Institucional

1.669 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.669
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Institucional

  1. 1. Interação Universidade, Empresa e Governo O caso PUCRS Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
  2. 2. Agenda <ul><li>Contexto </li></ul><ul><li>PUCRS em números </li></ul><ul><li>Evolução e Conceitos </li></ul><ul><li>Perspectivas </li></ul><ul><li>O caso PUCRS </li></ul><ul><li>Considerações finais </li></ul>
  3. 3. Contexto <ul><li>“ Para enfrentar os próximos desafios, a PUCRS tem compromisso com o desenvolvimento da ciência, aumento do conhecimento, e preparo de seus estudantes para os desafios de suas vidas como cidadãos” </li></ul>Joaquim Clotet Reitor da PUCRS
  4. 4. Contexto <ul><li>Missão </li></ul><ul><li>A PUCRS, fundamentada em princípios da ética e do cristianismo e na tradição educativa marista, tem por missão produzir e difundir conhecimento e promover a formação humana e profissional, orientada por critérios de qualidade e relevância, na busca de uma sociedade justa e fraterna </li></ul>
  5. 5. Contexto <ul><li>Visão </li></ul><ul><li>Em 2010, a PUCRS será referência nacional e internacional pela relevância das pesquisas e excelência dos seus cursos e serviços, com a marca da inovação e da ação solidária, promovendo a interação com a comunidade, a qualidade de vida e o diálogo entre ciência e fé </li></ul>
  6. 6. Contexto <ul><li>Sociedade do Conhecimento </li></ul><ul><ul><li>Mudanças  Novas demandas </li></ul></ul><ul><ul><li>Conhecimento e Inovação </li></ul></ul><ul><ul><li>Novo papel das Universidades </li></ul></ul><ul><li>Globalização </li></ul><ul><ul><li>Internacionalização </li></ul></ul><ul><ul><li>Mundo plano </li></ul></ul>
  7. 7. Contexto <ul><li>Políticas Públicas (Educação e C,T&I) </li></ul><ul><ul><li>Reforma Universitária </li></ul></ul><ul><ul><li>Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG), Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE) </li></ul></ul><ul><ul><li>Fontes de recursos para pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fundos Setoriais, Empresas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pesquisa Básica & Aplicada </li></ul></ul></ul><ul><li>Sustentabilidade </li></ul><ul><ul><li>Foco na demanda </li></ul></ul><ul><ul><li>Redução nº. de alunos de Graduação </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Poder aquisitivo, evasão, aumento oferta </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Financiamento da Pesquisa e Pós-Graduação </li></ul></ul><ul><ul><li>Fontes alternativas </li></ul></ul>
  8. 8. PUCRS em números
  9. 9. PUCRS em números <ul><li>Cursos </li></ul><ul><li>Graduação > 50 </li></ul><ul><li>Pós-graduação Lato sensu 116 </li></ul><ul><li>Pós-graduação Strictu sensu 40 </li></ul><ul><ul><li>Mestrados 23 </li></ul></ul><ul><ul><li>Doutorados 17 </li></ul></ul>
  10. 10. PUCRS em números <ul><li>Numero de estudantes </li></ul><ul><ul><li>Graduação 26.424 </li></ul></ul><ul><ul><li>Pós-graduação 5.049 </li></ul></ul><ul><li>Professores 1.678 </li></ul><ul><ul><li>80% mestres e doutores  36% TIC </li></ul></ul><ul><li>Pessoal técnico </li></ul><ul><li>administrativo (com HSL) 4.245 </li></ul>
  11. 11. PUCRS em números <ul><li>Grupos de Pesquisa CNPq </li></ul><ul><ul><li>247  17º geral  1º particulares </li></ul></ul><ul><li>Matriculados </li></ul><ul><ul><li>2004: 1600 ● 2005: 1750 </li></ul></ul><ul><ul><li>2006: 1800 ● 2007: 1970 </li></ul></ul><ul><li>Bolsas de Mestrado/Doutorado CNPq, CAPES, ProBolsas </li></ul><ul><ul><li>2004: 634 ● 2005: 736 </li></ul></ul><ul><ul><li>2006: 802 ● 2007: 956 </li></ul></ul><ul><ul><li>2008: 1.116 </li></ul></ul><ul><li>Bolsas Iniciação Científica </li></ul><ul><li>BPA - PUCRS </li></ul><ul><ul><li>2004: 80 ● 2005: 125 </li></ul></ul><ul><ul><li>2006: 146 ● 2007: 220 </li></ul></ul>
  12. 12. PUCRS em números <ul><li>Projetos de P&D </li></ul>85.571.616,10 49.093.700,37 323 6.737.645,39 29.740.270,15 32 Totais 32.803.014,48 12.755.870,60 70 4.002.000,00 16.045.143,88 11 2006 14.083.359,12 6.164.861,10 58 394.135,39 7.524.362,63 10 2005 12.697.268,76 6.513.667,76 51 1.465.510,00 4.718.091,00 8 2004 10.160.264,13 8.167.514,13 55 876.000,00 1.116.750,00 2 2003 8.101.656,06 7.765.733,42 49   335.922,64 1 2002 4.728.421,19 4.728.421,00 18       2001 1.422.800,07 1.422.800,07 13       2000 1.574.832,29 1.574.832,29 9       1999   Empresas Qt. Co-Financiador Finep Qt. Totais Projetos Empresas Projetos Finep Ano
  13. 13. PUCRS Imagens do campus
  14. 14. PUCRS Centro esportivo
  15. 15. PUCRS Educação a distância
  16. 16. PUCRS Hospital São Lucas
  17. 17. PUCRS Museu de Ciências e Tecnologia
  18. 18. PUCRS Laboratórios
  19. 19. PUCRS Projeto Pró-Mata
  20. 20. PUCRS Faculdade de Informática
  21. 21. PUCRS B iblioteca
  22. 22. Evolução <ul><li>Universidade Clássica </li></ul><ul><ul><li>Século XI </li></ul></ul><ul><ul><li>Associação de professores e alunos </li></ul></ul><ul><ul><li>Ênfase no ensino </li></ul></ul>
  23. 23. Evolução <ul><li>Universidade de Pesquisa </li></ul><ul><ul><li>Século XIX </li></ul></ul><ul><ul><li>Ênfase no ensino e na pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Criação de Grupos e Centros de Pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>Muitas Universidades com tensões entre as áreas de ensino e pesquisa </li></ul></ul>
  24. 24. Evolução <ul><li>Universidade Empreendedora (Inovadora) </li></ul><ul><ul><li>Segunda metade do século XX </li></ul></ul><ul><ul><li>Harvard (1947), MIT (1958), Stanford </li></ul></ul><ul><ul><li>Ensino, pesquisa e empreendedorismo (Inovação) </li></ul></ul><ul><ul><li>Vetor de desenvolvimento econômico e social da sociedade </li></ul></ul><ul><ul><li>Novas tensões entre as áreas de ensino, pesquisa e empreendedorismo (inovação) </li></ul></ul><ul><ul><li>Maior desafio: como incorporar na missão? </li></ul></ul>
  25. 25. Evolução <ul><li>Entre a tradição e a renovação </li></ul>
  26. 26. Evolução <ul><li>Entre a tradição e a renovação </li></ul>
  27. 27. Evolução <ul><li>Entre a tradição e a renovação </li></ul>
  28. 28. Conceitos <ul><li>Novo papel para a Universidade </li></ul><ul><ul><li>Expandindo seu foco tradicional na formação e capacitação (ensino e pesquisa) </li></ul></ul><ul><ul><li>Agregando à sua missão a atuação direta no processo de desenvolvimento econômico, cultural e social da sociedade </li></ul></ul><ul><ul><li>Gerando novas oportunidades e desafios para o ensino, a pesquisa e a extensão </li></ul></ul>
  29. 29. Conceitos <ul><li>Inovação </li></ul><ul><ul><li>Associada a todo processo de busca do novo que, de alguma maneira, agregue valor a Universidade, e por conseqüência à sociedade </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qualificação da pesquisa: relevância, transferência de tecnologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Captação de recursos: novas fontes </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Aumento do número de alunos: novos cursos regulares e educação continuada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ambientes de inovação diferenciados </li></ul></ul></ul>
  30. 30. Conceitos <ul><li>Empreendedorismo </li></ul><ul><ul><li>Mudar as condições vigentes em um determinado ambiente, visando a criação de valor, utilizando novos recursos ou de novas maneiras os recursos existentes </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Criar (desenvolver novas idéias) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Utilizar (aplicar as idéias, inovar) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Agregar valor </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Gerar novas oportunidades </li></ul></ul></ul>
  31. 31. Evolução e Conceitos <ul><li>Universidade Empreendedora </li></ul><ul><li>Burton Clark </li></ul><ul><li>Uma instituição ativa que faz mudanças na sua estrutura e no modo de agir e reagir frente às demandas internas e externas </li></ul><ul><ul><ul><li>Capacidade de adaptação frente às mudanças de uma sociedade em evolução </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Postura pró-ativa no sentido de transformar o conhecimento gerado em agregação de valor social, econômico e cultural </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Indissociável do trinômio C,T&I </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Universidade Inovadora </li></ul></ul></ul>
  32. 32. Evolução e Conceitos <ul><li>Universidade Empreendedora (Inovadora) </li></ul><ul><ul><li>Pode ser entendida em 5 dimensões, que buscam (inovação) e mantêm (sustentabilidade) a transformação ao longo do tempo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleo central fortalecido </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Cultura empreendedora integrada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Desenvolvimento de unidades periféricas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleo acadêmico motivado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Base diversificada de financiamento </li></ul></ul></ul>
  33. 33. Núcleo Central Fortalecido Administração coesa Focada em resultado Gestores qualificados e professores que constituem uma base institucional comprometida e estável Transparência e critérios para decisão Modelo de governança adequado e flexível Modelo de gestão colegiada e descentralizada (autonomia com responsabilidade)
  34. 34. Cultura empreendedora integrada Focada no aprimoramento acadêmico e na busca de novas oportunidades (criação de valor) Desenvolvimento de capacidades de ação interdisciplinares Fomento e valorização do comportamento empreendedor Articulação entre os atores e as ações
  35. 35. Desenvolvimento de Unidades Periféricas Descentralizadas e auto-sustentáveis Focadas na articulação com a Sociedade Forte conexão com a comunidade Modelos de gestão mais flexíveis e ágeis
  36. 36. Núcleo Acadêmico Motivado Perfil de assumir riscos (com responsabilidade) Pró-ativo, empreendedor e crítico Atualização permanente Busca de soluções para problemas (mesmo em um ambiente hostil) Alinhamento com os referenciais estratégicos e com valores e princípios norteadores
  37. 37. Base diversificada de financiamento Ampliação das fontes de financiamento tradicionais (mensalidades, agências de fomento do governo) Sustentabilidade das ações propostas (projetos e programas, nas áreas de ensino, pesquisa, extensão e administração)
  38. 38. Gestão estratégica <ul><li>Novas abordagens de gestão </li></ul><ul><ul><li>Necessidade de visão mais ampla, sistêmica </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Distanciar-se dos problemas do dia-a-dia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Ver a Universidade dentro da Sociedade, depois como um todo e suas diferentes áreas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Análise de cenários </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mapeamento </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Identificar oportunidades </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Qualidade & relevância (no ensino, na pesquisa e na gestão) </li></ul></ul><ul><ul><li>Sustentabilidade das ações </li></ul></ul>
  39. 39. Gestão estratégica <ul><li>Planejamento estratégico </li></ul><ul><ul><li>Desenvolver visão compartilhada: participação da comunidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Futuro das decisões presentes: base para decisões do dia-a-dia (eixos estratégicos de gestão) </li></ul></ul><ul><ul><li>Filosofia gerencial: decisões colegiadas </li></ul></ul><ul><ul><li>Conciliar perspectivas: acadêmica & interação com a sociedade </li></ul></ul><ul><ul><li>Definir objetivos claros: identificar prioridades </li></ul></ul>
  40. 40. Gestão estratégica <ul><li>Implicações </li></ul><ul><ul><li>Currículos e planos de ensino: empregabilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Pesquisa: projeto (inicio, desenvolvimento, fim) e sustentabilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Novas formas de gestão operacional: vertical para horizontal (foco em valor agregado) </li></ul></ul><ul><ul><li>Maior autonomia para áreas: orçamento, controle ex-post </li></ul></ul><ul><ul><li>Realizar mudanças concretas, apresentar resultados </li></ul></ul><ul><ul><li>Capacitar professor para atuar como gestor </li></ul></ul>
  41. 41. Gestão estratégica <ul><li>Implicações </li></ul><ul><ul><li>Definir ontologia: universidade empreendedora é diferente de universidade empresarial </li></ul></ul><ul><ul><li>Empreender e inovar não significa “inventar projetos para ser diferente”: qualidade na gestão é pré-requisito e sustentabilidade é fundamento </li></ul></ul><ul><ul><li>Minimizar resistências: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>maior participação: decisões colegiadas </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>instâncias de acompanhamento: EEP </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>mecanismos de identificação e transferências de recursos e oportunidades </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>comunicação, comunicação, comunicação... </li></ul></ul></ul>
  42. 42. Gestão estratégica <ul><li>Implicações </li></ul><ul><ul><li>Potencializar resultados </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>apresentar cases de sucesso rápidos: ganhar confiança </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Fundamental núcleo central fortalecido e um núcleo acadêmico motivado </li></ul></ul><ul><ul><li>Comunicação das estratégias é tão importante quanto a sua formulação e o seu desenvolvimento </li></ul></ul><ul><ul><li>Identificar novas fontes de recursos: sustentabilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Ter estratégias e eixos de gestão claros: prioridades e foco </li></ul></ul>
  43. 43. Desafios <ul><li>Harmonizar uma cultura de inovação com uma visão de longo prazo sustentável, onde se faz necessário manter a qualidade e a tradição </li></ul><ul><li>Gerar as condições para a análise crítica deste processo de criação de valor e suas conseqüências (internas e externas) </li></ul>
  44. 44. Desafios <ul><li>Foco: Mudança </li></ul><ul><li>Implementar novas abordagens pedagógicas que busquem desenvolver novas competências e conceitos de tempo e espaço no processo de aprendizagem: educar para a autonomia / educação continuada (Novo Modelo Pedagógico) </li></ul><ul><li>Criar mecanismos que permitam a inserção de todas as áreas do conhecimento, porém priorizando investimentos (concentração) </li></ul><ul><li>Gerir um ambiente de mudanças contínuas: equilíbrio entre tradição e renovação </li></ul>
  45. 45. Desafios <ul><li>Implementar novas abordagens pedagógicas que busquem desenvolver novas competências e conceitos de tempo e espaço no processo de aprendizagem: educar para a autonomia / educação continuada (Novo Modelo Pedagógico) </li></ul><ul><li>Criar mecanismos que permitam a inserção de todas as áreas do conhecimento, porém priorizando investimentos (concentração) </li></ul><ul><li>Gerir um ambiente de mudanças contínuas: equilíbrio entre tradição e renovação </li></ul>
  46. 46. Desafios <ul><li>Entender que a Universidade não é uma instituição qualquer, mas principalmente uma comunidade de pessoas e para pessoas: a inovação deve ser colocada a serviço da sociedade, não podendo ser focada em um simples empreendedorismo de mercado </li></ul><ul><li>Desenvolver mecanismos institucionais que garantam a integridade das pesquisa e das ações desenvolvidas na Universidade no novo contexto com uma visão crítica do impacto na sociedade </li></ul>
  47. 47. Perspectivas <ul><li>Construir uma visão de futuro no novo cenário: múltiplas oportunidades ; </li></ul><ul><li>Alinhamento estratégico na comunidade: desenvolvimento de uma visão compartilhada </li></ul><ul><li>Disseminação de conhecimento, visando criar as condições para a mudança cultural necessária </li></ul><ul><li>Base jurídica e legal (institucional) adequada: novo estatuto/regimento </li></ul>
  48. 48. Perspectivas <ul><li>Desenvolvimento de novos mecanismos institucionais que estimulem a inovação e viabilizem a mudança </li></ul><ul><li>Foco na sustentabilidade : novas fontes de recursos, papel (contribuição) do ensino (G e PG), da pesquisa e da extensão </li></ul>
  49. 49. Perspectivas <ul><li>Ação integrada dos atores (COMUNG, CRUB) envolvendo maior articulação e influência nas políticas públicas (lei de inovação, reforma trabalhista, reforma universitária, avaliação do ensino superior, etc.) </li></ul><ul><li>Governo como indutor da pesquisa básica e de longo prazo, infra-estrutura, pesquisa como parceria público-privado </li></ul>
  50. 50. <ul><li>Entre a tradição e a renovação </li></ul>
  51. 51. O caso PUCRS
  52. 52. Inovação <ul><li>“ [A inovação] geralmente nasce de uma série de ganhos incrementais” </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Hitendra Patel </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><li>Consultor do Monitor Group </li></ul><ul><li>Em estudo sobre inovação no Brasil elaborado por encomenda do Banco Mundial </li></ul>
  53. 53. Inovação degrau a degrau <ul><li>1000 para 2000 </li></ul><ul><li>Porto Alegre Tecnópole </li></ul><ul><li>Lei de informática </li></ul><ul><li>Fundos setoriais de C&T </li></ul><ul><li>Infra-estrutura </li></ul><ul><li>Planejamento estratégico </li></ul><ul><li>AGT e TECNOPUC </li></ul><ul><li>Universidade </li></ul><ul><li>empreendedora </li></ul><ul><li>INOVAPUC </li></ul><ul><li>... </li></ul>
  54. 54. Inovação degrau a degrau <ul><li>1000 para 2000 </li></ul><ul><ul><li>Qualificação e titulação do corpo docente - capacitação </li></ul></ul><ul><ul><li>Iniciou na década de 80 </li></ul></ul><ul><ul><li>1991 lançado o desafio 1000 para 2000 </li></ul></ul><ul><ul><li>Desafio superado com folga </li></ul></ul>1980 ... 1991 ...
  55. 55. Inovação degrau a degrau <ul><li>Porto Alegre Tecnópole </li></ul><ul><ul><li>Programa da cidade de Porto Alegre iniciado em 1995 </li></ul></ul><ul><ul><li>Preparar a cidade e região metropolitana para enfrentar os desafios inerentes a uma economia baseada no conhecimento e inovação </li></ul></ul><ul><ul><li>1995 e 1998 missões a </li></ul></ul><ul><ul><li>França para conhecer </li></ul></ul><ul><ul><li>modelos de aproximação </li></ul></ul><ul><ul><li>entre universidade, </li></ul></ul><ul><ul><li>empresas e governo </li></ul></ul>1995 ... 1998 ...
  56. 56. Inovação degrau a degrau <ul><li>Lei de Informática </li></ul><ul><ul><li>Lei 8.248/91, regulamentada em 1993 </li></ul></ul><ul><ul><li>Renovada pela Lei 10.176/01 </li></ul></ul><ul><ul><li>Definem os rumos da política industrial para o complexo eletrônico </li></ul></ul><ul><ul><li>Beneficia empresas intensivas em tecnologia com benefícios </li></ul></ul><ul><ul><li>fiscais decorrência de </li></ul></ul><ul><ul><li>esforços de pesquisa e </li></ul></ul><ul><ul><li>desenvolvimento (P&D) </li></ul></ul><ul><ul><li>em convênio com </li></ul></ul><ul><ul><li>instituições de pesquisa </li></ul></ul>1991 ... 2001 ...
  57. 57. Inovação degrau a degrau <ul><li>Fundos setoriais de C&T </li></ul><ul><ul><li>Principal instrumento do governo para alavancar o sistema de C,T&I criado a partir de 1999 </li></ul></ul><ul><ul><li>16 Fundos setoriais </li></ul></ul><ul><ul><li>Receitas dos processos de privatização </li></ul></ul><ul><ul><li>Objetiva garantir a estabilidade </li></ul></ul><ul><ul><li>de recursos para a área, criar </li></ul></ul><ul><ul><li>um novo modelo de gestão </li></ul></ul><ul><ul><li>e promover sinergia entre </li></ul></ul><ul><ul><li>universidades, centros de </li></ul></ul><ul><ul><li>pesquisa e o setor produtivo </li></ul></ul>1999 ... 2001 ...
  58. 58. Inovação degrau a degrau <ul><li>Infra-estrutura </li></ul><ul><ul><li>Aquisição do terreno de 14,4 ha do 18º Batalhão de Infantaria Motorizada em 29/03/2001 </li></ul></ul><ul><ul><li>2004 aquisição do campus Viamão </li></ul></ul>2001 ... 2004 ...
  59. 59. Inovação degrau a degrau <ul><li>Planejamento estratégico </li></ul><ul><ul><li>2001-2010 </li></ul></ul><ul><ul><li>Lançamento formal em maio 2002 </li></ul></ul><ul><ul><li>Missão e Visão revigoradas </li></ul></ul>2001 ... 2002 ...
  60. 60. Inovação degrau a degrau <ul><li>Missão </li></ul><ul><ul><li>A PUCRS, fundamentada em princípios da ética e do cristianismo e na tradição educativa marista, tem por missão produzir e difundir conhecimento e promover a formação humana e profissional, orientada por </li></ul></ul><ul><ul><li>critérios de qualidade e </li></ul></ul><ul><ul><li>relevância , na busca de </li></ul></ul><ul><ul><li>uma sociedade justa </li></ul></ul><ul><ul><li>e fraterna </li></ul></ul>2001 ... 2002 ...
  61. 61. Inovação degrau a degrau <ul><li>Visão </li></ul><ul><ul><li>Em 2010, a PUCRS será referência nacional e internacional pela relevância das pesquisas e excelência dos seus cursos e serviços, com a marca da inovação e da ação solidária, promovendo a interação com a comunidade, a qualidade </li></ul></ul><ul><ul><li>de vida e o diálogo entre </li></ul></ul><ul><ul><li>ciência e fé </li></ul></ul>2001 ... 2002 ...
  62. 62. Inovação degrau a degrau <ul><li>AGT e TECNOPUC </li></ul><ul><ul><li>Portaria 197/98 – Grupo de trabalho para organizar o processo de interação com empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>AGT criada em dezembro de 1999 </li></ul></ul><ul><ul><li>TECNOPUC criado em 21/03/2002 </li></ul></ul><ul><ul><li>TECNOPUC inaugurado </li></ul></ul><ul><ul><li>em 25/08/2003 </li></ul></ul><ul><ul><li>RAIAR inaugurada </li></ul></ul><ul><ul><li>em 11/11/2003 </li></ul></ul>1998 ... 2003 ...
  63. 63. Inovação degrau a degrau <ul><li>Universidade empreendedora </li></ul><ul><ul><li>Linhas mestras de gestão </li></ul></ul><ul><ul><ul><li> Qualidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li> Empreendedorismo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li> Integração ensino, pesquisa e extensão </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li> Relacionamento com a sociedade </li></ul></ul></ul>2004 ... 2007 ...
  64. 64. Inovação degrau a degrau <ul><li>Universidade empreendedora </li></ul><ul><ul><li>“ ... Pensando na sobrevivência indispensável das universidades para o progresso e bem-estar da sociedade, Oxford e Warwick são exemplares nas parcerias e na interação com a sociedade e com determinadas firmas em </li></ul></ul><ul><ul><li> particular. O resultado desta </li></ul></ul><ul><ul><li> interação é uma fonte notável </li></ul></ul><ul><ul><li> de recursos financeiros </li></ul></ul><ul><ul><li> que facilita e promove a </li></ul></ul><ul><ul><li> pesquisa bem como o </li></ul></ul><ul><ul><li> fortalecimento da </li></ul></ul><ul><ul><li> receita da universidade” </li></ul></ul>PUCRS Informação, nº 117, Nov-Dez 2003 2004 ... 2007 ...
  65. 65. Inovação degrau a degrau <ul><li>INOVAPUC </li></ul><ul><ul><li>Rede que congrega o conjunto de atores, ações e mecanismos relativos ao processo de inovação e empreendedorismo da PUCRS </li></ul></ul>2007 ...
  66. 66. Agência de Gestão Tecnológica Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
  67. 67. Criação <ul><li>Em dezembro de 1999 a Reitoria da PUCRS, como desdobramento do que previa seu planejamento estratégico, criou a Agência de Gestão Tecnológica – AGT com o objetivo de centralizar em um único órgão as atividades de apoio a execução de projetos de P&D desenvolvidas em regime de cooperação com empresas </li></ul>
  68. 68. Vinculação da AGT <ul><li>A </li></ul><ul><li>Agência de Gestão Tecnológica </li></ul><ul><li>ligada a </li></ul><ul><li>Pró-Reitoria de </li></ul><ul><li>Pesquisa e Pós-Graduação </li></ul><ul><li>atua em conjunto com o </li></ul><ul><li>Parque Científico e </li></ul><ul><li>Tecnológico </li></ul><ul><li>com a </li></ul><ul><li>Incubadora RAIAR </li></ul><ul><li>e o </li></ul><ul><li>Escritório de Transferência </li></ul><ul><li>de Tecnologia </li></ul>
  69. 69. Negócio <ul><li>Conhecimento orientado para a integração da universidade com o meio empresarial </li></ul>
  70. 70. Missão <ul><li>Promover o conhecimento orientado à integração com o meio empresarial, por meio do estímulo e facilitação da relação entre os pesquisadores e as empresas, visando a melhoria da qualidade do ensino, da pesquisa e da extensão na universidade </li></ul>
  71. 71. Princípios <ul><li>Zelo pela imagem e cultura da PUCRS </li></ul><ul><li>Respeito aos princípios da ética </li></ul><ul><li>Eqüidade de tratamento aos parceiros </li></ul><ul><li>Valorização das potencialidades das parcerias e dos pesquisadores da PUCRS </li></ul><ul><li>Qualidade e inovação na gestão </li></ul><ul><li>Valorização da iniciativa, criatividade e capacidade empreendedora </li></ul>
  72. 72. Gestão da AGT <ul><li>Visão estratégica da universidade (Planejamento estratégico) </li></ul><ul><li>Estrutura centralizada de gestão e de ações </li></ul><ul><li>Foco na ação </li></ul><ul><li>Suporte estratégico efetivo da Reitoria </li></ul><ul><li>Sustentabilidade do projeto </li></ul><ul><li>Inserção plena nas iniciativas da região e entidades representativas </li></ul>
  73. 73. Atividades da AGT <ul><li>Gestão de projetos de P&D com apoio na definição dos objetivos, atividades, orçamentos e aspectos legais (contrato), em conjunto com os pesquisadores e empresas </li></ul><ul><li>Suporte na execução das atividades administrativas do projeto: recrutamento e seleção de pessoal, viagens, etc. </li></ul><ul><li>Controle contábil do projeto com elaboração do relatório de prestação de contas </li></ul>
  74. 74. Realização dos contratos <ul><li>Convênio “Guarda-Chuva” </li></ul><ul><ul><li>Traça as intenções gerais do relacionamento interinstitucional entre a PUCRS e a instituição/empresa </li></ul></ul><ul><li>Termo Aditivo </li></ul><ul><ul><li>Trata do projeto específico e regula as condições da realização de cada convênio </li></ul></ul><ul><li>Alteração de Termo Aditivo </li></ul><ul><ul><li>Utilizado para a formalização de alterações e/ou ajustes no projeto previsto no Termo Aditivo </li></ul></ul><ul><li>Encerramento de Termo Aditivo </li></ul>
  75. 75. Fluxo de encaminhamento de projetos Participantes Atividades do Processo Contato Inicial Execução Acompanhamento Contratação Elaboração Contrato Negociação Elaboração Projeto AGT/Professor/Direção Unidade Universitária AGT/Professor/Parceiro Direção Unidade Universitária/ETT/Idéia AGT/Direção da Unidade Universitária/Professor/ Parceiro/Reitoria AGT/Coordenador/ Parceiro/ETT PUCRS/AGT/ Coordenador Prestação de contas AGT/Assessoria Jurídica da PUCRS/Parceiro/ETT
  76. 76. AGT em números Evolução dos projetos de P&D – 1999 a 2006 70 58 51 55 49 18 13 9 Projetos de P&D 56 49 43 39 30 10 8 4 Empresas parceiras 06 05 04 03 02 01 00 99 Volume de recursos captados para a execução dos projetos R$ 32.803.014,48 R$ 12.755.870,60 R$ 4.002.000,00 R$ 16.045.143,88 2006 R$ 14.083.359,12 R$ 6.164.861,00 R$ 394.135,39 R$ 7.524.362,63 2005 R$ 12.697.268,76 R$ 6.513.667,76 R$ 1.465.510,00 R$ 4.718.091,00 2004 Total Empresas Co-financiador FINEP Ano
  77. 77. Parque Científico e Tecnológico da PUCRS Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
  78. 78. Contexto <ul><li>Motivação para uma maior proximidade entre a academia e as empresas através do TECNOPUC </li></ul><ul><li>O Parque Científico e Tecnológico da PUCRS nasce da colaboração das empresas e governo com a universidade </li></ul><ul><li>Deste o ponto de partida, cria-se uma comunidade de pesquisa tecnológica transdisciplinar através da colaboração global das empresas, academia e governo </li></ul>
  79. 79. História <ul><li>Universidade de Stanford criou o primeiro Parque Tecnológico de alta tecnologia em 1951, com investimentos públicos-privados, e propiciou um ambiente (do qual fazem parte outras Universidades) onde surgiram empresas como HP, Cisco Systems, Sun Microsystems and Yahoo; </li></ul><ul><li>US & Canada (+170, 350 mil pessoas, 31 bilhões dólares) Research Triangle Park (Duke University, NC State University e University of NC at Chapel Hill); </li></ul><ul><li>EU (+134) Oxford University e Warwick University na Inglaterra, Sistema Espanhol de Parques Tecnológicos (sede IASP Andaluzia); </li></ul><ul><li>Asia (+60) China (Universidade de Beijing, Shangai), Taiwan, Malasia (Ciberjaya, Kuala Lumpur, Penang), India (Bangalore); </li></ul><ul><li>AL (+20) Brasil (Porto Digital UFPE, Sistema Mineiro e Paulista de Parques Tecnológicos, TECNOPUC PUCRS, Parque do Rio UFRJ), Argentina (Constituyentes, Posadas), Chile (Católica, Universidade de Concepción); </li></ul>
  80. 80. Missão <ul><li>Criar uma comunidade de pesquisa e inovação transdisciplinar por meio da colaboração entre academia, empresas e governo visando aumentar a competitividade dos seus atores e melhorar a qualidade de vida de suas comunidades </li></ul>
  81. 81. Visão <ul><li>Em 2010 o TECNOPUC será referência nacional e internacional pela relevância das pesquisas com a marca da inovação , promovendo o desenvolvimento técnico, econômico e social da região </li></ul>
  82. 82. Localização Área total: 5,4 hectares Área construída: 22.604,55 m 2 Dezembro de 2008
  83. 83. TECNOPUC
  84. 84. Áreas <ul><li>Competência acadêmica da PUCRS </li></ul><ul><li>Pesquisa científica e tecnológica da PUCRS </li></ul><ul><li>Demanda da sociedade </li></ul><ul><li>Áreas das empresas instaladas: </li></ul><ul><li>TIC (Tecnologia da informação e comunicação e eletroeletrônica) </li></ul><ul><li>Energia e meio ambiente </li></ul><ul><li>Biotecnologia (Ciências biológicas, da saúde e biotecnologia) </li></ul>
  85. 85. TECNOPUC em números <ul><li>57 empresas (HP, Dell, Tlantic, Stefanini, DBServer, Datacom, Parks, Radiopharmacus, Toth, ...) </li></ul><ul><li>18 delas incubadas na RAIAR (11 em Porto Alegre, 4 em Viamão e 3 em Uruguaiana), resultantes de projetos de P&D, startups ou de spin-offs </li></ul><ul><li>8 entidades (ABINEE, Assespro, AJEPoa, Softsul, FAJERS, Fundação Pensamento Digital, Instituto Liberdade e PMI) </li></ul>
  86. 86. TECNOPUC em números
  87. 87. TECNOPUC em números <ul><li>5 Centros de pesquisa e Laboratórios da PUCRS (Centro Brasileiro para Desenvolvimento da Energia Solar, Centro de Excelência em Pesquisa sobre o Armazenamento de Carbono, Centro de Pesquisa & Desenvolvimento em Física, Centro de Pesquisa de Biologia Molecular e Funcional, Laboratório Analítico de Insumos Farmacêuticos) </li></ul><ul><li>5 unidades da PUCRS (AGT, CI, ETT, RAIAR e TECNOPUC) </li></ul><ul><li>Mais de 2.400 pessoas envolvidas </li></ul>
  88. 88. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Biblioteca </li></ul><ul><li>Centro esportivo </li></ul><ul><li>Estacionamento </li></ul><ul><li>Centro de eventos (auditórios, salão de eventos, …) </li></ul><ul><li>Eventos científicos e de negócios </li></ul><ul><li>Ensino a distância </li></ul><ul><li>Projetos conjuntos de pesquisa (fundos do governo) </li></ul>
  89. 89. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Parceria com ABINEE </li></ul><ul><li>Disponibilizar à ABINEE, às empresas associadas a ABINEE instaladas no TECNOPUC e aos funcionários das empresas associadas a ABINEE instaladas no TECNOPUC os mesmos benefícios concedidos aos alunos da PUCRS no que concerne a utilização da infra-estrutura da Universidade </li></ul><ul><li>Fomentar e facilitar o processo de interação universidade-empresa, viabilizando e estimulando a criação de projetos conveniados com entidades públicas e empresas associadas a ABINEE, aliando as necessidades do mercado com o conhecimento e o saber existente na PUCRS </li></ul>
  90. 90. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Parceria com ABINEE </li></ul><ul><li>Facilitar o processo de interação entre os pesquisadores da PUCRS e das empresas associadas da ABINEE, instaladas no TECNOPUC, na gestão administrativa, financeira e contábil dos projetos de pesquisa , envolvendo o apoio nos processos de negociação, contratos, implantação, execução financeira e prestação de contas </li></ul><ul><li>Estimular a execução de projetos de pesquisa entre a PUCRS e empresas associadas a ABINEE, oferecendo serviços de apoio, infra-estrutura laboratorial, espaço físico para hospedagem de projetos de P&D e desenvolvimento de protótipos </li></ul>
  91. 91. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Parceria com ABINEE </li></ul><ul><li>Articular pesquisadores, professores e parceiros em ambientes adequados a pesquisa para solução das demandas por projetos ou protótipos , bem como realizar atividades de cunho cientifico tecnológico através de seus laboratórios especializados </li></ul><ul><li>Promover o acesso em condições especiais dos associados a ABINEE, ao LABELO – Laboratórios Especializados em Eletro–Eletrônica, Calibração e Ensaios da PUCRS. </li></ul>
  92. 92. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Parceria com ABINEE </li></ul><ul><li>Estimular a transferência do conhecimento gerado em projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação à sociedade através de centros de inteligência em áreas de conhecimento específicas conectando as unidades acadêmicas, laboratórios, a AGT, o IDÉIA e os demais agentes de integração universidade-empresa da PUCRS com as empresas associadas a ABINEE </li></ul><ul><li>Disponibilizar acesso ao acervo da Biblioteca Central da PUCRS para consulta e a retirada de livros mediante a apresentação de identificação do TECNOPUC sem qualquer custo </li></ul>
  93. 93. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Parceria com ABINEE </li></ul><ul><li>Divulgar os procedimentos necessários à proteção da propriedade intelectual dos resultados de pesquisa realizada por pesquisadores da PUCRS e das associadas ABINEE em projetos conjuntos </li></ul><ul><li>Receber da ABINEE subsídios para proposições de novos cursos de graduação , ou para a adequação de sua estrutura curricular , e submetê-las a avaliação segundo os normativos vigentes da PUCRS. </li></ul>
  94. 94. Facilidades e Oportunidades <ul><li>Parceria com ABINEE </li></ul><ul><li>Estudar em conjunto com a ABINEE, a proposição de cursos de extensão e pós-graduação lato-sensu , que tendo viabilidade econômica-financeira, poderão, ao ser realizados, repartir responsabilidades e resultados . </li></ul><ul><li>Apoiar pesquisadores da PUCRS e as empresas associadas a ABINEE na captação conjunta de recursos para a execução de projetos de pesquisa e desenvolvimento conjuntos financiados pela Financiadora de Estudos e Projetos – FINEP, Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES e outros </li></ul>
  95. 95. Destaques <ul><li>TECNOPUC está no núcleo da área de pesquisa da Universidade (PRPPG) </li></ul><ul><li>Infra-estrutura e localização da PUCRS </li></ul><ul><li>Autonomia e estabilidade na gestão </li></ul><ul><li>Agilidade e flexibilidade na ação </li></ul><ul><li>Parcerias internacionais </li></ul><ul><ul><li>Com Universidades e Agências de Pesquisa (Alemanha, Angola, Argentina, Canadá, China, Espanha, Estados Unidos, França, Israel, Itália, Japão, Portugal e Uruguai) </li></ul></ul><ul><ul><li>Com Associações e Parques Tecnológicos (IASP, AURP, ...) </li></ul></ul>
  96. 96. <ul><li>Parcerias nacionais </li></ul><ul><ul><li>Com as principais universidades e agências de pesquisa no Brasil </li></ul></ul><ul><ul><li>Com as principais associações e parque tecnológicos (ANPROTEC, SEBRAE, ...) </li></ul></ul><ul><li>TECNOPUC é benchmark para Parques Científicos e Tecnológicos do Brasil e América Latina </li></ul>Destaques
  97. 97. <ul><li>Paradigma de pesquisa na PUCRS: </li></ul><ul><ul><li>Multidisciplinar </li></ul></ul><ul><ul><li>Balanceada (básica e aplicada) </li></ul></ul><ul><ul><li>Inserida no contexto social </li></ul></ul><ul><li>“ Pesquisa básica é uma forma de usar dinheiro e transformá-lo em conhecimento. Já a inovação é uma forma de usar conhecimento e transformá-lo em dinheiro” </li></ul><ul><ul><li>Glauco Arbix </li></ul></ul><ul><ul><li>Coordenador do Observatório de Inovação da Universidade de São Paulo </li></ul></ul>Destaques
  98. 98. Valores e condições <ul><li>Valores: de acordo com proposta </li></ul><ul><li>Projeto de pesquisa: de acordo com projetos de P&D do interesse das partes (universidade-empresa) </li></ul><ul><li>Taxa mensal de condomínio </li></ul><ul><li>Custos de energia elétrica, telecomunicações, instalações lógicas, e benfeitorias na unidade (pintura, piso, ar-condicionado, etc.) são cobertos pela empresa </li></ul>
  99. 99. TECNOPUC Expansão Fase II <ul><li>Expansão TIC: 2.400 m 2 (2006) </li></ul><ul><li>Portal TECNOPUC: 20.221 m 2 (2009) </li></ul>
  100. 100. TECNOPUC Expansão Fase III <ul><li>12 km do campus central </li></ul><ul><li>Área verde de 15 hectares </li></ul><ul><li>32.000 m 2 área construída </li></ul><ul><li>Recepção, administração central, incubadora, biblioteca, laboratórios, CPD, salas de aula e de reuniões, auditórios, restaurante, estacionamento, segurança (24h dia/7 dias por semana), serviços de fotocópias, área de esportes, áreas de repouso, e caixas de bancos </li></ul>
  101. 101. TECNOPUC Expansão Fase III
  102. 102. <ul><li> Anos anteriores </li></ul><ul><li> 2008 </li></ul><ul><li>TECNOPUC é benchmark em Parques Científicos e </li></ul><ul><li>Tecnológicos no Brasil e América Latina </li></ul>Prêmios
  103. 103. TECNOPUC <ul><li>Principais Projetos P&D: </li></ul><ul><ul><li>Energia: Solar, Elétrica, Eólica, Bioenergia </li></ul></ul><ul><ul><li>Sequestro de Carbono </li></ul></ul><ul><ul><li>Nanotecnologia </li></ul></ul><ul><ul><li>GSD: Software Engeneering, SW Quality, KDD, GP </li></ul></ul><ul><ul><li>Grid Computing, Computação de Alto Desempenho, OS </li></ul></ul><ul><ul><li>Microeletrônica </li></ul></ul><ul><ul><li>Telecomunicações </li></ul></ul><ul><ul><li>Life Sciences: Medicamentos, Medicina Nuclear, Neurociências </li></ul></ul>
  104. 104. Modelo de Gestão <ul><li>Estrutura Física: </li></ul><ul><li>Antigo Quartel do Exército Brasileiro </li></ul><ul><ul><li>18º. Regimento de Infantaria do Exército </li></ul></ul><ul><li>Área contínua ao Campus Central da PUCRS </li></ul><ul><li>Arquitetura externa totalmente preservada e identificada </li></ul><ul><li>Total do espaço: 16 hectares </li></ul><ul><ul><li>5,6 hectares PT, com 18 mil m2 atuais </li></ul></ul><ul><ul><li>11 hectares de estacionamento e setores de apoio </li></ul></ul><ul><ul><li>Fase II: concluido: 3 mil m2, edifício 6 andares, 2 empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>Fase II: em projeto: 22,5 mil m2, Torres de P&D (BNDES) </li></ul></ul><ul><ul><li>Fase III: Viamão </li></ul></ul>
  105. 105. Modelo de Gestão <ul><li>Atração de Empresas: </li></ul><ul><li>Processo induzido pelo mercado </li></ul><ul><li>Empresas-âncora: atração inicial </li></ul><ul><li>Sistemistas: empresas de médio porte </li></ul><ul><li>Convênios com associações e entidades </li></ul><ul><li>Incubadora: RAIAR (somente spin-off acadêmico e das empresas) </li></ul><ul><li>Centros de Pesquisa da PUCRS </li></ul><ul><li>Visão integrada com Universidade do ambiente de inovação: áreas de atuação e prioridades: convênios de P&D e prazo de operação </li></ul><ul><li>Inserção nas comunidades da área: Anprotec, IASP, AURP, Sebrae </li></ul>
  106. 106. Modelo de Gestão <ul><li>Aspectos Essenciais: </li></ul><ul><li>Projetos de P&D </li></ul><ul><ul><li>Obrigatórios para todas as modalidades de contrato </li></ul></ul><ul><ul><li>Prazos vinculados com os contratos </li></ul></ul><ul><ul><li>Foco em bolsas de PG (mestrado e doutorado) e oportunidade para os alunos de graduação </li></ul></ul><ul><ul><li>Coordenação de professor com titulação de Doutor </li></ul></ul><ul><ul><li>Modelo: convênio e TAs </li></ul></ul><ul><li>RH envolvidos </li></ul><ul><ul><li>Pesquisadores contratados pelos projetos </li></ul></ul><ul><ul><li>Professores e coordenadores envolvidos com remuneração adicional </li></ul></ul><ul><ul><li>Alunos de graduação via agente de integração (FIJO) </li></ul></ul><ul><ul><li>Alunos de mestrado e doutorado via PUCRS (GRH) </li></ul></ul>
  107. 107. Modelo de Gestão <ul><li>Aspectos Jurídicos: </li></ul><ul><li>Relação contratual na ocupação dos espaços </li></ul><ul><ul><li>Comodato </li></ul></ul><ul><ul><li>Locação </li></ul></ul><ul><ul><li>Compartilhamento via projeto de P&D </li></ul></ul><ul><ul><li>Operações de P&D da Universidade </li></ul></ul><ul><li>Tempo dos contratos </li></ul><ul><ul><li>Entre 1 e 8 anos </li></ul></ul><ul><ul><li>Maioria entre 2 e 3 anos </li></ul></ul><ul><ul><li>Cláusulas de saída flexíveis </li></ul></ul><ul><li>Aspecto crítico: negociação da Propriedade Intelectual gerada nos projetos de P&D (ETT) </li></ul>
  108. 108. Modelo de Gestão <ul><li>Aspectos Jurídicos: </li></ul><ul><li>Fundamental: respeito à legislação relativa a filantropia (nunca colocar em risco) </li></ul><ul><li>Todo o resultado é aplicado na área de ensino e pesquisa(fundo de pesquisa: bolsas de estudo de IC, mestrado e doutorado, editais de apoio à pesquisa interdisciplinar) </li></ul><ul><li>Estrutura da área </li></ul><ul><ul><li>Profissionalização da área de gestão de projetos de P&D (AGT) </li></ul></ul><ul><ul><li>Suporte do ETT e do EEP </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprovação de todos os contratos pela PROJUR da Universidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Contratação de parecer externo em casos especiais (dois escritórios jurídicos, um regional e outro nacional/internacional) </li></ul></ul>
  109. 109. Modelo de Gestão <ul><li>Aspectos Organizacionais: </li></ul><ul><li>Aprovação dos contratos e negociações </li></ul><ul><ul><li>Negociação: AGT/TECNOPUC (PRPPG) </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprovação Jurídica: ASJUR </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprovação Final: PROAF </li></ul></ul><ul><ul><li>Casos modelos e especiais: Colegiado Reitoria e Câmara de Curadores </li></ul></ul><ul><li>Formulação de políticas a serem seguidas </li></ul><ul><ul><li>PE PUCRS (2001-2010) </li></ul></ul><ul><ul><li>Comitê Gestor da AGT </li></ul></ul>
  110. 110. Modelo de Gestão <ul><li>Aspectos Organizacionais: </li></ul><ul><li>Vinculação </li></ul><ul><ul><li>AGT </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Agência de gestão vinculada à PRPPG </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mesma estrutura jurídica da Universidade (faz parte) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Mesma estrutura administrativa e contábil da Universidade (faz parte) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Replica setores jurídicos, administrativos e contábeis: velocidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>TECNOPUC & RAIAR </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Espaço Físico delimitado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Gerido pela PRPPG (Direções) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>ETT e EEP </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Setores da PRPPG </li></ul></ul></ul>
  111. 111. Modelo de Gestão <ul><li>Diferenciais: </li></ul><ul><li>Inserção do TECNOPUC no núcleo da área de pesquisa da Universidade ( PRPPG) : 100% investido em pesquisa via fundo de pesquisa: bolsas IC (BPA), bolsas de M/D (ProBolsas), fomento </li></ul><ul><li>Infra-estrutura e localizacão da PUCRS </li></ul><ul><li>Autonômia e estabilidade na gestão </li></ul><ul><li>Agilidade e flexibilidade na ação (soluções customiadas para cada parceiro) </li></ul><ul><li>Articulação e inserção efetiva nas ações dos Governos Municipal, Estadual e Federal </li></ul><ul><li>Novo paradigma de pesquisa na PUCRS </li></ul><ul><ul><ul><ul><li>transdisciplinar </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>balanceada (básica e aplicada) </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>inserida no contexto social </li></ul></ul></ul></ul>
  112. 112. Modelo de Gestão <ul><li>Desafios: </li></ul><ul><li>Reter os parceiros captados: agregar valor ao negócio dos diversos atores </li></ul><ul><li>Poder público como indutor de políticas sustentáveis de inovação tecnológica </li></ul><ul><li>Diferenciais e fatores de atracão de Parques Tecnológicos no país </li></ul><ul><li>Articulação das múltiplas iniciativas entre atores do processo de inovação </li></ul><ul><li>Clareza sobre o papel de cada ator (Universidade / Empresas / Governo) </li></ul><ul><li>Alinhamento nas políticas de inovação e científicas no país </li></ul><ul><li>Inserção das áreas de Humanas e Sociais Aplicadas no processo </li></ul>
  113. 113. Modelo de Gestão <ul><li>Desafios (aspectos jurídicos): </li></ul><ul><li>Problemas de ordem jurídica em múltiplas frentes: </li></ul><ul><ul><li>Filantropia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Propriedade Intelectual; </li></ul></ul><ul><ul><li>Fundações Privadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Legislação trabalhista; </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Remuneração pesquisadores; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Bolsas alunos PG; </li></ul></ul></ul><ul><li>Reforma da Universidade, Lei de Inovação (segmento IES públicas, comunitárias, particular) </li></ul><ul><li>Agilidade nos processos legais de regularização de uso e ocupação de espaço físico; </li></ul>
  114. 114. Incubadora de Empresas de Base Tecnológica RAIAR Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
  115. 115. Objetivos da RAIAR <ul><li>Acolher empresas nascentes de base tecnológica geradas a partir de projetos de pesquisa da PUCRS </li></ul><ul><li>Estimular o empreendedorismo da comunidade acadêmica da PUCRS </li></ul><ul><li>Abrigar empreendimentos embrionários ( spin-off ) de empresas constituídas no mercado </li></ul><ul><li>Favorecer o desenvolvimento de redes de negócios ( networking ) </li></ul>
  116. 116. Objetivos da RAIAR <ul><li>Capacitar jovens empreendedores; </li></ul><ul><li>Promover a geração de conhecimento e a incorporação de tecnologias nas empresas </li></ul><ul><li>Contribuir para a redução da taxa de mortalidade de novas empresas </li></ul><ul><li>Estimular a associação entre pesquisadores e empresários </li></ul>
  117. 117. Facilidades <ul><li>Espaço físico individualizado </li></ul><ul><li>Espaço físico de uso compartilhado </li></ul><ul><li>Serviços de uso compartilhado </li></ul><ul><li>Acesso a laboratórios, bibliotecas e outros </li></ul><ul><li>Custos iniciais do empreendimento abaixo dos praticados no mercado </li></ul><ul><li>Assessoria e serviços especializados </li></ul><ul><li>Mecanismos de busca de parcerias comerciais e tecnológicas </li></ul><ul><li>Promoção e divulgação </li></ul><ul><li>Apoio às empresas graduandas </li></ul>
  118. 118. SAGE Serviço de apoio a gestão <ul><li>Comunicação e Design </li></ul><ul><ul><li>Divulgação institucional, de eventos, produtos e serviços das empresas </li></ul></ul><ul><ul><li>Programação visual com criação do material de apresentação e divulgação das empresas </li></ul></ul><ul><li>Gestão Empresarial </li></ul><ul><ul><li>Planejamento e análise financeira, elaboração de planos de negócios e atração de investimentos em capital de risco </li></ul></ul>
  119. 119. SAGE Serviço de apoio a gestão <ul><li>Marketing </li></ul><ul><ul><li>Definições de produto, preço, promoção e distribuição. Auxílio na identificação do público-alvo e elaboração de pesquisa de produto e plano de marketing </li></ul></ul><ul><li>Informática </li></ul><ul><ul><li>Suporte a usuários, páginas para Internet, suporte em e-mail, animação gráfica e programação, manutenção do site do TECNOPUC </li></ul></ul>
  120. 120. Localização 2002 2006
  121. 121. Localização Uruguaiana Viamão
  122. 122. As empresas As pessoas
  123. 123. Escritório de Transferência de Tecnologia Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
  124. 124. Nova dinâmica <ul><li>Nova dinâmica na gestão universitária e no tratamento dos resultados de pesquisa </li></ul><ul><ul><li>Publicar X patentear </li></ul></ul><ul><ul><li>Cláusulas de direitos de propriedade intelectual em convênios e contratos </li></ul></ul><ul><ul><li>Sigilo - Acordos de confidencialidade </li></ul></ul><ul><ul><li>Busca de informação tecnológica em base de patentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Licenciamento de tecnologias e patentes </li></ul></ul>
  125. 125. Objetivo <ul><li>Valorizar a atividade de pesquisa da PUCRS através da gestão da propriedade intelectual e da transferência de tecnologia, principalmente nas áreas da saúde (células tronco e biologia molecular), energia, tecnologias da informação e comunicação (TV digital), eletroeletrônica, entre outras </li></ul>
  126. 126. Principais atividades <ul><li>Estabelecer e promover a política institucional de propriedade intelec-tual e transferência de tecnologia </li></ul><ul><li>Implementar e divulgar os procedimentos de proteção da propriedade intelectual dos resultados de pesquisa </li></ul><ul><li>Implementar e divulgar os procedimentos para transferência de tecnologia através da comerciali-zação de ativos, protegidos ou não </li></ul>
  127. 127. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil
  128. 128. INOVAPUC <ul><li>Rede que congrega o conjunto de atores, ações e mecanismos relativos ao processo de inovação e empreende-dorismo da PUCRS </li></ul>
  129. 129. Objetivos <ul><li>Promover o processo de inovação e empreendedorismo na Universidade, articulando , para tal, todos os atores envolvidos no ensino, pesquisa e extensão. </li></ul><ul><li>Promover um esforço multidisciplinar para buscar soluções e oferecer respostas às demandas da sociedade em termos de desenvolvimento econômico, social, ambiental e cultural </li></ul>
  130. 130. INOVAPUC <ul><li>Agentes periféricos </li></ul>
  131. 131. Considerações finais <ul><li>Em uma economia baseada no conhecimento, o que a sociedade mais demanda é capital intelectual: pessoas e idéias que desenvolvam e viabilizem novos produtos e processos, pesquisas que terminem por gerar novos negócios e empresas de alta tecnologia que gerem emprego e renda, propiciando desenvolvimento econômico, social e técnico para a comunidade </li></ul>
  132. 132. Considerações finais <ul><li>A Universidade deve colocar sua tradição e qualidade a serviço da renovação necessária para atender ao cumprimento de sua missão </li></ul><ul><li>Isto deve ser feito de forma coerente com seus princípios e valores </li></ul><ul><li>O que significa não perder de vista sua finalidade primária de formar cidadãos, atendendo à demanda social existente </li></ul>
  133. 133. Considerações finais <ul><li>Capital Intelectual não surge sem esforço a partir de um laboratório de pesquisa </li></ul><ul><li>É resultado de interação entre pessoas </li></ul><ul><li>É produto da interação entre pesquisadores e professores, alunos capacitados e empresas e governo trabalhando juntos em pesquisas de ponta, formulando e respondendo questões e atendendo demandas da sociedade por melhores padrões de qualidade de vida </li></ul>
  134. 134. Considerações finais <ul><li>Na interação Universidade-Empresa, as empresas vão em busca de qualidade e inovação, ou seja, vão aonde o talento estiver… </li></ul><ul><li>O que estamos tentando fazer na PUCRS é atrair, manter e formar os melhores estudantes, criar novos laboratórios de pesquisa, gerar capital intelectual e estimular a interação e parcerias com as empresas e com os governos, visando criar um círculo virtuoso de pesquisa, inovação e desenvolvimento econômico e social </li></ul>
  135. 135. Considerações finais <ul><li>Neste sentido, a PUCRS, tem atuado como forte Vetor de Desenvolvimento na Sociedade, gerando: </li></ul><ul><ul><li>Atração de novos investimentos de alta tecnologia (3 operações internacionais de grande porte na área de GSD, 1 planta piloto de células fotovoltaicas, 2 centros de referência nacionais...); </li></ul></ul><ul><ul><li>Geração de emprego e renda (mais de 2.400 empregos no Tecnopuc desde 2002); </li></ul></ul><ul><ul><li>Desenvolvimento de novas tecnologias e empresas start-ups (19 micro-empresas novas de alta tecnologia criadas desde 2003 na Incubadora RAIAR); </li></ul></ul>
  136. 136. Considerações finais <ul><ul><li>Atração de eventos internacionais de grandes empresas de classe mundial para o Estado do RS (SIEMENS, HP, DELL e SONAE); </li></ul></ul><ul><ul><li>Pesquisas de ponta na área de saúde e biotecnologia (Centros de Pesquisa de Memória, Células Tronco e Biologia Molecular); </li></ul></ul><ul><ul><li>Atração e Retenção de talentos no Estado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Imagem internacional positiva do potencial e capacidade de atração e concretização de investimentos de empresas de classe mundial em alta tecnologia do Estado </li></ul></ul>
  137. 137. Considerações finais <ul><li>Gerado um ambiente de grandes desafios e tensões: </li></ul><ul><ul><li>Visão de Universidade, significado dos eixos de gestão: Qualidade, Interação com a Sociedade, Empreendedorismo e Integração E/P/E; </li></ul></ul><ul><li>Com grande potencial de transformação da PUCRS: </li></ul><ul><ul><li>Sustentabilidade da Universidade; </li></ul></ul><ul><ul><li>Crescimento da Pesquisa e da Pós-Graduação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Possibilidades de crescimento acadêmico e profissional dos alunos: atração e retenção dos melhores alunos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Maior inserção na Sociedade </li></ul></ul>
  138. 138. Considerações finais <ul><li>Aderência com a Missão da PUCRS </li></ul><ul><ul><li>... Qualidade e Relevância ... </li></ul></ul><ul><li>Com a Visão de Futuro da PUCRS </li></ul><ul><ul><li>... Inovação ... </li></ul></ul>
  139. 139. <ul><li>Entre a tradição e a renovação </li></ul>
  140. 140. <ul><li>Esta apresentação </li></ul><ul><li>http://www.slideshare.net/moschetta/tecnopuc-fachadas </li></ul><ul><li>Fachadas de prédios do TECNOPUC http://www.slideshare.net/moschetta/tecnopuc-fachadas Recantos do TECNOPUC http://www.slideshare.net/moschetta/tecnopuc-recantos </li></ul><ul><li>Pessoas no TECNOPUC </li></ul><ul><li>http://www.slideshare.net/moschetta/tecnopuc-pessoas </li></ul><ul><li>Passeio Virtual pelo TECNOPUC http://www.slideshare.net/moschetta/tecnopuc-passeio-virtual </li></ul><ul><li>Livro do TECNOPUC </li></ul><ul><li>http://www.pucrs.br/edipucrs/tecnopuc.htm </li></ul><ul><li>Folder do TECNOPUC </li></ul><ul><li>http://cid-e9836474ce20474d.skydrive.live.com/self.aspx/TECNOPUC/Folder.pdf </li></ul><ul><li>Folder do Portal TECNOPUC </li></ul><ul><li>http://cid-e9836474ce20474d.skydrive.live.com/self.aspx/TECNOPUC/FolderPortal.pdf </li></ul><ul><li>Lançamento do Portal TECNOPUC </li></ul><ul><li>http://cid-e9836474ce20474d.skydrive.live.com/self.aspx/TECNOPUC/FaseII.ppt </li></ul>
  141. 141. Interação Universidade, Empresa e Governo O caso PUCRS Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Brasil

×