Metodologia científica - Conceitos Básicos

521 visualizações

Publicada em

Material de apoio

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Metodologia científica - Conceitos Básicos

  1. 1. CONCEITOS BÁSICOS
  2. 2.  É uma das maneiras de ler e interpretar o mundo físico e social  Conjunto de regras quanto à maneira correta de colher, organizar, quantificar e trabalhar as informações e compartilha-las  Um processo de inferência (*) lógica que guia a tomada de decisões.
  3. 3. - A maioria dos pesquisadores é composta, apenas, de seres humanos dotados de uma certa inteligência que procuram ser imparciais em suas observações; - Pessoas persistentes - Com um certo grau de teimosia
  4. 4. A PALAVRA CIÊNCIA É DERIVADA NO LATIM SCIRE, QUE SIGNIFICA CONHECER,PORTANTO CIÊNCIA QUER DIZER: UMA MANEIRA DE CONHECER E EXPLICAR O UNIVERSO FÍSICO E SOCIAL
  5. 5.  A palavra “ciência” significa o empreendimento pelo qual a humanidade, agindo individualmente ou em pequenos ou grandes grupos, faz uma tentativa organizada, por meio do estudo objetivo de fenômenos observados, para descobrir e dominar a cadeia de causalidades; reúne em forma coordenada os subsistemas resultantes do conhecimento por meio de reflexão sistemática; busca a compreensão dos processos e fenômenos que ocorrem na natureza e na sociedade
  6. 6.  A ciência é utilizada no controle prático da natureza;  A ciência é utilizada na descrição e compreensão do mundo  A ciência é utilizada para predizer
  7. 7.  Coerência: apresenta argumentação estruturada e ausência de contradições;  Consistência: possui a capacidade de resistir a argumentações contrárias;  Originalidade: busca o novo e não a repetitividade  Objetivação: tenta reproduzir, ler e compreender a realidade assim como ela é e não conforme os princípios do pesquisador
  8. 8.  O conhecimento científico é aquele verificado por meio de métodos científicos.  Constitui-se de uma enorme gama de fatos verificados por meio de pesquisa.  Uma das condições fundamentais do conhecimento é ser produto de uma análise imparcial dos fatos  Deve ser de domínio público – portanto a comunicação é importante.
  9. 9.  A ciência é uma atividade histórica, isto é, uma atividade situada em termos de tempo e espaço; o trabalho de um pesquisador é construído sobre o trabalho de outras pessoas;
  10. 10.  A comunicação de novos resultados é uma premissa básica para o progresso da ciência, uma vez que complementa o conhecimento dos demais pesquisadores e também oferece oportunidades para novas pesquisas;  As descobertas científicas devem ser sujeitas a novos e independentes exames e verificações por outros pesquisadores; somente a partir de tais exames e verificações é que os resultados de uma pesquisa passam ao domínio geral.
  11. 11.  Teoria é um corpo de conhecimento que permite provar e/ou explicar fatos e fenômenos da realidade.  O ponto básico na construção de uma teoria é a agregação dos conhecimentos já existentes em um determinada área  Processo constante e evolutivo de realimentação de conhecimentos científicos
  12. 12.  Prover meios para sua verificação;  Permitir previsões;  Estimular novas descobertas  Indicar áreas que necessitam ser investigadas  Para tanto, deve ser suficiente estruturada, a fim de que as explanações oferecidas sejam compreensíveis.
  13. 13.  Uma teoria é um conjunto inter- relacionado de definições e proposições que apresenta uma sistematização do fenômeno por meio de especificações das relações entre variáveis, com o propósito de explicá-lo e de predizer novos acontecimentos.
  14. 14.  SENSO COMUM é o modo de pensar da maioria das pessoas, são noções comumente admitidas pelos indivíduos. Significa o conhecimento adquirido pelo homem partir de experiências, vivências e observação do mundo.  É um saber que não se baseia em métodos ou conclusões científicas, e sim no modo comum e espontâneo de assimilar informações e conhecimentos úteis no cotidiano.
  15. 15.  O SENSO COMUM é uma herança cultural que tem a função de orientar a sobrevivência humana nos mais variados aspectos. Através do senso comum uma criança aprende o que é o perigo e a segurança, o que pode e o que não pode comer, o que é justo e o que é injusto, o bem e o mal, e outras normas de vida que vão direcionar o seu modo de agir e pensar, as suas atitudes e decisões.  Também faz parte do SENSO COMUM os conselhos e ditos populares que são tidos como verdades e seguidos pelo povo. Por exemplo: “Deve-se cortar os cabelos na lua crescente para que cresçam mais rápido”.
  16. 16. CONHECIMENTO FILOSÓFICO É fruto do raciocínio e da reflexão humana. É o conhecimento especulativo sobre fenômenos, gerando conceitos subjetivos. Busca dar sentido aos fenômenos gerais do universo, ultrapassando os limites formais da ciência.
  17. 17.  É o conhecimento que se baseia no filosofar, na interrogação como instrumento para decifrar elementos imperceptíveis aos sentidos, é uma busca partindo do material para o universal, exige um método racional, diferente do método experimental (científico), levando em conta os diferentes objetos de estudo.  O objeto de análise da filosofia são ideias, relações conceptuais, exigências lógicas que não são redutíveis a realidades materiais e, por essa razão, não são passíveis de observação sensorial direta ou indireta (por instrumentos), como a que é exigida pelo conhecimento científico.
  18. 18. A maquina substituirá quase totalmente o homem? A clonagem humana será uma prática aceita universalmente? O conhecimento tecnológico é um benefício para o homem? Quando chegará a vez do combate à fome e à miséria?
  19. 19.  CONHECIMENTO RELIGIOSO, isto é, teológico, apoia-se em doutrinas que contêm proposições sagradas (valorativas), por terem sido reveladas pelo sobrenatural (inspiracional) e, por esse motivo, tais verdades são consideradas infalíveis e indiscutíveis (exatas);  "O jeito de ver pela fé é fechar os olhos da razão." (Benjamin Franklin)
  20. 20. É um conhecimento sistemático do mundo (origem, significado, finalidade e destino) como obra de um criador divino; suas evidências não são verificadas: está sempre implícita uma atitude de fé perante um conhecimento revelado. A adesão das pessoas passa a ser um ato de fé, pois a visão sistemática do mundo é interpretada como decorrente do ato de um criador divino, cujas evidências não são postas em dúvida nem sequer verificáveis. (Lakatos, Eva M. e Marconi, Marina A., "Metodologia Científica", Editora Atlas S.A., São Paulo SP. 1991, p.15)
  21. 21. O mito é uma narrativa, uma fala, que contém em si diversas ideias. É uma mensagem cifrada, que não é entendida facilmente por quem não está dentro da cultura de que o mito faz parte. O mito pode também transmitir, de geração a geração, uma espécie de conhecimento, muitas vezes sobre a origem do mundo, algumas sobre processos de cura, outras sobre interpretações de fenômenos da natureza e, ainda, sobre a sociedade e a relação entre os homens, através de histórias mitológicas MÍTICO
  22. 22. A imaginação é mais importante que o conhecimento. Albert Einstein A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original Albert Einstein Os ideais que iluminaram o meu caminho são a bondade, a beleza e a verdade. Albert Einstein A imaginação é mais importante que a ciência, porque a ciência é limitada, ao passo que a imaginação abrange o mundo inteiro. Albert Einstein
  23. 23. O ser humano vivência a si mesmo, seus pensamentos como algo separado do resto do universo - numa espécie de ilusão de ótica de sua consciência. E essa ilusão é uma espécie de prisão que nos restringe a nossos desejos pessoais, conceitos e ao afeto por pessoas mais próximas. Nossa principal tarefa é a de nos livrarmos dessa prisão, ampliando o nosso círculo de compaixão, para que ele abranja todos os seres vivos e toda a natureza em sua beleza. Ninguém conseguirá alcançar completamente esse objetivo, mas lutar pela sua realização já é por si só parte de nossa liberação e o alicerce de nossa segurança interior. Albert Einstein

×