SlideShare uma empresa Scribd logo
O QUE É IDEOLOGIA?
Ideologia é um conjunto de
idéias ou pensamentos de uma
pessoa ou de um grupo de
indivíduos. A ideologia pode
estar ligada a ações políticas,
econômicas e sociais.
KARL MARX
Foi um intelectual
alemão considerado
um dos fundadores
da sociologia, teve
influencia em
diversas áreas como
economia, filosofia e
história.
Karl Marx, ligava a ideologia aos sistemas teóricos (políticos, morais e sociais) criados
pela classe social dominante.
De acordo com Marx, a ideologia da classe dominante tinha como objetivo manter os
mais ricos no controle da sociedade.
Ideologia na Filosofia
Hegel abordou a ideologia como uma separação da consciência em relação a si
própria.
Marx utilizou essa concepção hegeliana para diferenciar dois usos diferentes do
conceito de ideologia: um que expressa a ideologia como causadora da alienação do
homem, através da separação da consciência; e outra que contempla a ideologia como
uma superestrutura composta por diversas representações que compõem a
consciência.
Para Karl Marx, a ideologia mascara a realidade. Os pensadores adeptos dessa escola
consideram a ideologia como uma idéia, discurso ou ação que mascara um objeto,
mostrando apenas sua aparência e escondendo suas demais qualidades.
A CRÍTICA DAS IDEOLOGIAS
Toda ideologia serve para mascarar a exploração.
Para mostrar as bases da exploração precisa criticar as ideologias.
Ex: A ciência critica de forma
racional e objetiva a sociedade,
frente às ideologias.
Um dos riscos do pensamento é oferecer uma
imagem falseada ou sublimada das condições
em que se desenvolve a vida humana.
Moral Filosófica da Religião: Toda ideologia trata
de justificar e defender os interesses subjetivos
dos que formulam o conteúdo ideológico.
Por sua formação filosófica,
Marx concebia a realidade
social como um conjunto de
relações de produção que se
caracteriza sociedade num
tempo e espaço
determinados (...). De acordo com
Marx, a ideologia
da classe
dominante tinha
como objetivo
manter os mais
ricos no controle da
sociedade.
A formação do capitalismo e a
constituição do proletariado foram
possibilidade do marxismo.
MARXISMO
Marxismo é um método de
análise socioeconômica sobre as
relações de classe e conflito social,
que utiliza uma interpretação
materialista do desenvolvimento
histórico e uma visão dialética de
transformação social.
Modo de
produção
Determinação
Ação
Recíproca
Relações de
produção
Formas de
Regularização
Relações de
propriedade/
Luta de
Classes
MAPA CONCEITUAL DO MATERIALISMO HISTÓRICO
SOCIEDADE DE CLASSES
+
Forças
produtivas
Força de
trabalho
+
Meios de
produção
Estado cultura instituições
(Sociedade Civil)
Burocracia
Estatal,
governo,
aparato
repressivo,
legislativo,
judiciário,
executivo
Igrejas ,
Partidos,
Sindicatos,
Etc.
Formas de
Consciência,
Religião,
Ideologia,
(filosofia,
Ciência,
tecnologia
Os pontos fundamentais do marxismo
desenvolvidos por Marx foram :
O
MATERIALISMO
HISTÓRICO-
DIALÉTICO
A TEORIA DO
CAPITALISMO
TEORIA DA
REVOLUÇÃO
PROLETÁRIA
CRÍTICAS DE MARX AO CAPITALISMO
O que predomina na sociedade capitalista é a produção de
mercadorias, e é através dela que Marx vai apontar suas
críticas de forma mais esmiuçada. Passará pelos aspectos de
valor, mais-valia, alienação, exército de desempregados.
Marx parte da premissa de que a história da sociedade é a da
luta de classes, portanto, existe sempre uma classe do
opressores e uma de oprimidos. No capitalismo, seriam os
burgueses, donos dos meios de produção, e os proletários,
que vendem sua força de trabalho. Já começa a crítica ao
capitalismo, visto que uma sociedade ideal, para Marx, não
teria classes, ou seja, não teria oprimidos.
CAPITALISMO
O QUE É O CAPITALISMO?
 Forma histórica que organiza toda a vida social em torno do
mercado.
 Todo e qualquer artefato é um produto para ser trocado.
 A lógica da troca determina o comportamento dos agentes
no mercado.
 A lógica do mercado é dominada pela norma da eficiência
econômica.
Eclosão das sociedades capitalistas (burguesas): burguesia
enquanto classe revolucionária, iluminismo.
IDÉIAS E CRÍTICAS AO CAPITALISMO
KARL MARX
O operário, nada possuindo, vende sua força de trabalho, que se
torna mercadoria.
O salário deve garantir a reprodução das condições de subsistência do
trabalhador e sua família.
O salário depende dos bens necessários ao trabalhador, que variam
conforme os costumes.
Depende da natureza do trabalho, destreza, habilidade educação e
treinamento para o trabalho.
Para Marx, o trabalha “reaviva” algo morto. No valor de uma
mercadoria incorpora-se o tempo de trabalho necessário à produção.
Para lucrar, não bastaria aumentar o preço do produto (ficaria irreal ao
mercado, mais caro do que custou para ser produzido).
O Salário
Salário = valor da força de trabalho.
Trabalho, valor e lucro
MAIS-VALIA
Para lucrar, o capitalista se apropria daquilo que o proletário
produziu, porém não ‘embolsou’. É no salário que se lucra.
Uma coisa é o valor da força de trabalho, outra é quanto esse
trabalho rende ao capitalista.
Quanto mais mecanizada, menos importante é o trabalho; a
força de trabalho vale menos, mas se produz mais. E lucra-se
mais.
ALIENAÇÃO NO TRABALHO
EXPLORAÇÃO DO TRABALHADOR
A desvalorização do mundo humano
aumenta na razão direta do aumento
de valor do mundo das mercadorias.
A
L
I
E
N
A
Ç
Ã
O
VOCE É ALIENADO?
A DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO E
AS SUAS CONSEQUÊNCIAS
Para Karl Marx, a divisão do trabalho em especialidades
produtivas gera uma hierarquia social na qual as classes
dominantes (burguesia) subjugam as classes dominadas, ao
estabelecer as instituições legitimadoras e ao deter os meios de
produção. Essa dominação é tensa e gera um conflito chamado de
"luta de classes".
Ademais, para ele, a especialização das atividades produtivas
nas sociedades complexas gerou uma divisão do trabalho social
como uma forma vital de sobrevivência e, ao superar as suas
necessidades básicas, a humanidade cria outras.
A INFRAESTRUTURA ECONÔMICA
A Infra estrutura econômica de
uma sociedade é a forma como
essa totalidade social organizá-la
produção material de bens, a
distribuição e o consumo. Da
forma como os homens
produzem mediante o trabalho
os bens materiais, depende a
organização que adotam a
distribuição e o consumo.
Consumo Distribuição Produção
distribuição
produção
consumo
EXÉRCITO DE DESEMPREGADO
Karl Marx, deixa claro que o desenvolvimento
tecnológico faz com que o trabalhador seja
desvalorizado em seu ofício, mesmo porque,
com a evolução da tecnologia até as
máquinas se superam criando um número
cada vez maior de pessoas
desempregadas.Em consequência
disso, o poder do empregador torna-se ainda
maior, obrigando o trabalhador a se submeter
a uma oferta de trabalho com salário injusto
em função da necessidade de emprego,
beneficiando o empregador.
A única coisa que
sei é que não sou
pseudomarxista!!!
No final da vida de Marx,
emergiu a chamada
“social-democracia”, a
qual ele criticou e por
isso afirmou: a única
coisa que sei, é que não
sou marxista.
COLÉGIO ESTADUAL MONTEIRO LOBATO
ALUNA: IZABELLA
ALUNO: WALACE
ALUNA :PATRÍCIA
ALUNO: YAN
SLIDE DE FILISOFIA
TURMA: 2003
KARL MARX, IDEOLOGIA (CRÍTICAS AO CAPITALISM
PROFESSORA: ANA CARLA
DUQUE DE CAXIAS

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Carson Souza
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 
O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08
O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08
O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08
Rodrigo Cisco
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 

Mais procurados (20)

Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia ContemporâneaAula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
Aula de Filosofia - Filosofia Contemporânea
 
Filosofia contemporânea
Filosofia contemporâneaFilosofia contemporânea
Filosofia contemporânea
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologiaSociologia - Principais teoricos da sociologia
Sociologia - Principais teoricos da sociologia
 
Karl Marx
Karl MarxKarl Marx
Karl Marx
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO O MUNDO DO TRABALHO
O MUNDO DO TRABALHO
 
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de  Frankfurt - Indústria CulturalEscola de  Frankfurt - Indústria Cultural
Escola de Frankfurt - Indústria Cultural
 
O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08
O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08
O contratualismo hobbes, locke e rouseau aula 08
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
 
Emile durkheim
Emile durkheimEmile durkheim
Emile durkheim
 
Sartre e o existencialismo
Sartre e o existencialismoSartre e o existencialismo
Sartre e o existencialismo
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
O trabalho em nossa vida.
O trabalho em nossa vida.O trabalho em nossa vida.
O trabalho em nossa vida.
 
Ideologia
IdeologiaIdeologia
Ideologia
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
Ideologia
IdeologiaIdeologia
Ideologia
 
Sociologia espaco urbano_13
Sociologia espaco urbano_13Sociologia espaco urbano_13
Sociologia espaco urbano_13
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel FoucaultAula - O que é PODER - Michel Foucault
Aula - O que é PODER - Michel Foucault
 

Semelhante a Ideologia - karl marx

Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]
Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]
Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]
LukasSeize
 
2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx
Felipe Hiago
 
Karl Marx E A História Da Exploração Atualizado
Karl  Marx E A  História Da  Exploração AtualizadoKarl  Marx E A  História Da  Exploração Atualizado
Karl Marx E A História Da Exploração Atualizado
roberto mosca junior
 

Semelhante a Ideologia - karl marx (20)

Teoria Marxista
Teoria MarxistaTeoria Marxista
Teoria Marxista
 
Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)Karl marx (materialismo histórico)
Karl marx (materialismo histórico)
 
Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]
Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]
Aula de sociologia_marx_[modo_de_compatibilidade]
 
Karl marx1
Karl marx1Karl marx1
Karl marx1
 
Durkheim e Marx
Durkheim e MarxDurkheim e Marx
Durkheim e Marx
 
DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO.pptx
DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO.pptxDIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO.pptx
DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO.pptx
 
Karl marx slides
Karl marx slidesKarl marx slides
Karl marx slides
 
Aula 08 - Modos de Produção e Formações Sociais - I
Aula 08 - Modos de Produção e Formações Sociais - IAula 08 - Modos de Produção e Formações Sociais - I
Aula 08 - Modos de Produção e Formações Sociais - I
 
CLASSE SOCIAL, CONSCIÊNCIA DE CLASSE E LUTAS.ppt
CLASSE SOCIAL, CONSCIÊNCIA DE CLASSE E LUTAS.pptCLASSE SOCIAL, CONSCIÊNCIA DE CLASSE E LUTAS.ppt
CLASSE SOCIAL, CONSCIÊNCIA DE CLASSE E LUTAS.ppt
 
Marx e Durkheim
Marx e DurkheimMarx e Durkheim
Marx e Durkheim
 
2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx2014 aula cinco karl marx
2014 aula cinco karl marx
 
3EM_Aula 5 - Materialismo histórico de Karl Marx (Capítulo 11).pptx
3EM_Aula 5 - Materialismo histórico de Karl Marx (Capítulo 11).pptx3EM_Aula 5 - Materialismo histórico de Karl Marx (Capítulo 11).pptx
3EM_Aula 5 - Materialismo histórico de Karl Marx (Capítulo 11).pptx
 
Karl Marx E A História Da Exploração Atualizado
Karl  Marx E A  História Da  Exploração AtualizadoKarl  Marx E A  História Da  Exploração Atualizado
Karl Marx E A História Da Exploração Atualizado
 
Karl Marx. Aula de Sociologia
Karl Marx. Aula de SociologiaKarl Marx. Aula de Sociologia
Karl Marx. Aula de Sociologia
 
Karl marx
Karl marxKarl marx
Karl marx
 
KARL MARX - sua dialética do capitalismo
KARL MARX - sua dialética do capitalismoKARL MARX - sua dialética do capitalismo
KARL MARX - sua dialética do capitalismo
 
Sociologia Marx
Sociologia Marx Sociologia Marx
Sociologia Marx
 
Mídia Ativa - Artigo
Mídia Ativa - ArtigoMídia Ativa - Artigo
Mídia Ativa - Artigo
 
Teorias sociologicas classicas
Teorias sociologicas classicasTeorias sociologicas classicas
Teorias sociologicas classicas
 
Karl marx e a história da exploração do
Karl marx e a história da exploração doKarl marx e a história da exploração do
Karl marx e a história da exploração do
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
ssuserbb4ac2
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 

Último (20)

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptxAULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
AULA Saúde e tradição-3º Bimestre tscqv.pptx
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdfAS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
AS COLUNAS B E J E SUAS POSICOES CONFORME O RITO.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 

Ideologia - karl marx

  • 1.
  • 2. O QUE É IDEOLOGIA? Ideologia é um conjunto de idéias ou pensamentos de uma pessoa ou de um grupo de indivíduos. A ideologia pode estar ligada a ações políticas, econômicas e sociais.
  • 3. KARL MARX Foi um intelectual alemão considerado um dos fundadores da sociologia, teve influencia em diversas áreas como economia, filosofia e história.
  • 4. Karl Marx, ligava a ideologia aos sistemas teóricos (políticos, morais e sociais) criados pela classe social dominante. De acordo com Marx, a ideologia da classe dominante tinha como objetivo manter os mais ricos no controle da sociedade. Ideologia na Filosofia Hegel abordou a ideologia como uma separação da consciência em relação a si própria. Marx utilizou essa concepção hegeliana para diferenciar dois usos diferentes do conceito de ideologia: um que expressa a ideologia como causadora da alienação do homem, através da separação da consciência; e outra que contempla a ideologia como uma superestrutura composta por diversas representações que compõem a consciência. Para Karl Marx, a ideologia mascara a realidade. Os pensadores adeptos dessa escola consideram a ideologia como uma idéia, discurso ou ação que mascara um objeto, mostrando apenas sua aparência e escondendo suas demais qualidades.
  • 5. A CRÍTICA DAS IDEOLOGIAS Toda ideologia serve para mascarar a exploração. Para mostrar as bases da exploração precisa criticar as ideologias. Ex: A ciência critica de forma racional e objetiva a sociedade, frente às ideologias. Um dos riscos do pensamento é oferecer uma imagem falseada ou sublimada das condições em que se desenvolve a vida humana. Moral Filosófica da Religião: Toda ideologia trata de justificar e defender os interesses subjetivos dos que formulam o conteúdo ideológico.
  • 6. Por sua formação filosófica, Marx concebia a realidade social como um conjunto de relações de produção que se caracteriza sociedade num tempo e espaço determinados (...). De acordo com Marx, a ideologia da classe dominante tinha como objetivo manter os mais ricos no controle da sociedade. A formação do capitalismo e a constituição do proletariado foram possibilidade do marxismo.
  • 8. Marxismo é um método de análise socioeconômica sobre as relações de classe e conflito social, que utiliza uma interpretação materialista do desenvolvimento histórico e uma visão dialética de transformação social.
  • 9. Modo de produção Determinação Ação Recíproca Relações de produção Formas de Regularização Relações de propriedade/ Luta de Classes MAPA CONCEITUAL DO MATERIALISMO HISTÓRICO SOCIEDADE DE CLASSES + Forças produtivas Força de trabalho + Meios de produção Estado cultura instituições (Sociedade Civil) Burocracia Estatal, governo, aparato repressivo, legislativo, judiciário, executivo Igrejas , Partidos, Sindicatos, Etc. Formas de Consciência, Religião, Ideologia, (filosofia, Ciência, tecnologia
  • 10. Os pontos fundamentais do marxismo desenvolvidos por Marx foram : O MATERIALISMO HISTÓRICO- DIALÉTICO A TEORIA DO CAPITALISMO TEORIA DA REVOLUÇÃO PROLETÁRIA
  • 11. CRÍTICAS DE MARX AO CAPITALISMO O que predomina na sociedade capitalista é a produção de mercadorias, e é através dela que Marx vai apontar suas críticas de forma mais esmiuçada. Passará pelos aspectos de valor, mais-valia, alienação, exército de desempregados. Marx parte da premissa de que a história da sociedade é a da luta de classes, portanto, existe sempre uma classe do opressores e uma de oprimidos. No capitalismo, seriam os burgueses, donos dos meios de produção, e os proletários, que vendem sua força de trabalho. Já começa a crítica ao capitalismo, visto que uma sociedade ideal, para Marx, não teria classes, ou seja, não teria oprimidos.
  • 12. CAPITALISMO O QUE É O CAPITALISMO?  Forma histórica que organiza toda a vida social em torno do mercado.  Todo e qualquer artefato é um produto para ser trocado.  A lógica da troca determina o comportamento dos agentes no mercado.  A lógica do mercado é dominada pela norma da eficiência econômica. Eclosão das sociedades capitalistas (burguesas): burguesia enquanto classe revolucionária, iluminismo.
  • 13. IDÉIAS E CRÍTICAS AO CAPITALISMO KARL MARX O operário, nada possuindo, vende sua força de trabalho, que se torna mercadoria. O salário deve garantir a reprodução das condições de subsistência do trabalhador e sua família. O salário depende dos bens necessários ao trabalhador, que variam conforme os costumes. Depende da natureza do trabalho, destreza, habilidade educação e treinamento para o trabalho. Para Marx, o trabalha “reaviva” algo morto. No valor de uma mercadoria incorpora-se o tempo de trabalho necessário à produção. Para lucrar, não bastaria aumentar o preço do produto (ficaria irreal ao mercado, mais caro do que custou para ser produzido). O Salário Salário = valor da força de trabalho. Trabalho, valor e lucro
  • 14. MAIS-VALIA Para lucrar, o capitalista se apropria daquilo que o proletário produziu, porém não ‘embolsou’. É no salário que se lucra. Uma coisa é o valor da força de trabalho, outra é quanto esse trabalho rende ao capitalista. Quanto mais mecanizada, menos importante é o trabalho; a força de trabalho vale menos, mas se produz mais. E lucra-se mais. ALIENAÇÃO NO TRABALHO EXPLORAÇÃO DO TRABALHADOR A desvalorização do mundo humano aumenta na razão direta do aumento de valor do mundo das mercadorias.
  • 15.
  • 17. A DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO E AS SUAS CONSEQUÊNCIAS Para Karl Marx, a divisão do trabalho em especialidades produtivas gera uma hierarquia social na qual as classes dominantes (burguesia) subjugam as classes dominadas, ao estabelecer as instituições legitimadoras e ao deter os meios de produção. Essa dominação é tensa e gera um conflito chamado de "luta de classes". Ademais, para ele, a especialização das atividades produtivas nas sociedades complexas gerou uma divisão do trabalho social como uma forma vital de sobrevivência e, ao superar as suas necessidades básicas, a humanidade cria outras.
  • 18. A INFRAESTRUTURA ECONÔMICA A Infra estrutura econômica de uma sociedade é a forma como essa totalidade social organizá-la produção material de bens, a distribuição e o consumo. Da forma como os homens produzem mediante o trabalho os bens materiais, depende a organização que adotam a distribuição e o consumo. Consumo Distribuição Produção distribuição produção consumo
  • 19. EXÉRCITO DE DESEMPREGADO Karl Marx, deixa claro que o desenvolvimento tecnológico faz com que o trabalhador seja desvalorizado em seu ofício, mesmo porque, com a evolução da tecnologia até as máquinas se superam criando um número cada vez maior de pessoas desempregadas.Em consequência disso, o poder do empregador torna-se ainda maior, obrigando o trabalhador a se submeter a uma oferta de trabalho com salário injusto em função da necessidade de emprego, beneficiando o empregador.
  • 20. A única coisa que sei é que não sou pseudomarxista!!! No final da vida de Marx, emergiu a chamada “social-democracia”, a qual ele criticou e por isso afirmou: a única coisa que sei, é que não sou marxista.
  • 21. COLÉGIO ESTADUAL MONTEIRO LOBATO ALUNA: IZABELLA ALUNO: WALACE ALUNA :PATRÍCIA ALUNO: YAN SLIDE DE FILISOFIA TURMA: 2003 KARL MARX, IDEOLOGIA (CRÍTICAS AO CAPITALISM PROFESSORA: ANA CARLA DUQUE DE CAXIAS