Marianocultocristodevooeliturgia

263 visualizações

Publicada em

maria no concilio vaticano III - lumem gencium

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

Marianocultocristodevooeliturgia

  1. 1. { O papel da Virgem no credo católico e dentro da Igreja . Osvaldo Mikhaelano Lumem Gentium VIII
  2. 2. 60. Maria e cristo, o único mediador.  Segundo o apostolo Paulo: “Pois só há um único mediador entre Deus e os homens” (Tm 2,5-6).  O caráter intercessor de Maria é definido que toda capacidade de mediação da Virgem vem dos méritos de Cristo e que esta capacidade de auxílio favorece a união imediata com o Salvador. E isto é entendido de maneira que nada tire nem acrescente às qualidades de único mediador de Cristo.
  3. 3.  O papal maternal de Maria não faz nem uma sombra, nem diminui em nada esta mediação única de Jesus. “A atuação salutar de Maria não provem de uma necessidade objetiva qualquer, mas do puro beneplácito divino, fluindo da superabundância dos mistérios de Cristo”. Fundada na mediação de Cristo, dependente completamente de onde tira toda sua força.
  4. 4. 61. SUA COOPERAÇÃO NA REDENÇÃO.  Maria que foi eternamente predestinada a ser mãe de Deus, na perspectiva da encarnação do Verbo, tornou-se, na terra, por providencia, ilustre mãe do redentor.  Maria: humilde serva do Senhor concebeu seu filho, deu a luz, alimentando, apresentou ao Pai no templo e participou do seu sofrimento até a morte na cruz, cooperando de maneira toda especial com a obra do salvador: pela obediência, fé, caridade para restauração da vida sobrenatural das almas.
  5. 5. 62. O PAPEL SALVADOR SUBORDINADO DE MARIA  A maternidade de Maria se estende a toda a economia da graça, a partir do seu “fiat” que ela deu na anunciação e se manteve firme na cruz, ate a definitiva e eterna coroação de todos os eleitos. Elevada aos céus não abandonou esse papel, mas continua a interceder pela nossa eterna salvação. Cuida com amor materno, dos irmãos e irmãs de seu Filho, que caminham entre os peregrinos desta terre, até que alcancem a felicidade da Pátria. Por isso a igreja invoca como: Nossa Senhora, advogada, auxiliadora, perpetuo socorro e medianeira. Se entenda que nada seja derrogado ou acrescentado à dignidade e à eficácia da atuação de cristo.
  6. 6. 63. MARIA VIRGEM E MÃE, MODELO DA IGREJA.  A mãe de Deus é figura da Igreja pela fé, pelo amor e pela perfeita união a Cristo, como ensinava Santo Ambrósio. No mistério da Igreja, Nossa Senhora, que é justamente chamada mãe e virgem, precede a todos e dá um exemplo único de virgindade e maternidade. Pele fé e obediência gerou na terra o próprio filho do Pai.
  7. 7. 64. A IGREJA, VIRGEM E MÃE.  A igreja, imitando Maria e a caridade, cumprindo fielmente a vontade do Pai a partir a fiel escolhida da palavra de Deus, torna-se igualmente mãe: pela pregação e pelo batismo, gera para vida nova os filhos que nascem para Deus, concebido pelo Espirito Santo. A igreja também virgem: pura, íntegra a sua fidelidade ao esposo. (...) conserva virginalmente a firmeza da fé, a solidez da esperança e a sinceridade do amor.
  8. 8. 65. A IGREJA IMITA MARIA  Pensando piedosamente em Maria e contemplando- a à luz do verbo feito homem, a Igreja adentra mais intimamente na veneração do grande mistério da encarnação, e vai se assemelhando cada vez mais a seu esposo.  A igreja buscando a gloria de Cristo, torna-se cada mais próxima de seu modelo, crescendo na fé, na esperança e na caridade, em busca do cumprimento da vontade divina. (...), a Igreja olha para Maria, que gerou a Cristo, concebido pelo Espirito Santo para nascer e crescer no coração dos fiéis, por intermédio da Igreja.
  9. 9. Video – maria no concilio
  10. 10. 66. NATUREZA E FUNDAMENTO DO CULTO  Por tomar parte nos mistérios de Cristo justifica-se a veneração de Maria. É um culto diferente na essência, e por isso mesmo singular, da adoração em relação ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo. Este culto serve para que se glorifique ainda mais o Filho que é por quem tudo de fato existe. Evita-se o exagero da mesma maneira que se evita a falta de consideração em relação à Maria. Segue, em relação ao culto às imagens, os mesmos preceitos já estabelecidos em relação às imagens de Cristo e dos santos.
  11. 11.  A legitimidade do culto a Nossa Senhora se encontra: na Santidade de Maria, na Maternidade Divina e por sua presença junto a cruz “sub tum Presidium”. Tem um caráter único, diferenciando-se do culto de adoração prestado ao Verbo encarnado, ao Pai e ao Espirito Santo.
  12. 12.  As formas de cultos: “Latria” o grau mais alto de adoração e “Hiperdulia” um grau abaixo deste, tido como veneração á Maria, mas superior a “Dulia” também veneração, no entanto prestado aos santos e objetos relacionados a eles, como por exemplo, as imagens.
  13. 13. 67. Normas praticas • O Concílio recomenda o culto à Maria, a todos os filhos da igreja a promoção do culto, em espercial na liturgia. Valorisando a pratica da piedade a ela dedicados, evitando tantos os exageros quanto a demasiada estreiteza de espírito. • A verdadeira devoção à Maria não consiste num estéril e transitório afeto, nem numa vã credulidade, mas no reconhecimento da figura de Maria e no seguimento de sua vida de fé (virtudes) (LG 67). •
  14. 14. Orientação da Marialis Cultus (Exortação apostólica de Paulo VI em 1975) • "A finalidade última do culto à bem-aventurada Virgem Maria é glorificar a Deus e levar os cristãos a aplicarem-se numa vida absolutamente conforme à sua vontade"(MC n.39). • De acordo com o espírito do Concílio Vaticano II, é deplorável e inadmissível, tanto no conteúdo quanto na forma, as manifestações cultuais e devocionais meramente exteriores, bem como expressões devocionais sentimentalistas estéreis e passageiras. Tudo o que é "manifestadamente lendário ou falso" deve ser banido do culto mariano (MC. N. 38).
  15. 15. CONCLUSÃO  Portanto, podemos afirmar que Maria é parte fundamental do credo católico, por fazer parte de maneira monumental do projeto salvífico da redenção; por ter concebido livre do pecado; por ter ascendido aos céus em corpo e alma; por ter sido a primeira a acreditar e dizer sim a Deus quando da vinda do Salvador e por ter permanecido em estado virginal após o nascimento de Jesus. A partir disto devemos considerar que Maria deve ser cultuada, não ocupando o lugar de Cristo, mas favorecendo a união dos fiéis com Ele e sendo a Boa Mãe da Igreja e de todos os cristãos.
  16. 16. Sob a tua proteção nos refugiamos Santa Mãe de Deus, nossas súplicas não despreseis e as nossas necessidades, mas de todos os perigos livra-nos sempre, ó Virgem Gloriosa e Bendita
  17. 17. OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

×