SlideShare uma empresa Scribd logo
Maria no Vaticano II
Esquema do Capítulo 8 da Lumen Gentium
Afonso Murad
www.maenossa.blogspot.com
A figura de Maria antes do
Vaticano II:
* Mariologia de “privilégios”.
* Euforia mariana, após o
dogma da Assunção (1950)
* Desequilibrío entre os três
patamares:
-Visão bíblica muito curta,
-Culto ampliado,
-Quatro dogmas.
* O maximalismo mariano: De
Mariam nunquam satis.
* O projeto da cristandade
católica: as três brancuras.
Maria na Lumen Gentium 8
I. Introdução (52-54)
II. A missão de Maria na História
da salvação (55-59)
III. Maria e a Igreja (60-65)
IV. O culto de Maria na Igreja (66-
67)
V. Maria, sinal de esperança para o
Povo de Deus peregrino (68-69)
Introdução
• (53) Maria é a Mãe dos
membros de Cristo porque
cooperou pela caridade para
que na Igreja nascessem os
fiéis que são membros desta
Cabeça.
• (54) Maria ocupa na Igreja o
lugar mais alto depois de Cristo
e o mais perto de nós.
• (54) O Concílio não propõe a
doutrina completa sobre Maria,
nem quer dirimir as questões
ainda não trazidas à plena luz
pelo trabalho dos teólogos.
A missão de Maria na
economia da Salvação
(55) No AT: profeticamente
esboçada como a mulher que
vence a serpente, a Virgem mãe
do Emanuel, uma dos pobres de
Javé e a Filha de Sião.
(56) Na Anunciação: Maria não
é um instrumento meramente
passivo, mas cooperou para a
salvação humana com livre fé e
obediência.
(57) A união entre Mãe e Filho
na obra da salvação: da
concepção virginal até a morte
de Cristo.
A missão de Maria na economia da
Salvação
• (58) No ministério público de
Jesus: ela avançou em
peregrinação de fé, de Caná até a
cruz.
• (59) Em Pentecostes e na
Assunção. Para que mais
plenamente estivesse conforme o
seu Filho, foi exaltada como
Rainha do Universo.
Maria e a Igreja
• (60) Cristo é o único mediador. A missão materna de
Maria não diminui a mediação única de Cristo, mas
mostra a sua potência. Não se origina de uma
necessidade interna, mas do dom de Deus. Não
impede, mas favorece a união dos fiéis com Cristo.
Maria e a Igreja
• (62) Nenhuma criatura jamais pode ser colocada no
mesmo plano do Verbo encarnado e redentor. Mas o
sacerdócio de Cristo é participado de vários modos
pelo povo de Deus, e a bondade de Deus é difundida
nas criaturas. A única mediação do Redentor suscita
nas criaturas uma variada cooperação, que participa
de uma única fonte.
Maria e a Igreja
• (61) Maria foi mãe, companheira
e serva do Senhor, tornando-se
assim para nós mãe, na ordem
da graça.
• (63) Devido à sua maternidade,
à união de missão com Cristo, e
às suas singulares graças e
funções, Maria está também
intimamente relacionada com a
Igreja.
• (64) Como Maria, a Igreja é mãe
e virgem: gera novos filhos pelo
batismo, guarda a palavra dada
ao Esposo, vive na fé, esperança
e caridade.
O culto de Maria na Igreja
(66) O culto a Maria é
singular, diferindo e se
orientando para o culto à
Trindade.
(67) O Concílio recomenda o
culto à Maria, evitando tantos
os exageros quanto a
demasiada estreiteza de
espírito. A verdadeira
devoção à Maria não consiste
num estéril e transitório
afeto, nem numa vã
credulidade, mas no
reconhecimento da figura de
Maria e no seguimento de sua
vida de fé (virtudes).
Maria, sinal para o Povo de Deus
peregrino
• (68) Maria assunta ao Céu é a
imagem e o começo da Igreja
como deverá ser consumada no
tempo futuro. Assim também
brilha aqui na terra como sinal
de esperança segura e do
conforto para o povo de Deus
em peregrinação, até que
chegue o dia do Senhor.
Contribuição do Vaticano II
(Lumen Gentium, capítulo 8)
• Apresenta Maria em relação a
Cristo e à Igreja.
• Traz nova luz para os dogmas
marianos e o culto a Maria, a
partir da História da Salvação.
• Elabora discurso equilibrado e
atual, que evita a lógica dos
privilégios, os silogismos e os
argumentos de conveniência.
• Estimula os teólogos a
aprofundar temas (LG 54).
Contribuição do Vaticano II
• Fundamenta-se em textos bíblicos e
patrísticos. Não em tratados de devoção
ou mensagens de videntes.
• Amplia o perfil bíblico de Maria:
companheira de Jesus, servidora (LG 61),
mulher que avança em peregrinação na
fé, de Caná até a cruz (LG 58).
• Sustenta: “Jesus é o único mediador”.
Maria e os Santos cooperam na missão
salvífica de Jesus, que não os elevam ao
mesmo nível de Cristo.
• Supera a ambiguidade de títulos
marianos como “medianeira” e
“corredentora”.
Contribuição do Vaticano II
• Aponta as relações de Maria
com a comunidade eclesial:
membro, mãe e protótipo da
Igreja.
• Alerta sobre os equívocos do
minimalismo e do
maximalismo.
• Denuncia a devoção vazia.
Valoriza inspirar-se no perfil
bíblico-espiritual de Maria
(suas virtudes).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Culto a virgem maria
Culto a virgem mariaCulto a virgem maria
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalUma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
IRINEU FILHO
 
Formação Sagrada Escritura
Formação Sagrada EscrituraFormação Sagrada Escritura
Escola Bíblica - Eclesiologia
Escola Bíblica - EclesiologiaEscola Bíblica - Eclesiologia
Escola Bíblica - Eclesiologia
Alex Camargo
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
lomes
 
Curso de-ministros
Curso de-ministrosCurso de-ministros
Curso de-ministros
Wesley Mallbross
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
Luís Miguel Rodrigues
 
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumoCatequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequista Josivaldo
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
iaymesobrino
 
Vocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios LeigosVocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios Leigos
Paróquia Nossa Senhora da Salete
 
Estudo do documento 100
Estudo do documento 100Estudo do documento 100
Estudo do documento 100
IRINEU FILHO
 
Concílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 AnosConcílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 Anos
Rubens Júnior
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
paroquiasaojose
 
Formação para catequistas
Formação para catequistasFormação para catequistas
Formação para catequistas
Alexandre Alves Rocha
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
Pe Gil Medeiros
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
Francisco Rodrigues
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
Cassio Felipe
 
Apostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgiaApostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgia
Simone Oliveira
 
Historia da catequese
Historia da catequese Historia da catequese
Historia da catequese
Ramon Gimenez
 

Mais procurados (20)

Culto a virgem maria
Culto a virgem mariaCulto a virgem maria
Culto a virgem maria
 
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenalUma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
Uma nova catequese - reflexão para catequese em estilo catecumenal
 
Formação Sagrada Escritura
Formação Sagrada EscrituraFormação Sagrada Escritura
Formação Sagrada Escritura
 
Escola Bíblica - Eclesiologia
Escola Bíblica - EclesiologiaEscola Bíblica - Eclesiologia
Escola Bíblica - Eclesiologia
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
 
Curso de-ministros
Curso de-ministrosCurso de-ministros
Curso de-ministros
 
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de CatequeseCNBB - Diretorio Nancional de Catequese
CNBB - Diretorio Nancional de Catequese
 
Catequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumoCatequese batismo-adultos-resumo
Catequese batismo-adultos-resumo
 
Formação em Liturgia
Formação em LiturgiaFormação em Liturgia
Formação em Liturgia
 
Vocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios LeigosVocação E Ministérios Leigos
Vocação E Ministérios Leigos
 
Estudo do documento 100
Estudo do documento 100Estudo do documento 100
Estudo do documento 100
 
Concílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 AnosConcílio Vaticano II - 50 Anos
Concílio Vaticano II - 50 Anos
 
Catecumenato
CatecumenatoCatecumenato
Catecumenato
 
Formação para catequistas
Formação para catequistasFormação para catequistas
Formação para catequistas
 
Uma nova paroquia
Uma nova paroquiaUma nova paroquia
Uma nova paroquia
 
A espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequistaA espiritualidade do catequista
A espiritualidade do catequista
 
A Santa Missa
A Santa MissaA Santa Missa
A Santa Missa
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
 
Apostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgiaApostila do curso de liturgia
Apostila do curso de liturgia
 
Historia da catequese
Historia da catequese Historia da catequese
Historia da catequese
 

Semelhante a Maria no Vaticano II: Esquema do capítulo 8 da lumen gentium.

Marianocultocristodevooeliturgia
MarianocultocristodevooeliturgiaMarianocultocristodevooeliturgia
Marianocultocristodevooeliturgia
Oswaldo Michaelano
 
Maria após o Vaticano II na teologia latino-americana
Maria após o Vaticano II na teologia latino-americanaMaria após o Vaticano II na teologia latino-americana
Maria após o Vaticano II na teologia latino-americana
Afonso Murad (FAJE)
 
Maria após o vaticano II na teologia latinoamericana
Maria após o vaticano II na teologia latinoamericanaMaria após o vaticano II na teologia latinoamericana
Maria após o vaticano II na teologia latinoamericana
Afonso Murad (FAJE)
 
A intercessão de maria (afonso murad)
A intercessão de maria (afonso murad)A intercessão de maria (afonso murad)
A intercessão de maria (afonso murad)
Afonso Murad (FAJE)
 
Maria no documento de aparecida
Maria no documento de aparecidaMaria no documento de aparecida
Maria no documento de aparecida
Afonso Murad (FAJE)
 
Breve História da Teologia Mariana.docx
Breve História da Teologia Mariana.docxBreve História da Teologia Mariana.docx
Breve História da Teologia Mariana.docx
LuizHonorio4
 
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptxMaria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
JailsonAndersen
 
O rosto mariano da igreja fundamentos teologicos
O rosto mariano da igreja  fundamentos teologicosO rosto mariano da igreja  fundamentos teologicos
O rosto mariano da igreja fundamentos teologicos
Afonso Murad (FAJE)
 
História da catequese
História da catequeseHistória da catequese
História da catequese
Francisco Rodrigues
 
Marialis cultus (apresentação didática)
Marialis cultus (apresentação didática)Marialis cultus (apresentação didática)
Marialis cultus (apresentação didática)
Afonso Murad (FAJE)
 
Bna a a assuncao
Bna a a assuncaoBna a a assuncao
Bna a a assuncao
daniela-bertoncello
 
Assunção
AssunçãoAssunção
Assunção
Marly Fernandes
 
SLIDE maria.docx
SLIDE maria.docxSLIDE maria.docx
SLIDE maria.docx
NagilaRodrigues4
 
A mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latina
A mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latinaA mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latina
A mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latina
Afonso Murad (FAJE)
 
O culto a maria
O culto a mariaO culto a maria
O culto a maria
Adriana Nacif
 
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivasDevoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Afonso Murad (FAJE)
 
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃPARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
Ramon Gimenez
 
Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1
Patricio Darvisson
 
C1420 assuncao
C1420 assuncaoC1420 assuncao
C1420 assuncao
Isaura Miike
 
Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora – ano a –17...
Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora  – ano a  –17...Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora  – ano a  –17...
Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora – ano a –17...
José Luiz Silva Pinto
 

Semelhante a Maria no Vaticano II: Esquema do capítulo 8 da lumen gentium. (20)

Marianocultocristodevooeliturgia
MarianocultocristodevooeliturgiaMarianocultocristodevooeliturgia
Marianocultocristodevooeliturgia
 
Maria após o Vaticano II na teologia latino-americana
Maria após o Vaticano II na teologia latino-americanaMaria após o Vaticano II na teologia latino-americana
Maria após o Vaticano II na teologia latino-americana
 
Maria após o vaticano II na teologia latinoamericana
Maria após o vaticano II na teologia latinoamericanaMaria após o vaticano II na teologia latinoamericana
Maria após o vaticano II na teologia latinoamericana
 
A intercessão de maria (afonso murad)
A intercessão de maria (afonso murad)A intercessão de maria (afonso murad)
A intercessão de maria (afonso murad)
 
Maria no documento de aparecida
Maria no documento de aparecidaMaria no documento de aparecida
Maria no documento de aparecida
 
Breve História da Teologia Mariana.docx
Breve História da Teologia Mariana.docxBreve História da Teologia Mariana.docx
Breve História da Teologia Mariana.docx
 
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptxMaria Dogmas e doutrinas.pptx
Maria Dogmas e doutrinas.pptx
 
O rosto mariano da igreja fundamentos teologicos
O rosto mariano da igreja  fundamentos teologicosO rosto mariano da igreja  fundamentos teologicos
O rosto mariano da igreja fundamentos teologicos
 
História da catequese
História da catequeseHistória da catequese
História da catequese
 
Marialis cultus (apresentação didática)
Marialis cultus (apresentação didática)Marialis cultus (apresentação didática)
Marialis cultus (apresentação didática)
 
Bna a a assuncao
Bna a a assuncaoBna a a assuncao
Bna a a assuncao
 
Assunção
AssunçãoAssunção
Assunção
 
SLIDE maria.docx
SLIDE maria.docxSLIDE maria.docx
SLIDE maria.docx
 
A mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latina
A mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latinaA mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latina
A mariologia após o vaticano ii no brasil e na américa latina
 
O culto a maria
O culto a mariaO culto a maria
O culto a maria
 
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivasDevoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
 
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃPARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
PARÓQUIA SÃO GERALDO - INICIAÇÃO CRISTÃ
 
Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1Maria e a revelação bíblica1
Maria e a revelação bíblica1
 
C1420 assuncao
C1420 assuncaoC1420 assuncao
C1420 assuncao
 
Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora – ano a –17...
Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora  – ano a  –17...Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora  – ano a  –17...
Roteiro homilético do 20.º dom. t cm. assunção de nossa senhora – ano a –17...
 

Mais de Angela Cabrera

A Profecia nas Origens e suas Recepções
A Profecia nas Origens e suas RecepçõesA Profecia nas Origens e suas Recepções
A Profecia nas Origens e suas Recepções
Angela Cabrera
 
El amor en la familia
El amor en la familia El amor en la familia
El amor en la familia
Angela Cabrera
 
Mecanismo encefálico del comportamiento
Mecanismo encefálico del comportamientoMecanismo encefálico del comportamiento
Mecanismo encefálico del comportamiento
Angela Cabrera
 
Revista clar no 3 2017 final2
Revista clar no 3 2017   final2Revista clar no 3 2017   final2
Revista clar no 3 2017 final2
Angela Cabrera
 
Entrevista biblista
Entrevista biblistaEntrevista biblista
Entrevista biblista
Angela Cabrera
 
Mindfulness guía para educadores
Mindfulness   guía para educadoresMindfulness   guía para educadores
Mindfulness guía para educadores
Angela Cabrera
 
El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.
El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.
El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.
Angela Cabrera
 
Revista CLAR no 2 2017
Revista CLAR no 2 2017Revista CLAR no 2 2017
Revista CLAR no 2 2017
Angela Cabrera
 
María en el nuevo testamento
María en el nuevo testamentoMaría en el nuevo testamento
María en el nuevo testamento
Angela Cabrera
 
Mujeres de Oración y Predicación
Mujeres de Oración y PredicaciónMujeres de Oración y Predicación
Mujeres de Oración y Predicación
Angela Cabrera
 
La Participación de María en la Pasión del Señor
La Participación de María en la Pasión del SeñorLa Participación de María en la Pasión del Señor
La Participación de María en la Pasión del Señor
Angela Cabrera
 
La misericordia de dios en el magníficat
La misericordia de dios en el magníficatLa misericordia de dios en el magníficat
La misericordia de dios en el magníficat
Angela Cabrera
 
Mujeres de oración
Mujeres de oraciónMujeres de oración
Mujeres de oración
Angela Cabrera
 
La participación de María en la pasión del señor
La participación de María en la pasión del señorLa participación de María en la pasión del señor
La participación de María en la pasión del señor
Angela Cabrera
 
La participación de maría en la pasión del señor
La participación de maría en la pasión del señorLa participación de maría en la pasión del señor
La participación de maría en la pasión del señor
Angela Cabrera
 
Retiro mariano
Retiro marianoRetiro mariano
Retiro mariano
Angela Cabrera
 
Los encuentros con jesús
Los encuentros con jesúsLos encuentros con jesús
Los encuentros con jesús
Angela Cabrera
 
Retiro con nuestra señora
Retiro con nuestra señoraRetiro con nuestra señora
Retiro con nuestra señora
Angela Cabrera
 
Guía mes de abril 2017
Guía mes de abril 2017Guía mes de abril 2017
Guía mes de abril 2017
Angela Cabrera
 
Estadisticas iglesia dominicana
Estadisticas iglesia dominicanaEstadisticas iglesia dominicana
Estadisticas iglesia dominicana
Angela Cabrera
 

Mais de Angela Cabrera (20)

A Profecia nas Origens e suas Recepções
A Profecia nas Origens e suas RecepçõesA Profecia nas Origens e suas Recepções
A Profecia nas Origens e suas Recepções
 
El amor en la familia
El amor en la familia El amor en la familia
El amor en la familia
 
Mecanismo encefálico del comportamiento
Mecanismo encefálico del comportamientoMecanismo encefálico del comportamiento
Mecanismo encefálico del comportamiento
 
Revista clar no 3 2017 final2
Revista clar no 3 2017   final2Revista clar no 3 2017   final2
Revista clar no 3 2017 final2
 
Entrevista biblista
Entrevista biblistaEntrevista biblista
Entrevista biblista
 
Mindfulness guía para educadores
Mindfulness   guía para educadoresMindfulness   guía para educadores
Mindfulness guía para educadores
 
El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.
El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.
El Don de la Vocación Presbiteral: Un Estudio Reflexivo.
 
Revista CLAR no 2 2017
Revista CLAR no 2 2017Revista CLAR no 2 2017
Revista CLAR no 2 2017
 
María en el nuevo testamento
María en el nuevo testamentoMaría en el nuevo testamento
María en el nuevo testamento
 
Mujeres de Oración y Predicación
Mujeres de Oración y PredicaciónMujeres de Oración y Predicación
Mujeres de Oración y Predicación
 
La Participación de María en la Pasión del Señor
La Participación de María en la Pasión del SeñorLa Participación de María en la Pasión del Señor
La Participación de María en la Pasión del Señor
 
La misericordia de dios en el magníficat
La misericordia de dios en el magníficatLa misericordia de dios en el magníficat
La misericordia de dios en el magníficat
 
Mujeres de oración
Mujeres de oraciónMujeres de oración
Mujeres de oración
 
La participación de María en la pasión del señor
La participación de María en la pasión del señorLa participación de María en la pasión del señor
La participación de María en la pasión del señor
 
La participación de maría en la pasión del señor
La participación de maría en la pasión del señorLa participación de maría en la pasión del señor
La participación de maría en la pasión del señor
 
Retiro mariano
Retiro marianoRetiro mariano
Retiro mariano
 
Los encuentros con jesús
Los encuentros con jesúsLos encuentros con jesús
Los encuentros con jesús
 
Retiro con nuestra señora
Retiro con nuestra señoraRetiro con nuestra señora
Retiro con nuestra señora
 
Guía mes de abril 2017
Guía mes de abril 2017Guía mes de abril 2017
Guía mes de abril 2017
 
Estadisticas iglesia dominicana
Estadisticas iglesia dominicanaEstadisticas iglesia dominicana
Estadisticas iglesia dominicana
 

Último

Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 

Último (14)

Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 

Maria no Vaticano II: Esquema do capítulo 8 da lumen gentium.

  • 1. Maria no Vaticano II Esquema do Capítulo 8 da Lumen Gentium Afonso Murad www.maenossa.blogspot.com
  • 2. A figura de Maria antes do Vaticano II: * Mariologia de “privilégios”. * Euforia mariana, após o dogma da Assunção (1950) * Desequilibrío entre os três patamares: -Visão bíblica muito curta, -Culto ampliado, -Quatro dogmas. * O maximalismo mariano: De Mariam nunquam satis. * O projeto da cristandade católica: as três brancuras.
  • 3. Maria na Lumen Gentium 8 I. Introdução (52-54) II. A missão de Maria na História da salvação (55-59) III. Maria e a Igreja (60-65) IV. O culto de Maria na Igreja (66- 67) V. Maria, sinal de esperança para o Povo de Deus peregrino (68-69)
  • 4. Introdução • (53) Maria é a Mãe dos membros de Cristo porque cooperou pela caridade para que na Igreja nascessem os fiéis que são membros desta Cabeça. • (54) Maria ocupa na Igreja o lugar mais alto depois de Cristo e o mais perto de nós. • (54) O Concílio não propõe a doutrina completa sobre Maria, nem quer dirimir as questões ainda não trazidas à plena luz pelo trabalho dos teólogos.
  • 5. A missão de Maria na economia da Salvação (55) No AT: profeticamente esboçada como a mulher que vence a serpente, a Virgem mãe do Emanuel, uma dos pobres de Javé e a Filha de Sião. (56) Na Anunciação: Maria não é um instrumento meramente passivo, mas cooperou para a salvação humana com livre fé e obediência. (57) A união entre Mãe e Filho na obra da salvação: da concepção virginal até a morte de Cristo.
  • 6. A missão de Maria na economia da Salvação • (58) No ministério público de Jesus: ela avançou em peregrinação de fé, de Caná até a cruz. • (59) Em Pentecostes e na Assunção. Para que mais plenamente estivesse conforme o seu Filho, foi exaltada como Rainha do Universo.
  • 7. Maria e a Igreja • (60) Cristo é o único mediador. A missão materna de Maria não diminui a mediação única de Cristo, mas mostra a sua potência. Não se origina de uma necessidade interna, mas do dom de Deus. Não impede, mas favorece a união dos fiéis com Cristo.
  • 8. Maria e a Igreja • (62) Nenhuma criatura jamais pode ser colocada no mesmo plano do Verbo encarnado e redentor. Mas o sacerdócio de Cristo é participado de vários modos pelo povo de Deus, e a bondade de Deus é difundida nas criaturas. A única mediação do Redentor suscita nas criaturas uma variada cooperação, que participa de uma única fonte.
  • 9. Maria e a Igreja • (61) Maria foi mãe, companheira e serva do Senhor, tornando-se assim para nós mãe, na ordem da graça. • (63) Devido à sua maternidade, à união de missão com Cristo, e às suas singulares graças e funções, Maria está também intimamente relacionada com a Igreja. • (64) Como Maria, a Igreja é mãe e virgem: gera novos filhos pelo batismo, guarda a palavra dada ao Esposo, vive na fé, esperança e caridade.
  • 10. O culto de Maria na Igreja (66) O culto a Maria é singular, diferindo e se orientando para o culto à Trindade. (67) O Concílio recomenda o culto à Maria, evitando tantos os exageros quanto a demasiada estreiteza de espírito. A verdadeira devoção à Maria não consiste num estéril e transitório afeto, nem numa vã credulidade, mas no reconhecimento da figura de Maria e no seguimento de sua vida de fé (virtudes).
  • 11. Maria, sinal para o Povo de Deus peregrino • (68) Maria assunta ao Céu é a imagem e o começo da Igreja como deverá ser consumada no tempo futuro. Assim também brilha aqui na terra como sinal de esperança segura e do conforto para o povo de Deus em peregrinação, até que chegue o dia do Senhor.
  • 12. Contribuição do Vaticano II (Lumen Gentium, capítulo 8) • Apresenta Maria em relação a Cristo e à Igreja. • Traz nova luz para os dogmas marianos e o culto a Maria, a partir da História da Salvação. • Elabora discurso equilibrado e atual, que evita a lógica dos privilégios, os silogismos e os argumentos de conveniência. • Estimula os teólogos a aprofundar temas (LG 54).
  • 13. Contribuição do Vaticano II • Fundamenta-se em textos bíblicos e patrísticos. Não em tratados de devoção ou mensagens de videntes. • Amplia o perfil bíblico de Maria: companheira de Jesus, servidora (LG 61), mulher que avança em peregrinação na fé, de Caná até a cruz (LG 58). • Sustenta: “Jesus é o único mediador”. Maria e os Santos cooperam na missão salvífica de Jesus, que não os elevam ao mesmo nível de Cristo. • Supera a ambiguidade de títulos marianos como “medianeira” e “corredentora”.
  • 14. Contribuição do Vaticano II • Aponta as relações de Maria com a comunidade eclesial: membro, mãe e protótipo da Igreja. • Alerta sobre os equívocos do minimalismo e do maximalismo. • Denuncia a devoção vazia. Valoriza inspirar-se no perfil bíblico-espiritual de Maria (suas virtudes).