIBES
 
Saludos en Quéchua
Saludos en QuéchuaSaludos en Quéchua
Saludos en Quéchua
 
El Guarani en Paraguay
El Guarani en ParaguayEl Guarani en Paraguay
El Guarani en Paraguay
 
Espelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricosEspelhos planos e esféricos
Espelhos planos e esféricos
 
Conectaaí
ConectaaíConectaaí
Conectaaí
 
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 1 (JAMBOARD)
 
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 2 (jAMBOARD)
 
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
FILOSOFIA 1 (jAMBOARD)
 
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 3 (JAMBOARD)
 
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
SOCIOLOGIA 2 (JAMBOARD)
 
Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2Citoplasma - parte 2
Citoplasma - parte 2
 
Geometria molecular
Geometria molecularGeometria molecular
Geometria molecular
 
Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2Citoplasma parte 2
Citoplasma parte 2
 
Responsabilidade social
Responsabilidade socialResponsabilidade social
Responsabilidade social
 
Subdesenvolvimento
SubdesenvolvimentoSubdesenvolvimento
Subdesenvolvimento
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
Comunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadaniaComunidade sociedade e cidadania
Comunidade sociedade e cidadania
 

Último

Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
jonny615148
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
Deiciane Chaves
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
ThiagoRORISDASILVA1
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
Ailton Barcelos
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FredFringeFringeDola
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
y6zh7bvphf
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
Manuais Formação
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 

Último (20)

Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicosDNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
DNA e RNA - Estrutura dos Ácidos nucleicos
 
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptxCLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
CLASSIFICAÇÃO DAS ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS 9º ANO.pptx
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdfsaid edward w - orientalismo. livro de história pdf
said edward w - orientalismo. livro de história pdf
 
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdfUFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
UFCD_4667_Preparação e confeção de molhos e fundos de cozinha_índice.pdf
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
2009_Apresentação-ufscar- TCC - AILTON.ppt
 
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
FICHA DE APOIO DE ESCOLA SECUNDÁRIA 2024
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
SLIDE LIÇÃO 10 - DESENVOLVENDO UMA CONSCIÊNCIA DE SANTIDADE - TEXTO ÁUREO...
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
UFCD_7211_Os sistemas do corpo humano_ imunitário, circulatório, respiratório...
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 

Introdução aos estudos históricos

  • 1. I Unidade 1. Introdução aos estudos históricos Livro didático: Capítulo 1
  • 2. História é a ciência que estuda as mudanças e as permanências verificadas nas sociedades, além da experiência humana através dos tempos. O QUE É HISTÓRIA?
  • 3.  No estudo da História, ao você compreender o que ocorreu no passado, você entenderá os eventos que ocorrem no presente e as possibilidades para o futuro.  Diante da percepção acima, a História contribui para desenvolvermos consciência sobre os papéis desempenhados pelos indivíduos e grupos e no processo de transformação que está em curso na sociedade. POR QUE ESTUDAR HISTÓRIA?
  • 4. A PESQUISA HISTÓRICA ἱστορία Junção dos termos “his” + “oren”, indicando a ideia de “aprender com o olhar” ou “testemunhar”, mais tarde o termo foi empregado por Heródoto como “pesquisa” ou “investigação“, sentido aprimorado por Tucídides. Heródoto de Halicarnasso (Ἡρόδοτος) 484 a.C. - 425 a.C. Tucídides (Θουκυδίδης) 460 a.C. - 395 a.C.
  • 5. A PESQUISA HISTÓRICA As fontes Históricas • Elementos materiais e imateriais do passado que contribuem para a investigação feita pelos historiadores. • A partir delas são buscadas informações por meio de cuidadosos estudos sobre o que significam e pela interpretação do que elas podem informar.
  • 6. A PESQUISA HISTÓRICA • Fontes escritas: Certidões, cartas, testamentos, livros, jornais, revistas, entre outros. • Fontes imagéticas ou visuais: Imagens, pinturas, fotografias, anúncios de publicidade, entre outros. • Fontes orais: Registros de entrevistas ou relatos falados. • Cultura material, fontes arqueológicas ou não- escritas: Artefatos cotidianos, armas, ruínas, sepulturas, etc.
  • 7. FATOS HISTÓRICOS São os objetos de estudo da História • São singulares; • São irreversíveis; • Possuem repercussão social.
  • 8. FATOS HISTÓRICOS Os historiadores desenvolvem seus estudos, apresentam suas ideias sobre os fatos históricos, mas elas não são expressões definitivas da Verdade. • Anacronismo: Emprego de conceitos e ideias de uma época para analisar os fatos de outro tempo. • Etnocentrismo: Considerar o seu grupo étnico ou cultura o centro de tudo, portanto, num plano mais importante que as outras culturas e sociedades.
  • 9. CULTURA “Todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro da sociedade” (Edward Burnett Tylor) CULTURA MATERIAL CULTURA IMATERIAL Artefatos e elementos físicos (artesanato, vestuário, utensílios...) Expressões e manifestações de conhecimento, hábitos e tradições (mitos, danças, hábitos...)
  • 10. CRONOLOGIA É o conjunto de conhecimentos sobre as medições do tempo, que é uma dimensão da História. O tempo é universal, mas não é absoluto, pois há uma grande variação nas cronologias e na relação que as sociedades e grupos humanos criaram com o tempo.
  • 11. CRONOLOGIA Calendários  A passagem do tempo costuma ser organizada através de calendários, povos diferentes construíram os mais variados calendários ao longo dos tempos, pois utilizaram referências de suas próprias culturas e costumes. Povos antigos como chineses, sumérios e egípcios já possuíam seus calendários por volta de 2.000 anos antes de Cristo.
  • 12. CRONOLOGIA O atual calendário cristão é o Gregoriano, que foi adotado em 1582 após uma correção do calendário que era até então utilizado pelos cristão. 1 Referência: Nascimento de Cristo a.C (Antes de Cristo) d.C (Depois de Cristo) CONTAGEM DECRESCENTE CONTAGEM CRESCENTE
  • 13. CRONOLOGIA É muito comum vermos referências aos séculos, que em nosso caso precisam dos seguintes cuidados: 1 9 7 5Número de centenas + 1 19 + 1 = 20 1) 2) 2 0 0 0Ano terminado com dois zeros Neste caso, o próprio número de centenas já indica o século 2 0
  • 15. CRONOLOGIA Além dos calendários, os usos cotidianos influem sobre contagens baseadas nos hábitos da sociedade (como o emprego de noções como “horário comercial”) ou através das referências aos períodos: • Curta duração  Fatos históricos determinados ou referidos por datas específicas; • Média duração  Episódios como a Revolução Francesa (1789-1799), a Segunda Guerra Mundial (1942-1945); • Longa duração  Eras inteiras e longos períodos nos quais se desenvolveram vários fatos.
  • 16. CRONOLOGIA A periodização é um recurso artificial que divide contextos de longa duração, sendo variável conforme a opção adotada conforme referências culturais e históricas distintas.
  • 17. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA O conhecimento histórico é favorecido por diversos estudos e técnicas de outras ciências e especialidades: 1. Arqueologia: Disciplina científica que estuda as culturas e os modos de vida do passado a partir da análise de vestígios materiais
  • 18. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA 1. Arqueologia Arqueologia subaquática
  • 19. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA 2. Paleontologia: Estuda os fósseis e ossadas 3. Epigrafia: Estuda a escrita antiga em material pesado
  • 20. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA 4. Paleografia: Estuda a escrita antiga em materiais leves (papiros, pergaminhos, couro...) 5. Codicologia: estudo dos documentos manuscritos ou impressos, tanto em pergaminho como em papel, encadernados em formato de livro (códice)
  • 21. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA 6. Numismática: Estuda moedas antigas 7. Heráldica: Estuda brasões, escudos e insígnias
  • 22. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA 8. Genealogia e onomástica: Estudam a origem, evolução e disseminação das famílias e respectivos sobrenomes ou apelidos 9. Sigilografia: Estuda selos apostos nos documentos para os autenticar 10. Vexilologia: Estuda bandeiras, estandartes e insígnias
  • 23. CIÊNCIAS AUXILIARES DA HISTÓRIA Além das ciências, técnicas e especialidades que estudam fontes históricas, também são importantes as auxiliares que contribuem para o desenvolvimento da interpretação histórica: Antropologia, Sociologia, Filosofia, Economia, Psicologia, Geografia...
  • 24. TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA A verificação das fontes é importante para o desenvolvimento da pesquisa realizada por um historiador, sendo necessário o trabalho de crítica das fontes para:  Assegurar a autenticidade do material pesquisado;  Contextualizar a documentação;  Identificar a relevância do material para a pesquisa.
  • 25. TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA • A historiografia é a arte ou o modo de escrever a História ou o estudo crítico da História, sendo a produção do conhecimento histórico sujeita a transformações e influências. • O historiador interpreta a analisa os fatos históricos a partir de suas referências teóricas, metodológicas e também ideológicas, pois não é um agente neutro, isolado ou totalmente imparcial.
  • 26. TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA O conhecimento histórico ao longo dos anos ocorreu dentro de contextos e a partir de perspectivas variadas, sendo identificadas algumas “escola históricas”. • História Positivista: Pretendia oferecer um conhecimento “incontestável” e buscava a “verdade histórica”, sendo influenciada pelos métodos das ciências exatas.
  • 27. TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA • História Marxista: Influenciada pelo pensamento do filósofo Karl Marx, tem como característica o desenvolvimento de estudos e interpretações que trazem – entre outros – princípios como os conflitos entre classes sociais e seus fatores sobre a organização social.
  • 28. TEORIAS E MÉTODOS DA HISTÓRIA • Escola dos Annalles: Surgiu na França, trazendo uma variada possibilidade de interpretações, sendo influenciada por vários campos dos estudos sociais e buscando abordar os “problemas” para analisar os fatos históricos.