SlideShare uma empresa Scribd logo

Aula: Hormônios vegetais (Power Point)

Bio
Bio

O documento descreve os principais hormônios vegetais, incluindo suas funções e locais de síntese. Os hormônios controlam o crescimento e desenvolvimento das plantas e incluem auxinas, citocininas, etileno, ácido abscísico e giberilinas. O documento também discute os processos de fototropismo e gravitropismo em plantas.

1 de 8
Baixar para ler offline
HORMÔNIOS
VEGETAIS
PROFESSOR VASCO
O crescimento e o desenvolvimento dos vegetais são
controlados por fatores ambientais externos (por exemplo, luz,
água e temperatura) e internos. Os principais fatores internos
são os hormônios que, através de sinais químicos, controlam
o metabolismo do vegetal. Eles são produzidos em diferentes
partes do corpo do vegetal e não em glândulas específicas,
como ocorre nos animais.
Os hormônios vegetais são também chamados de fitormônios.
Em geral, atuam em conjunto na regulação do metabolismo
vegetal. A seguir veremos os cinco tipos principais: auxinas,
citocininas, etileno, ácido abscísico e giberilinas.
Auxinas (AIA ou Ácido Indolacético)
a) Local de síntese: meristema apical, meristema caulinar, primórdios foliares,
folhas jovens e sementes em desenvolvimento.
b) Efeitos:
• Dominância apical: o ápice caulinar produz uma quantidade de auxina que inibe
o crescimento das gemas laterais. Quando este é podado, as gema laterais se
desenvolvem formando novos ramos.
• Desenvolvimento de raízes: a auxina estimula o desenvolvimento de raízes
adventícias em caules.
• Desenvolvimento de frutos: a auxina permite, em algumas espécies, a formação
de frutos partenocárpicos (produzidos sem fecundação). Atua também na
transformação do ovário em fruto após a fecundação.
• Desenvolvimento do sistema vascular: a auxina estimula a formação de tecidos
vasculares (xilema e floema).
c) Transporte: polar, ou seja, do local de produção (ápice da plantas) para o local
de ação (base da planta).
Citocininas
a) Local de síntese: principalmente no ápice da raiz.
b) Efeitos: promovem a divisão celular (o nome vem de citocinese, fase final da
divisão celular na qual o citoplasma se divide). Atrasam o envelhecimento das
folhas e podem causar a quebra da dominância apical.
c) Transporte: ocorre da raiz para o caule, através dos vasos de xilema.
Etileno
a) Local de síntese: produzido praticamente em todos os tecidos, principalmente
naqueles que sofrem algum estresse ou naqueles que estão amadurecendo.
b) Efeitos: promove o amadurecimento dos frutos e atua na queda das folhas e
flores velhas.
c) Transporte: é um hormônio gasoso transportado por difusão do local de
síntese para o local de ação.
Ácido abscísico
a) Local de síntese: principalmente em folhas maduras submetidas ao estresse
hídrico e nas sementes.
b) Efeitos: fechamento dos estômatos em resposta à falta de água e manutenção
da dormência das sementes.
c) Transporte: apolar, ocorre das folhas para o resto da planta, através do floema,
e da raiz para os demais órgãos através do xilema.
Giberelinas
a) Local de síntese: tecido caulinar e sementes em desenvolvimento.
b) Efeitos: estimula o crescimento de variedades de plantas anãs através do
alongamento do caule. Quebra da dormência e germinação das sementes.
Estimulação da produção de flores e frutos.
c) Transporte: transporte apolar, ou seja, ocorre do ápice para a base e também
ao contrário, principalmente através do floema.
FOTROPISMO
As auxinas são hormônios vegetais que controlam os movimentos das plantas
em resposta à luz (fototropismo). Quando uma planta é iluminada de um único
lado, as auxinas migram para a região menos iluminada, causando um
alongamento celular que tem como consequência a planta se curvando em
direção à fonte de luz.
Caule: o excesso de auxinas estimula o alongamento celular
( fototropismo positivo )
Raíz: o execsso de auxinas inibe o alongamento celular
( fototropismo negativo )

Recomendados

Hormonios vegetais
Hormonios vegetaisHormonios vegetais
Hormonios vegetaiseli292011
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Fitormônios
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FitormôniosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Fitormônios
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre FitormôniosTurma Olímpica
 
Hormonios vegetal
Hormonios vegetalHormonios vegetal
Hormonios vegetalURCA
 
Desenvolvimento das plantas
Desenvolvimento das plantasDesenvolvimento das plantas
Desenvolvimento das plantasJoseanny Pereira
 
Frente 3 módulo 12 Hormônios Vegetais Auxinas Tropismos
Frente 3 módulo 12 Hormônios Vegetais Auxinas TropismosFrente 3 módulo 12 Hormônios Vegetais Auxinas Tropismos
Frente 3 módulo 12 Hormônios Vegetais Auxinas TropismosColégio Batista de Mantena
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule Morfologia Vegetal - Caule
Morfologia Vegetal - Caule
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Hormoniosvegetais
HormoniosvegetaisHormoniosvegetais
Hormoniosvegetais
 
Citocininas
CitocininasCitocininas
Citocininas
 
Giberelinasabaeetileno
GiberelinasabaeetilenoGiberelinasabaeetileno
Giberelinasabaeetileno
 
Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
Unidade 05 dormência de sementes
Unidade 05 dormência de sementesUnidade 05 dormência de sementes
Unidade 05 dormência de sementes
 
Fotoperiodismo
FotoperiodismoFotoperiodismo
Fotoperiodismo
 
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e Frutos
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e FrutosSlides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e Frutos
Slides da aula de Biologia (Renato) sobre Sementes e Frutos
 
Angiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_brAngiospermas www unifev_edu_br
Angiospermas www unifev_edu_br
 
Hormônios vegetais
Hormônios vegetaisHormônios vegetais
Hormônios vegetais
 
Hormonas Vegetais, Fitormonas, Ácido Abscísico e Etileno
Hormonas Vegetais, Fitormonas, Ácido Abscísico e EtilenoHormonas Vegetais, Fitormonas, Ácido Abscísico e Etileno
Hormonas Vegetais, Fitormonas, Ácido Abscísico e Etileno
 
Fitormônios
FitormôniosFitormônios
Fitormônios
 
Caju
CajuCaju
Caju
 
Etileno
EtilenoEtileno
Etileno
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetalAula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal
 
Condução de Seiva Bio
Condução de Seiva Bio Condução de Seiva Bio
Condução de Seiva Bio
 
2º Ano - Hormônios vegetais - Fitormônios
2º Ano - Hormônios vegetais - Fitormônios2º Ano - Hormônios vegetais - Fitormônios
2º Ano - Hormônios vegetais - Fitormônios
 
Aula de nutrição mineral
Aula de nutrição mineralAula de nutrição mineral
Aula de nutrição mineral
 
FIXAÇÃO BIOLÓGICA NA CULTURA DA SOJA
FIXAÇÃO BIOLÓGICA NA CULTURA DA SOJAFIXAÇÃO BIOLÓGICA NA CULTURA DA SOJA
FIXAÇÃO BIOLÓGICA NA CULTURA DA SOJA
 

Destaque

Hormônios vegetais
Hormônios vegetaisHormônios vegetais
Hormônios vegetais3a2011
 
Hormonio vegetal 2011_alunos
Hormonio vegetal 2011_alunosHormonio vegetal 2011_alunos
Hormonio vegetal 2011_alunosIvanise Amaral
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal merciavaz
 
Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.
Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.
Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.Lucas Pereira
 

Destaque (8)

Hormônios vegetais
Hormônios vegetaisHormônios vegetais
Hormônios vegetais
 
Fisveg aula3
Fisveg aula3Fisveg aula3
Fisveg aula3
 
Hormonio vegetal 2011_alunos
Hormonio vegetal 2011_alunosHormonio vegetal 2011_alunos
Hormonio vegetal 2011_alunos
 
Hormônios vegetais
Hormônios vegetaisHormônios vegetais
Hormônios vegetais
 
Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal Aula fisiologia vegetal
Aula fisiologia vegetal
 
Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.
Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.
Hormônios vegetais – giberelinas, etileno, citocininas e Ácido Abscísico.
 
Hormônios vegetais
Hormônios vegetaisHormônios vegetais
Hormônios vegetais
 
Tecidos vegetais
Tecidos vegetaisTecidos vegetais
Tecidos vegetais
 

Semelhante a Aula: Hormônios vegetais (Power Point)

(11) biologia e geologia 10º ano - hormonas vegetais
(11) biologia e geologia   10º ano - hormonas vegetais(11) biologia e geologia   10º ano - hormonas vegetais
(11) biologia e geologia 10º ano - hormonas vegetaisHugo Martins
 
Regulação hormonal nas plantas
Regulação hormonal nas plantasRegulação hormonal nas plantas
Regulação hormonal nas plantasmargaridabt
 
Aula hormoniosvegetais 2017 1
Aula hormoniosvegetais 2017 1Aula hormoniosvegetais 2017 1
Aula hormoniosvegetais 2017 1Fabrícia Martins
 
Hormônios vegetais ou fitormônios
Hormônios vegetais ou fitormôniosHormônios vegetais ou fitormônios
Hormônios vegetais ou fitormôniosAndrea Barreto
 
Hormônios vegetais e suas principais funções
Hormônios vegetais e suas principais funçõesHormônios vegetais e suas principais funções
Hormônios vegetais e suas principais funçõescamilasantos195061
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetal Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetal 06051981
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetalRafael Costa
 
Movimentos vegetal
Movimentos vegetalMovimentos vegetal
Movimentos vegetalURCA
 
Tropismo e Movimentos Nasticos
Tropismo e Movimentos NasticosTropismo e Movimentos Nasticos
Tropismo e Movimentos NasticosMarcel Thomas
 
Hormonas vegetais %2890 min%29
Hormonas vegetais %2890 min%29Hormonas vegetais %2890 min%29
Hormonas vegetais %2890 min%29Pelo Siro
 

Semelhante a Aula: Hormônios vegetais (Power Point) (20)

2S_Mov veg e hormônios
2S_Mov veg e hormônios2S_Mov veg e hormônios
2S_Mov veg e hormônios
 
(11) biologia e geologia 10º ano - hormonas vegetais
(11) biologia e geologia   10º ano - hormonas vegetais(11) biologia e geologia   10º ano - hormonas vegetais
(11) biologia e geologia 10º ano - hormonas vegetais
 
Regulação hormonal nas plantas
Regulação hormonal nas plantasRegulação hormonal nas plantas
Regulação hormonal nas plantas
 
hormoniosvegetais.ppt
hormoniosvegetais.ppthormoniosvegetais.ppt
hormoniosvegetais.ppt
 
Aula hormoniosvegetais 2017 1
Aula hormoniosvegetais 2017 1Aula hormoniosvegetais 2017 1
Aula hormoniosvegetais 2017 1
 
Mov veg e hormônios 17092012
Mov veg e hormônios  17092012Mov veg e hormônios  17092012
Mov veg e hormônios 17092012
 
Hormônios vegetais ou fitormônios
Hormônios vegetais ou fitormôniosHormônios vegetais ou fitormônios
Hormônios vegetais ou fitormônios
 
Hormonios vegetais
Hormonios vegetaisHormonios vegetais
Hormonios vegetais
 
Hormônios vegetais e suas principais funções
Hormônios vegetais e suas principais funçõesHormônios vegetais e suas principais funções
Hormônios vegetais e suas principais funções
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetal Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
Fisiologia vegetal
Fisiologia vegetalFisiologia vegetal
Fisiologia vegetal
 
FISIOLOGIA VEGETAL (1).pptx
FISIOLOGIA VEGETAL (1).pptxFISIOLOGIA VEGETAL (1).pptx
FISIOLOGIA VEGETAL (1).pptx
 
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
 
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
2016 Frente 3 módulo 10 hormonios vegetais
 
Hormônios vegetais
Hormônios vegetaisHormônios vegetais
Hormônios vegetais
 
Reino vegetal e reprod
Reino vegetal e reprodReino vegetal e reprod
Reino vegetal e reprod
 
Movimentos vegetal
Movimentos vegetalMovimentos vegetal
Movimentos vegetal
 
Botanica.pptx
Botanica.pptxBotanica.pptx
Botanica.pptx
 
Tropismo e Movimentos Nasticos
Tropismo e Movimentos NasticosTropismo e Movimentos Nasticos
Tropismo e Movimentos Nasticos
 
Hormonas vegetais %2890 min%29
Hormonas vegetais %2890 min%29Hormonas vegetais %2890 min%29
Hormonas vegetais %2890 min%29
 

Mais de Bio

Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Bio
 
Aula de Histologia Animal (Power Point)
Aula de Histologia Animal (Power Point)Aula de Histologia Animal (Power Point)
Aula de Histologia Animal (Power Point)Bio
 
Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)
Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)
Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)Bio
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointBio
 
Excreção - Aula em Power Point
Excreção - Aula em Power PointExcreção - Aula em Power Point
Excreção - Aula em Power PointBio
 
Bioquímica Celular
Bioquímica CelularBioquímica Celular
Bioquímica CelularBio
 
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - ProteínasBioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - ProteínasBio
 
Dicas para o Vestibular - 1ª Parte
Dicas para o Vestibular - 1ª ParteDicas para o Vestibular - 1ª Parte
Dicas para o Vestibular - 1ª ParteBio
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Bio
 
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)Bio
 
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Bio
 
Citogenética (Po
Citogenética (PoCitogenética (Po
Citogenética (PoBio
 
Citogenética
CitogenéticaCitogenética
CitogenéticaBio
 
Filo Moluscos (Aula Power Point)
Filo Moluscos (Aula Power Point)Filo Moluscos (Aula Power Point)
Filo Moluscos (Aula Power Point)Bio
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Bio
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Bio
 
Lipídios ( Power Point )
Lipídios ( Power Point )Lipídios ( Power Point )
Lipídios ( Power Point )Bio
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Bio
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Bio
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Bio
 

Mais de Bio (20)

Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
Aula de Zoologia - Invertebrados (Power Point)
 
Aula de Histologia Animal (Power Point)
Aula de Histologia Animal (Power Point)Aula de Histologia Animal (Power Point)
Aula de Histologia Animal (Power Point)
 
Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)
Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)
Reprodução e Embriologia (Aula em Power Point)
 
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power PointSistema Nervoso - Aula em Power Point
Sistema Nervoso - Aula em Power Point
 
Excreção - Aula em Power Point
Excreção - Aula em Power PointExcreção - Aula em Power Point
Excreção - Aula em Power Point
 
Bioquímica Celular
Bioquímica CelularBioquímica Celular
Bioquímica Celular
 
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - ProteínasBioquímica Celular 2 - Proteínas
Bioquímica Celular 2 - Proteínas
 
Dicas para o Vestibular - 1ª Parte
Dicas para o Vestibular - 1ª ParteDicas para o Vestibular - 1ª Parte
Dicas para o Vestibular - 1ª Parte
 
Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)Filo Cordados (Power Point)
Filo Cordados (Power Point)
 
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
Aula: Sistema Endócrino (Power Point)
 
Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)Aula de Fotossíntese (Power Point)
Aula de Fotossíntese (Power Point)
 
Citogenética (Po
Citogenética (PoCitogenética (Po
Citogenética (Po
 
Citogenética
CitogenéticaCitogenética
Citogenética
 
Filo Moluscos (Aula Power Point)
Filo Moluscos (Aula Power Point)Filo Moluscos (Aula Power Point)
Filo Moluscos (Aula Power Point)
 
Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)Filo Moluscos (Power Point)
Filo Moluscos (Power Point)
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
 
Lipídios ( Power Point )
Lipídios ( Power Point )Lipídios ( Power Point )
Lipídios ( Power Point )
 
Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)Filo Nematoda (Power Point)
Filo Nematoda (Power Point)
 
Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)Platelmintos (Power Point)
Platelmintos (Power Point)
 
Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1Cnidários ( Power Point ) 1
Cnidários ( Power Point ) 1
 

Último

B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...Prime Assessoria
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da MulherMary Alvarenga
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioIsabelPereira2010
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Prime Assessoria
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...azulassessoriaacadem3
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...GraceDavino
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Prime Assessoria
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...excellenceeducaciona
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...excellenceeducaciona
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...azulassessoriaacadem3
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...azulassessoriaacadem3
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioProfessor Belinaso
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
B) RELACIONE os picos (1, 2 e 3) no cromatograma com cada uma das substâncias...
 
08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher08 de março - Dia Internacional da Mulher
08 de março - Dia Internacional da Mulher
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial AniversárioDeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
DeClara n.º 73 fevereiro 2024 edição especial Aniversário
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
Durante a rotina laboratorial, no setor de hematologia, a investigação dos el...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
1. Qual é a principal política pública que está sendo negada às Marias no víd...
 
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
610854 (4).pptx Linguagem da música. Diferentes gêneros da musica tradicional...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
Recentemente, um artigo publicado em uma revista renomada relatou um caso de ...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
Tendo em vista estes aspectos, a proposta dessa atividade é a elaboração de u...
 
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
2. Qual a extensão dos Direitos Fundamentais às pessoas que se encontram sob ...
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 

Aula: Hormônios vegetais (Power Point)

  • 2. O crescimento e o desenvolvimento dos vegetais são controlados por fatores ambientais externos (por exemplo, luz, água e temperatura) e internos. Os principais fatores internos são os hormônios que, através de sinais químicos, controlam o metabolismo do vegetal. Eles são produzidos em diferentes partes do corpo do vegetal e não em glândulas específicas, como ocorre nos animais. Os hormônios vegetais são também chamados de fitormônios. Em geral, atuam em conjunto na regulação do metabolismo vegetal. A seguir veremos os cinco tipos principais: auxinas, citocininas, etileno, ácido abscísico e giberilinas.
  • 3. Auxinas (AIA ou Ácido Indolacético) a) Local de síntese: meristema apical, meristema caulinar, primórdios foliares, folhas jovens e sementes em desenvolvimento. b) Efeitos: • Dominância apical: o ápice caulinar produz uma quantidade de auxina que inibe o crescimento das gemas laterais. Quando este é podado, as gema laterais se desenvolvem formando novos ramos. • Desenvolvimento de raízes: a auxina estimula o desenvolvimento de raízes adventícias em caules. • Desenvolvimento de frutos: a auxina permite, em algumas espécies, a formação de frutos partenocárpicos (produzidos sem fecundação). Atua também na transformação do ovário em fruto após a fecundação. • Desenvolvimento do sistema vascular: a auxina estimula a formação de tecidos vasculares (xilema e floema). c) Transporte: polar, ou seja, do local de produção (ápice da plantas) para o local de ação (base da planta).
  • 4. Citocininas a) Local de síntese: principalmente no ápice da raiz. b) Efeitos: promovem a divisão celular (o nome vem de citocinese, fase final da divisão celular na qual o citoplasma se divide). Atrasam o envelhecimento das folhas e podem causar a quebra da dominância apical. c) Transporte: ocorre da raiz para o caule, através dos vasos de xilema. Etileno a) Local de síntese: produzido praticamente em todos os tecidos, principalmente naqueles que sofrem algum estresse ou naqueles que estão amadurecendo. b) Efeitos: promove o amadurecimento dos frutos e atua na queda das folhas e flores velhas. c) Transporte: é um hormônio gasoso transportado por difusão do local de síntese para o local de ação.
  • 5. Ácido abscísico a) Local de síntese: principalmente em folhas maduras submetidas ao estresse hídrico e nas sementes. b) Efeitos: fechamento dos estômatos em resposta à falta de água e manutenção da dormência das sementes. c) Transporte: apolar, ocorre das folhas para o resto da planta, através do floema, e da raiz para os demais órgãos através do xilema. Giberelinas a) Local de síntese: tecido caulinar e sementes em desenvolvimento. b) Efeitos: estimula o crescimento de variedades de plantas anãs através do alongamento do caule. Quebra da dormência e germinação das sementes. Estimulação da produção de flores e frutos. c) Transporte: transporte apolar, ou seja, ocorre do ápice para a base e também ao contrário, principalmente através do floema.
  • 6. FOTROPISMO As auxinas são hormônios vegetais que controlam os movimentos das plantas em resposta à luz (fototropismo). Quando uma planta é iluminada de um único lado, as auxinas migram para a região menos iluminada, causando um alongamento celular que tem como consequência a planta se curvando em direção à fonte de luz. Caule: o excesso de auxinas estimula o alongamento celular ( fototropismo positivo ) Raíz: o execsso de auxinas inibe o alongamento celular ( fototropismo negativo )
  • 7. GRAVITROPISMO ou GEOTROPISMO  Tipo de tropismo em que a fonte do movimento vegetal é a força da gravidade, de acordo com a concentração de auxinas.  Caule: gravitropismo negativo (movimento oposto à gravidade)  Raiz: gravitropismo positivo (movimento no sentido da gravidade) GRAVITROPISMO NEGATIVO DO CAULE GRAVITROPISMO POSITIVO DA RAIZ
  • 8.  EXPERIMENTO DE WENT  O alongamento das coleóptilos de gramíneas é controlado por hormônio de crescimento produzido na extremidade da coleóptile. Se o ápice é removido, o crescimento se reduz, devido à deficiência desse hormônio. Se o ápice é recolocado, o crescimento recomeça. As propriedades promotoras de crescimento do ápice podem ser substituídas por um bloco de ágar que recebeu o hormônio. O crescimento se dá no lado em que o bloco de ágar foi colocado devido à presença do hormônio auxina no bloco, promovendo o alongamento celular nessa região