SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 15
Baixar para ler offline
Redação Jornalística I
Prof. Ms. Laércio Torres de Góes
Como identificar uma reportagem?


Cadê o lead e a pirâmide invertida?



Na reportagem, muitas vezes o primeiro parágrafo é descritivo, ou então
parte de um aspecto secundário como “gancho” para o assunto principal.



PF caça guerrilheiro colombiano em favela
Na primeira ação conjunta entre as forças de segurança dos governos
federal e estadual, 40 agentes da Polícia Federal, com o auxílio de homens
da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e de dois helicópteros da
Coordenadoria Geral de Operações Aéreas (Cegoa) da Polícia Civil,
ocuparam ontem o Morro da Fazendinha, no Complexo do Alemão, em
Inhaúma. O objetivo era tentar localizar um integrante das Forças Armadas
Revolucionárias da Colômbia (Farc), que estaria escondido na região,
treinando traficantes para o emprego de táticas de guerrilha. Houve uma
rápida troca de tiros com os bandidos e um agende da Core foi baleado em
um dos pés. No fim da operação, o homem não foi localizado. (...)
(O Globo – 16/03/2003)
Como identificar uma reportagem?



Pirâmide invertida?
Lead:
O Que? Quem? Quando? Onde? Por que? Como?
Como identificar uma reportagem?


UBERLÂNDIA – Adnan Jobran usa roupas brancas para
presenciar o abate de frangos na processadora de
alimentos Sadia, garantindo que eles morram de acordo
com as diretrizes aceitas pelos muçulmanos, com os
pescoços cortados em um movimento de meia-lua. Na
unidade próxima de Uberlândia, a 550 km de São Paulo,
cerca de 10% dos 140 mil frangos e 10 mil perus
produzidos diariamente são mortos segundo os rituais
islâmicos e enviados a países como Arábia Saudita e
Dubai, afirmou Jobran, que possui um exemplar do
Alcorão sobre a mesa e decora o escritório com cartazes
de santuários muçulmanos.
(Jornal do Brasil – 17/02/2002)
Gêneros jornalísticos opinativos


Artigo: necessariamente assinado, analisa um fato ou uma série de fatos em
relação ao contexto político, social, econômico ou comportamental. É também
um espaço no qual o autor eventualmente inclui, de forma implícita ou explícita,
sua opinião, sua visão pessoal ou suas conclusões.



Coluna: manifestação do colunista sobre algum fato que está informando ou
analisando, seja pela postura irônica em relação aos eventos e personagens
abordados ou por previsões, veredictos e opiniões do jornalista que assina a
coluna.



Editorial: espaço reservado (inclusive no projeto gráfico dos jornais) para a
manifestar a opinião do veículo, da instituição – opinião essa que na verdade é
definida pelos dirigentes (muitas vezes o próprio dono) da empresa.



Crônica: construída em torno de personagens, às vezes fictícios, focaliza um
fato do cotidiano, quer ele tenha, ou não, gerado impacto como notícia. Mistura
o factual com a ficção, dá um tratamento de certa forma literário à informação
e permite ao autor opinar, seja de forma pessoal ou por intermédio dos
personagens que ele criou ou escolheu.
Gêneros jornalísticos informativos: Notícia


Dentre todos os gêneros jornalísticos, a notícia é o que mais
usufrui da aura de imparcialidade, que leva o leitor a aceitar, a
priori, aquele relato dos fatos como verdadeiro e isento.



Mito da objetividade



Acordo tácito em público e veículo: produzir notícias sem
distorções ou mentiras em relação aos fatos concretos.



A matéria-prima do jornalismo contemporâneo,



Técnicas específicas: apuração e seleção dos fatos, escolha
do vocabulário, ordenação de informações, tratamento das
fontes etc.
Gêneros jornalísticos informativos: Notícia


Mas o que é notícia?



De forma simplista, pode-se dizer que é o anúncio de um fato novo, o anúncio da
novidade. Qualquer fato novo, qualquer fenômeno recém-percebido pode virar
notícia, desde que seja capaz de gerar interesse.



Inclui não só eventos naturalmente considerados como importantes por serem
capazes de provocar conseqüências políticas e econômicas, mas também
ocorrências banais, como uma briga de condôminos por causa da presença de
cachorros no edifício.



Para Nilson Lage, a diferença entre a notícia e outros formatos de texto não está
no seu conteúdo ou na natureza das informações, mas na forma em que ela é
redigida.



Um fato redigido a partir do dado mais importante ou capaz de gerar maior
interesse, seguindo-se as demais informações em ordem decrescente de
importância, do mais para o menos importante (LAGE, 1999).
Gêneros jornalísticos informativos: Notícia


Técnicas jornalísticas básicas



Ordenação dos fatos por sua importância



Relato objetivo e distante dos fatos, isento de avaliações pessoais ou
julgamentos tanto explícitos quanto implícitos.



Quem opina é a fonte e o texto precisa deixar bem claro de quem é a opinião



Ouvir os dois lados da notícia. Caso um dos lados não queira se manifestar
ou não tenha sido encontrado, essa informação tem que ser passada ao leitor.



Técnicas específicas de apuração dos fatos, como a seleção de fontes
segundo o grau de confiabilidade, o cruzamento de informações e os limites
técnicos e éticos para o uso de declarações em off, ou seja, sem que a
identidade da fonte seja revelada.
Gêneros jornalísticos informativos:
Reportagem


Dificuldade em definir a reportagem



Compreende desde a simples complementação de uma notícia
– uma expansão que situa o fato em sua relação mais óbvia
com outros fatos antecedentes, conseqüentes ou correlatos –
até o ensaio capaz de revelar, a partir da prática histórica,
conteúdos de interesse permanente (LAGE, 1982).



Mesmo um fato inesperado (um desabamento) pode ser
complementado eficientemente por uma reportagem (sobre as
mazelas da construção civil), à medida em que a indústria
jornalística desenvolve técnicas e processos bastante rápidos
para a coleta e processamento de dados.
Gêneros jornalísticos informativos:
Reportagem


A reportagem trata de assuntos, e não necessariamente
de fatos novos. Seu objetivo é contar uma história
verdadeira, expor uma situação ou interpretar fatos.



A notícia é imediatista, como no caso do relato de um
tiroteio entre facções criminosas, a reportagem
preocupa-se em ser atual e mais abrangente, como um
levantamento sobre as facções criminosas existentes no
Rio de Janeiro.



Fator determinante para a circulação de uma notícia é o
tempo: o fato deve ser recente e o seu anúncio imediato.
Gêneros jornalísticos informativos:
Reportagem


A reportagem oferece detalhamento e contextualização àquilo
que já foi anunciado, mesmo que o seu teor seja informativo.



Interesse na investigação do veículo: um fato depende
em menor grau de uma intenção própria daquele veículo em
publicá-lo, enquanto que investigar um aspecto da realidade
por meio de uma reportagem depende do interesse do
veículo.



Forma: liberalidade maior no vocabulário, uso de metáforas,
narração, descrição e dissertação (causa e efeito).
Notícia x Reportagem (João de Deus)
A notícia apura fatos

A reportagem lida com assuntos sobre fatos

A notícia tem como referência a imparcialidade

A reportagem trabalha com o enfoque, a
interpretação

A notícia opera em um movimento típico da
indução (do particular para o geral)

A reportagem, com a dedução (do geral, que é o
tema, ao particular — os fatos)

A notícia atém-se à compreensão imediata dos
dados essenciais

A reportagem converte fatos em assunto, traz a
repercussão, o desdobramento; aprofunda

A notícia independe da intenção do veículo (apesar
de não ser imune a ela)

A reportagem é produto da intenção de passar uma
“visão” interpretativa

A notícia trabalha muito com o singular (ela se
dedica a cada caso que ocorre)

A reportagem focaliza a repetição, a abrangência
(transforma vários fatos em tema)

A notícia relata formal e secamente — a pretexto de
comunicar com imparcialidade

A reportagem procura envolver, usa a criatividade
como recurso para seduzir o receptor

A notícia tem pauta centrada no essencial que
recompõe um acontecimento

A reportagem trabalha com pauta mais complexa,
pois aponta para causas, contextos, consequências,
novas fontes.
Valores-notícia


Noticiabilidade: capacidade que os fatos têm de virar ou não notícia
(Mauro Wolf).



Categorias substantivas (interesse do público)
Importância dos envolvidos
Quantidade de pessoas envolvidas
Interesse nacional
Interesse humano
Feitos excepcionais



Categorias relativas ao produto (conceitos jornalísticos)
Brevidade - nos limites do jornal
Atualidade
Novidade
Organização interna da empresa
Qualidade - ritmo, ação dramática
Equilíbrio - diversificar assuntos
Valores-notícia


Categorias relativas ao meio de informação (veículo)
Acessibilidade à fonte/local
Formatação prévia/manuais
Política editorial



Categorias relativas ao público
Plena identificação de personagens
Serviço/interesse publico
Protetividade - evitar suicídios etc.



Categorias relativas à concorrência
Exclusividade ou furo
Gerar expectativas
Modelos referenciais
Referências


FRANCESCHINI, F. Notícia e reportagem: sutis diferenças.
Comum. Rio de Janeiro, v. 9, n. 22, 2004, p. 144-155.
Disponível em:
http://www.facha.edu.br/publicacoes/comum/comum22/ar
tigo6.pdf.



PENA, Felipe. Teoria do Jornalismo. Contexto: São Paulo,
2005.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Slide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual NotíciaSlide Gênero Textual Notícia
Slide Gênero Textual Notícia
 
Estrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opiniãoEstrutura do-artigo-de-opinião
Estrutura do-artigo-de-opinião
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
Crônica
CrônicaCrônica
Crônica
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhosGênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
 
Artigo de opinião slides
Artigo de opinião slidesArtigo de opinião slides
Artigo de opinião slides
 
Gêneros Textuais
Gêneros TextuaisGêneros Textuais
Gêneros Textuais
 
SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.SLIDES – TIRINHAS.
SLIDES – TIRINHAS.
 
Tudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASTudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMAS
 
Gêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuaisGêneros e tipos textuais
Gêneros e tipos textuais
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
Anúncio publicitário
Anúncio publicitárioAnúncio publicitário
Anúncio publicitário
 
Reportagem ( Gênero textual - conceitos)
Reportagem ( Gênero textual - conceitos)Reportagem ( Gênero textual - conceitos)
Reportagem ( Gênero textual - conceitos)
 
redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa redação - dissertativa argumentativa
redação - dissertativa argumentativa
 
Gênero textual notícia
Gênero textual notíciaGênero textual notícia
Gênero textual notícia
 
Artigo de opinião
Artigo de opiniãoArtigo de opinião
Artigo de opinião
 
Conjunções
ConjunçõesConjunções
Conjunções
 
Romance
RomanceRomance
Romance
 

Destaque

Noticia(reportagem)-7 ano
Noticia(reportagem)-7 anoNoticia(reportagem)-7 ano
Noticia(reportagem)-7 anoLeticia Martins
 
Projeto experimental de Publicidade e Propaganda
Projeto experimental de Publicidade e PropagandaProjeto experimental de Publicidade e Propaganda
Projeto experimental de Publicidade e PropagandaFausto Zion
 
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01 - Conceitos
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01  - ConceitosIntrodução à Publicidade e Propaganda - Aula 01  - Conceitos
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01 - ConceitosThiago Ianatoni
 
Projeto propaganda
Projeto propagandaProjeto propaganda
Projeto propagandanilvaraujo
 
A reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasA reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasSusana Sobrenome
 
LINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNO
LINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNOLINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNO
LINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNOorientadoresdeestudopaic
 
Avaliação de Português 5º Ano 2º bimestre
Avaliação de Português 5º Ano 2º bimestreAvaliação de Português 5º Ano 2º bimestre
Avaliação de Português 5º Ano 2º bimestreKelry Carvalho
 

Destaque (13)

Reportagem
ReportagemReportagem
Reportagem
 
Noticia(reportagem)-7 ano
Noticia(reportagem)-7 anoNoticia(reportagem)-7 ano
Noticia(reportagem)-7 ano
 
Projeto experimental de Publicidade e Propaganda
Projeto experimental de Publicidade e PropagandaProjeto experimental de Publicidade e Propaganda
Projeto experimental de Publicidade e Propaganda
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01 - Conceitos
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01  - ConceitosIntrodução à Publicidade e Propaganda - Aula 01  - Conceitos
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01 - Conceitos
 
Projeto propaganda
Projeto propagandaProjeto propaganda
Projeto propaganda
 
A reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasA reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e características
 
Publicidade e propaganda
Publicidade e propagandaPublicidade e propaganda
Publicidade e propaganda
 
Generos jornalisticos
Generos jornalisticosGeneros jornalisticos
Generos jornalisticos
 
Exemplo de reportagem
Exemplo de reportagemExemplo de reportagem
Exemplo de reportagem
 
LINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNO
LINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNOLINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNO
LINGUA PORTUGUES CADERNO DE ATIVIDADE 5º ANO_1º_e_2º_BIMESTRE-PAIC+ ALUNO
 
A entrevista
A entrevistaA entrevista
A entrevista
 
Avaliação de Português 5º Ano 2º bimestre
Avaliação de Português 5º Ano 2º bimestreAvaliação de Português 5º Ano 2º bimestre
Avaliação de Português 5º Ano 2º bimestre
 

Semelhante a Notícia e reportagem

Apostila gêneros jornalíticos
Apostila gêneros  jornalíticosApostila gêneros  jornalíticos
Apostila gêneros jornalíticosDanilo Campos
 
Como fazer uma reportagem
Como fazer uma reportagemComo fazer uma reportagem
Como fazer uma reportagemMarta Neto
 
Jorimp Aula6 2009jorinfo
Jorimp Aula6 2009jorinfoJorimp Aula6 2009jorinfo
Jorimp Aula6 2009jorinfoArtur Araujo
 
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃOO GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃOFabiana Seferin
 
Técnicas de jornalismo resumão
Técnicas de jornalismo   resumãoTécnicas de jornalismo   resumão
Técnicas de jornalismo resumãoAna Dall'Agnol
 
Textos jornalisticos teresa
Textos jornalisticos teresaTextos jornalisticos teresa
Textos jornalisticos teresaTeresa Oliveira
 
Newsmaking - teorias da comunicação
Newsmaking - teorias da comunicaçãoNewsmaking - teorias da comunicação
Newsmaking - teorias da comunicaçãoLaércio Góes
 
A Narrativa Jornalística e a Política
A Narrativa Jornalística e a PolíticaA Narrativa Jornalística e a Política
A Narrativa Jornalística e a PolíticaCarlos Figueiredo
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdfNivea Neves
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdfNivea Neves
 
Jornalismo e política a construção do poder
Jornalismo e política   a construção do poderJornalismo e política   a construção do poder
Jornalismo e política a construção do poderBarreto
 
O que é notícia
O que é notíciaO que é notícia
O que é notíciaCláudia
 
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...Jomari
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docxNivea Neves
 

Semelhante a Notícia e reportagem (20)

Apostila gêneros jornalíticos
Apostila gêneros  jornalíticosApostila gêneros  jornalíticos
Apostila gêneros jornalíticos
 
Como fazer uma reportagem
Como fazer uma reportagemComo fazer uma reportagem
Como fazer uma reportagem
 
Jorimp Aula6 2009jorinfo
Jorimp Aula6 2009jorinfoJorimp Aula6 2009jorinfo
Jorimp Aula6 2009jorinfo
 
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃOO GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
O GÊNERO DISCURSIVO NOTÍCIA E SEU PRINCIPAL PROCESSO DE CONSTRUÇÃO
 
JI aula3
JI aula3JI aula3
JI aula3
 
Técnicas de jornalismo resumão
Técnicas de jornalismo   resumãoTécnicas de jornalismo   resumão
Técnicas de jornalismo resumão
 
Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2Textos Jornalisticos - Versão2
Textos Jornalisticos - Versão2
 
Noticia e-reportagem1
Noticia e-reportagem1Noticia e-reportagem1
Noticia e-reportagem1
 
Impresso II a3
Impresso II a3Impresso II a3
Impresso II a3
 
Textos jornalisticos teresa
Textos jornalisticos teresaTextos jornalisticos teresa
Textos jornalisticos teresa
 
Newsmaking - teorias da comunicação
Newsmaking - teorias da comunicaçãoNewsmaking - teorias da comunicação
Newsmaking - teorias da comunicação
 
A notícia
A notíciaA notícia
A notícia
 
A Narrativa Jornalística e a Política
A Narrativa Jornalística e a PolíticaA Narrativa Jornalística e a Política
A Narrativa Jornalística e a Política
 
Oficinas de jornalismo impresso
Oficinas de jornalismo impressoOficinas de jornalismo impresso
Oficinas de jornalismo impresso
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.pdf
 
Jornalismo e política a construção do poder
Jornalismo e política   a construção do poderJornalismo e política   a construção do poder
Jornalismo e política a construção do poder
 
O que é notícia
O que é notíciaO que é notícia
O que é notícia
 
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
êneros Textuais Jornal: notícia, entrevista, charge, tira, reportagem, carta ...
 
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx1 BIMESTRE - BLOCO 2 -  19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
1 BIMESTRE - BLOCO 2 - 19-04 a 07-05 7° ANO B.docx
 

Mais de Laércio Góes

Ecologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagiaEcologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagiaLaércio Góes
 
Ferramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídiaFerramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídiaLaércio Góes
 
Modelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digitalModelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digitalLaércio Góes
 
Paradigma midiológico
Paradigma midiológicoParadigma midiológico
Paradigma midiológicoLaércio Góes
 
Comunicação e linguagem
Comunicação e linguagemComunicação e linguagem
Comunicação e linguagemLaércio Góes
 
Infográfico Multimídia
Infográfico MultimídiaInfográfico Multimídia
Infográfico MultimídiaLaércio Góes
 
Jornalismo e fake news
Jornalismo e fake newsJornalismo e fake news
Jornalismo e fake newsLaércio Góes
 
Jornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveisJornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveisLaércio Góes
 
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicaçãoPesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicaçãoLaércio Góes
 
Características do jornalismo digital
Características do jornalismo digitalCaracterísticas do jornalismo digital
Características do jornalismo digitalLaércio Góes
 
Reportagem multimídia
Reportagem multimídiaReportagem multimídia
Reportagem multimídiaLaércio Góes
 
Jornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociaisJornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociaisLaércio Góes
 
Teoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola FrankfurtTeoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola FrankfurtLaércio Góes
 
Multimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismoMultimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismoLaércio Góes
 
Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeLaércio Góes
 
Aula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindicalAula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindicalLaércio Góes
 
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitáriaAula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitáriaLaércio Góes
 
Aula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambientalAula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambientalLaércio Góes
 

Mais de Laércio Góes (20)

Ecologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagiaEcologia da comunicação e iconofagia
Ecologia da comunicação e iconofagia
 
Semiótica
SemióticaSemiótica
Semiótica
 
Ferramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídiaFerramentas para reportagem multimídia
Ferramentas para reportagem multimídia
 
Modelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digitalModelos de negócio no jornalismo digital
Modelos de negócio no jornalismo digital
 
Paradigma midiológico
Paradigma midiológicoParadigma midiológico
Paradigma midiológico
 
Comunicação e linguagem
Comunicação e linguagemComunicação e linguagem
Comunicação e linguagem
 
Infográfico Multimídia
Infográfico MultimídiaInfográfico Multimídia
Infográfico Multimídia
 
Jornalismo e fake news
Jornalismo e fake newsJornalismo e fake news
Jornalismo e fake news
 
Jornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveisJornalismo e aplicativos móveis
Jornalismo e aplicativos móveis
 
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicaçãoPesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
Pesquisa norte-americana - Teorias da comunicação
 
Características do jornalismo digital
Características do jornalismo digitalCaracterísticas do jornalismo digital
Características do jornalismo digital
 
Reportagem multimídia
Reportagem multimídiaReportagem multimídia
Reportagem multimídia
 
Jornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociaisJornalismo e redes sociais
Jornalismo e redes sociais
 
Teoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola FrankfurtTeoria Crítica - Escola Frankfurt
Teoria Crítica - Escola Frankfurt
 
Multimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismoMultimidialidade no jornalismo
Multimidialidade no jornalismo
 
Aula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em redeAula - Movimentos sociais em rede
Aula - Movimentos sociais em rede
 
Aula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindicalAula - Jornalismo sindical
Aula - Jornalismo sindical
 
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitáriaAula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
Aula - Comunicação popular, alternativa e comunitária
 
Aula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambientalAula - Jornalismo ambiental
Aula - Jornalismo ambiental
 
Aula - Perfil
Aula - PerfilAula - Perfil
Aula - Perfil
 

Último

Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitlerhabiwo1978
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdfAntonio Barros
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persafelipescherner
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf HitlerAlemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
Alemanha vs União Soviética - Livro de Adolf Hitler
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
08-05 - Atividade de língua Portuguesa.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persaConteúdo sobre a formação e expansão persa
Conteúdo sobre a formação e expansão persa
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 

Notícia e reportagem

  • 1. Redação Jornalística I Prof. Ms. Laércio Torres de Góes
  • 2. Como identificar uma reportagem?  Cadê o lead e a pirâmide invertida?  Na reportagem, muitas vezes o primeiro parágrafo é descritivo, ou então parte de um aspecto secundário como “gancho” para o assunto principal.  PF caça guerrilheiro colombiano em favela Na primeira ação conjunta entre as forças de segurança dos governos federal e estadual, 40 agentes da Polícia Federal, com o auxílio de homens da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e de dois helicópteros da Coordenadoria Geral de Operações Aéreas (Cegoa) da Polícia Civil, ocuparam ontem o Morro da Fazendinha, no Complexo do Alemão, em Inhaúma. O objetivo era tentar localizar um integrante das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que estaria escondido na região, treinando traficantes para o emprego de táticas de guerrilha. Houve uma rápida troca de tiros com os bandidos e um agende da Core foi baleado em um dos pés. No fim da operação, o homem não foi localizado. (...) (O Globo – 16/03/2003)
  • 3. Como identificar uma reportagem?   Pirâmide invertida? Lead: O Que? Quem? Quando? Onde? Por que? Como?
  • 4. Como identificar uma reportagem?  UBERLÂNDIA – Adnan Jobran usa roupas brancas para presenciar o abate de frangos na processadora de alimentos Sadia, garantindo que eles morram de acordo com as diretrizes aceitas pelos muçulmanos, com os pescoços cortados em um movimento de meia-lua. Na unidade próxima de Uberlândia, a 550 km de São Paulo, cerca de 10% dos 140 mil frangos e 10 mil perus produzidos diariamente são mortos segundo os rituais islâmicos e enviados a países como Arábia Saudita e Dubai, afirmou Jobran, que possui um exemplar do Alcorão sobre a mesa e decora o escritório com cartazes de santuários muçulmanos. (Jornal do Brasil – 17/02/2002)
  • 5. Gêneros jornalísticos opinativos  Artigo: necessariamente assinado, analisa um fato ou uma série de fatos em relação ao contexto político, social, econômico ou comportamental. É também um espaço no qual o autor eventualmente inclui, de forma implícita ou explícita, sua opinião, sua visão pessoal ou suas conclusões.  Coluna: manifestação do colunista sobre algum fato que está informando ou analisando, seja pela postura irônica em relação aos eventos e personagens abordados ou por previsões, veredictos e opiniões do jornalista que assina a coluna.  Editorial: espaço reservado (inclusive no projeto gráfico dos jornais) para a manifestar a opinião do veículo, da instituição – opinião essa que na verdade é definida pelos dirigentes (muitas vezes o próprio dono) da empresa.  Crônica: construída em torno de personagens, às vezes fictícios, focaliza um fato do cotidiano, quer ele tenha, ou não, gerado impacto como notícia. Mistura o factual com a ficção, dá um tratamento de certa forma literário à informação e permite ao autor opinar, seja de forma pessoal ou por intermédio dos personagens que ele criou ou escolheu.
  • 6. Gêneros jornalísticos informativos: Notícia  Dentre todos os gêneros jornalísticos, a notícia é o que mais usufrui da aura de imparcialidade, que leva o leitor a aceitar, a priori, aquele relato dos fatos como verdadeiro e isento.  Mito da objetividade  Acordo tácito em público e veículo: produzir notícias sem distorções ou mentiras em relação aos fatos concretos.  A matéria-prima do jornalismo contemporâneo,  Técnicas específicas: apuração e seleção dos fatos, escolha do vocabulário, ordenação de informações, tratamento das fontes etc.
  • 7. Gêneros jornalísticos informativos: Notícia  Mas o que é notícia?  De forma simplista, pode-se dizer que é o anúncio de um fato novo, o anúncio da novidade. Qualquer fato novo, qualquer fenômeno recém-percebido pode virar notícia, desde que seja capaz de gerar interesse.  Inclui não só eventos naturalmente considerados como importantes por serem capazes de provocar conseqüências políticas e econômicas, mas também ocorrências banais, como uma briga de condôminos por causa da presença de cachorros no edifício.  Para Nilson Lage, a diferença entre a notícia e outros formatos de texto não está no seu conteúdo ou na natureza das informações, mas na forma em que ela é redigida.  Um fato redigido a partir do dado mais importante ou capaz de gerar maior interesse, seguindo-se as demais informações em ordem decrescente de importância, do mais para o menos importante (LAGE, 1999).
  • 8. Gêneros jornalísticos informativos: Notícia  Técnicas jornalísticas básicas  Ordenação dos fatos por sua importância  Relato objetivo e distante dos fatos, isento de avaliações pessoais ou julgamentos tanto explícitos quanto implícitos.  Quem opina é a fonte e o texto precisa deixar bem claro de quem é a opinião  Ouvir os dois lados da notícia. Caso um dos lados não queira se manifestar ou não tenha sido encontrado, essa informação tem que ser passada ao leitor.  Técnicas específicas de apuração dos fatos, como a seleção de fontes segundo o grau de confiabilidade, o cruzamento de informações e os limites técnicos e éticos para o uso de declarações em off, ou seja, sem que a identidade da fonte seja revelada.
  • 9. Gêneros jornalísticos informativos: Reportagem  Dificuldade em definir a reportagem  Compreende desde a simples complementação de uma notícia – uma expansão que situa o fato em sua relação mais óbvia com outros fatos antecedentes, conseqüentes ou correlatos – até o ensaio capaz de revelar, a partir da prática histórica, conteúdos de interesse permanente (LAGE, 1982).  Mesmo um fato inesperado (um desabamento) pode ser complementado eficientemente por uma reportagem (sobre as mazelas da construção civil), à medida em que a indústria jornalística desenvolve técnicas e processos bastante rápidos para a coleta e processamento de dados.
  • 10. Gêneros jornalísticos informativos: Reportagem  A reportagem trata de assuntos, e não necessariamente de fatos novos. Seu objetivo é contar uma história verdadeira, expor uma situação ou interpretar fatos.  A notícia é imediatista, como no caso do relato de um tiroteio entre facções criminosas, a reportagem preocupa-se em ser atual e mais abrangente, como um levantamento sobre as facções criminosas existentes no Rio de Janeiro.  Fator determinante para a circulação de uma notícia é o tempo: o fato deve ser recente e o seu anúncio imediato.
  • 11. Gêneros jornalísticos informativos: Reportagem  A reportagem oferece detalhamento e contextualização àquilo que já foi anunciado, mesmo que o seu teor seja informativo.  Interesse na investigação do veículo: um fato depende em menor grau de uma intenção própria daquele veículo em publicá-lo, enquanto que investigar um aspecto da realidade por meio de uma reportagem depende do interesse do veículo.  Forma: liberalidade maior no vocabulário, uso de metáforas, narração, descrição e dissertação (causa e efeito).
  • 12. Notícia x Reportagem (João de Deus) A notícia apura fatos A reportagem lida com assuntos sobre fatos A notícia tem como referência a imparcialidade A reportagem trabalha com o enfoque, a interpretação A notícia opera em um movimento típico da indução (do particular para o geral) A reportagem, com a dedução (do geral, que é o tema, ao particular — os fatos) A notícia atém-se à compreensão imediata dos dados essenciais A reportagem converte fatos em assunto, traz a repercussão, o desdobramento; aprofunda A notícia independe da intenção do veículo (apesar de não ser imune a ela) A reportagem é produto da intenção de passar uma “visão” interpretativa A notícia trabalha muito com o singular (ela se dedica a cada caso que ocorre) A reportagem focaliza a repetição, a abrangência (transforma vários fatos em tema) A notícia relata formal e secamente — a pretexto de comunicar com imparcialidade A reportagem procura envolver, usa a criatividade como recurso para seduzir o receptor A notícia tem pauta centrada no essencial que recompõe um acontecimento A reportagem trabalha com pauta mais complexa, pois aponta para causas, contextos, consequências, novas fontes.
  • 13. Valores-notícia  Noticiabilidade: capacidade que os fatos têm de virar ou não notícia (Mauro Wolf).  Categorias substantivas (interesse do público) Importância dos envolvidos Quantidade de pessoas envolvidas Interesse nacional Interesse humano Feitos excepcionais  Categorias relativas ao produto (conceitos jornalísticos) Brevidade - nos limites do jornal Atualidade Novidade Organização interna da empresa Qualidade - ritmo, ação dramática Equilíbrio - diversificar assuntos
  • 14. Valores-notícia  Categorias relativas ao meio de informação (veículo) Acessibilidade à fonte/local Formatação prévia/manuais Política editorial  Categorias relativas ao público Plena identificação de personagens Serviço/interesse publico Protetividade - evitar suicídios etc.  Categorias relativas à concorrência Exclusividade ou furo Gerar expectativas Modelos referenciais
  • 15. Referências  FRANCESCHINI, F. Notícia e reportagem: sutis diferenças. Comum. Rio de Janeiro, v. 9, n. 22, 2004, p. 144-155. Disponível em: http://www.facha.edu.br/publicacoes/comum/comum22/ar tigo6.pdf.  PENA, Felipe. Teoria do Jornalismo. Contexto: São Paulo, 2005.