SlideShare uma empresa Scribd logo
 Especialistas em crescimento da admitem que é difícil
explicar com precisão por que algumas congregações
crescem e outras não.
 Contudo, expertes do gabarito de Peter Wagner, Christian
Schwarz e Ken Hemp-hill vêm estudando esse fenômeno em
diferentes países e culturas, e desenvolveram vários
modelos de igrejas sadias e em crescimento
 Nesta apresentação será feita uma análise desses estudos,
aliada a observações experimentais diretas, indicam que tais
congregações tomaram 10 iniciativas específicas.
 As Igrejas que crescem têm líderes visionários
 Otimista que aceleram
 Concentram e Dirigem todas as atividades na visão de Deus
 Trabalham no sentido de crescimento
 Geram entusiasmo
 São Mutáveis, para atender as necessidades da Igreja
 São Treinadores
 Kirk Hadaway, pesquisador e analista de crescimento
de igreja, diz:
“Não são necessários dons e capacidades
extraordinárias para pastorear uma igreja em
crescimento. Não é preciso ser um orador dinâmico
ou um mestre em administração. Por outro lado, ele
deve estar comprometido no sentido de alcançar os
perdidos e desenvolver os membros.”
 O Espírito Santo concede aos membros variados dons.
 O papel do líder é “simplesmente ajudar os membros da
igreja a descobrirem e reconhecerem os dons que Deus lhes
deu, e acharem um serviço consonante com esses dons.
 Quando os crentes vivem em conformidade com seus dons
espirituais, eles não trabalham segundo seus próprios
esforços, mas o Espírito de Deus opera neles.
 Um estudo revelou que 68% dos membros de igrejas em
crescimento disseram: “As tarefas que desempenho na igreja
estão de acordo com meus dons.” Em congregações
estagnadas, somente 9% harmonizam-se com essa declaração.
 Gottfried Oosterwal salienta que um dos fatores básicos por
trás do crescimento mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia
é a mobilização dos membros leigos e a satisfação das
necessidades do povo ao qual ministram.
 Muitos grupos com doutrinas errôneas registram crescimento
elevado basicamente por causa de seu entusiasmo para
espalhar a mensagem. “O entusiasmo com o qual a fé é
vivida... quase sempre acompanha o entusiasmo por sua
própria igreja”, e isso produz crescimento.
 O método de Cristo para o evangelismo é espalhar o
“testemunho” (Mateus 24:14). A “ousadia” de pregar o
evangelho era uma das marcas do crescimento da igreja
primitiva (Atos 4:13, 31; 13:46; 14:3; 19:8; I Tessalonicenses
2:2).
 As igrejas que crescem têm suas prioridades arranjadas
segundo a ordem bíblica: relacionamento com Deus,
relacionamento com a igreja local, e dedicação ao trabalho da
igreja. No trabalho da igreja o evangelismo é a prioridade, vindo
depois o envolvimento social.
 Ademais, segundo Roger Finke e Rodney Stark, que analisaram
o crescimento da igreja nos Estados Unidos de 1776 a 1990, as
igrejas deixaram de crescer quando “rejeitaram as doutrinas
tradicionais e cessaram de ser exigentes com seus
seguidores”.
 Schwarz observa: “Nossa pesquisa teve êxito em demonstrar e
atestar que o fenômeno doentio do tradicionalismo... está numa
relação inversa tanto com o crescimento como com a qualidade
das igrejas”.
 A estrutura afeta o crescimento da igreja. Os especialistas
notam dois tipos de estrutura: a funcional e a tradicional.
 O que prejudica a igreja não são as tradições embasadas na
Bíblia, mas o tradicionalismo que a impede de realizar as
mudanças necessárias para continuar crescendo.
 Depois de estudar as maiores congregações do mundo, John
N. Vaughan declarou que “quase toda igreja grande tornou-se
assim porque deu passos corajosos no sentido de se
reorganizar ao longo da vereda do crescimento”.16
 Os estudos de Schwarz demonstraram que as
igrejas que crescem têm “um culto inspirador”. “A
questão se o culto produziu uma experiência
inspiradora está na proporção direta de seu
crescimento qualitativo e quantitativo.”
 Em congregações crescentes, 80% de seus
membros disseram que o culto em suas igrejas têm
sido uma experiência inspiradora; mas somente 49%
disseram o mesmo em igrejas estagnadas.
 Se um ponto se destaca como o mais importante para o
crescimento da igreja, esse é o princípio da multiplicação celular.
 O estudo de Schwarz mostrou que quanto mais decisiva é a
prática de pequenos grupos, tanto mais rápido é o crescimento da
igreja.
 Ellen White declara: “A formação de pequenos grupos como base
do trabalho cristão foi-me apresentado por Um que não pode errar.
Se há um grande número na igreja, que os membros sejam
formados em pequenos grupos, para trabalharem não só a favor
dos membros da igreja, mas também pelos descrentes. Se num
lugar houver apenas dois ou três que conheçam a verdade, que
eles se organizem num grupo de obreiros”.
 A amizade é um fator importante que afeta o crescimento da
igreja. Sua ausência causa apostasia e sua presença encoraja a
volta daqueles que estiveram fora.
 Estudos recentes em congregações adventistas hispânicas, no
sul da Califórnia, revelaram que a motivação para a abertura de
uma nova igreja ou ministérios é a amizade e o nível espiritual
dos membros fundadores. A amizade era como magnetismo para
atrair e conservar novos membros.
 O riso entre os crentes tem uma relação significativa com a
qualidade e crescimento da igreja. Nas congregações em
crescimento, 68% dos membros asseguram que “em nossa
igreja rimos bastante”. Nas igrejas em declínio somente 33%
disseram o mesmo.
 A transformação de membro em discípulo é um fator
importante em congregações crescentes.
 Quanto mais eficaz o processo de fazer discípulos,
tanto mais pujante é o crescimento da igreja.
 Não importa qual o método usado no discipulado,
desde que ele seja motivado pelo amor e serviço para
criar novos ministérios e igrejas. “A metodologia
evangelística mais eficaz debaixo do céu é plantar
novas igrejas”.
 “As igrejas ao redor do mundo e através da história têm crescido
basicamente entre uma espécie de gente de cada vez, e isso indica
que continuarão crescendo desse modo até que o Senhor volte”
Peter Wagner, p.56
 As igrejas bem-sucedidas são compostas de um grupo
regularmente homogêneo, ou valorizaram todos os grupos dentro
da igreja.
 Para cristãos cheios do Espírito, a questão não é igrejas
homogêneas ou heterogêneas, mas crescimento de igreja que
promove uma missão com propósito, camaradagem com amor, e
evangelismo com alimentação constante.
 Qualquer congregação que busque crescimento não pode ignorar
essas dez caraterísticas. O ponto principal é que não há um fator
isolado que resulte no crescimento de membros, mas a operação
harmoniosa de diversas caraterísticas visando a um só propósito.
 As igrejas bem-sucedidas sabem que só Deus produz o verdadeiro
crescimento (I Coríntios 3:6). O crescimento natural da igreja
continuará a ser uma obra sobrenatural como o crescimento de
uma planta.
 O planejamento e a atividade humana têm seu lugar, mas o fator
decisivo continuará sendo a obra misteriosa e poderosa do
Espírito Santo.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Liderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixãoLiderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixão
Fernando Balthar
 
A armadura de_deus_completa
A armadura de_deus_completaA armadura de_deus_completa
A armadura de_deus_completa
Anderson Silvério
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
TH
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Rodrigo Ribeiro
 
Planejando a igreja local
Planejando a igreja localPlanejando a igreja local
Planejando a igreja local
Gilson Barbosa
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
igrejafecrista
 
Liderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentaçãoLiderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentação
Junior Cesar Santiago
 
Estudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e OfertasEstudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e Ofertas
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
Luciana Lisboa
 
Planejamento estratégico para igrejas
Planejamento estratégico para igrejasPlanejamento estratégico para igrejas
Planejamento estratégico para igrejas
Natalino das Neves Neves
 
Estudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da IgrejaEstudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da Igreja
Daniel Junior
 
O valor do perdão
O valor do perdãoO valor do perdão
O valor do perdão
Quenia Damata
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
Sandra Dias
 
A função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igrejaA função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igreja
Pr. Carlos Magno Ramos
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Éder Tomé
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
Eid Marques
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Christian Lepelletier
 
A importância das células
A  importância das célulasA  importância das células
A importância das células
Wildete Silva
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Robson Santana
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
Pedro no Piel
 

Mais procurados (20)

Liderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixãoLiderando a célula com paixão
Liderando a célula com paixão
 
A armadura de_deus_completa
A armadura de_deus_completaA armadura de_deus_completa
A armadura de_deus_completa
 
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
Aula #001 Dons do Espírito Santo[2011]
 
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
Evangelismo   conteúdo, método e motivação.Evangelismo   conteúdo, método e motivação.
Evangelismo conteúdo, método e motivação.
 
Planejando a igreja local
Planejando a igreja localPlanejando a igreja local
Planejando a igreja local
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
Liderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentaçãoLiderança cristã apresentação
Liderança cristã apresentação
 
Estudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e OfertasEstudo Dízimos e Ofertas
Estudo Dízimos e Ofertas
 
Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1Introdução à Teologia Sistemática 1
Introdução à Teologia Sistemática 1
 
Planejamento estratégico para igrejas
Planejamento estratégico para igrejasPlanejamento estratégico para igrejas
Planejamento estratégico para igrejas
 
Estudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da IgrejaEstudo para a Liderança da Igreja
Estudo para a Liderança da Igreja
 
O valor do perdão
O valor do perdãoO valor do perdão
O valor do perdão
 
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUSA NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
A NATUREZA DA IGREJA DE JESUS
 
A função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igrejaA função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igreja
 
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de CristoLição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
Lição 14 - Vivendo com a Mente de Cristo
 
Série Igreja A igreja que queremos ser
Série Igreja   A igreja que queremos serSérie Igreja   A igreja que queremos ser
Série Igreja A igreja que queremos ser
 
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidadeDiscipulado um-a-um crescimento com qualidade
Discipulado um-a-um crescimento com qualidade
 
A importância das células
A  importância das célulasA  importância das células
A importância das células
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
 
Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15Um estudo em ii timóteo 2:15
Um estudo em ii timóteo 2:15
 

Destaque

Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Jamesson Cardozo
 
1 números representam pessoas
1   números representam pessoas1   números representam pessoas
1 números representam pessoas
José Santos
 
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
7   os dirigentes capacitados e o crescimento7   os dirigentes capacitados e o crescimento
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
José Santos
 
2 as enfermidades eclesiasticas
2   as enfermidades eclesiasticas2   as enfermidades eclesiasticas
2 as enfermidades eclesiasticas
José Santos
 
4 o evangelismo e o crescimento
4   o evangelismo e o crescimento4   o evangelismo e o crescimento
4 o evangelismo e o crescimento
José Santos
 
Projeto comunitário parte 2
Projeto comunitário   parte 2Projeto comunitário   parte 2
Projeto comunitário parte 2
José Santos
 
Projeto comunitário parte 1
Projeto comunitário   parte 1Projeto comunitário   parte 1
Projeto comunitário parte 1
José Santos
 
Jesus, meu modelo (jm) mm
Jesus, meu modelo (jm)   mmJesus, meu modelo (jm)   mm
Jesus, meu modelo (jm) mm
Gérson Fagundes da Cunha
 
6 a congregação equipada e o crescimento
6   a congregação equipada e o crescimento6   a congregação equipada e o crescimento
6 a congregação equipada e o crescimento
José Santos
 
3 o espirito santo e o crescimento
3   o espirito santo e o crescimento3   o espirito santo e o crescimento
3 o espirito santo e o crescimento
José Santos
 
5 a liderança pastoral e o crescimento
5    a liderança pastoral e o crescimento5    a liderança pastoral e o crescimento
5 a liderança pastoral e o crescimento
José Santos
 
Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Jamesson Cardozo
 
Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Jamesson Cardozo
 
Obreiros Evangélicos (OE)
Obreiros Evangélicos (OE)Obreiros Evangélicos (OE)
Obreiros Evangélicos (OE)
Gérson Fagundes da Cunha
 
O que você ainda está esperando
O que você ainda está esperandoO que você ainda está esperando
O que você ainda está esperando
Eid Marques
 
Arminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismoArminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismo
Marcelo Mardson Souza Lima E Silva
 

Destaque (16)

Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 7 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
 
1 números representam pessoas
1   números representam pessoas1   números representam pessoas
1 números representam pessoas
 
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
7   os dirigentes capacitados e o crescimento7   os dirigentes capacitados e o crescimento
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
 
2 as enfermidades eclesiasticas
2   as enfermidades eclesiasticas2   as enfermidades eclesiasticas
2 as enfermidades eclesiasticas
 
4 o evangelismo e o crescimento
4   o evangelismo e o crescimento4   o evangelismo e o crescimento
4 o evangelismo e o crescimento
 
Projeto comunitário parte 2
Projeto comunitário   parte 2Projeto comunitário   parte 2
Projeto comunitário parte 2
 
Projeto comunitário parte 1
Projeto comunitário   parte 1Projeto comunitário   parte 1
Projeto comunitário parte 1
 
Jesus, meu modelo (jm) mm
Jesus, meu modelo (jm)   mmJesus, meu modelo (jm)   mm
Jesus, meu modelo (jm) mm
 
6 a congregação equipada e o crescimento
6   a congregação equipada e o crescimento6   a congregação equipada e o crescimento
6 a congregação equipada e o crescimento
 
3 o espirito santo e o crescimento
3   o espirito santo e o crescimento3   o espirito santo e o crescimento
3 o espirito santo e o crescimento
 
5 a liderança pastoral e o crescimento
5    a liderança pastoral e o crescimento5    a liderança pastoral e o crescimento
5 a liderança pastoral e o crescimento
 
Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 1 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
 
Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
Boas novas para você - lição 2 - Igreja Multiplicadora - Igreja Batista da Lu...
 
Obreiros Evangélicos (OE)
Obreiros Evangélicos (OE)Obreiros Evangélicos (OE)
Obreiros Evangélicos (OE)
 
O que você ainda está esperando
O que você ainda está esperandoO que você ainda está esperando
O que você ainda está esperando
 
Arminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismoArminianismo x calvinismo
Arminianismo x calvinismo
 

Semelhante a 1 porque algumas igrejas crescem

Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
efalves
 
Mobilização da Igreja (1)
Mobilização da Igreja (1)Mobilização da Igreja (1)
Mobilização da Igreja (1)
Francisco A Salerno Neto
 
9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd
9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd
9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd
Pastor Eldo
 
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
DanielSantana688069
 
Pregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdf
Pregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdfPregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdf
Pregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdf
Benjamim Martins A. Filho
 
Pregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdf
Pregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdfPregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdf
Pregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdf
Benjamim Martins A. Filho
 
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos GruposApostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Christian Lepelletier
 
Treinamento para lideres de célula pr aber huber
Treinamento para lideres de célula   pr aber huberTreinamento para lideres de célula   pr aber huber
Treinamento para lideres de célula pr aber huber
Josimar Santos
 
Comoreavivaraigreja pg
Comoreavivaraigreja pgComoreavivaraigreja pg
Comoreavivaraigreja pg
Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
TLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.ATLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.A
KENNEDY771062
 
principio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdf
principio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdfprincipio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdf
principio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdf
AntnioMarcos49
 
03 principio-da-plantacao-de-igrejas
03 principio-da-plantacao-de-igrejas03 principio-da-plantacao-de-igrejas
03 principio-da-plantacao-de-igrejas
Herisson Gonçalves
 
O-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptxO-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptx
IvairCampos1
 
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e MissãoEspecial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
uniaolestebrasileira
 
A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!
mario nunes
 
Igreja simples
Igreja simplesIgreja simples
Igreja simples
Nilton Barros
 
Alvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidadeAlvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidade
Geraldo Pinheiro
 
Alvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidadeAlvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidade
Geraldo Pinheiro
 
Uma visão bíblica da liderança
Uma visão bíblica da liderançaUma visão bíblica da liderança
Uma visão bíblica da liderança
Viva a Igreja
 
Ministérios e suas Funções
Ministérios e suas Funções Ministérios e suas Funções
Ministérios e suas Funções
Agnaldo Souza
 

Semelhante a 1 porque algumas igrejas crescem (20)

Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Mobilização da Igreja (1)
Mobilização da Igreja (1)Mobilização da Igreja (1)
Mobilização da Igreja (1)
 
9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd
9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd
9 MARCAS GET grande igreja boa igreja sd
 
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
9 Marcas de uma igreja saudável - aula.pdf
 
Pregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdf
Pregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdfPregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdf
Pregacao poderosa para o crescimento da igreja Capa.pdf
 
Pregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdf
Pregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdfPregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdf
Pregação poderosa para o crescimento da Igreja.pdf
 
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos GruposApostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
Apostila Treinamento de Líderes de Células - Pequenos Grupos
 
Treinamento para lideres de célula pr aber huber
Treinamento para lideres de célula   pr aber huberTreinamento para lideres de célula   pr aber huber
Treinamento para lideres de célula pr aber huber
 
Comoreavivaraigreja pg
Comoreavivaraigreja pgComoreavivaraigreja pg
Comoreavivaraigreja pg
 
TLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.ATLC NIVEL M.D.A
TLC NIVEL M.D.A
 
principio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdf
principio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdfprincipio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdf
principio-da-plantacao-de-igrejas-200416232136.pdf
 
03 principio-da-plantacao-de-igrejas
03 principio-da-plantacao-de-igrejas03 principio-da-plantacao-de-igrejas
03 principio-da-plantacao-de-igrejas
 
O-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptxO-que-e-a-Igreja.pptx
O-que-e-a-Igreja.pptx
 
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e MissãoEspecial Comunhão Relacionamento e Missão
Especial Comunhão Relacionamento e Missão
 
A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!A igreja que queremos ser!
A igreja que queremos ser!
 
Igreja simples
Igreja simplesIgreja simples
Igreja simples
 
Alvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidadeAlvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidade
 
Alvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidadeAlvos de oração oito marcas de qualidade
Alvos de oração oito marcas de qualidade
 
Uma visão bíblica da liderança
Uma visão bíblica da liderançaUma visão bíblica da liderança
Uma visão bíblica da liderança
 
Ministérios e suas Funções
Ministérios e suas Funções Ministérios e suas Funções
Ministérios e suas Funções
 

Mais de José Santos

A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕESA doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
José Santos
 
A data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de JesusA data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de Jesus
José Santos
 
Juízo investigativo
Juízo investigativoJuízo investigativo
Juízo investigativo
José Santos
 
Estrutura do santuário
Estrutura do santuárioEstrutura do santuário
Estrutura do santuário
José Santos
 
Doutrina do santuário
Doutrina do santuárioDoutrina do santuário
Doutrina do santuário
José Santos
 
A doutrina do santuário
A doutrina do santuárioA doutrina do santuário
A doutrina do santuário
José Santos
 
Dia da expiação
Dia da expiaçãoDia da expiação
Dia da expiação
José Santos
 
Teologia de números
Teologia de númerosTeologia de números
Teologia de números
José Santos
 
Teologia de levíticos
Teologia de levíticosTeologia de levíticos
Teologia de levíticos
José Santos
 
Teologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioTeologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômio
José Santos
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesis
José Santos
 
Teologia de êxodo
Teologia de êxodoTeologia de êxodo
Teologia de êxodo
José Santos
 
Apresentação do santuário
Apresentação do santuárioApresentação do santuário
Apresentação do santuário
José Santos
 
Autoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateucoAutoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateuco
José Santos
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesis
José Santos
 
Subordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da TrindadeSubordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da Trindade
José Santos
 
A natureza humana de Cristo
A natureza humana de CristoA natureza humana de Cristo
A natureza humana de CristoJosé Santos
 
Aula 11 as crises da iasd 2
Aula 11   as crises da iasd 2Aula 11   as crises da iasd 2
Aula 11 as crises da iasd 2
José Santos
 
Aula 10 as crises da iasd 1
Aula 10   as crises da iasd 1Aula 10   as crises da iasd 1
Aula 10 as crises da iasd 1
José Santos
 
Aula 9 missões adventistas
Aula 9   missões adventistasAula 9   missões adventistas
Aula 9 missões adventistas
José Santos
 

Mais de José Santos (20)

A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕESA doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
 
A data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de JesusA data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de Jesus
 
Juízo investigativo
Juízo investigativoJuízo investigativo
Juízo investigativo
 
Estrutura do santuário
Estrutura do santuárioEstrutura do santuário
Estrutura do santuário
 
Doutrina do santuário
Doutrina do santuárioDoutrina do santuário
Doutrina do santuário
 
A doutrina do santuário
A doutrina do santuárioA doutrina do santuário
A doutrina do santuário
 
Dia da expiação
Dia da expiaçãoDia da expiação
Dia da expiação
 
Teologia de números
Teologia de númerosTeologia de números
Teologia de números
 
Teologia de levíticos
Teologia de levíticosTeologia de levíticos
Teologia de levíticos
 
Teologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioTeologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômio
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesis
 
Teologia de êxodo
Teologia de êxodoTeologia de êxodo
Teologia de êxodo
 
Apresentação do santuário
Apresentação do santuárioApresentação do santuário
Apresentação do santuário
 
Autoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateucoAutoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateuco
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesis
 
Subordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da TrindadeSubordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da Trindade
 
A natureza humana de Cristo
A natureza humana de CristoA natureza humana de Cristo
A natureza humana de Cristo
 
Aula 11 as crises da iasd 2
Aula 11   as crises da iasd 2Aula 11   as crises da iasd 2
Aula 11 as crises da iasd 2
 
Aula 10 as crises da iasd 1
Aula 10   as crises da iasd 1Aula 10   as crises da iasd 1
Aula 10 as crises da iasd 1
 
Aula 9 missões adventistas
Aula 9   missões adventistasAula 9   missões adventistas
Aula 9 missões adventistas
 

Último

A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
JaquelineSantosBasto
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
André Luiz Marques
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
REFORMADOR PROTESTANTE
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
Nilson Almeida
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 

Último (15)

A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdfEstudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
Estudo Biblico deuteronomio PowerPoint.pdf
 
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo DiaFesta das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
Festa das Primícias - Igreja Adventista do Sétimo Dia
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicosSEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
SEGREDOS DO APOCALIPSE - o apocalipse através de olhos hebraicos
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Salmo 91
Salmo 91Salmo 91
Salmo 91
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
a futura religião da nova ordem mundial.
a  futura religião da nova ordem mundial.a  futura religião da nova ordem mundial.
a futura religião da nova ordem mundial.
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 

1 porque algumas igrejas crescem

  • 1.
  • 2.  Especialistas em crescimento da admitem que é difícil explicar com precisão por que algumas congregações crescem e outras não.  Contudo, expertes do gabarito de Peter Wagner, Christian Schwarz e Ken Hemp-hill vêm estudando esse fenômeno em diferentes países e culturas, e desenvolveram vários modelos de igrejas sadias e em crescimento  Nesta apresentação será feita uma análise desses estudos, aliada a observações experimentais diretas, indicam que tais congregações tomaram 10 iniciativas específicas.
  • 3.  As Igrejas que crescem têm líderes visionários  Otimista que aceleram  Concentram e Dirigem todas as atividades na visão de Deus  Trabalham no sentido de crescimento  Geram entusiasmo  São Mutáveis, para atender as necessidades da Igreja  São Treinadores
  • 4.  Kirk Hadaway, pesquisador e analista de crescimento de igreja, diz: “Não são necessários dons e capacidades extraordinárias para pastorear uma igreja em crescimento. Não é preciso ser um orador dinâmico ou um mestre em administração. Por outro lado, ele deve estar comprometido no sentido de alcançar os perdidos e desenvolver os membros.”
  • 5.  O Espírito Santo concede aos membros variados dons.  O papel do líder é “simplesmente ajudar os membros da igreja a descobrirem e reconhecerem os dons que Deus lhes deu, e acharem um serviço consonante com esses dons.  Quando os crentes vivem em conformidade com seus dons espirituais, eles não trabalham segundo seus próprios esforços, mas o Espírito de Deus opera neles.
  • 6.  Um estudo revelou que 68% dos membros de igrejas em crescimento disseram: “As tarefas que desempenho na igreja estão de acordo com meus dons.” Em congregações estagnadas, somente 9% harmonizam-se com essa declaração.  Gottfried Oosterwal salienta que um dos fatores básicos por trás do crescimento mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia é a mobilização dos membros leigos e a satisfação das necessidades do povo ao qual ministram.
  • 7.  Muitos grupos com doutrinas errôneas registram crescimento elevado basicamente por causa de seu entusiasmo para espalhar a mensagem. “O entusiasmo com o qual a fé é vivida... quase sempre acompanha o entusiasmo por sua própria igreja”, e isso produz crescimento.  O método de Cristo para o evangelismo é espalhar o “testemunho” (Mateus 24:14). A “ousadia” de pregar o evangelho era uma das marcas do crescimento da igreja primitiva (Atos 4:13, 31; 13:46; 14:3; 19:8; I Tessalonicenses 2:2).
  • 8.  As igrejas que crescem têm suas prioridades arranjadas segundo a ordem bíblica: relacionamento com Deus, relacionamento com a igreja local, e dedicação ao trabalho da igreja. No trabalho da igreja o evangelismo é a prioridade, vindo depois o envolvimento social.  Ademais, segundo Roger Finke e Rodney Stark, que analisaram o crescimento da igreja nos Estados Unidos de 1776 a 1990, as igrejas deixaram de crescer quando “rejeitaram as doutrinas tradicionais e cessaram de ser exigentes com seus seguidores”.
  • 9.  Schwarz observa: “Nossa pesquisa teve êxito em demonstrar e atestar que o fenômeno doentio do tradicionalismo... está numa relação inversa tanto com o crescimento como com a qualidade das igrejas”.  A estrutura afeta o crescimento da igreja. Os especialistas notam dois tipos de estrutura: a funcional e a tradicional.  O que prejudica a igreja não são as tradições embasadas na Bíblia, mas o tradicionalismo que a impede de realizar as mudanças necessárias para continuar crescendo.  Depois de estudar as maiores congregações do mundo, John N. Vaughan declarou que “quase toda igreja grande tornou-se assim porque deu passos corajosos no sentido de se reorganizar ao longo da vereda do crescimento”.16
  • 10.  Os estudos de Schwarz demonstraram que as igrejas que crescem têm “um culto inspirador”. “A questão se o culto produziu uma experiência inspiradora está na proporção direta de seu crescimento qualitativo e quantitativo.”  Em congregações crescentes, 80% de seus membros disseram que o culto em suas igrejas têm sido uma experiência inspiradora; mas somente 49% disseram o mesmo em igrejas estagnadas.
  • 11.  Se um ponto se destaca como o mais importante para o crescimento da igreja, esse é o princípio da multiplicação celular.  O estudo de Schwarz mostrou que quanto mais decisiva é a prática de pequenos grupos, tanto mais rápido é o crescimento da igreja.  Ellen White declara: “A formação de pequenos grupos como base do trabalho cristão foi-me apresentado por Um que não pode errar. Se há um grande número na igreja, que os membros sejam formados em pequenos grupos, para trabalharem não só a favor dos membros da igreja, mas também pelos descrentes. Se num lugar houver apenas dois ou três que conheçam a verdade, que eles se organizem num grupo de obreiros”.
  • 12.  A amizade é um fator importante que afeta o crescimento da igreja. Sua ausência causa apostasia e sua presença encoraja a volta daqueles que estiveram fora.  Estudos recentes em congregações adventistas hispânicas, no sul da Califórnia, revelaram que a motivação para a abertura de uma nova igreja ou ministérios é a amizade e o nível espiritual dos membros fundadores. A amizade era como magnetismo para atrair e conservar novos membros.  O riso entre os crentes tem uma relação significativa com a qualidade e crescimento da igreja. Nas congregações em crescimento, 68% dos membros asseguram que “em nossa igreja rimos bastante”. Nas igrejas em declínio somente 33% disseram o mesmo.
  • 13.  A transformação de membro em discípulo é um fator importante em congregações crescentes.  Quanto mais eficaz o processo de fazer discípulos, tanto mais pujante é o crescimento da igreja.  Não importa qual o método usado no discipulado, desde que ele seja motivado pelo amor e serviço para criar novos ministérios e igrejas. “A metodologia evangelística mais eficaz debaixo do céu é plantar novas igrejas”.
  • 14.  “As igrejas ao redor do mundo e através da história têm crescido basicamente entre uma espécie de gente de cada vez, e isso indica que continuarão crescendo desse modo até que o Senhor volte” Peter Wagner, p.56  As igrejas bem-sucedidas são compostas de um grupo regularmente homogêneo, ou valorizaram todos os grupos dentro da igreja.  Para cristãos cheios do Espírito, a questão não é igrejas homogêneas ou heterogêneas, mas crescimento de igreja que promove uma missão com propósito, camaradagem com amor, e evangelismo com alimentação constante.
  • 15.  Qualquer congregação que busque crescimento não pode ignorar essas dez caraterísticas. O ponto principal é que não há um fator isolado que resulte no crescimento de membros, mas a operação harmoniosa de diversas caraterísticas visando a um só propósito.  As igrejas bem-sucedidas sabem que só Deus produz o verdadeiro crescimento (I Coríntios 3:6). O crescimento natural da igreja continuará a ser uma obra sobrenatural como o crescimento de uma planta.  O planejamento e a atividade humana têm seu lugar, mas o fator decisivo continuará sendo a obra misteriosa e poderosa do Espírito Santo.