HORMÔNIOS VEGETAIS
LARA PACHECO
RENATA OLIVEIRA
THAYSE VAZ
FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS
CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ...
INTRODUÇÃO
• UMA PLANTA PARA CRESCER NECESSITA DE LUZ DO SOL, DO DIÓXIDO DE
CARBONO DO AR, DE ÁGUA E ÍONS MINERAIS E TAMBÉ...
HORMÔNIO
• A REGULAÇÃO E A COORDENAÇÃO DO METABOLISMO E DO
CRESCIMENTO DEPENDE DE SINAIS QUÍMICOS: OS HORMÔNIOS
QUE VEM DO...
AUXINAS
• CHARLES DARWIN E SEU FILHO FRANCIS REALIZARAM UM DOS
PRIMEIROS EXPERIMENTOS DOCUMENTADOS SOBRE
SUBSTANCIAS REGUL...
• EM 1926, FRITS WENT ISOLOU ESSA “INFLUENCIA” DO ÁPICE DE UMA
PLÂNTULA DE AVEIA E A CHAMOU DE AUXINA, DO GREGO AUXEIN, QU...
• FUNÇÕES:
• DESEMPENHA UM PAPEL NA DIFERENCIAÇÃO DE TECIDOS
VASCULARES;
• NA INDUÇÃO E NA DISPOSIÇÃO DAS FOLHAS;
• FORNEC...
CITOCININAS
• PRODUZIDAS NO MERISTEMA DA RAIZ, TRANSPORTADAS PELO
XILEMA,
• O PAPEL ESSENCIAL DA CITOCININA É REGULAR O
CR...
• A INIBIÇÃO DA SENESCÊNCIA, ISTO É, DO ENVELHECIMENTO, É
OUTRA IMPORTANTE FUNÇÃO DESSES HORMÔNIOS. ESSE
MECANISMO FUNCION...
 ETILENO
Descoberto no começo do século XIX como sendo um hidrocarboneto simples
(H2C=CH2).
Dimitry Neljubov comprovou a ...
 ETILENO
Inibi ou promove expansão
celular.
Tríplice resposta da ervilha:
1- diminuição do crescimento
longitudinal.
2- a...
 ÁCIDO ABSCÍSICO
Impede a germinação de sementes;
Desempenha papel de sinalizador da raiz para o caule;
GIBERELINA (GA)
• EM 1934 FOI NOMEADA E ISOLADA PELOS QUÍMICOS T. YABUTA E Y. SUMIKI;
• EM 1956, J. MACMILLAN FOI O PRIMEI...
• APLICANDO GIBERELINA EM PLANTAS ANÃS,
VERIFICA-SE QUE ELAS SE TORNAM
INDISTINGUÍVEIS DAS PLANTAS DE ALTURA
NORMAL (PLANT...
• EM MUITAS ESPÉCIES DE PLANTAS,
INCLUINDO O ALFACE, O TABACO E A
AVEIA SELVAGEM, AS GIBERELINAS
QUEBRAM A DORMÊNCIA DAS
S...
A BASE MOLECULAR DA AÇÃO HORMONAL
• TOTIPOTÊNCIA;
• EM NÍVEL MOLECULAR, OS HORMÔNIOS INFLUENCIAM OS PROCESSOS DE
DESENVOLV...
Hormônios vegetais
Hormônios vegetais
Hormônios vegetais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Hormônios vegetais

795 visualizações

Publicada em

Síntese dos principais hormônios dos vegetais.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Hormônios vegetais

  1. 1. HORMÔNIOS VEGETAIS LARA PACHECO RENATA OLIVEIRA THAYSE VAZ FACULDADES INTEGRADAS DO TAPAJÓS CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS
  2. 2. INTRODUÇÃO • UMA PLANTA PARA CRESCER NECESSITA DE LUZ DO SOL, DO DIÓXIDO DE CARBONO DO AR, DE ÁGUA E ÍONS MINERAIS E TAMBÉM DO HIDROGÊNIO DO SOLO. • ELA SE DIFERENCIA, DESENVOLVE-SE E ADQUIRE FORMA CRIANDO CÉLULAS, TECIDOS E ÓRGÃOS. • INTERAÇÃO ENTRE FATORES INTERNOS E EXTERNOS.
  3. 3. HORMÔNIO • A REGULAÇÃO E A COORDENAÇÃO DO METABOLISMO E DO CRESCIMENTO DEPENDE DE SINAIS QUÍMICOS: OS HORMÔNIOS QUE VEM DO GREGO HORMAN, QUE SIGNIFICA “ESTIMULAR”. • SÃO SUBSTÂNCIAS ORGÂNICAS QUE DESEMPENHAM UMA IMPORTANTE FUNÇÃO NA REGULAÇÃO DO CRESCIMENTO.
  4. 4. AUXINAS • CHARLES DARWIN E SEU FILHO FRANCIS REALIZARAM UM DOS PRIMEIROS EXPERIMENTOS DOCUMENTADOS SOBRE SUBSTANCIAS REGULADORAS DO CRESCIMENTO. Conclusão: quando as plântulas são expostas a uma luz lateral, alguma influencia é transmitida da parte superior para a inferior, causando a curvatura desta última”.
  5. 5. • EM 1926, FRITS WENT ISOLOU ESSA “INFLUENCIA” DO ÁPICE DE UMA PLÂNTULA DE AVEIA E A CHAMOU DE AUXINA, DO GREGO AUXEIN, QUE SIGNIFICA “CRESCER”. • A PRINCIPAL AUXINA DE OCORRÊNCIA NATURAL É DENOMINADA ÁCIDO INDOLILACÉTICO (AIA) E ALGUMAS EVIDENCIAS INDICAM QUE AS PLANTAS PODEM PRODUZI-LA DIRETAMENTE A PARTIR DO TRIPTOFANO. • TODOS OS TECIDOS VEGETAIS SÃO CAPAZES DE PRODUZIR NÍVEIS BAIXOS DE AIA, MAS ELE É SINTETIZADO PRINCIPALMENTE NO MERISTEMA APICAL DE CAULE, EM FOLHAS E EM FRUTOS E SEMENTES EM DESENVOLVIMENTO. • A AUXINA SE DIFERENCIA DOS OUTROS SINAIS QUÍMICOS PORQUE É O ÚNICO HORMÔNIO VEGETAL QUE APRESENTA TRANSPORTE POLAR. AUXINAS
  6. 6. • FUNÇÕES: • DESEMPENHA UM PAPEL NA DIFERENCIAÇÃO DE TECIDOS VASCULARES; • NA INDUÇÃO E NA DISPOSIÇÃO DAS FOLHAS; • FORNECE SINAIS QUÍMICOS QUE LEVAM INFORMAÇÕES A LONGAS DISTANCIAS; • PROMOVE A FORMAÇÃO DE RAÍZES LATERAIS E ADVENTÍCIAS; • PROMOVE O DESENVOLVIMENTO DE FRUTOS; • E AS AUXINAS SINTÉTICAS SÃO UTILIZADAS PARA MATAR AS ERVAS DANINHAS. AUXINAS
  7. 7. CITOCININAS • PRODUZIDAS NO MERISTEMA DA RAIZ, TRANSPORTADAS PELO XILEMA, • O PAPEL ESSENCIAL DA CITOCININA É REGULAR O CRESCIMENTO VEGETAL, NORMALIZANDO O DESENVOLVIMENTO DA PLANTA. • A CITOCININA PROPORCIONA A OCORRÊNCIA DE UM CRESCIMENTO CONTROLADO E ORGANIZADO DA FORMA E DA ESTRUTURA DAS PLANTAS SUPERIORES. • ELAS TAMBÉM PROVOCAM A DIFERENCIAÇÃO DOS GRUPOS DE CÉLULAS QUE FORMAM OS TECIDOS E QUE SE TORNARÃO AS DIFERENTES PARTES DAS PLANTAS.
  8. 8. • A INIBIÇÃO DA SENESCÊNCIA, ISTO É, DO ENVELHECIMENTO, É OUTRA IMPORTANTE FUNÇÃO DESSES HORMÔNIOS. ESSE MECANISMO FUNCIONA NO SENTIDO DE QUE AS CITOCININAS AUMENTAM A RETENÇÃO DE ALGUMAS SUBSTÂNCIAS, TAIS COMO AMINOÁCIDOS, DENTRO DA CÉLULA. ASSIM, O ENVELHECIMENTO, O AMARELECIMENTO E A PERDA DE QUALIDADE DE MERCADO DOS PRODUTOS VEGETAIS SÃO RETARDADOS. DEVIDO A ESSA PROPRIEDADE, A CITOCININA ESTÁ SENDO USADA COMO INIBIDOR DE SENESCÊNCIA EM MUITAS PLANTAS, COMO O ALFACE, O BRÓCOLIS, ETC. CITOCININAS
  9. 9.  ETILENO Descoberto no começo do século XIX como sendo um hidrocarboneto simples (H2C=CH2). Dimitry Neljubov comprovou a influencia do etileno no metabolismo dos vegetais. Por exemplo: aspectos do crescimento e desenvolvimento vegetal; crescimento dos tecidos; maturação de frutos; abscisão de frutos; senescência.
  10. 10.  ETILENO Inibi ou promove expansão celular. Tríplice resposta da ervilha: 1- diminuição do crescimento longitudinal. 2- aumento na expansão radial do epicótilo e da raiz. 3- orientação horizontal do epicótilo. Desempenha papel no amadurecimento dos frutos; Importância agrícola. Etileno promove a abscisão, a auxina a previne; Importância agrícola. Papel na expressão sexual de cucurbitáceas;
  11. 11.  ÁCIDO ABSCÍSICO Impede a germinação de sementes; Desempenha papel de sinalizador da raiz para o caule;
  12. 12. GIBERELINA (GA) • EM 1934 FOI NOMEADA E ISOLADA PELOS QUÍMICOS T. YABUTA E Y. SUMIKI; • EM 1956, J. MACMILLAN FOI O PRIMEIRO A ISOLAR COM SUCESSO A GIBERELINA DE SEMENTES DO FEIJOEIRO; • MAIS DE 125 GIBERELINAS JÁ FORAM ISOLADAS E IDENTIFICADAS QUIMICAMENTE; • AS GIBERELINAS POSSUEM EFEITOS NOTÁVEIS NO ALONGAMENTO DE CAULES E FOLHAS EM PLANTAS INTACTAS POR ESTIMULAR TANTO A DIVISÃO QUANTO O ALONGAMENTO CELULAR; • AS GIBERELINAS SÃO PRODUZIDAS EM TECIDOS JOVENS DO SISTEMA CAULINAR E SEMENTES EM DESENVOLVIMENTO.
  13. 13. • APLICANDO GIBERELINA EM PLANTAS ANÃS, VERIFICA-SE QUE ELAS SE TORNAM INDISTINGUÍVEIS DAS PLANTAS DE ALTURA NORMAL (PLANTAS NÃO MUTANTES), INDICANDO QUE AS PLANTAS ANÃS (MUTANTES) SÃO INCAPAZES DE SINTETIZAR GIBERELINAS E QUE O CRESCIMENTO DOS TECIDOS REQUER ESTE REGULADOR.
  14. 14. • EM MUITAS ESPÉCIES DE PLANTAS, INCLUINDO O ALFACE, O TABACO E A AVEIA SELVAGEM, AS GIBERELINAS QUEBRAM A DORMÊNCIA DAS SEMENTES, PROMOVENDO O CRESCIMENTO DO EMBRIÃO E A EMERGÊNCIA DA PLÂNTULA. ESPECIFICAMENTE, AS GIBERELINAS ESTIMULAM O ALONGAMENTO CELULAR, FAZENDO COM QUE A RADÍCULA ROMPA O TEGUMENTO DA SEMENTE.
  15. 15. A BASE MOLECULAR DA AÇÃO HORMONAL • TOTIPOTÊNCIA; • EM NÍVEL MOLECULAR, OS HORMÔNIOS INFLUENCIAM OS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO, INTERAGINDO COM OS RECEPTORES DA CÉLULA VEGETAL; • O MECANISMO PELOS QUAIS OS HORMÔNIOS ALTERAM A EXTENSIBILIDADE DAS PAREDES CELULARES NÃO SÃO BEM COMPREENDIDAS; • DUAS HIPÓTESES SÃO ATUALMENTE CONHECIDAS: CRESCIMENTO ÁCIDO E EXPRESSÃO DE GENES ESPECÍFICOS;

×