EstresseemImunologia
2Docente: Maira BritoDiscentes: Osneide FrançaNancy de AraújoIumara MachadoKeylianeFrancieleAlessandraJulianaIngredi
Definição3Estresse:É o conjunto de reações do organismo aagressões de ordemfísica, psíquica, infecciosa, e outrascapazes d...
4 Ansiedade ; Depressão ; Exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentirum determinado tipo de angústi...
5Pesquisas recentes no ramo da psiconeuroimunologia estãofornecendo algumas explicações sobre as vias pelas quais oestress...
Como o estresse altera o sistemaimune?6O estresse está associado à liberação de hormônios que, além dealterar vários aspe...
7Figura 1. O estresse ativa o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal:a hipófise anterior libera o hormônio ACTH, que induz alibe...
Cortisol8 O cortisol é necessário para a vida, de modo que seus níveis nosangue são estreitamente controladas. Quando há ...
ACTH(adenocorticotrófico)9 O hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) é o principal reguladorda produção e secreção de cortis...
10 Estudos demonstraram que, durante a terapia com glicocorticóides(ou no estresse crônico), os linfócitos migram para a ...
11 Os hormônios do estresse também alteram várias funções doslinfócitos. Quando uma infecção se instala, essas células de...
Resposta fisiológica ao estresse12 O célebre endocrinologista canadense Hans Selye(1907-1982) foi oprimeiro a formular o ...
13Estressores sensoriais ou físicos envolvem um contato direto como organismo. O estresse psicológico acontece quando o s...
14A reação do organismo aos agentes estressores tem umpropósito evolutivo. É em essência uma resposta ao perigo, queSelye ...
152. segundo estágio (adaptação)→ o organismo repara os danoscausados pela reação de alarme,reduzindo os níveis hormonais....
16A dica não é consumir apenas quando o problema já existe e sim tê-losdiariamente no cardápio, influenciando nossos tempe...
17Exercícios físicosDormir bemAtividades prazerosas
‹#›
19
20“Não se estresse com osproblemas da vida, leve-os naesportiva, e mostre-os que assoluções os superam!”
REFERÊNCIAS21 PEAKMAN, Mark Vergan. Imunologia Básica e Clínica, Riode Janeiro. ABBA, I. Terr, MD. Imunologia Médica, 10...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Estresse em Imunologia

5.904 visualizações

Publicada em

Assuntos abordados: Como o estresse afeta o sistema imunológico?
Qual a resposta do sistema imune diante de um estresse?
Quais danos podem causar ao sistema imune?
Quais medidas devem ser tomadas para combater e evitar situações de estresse?

Publicada em: Saúde e medicina, Tecnologia
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.904
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estresse em Imunologia

  1. 1. EstresseemImunologia
  2. 2. 2Docente: Maira BritoDiscentes: Osneide FrançaNancy de AraújoIumara MachadoKeylianeFrancieleAlessandraJulianaIngredi
  3. 3. Definição3Estresse:É o conjunto de reações do organismo aagressões de ordemfísica, psíquica, infecciosa, e outrascapazes de perturbar ahomeostase(equilíbrio).
  4. 4. 4 Ansiedade ; Depressão ; Exposição a um determinado ambiente, que leva a pessoa a sentirum determinado tipo de angústia.Consequência: Os mecanismos de defesa passam anão responder de uma forma eficaz,aumentando assim a possibilidade devir a ocorrer doenças,especialmentecardiovasculares.Causas:
  5. 5. 5Pesquisas recentes no ramo da psiconeuroimunologia estãofornecendo algumas explicações sobre as vias pelas quais oestresse afeta o sistema imunológico, modulando as respostas dedefesa do organismo.Uma pessoa estressada tem suas defesas diminuídas. É nessesmomentos que pode pegar herpes ou uma gripe, por exemplo.
  6. 6. Como o estresse altera o sistemaimune?6O estresse está associado à liberação de hormônios que, além dealterar vários aspectos da fisiologia, têm ainda um efeito modulador dasdefesas do organismo. Em humanos, o principal hormônio com essasfunções é o cortisol (glicocorticóide).Os níveis de cortisol no sangue aumentam drasticamente após aativação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, que ocorre durante oestresse e a depressão clínica.
  7. 7. 7Figura 1. O estresse ativa o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal:a hipófise anterior libera o hormônio ACTH, que induz aliberação de cortisol – principal hormônio regulador dosistema imunológico – pelo córtex das glândulas adrenais.
  8. 8. Cortisol8 O cortisol é necessário para a vida, de modo que seus níveis nosangue são estreitamente controladas. Quando há aumento dos níveisde cortisol, os níveis de ACTH normalmente caem. Quando os níveis decortisol caem, os níveis de ACTH normalmente subir. A produção de cortisol se dá a partir de um estímulo estressante(atividade física ou contusão em alguma parte do corpo), que transmiteimpulsos nervosos ao hipotálamo. O Cortisol é um hormônio corticosteróide da família dos esteróides,produzido pela parte superior da glândula supra-renal, diretamenteenvolvido na resposta ao estresse.
  9. 9. ACTH(adenocorticotrófico)9 O hormônio adrenocorticotrófico (ACTH) é o principal reguladorda produção e secreção de cortisol. O ACTH é produzido pela adeno-hipófise e sua liberação écontrolada, como quase todos hormônios hipofisários, pelohipotálamo através do CRH (corticotropina). Sua função é a estimulação da atividade endócrina da córtex adrenalem todas as suas etapas desde a captação do colesterol circulante, oua sua síntese a partir do acetato, além da síntese e secreção doscorticoesteróides
  10. 10. 10 Estudos demonstraram que, durante a terapia com glicocorticóides(ou no estresse crônico), os linfócitos migram para a medula óssea, talvezcomo uma proteção contra os efeitos nocivos dos níveis elevados deglicocorticóides circulantes.Figura 2. Durante o estresse ou o tratamento com glicocorticóides, há umaredução temporária do número de linfócitos e aumento do de neutrófilos ecélulas natural killer no sangue – os linfócitos parecem migrar para amedula óssea e a pele (tecido em que permanecem ativados)
  11. 11. 11 Os hormônios do estresse também alteram várias funções doslinfócitos. Quando uma infecção se instala, essas células de defesatêm, por exemplo, a capacidade de se multiplicar, o que aumentaas chances de remover o agente infeccioso. Diversos estudos têm demonstrado que o estresse crônico diminuia proliferação linfocitária, o que também acontece na depressãoclínica. Esse resultado indica que em indivíduos cronicamente estressadoso risco de desenvolvimento de doenças infecciosas aumenta, emespecial nos idosos que já têm suas defesas debilitadas.
  12. 12. Resposta fisiológica ao estresse12 O célebre endocrinologista canadense Hans Selye(1907-1982) foi oprimeiro a formular o conceito de estresse. Ele observou que organismos diferentes apresentam um mesmopadrão de resposta fisiológica para uma série de experiências sensoriaisou psicológicas que têm efeitos nocivos em órgãos, tecidos ou processosmetabólicos (ou são percebidas pela mente como perigosas ou nocivas).Tais experiências são, portanto, descritas como estressoras.
  13. 13. 13Estressores sensoriais ou físicos envolvem um contato direto como organismo. O estresse psicológico acontece quando o sistema nervoso central éativado através de mecanismos puramente cognitivos (que envolvem amente), sem qualquer contato com o organismo. Um terceiro tipo de estressor pode ainda ser considerado: asinfecções. Vírus, bactérias, fungos ou parasitas que infectam o serhumano induzem a liberação de citocinas pelos macrófagos, os glóbulosbrancos especializados na destruição, por fagocitose, de qualquerinvasor do organismo. Estariam incluídos nesse caso subir escadas, correr umamaratona, sofrer mudanças de temperatura (calor ou frio emexcesso), fazer vôo livre ou bungee jumping etc.
  14. 14. 14A reação do organismo aos agentes estressores tem umpropósito evolutivo. É em essência uma resposta ao perigo, queSelye dividiu em três estágios:1. Primeiro estágio (alarme)→ o corpo reconheceo estressor eativa o sistema neuroendócrino.• A função dessa resposta fisiológica é preparar o organismopara a ação, que pode ser de luta ou fuga ao estresse.•As glândulas adrenais, ou supra-renais, passam então a produzire liberar os hormônios do estresse (adrenalina, noradrenalina ecortisol).
  15. 15. 152. segundo estágio (adaptação)→ o organismo repara os danoscausados pela reação de alarme,reduzindo os níveis hormonais.3. O terceiro estágio (exaustão) →começa e pode provocar osurgimento de uma doença associada à condição estressante.• De modo geral, pode-se afirmar que o organismo humano estámuito bem adaptado para lidar com estresse agudo, se ele nãoocorrer com muita freqüência.
  16. 16. 16A dica não é consumir apenas quando o problema já existe e sim tê-losdiariamente no cardápio, influenciando nossos temperamentos e impulsos.Dicas:
  17. 17. 17Exercícios físicosDormir bemAtividades prazerosas
  18. 18. ‹#›
  19. 19. 19
  20. 20. 20“Não se estresse com osproblemas da vida, leve-os naesportiva, e mostre-os que assoluções os superam!”
  21. 21. REFERÊNCIAS21 PEAKMAN, Mark Vergan. Imunologia Básica e Clínica, Riode Janeiro. ABBA, I. Terr, MD. Imunologia Médica, 10ª edição, Rio deJaneiro. Acesso: 17/13 às17:20, www.fmrp.usp.br/iba/.../01_imunidade

×