Fundamentos das Ciências Sociais

963 visualizações

Publicada em

Os tipos de conhecimento e a investigação cinetífica da sociedade

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
963
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
42
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos das Ciências Sociais

  1. 1. CONCEITOS BÁSICOS
  2. 2. O homem é o único animal que vive no mundo e pensa sobre o mundo em que vive. Ao pensar, ele formula explicações acerca da realidade e dos fenômenos que o cerca. Portanto, é no ato de pensar que o homem conhece a si e o mundo, manifestando isso através da linguagem.
  3. 3.  MÍTICO  EMPÍRITO – SENSO COMUM  FILOSÓFICO  RELIGIOSO OU TEOLÓGICO  PENSAMENTO CIENTÍFICO - CIÊNCIA
  4. 4. O mito é uma narrativa, uma fala, que contém em si diversas ideias. É uma mensagem cifrada, que não é entendida facilmente por quem não está dentro da cultura de que o mito faz parte. O mito pode também transmitir, de geração a geração, uma espécie de conhecimento, muitas vezes sobre a origem do mundo, algumas sobre processos de cura, outras sobre interpretações de fenômenos da natureza e, ainda, sobre a sociedade e a relação entre os homens, através de histórias mitológicas MÍTICO
  5. 5. SENSO COMUM é o modo de pensar da maioria das pessoas, são noções comumente admitidas pelos indivíduos. Significa o conhecimento adquirido pelo homem partir de experiências, vivências e observação do mundo. É um saber que não se baseia em métodos ou conclusões científicas, e sim no modo comum e espontâneo de assimilar informações e conhecimentos úteis no cotidiano
  6. 6. SENSO COMUM é o modo de pensar da maioria das pessoas, são noções comumente admitidas pelos indivíduos. Significa o conhecimento adquirido pelo homem partir de experiências, vivências e observação do mundo. É um saber que não se baseia em métodos ou conclusões científicas, e sim no modo comum e espontâneo de assimilar informações e conhecimentos úteis no cotidiano
  7. 7. CONHECIMENTO FILOSÓFICO É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos. Busca dar sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência.
  8. 8.  É o conhecimento que se baseia no filosofar, na interrogação como instrumento para decifrar elementos imperceptíveis aos sentidos, é uma busca partindo do material para o universal, exige um método racional, diferente do método experimental (científico), levando em conta os diferentes objetos de estudo.  O objeto de análise da filosofia são ideias, relações conceptuais, exigências lógicas que não são redutíveis a realidades materiais e, por essa razão, não são passíveis de observação sensorial direta ou indireta (por instrumentos), como a que é exigida pelo conhecimento científico.
  9. 9. A maquina substituirá quase totalmente o homem? A clonagem humana será uma prática aceita universalmente? O conhecimento tecnológico é um benefício para o homem? Quando chegará a vez do combate à fome e à miséria?
  10. 10.  É uma das maneiras de ler e interpretar o mundo físico e social  Conjunto de regras quanto à maneira correta de colher, organizar, quantificar e trabalhar as informações e compartilha-las  Um processo de inferência (*) lógica que guia a tomada de decisões.
  11. 11. - A maioria dos pesquisadores é composta, apenas, de seres humanos dotados de uma certa inteligência que procuram ser imparciais em suas observações; - Pessoas persistentes - Com um certo grau de teimosia
  12. 12. A PALAVRA CIÊNCIA É DERIVADA NO LATIM SCIRE, QUE SIGNIFICA CONHECER, PORTANTO CIÊNCIA QUER DIZER: UMA MANEIRA DE CONHECER E EXPLICAR O UNIVERSO FÍSICO E SOCIAL
  13. 13.  A palavra “ciência” significa o empreendimento pelo qual a humanidade, agindo individualmente ou em pequenos ou grandes grupos, faz uma tentativa organizada, por meio do estudo objetivo de fenômenos observados, para descobrir e dominar a cadeia de causalidades; reúne em forma coordenada os subsistemas resultantes do conhecimento por meio de reflexão sistemática; busca a compreensão dos processos e fenômenos que ocorrem na natureza e na sociedade
  14. 14.  A ciência é utilizada no controle prático da natureza;  A ciência é utilizada na descrição e compreensão do mundo  A ciência é utilizada para predizer
  15. 15.  Coerência: apresenta argumentação estruturada e ausência de contradições;  Consistência: possui a capacidade de resistir a argumentações contrárias;  Originalidade: busca o novo e não a repetitividade  Objetivação: tenta reproduzir, ler e compreender a realidade assim como ela é e não conforme os princípios do pesquisador
  16. 16.  O conhecimento científico é aquele verificado por meio de métodos científicos.  Constitui-se de uma enorme gama de fatos verificados por meio de pesquisa.  Uma das condições fundamentais do conhecimento é ser produto de uma análise imparcial dos fatos  Deve ser de domínio público – portanto a comunicação é importante.
  17. 17. A imaginação é mais importante que o conhecimento. Albert Einstein A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original Albert Einstein Os ideais que iluminaram o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade. Albert Einstein A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro. Albert Einstein
  18. 18. O ser humano vivência a si mesmo, seus pensamentos como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é uma espécie de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente esse objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior. Albert Einstein
  19. 19. O conhecimento científico da vida social não se baseia apenas no fato, mas na concepção do fato e na relação entre a concepção e o fato. Por estudar a ação dos homens em sociedade, de seus símbolos, sua linguagem, seus valores e cultura, das aspirações que os animam e das alterações que sofrem, as Ciências Sociais constituem ferramenta importante para o desenvolvimento de compreensão crítico-reflexivo da realidade.
  20. 20. Por essa razão, cada vez mais as Ciências Sociais são utilizadas em diversos campos da atividade humana. Campanhas publicitárias, campanhas eleitorais, elaboração de políticas públicas, até mesmo a programação de redes de rádio e televisão levam cada vez mais em conta resultados de investigações sócio- antropológicas, à medida que estas buscam entender as pessoas envolvidas em cada uma dessas atividades, suas crenças, valores e ideias.
  21. 21. Com as mudanças cada vez mais rápidas e profundas dos padrões morais e culturais das sociedades contemporâneas, mais relevantes se tornam as análises que visam compreendê-las. Deslocamentos de pessoas e grupos motivados pelo processo de globalização da economia, que intensificou os fluxos migratórios em todo planeta, trocas culturais proporcionadas pelo estabelecimento de uma “sociedade em rede”, novos modelos de família e conjugalidade, novas configurações no campo religioso, entre outros, constituem temas de trabalhos de cientistas sociais contemporâneos
  22. 22.  A perspectiva socioantropológica aponta para uma relação dialógica entre indivíduo e sociedade. Não existem sociedades sem indivíduos e os indivíduos só se tornam verdadeiramente humanos por meio da socialização, processo pelo qual um indivíduo se torna um membro ativo da sociedade em que nasceu, isto é, comporta-se de acordo com determinados atributos pré-concebidos.

×