Processo de cicatrizacao

99.507 visualizações

Publicada em

Documento de apoio aos cursos de Massagem Terapêutica, com descrição resumida do processo de cicatrização característico de uma lesão nos tecidos moles.

Publicada em: Educação
3 comentários
53 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
99.507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
466
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
3
Gostaram
53
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo de cicatrizacao

  1. 1. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO
  2. 2. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO 1 - Fase aguda (inflamação) 2 - Fase subaguda (reparo fibroblástico) 3 - Fase de maturação (remodelação) Observações: Fases contínuas … sobrepõem-se … não têm pontos iniciais ou finais Quatro sinais da inflamação: Rubor Calor Inchaço Dor
  3. 3. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Funções da inflamação : 1 – Protege o corpo contra a infecção 2 – Repara o tecido lesionado ao estimular o crescimento de novas células, as quais sintetizam novas fibras para a reparação. Dois tipos de traumatismo: 1 Directo – Traumatismo não penetrante em desportos de contacto. 2 Indirecto a) agudo – ocorre com a sobrecarga súbita b) crónico ou de uso excessivo – ocorre em consequência da sobrecarga repetida e/ou resistência ao atrito. 3 Agudo sobre o crónico – Ocorre como resultante de um trauma sobre uma lesão persistente.
  4. 4. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO 1 - Fase Aguda / inflamação (vascular): Este tipo de inflamação dura tipicamente 24 a 48 horas. Em alguns casos, pode durar 4 a 6 dias. - Dilatação das artérias, veias e capilares, causando rubor e calor. - Saída do plasma sanguíneo, gerando edema. - Aumento do número de fibroblastos e macrófagos. Os fibroblastos aumentam em tamanho e sintetizam substância fundamental e colagénio. Este processo começa 4 horas depois da lesão e pode durar de 4 a 6 dias. A princípio, o colagénio forma uma rede de fibras fraca e com arranjo aleatório. - A dor é produzida pela pressão a partir do edema e pela irritação química que estimula os receptores da dor (nociceptores).
  5. 5. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Formação de coágulo: - Evento inicial que forma o coágulo é uma complexa conversão molecular. - A formação de coágulo começa pouco tempo após a lesão e é concluída em cerca de 48 horas. - A área lesionada fica desprotegida durante o estágio inflamatório de cicatrização.
  6. 6. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Consequências neuromusculares da inflamação: - A inflamação leva à estimulação dos receptores de dor que causam adaptações compensatórias que facilitam os músculos, gerando hipertonicidade, ou inibem os músculos, provocando fraqueza. - A inflamação crónica pode causar sensibilização dos mecanoreceptores, de tal forma que estímulos mecânicos normais (exemplo, movimento de uma articulação dentro da sua amplitude normal) fazem o mecanoreceptor desenvolver dor.
  7. 7. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO 2 - Regeneração e reparação: O processo de regeneração e reparação inicia-se de 2 a 6 dias após a lesão e dura cerca de 3 semanas. - Novos capilares são formados no tecido cicatricial. Os capilares são dispostos numa orientação aleatória, a menos que a área seja mobilizada. - A actividade fibroblástica e a formação de colagénio aumentam. O tecido conjuntivo imaturo é menos denso e, desta forma, lesionado com maior facilidade. A dor não indica o nível de reparação, de modo que se deve ter cuidado com a quantidade de pressão aplicada numa massagem. - Nestes estágios iniciais, o colagénio é depositado num padrão aleatório e desorganizado, geralmente num plano perpendicular ao eixo longitudinal, tendo, portanto, pouca força. O colagénio desenvolve ligações cruzadas anormais que deixam o tecido menos flexível. - O paciente pode ainda sentir sensibilidade ao toque ou mesmo dor, embora estas queixas tenham tendência para desaparecer.
  8. 8. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Fibrose - A fase normal de eventos na fase de reparação leva à formação de tecido de cicatriz mínimo. - Ocasionalmente uma resposta inflamatória persistente e a libertação continuada dos produtos inflamatórios pode promover uma fibroplasia estendida o que pode levar a lesão tecidual irreversível.
  9. 9. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO 3 - Maturação / remodelação: O processo de remodelação vai do 21º ao 60º dia - Nos estágios iniciais desta fase, o colagénio amadurece numa rede completamente desorganizada numa estrutura em gel. Esta estrutura pode ser palpada como tecido espesso ou fibroso. A diminuição relativa na vascularização ocorre à medida que aumenta a densidade de colagénio. - Cerca de 2 meses depois, a actividade fibroblástica diminui e há menor síntese de colagénio. - A orientação aleatória do colagénio fornece pouca sustentação contra a tracção. - De 2 meses a 2 anos depois, o colagénio pode desenvolver um alinhamento linear funcional em resposta aos estímulos e pode ser reorientado até à linha de tensão. - A imobilização leva à formação de aderências significativas, à osteoporose ou perda da densidade óssea, bem como à atrofia dos músculos, das cápsulas e dos ligamentos. - A inflamação crónica pode resultar a partir de episódios repetidos de microtraumatismos ou da irritação crónica dos tecidos.
  10. 10. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Factores que impedem o processo de cicatrização: Extensão da lesão - As microrupturas do tecido mole envolvem somente dano menor e mais frequentemente estão associadas com o uso repetido. - As macrorupturas são geralmente ocasionadas por trauma agudo e envolvem destruição significativamente maior do tecido mole, resultando em sintomas clínicos e alterações funcionais. Edema - A pressão aumentada ocasionada pelo inchaço retarda o processo de cicatrização, dificulta a reparação dos tecidos, inibe o controle neuromuscular, produz mudanças neurofisiológicas reflexas e impede a nutrição na parte lesionada. Hemorragia - O sangramento produz os mesmos efeitos negativos na cicatrização da acumulação do edema. A presença de sangue produz um dano adicional ao tecido e exacerba a lesão.
  11. 11. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Factores que impedem o processo de cicatrização: Suprimento vascular pobre - Lesões nos tecidos com suprimento vascular pobre cicatrizam fraca e lentamente. Separação do tecido - A separação mecânica do tecido pode atrasar significativamente o curso de cicatrização Espasmo muscular - O espasmo muscular tracciona o tecido rompido, separa as duas extremidades e impede a aproximação. A isquémia local e generalizada pode originar-se do espasmo. Atrofia - A atrofia do tecido muscular começa imediatamente após a lesão. O fortalecimento e a mobilização precoce da estrutura lesionada retardam a atrofia.
  12. 12. PROCESSO DE CICATRIZAÇÃO Factores que impedem o processo de cicatrização: Cicatrizes hipertróficas - Aparecem no caso de a produção de colagénio ser excessiva durante a fase de maturação de cicatrização. Este processo leva à hipertrofia do tecido cicatricial, particularmente em volta da periferia da ferida. Infecção A presença de bactérias na ferida pode retardar a cicatrização. Saúde, idade e nutrição - As qualidades elásticas da pele diminuem com o envelhecimento. Doenças degenerativas, como diabetes e ateroesclerose também podem afectar a cicatrização. A nutrição é importante para este processo. Em particular as vitaminas k (coagulação) e A e E (síntese de colagénio).

×