Módulo serviço – apostila 2

2.350 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.350
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
102
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Módulo serviço – apostila 2

  1. 2. <ul><li>O encontro 2 do Ministério de Intercessão visa aprofundar o intercessor no carisma para o qual o Senhor o chama; para isso será visto em profundidade o caminho de Jesus, único intercessor diante de Deus, que se ofereceu por cada um de nós em expiação de nossos pecados. </li></ul><ul><li>Temas: a intercessão profética; a batalha espiritual; as bases ou uma sugestão de sequência de intercessão e atitudes ao assumir a cruz na intercessão. </li></ul>
  2. 4. <ul><li>Vemos em toda a história da Salvação, Deus sempre suscitando intercessores (aqueles que se colocam na brecha) para que se detivessem entre o povo pecador e recalcitrante e a Santidade de Deus. </li></ul><ul><li>Assim narra o CIC sobre a intercessão: “Interceder é pedir, suplicar em favor de outro. Desde Abraão, é próprio de um coração que está em consonância com a misericórdia de Deus”(CIC 2635). </li></ul>
  3. 5. <ul><li>Com Abraão, pai da fé, vemos Deus antecipando (intercessão profética) seus planos quanto a sua decisão pela destruição de Sodoma e Gomorra, face ás práticas pecaminosas e idólatras do povo. Assim Abraão intercede a Deus com uma intercessão de saturação, orando incessantemente pelos justos que ainda pudesse haver na cidade (Gn 18, 16ss). </li></ul>
  4. 6. <ul><li>No AT o intercessor podia ser um Sacerdote, Profeta e/ou Rei, que era ungido por Deus para cumprir sua missão (Ex 35,31; Dt 34,9-10). Os intercessores no AT ao serem ungidos podiam permanecer na presença de Deus e oferecer sacrifícios pelo povo, o que não era facultado a esse. </li></ul><ul><li>Deus sempre buscava intercessores que interviessem pelos erros cometidos pelo povo que se desviava dEle, pela idolatria, impiedade, iniquidade. </li></ul>
  5. 7. <ul><li>Rei Salomão na dedicação do Templo de Jerusalém; </li></ul><ul><li>Profeta Neemias, mediante as dificuldades e obstáculos em reconstruir as muralhas da cidade e suas portas que haviam sido incendiadas; </li></ul><ul><li>Intercessão de sustentação e concórdia no tempo da rainha Ester. </li></ul><ul><li>Porém, Deus vai revelando por meio dos profetas eu enviaria um Intercessor maior e único que seria o Salvador de toda a humanidade, aquele que repararia a brecha causada pelo pecado original definitivamente (Is 58,12). </li></ul>
  6. 8. <ul><li>Então, na plenitude dos tempos, Deus envia Jesus Cristo para nos salvar (Jo 3, 16-17). </li></ul><ul><li>A intercessão é um ministério/mistério de amor, compaixão e misericórdia pelas necessidades do povo e Jesus expressou isso por todos os que a Ele recorriam. </li></ul><ul><li>Durante a vida pública de Jesus, vemos que sua autoridade espiritual revelava a intimidade e unidade dele com o Pai e o Espírito Santo (Lc 3, 21-22; Jo 14,9-17). </li></ul>
  7. 9. <ul><li>Todos os que a Ele recorriam, suplicando por cura e libertação, apresentavam uma fé carismática e alcançavam não só a cura e libertação, como a graça maior: a Salvação da alma! </li></ul><ul><li>Encontramos as maiores expressões fé narradas no Evangelho, em pessoas que estavam intercedendo: o servo do centurião (Lc 7,1-10); fé manifestada por uma pagã (Mt 15, 21-28); cura de um paralítico (Lc 5,17-26). </li></ul><ul><li>Após Pentecostes começando por Estêvão, Pedro e Paulo, vemos a intercessão da Igreja nascente que orava pelas necessidades e realidades que iam surgindo (lTm2,1-2). </li></ul>
  8. 10. <ul><li>Encontramos na Eucaristia a comunhão perfeita com a Santíssima Trindade e com a comunidade de fiéis. Por essa comunhão perfeita, é que na missa encontramos a maior intercessão, pois é a Igreja Universal, Corpo Místico de Cristo, unida repetindo o sacrifício da cruz de Jesus Cristo! </li></ul><ul><li>Na Santa Missa o intercessor encontra-se com o único e definitivo Intercessor: Jesus Cristo, e unido, constituído num só corpo como Igreja, participa do memorial da páscoa de Cristo. </li></ul>
  9. 11. <ul><li>Pelo Batismo Sacramental nos tornamos filhos adotivos de Deus e participamos do mesmo múnus Sacerdotal, Profético e Real de Jesus Cristo. Por isso somos também intercessores. </li></ul><ul><li>Para cumprirmos o mandato de Jesus, ele derrama sobre nós seu Espírito Santo, condição precípua para a missão que nos capacita e nos une a Ele. </li></ul><ul><li>Nós precisamos pedir a todo momento o BES, pois é o Espírito Santo que ora e intercede por nós e em nós, pois é Ele quem sabe das nossas reais necessidades individuais e de toda a humanidade. </li></ul>
  10. 12. <ul><li>Portanto o intercessor deve pela oração pessoal, vida sacramental e vivência da Palavra de Deus, buscar ter cada vez mais, intimidade com a Santíssima Trindade que já habita nele e assim crescer no ministério e na busca da santidade. </li></ul><ul><li>O intercessor roga ao Pai em nome de Jesus Cristo no poder e pela ação do Espírito Santo. </li></ul>
  11. 14. <ul><li>Jesus é a fonte de misericórdia do Pai para cada um de nós. </li></ul><ul><li>Aproximemo-nos, pois com toda a segurança do trono da graça a fim de obter misericórdia e alcançar graça, para ser auxiliados a seu tempo (Hb 2,17; 4,16). </li></ul>
  12. 15. <ul><li>Hb 9, 13-14. </li></ul><ul><li>Jesus Cristo é a manifestação de Deu entre nós. Em Jesus o amor de Deus tornou-se acessível a nós. </li></ul><ul><li>Através da Cruz de Jesus, vemos o amor do Pai por nós. Vemos o Coração de Jesus como lugar onde o sofrimento por amor reconcilia a humanidade com Deus, vencendo o pecado. </li></ul><ul><li>Durante toda a sua vida, Jesus intercedeu pelos outros. Viveu orando, morreu orando e ascendeu aos céus orando. É o nosso verdadeiro modelo de intercessor. Ele intercedeu com a vida. </li></ul>
  13. 16. <ul><li>Justificados pelo Sangue; </li></ul><ul><li>Redimidos pelo Sangue; </li></ul><ul><li>Lavados pelo Sangue; </li></ul><ul><li>Vitória pelo Sangue; </li></ul><ul><li>Clamando pelo poder do Sangue de Jesus; </li></ul>
  14. 17. <ul><li>Jesus Ressuscitado traz em si toda a compaixão e fidelidade do transbordante amor do Pai. Temos acesso as suas chagas gloriosas e todos os que quiserem e se achegar a Ele poderão vir e beber das águas da Salvação. </li></ul>
  15. 19. <ul><li>Na Nova Aliança, a principal batalha que travamos diariamente, não é contra homens de carne e sangue, mas contra os principados e potestades (Ef 6,12). </li></ul>
  16. 20. <ul><li>Numa batalha é necessário termos estratégias e táticas para obtermos a vitória. Numa batalha espiritual precisamos conhecer as forças e fraquezas de ambos os lados, é imperativo que conheçamos a força de nosso Senhor e Rei Jesus Cristo e as fraquezas e ciladas que o inimigo arma. </li></ul><ul><li>Quando entramos numa batalha espiritual clamamos pelo nosso General, Jesus Cristo, que pela ação do ES nos dará as táticas e estratégias para a vitória como exército seu. </li></ul>
  17. 21. <ul><li>Deus só dá as bênçãos e nos faz intercessores quando estamos sob Senhorio. </li></ul><ul><li>As forças das trevas não são nem onipotentes, nem oniscientes, nem onipresentes. Por isso, não podem ser a causa de todos os problemas cristãos. </li></ul>
  18. 22. <ul><li>Jesus está intercedendo por nós diante do Pai, enquanto o inimigo nos acusa, procurando cristãos ressentidos, magoados e cheios de críticas e de acusações para usá-los contra o trabalho de Deus. Assim o inimigo controla o poder da fala e da palavra, que é o maior poder do universo. A coisa mais poderosa deste mundo é a palavra. Por isso, a Palavra de Deus não passa. </li></ul>
  19. 23. <ul><li>1.1 Palavras de intercessão: </li></ul><ul><li>a) libertam e abençoam; </li></ul><ul><li>b) Realizam as promessas; </li></ul><ul><li>c) Concordam com a intercessão de Jesus; </li></ul><ul><li>d) Levantam, dão força; </li></ul><ul><li>e) Unem, fortalecem; </li></ul><ul><li>f) Levam ao louvor e á adoração. </li></ul>
  20. 24. <ul><li>1.2 Palavras de acusação: </li></ul><ul><li>Prendem as pessoas; </li></ul><ul><li>Roubam as promessas; </li></ul><ul><li>Concordam com o Maligno; </li></ul><ul><li>Destroem; </li></ul><ul><li>Dividem e enfraquecem; </li></ul><ul><li>Levam à malignidade e feitiçaria. </li></ul>
  21. 25. <ul><li>A maior fonte de conhecimento do poder e Deus está na Palavra, por isso o intercessor precisa conhecê-la e vivê-la para estar pronto para a batalha espiritual. </li></ul><ul><li>Mantenha o foco da sua atenção na suprema autoridade do senhor Jesus Cristo como General e Senhor dos Exércitos. </li></ul><ul><li>Veja o inimigo à luz da grandeza de Deus, da vitória de Jesus sobre ele na cruz, e de sua última derrota. </li></ul>
  22. 26. <ul><li>Certifique-se de que não há pecado sem arrependimento em sua vida, pois caminhar à luz de Jesus é uma poderosa proteção contra o inimigo. </li></ul><ul><li>Peça o derramamento do Espírito Santo, permitindo que Ele se manifeste da maneira que quiser e seja obediente à Sua moção. </li></ul>
  23. 27. <ul><li>Exercite o louvor e a adoração: </li></ul><ul><li>O louvor tem o poder de neutralizar o ataque demoníaco sobre o povo de Deus, pois, onde está o louvor e a adoração, Deus está no trono de Rei e nem a carne, nem o demônio podem realizar seus desígnios. </li></ul>
  24. 28. <ul><li>Humilhe-se diante de Deus: </li></ul><ul><li>Precisamos declarar que a nossa única força está em Deus. O caráter do inimigo é o orgulho e nós o vencemos com a humildade, pois ele não a conhece. Tenhamos cuidado com o orgulho espiritual, principalmente quando o Senhor cura através de nossas intercessões. </li></ul>
  25. 29. <ul><li>Como exército de Deus, não podemos ir para a batalha sem a proteção divina, contudo o que nos protege não são “fórmulas de oração”, mas atitudes de fé. Não adianta decorar o trecho, sem se sentir revestido com atitudes de vida, para que se torne uma arma de defesa e também de ataque. </li></ul>
  26. 30. <ul><li>Cinturão da verdade: ter sentimentos verdadeiros e não falsos; </li></ul><ul><li>Couraça da justiça: ter como meta fazer a vontade de Deus em tudo; </li></ul><ul><li>Calçado do ardor missionário: deixar brotar em seu coração um profundo amor pela proclamação da Palavra; </li></ul><ul><li>O escudo da fé: para os dardos inflamados do maligno não o atingirem; </li></ul>
  27. 31. <ul><li>O capacete da salvação: para purificar nossa mente de pensamentos de pecado para que a Salvação conquistada por Jesus dissipe as trevas e as tentações; </li></ul><ul><li>A Palavra de Deus como espada do Espírito: nesta Palavra podemos confiar e assim interceder. Ela aniquila tudo o que não procede de Deus. </li></ul>
  28. 32. <ul><li>Assim como os israelitas colocaram o sangue de um cordeiro sem mancha nos umbrais de suas portas, nós colocamos o Sangue de Jesus, o Cordeiro de Deus, em mácula, sobre nossas mentes, nossos corações, nossas almas, casas, familiares, comunidades. </li></ul>
  29. 33. <ul><li>Jo 14, 12-14 </li></ul><ul><li>O nome do Senhor designa a sua soberania divina. Confessar ou invocar Jesus como Senhor é crer na sua divindade, é crer que Ele é o Messias que veio cumprir a grande promessa de Deus Pai. </li></ul>
  30. 34. <ul><li>Orar em nome de Jesus não é “fórmula”, mas quando o intercessor adquire uma comunhão profunda com o Senhor pode então ser movido pelo Espírito Santo para interceder. </li></ul>

×