SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Exemplo de reportagem
Ato de militares em defesa do golpe de 1964 termina em tumulto no Rio

Oficiais da reserva foram recebidos por manifestantes aos gritos de 'assassinos' e
'torturadores'

Policia usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para dispersar protesto, que
reuniu cerca de 500 pessoas

MARCO ANTÔNIO MARTINS E PAULA BIANCHI
Bombas de efeito moral, jatos de spray de pimenta e disparos de armas de choque
foram usados ontem no Rio para dispersar cerca de 500 manifestantes que se
reuniram diante do Clube Militar para protestar contra evento em homenagem ao
golpe de 64.

Militares da reserva que chegavam para o encontro eram recebidos aos gritos de
"assassino" e "torturador" pelos manifestantes, contidos por um cordão de isolamento
formado por policiais.

Ovos foram arremessados contra o portão do clube. Alguns militares revidaram
fazendo gestos obscenos para os manifestantes. Um homem chegou a sair do clube e
chutou alguns manifestantes.

Na calçada, velas e tinta vermelha foram espalhadas para lembrar os mortos e
desaparecidos durante a ditadura militar (1964-1985).

Dentro do clube, cerca de 300 pessoas participavam do painel "1964 - A Verdade". Por
duas horas elogiaram o golpe e não citaram o ato lá fora.

Só no fim do evento, o vice-presidente do clube, Clóvis Bandeira, criticou os
manifestantes: "Vejo com tristeza uma ação dessas. Um monte de gente que quer
proibir que outras façam reunião só porque têm pensamento diferente deles. Curioso,
não?"

Na saída dos militares houve novos confrontos. Quem deixava o prédio era seguido
por manifestantes. Seguranças do clube acompanhavam os convidados até a estação
do metrô, em frente.

A prisão de um manifestante que teria revidado um tapa dado por um militar fez com
que a confusão tomasse a av. Rio Branco. A via foi fechada pelos manifestantes, e a
polícia reagiu com bombas de efeito moral, spray de pimenta e aparelhos de choque.

Atingida por uma bomba de efeito moral, a socióloga Mira Caetano desmaiou e teve
ferimentos no seio, barriga e perna. "Fomos protestar para evitar a prisão [do
manifestante] e a polícia começou a disparar", disse.
Apesar da presença de bandeiras de PCB e PSB, a maioria dos presentes soube do
protesto pelas redes sociais, caso de Ana Maria de Holanda Cavalcanti, 62: "Vi o
chamado no Facebook. A ditadura não pode ser comemorada. É como se os alemães
comemorassem o nazismo".

A estudante Clara Martins Rodrigues, 18, foi ao clube ouvir a palestra a convite de uma
professora da faculdade. Ao chegar, descobriu que era uma comemoração do golpe e
decidiu não entrar.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de aula crônica
Plano de aula crônicaPlano de aula crônica
Plano de aula crônica
LucianaProf
 
Memorial acadêmico
Memorial acadêmicoMemorial acadêmico
Memorial acadêmico
CNSR
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Elaine Maia
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
Geo Honório
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
Sérgio Lagoa
 
Texto jornalístico
Texto jornalístico Texto jornalístico
Texto jornalístico
escrevermais
 

Mais procurados (20)

Atividade de arte Historia do cinema
Atividade de arte Historia do cinemaAtividade de arte Historia do cinema
Atividade de arte Historia do cinema
 
Plano de aula crônica
Plano de aula crônicaPlano de aula crônica
Plano de aula crônica
 
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docxFICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
FICHA - ELEMENTOS DA COMUNICAÇÃO - Gabarito.docx
 
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
Plano de curso de arte E.M BNCC 2019
 
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTAAULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
AULA 08 - RESENHA CRÍTICA - PRONTA
 
Memorial acadêmico
Memorial acadêmicoMemorial acadêmico
Memorial acadêmico
 
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opiniãoDiferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
Diferenças entre texto dissertativo argumentativo e artigo de opinião
 
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURAAULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
AULA 01 - TEXTO DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVO - ESTRUTURA
 
CARTAS - UEM - PAS
CARTAS - UEM  - PASCARTAS - UEM  - PAS
CARTAS - UEM - PAS
 
Artes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e AtividadesArtes O Teatro e Atividades
Artes O Teatro e Atividades
 
Resumo
ResumoResumo
Resumo
 
Variedades linguísticas
Variedades linguísticasVariedades linguísticas
Variedades linguísticas
 
Modelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leituraModelo de ficha de leitura
Modelo de ficha de leitura
 
Gênero notícia
Gênero notíciaGênero notícia
Gênero notícia
 
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
Prova filosofia 1º ano /  I bimestreProva filosofia 1º ano /  I bimestre
Prova filosofia 1º ano / I bimestre
 
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANOAVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6°  AO  9º ANO
AVALIAÇÃO DE ARTES: EJA - 6° AO 9º ANO
 
Autobiografia-
Autobiografia-Autobiografia-
Autobiografia-
 
Texto jornalístico
Texto jornalístico Texto jornalístico
Texto jornalístico
 
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhosGênero Textual: histórias em quadrinhos
Gênero Textual: histórias em quadrinhos
 
Tutoria e orientação de estudos
Tutoria e orientação de estudosTutoria e orientação de estudos
Tutoria e orientação de estudos
 

Destaque

A reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasA reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e características
Susana Sobrenome
 
Ficha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaFicha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notícia
Carlos Lima
 

Destaque (20)

A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
Reportagem ( Gênero textual - conceitos)
Reportagem ( Gênero textual - conceitos)Reportagem ( Gênero textual - conceitos)
Reportagem ( Gênero textual - conceitos)
 
A reportagem
A reportagemA reportagem
A reportagem
 
A entrevista
A entrevistaA entrevista
A entrevista
 
Texto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativoTexto expositivo argumentativo
Texto expositivo argumentativo
 
Reportagem e grande reportagem
Reportagem e grande reportagemReportagem e grande reportagem
Reportagem e grande reportagem
 
Apresentação Bichos Miguel Torga
Apresentação Bichos Miguel TorgaApresentação Bichos Miguel Torga
Apresentação Bichos Miguel Torga
 
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01 - Conceitos
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01  - ConceitosIntrodução à Publicidade e Propaganda - Aula 01  - Conceitos
Introdução à Publicidade e Propaganda - Aula 01 - Conceitos
 
Projeto propaganda
Projeto propagandaProjeto propaganda
Projeto propaganda
 
A reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e característicasA reportagem - estrutura e características
A reportagem - estrutura e características
 
Propaganda
PropagandaPropaganda
Propaganda
 
Projeto experimental de Publicidade e Propaganda
Projeto experimental de Publicidade e PropagandaProjeto experimental de Publicidade e Propaganda
Projeto experimental de Publicidade e Propaganda
 
Publicidade e propaganda
Publicidade e propagandaPublicidade e propaganda
Publicidade e propaganda
 
Reportagem
ReportagemReportagem
Reportagem
 
Generos jornalisticos
Generos jornalisticosGeneros jornalisticos
Generos jornalisticos
 
Notícia e reportagem
Notícia e reportagemNotícia e reportagem
Notícia e reportagem
 
AULA 4 - ENTREVISTA
AULA 4 - ENTREVISTAAULA 4 - ENTREVISTA
AULA 4 - ENTREVISTA
 
Ficha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notíciaFicha avaliação reportagem notícia
Ficha avaliação reportagem notícia
 
Teste notícia
Teste notíciaTeste notícia
Teste notícia
 
Miguel torga
Miguel torgaMiguel torga
Miguel torga
 

Semelhante a Exemplo de reportagem

Mortose desaparecidos 1950-1969
Mortose desaparecidos 1950-1969Mortose desaparecidos 1950-1969
Mortose desaparecidos 1950-1969
Portal NE10
 
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXPrincipais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Elton Zanoni
 

Semelhante a Exemplo de reportagem (8)

Comunicadoplataformaantiautoritaria
ComunicadoplataformaantiautoritariaComunicadoplataformaantiautoritaria
Comunicadoplataformaantiautoritaria
 
Slide sobre ditadura
Slide sobre ditaduraSlide sobre ditadura
Slide sobre ditadura
 
AngéLica Muller
AngéLica MullerAngéLica Muller
AngéLica Muller
 
Relatório Final Comissão Nacional da Verdade - Mortos e desaparecidos 1950 1969
Relatório Final Comissão Nacional da Verdade - Mortos e desaparecidos 1950 1969Relatório Final Comissão Nacional da Verdade - Mortos e desaparecidos 1950 1969
Relatório Final Comissão Nacional da Verdade - Mortos e desaparecidos 1950 1969
 
Mortose desaparecidos 1950-1969
Mortose desaparecidos 1950-1969Mortose desaparecidos 1950-1969
Mortose desaparecidos 1950-1969
 
Relatório CNV - Volume III - Mortos e desaparecidos 1950-1969
Relatório CNV - Volume III - Mortos e desaparecidos 1950-1969Relatório CNV - Volume III - Mortos e desaparecidos 1950-1969
Relatório CNV - Volume III - Mortos e desaparecidos 1950-1969
 
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXPrincipais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
 
Língua Portuguesa - Quem é Vladimir Herzog
Língua Portuguesa - Quem é Vladimir HerzogLíngua Portuguesa - Quem é Vladimir Herzog
Língua Portuguesa - Quem é Vladimir Herzog
 

Mais de aulasdejornalismo (20)

Modelo de pauta para jornal laboratório
Modelo de pauta para jornal laboratórioModelo de pauta para jornal laboratório
Modelo de pauta para jornal laboratório
 
Modelo de Espelho
Modelo de EspelhoModelo de Espelho
Modelo de Espelho
 
ANÁLISE DE IMAGEM - EXERCÍCIO
ANÁLISE DE IMAGEM - EXERCÍCIOANÁLISE DE IMAGEM - EXERCÍCIO
ANÁLISE DE IMAGEM - EXERCÍCIO
 
Análise de imagem
Análise de imagemAnálise de imagem
Análise de imagem
 
Oficina de jornalismo literário 2014
Oficina de jornalismo literário   2014Oficina de jornalismo literário   2014
Oficina de jornalismo literário 2014
 
Aula 5 ENTREVISTA
Aula 5   ENTREVISTAAula 5   ENTREVISTA
Aula 5 ENTREVISTA
 
Aula 4 FONTES
Aula 4  FONTESAula 4  FONTES
Aula 4 FONTES
 
Aula 3 PAUTA
Aula 3   PAUTAAula 3   PAUTA
Aula 3 PAUTA
 
Aula 2 SER REPÓRTER
Aula 2   SER REPÓRTERAula 2   SER REPÓRTER
Aula 2 SER REPÓRTER
 
Aula 1 GÊNEROS
Aula 1  GÊNEROSAula 1  GÊNEROS
Aula 1 GÊNEROS
 
Aula 4 classificação 2
Aula 4   classificação 2Aula 4   classificação 2
Aula 4 classificação 2
 
Infografia aula 1
Infografia   aula 1Infografia   aula 1
Infografia aula 1
 
Aula 1 Introducao, Tipologia - Agencias
Aula 1   Introducao, Tipologia  - AgenciasAula 1   Introducao, Tipologia  - Agencias
Aula 1 Introducao, Tipologia - Agencias
 
Aula 3 - Infografia
Aula 3 - InfografiaAula 3 - Infografia
Aula 3 - Infografia
 
Aula 2 - Infografia
Aula 2 - InfografiaAula 2 - Infografia
Aula 2 - Infografia
 
PLANO DE ENSINO - EDITORAÇÃO ELETRONICA
PLANO DE ENSINO - EDITORAÇÃO ELETRONICAPLANO DE ENSINO - EDITORAÇÃO ELETRONICA
PLANO DE ENSINO - EDITORAÇÃO ELETRONICA
 
PLANO DE ENSINO - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS
PLANO DE ENSINO - AGÊNCIA DE NOTÍCIASPLANO DE ENSINO - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS
PLANO DE ENSINO - AGÊNCIA DE NOTÍCIAS
 
Aula 1 Surgimento das Agências de Notícias
Aula 1   Surgimento das Agências de NotíciasAula 1   Surgimento das Agências de Notícias
Aula 1 Surgimento das Agências de Notícias
 
Eduardo campos texto
Eduardo campos   textoEduardo campos   texto
Eduardo campos texto
 
Paradigma culturológico
Paradigma culturológicoParadigma culturológico
Paradigma culturológico
 

Exemplo de reportagem

  • 1. Exemplo de reportagem Ato de militares em defesa do golpe de 1964 termina em tumulto no Rio Oficiais da reserva foram recebidos por manifestantes aos gritos de 'assassinos' e 'torturadores' Policia usou bombas de efeito moral e spray de pimenta para dispersar protesto, que reuniu cerca de 500 pessoas MARCO ANTÔNIO MARTINS E PAULA BIANCHI Bombas de efeito moral, jatos de spray de pimenta e disparos de armas de choque foram usados ontem no Rio para dispersar cerca de 500 manifestantes que se reuniram diante do Clube Militar para protestar contra evento em homenagem ao golpe de 64. Militares da reserva que chegavam para o encontro eram recebidos aos gritos de "assassino" e "torturador" pelos manifestantes, contidos por um cordão de isolamento formado por policiais. Ovos foram arremessados contra o portão do clube. Alguns militares revidaram fazendo gestos obscenos para os manifestantes. Um homem chegou a sair do clube e chutou alguns manifestantes. Na calçada, velas e tinta vermelha foram espalhadas para lembrar os mortos e desaparecidos durante a ditadura militar (1964-1985). Dentro do clube, cerca de 300 pessoas participavam do painel "1964 - A Verdade". Por duas horas elogiaram o golpe e não citaram o ato lá fora. Só no fim do evento, o vice-presidente do clube, Clóvis Bandeira, criticou os manifestantes: "Vejo com tristeza uma ação dessas. Um monte de gente que quer proibir que outras façam reunião só porque têm pensamento diferente deles. Curioso, não?" Na saída dos militares houve novos confrontos. Quem deixava o prédio era seguido por manifestantes. Seguranças do clube acompanhavam os convidados até a estação do metrô, em frente. A prisão de um manifestante que teria revidado um tapa dado por um militar fez com que a confusão tomasse a av. Rio Branco. A via foi fechada pelos manifestantes, e a polícia reagiu com bombas de efeito moral, spray de pimenta e aparelhos de choque. Atingida por uma bomba de efeito moral, a socióloga Mira Caetano desmaiou e teve ferimentos no seio, barriga e perna. "Fomos protestar para evitar a prisão [do manifestante] e a polícia começou a disparar", disse.
  • 2. Apesar da presença de bandeiras de PCB e PSB, a maioria dos presentes soube do protesto pelas redes sociais, caso de Ana Maria de Holanda Cavalcanti, 62: "Vi o chamado no Facebook. A ditadura não pode ser comemorada. É como se os alemães comemorassem o nazismo". A estudante Clara Martins Rodrigues, 18, foi ao clube ouvir a palestra a convite de uma professora da faculdade. Ao chegar, descobriu que era uma comemoração do golpe e decidiu não entrar.