A Graça Divina na vida do ser
humano na visão do Teólogo
Karl Rahner.
Objetivo.
O objetivo do meu trabalho é demonstrar a
graça de Deus na vida do ser humano de
acordo com a visão do teólogo c...
Divisão da pesquisa:
Primeiro capítulo: será apresentado a graça
escrita no coração humano, tendo por base o
conceito de g...
Terceiro capítulo: aprofundar a graça no
contexto contemporâneo: Qual seria a
receptividade da ação de Deus? No meio de
ta...
1.O DESEJO DE DEUS INSCRITO NO CORAÇÃO
DO HOMEM.
O homem quando nasce já recebe no seu
coração a graça do amor Deus.
O Ser humano, usando da inteligência
dada por Deus, pr...
Graça no Antigo Testamento:
A Sagrada Escritura apresenta o tema da graça
desde o primeiro livro até o último. Contudo,
nã...
O profeta Oséias trabalha a graça de Deus no ser
humano com o aspecto do amor e da aliança
(OSEIAS 2:16-25);
Jeremias real...
Graça no Novo Testamento.
No Novo Testamento, o ponto-chave da
temática da graça está na atividade e na
pessoa de Jesus Cr...
O evangelho de Mateus caracteriza-se pela
graça na felicidade e na bênção.
Em Marcos, Jesus é o Deus da graça que oferece
...
2. A GRAÇA DE DEUS NO SER HUMANO NO
PENSAMENTO DO TEOLOGO KARL RAHNER.
Bibliografia
Karl Rahner nasceu em 5 de Março de 1904, em
Freiburg na Alemanha, como quarto membro
de uma família de sete ...
“Por que ter vergonha de poder afirmar que nascemos
em uma família normal, piedosamente Cristã,
acostumada a trabalhar dur...
Em 1922, três semanas após ter concluído os
estudos a nível do ensino secundário, Karl
Rahner entra também na Companhia de...
Em 1932 é ordenado sacerdote na Companhia
de Jesus. Em 1936, obteve um doutoramento
em Teologia, com o tema: “O pensamento...
Foi um dos principais assessores do Concilio
Vaticano II. O papa João XXIII nomeia Ranher
como participante da comissão do...
Ranher afirma que duas são as formas em que
Deus se auto-comunica:
A Encarnação e a Graça, pois através
delas nascem à dec...
A graça de Deus habita em todos os lugares, não
importa como a pessoa se encontra, mesmo
se o ser humano deixou-se levar p...
Rahner sempre esteve presente na realidade
atual, nos desafios, nas dificuldades
no que lhe é oferecido,
no que o ser huma...
O teólogo afirma que quando Deus entra em
comunhão com o homem ele procura entrar
diretamente em relação com a criatura, c...
Qual a característica da teoria de Rahner,
referente a graça?
Karl Rahner, ao fala da experiência de Deus,
parte da antrop...
3. O ALCANCE DA GRAÇA DE DEUS NO
CONTEXTO CONTEMPORÂNEO.
O filosofo Zigmund Bauman utiliza o termo
modernidade líquida ao invés de pósmodernidade, pois afirma “que os preceitos
du...
O que marca mais é o vazio existencial próprio
da cultura fragmentada e pulverizada por
muitas e variadas ofertas no amplo...
No meio de tudo isso onde está a ação divina?
Afonso Rúbio Garcia nos diz que é necessário
“continuar a missão da evangeli...
Três meios para vivenciar a graça na atualidade:
A fé que não é acreditar em algo vazio e sim
acreditar numa pessoa, essa ...
“O cristão do futuro,
ou será místico ou não será cristão”.
Karl Ranher
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A graça divina na vida do ser humano

1.037 visualizações

Publicada em

Material produzido por Ir. Márcia Gabbardo, ascj.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.037
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
25
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A graça divina na vida do ser humano

  1. 1. A Graça Divina na vida do ser humano na visão do Teólogo Karl Rahner.
  2. 2. Objetivo. O objetivo do meu trabalho é demonstrar a graça de Deus na vida do ser humano de acordo com a visão do teólogo católico Karl Rahner. A realidade inspiradora surgiu com os pais dos catequizandos da paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus.
  3. 3. Divisão da pesquisa: Primeiro capítulo: será apresentado a graça escrita no coração humano, tendo por base o conceito de graça no Antigo Testamento e no Novo Testamento; Segundo capítulo: pensamento de Karl Rahner. Inicia-se com uma breve biografia; passa-se a ver a graça como revelação; a graça no ser humano.
  4. 4. Terceiro capítulo: aprofundar a graça no contexto contemporâneo: Qual seria a receptividade da ação de Deus? No meio de tantas transformações, onde Deus está?
  5. 5. 1.O DESEJO DE DEUS INSCRITO NO CORAÇÃO DO HOMEM.
  6. 6. O homem quando nasce já recebe no seu coração a graça do amor Deus. O Ser humano, usando da inteligência dada por Deus, proclama de várias maneiras como buscar a Deus, seja através de orações, cantos, gestos, cultos e sacrifícios.
  7. 7. Graça no Antigo Testamento: A Sagrada Escritura apresenta o tema da graça desde o primeiro livro até o último. Contudo, não há especificamente o conceito de graça no Antigo Testamento. As promessas que Deus faz sempre têm sentido de libertação, um reino de paz e de felicidade. Deus procura libertar o ser humano do mal, Ele quer vê-lo livre e comprometido com o YAHWEH.
  8. 8. O profeta Oséias trabalha a graça de Deus no ser humano com o aspecto do amor e da aliança (OSEIAS 2:16-25); Jeremias realça a amizade entre Deus e o homem; Em Isaias é muito forte a promessa e a volta da amizade e fidelidade a Deus com o exemplo do próprio Messias (Is 9:1-6) ; Ezequiel mostra a complacência que dá graça ao homem (EZEQUIEL 36:24-28).
  9. 9. Graça no Novo Testamento. No Novo Testamento, o ponto-chave da temática da graça está na atividade e na pessoa de Jesus Cristo. Cada evangelho tem uma característica específica da temática da graça. No evangelho de Lucas a noção de graça, em grego charis, submete a misericórdia de Deus (LUCAS 15).
  10. 10. O evangelho de Mateus caracteriza-se pela graça na felicidade e na bênção. Em Marcos, Jesus é o Deus da graça que oferece a todos a salvação, o reino de Deus (MARCOS 15:1). No quarto evangelho, a graça é caracterizada pela fé no Filho de Deus, Cristo (JOÃO 3). No prólogo de São João, aparece um Jesus que se relaciona com o ser humano, mostrando-se a este como caminho, verdade e vida.
  11. 11. 2. A GRAÇA DE DEUS NO SER HUMANO NO PENSAMENTO DO TEOLOGO KARL RAHNER.
  12. 12. Bibliografia Karl Rahner nasceu em 5 de Março de 1904, em Freiburg na Alemanha, como quarto membro de uma família de sete filhos. O pai (18681934) era professor de alemão, de história e de francês, e com ele os filhos aprenderam o sentido e o valor da verdade histórica. A mãe, Luise Trescher, doméstica, morreu aos 101 anos (1875-1976).
  13. 13. “Por que ter vergonha de poder afirmar que nascemos em uma família normal, piedosamente Cristã, acostumada a trabalhar duro, e na qual tudo estava mais ou menos em ordem? As crianças podem ser preguiçosas ou então brigar entre si. Mas no domingo há bolo e vai-se a casa da avó na montanha, perto de Friburgo. Em suma, essa família é realmente sã, as crianças se desenvolvem como seres normais, vão à escola, se formam na universidade, mesmo que haja uma diferença de quatorze anos entre o mais velho e a caçula.” (SESBOÜE, 2004. p. 9)
  14. 14. Em 1922, três semanas após ter concluído os estudos a nível do ensino secundário, Karl Rahner entra também na Companhia de Jesus e inicia o noviciado numa das comunidades jesuítas na Áustria. Enquanto noviço, escreve o seu primeiro artigo, publicado em 1924, abordando um assunto sobre o qual voltará repetidamente ao longo da sua vida: «Porque temos necessidade de rezar?
  15. 15. Em 1932 é ordenado sacerdote na Companhia de Jesus. Em 1936, obteve um doutoramento em Teologia, com o tema: “O pensamento patrístico sobre o Coração Transpassado Salvador como fonte da Igreja” .
  16. 16. Foi um dos principais assessores do Concilio Vaticano II. O papa João XXIII nomeia Ranher como participante da comissão dos sacramentos, participou da comissão de preparação da Lumem Gentium, Dei Verbum e da preparação da Gaudium et Spes. Em1935 publicou a revista Concilium, revista internacional de teologia. Nesta revista teve a colaboração de Yves Congar e Edwuard Schillebeechx.
  17. 17. Ranher afirma que duas são as formas em que Deus se auto-comunica: A Encarnação e a Graça, pois através delas nascem à decisão livre de Deus, de fazer a comunicação com o ser humano.
  18. 18. A graça de Deus habita em todos os lugares, não importa como a pessoa se encontra, mesmo se o ser humano deixou-se levar pelo pecado, a graça está com ele, pois na raiz de seu ser pessoal está Deus. Na auto- comunicação o ser humano tem duas escolhas; ele aceita ou se fecha a graça, pois assim como Deus quis livremente dar a graça a ele, ele pode livremente dizer sim ou não.
  19. 19. Rahner sempre esteve presente na realidade atual, nos desafios, nas dificuldades no que lhe é oferecido, no que o ser humano absorve, por isso ele procurou em seu pensamento teológico, oferecer respostas.
  20. 20. O teólogo afirma que quando Deus entra em comunhão com o homem ele procura entrar diretamente em relação com a criatura, com isso ele observa que essa comunhão é fundamental para a missão apostólica. Ele segue a idéia de que o homem está carente da presença do mistério, e quer conduzi-lo ao conhecimento do anônimo de Deus, pois Ele está no interior de cada ser humano.
  21. 21. Qual a característica da teoria de Rahner, referente a graça? Karl Rahner, ao fala da experiência de Deus, parte da antropologia, do ser humano, pois Deus habita no ser humano.
  22. 22. 3. O ALCANCE DA GRAÇA DE DEUS NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO.
  23. 23. O filosofo Zigmund Bauman utiliza o termo modernidade líquida ao invés de pósmodernidade, pois afirma “que os preceitos duros, sólidos e sedimentados da modernidade derretem-se.” (BAUMAN, 2001, p. 7).
  24. 24. O que marca mais é o vazio existencial próprio da cultura fragmentada e pulverizada por muitas e variadas ofertas no amplo mercado de opções. Neste comércio tudo se oferta, menos certezas que sejam firmes e seguras, algo definitivo por assim dizer. Isso por que a crise do nosso tempo é globalizada da humanidade [...] (MAIA, 2001, p. 46) Pluralidade como um supermercado.
  25. 25. No meio de tudo isso onde está a ação divina? Afonso Rúbio Garcia nos diz que é necessário “continuar a missão da evangelização, a mensagem do evangelho, não de tempos atrás, mas de um modo novo”.
  26. 26. Três meios para vivenciar a graça na atualidade: A fé que não é acreditar em algo vazio e sim acreditar numa pessoa, essa pessoa é Jesus Cristo; A esperança não é algo ou alguma coisa, mas é uma pessoa, a pessoa de Jesus Cristo; Amor que não é somente um sentir ou uma satisfação egoísta, mas é uma pessoa, a pessoa de Jesus cristo.
  27. 27. “O cristão do futuro, ou será místico ou não será cristão”. Karl Ranher

×