SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Baixar para ler offline
Teologia de
Levíticos
• Levítico permanece no coração da Torah.
• Como usar o santuário recém erguido
(linguagem prossegural).
• Êxodo termina com “onde Deus deve ser
adorado”. Levítico focaliza sobre “como
Deus deve ser adorado”.
• Os sacrifícios eram a provisão de Deus
pela qual o relacionamento especial do
concerto poderia ser mantido.
• Elementos essenciais para uma nação
existir:
–Pessoas - Gn 12:10–Ex 19
–Lei - Ex 20–Num 10:10
–Terra - Nm 10:11–Js 24
• Levítico é parte da jornada
• O período inteiro da instrução no livro
dura cronologicamente um mês (Ex 40:1,
17; Nm 1:1).
Título do livro
• Em Hebraico – ar"q.YIw:
• Nas obras rabínicas posteriores e na Peshitta –
~ynIh]Ko tr;AT
• Na LXX - ΛΕΥΙΤΙΚΟΝ
• Na Vulgata – Leuitikon
Estrutura Literária
a. Sacrifícios b. Leis
Justificação Santificação
Cap. 16: dia da expiação (centro)
11-15: Purificação 17-19,22: diversas leis
8-10: evento histórico:
instalação do sacerdócio
20-21: requisitos para o
sacerdócio: como devem ser
7: procedimentos do sacerdote
aos oferecer sacrifícios
23: festas
5b-6: ofertas pela culpa 25:sábados e jubileus
4-5a: ofertas pela culpa 26: bênçãos e maldições
1-3: sacrifícios especiais 27: resposta do povo-voto
• A principal preocupação de Lv 1-6 é a
contínua presença de Deus no meio da nação
pecaminosa, enquanto Lv 17-27 registra o
efeito da presença de Deus sobre a
congregação.
• Levítico, então, reflete os dez mandamentos
(relação com Deus e com o próximo).
Por que estudar Levítico?
• Os conteúdos do livro, talvez mais do
que qualquer outro livro da Bíblia,
parecem tão removidos da vida diária do
cristão contemporâneo que muitos são
tentados a evitá-los.
Desde que o livro de Levítico está
grandemente interessado com a
preservação do relacionamento da
aliança, os princípios e a teologia das
passagens são diretamente aplicáveis à
vida espiritual contemporânea.
Temas
teológicos
Santidade
• A raiz “santo” (vdq) ocorre mais do que 150
vezes no livro.
• Santidade de Deus e santidade do povo (Lv
20:26)
• Pode ser visto como tema central do livro
• Comunhão e santidade
“Se eu tivesse que escolher entre todas
as bênçãos que pudesse imaginar,
escolheria a perfeita conformidade
com o Senhor Jesus, ou, em uma
palavra, santidade.”
Charles Spurgeon
Sacrifício
• Mesmo sendo o ato central da adoração
israelita não é possível traçar a partir do
AT uma teologia do sacrifício.
• Sacrifício no AOP
–Alimentar o Deus
–Auto centrado
– Enquanto no mundo pagão os sacrifícios eram
algo que os deuses precisavam, em Israel eram
algo que o povo precisava.
• Sacrifício em Israel
– Do ponto de vista teológico, os sacrifícios e ofertas
podem ser divididos em expiação ou propiciação,
dom (consagração) e comunhão.
– Embora todos possuam no cerne um aspecto
expiatório.
• Tipos de ofertas
–(1) Holocaustos (ofertas queimadas)'Olah.
–(2) Ofertas de Manjares, Minhâ.
–(3) Ofertas Pacíficas, Shelamîm.
–(4) Ofertas pela culpa
–(5) Ofertas pelo pecado, hata'at.
• Sacerdote (novilho)
• Congregação (novilho)
• Príncipes (bode)
• Indivíduo (cabra ou cordeiro)
Expiação
• Expiação e perdão
• O termo diz respeito à necessidade de
reconciliação no relacionamento entre Deus e
o homem. A expiação se torna necessária pela
universalidade do pecado, a seriedade do
pecado e a inabilidade do homem em
removê-lo ou lidar com ele.
• Etimologia da palavra Kapar –
– (1) cobrir (arábico);
– (2) purgar, limpar (akadiano) – Is 27:9; Jr 18:23;
– (3) denominativo da raiz (rp,Ko) que significa
resgate (Ex 21:30).
• Expiação e sangue (Lv 17:11)
– O sangue (vida) da vítima está sendo oferecida no
lugar do adorador. O conceito de substituição é
fundamental para entender o sistema sacrifical
israelita.
• É importante entender que todos os pecados
poderiam ser expiados no período do Antigo
Testamento, incluindo [v;P,
• A exceção era o pecado de “mão erguida”
(hm'r" dy"B.) (Nm 15:27–31; Hb 10:26–31).
• Assim, expiação é o modo de Deus lidar com o
problema do pecado de seu povo.
• Os sacrifícios do AT foram finalmente
validados pelo sacrifício de Cristo.
• Qualquer graça que os sacrifícios do AT
transmitiam era o resultado do sacrifício
de Cristo que eles prefiguravam.
• Expiação e arrependimento
– Há uma justaposição entre confissão e sacrifício
(Lv 5:5; 16:21).
– A atitude do coração ou a disposição espiritual era
crítica se o perdão e a expiação devesse acontecer.
– Por que o pecado de mão erguida não tinha
perdão (Nm 15:30-31)?
• O perdão não pode existir onde não há
arrependimento.
Nenhum pleito por perdão poderia ser sincero,
se não houvesse renúncia do pecado no
coração; nenhum clamor por purificação
poderia ter qualquer significado, se houvesse
ainda o propósito de renovar o ato pecaminoso;
nehuma oração por comunhão poderia ser
genuinamente expressa por um sacrifício, se
não houvesse desejo de andar em hamonia com
a vontade de Deus (H.H. Rowley).
• Pecados para os quais não havia previsão
de sacrifícios.
• A experiência de Davi – adultério e
assassinato eram pecados capitais (Sl
51:16-17).
• A denúncia dos profetas
• Expiação no NT - Tipologia
(Mt 26:28; Mc 10:45; Jo 1:29; Rm 4:25; 8:3; 1
Cr 5:7; Ef 5:2; Hb 1:3; 9:14; 10:10, 19–20; 1 Pe
1:19; 2:24; 1 Jo 2:2)
• Hebreus – o livro de Levítico do NT
• Comunhão e sacrifício expiatório
–Adoração sem sacrifício é inconcebível.
–É por meio do sacrifício que Deis pode
cumprir a promessa abraâmica “eu serei o
seu Deus” (Gn 17:8).
• Levítico na Teologia Bíblica
–A lei, a santidade, os sacrifícios, o
tabernáculo – todos elementos essenciais de
Levítico – são como correntes que fluem
através da história bíblica até que
convirjam na pessoa do Messias, Jesus
Cristo.
Considerações sobre o ritual do
santuário
• Diário
• Transferência de pecado (sangue –
congregação e sacerdote e consumo da
carne – príncipes e indivíduos)
• Sacrifício da tarde da manhã
• Anual: Lv 16
Considerações sobre as leis de santidade
• Abrangência
– Todas as esferas da vida estão relacionadas com o
Deus que habita no Santuário. Fazia parte da
pedagogia divina ao ensinar a santidade,
relacioná-la com todos os aspectos da vida. O
israelita devia viver consciente de que cada
dimensão de sua existência deveria refletir a
santidade de Deus que se expressa de forma
concreta no santuário.
• A lei não fazia distinção alguma entre o
bem-estar físico e a vitalidade espiritual,
exaltando um às expensas da outra, mas,
sim exigia que o verdadeiro israelita
fosse uma pessoa integrada cuja
espiritualidade envolvesse todas as áreas
da vida.
Leis
• Leis morais (18-20) – princípios absolutos e
incondicionais
– proibição da idolatria (19:4),
– relações sexuais ilícitas, incesto (18:6),
bestialidade (20:15,16).
– Mandamentos positivos sobre o amor ao
próximo (19:18), e ordens para evitar
costumes que estavam conectados com o culto
dos pagãos (19:27,28).Admoestações para ser
honesto (19:35,36).
• Leis da saúde
–Em um sentido abrangente todos os
regulamentos de Levítico contribuíam para
que o povo de Deus tivesse uma saúde
muito melhor do que os povos pagãos da
época. As próprias leis cerimoniais
traziam em si mesmas, prescrições que
visavam a preservação da boa saúde.
–Lv 11
• Leis cerimoniais
–Lepra (14:1-5); parto (12:1-8);
menstruação (15:19); fluxo corporal
(15:2,25), emissão de sêmem(15:16);
relação sexual (15:18)
Objetivos das leis cerimoniais
(1) Ensinar ao povo de Deus um conceito holístico
de santidade. Isto fazia parte da pedagogia divina.
O povo de Israel não desenvolveria um percepção
clara da santidade, amenos que esta estivesse vinculada
a todas as dimensões da vida.
(2) Motivos higiênicos. No caso da lepra evitava-se que
uma epidemia se espalhasse.
(3) Nestas leis havia uma dimenção humanitária,
especilmente no caso da mulher durante os dias da
menstruação. É um período de desconforto para a
maioria das mulheres. As leis rituais que as
tornavam imundas, e também aquilo que elas
tocavam, davam-lhes a oportunidade de
descansarem.
(4) O fato de que a emissão de sêmem ou relações
sexuais tornassem as pessoas ritualmente imundas
eram um antídoto contra qualquer envolvimento nos
cultos da fertilidade. Ou mesmo contra a
influência destes cultos na liturgia do santuário
• Feitas estas considerações, emerge uma
questão hermenêutica da mais absoluta
importância: Quais leis continuam em
vigor? Quais devem ser obedecidas e quais
não?
• Neste caso qual o critério hermenêutico para
decidir entre umas e outras?
Impureza Essencial x Impureza
Adquirida
• As impurezas adquiridas para cuja
remoção era necessário um sacrifício foram
purificadas definitivamente pelo sacrifício
perfeito de Cristo na cruz. E as impurezas
essenciais não estavam ligadas a aspectos
meramente cerimoniais, mas dizem respeito a
alimentos impróprios para o consumo
humano por prejudicarem a saúde. Estas
impurezas não foram removidas pela cruz.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraGesiel Oliveira
 
Lição 01 - O Livro de Levítico
Lição 01 - O Livro de LevíticoLição 01 - O Livro de Levítico
Lição 01 - O Livro de LevíticoÉder Tomé
 
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e LamentaçõesPanorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e LamentaçõesRespirando Deus
 
Livros historicos 1
Livros historicos 1Livros historicos 1
Livros historicos 1uziel-silva
 
Lição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de ManjaresLição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de ManjaresÉder Tomé
 
Aula 04 e 05 provérbios
Aula 04 e 05   provérbiosAula 04 e 05   provérbios
Aula 04 e 05 provérbiosPastor W. Costa
 
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)Robson Tavares Fernandes
 
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)Robson Tavares Fernandes
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de NúmerosÉlida Rolim
 
Lição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpaLição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpaÉder Tomé
 
Lição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiaçãoLição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiaçãoÉder Tomé
 
Panorama do AT - Números
Panorama do AT - NúmerosPanorama do AT - Números
Panorama do AT - NúmerosRespirando Deus
 
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)Robson Tavares Fernandes
 

Mais procurados (20)

Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza OliveiraPentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
Pentateuco (lições 1 e 2) - EETAD - Pr Gesiel de Souza Oliveira
 
Lição 01 - O Livro de Levítico
Lição 01 - O Livro de LevíticoLição 01 - O Livro de Levítico
Lição 01 - O Livro de Levítico
 
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e LamentaçõesPanorama do AT - Jeremias e Lamentações
Panorama do AT - Jeremias e Lamentações
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
Livros historicos 1
Livros historicos 1Livros historicos 1
Livros historicos 1
 
Lição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de ManjaresLição 03 - A Oferta de Manjares
Lição 03 - A Oferta de Manjares
 
Aula 04 e 05 provérbios
Aula 04 e 05   provérbiosAula 04 e 05   provérbios
Aula 04 e 05 provérbios
 
O pentateuco
O pentateucoO pentateuco
O pentateuco
 
Panorama do AT - Daniel
Panorama do AT - DanielPanorama do AT - Daniel
Panorama do AT - Daniel
 
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)42   Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
42 Estudo Panorâmico da Bíblia (Números)
 
Panorama do AT - Josué
Panorama do AT - JosuéPanorama do AT - Josué
Panorama do AT - Josué
 
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)48   Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
48 Estudo Panorâmico da Bíblia (II Samuel)
 
O Livro de Números
O Livro de NúmerosO Livro de Números
O Livro de Números
 
PENTATEUCO - Aula 01
PENTATEUCO - Aula 01PENTATEUCO - Aula 01
PENTATEUCO - Aula 01
 
Lição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpaLição 6 - O sacrifício pela culpa
Lição 6 - O sacrifício pela culpa
 
Lição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiaçãoLição 2 - O sacrifício da expiação
Lição 2 - O sacrifício da expiação
 
Panorama do AT - Números
Panorama do AT - NúmerosPanorama do AT - Números
Panorama do AT - Números
 
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)59   Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
59 Estudo Panorâmico da Bíblia (o livro de Salmos - parte 1)
 
Salmos -AULA 03
Salmos -AULA 03Salmos -AULA 03
Salmos -AULA 03
 
24. Os poéticos: Salmos
24. Os poéticos: Salmos24. Os poéticos: Salmos
24. Os poéticos: Salmos
 

Destaque

5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levíticombrandao7
 
Aula 5 - Levítico
Aula 5 - LevíticoAula 5 - Levítico
Aula 5 - Levíticoibrdoamor
 
03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles
03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles
03. El libro de Levitico - Jeronimo PerlesJeronimoPerlesMoreno
 
Clase 4 - Levítico, Números y Deuteronomio
Clase 4 - Levítico, Números y DeuteronomioClase 4 - Levítico, Números y Deuteronomio
Clase 4 - Levítico, Números y DeuteronomioHugo Almanza
 
LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...
LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...
LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...Osvaldo Gomes Cruz
 
Apresentação do santuário
Apresentação do santuárioApresentação do santuário
Apresentação do santuárioJosé Santos
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesisJosé Santos
 
Autoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateucoAutoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateucoJosé Santos
 
Teologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioTeologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioJosé Santos
 
O livro de êxodo e o cativeiro de Israel no Egito
O livro de êxodo e o cativeiro de Israel no EgitoO livro de êxodo e o cativeiro de Israel no Egito
O livro de êxodo e o cativeiro de Israel no EgitoMoisés Sampaio
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
AlimentaçãoTorah
 
Teologia de números
Teologia de númerosTeologia de números
Teologia de númerosJosé Santos
 
Holocausto | Aquilo que sobe
Holocausto | Aquilo que sobeHolocausto | Aquilo que sobe
Holocausto | Aquilo que sobevagnermix
 
Animais limpos e imundos
Animais limpos e imundosAnimais limpos e imundos
Animais limpos e imundosAdão Bueno
 
05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles
05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles
05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo PerlesJeronimoPerlesMoreno
 
Teologia de êxodo
Teologia de êxodoTeologia de êxodo
Teologia de êxodoJosé Santos
 
04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles
04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles
04. El libro de Numeros - Jeronimo PerlesJeronimoPerlesMoreno
 

Destaque (20)

Levítico l1
Levítico l1Levítico l1
Levítico l1
 
5. levítico
5. levítico5. levítico
5. levítico
 
Aula 5 - Levítico
Aula 5 - LevíticoAula 5 - Levítico
Aula 5 - Levítico
 
03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles
03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles
03. El libro de Levitico - Jeronimo Perles
 
Clase 4 - Levítico, Números y Deuteronomio
Clase 4 - Levítico, Números y DeuteronomioClase 4 - Levítico, Números y Deuteronomio
Clase 4 - Levítico, Números y Deuteronomio
 
LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...
LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...
LEVÍTICO: O Livro de Levitico com Esboço - (LEVITICUS: The Book of Leviticus ...
 
Apresentação do santuário
Apresentação do santuárioApresentação do santuário
Apresentação do santuário
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesis
 
Autoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateucoAutoria mosaica do pentateuco
Autoria mosaica do pentateuco
 
Teologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômioTeologia de deuteronômio
Teologia de deuteronômio
 
O livro de êxodo e o cativeiro de Israel no Egito
O livro de êxodo e o cativeiro de Israel no EgitoO livro de êxodo e o cativeiro de Israel no Egito
O livro de êxodo e o cativeiro de Israel no Egito
 
Alimentação
AlimentaçãoAlimentação
Alimentação
 
Teologia de números
Teologia de númerosTeologia de números
Teologia de números
 
Perguntas e Respostas
Perguntas e RespostasPerguntas e Respostas
Perguntas e Respostas
 
Holocausto | Aquilo que sobe
Holocausto | Aquilo que sobeHolocausto | Aquilo que sobe
Holocausto | Aquilo que sobe
 
Animais limpos e imundos
Animais limpos e imundosAnimais limpos e imundos
Animais limpos e imundos
 
05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles
05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles
05. El libro de Deuteronomio - Jerónimo Perles
 
Levítico
LevíticoLevítico
Levítico
 
Teologia de êxodo
Teologia de êxodoTeologia de êxodo
Teologia de êxodo
 
04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles
04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles
04. El libro de Numeros - Jeronimo Perles
 

Semelhante a Teologia de levíticos

EBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptxEBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptxDouglasMoraes54
 
Livro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betelLivro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betelEmerson1711
 
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
Licao 1   3 t - 2018 - cpadLicao 1   3 t - 2018 - cpad
Licao 1 3 t - 2018 - cpadjoseelionardo
 
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao SenhorLição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao SenhorÉder Tomé
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoNatalino das Neves Neves
 
Aula 4 gálatas e efésios
Aula 4   gálatas e efésiosAula 4   gálatas e efésios
Aula 4 gálatas e efésiosPastor W. Costa
 
Desiderio Desideravi: formação litúrgica
Desiderio Desideravi: formação litúrgicaDesiderio Desideravi: formação litúrgica
Desiderio Desideravi: formação litúrgicaCarlosRavi1
 
1. Introdução do curso teologia do corpo
1. Introdução do curso teologia do corpo1. Introdução do curso teologia do corpo
1. Introdução do curso teologia do corpoWebExecutivo1
 
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICOPENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICORubens Sohn
 
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7Natalino das Neves Neves
 
Manual de Liturgia Assembleiana
Manual de Liturgia AssembleianaManual de Liturgia Assembleiana
Manual de Liturgia AssembleianaPaulo Dias
 

Semelhante a Teologia de levíticos (20)

Dei verbum
Dei verbumDei verbum
Dei verbum
 
14
1414
14
 
Disciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto BíblicoDisciplina O Culto Bíblico
Disciplina O Culto Bíblico
 
EBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptxEBD - Levítico - Aula 1.pptx
EBD - Levítico - Aula 1.pptx
 
Livro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betelLivro de Levitico 1t-2018-betel
Livro de Levitico 1t-2018-betel
 
Um culto bem preparado
Um culto bem preparadoUm culto bem preparado
Um culto bem preparado
 
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
Licao 1   3 t - 2018 - cpadLicao 1   3 t - 2018 - cpad
Licao 1 3 t - 2018 - cpad
 
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao SenhorLição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
Lição 1 - Levítico, Adoração e Serviço ao Senhor
 
Os Sacrifícios
Os SacrifíciosOs Sacrifícios
Os Sacrifícios
 
Louvor e adoração
Louvor e adoraçãoLouvor e adoração
Louvor e adoração
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
 
Aula 4 gálatas e efésios
Aula 4   gálatas e efésiosAula 4   gálatas e efésios
Aula 4 gálatas e efésios
 
Desiderio Desideravi: formação litúrgica
Desiderio Desideravi: formação litúrgicaDesiderio Desideravi: formação litúrgica
Desiderio Desideravi: formação litúrgica
 
1. Introdução do curso teologia do corpo
1. Introdução do curso teologia do corpo1. Introdução do curso teologia do corpo
1. Introdução do curso teologia do corpo
 
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICOPENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
PENTATEUCO AULA 3 IBADEP BÁSICO
 
01 paroquia imaculadocoracao
01 paroquia imaculadocoracao01 paroquia imaculadocoracao
01 paroquia imaculadocoracao
 
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
Prostituição. a Perversão da Sexualidade_2019 LBJ 2 TRI Lição 7
 
Liturgia Fundamental - Celebração Litúrgica.pptx
Liturgia Fundamental - Celebração Litúrgica.pptxLiturgia Fundamental - Celebração Litúrgica.pptx
Liturgia Fundamental - Celebração Litúrgica.pptx
 
Manual de Liturgia Assembleiana
Manual de Liturgia AssembleianaManual de Liturgia Assembleiana
Manual de Liturgia Assembleiana
 
4º Aula do Pentateuco
4º Aula do Pentateuco4º Aula do Pentateuco
4º Aula do Pentateuco
 

Mais de José Santos

A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕESA doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕESJosé Santos
 
A data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de JesusA data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de JesusJosé Santos
 
Juízo investigativo
Juízo investigativoJuízo investigativo
Juízo investigativoJosé Santos
 
Estrutura do santuário
Estrutura do santuárioEstrutura do santuário
Estrutura do santuárioJosé Santos
 
Doutrina do santuário
Doutrina do santuárioDoutrina do santuário
Doutrina do santuárioJosé Santos
 
A doutrina do santuário
A doutrina do santuárioA doutrina do santuário
A doutrina do santuárioJosé Santos
 
3 o espirito santo e o crescimento
3   o espirito santo e o crescimento3   o espirito santo e o crescimento
3 o espirito santo e o crescimentoJosé Santos
 
6 a congregação equipada e o crescimento
6   a congregação equipada e o crescimento6   a congregação equipada e o crescimento
6 a congregação equipada e o crescimentoJosé Santos
 
1 porque algumas igrejas crescem
1    porque algumas igrejas crescem1    porque algumas igrejas crescem
1 porque algumas igrejas crescemJosé Santos
 
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
7   os dirigentes capacitados e o crescimento7   os dirigentes capacitados e o crescimento
7 os dirigentes capacitados e o crescimentoJosé Santos
 
1 números representam pessoas
1   números representam pessoas1   números representam pessoas
1 números representam pessoasJosé Santos
 
2 as enfermidades eclesiasticas
2   as enfermidades eclesiasticas2   as enfermidades eclesiasticas
2 as enfermidades eclesiasticasJosé Santos
 
4 o evangelismo e o crescimento
4   o evangelismo e o crescimento4   o evangelismo e o crescimento
4 o evangelismo e o crescimentoJosé Santos
 
Projeto comunitário parte 2
Projeto comunitário   parte 2Projeto comunitário   parte 2
Projeto comunitário parte 2José Santos
 
5 a liderança pastoral e o crescimento
5    a liderança pastoral e o crescimento5    a liderança pastoral e o crescimento
5 a liderança pastoral e o crescimentoJosé Santos
 
Projeto comunitário parte 1
Projeto comunitário   parte 1Projeto comunitário   parte 1
Projeto comunitário parte 1José Santos
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesisJosé Santos
 
Subordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da TrindadeSubordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da TrindadeJosé Santos
 
A natureza humana de Cristo
A natureza humana de CristoA natureza humana de Cristo
A natureza humana de CristoJosé Santos
 

Mais de José Santos (20)

A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕESA doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
A doutrina do santuário - MAIS INFORMAÇÕES
 
A data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de JesusA data judaica da morte de Jesus
A data judaica da morte de Jesus
 
Juízo investigativo
Juízo investigativoJuízo investigativo
Juízo investigativo
 
Estrutura do santuário
Estrutura do santuárioEstrutura do santuário
Estrutura do santuário
 
Doutrina do santuário
Doutrina do santuárioDoutrina do santuário
Doutrina do santuário
 
A doutrina do santuário
A doutrina do santuárioA doutrina do santuário
A doutrina do santuário
 
Dia da expiação
Dia da expiaçãoDia da expiação
Dia da expiação
 
3 o espirito santo e o crescimento
3   o espirito santo e o crescimento3   o espirito santo e o crescimento
3 o espirito santo e o crescimento
 
6 a congregação equipada e o crescimento
6   a congregação equipada e o crescimento6   a congregação equipada e o crescimento
6 a congregação equipada e o crescimento
 
1 porque algumas igrejas crescem
1    porque algumas igrejas crescem1    porque algumas igrejas crescem
1 porque algumas igrejas crescem
 
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
7   os dirigentes capacitados e o crescimento7   os dirigentes capacitados e o crescimento
7 os dirigentes capacitados e o crescimento
 
1 números representam pessoas
1   números representam pessoas1   números representam pessoas
1 números representam pessoas
 
2 as enfermidades eclesiasticas
2   as enfermidades eclesiasticas2   as enfermidades eclesiasticas
2 as enfermidades eclesiasticas
 
4 o evangelismo e o crescimento
4   o evangelismo e o crescimento4   o evangelismo e o crescimento
4 o evangelismo e o crescimento
 
Projeto comunitário parte 2
Projeto comunitário   parte 2Projeto comunitário   parte 2
Projeto comunitário parte 2
 
5 a liderança pastoral e o crescimento
5    a liderança pastoral e o crescimento5    a liderança pastoral e o crescimento
5 a liderança pastoral e o crescimento
 
Projeto comunitário parte 1
Projeto comunitário   parte 1Projeto comunitário   parte 1
Projeto comunitário parte 1
 
Teologia de gênesis
Teologia de gênesisTeologia de gênesis
Teologia de gênesis
 
Subordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da TrindadeSubordinacao entre os membros da Trindade
Subordinacao entre os membros da Trindade
 
A natureza humana de Cristo
A natureza humana de CristoA natureza humana de Cristo
A natureza humana de Cristo
 

Teologia de levíticos

  • 2. • Levítico permanece no coração da Torah. • Como usar o santuário recém erguido (linguagem prossegural). • Êxodo termina com “onde Deus deve ser adorado”. Levítico focaliza sobre “como Deus deve ser adorado”.
  • 3. • Os sacrifícios eram a provisão de Deus pela qual o relacionamento especial do concerto poderia ser mantido. • Elementos essenciais para uma nação existir: –Pessoas - Gn 12:10–Ex 19 –Lei - Ex 20–Num 10:10 –Terra - Nm 10:11–Js 24
  • 4. • Levítico é parte da jornada • O período inteiro da instrução no livro dura cronologicamente um mês (Ex 40:1, 17; Nm 1:1).
  • 5. Título do livro • Em Hebraico – ar"q.YIw: • Nas obras rabínicas posteriores e na Peshitta – ~ynIh]Ko tr;AT • Na LXX - ΛΕΥΙΤΙΚΟΝ • Na Vulgata – Leuitikon
  • 6. Estrutura Literária a. Sacrifícios b. Leis Justificação Santificação Cap. 16: dia da expiação (centro) 11-15: Purificação 17-19,22: diversas leis 8-10: evento histórico: instalação do sacerdócio 20-21: requisitos para o sacerdócio: como devem ser 7: procedimentos do sacerdote aos oferecer sacrifícios 23: festas 5b-6: ofertas pela culpa 25:sábados e jubileus 4-5a: ofertas pela culpa 26: bênçãos e maldições 1-3: sacrifícios especiais 27: resposta do povo-voto
  • 7. • A principal preocupação de Lv 1-6 é a contínua presença de Deus no meio da nação pecaminosa, enquanto Lv 17-27 registra o efeito da presença de Deus sobre a congregação. • Levítico, então, reflete os dez mandamentos (relação com Deus e com o próximo).
  • 8. Por que estudar Levítico? • Os conteúdos do livro, talvez mais do que qualquer outro livro da Bíblia, parecem tão removidos da vida diária do cristão contemporâneo que muitos são tentados a evitá-los.
  • 9. Desde que o livro de Levítico está grandemente interessado com a preservação do relacionamento da aliança, os princípios e a teologia das passagens são diretamente aplicáveis à vida espiritual contemporânea.
  • 11. Santidade • A raiz “santo” (vdq) ocorre mais do que 150 vezes no livro. • Santidade de Deus e santidade do povo (Lv 20:26) • Pode ser visto como tema central do livro • Comunhão e santidade
  • 12. “Se eu tivesse que escolher entre todas as bênçãos que pudesse imaginar, escolheria a perfeita conformidade com o Senhor Jesus, ou, em uma palavra, santidade.” Charles Spurgeon
  • 13. Sacrifício • Mesmo sendo o ato central da adoração israelita não é possível traçar a partir do AT uma teologia do sacrifício. • Sacrifício no AOP –Alimentar o Deus –Auto centrado
  • 14. – Enquanto no mundo pagão os sacrifícios eram algo que os deuses precisavam, em Israel eram algo que o povo precisava. • Sacrifício em Israel – Do ponto de vista teológico, os sacrifícios e ofertas podem ser divididos em expiação ou propiciação, dom (consagração) e comunhão. – Embora todos possuam no cerne um aspecto expiatório.
  • 15. • Tipos de ofertas –(1) Holocaustos (ofertas queimadas)'Olah. –(2) Ofertas de Manjares, Minhâ. –(3) Ofertas Pacíficas, Shelamîm. –(4) Ofertas pela culpa –(5) Ofertas pelo pecado, hata'at. • Sacerdote (novilho) • Congregação (novilho) • Príncipes (bode) • Indivíduo (cabra ou cordeiro)
  • 16. Expiação • Expiação e perdão • O termo diz respeito à necessidade de reconciliação no relacionamento entre Deus e o homem. A expiação se torna necessária pela universalidade do pecado, a seriedade do pecado e a inabilidade do homem em removê-lo ou lidar com ele.
  • 17. • Etimologia da palavra Kapar – – (1) cobrir (arábico); – (2) purgar, limpar (akadiano) – Is 27:9; Jr 18:23; – (3) denominativo da raiz (rp,Ko) que significa resgate (Ex 21:30). • Expiação e sangue (Lv 17:11) – O sangue (vida) da vítima está sendo oferecida no lugar do adorador. O conceito de substituição é fundamental para entender o sistema sacrifical israelita.
  • 18. • É importante entender que todos os pecados poderiam ser expiados no período do Antigo Testamento, incluindo [v;P, • A exceção era o pecado de “mão erguida” (hm'r" dy"B.) (Nm 15:27–31; Hb 10:26–31). • Assim, expiação é o modo de Deus lidar com o problema do pecado de seu povo.
  • 19. • Os sacrifícios do AT foram finalmente validados pelo sacrifício de Cristo. • Qualquer graça que os sacrifícios do AT transmitiam era o resultado do sacrifício de Cristo que eles prefiguravam.
  • 20. • Expiação e arrependimento – Há uma justaposição entre confissão e sacrifício (Lv 5:5; 16:21). – A atitude do coração ou a disposição espiritual era crítica se o perdão e a expiação devesse acontecer. – Por que o pecado de mão erguida não tinha perdão (Nm 15:30-31)? • O perdão não pode existir onde não há arrependimento.
  • 21. Nenhum pleito por perdão poderia ser sincero, se não houvesse renúncia do pecado no coração; nenhum clamor por purificação poderia ter qualquer significado, se houvesse ainda o propósito de renovar o ato pecaminoso; nehuma oração por comunhão poderia ser genuinamente expressa por um sacrifício, se não houvesse desejo de andar em hamonia com a vontade de Deus (H.H. Rowley).
  • 22. • Pecados para os quais não havia previsão de sacrifícios. • A experiência de Davi – adultério e assassinato eram pecados capitais (Sl 51:16-17).
  • 23. • A denúncia dos profetas • Expiação no NT - Tipologia (Mt 26:28; Mc 10:45; Jo 1:29; Rm 4:25; 8:3; 1 Cr 5:7; Ef 5:2; Hb 1:3; 9:14; 10:10, 19–20; 1 Pe 1:19; 2:24; 1 Jo 2:2) • Hebreus – o livro de Levítico do NT
  • 24. • Comunhão e sacrifício expiatório –Adoração sem sacrifício é inconcebível. –É por meio do sacrifício que Deis pode cumprir a promessa abraâmica “eu serei o seu Deus” (Gn 17:8).
  • 25. • Levítico na Teologia Bíblica –A lei, a santidade, os sacrifícios, o tabernáculo – todos elementos essenciais de Levítico – são como correntes que fluem através da história bíblica até que convirjam na pessoa do Messias, Jesus Cristo.
  • 26. Considerações sobre o ritual do santuário • Diário • Transferência de pecado (sangue – congregação e sacerdote e consumo da carne – príncipes e indivíduos) • Sacrifício da tarde da manhã • Anual: Lv 16
  • 27. Considerações sobre as leis de santidade • Abrangência – Todas as esferas da vida estão relacionadas com o Deus que habita no Santuário. Fazia parte da pedagogia divina ao ensinar a santidade, relacioná-la com todos os aspectos da vida. O israelita devia viver consciente de que cada dimensão de sua existência deveria refletir a santidade de Deus que se expressa de forma concreta no santuário.
  • 28. • A lei não fazia distinção alguma entre o bem-estar físico e a vitalidade espiritual, exaltando um às expensas da outra, mas, sim exigia que o verdadeiro israelita fosse uma pessoa integrada cuja espiritualidade envolvesse todas as áreas da vida.
  • 29. Leis • Leis morais (18-20) – princípios absolutos e incondicionais – proibição da idolatria (19:4), – relações sexuais ilícitas, incesto (18:6), bestialidade (20:15,16). – Mandamentos positivos sobre o amor ao próximo (19:18), e ordens para evitar costumes que estavam conectados com o culto dos pagãos (19:27,28).Admoestações para ser honesto (19:35,36).
  • 30. • Leis da saúde –Em um sentido abrangente todos os regulamentos de Levítico contribuíam para que o povo de Deus tivesse uma saúde muito melhor do que os povos pagãos da época. As próprias leis cerimoniais traziam em si mesmas, prescrições que visavam a preservação da boa saúde. –Lv 11
  • 31. • Leis cerimoniais –Lepra (14:1-5); parto (12:1-8); menstruação (15:19); fluxo corporal (15:2,25), emissão de sêmem(15:16); relação sexual (15:18)
  • 32. Objetivos das leis cerimoniais (1) Ensinar ao povo de Deus um conceito holístico de santidade. Isto fazia parte da pedagogia divina. O povo de Israel não desenvolveria um percepção clara da santidade, amenos que esta estivesse vinculada a todas as dimensões da vida. (2) Motivos higiênicos. No caso da lepra evitava-se que uma epidemia se espalhasse.
  • 33. (3) Nestas leis havia uma dimenção humanitária, especilmente no caso da mulher durante os dias da menstruação. É um período de desconforto para a maioria das mulheres. As leis rituais que as tornavam imundas, e também aquilo que elas tocavam, davam-lhes a oportunidade de descansarem. (4) O fato de que a emissão de sêmem ou relações sexuais tornassem as pessoas ritualmente imundas eram um antídoto contra qualquer envolvimento nos cultos da fertilidade. Ou mesmo contra a influência destes cultos na liturgia do santuário
  • 34. • Feitas estas considerações, emerge uma questão hermenêutica da mais absoluta importância: Quais leis continuam em vigor? Quais devem ser obedecidas e quais não? • Neste caso qual o critério hermenêutico para decidir entre umas e outras?
  • 35. Impureza Essencial x Impureza Adquirida • As impurezas adquiridas para cuja remoção era necessário um sacrifício foram purificadas definitivamente pelo sacrifício perfeito de Cristo na cruz. E as impurezas essenciais não estavam ligadas a aspectos meramente cerimoniais, mas dizem respeito a alimentos impróprios para o consumo humano por prejudicarem a saúde. Estas impurezas não foram removidas pela cruz.