Impresso II a3

1.819 visualizações

Publicada em

Aula sobre investigação e interpretação jornalísticas.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.819
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
265
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Impresso II a3

  1. 1. Universidade Federal do Pampa<br />Curso de Comunicação Social – Jornalismo<br />Disciplina de Laboratório de Jornalismo Impresso II<br />Profª. Me. Mara Ribeiro e Profª. Me. Joseline Pippi<br />A reportagem interpretativa<br />
  2. 2. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />Textos-base:<br />- BELTRÃO, Luiz. Jornalismo Interpretativo. Porto Alegre: Sulina, 1976.<br />- LIMA, Edvaldo Pereira. Páginas Ampliadas. Barueri: Manole, 2004;<br /><ul><li> COTTA, Pery. Jornalismo: teoria e prática. Rio de Janeiro: Rubio, 2005;
  3. 3. LAGE, Nilson. Teoria e Técnica do Texto Jornalístico. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005;
  4. 4. ERBOLATO, Mário. Técnicas de Codificação em Jornalismo. 5.ed. São Paulo: Ática, 2006.</li></li></ul><li>A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />O que busca o Jornalismo Interpretativo?<br />“Busca não deixar a audiência desprovida de meios para compreender o seu tempo, as causas e origens dos fenômenos que presencia, suas conseqüências no futuro. Vai fundamentar sua leitura da realidade na elucidação dos aspectos que em princípio não estão muito claros. Almeja preencher os vazios informativos”.<br />(LIMA: 2004, p.20)<br />“No jornalismo interpretativo as linhas de tempo e espaço se enriquecem: enquanto a notícia fixa o aqui, o já, o acontecer, a reportagem interpretativa determina um sentido desse aqui num circuito mais amplo, reconstitui o já no antes e depois, deixa os limites do acontecer para um estar acontecendo atemporal, ou menos presente”.<br />(LEANDRO & MEDINA apud LIMA: 2004, idem)<br />
  5. 5. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />JORNALISMO INTERPRETATIVO: <br /><ul><li> Interesse maior pelo aspecto qualitativo das informações. </li></ul>“O leitor de hoje não quer apenas saber o que acontece à sua volta, mas assegurar-se de sua situação dentro dos acontecimentos. Isto só se consegue com o engrandecimento da informação a tal ponto que ela contenha os seguintes elementos: a dimensão comparada, a remissão ao passado, a interligação com outros fatos, a incorporação do fato a uma tendência e a sua projeção para o futuro.” (Alberto Dines)<br /><ul><li> Criação de uma série de recursos gráficos e editoriais que resultem num jornal extremamente fácil e atraente de se ler.
  6. 6. SANAR OS VAZIOS INFORMATIVOS E APROFUNDAR O TEMA.</li></li></ul><li>MAPEAMENTO<br />INVESTIGAÇÃO<br />INTERPRETAÇÃO<br />
  7. 7. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />O trabalho redacional da matéria interpretativa depende de três etapas:<br />Identificação da ocorrência (objeto)<br />Deve-se avaliar:<br />Proximidade no tempo;<br />Proximidade no espaço;<br />Número e qualidade das pessoas envolvidas;<br />Valor material e/ou ideológico.<br />1º Valor Absoluto<br />2º Valor Intrinsecamente Relativo<br />3º Valor Extrinsecamente Relativo<br />OBJETO<br />
  8. 8. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />2) Processamento da Documentação<br />Investigar para sanar qualquer vazio informativo. Compreende dois momentos:<br />Decomposição da ocorrência em seus elementos básicos (causas e efeitos);<br />Investigação dos valores e aspectos opacos da ocorrência e sua coleta para posterior estruturação no corpo da matéria.<br />Lead + causas + efeitos<br />DOCUMENTAÇÃO<br />Investigação + estruturação<br />
  9. 9. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />3) Redação e Edição<br />São idênticas às etapas homônimas no jornalismo informativo, tendo o cuidado, entretanto, de bem explicitar as causas e efeitos do ocorrido, procurando sanar os vazios informativos.<br />É levado ao público “um documento completo, sintético, ordenado e equilibrado, com relação à atualidade (...) suficiente para julgar e tomar posição consciente a respeito do acontecimento (...) que satisfaça até onde possa ser satisfeito o direito à informação de todo membro da sociedade”.<br />(BELTRÃO: 1976, p. 89)<br />
  10. 10. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />Deve-se ter sempre em mente quando se propõe uma matéria interpretativa:<br />O contexto;<br />Os antecedentes;<br />O suporte especializado;<br />A projeção;<br />O perfil.<br />
  11. 11. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />investigação<br />Registro da realidade:<br /><ul><li>Buscar sempre desvelar com um olhar crítico as diferentes linguagens que se entrelaçam e constroem a realidade ao redor do fato noticioso que se pretende investigar.
  12. 12. Os antecedentes dos fatos devem ser conhecidos.</li></li></ul><li>O que há por trás?<br />Como?<br />Por quê?<br />Quais interesses econômicos e políticos o sustentam?<br />Que circunstâncias os rodeiam?<br />FATO<br />Quais os antecedentes?<br />Quem se beneficia?<br />Quem são os afetados?<br />O que representam os envolvidos?<br />A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />investigação<br />2) Determinação do mapa de relações:<br /><ul><li>O mapa de relações é um instrumento utilizado na investigação jornalística que facilita a organização da informação em nível interno e externo.</li></li></ul><li>A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />investigação<br />3) O valor das fontes:<br /><ul><li>Deve-se tomar o cuidado que algumas fontes tornam-se vedetes e não mais contribuem para a investigação;
  13. 13. A fonte sempre possui suas inclinações políticas para com o fato: por isso deve-se sempre considerar o lugar de fala de onde ela se coloca (não deixar-se manipular);
  14. 14. Deve-se duvidar da fonte SEMPRE. Para tanto, deve-se estar sempre munido de informações na hora da entrevista (poder de barganha).</li></li></ul><li>A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />A Pauta: Aspectos primários:<br />O fato/acontecimento (descrito e/ou narrado);<br />Pessoas envolvidas / possíveis fontes (mínimo 5 entrevistáveis);<br />Local e data de ocorrência;<br />Antecedentes do fato/acontecimento;<br />Contexto (atualidade);<br />Possíveis conseqüências;<br />Previsões;<br />Abordagem do tema (trágico, cômico);<br />Enfoque/angulagem (qual item interessa? Como explicitá-lo?)<br />Abordagem editorial.<br />
  15. 15. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />A Pauta: Aspectos secundários:<br />Determinação de valores;<br />Dados que podem ser agregados;<br />Diagrama de relações;<br />Descrição e importância das fontes (0,1,2,3...), nome, idade, profissão, relação com o acontecimento;<br />Seqüência de pistas.<br />
  16. 16. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />A Pauta: Aspectos terciários:<br />Número de laudas (cada lauda possui 1200 caracteres);<br />Número de fotografias, ilustrações, infográficos, etc;<br />Boneco gráfico;<br />Sugestão de abertura;<br />Enquadramento redacional (fatos, ação ou documental).<br />
  17. 17. A Interpretação Jornalística: conceitos e técnicas<br />Principais características de uma reportagem:<br />Predominância da forma narrativa;<br />Humanização do relato;<br />Texto de natureza impressionista;<br />Objetividade dos fatos narrados.<br />Tipologia:<br />Reportagem de fatos;<br />Reportagem de ação;<br />Reportagem documental.<br />(SODRÉ e FERRARI: 1986)<br />

×