SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Baixar para ler offline
Guia prático de como montar
um planograma eficiente www.pdvativo.com.br
1. INTRODUÇÃO
www.pdvativo.com.br
2. Por que preciso de um planograma?
3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA
4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO)
5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR?
6. CONCLUSÃO
Coordenadores de trade marketing
estão sempre em busca de informações e
métodosqueauxiliemnoPLANEJAMENTO
DE ESTRATÉGIAS. Neste e-book, vamos
ajudar coordenadores e promotores a
montar um PLANOGRAMA EFICIENTE
PARA O PDV.
INTRODUÇÃO
O planograma é a escolha do layout dos produtos
no ponto de venda e por isso auxilia na implan-
tação de ações que aumentem as vendas.
Um bom planograma mostra a quantidade de frentes ou faces, o espaçamento e o posicio-
namento de um produto no varejo. A ferramenta também define a verticalização ou a exposição
em blocos de uma mercadoria, por exemplo.
	 Neste material educativo, falaremos sobre a IMPORTÂNCIA DESSA FERRAMENTA,
daremos dicas de como fazer um planograma e como esta técnica pode AJUDAR TANTO O
COORDENADOR QUANTO O PROMOTOR de venda na hora do planejamento e execução.
	 Boa leitura!
INTRODUÇÃO
1. INTRODUÇÃO
www.pdvativo.com.br
2. Por que preciso de um planograma?
3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA
4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO)
5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR?
6. CONCLUSÃO
Se o objetivo primordial é AUMENTAR AS VENDAS, recomendamos
que você comece agora. Primeiro, porque a ferramenta amplia a conveniência,
a comodidade e a agilidade no processo decisório dos consumidores. Ou seja,
ESTIMULA O ATO DA COMPRA.
	 UmplanogramabemplanejadoeexecutadomantémboascondiçõesdecirculaçãoeOFERECE
GRANDE VISIBILIDADE E ACESSO aos produtos expostos. Sua marca será vista e, por isso,
SERÁ LEMBRADA PELO CONSUMIDOR. Além disso, organização e boa disposição das mer-
cadorias costumam passar uma imagem positiva da marca.
Por que preciso de um planograma?
Você, além de coordenador ou promotor, TAMBÉM
ÉCONSUMIDOR.Jamaisesqueçadisso!Ninguémgosta
de encontrar prateleiras vazias ou desorganizadas. Por-
tanto, é importante educar o varejista para que quando
ocorram rupturas, a prática da loja não seja a de encher
o espaço do produto que está faltando com itens adja-
centes. Isso não esconde do consumidor a falha, ape-
nas agrava o problema. O cliente vai perder mais tempo
procurando o produto que deseja e a frustração ao não
Por que preciso de um planograma?
Como consumidor, você também é influen-
ciado por uma boa organização.
Por que preciso de um planograma?
encontrá-lo só aumenta. Agora, se o seu planograma for respeitado, a demanda pelos
seus produtos certamente irá aumentar.
1. INTRODUÇÃO
www.pdvativo.com.br
2. Por que preciso de um planograma?
3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA
4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO)
5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR?
6. CONCLUSÃO
Entender a importância do planograma é um grande passo,
masvocêaindaprecisasabercomofazê-lo.Umbomplanograma
precisa ser reflexo de um conjunto de decisões táticas de
localização e exposição de produtosdentrodaloja,
não esquecendo que o shopper deve encontrá-los facilmente. É
aqui que o ESTUDO DE MAPAS DE CALOR pode ajudar o co-
ordenador a saber onde há maior fluxo de consumidores (áreas
quentes) e onde os produtos são “esquecidos” (áreas frias). Esse
estudo permite que ele foque nos melhores pontos e pense em
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
Representação de um corredor de
supermercado, onde câmeras registram
os pontos onde as pessoas permane-
cem por mais tempo.
maneiras de aproveitar aqueles nem tão bons assim.
Os produtos podem ser divididos em categorias (de
shampoos, por exemplo) ou por associação (seção de
banho,sucos,petetc.)pertodeprodutosrelacionados.
	 Seja qual for o produto, existe um tipo de equi-
pamento e alguns pontos a se considerar na hora de
escolher o local de exposição dentro da loja. Para cada
um dos tipos, daremos dicas da melhor maneira de
distribuição da mercadoria.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
Distribuição dos produtos no sentido
horizontal nas gôndolas, da esquerda
pra direita.
a. Gôndolas
	 Essetipodeexposiçãoéumdosmaisfrequentes.
Se for distribuir os produtos no sentido horizontal,
organize por ordem de tamanho e peso, da esquer-
da para a direita.
	 Se for distribuir no sentido vertical, comece de
baixo pra cima.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
b. Ponta de gôndola
	 Essa montagem varia de acordo com o sistema de exposição:
bandeja, cesto ou gancho.
	 Exponha apenas um produto. Você pode variar somente as
cores, já que modelos e tamanhos costumam ter preços difer-
entes,ecolocá-losnomesmolocaléproibidoporlei.Aexposição
de mais de um tipo de produto na mesma ponta é permitida so-
mente quando um produto é complementar outro.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
Gôndola
Ponta de
Gôndola
b.a. Bandeja
	 Se houver produtos de cores diferentes, verti-
calize a cor para facilitar a escolha do cliente. Caso
o produto tenha data de validade, deixe a “pega”
mais fácil dos produtos com validade mais próx-
ima, ou seja, deixe-os à frente dos produtos com
validade maior.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
MAIS
PRÓXIMOS DO
VENCIMENTO
b.b. Gancho
	 Os produtos dos ganchos devem estar próximos para não mostrar o fundo da gôndola.
	 Caso haja mercadorias com cores diferentes, verticalize.
	 b.c. Cesto
	 Coloque até cinco cestos a uma altura máxima de 1,60m. Lembre-se que as pessoas precis-
am conseguir alcançar um produto sem esforço.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
c. Pallets
	 Use pallets somente quando os produtos estiverem em caixa
ou se puderem ser empilhados. Não permita que a altura da
pilha ultrapasse 1,20m. Aproveite a estrutura e cole cartazes de
preço nas faces ou use placas de suporte. É bom lembrar que
deixar uma amostra do produto fora da caixa e exposto ao cli-
ente é fundamental.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
d. Cestos de corredor
	 São usados apenas para exposição de produtos vendidos a granel e que não possam ser
empilhados. Se não houver estoque suficiente para encher o cesto, use como recheio algumas
caixas vazias do próprio produto, e em volta, coloque o mercadoria.
Como fazer a distribuição dos produtos na loja
1. INTRODUÇÃO
www.pdvativo.com.br
2. Por que preciso de um planograma?
3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA
4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO)
5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR?
6. CONCLUSÃO
Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
	 Quandoéchegadaa hora de implantar os planogramas,ospromotorespodem
se deparar com problemas. Se o espaço não for calculado corretamente pelo coordenadores, o
que está descrito no planograma pode não ter validade alguma.
	 Quando o planograma não é feito pensando no mundo real,
acontecem imprevistos como o produto não caber na gôndola
ou sobrar espaço vazio. Lembre-se que é no PDV que o shopper
fará sua decisão de compra. Ninguém gosta de se abaixar muito
para pegar algum produto, por isso a posição central e que está
naalturadosolhosé a parte mais nobre da gôndola,
Altura dos
Olhos
ou seja, produtos neste campo de visão serão percebidos primeiro.
	 Mercadorias com maior valor agregado e maior margem devem ser
posicionados na altura dos olhos e nas prateleiras superiores. Já os
de maior giro, menor ticket médio e menor margem ficam nas prate-
leiras inferiores.
	 Para que seu produto seja notado, o promotor deve se preocupar com uma boa sinalização
e precificação legível. A limpeza é outro fator bem importante que deve ser acordada com o
Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
varejista. Já para vender produtos casados, indicamos um
aprofundamento no que é crossmerchandising. Mais do que
cruzar produtos aleatoriamente, a técnica permite fazer as-
sociações que induzem a compra de um produ-
to. Essas combinações costumam funcionar uando a pes-
soa lembra daquele produto na hora de levar outro e sente
que sua experiência de compra foi melhor por causa disso.
	 O planograma também é afetado pela posição do con-
corrente líder da marca na gôndola. Se um refrigerante de
Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
PRODUTO
TIPO A
PRODUTO
TIPO A
PRODUTO
TIPO A
PRODUTO TIPO B
PRODUTO TIPO B
Cross merchandising é a técnica de posi-
cionar produtos de funções diferentes,
mas que dialogam entre si, para ala-
vancar as vendas.
cola pouco conhecido fica próximo ao líder, por exemplo, ele
pode “pegar carona” com ele. Nesse caso, o shopper pode
tomar a decisão baseado no menor preço e
levar o produto menos conhecido.
	 Elaborar mapas de calor é um bom meio de identificar as
áreas quentes e frias nas gôndolas antes do planejamento.
Esse mapa permite focar esforços nos melhores pontos do
PDV. Aliado a ele, está a árvore de decisão do consumidor: a
necessidade, a seleção e a decisão. Todas essas etapas são
Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
MARCA
LÍDER
MARCA
LÍDER
MARCA
LÍDER
OUTRA
MARCA
OUTRA
MARCA
OUTRA
MARCA
A marca líder fica na altura dos olhos
do consumidor, enquanto as outras
marcas “pegam carona” nas vendas.
influenciáveis pelo marketing e cabe à equipe do trade compreendê-las.
	 Porisso,asobservaçõesdecomportamentodoshoppereomonitoramentoconstantedoPDV
são capazes de criar alternativas de planograma. Por que não fazer testes para compreender a
decisão dos compradores na gôndola? Quando se sabe o comportamento real do shopper fica
bem mais fácil adequar o planograma às particularidades dele. Seguindo a mesma linha de
pensamento, por que não analisar os resultados de um planograma anterior? Feedback é uma
bússola eficiente para guiar ações.
Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
1. INTRODUÇÃO
www.pdvativo.com.br
2. Por que preciso de um planograma?
3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA
4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO)
5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR?
6. CONCLUSÃO
A maioria dos promotores anda com esse planejamento impresso no bolso. Algumas tecno-
logias específicas para gestão de PDV, como o Agile Promoter, conseguem armazenar todos
esses dados para que o promotor os consulte em um dispositivo móvel onde e quando quiser. 	
Como a tecnologia pode me ajudar?
Como a tecnologia pode me ajudar?
	 Problemascomoplanogramatambémpodemserresolvidosfacilmenteseopromotorpuder
conversarcomocoordenadorpormeiodeumbate-papoinstantâneo.Ofeedback tambémpode
ser virtual, ou seja, as informações sobre os PDVs são passadas em tempo real e armazenadas.
Dessa forma, tornam-se base para um próximo planograma mais eficiente que
o anterior.
O cálculo dos espaços a serem ocupados nas prateleiras e a simulação gráfica de um PDV
também são possíveis com o auxílio de softwares e facilitam a vida do coordenador. Esses pro-
gramas aproximam o que está nos planos da realidade que do ponto de venda.
	 Buscar ideias na internet e se basear nelas também pode ajudar na hora de
fazer um planograma.
Como a tecnologia pode me ajudar?
1. INTRODUÇÃO
www.pdvativo.com.br
2. Por que preciso de um planograma?
3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA
4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO)
5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR?
6. CONCLUSÃO
CONCLUSÃO
	 Neste e-book, abordamos os principais pontos referentes a um planograma para PDV. Ex-
plicamos como a ferramenta é capaz de proporcionar uma boa experiência ao shopper e fazer
com que o seu produto e não o do concorrente seja escolhido por ele. Pequenos truques como
posicionar mercadorias com maior valor agregado e margem na altura dos olhos e nas pratelei-
ras mais acima fazem toda a diferença no PDV.
	 Ensinamos também como você pode fazer a distribuição dos produtos - se em gôndola,
cesto, pallet etc - e técnicas como cross-merchandising e mapa de calor. Por fim, abordamos os
benefícios da tecnologia na hora de elaborar um planograma.
Seguir o planograma à risca é essencial para que as estratégias elaboradas
no planejamento dêem resultado. Quando surgem problemas e falha de comuni-
cação com o varejista, todo o planograma pode ser sacrificado, o que não é nada bom para a
marca. Converse com promotores e explique a importância de negociar lugares no varejo. Mon-
itorar se o acordo está sendo respeitado também será tarefa dele.
	 Esperamos que nossas dicas tenham ajudado você a compreender melhor a ferramenta.
	 Boa leitura!
CONCLUSÃO
DEIXE SEU COMENTÁRIO!
COMPARTILHE
TWEET
www.pdvativo.com.br
SEGUIRCURTIR

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingReinaldo Cirilo
 
Merchandising em Supermercados
Merchandising em SupermercadosMerchandising em Supermercados
Merchandising em SupermercadosGisele Sá Rêgo
 
Organizaçao do ponto de venda jp
Organizaçao do ponto de venda   jpOrganizaçao do ponto de venda   jp
Organizaçao do ponto de venda jpJoao Silva
 
Técnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de VendasTécnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de VendasPreOnline
 
Gerenciamento de categorias
Gerenciamento de categoriasGerenciamento de categorias
Gerenciamento de categoriasSOFIA ZYROMSKI
 
OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...
OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...
OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...Cinezio Neto
 
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnicaAula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnicaprofjucavalcante
 
Gerenciamento por categoria na prática visão do cliente
Gerenciamento por categoria na prática   visão do clienteGerenciamento por categoria na prática   visão do cliente
Gerenciamento por categoria na prática visão do clienteSebastião Barroso Felix
 
Merchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e HerondinaMerchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e HerondinaJorge Soares
 
Técnicas de Merchandising
Técnicas de Merchandising Técnicas de Merchandising
Técnicas de Merchandising Diogo Velez
 
Merchandising e comunicação visual
Merchandising e comunicação visualMerchandising e comunicação visual
Merchandising e comunicação visualFrancisca Laviada
 
Introdução ao marketing
Introdução ao marketingIntrodução ao marketing
Introdução ao marketingErica Bamberg
 

Mais procurados (20)

Trade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandisingTrade marketing e merchandising
Trade marketing e merchandising
 
07 merchandising
07   merchandising07   merchandising
07 merchandising
 
Merchandising em Supermercados
Merchandising em SupermercadosMerchandising em Supermercados
Merchandising em Supermercados
 
Organizaçao do ponto de venda jp
Organizaçao do ponto de venda   jpOrganizaçao do ponto de venda   jp
Organizaçao do ponto de venda jp
 
Técnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de VendasTécnicas de Vendas - Análise de Vendas
Técnicas de Vendas - Análise de Vendas
 
Segmentação de Mercado
Segmentação de MercadoSegmentação de Mercado
Segmentação de Mercado
 
Gerenciamento de categorias
Gerenciamento de categoriasGerenciamento de categorias
Gerenciamento de categorias
 
OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...
OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...
OS BENEFÍCIOS DO VISUAL MERCHANDISING e sua influência no comportamento de co...
 
Planograma
PlanogramaPlanograma
Planograma
 
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnicaAula 08   merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
Aula 08 merchandising, promoção de vendas e exibitécnica
 
Decisão de Compra
Decisão de CompraDecisão de Compra
Decisão de Compra
 
Trade Marketing
Trade MarketingTrade Marketing
Trade Marketing
 
Gerenciamento por categoria na prática visão do cliente
Gerenciamento por categoria na prática   visão do clienteGerenciamento por categoria na prática   visão do cliente
Gerenciamento por categoria na prática visão do cliente
 
Merchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e HerondinaMerchandising - Jorge e Herondina
Merchandising - Jorge e Herondina
 
Técnicas de Merchandising
Técnicas de Merchandising Técnicas de Merchandising
Técnicas de Merchandising
 
Tecnicas de Vendas
Tecnicas de VendasTecnicas de Vendas
Tecnicas de Vendas
 
PROMOTOR DE VENDAS
PROMOTOR DE VENDASPROMOTOR DE VENDAS
PROMOTOR DE VENDAS
 
Merchandising e comunicação visual
Merchandising e comunicação visualMerchandising e comunicação visual
Merchandising e comunicação visual
 
Introdução ao marketing
Introdução ao marketingIntrodução ao marketing
Introdução ao marketing
 
merchandising.pdf
merchandising.pdfmerchandising.pdf
merchandising.pdf
 

Semelhante a Como montar um planograma eficiente

Ficha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na loja
Ficha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na lojaFicha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na loja
Ficha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na lojaLeonor Alves
 
Vitrinismo e visual_merchandising
Vitrinismo e visual_merchandisingVitrinismo e visual_merchandising
Vitrinismo e visual_merchandisingCarla Oliveira
 
Loja especializada em doces 12.05.11
Loja especializada em doces 12.05.11Loja especializada em doces 12.05.11
Loja especializada em doces 12.05.11Limaborgesnatal
 
layout e merchandising para supermercado.pdf
layout e merchandising para supermercado.pdflayout e merchandising para supermercado.pdf
layout e merchandising para supermercado.pdfHallan9
 
1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)
1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)
1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)Sebastião Barroso Felix
 
Planograma Mateus Cristovao.pptx
Planograma Mateus Cristovao.pptxPlanograma Mateus Cristovao.pptx
Planograma Mateus Cristovao.pptxfidenia59
 
Comunicação no ponto de venda
Comunicação no ponto de vendaComunicação no ponto de venda
Comunicação no ponto de vendaMarcioveras
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de vendatriudus
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de vendatriudus
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de vendajoaocgoulart
 

Semelhante a Como montar um planograma eficiente (20)

Ficha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na loja
Ficha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na lojaFicha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na loja
Ficha de trabalho nº 4 comercio exposiçãoddos produtos na loja
 
Sandra Godoi - BM05- 9ª semana
Sandra Godoi - BM05- 9ª semanaSandra Godoi - BM05- 9ª semana
Sandra Godoi - BM05- 9ª semana
 
Os Ambientes Internos e Externos de Uma Loja e a Importância do Visual
Os Ambientes Internos e Externos de Uma Loja e a Importância do VisualOs Ambientes Internos e Externos de Uma Loja e a Importância do Visual
Os Ambientes Internos e Externos de Uma Loja e a Importância do Visual
 
O Merchandising e as Vitrines Como Estratégias de Venda
O Merchandising e as Vitrines Como Estratégias de VendaO Merchandising e as Vitrines Como Estratégias de Venda
O Merchandising e as Vitrines Como Estratégias de Venda
 
Vitrinismo e visual_merchandising
Vitrinismo e visual_merchandisingVitrinismo e visual_merchandising
Vitrinismo e visual_merchandising
 
Loja especializada em doces 12.05.11
Loja especializada em doces 12.05.11Loja especializada em doces 12.05.11
Loja especializada em doces 12.05.11
 
promotor de vendas
promotor de vendaspromotor de vendas
promotor de vendas
 
Portfolio
PortfolioPortfolio
Portfolio
 
layout e merchandising para supermercado.pdf
layout e merchandising para supermercado.pdflayout e merchandising para supermercado.pdf
layout e merchandising para supermercado.pdf
 
Merchadising
Merchadising Merchadising
Merchadising
 
Curso_ Supermercado_Show_2011
Curso_ Supermercado_Show_2011Curso_ Supermercado_Show_2011
Curso_ Supermercado_Show_2011
 
1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)
1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)
1 palestra como_sera_sua_proxima_loja_ (2)
 
Promoção de vendas e marchandising
Promoção de vendas e marchandisingPromoção de vendas e marchandising
Promoção de vendas e marchandising
 
Planograma Mateus Cristovao.pptx
Planograma Mateus Cristovao.pptxPlanograma Mateus Cristovao.pptx
Planograma Mateus Cristovao.pptx
 
Comunicação no ponto de venda
Comunicação no ponto de vendaComunicação no ponto de venda
Comunicação no ponto de venda
 
tecnicas de reposiçao
tecnicas de reposiçaotecnicas de reposiçao
tecnicas de reposiçao
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de venda
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de venda
 
Organização de espaço de venda
Organização de espaço de vendaOrganização de espaço de venda
Organização de espaço de venda
 
Merchandising
MerchandisingMerchandising
Merchandising
 

Mais de leopaiva217101

Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10leopaiva217101
 
Guia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projeto
Guia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projetoGuia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projeto
Guia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projetoleopaiva217101
 
Conquistar recursos soap
Conquistar recursos soapConquistar recursos soap
Conquistar recursos soapleopaiva217101
 
Aula oficina promo i ive caceres
Aula oficina promo i   ive caceresAula oficina promo i   ive caceres
Aula oficina promo i ive caceresleopaiva217101
 
Ricardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_pt
Ricardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_ptRicardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_pt
Ricardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_ptleopaiva217101
 
Reinventado a-carreira-do-gerente-de-projetos
Reinventado a-carreira-do-gerente-de-projetosReinventado a-carreira-do-gerente-de-projetos
Reinventado a-carreira-do-gerente-de-projetosleopaiva217101
 
Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1
Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1
Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1leopaiva217101
 
Project model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacaoProject model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacaoleopaiva217101
 
Plano+de+gerenciamento+da+qualidade
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadePlano+de+gerenciamento+da+qualidade
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadeleopaiva217101
 
Nc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lr
Nc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lrNc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lr
Nc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lrleopaiva217101
 
Modelo+de+contrato+ +pmbok
Modelo+de+contrato+ +pmbokModelo+de+contrato+ +pmbok
Modelo+de+contrato+ +pmbokleopaiva217101
 
Gerenciamento+de+projetos+e+ms project
Gerenciamento+de+projetos+e+ms projectGerenciamento+de+projetos+e+ms project
Gerenciamento+de+projetos+e+ms projectleopaiva217101
 
Gerenciamento projetos cap
Gerenciamento projetos capGerenciamento projetos cap
Gerenciamento projetos capleopaiva217101
 

Mais de leopaiva217101 (20)

Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
Voce ja tem_um_plano_b_conrado_adolpho_versao_10
 
Guia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projeto
Guia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projetoGuia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projeto
Guia de orientacao_para_varejo_contratacao_de_projeto
 
Conquistar recursos soap
Conquistar recursos soapConquistar recursos soap
Conquistar recursos soap
 
Aula oficina promo i ive caceres
Aula oficina promo i   ive caceresAula oficina promo i   ive caceres
Aula oficina promo i ive caceres
 
Ricardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_pt
Ricardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_ptRicardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_pt
Ricardo vargas portfolio_management_processess_flow_color_pt
 
Relatorio roi web_pt
Relatorio roi web_ptRelatorio roi web_pt
Relatorio roi web_pt
 
Reinventado a-carreira-do-gerente-de-projetos
Reinventado a-carreira-do-gerente-de-projetosReinventado a-carreira-do-gerente-de-projetos
Reinventado a-carreira-do-gerente-de-projetos
 
Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1
Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1
Rbc referencial brasileiro-de_competencias-2005-v.1.1
 
Project modelcanvasa1
Project modelcanvasa1Project modelcanvasa1
Project modelcanvasa1
 
Project model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacaoProject model-canvas-apresentacao
Project model-canvas-apresentacao
 
Planodeprojeto
PlanodeprojetoPlanodeprojeto
Planodeprojeto
 
Plano+de+gerenciamento+da+qualidade
Plano+de+gerenciamento+da+qualidadePlano+de+gerenciamento+da+qualidade
Plano+de+gerenciamento+da+qualidade
 
Nc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lr
Nc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lrNc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lr
Nc bv3 pt_br_icbv3_r.3.1_lr
 
Modelo+de+contrato+ +pmbok
Modelo+de+contrato+ +pmbokModelo+de+contrato+ +pmbok
Modelo+de+contrato+ +pmbok
 
Lista+das+atividades
Lista+das+atividadesLista+das+atividades
Lista+das+atividades
 
Ipma brasil card
Ipma brasil cardIpma brasil card
Ipma brasil card
 
Guia do scrum
Guia do scrumGuia do scrum
Guia do scrum
 
Gerenciamento+de+projetos+e+ms project
Gerenciamento+de+projetos+e+ms projectGerenciamento+de+projetos+e+ms project
Gerenciamento+de+projetos+e+ms project
 
Gerenciamento projetos cap
Gerenciamento projetos capGerenciamento projetos cap
Gerenciamento projetos cap
 
Fluxo roi web_pt
Fluxo roi web_ptFluxo roi web_pt
Fluxo roi web_pt
 

Como montar um planograma eficiente

  • 1. Guia prático de como montar um planograma eficiente www.pdvativo.com.br
  • 2. 1. INTRODUÇÃO www.pdvativo.com.br 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO) 5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR? 6. CONCLUSÃO
  • 3. Coordenadores de trade marketing estão sempre em busca de informações e métodosqueauxiliemnoPLANEJAMENTO DE ESTRATÉGIAS. Neste e-book, vamos ajudar coordenadores e promotores a montar um PLANOGRAMA EFICIENTE PARA O PDV. INTRODUÇÃO O planograma é a escolha do layout dos produtos no ponto de venda e por isso auxilia na implan- tação de ações que aumentem as vendas.
  • 4. Um bom planograma mostra a quantidade de frentes ou faces, o espaçamento e o posicio- namento de um produto no varejo. A ferramenta também define a verticalização ou a exposição em blocos de uma mercadoria, por exemplo. Neste material educativo, falaremos sobre a IMPORTÂNCIA DESSA FERRAMENTA, daremos dicas de como fazer um planograma e como esta técnica pode AJUDAR TANTO O COORDENADOR QUANTO O PROMOTOR de venda na hora do planejamento e execução. Boa leitura! INTRODUÇÃO
  • 5. 1. INTRODUÇÃO www.pdvativo.com.br 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO) 5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR? 6. CONCLUSÃO
  • 6. Se o objetivo primordial é AUMENTAR AS VENDAS, recomendamos que você comece agora. Primeiro, porque a ferramenta amplia a conveniência, a comodidade e a agilidade no processo decisório dos consumidores. Ou seja, ESTIMULA O ATO DA COMPRA. UmplanogramabemplanejadoeexecutadomantémboascondiçõesdecirculaçãoeOFERECE GRANDE VISIBILIDADE E ACESSO aos produtos expostos. Sua marca será vista e, por isso, SERÁ LEMBRADA PELO CONSUMIDOR. Além disso, organização e boa disposição das mer- cadorias costumam passar uma imagem positiva da marca. Por que preciso de um planograma?
  • 7. Você, além de coordenador ou promotor, TAMBÉM ÉCONSUMIDOR.Jamaisesqueçadisso!Ninguémgosta de encontrar prateleiras vazias ou desorganizadas. Por- tanto, é importante educar o varejista para que quando ocorram rupturas, a prática da loja não seja a de encher o espaço do produto que está faltando com itens adja- centes. Isso não esconde do consumidor a falha, ape- nas agrava o problema. O cliente vai perder mais tempo procurando o produto que deseja e a frustração ao não Por que preciso de um planograma? Como consumidor, você também é influen- ciado por uma boa organização.
  • 8. Por que preciso de um planograma? encontrá-lo só aumenta. Agora, se o seu planograma for respeitado, a demanda pelos seus produtos certamente irá aumentar.
  • 9. 1. INTRODUÇÃO www.pdvativo.com.br 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO) 5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR? 6. CONCLUSÃO
  • 10. Entender a importância do planograma é um grande passo, masvocêaindaprecisasabercomofazê-lo.Umbomplanograma precisa ser reflexo de um conjunto de decisões táticas de localização e exposição de produtosdentrodaloja, não esquecendo que o shopper deve encontrá-los facilmente. É aqui que o ESTUDO DE MAPAS DE CALOR pode ajudar o co- ordenador a saber onde há maior fluxo de consumidores (áreas quentes) e onde os produtos são “esquecidos” (áreas frias). Esse estudo permite que ele foque nos melhores pontos e pense em Como fazer a distribuição dos produtos na loja Representação de um corredor de supermercado, onde câmeras registram os pontos onde as pessoas permane- cem por mais tempo.
  • 11. maneiras de aproveitar aqueles nem tão bons assim. Os produtos podem ser divididos em categorias (de shampoos, por exemplo) ou por associação (seção de banho,sucos,petetc.)pertodeprodutosrelacionados. Seja qual for o produto, existe um tipo de equi- pamento e alguns pontos a se considerar na hora de escolher o local de exposição dentro da loja. Para cada um dos tipos, daremos dicas da melhor maneira de distribuição da mercadoria. Como fazer a distribuição dos produtos na loja Distribuição dos produtos no sentido horizontal nas gôndolas, da esquerda pra direita.
  • 12. a. Gôndolas Essetipodeexposiçãoéumdosmaisfrequentes. Se for distribuir os produtos no sentido horizontal, organize por ordem de tamanho e peso, da esquer- da para a direita. Se for distribuir no sentido vertical, comece de baixo pra cima. Como fazer a distribuição dos produtos na loja
  • 13. b. Ponta de gôndola Essa montagem varia de acordo com o sistema de exposição: bandeja, cesto ou gancho. Exponha apenas um produto. Você pode variar somente as cores, já que modelos e tamanhos costumam ter preços difer- entes,ecolocá-losnomesmolocaléproibidoporlei.Aexposição de mais de um tipo de produto na mesma ponta é permitida so- mente quando um produto é complementar outro. Como fazer a distribuição dos produtos na loja Gôndola Ponta de Gôndola
  • 14. b.a. Bandeja Se houver produtos de cores diferentes, verti- calize a cor para facilitar a escolha do cliente. Caso o produto tenha data de validade, deixe a “pega” mais fácil dos produtos com validade mais próx- ima, ou seja, deixe-os à frente dos produtos com validade maior. Como fazer a distribuição dos produtos na loja MAIS PRÓXIMOS DO VENCIMENTO
  • 15. b.b. Gancho Os produtos dos ganchos devem estar próximos para não mostrar o fundo da gôndola. Caso haja mercadorias com cores diferentes, verticalize. b.c. Cesto Coloque até cinco cestos a uma altura máxima de 1,60m. Lembre-se que as pessoas precis- am conseguir alcançar um produto sem esforço. Como fazer a distribuição dos produtos na loja
  • 16. c. Pallets Use pallets somente quando os produtos estiverem em caixa ou se puderem ser empilhados. Não permita que a altura da pilha ultrapasse 1,20m. Aproveite a estrutura e cole cartazes de preço nas faces ou use placas de suporte. É bom lembrar que deixar uma amostra do produto fora da caixa e exposto ao cli- ente é fundamental. Como fazer a distribuição dos produtos na loja
  • 17. d. Cestos de corredor São usados apenas para exposição de produtos vendidos a granel e que não possam ser empilhados. Se não houver estoque suficiente para encher o cesto, use como recheio algumas caixas vazias do próprio produto, e em volta, coloque o mercadoria. Como fazer a distribuição dos produtos na loja
  • 18. 1. INTRODUÇÃO www.pdvativo.com.br 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO) 5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR? 6. CONCLUSÃO
  • 19. Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido) Quandoéchegadaa hora de implantar os planogramas,ospromotorespodem se deparar com problemas. Se o espaço não for calculado corretamente pelo coordenadores, o que está descrito no planograma pode não ter validade alguma. Quando o planograma não é feito pensando no mundo real, acontecem imprevistos como o produto não caber na gôndola ou sobrar espaço vazio. Lembre-se que é no PDV que o shopper fará sua decisão de compra. Ninguém gosta de se abaixar muito para pegar algum produto, por isso a posição central e que está naalturadosolhosé a parte mais nobre da gôndola, Altura dos Olhos
  • 20. ou seja, produtos neste campo de visão serão percebidos primeiro. Mercadorias com maior valor agregado e maior margem devem ser posicionados na altura dos olhos e nas prateleiras superiores. Já os de maior giro, menor ticket médio e menor margem ficam nas prate- leiras inferiores. Para que seu produto seja notado, o promotor deve se preocupar com uma boa sinalização e precificação legível. A limpeza é outro fator bem importante que deve ser acordada com o Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
  • 21. varejista. Já para vender produtos casados, indicamos um aprofundamento no que é crossmerchandising. Mais do que cruzar produtos aleatoriamente, a técnica permite fazer as- sociações que induzem a compra de um produ- to. Essas combinações costumam funcionar uando a pes- soa lembra daquele produto na hora de levar outro e sente que sua experiência de compra foi melhor por causa disso. O planograma também é afetado pela posição do con- corrente líder da marca na gôndola. Se um refrigerante de Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido) PRODUTO TIPO A PRODUTO TIPO A PRODUTO TIPO A PRODUTO TIPO B PRODUTO TIPO B Cross merchandising é a técnica de posi- cionar produtos de funções diferentes, mas que dialogam entre si, para ala- vancar as vendas.
  • 22. cola pouco conhecido fica próximo ao líder, por exemplo, ele pode “pegar carona” com ele. Nesse caso, o shopper pode tomar a decisão baseado no menor preço e levar o produto menos conhecido. Elaborar mapas de calor é um bom meio de identificar as áreas quentes e frias nas gôndolas antes do planejamento. Esse mapa permite focar esforços nos melhores pontos do PDV. Aliado a ele, está a árvore de decisão do consumidor: a necessidade, a seleção e a decisão. Todas essas etapas são Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido) MARCA LÍDER MARCA LÍDER MARCA LÍDER OUTRA MARCA OUTRA MARCA OUTRA MARCA A marca líder fica na altura dos olhos do consumidor, enquanto as outras marcas “pegam carona” nas vendas.
  • 23. influenciáveis pelo marketing e cabe à equipe do trade compreendê-las. Porisso,asobservaçõesdecomportamentodoshoppereomonitoramentoconstantedoPDV são capazes de criar alternativas de planograma. Por que não fazer testes para compreender a decisão dos compradores na gôndola? Quando se sabe o comportamento real do shopper fica bem mais fácil adequar o planograma às particularidades dele. Seguindo a mesma linha de pensamento, por que não analisar os resultados de um planograma anterior? Feedback é uma bússola eficiente para guiar ações. Exposição dos produtos (localização deles no espaço definido)
  • 24. 1. INTRODUÇÃO www.pdvativo.com.br 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO) 5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR? 6. CONCLUSÃO
  • 25. A maioria dos promotores anda com esse planejamento impresso no bolso. Algumas tecno- logias específicas para gestão de PDV, como o Agile Promoter, conseguem armazenar todos esses dados para que o promotor os consulte em um dispositivo móvel onde e quando quiser. Como a tecnologia pode me ajudar?
  • 26.
  • 27. Como a tecnologia pode me ajudar? Problemascomoplanogramatambémpodemserresolvidosfacilmenteseopromotorpuder conversarcomocoordenadorpormeiodeumbate-papoinstantâneo.Ofeedback tambémpode ser virtual, ou seja, as informações sobre os PDVs são passadas em tempo real e armazenadas. Dessa forma, tornam-se base para um próximo planograma mais eficiente que o anterior.
  • 28.
  • 29. O cálculo dos espaços a serem ocupados nas prateleiras e a simulação gráfica de um PDV também são possíveis com o auxílio de softwares e facilitam a vida do coordenador. Esses pro- gramas aproximam o que está nos planos da realidade que do ponto de venda. Buscar ideias na internet e se basear nelas também pode ajudar na hora de fazer um planograma. Como a tecnologia pode me ajudar?
  • 30. 1. INTRODUÇÃO www.pdvativo.com.br 2. Por que preciso de um planograma? 3. COMO FAZER A DISTRIBUIÇÃO DOS PRODUTOS NA LOJA 4. EXPOSIÇÃO DOS PRODUTOS (LOCALIZAÇÃO DELES NO ESPAÇO DEFINIDO) 5. COMO A TECNOLOGIA PODE ME AJUDAR? 6. CONCLUSÃO
  • 31. CONCLUSÃO Neste e-book, abordamos os principais pontos referentes a um planograma para PDV. Ex- plicamos como a ferramenta é capaz de proporcionar uma boa experiência ao shopper e fazer com que o seu produto e não o do concorrente seja escolhido por ele. Pequenos truques como posicionar mercadorias com maior valor agregado e margem na altura dos olhos e nas pratelei- ras mais acima fazem toda a diferença no PDV. Ensinamos também como você pode fazer a distribuição dos produtos - se em gôndola, cesto, pallet etc - e técnicas como cross-merchandising e mapa de calor. Por fim, abordamos os benefícios da tecnologia na hora de elaborar um planograma.
  • 32. Seguir o planograma à risca é essencial para que as estratégias elaboradas no planejamento dêem resultado. Quando surgem problemas e falha de comuni- cação com o varejista, todo o planograma pode ser sacrificado, o que não é nada bom para a marca. Converse com promotores e explique a importância de negociar lugares no varejo. Mon- itorar se o acordo está sendo respeitado também será tarefa dele. Esperamos que nossas dicas tenham ajudado você a compreender melhor a ferramenta. Boa leitura! CONCLUSÃO