SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Vacinação OCUPACIONAL
1. Introdução à vacinação ocupacional.

   A vacinação de adultos tem dois objetivos principais – ambos
    no sentido de diminuir a mortalidade precoce e a melhoria da
    qualidade de vida: a eliminação de doenças no país e a
    proteção individual.
   Hoje as doenças infecciosas são percebidas como um agravo
    a que estão expostos os trabalhadores de diversas atividades,
    e algumas delas como causadoras de prejuízos
    socioeconômicos para as empresas – é o caso da gripe, por
    exemplo.
   Esses fatos colocam a vacinação ocupacional como uma
    necessidade.
Trabalhador da empresa TECNART se
             vacinando.
2. Aplicação de vacinas e suas
                    vantagens.
   A vacina é uma das principais aliadas do serviço de saúde
    ocupacional porque permite, a partir de ações simples e de baixo
    custo, alcançar seu objetivo: a saúde dos trabalhadores, com
    diminuição do risco de absenteísmo.
   Sabemos que a atenção dedicada à informação sobre vacinas é,
    ainda, muito limitada na formação dos profissionais de saúde. Não é
    incomum que até mesmo muitos deles não tenham completado seus
    esquemas vacinais de forma adequada ao melhor exercício do
    trabalho. Cabe ao médico a responsabilidade de prescrição da vacina,
    porém sua aplicação pode ser realizada por profissionais competentes
    a essa função, também cabe ao médico do trabalho ser um vigilante
    das imunizações do grupo de trabalhadores E é sua obrigação
    informar o pacientes obre qualquer recurso disponível para a
    manutenção da sua saúde.
Dia de vacinação em uma empresa.
3. As profissões e seus calendários de
              vacinação.
   Nos Calendários Vacinais (SBIm), os elencos de vacinas são apresentados de acordo
    com as recomendações e características especiais de cada faixa etária ou grupo e
    profissões que necessitam de tal imunização.
   Muitos trabalhadores aptos ao desempenho de suas funções mostram condições de
    saúde que os tornam mais vulneráveis a determinadas infecções ou, uma vez infectados,
    apresentam um risco aumentado de complicações.
   A indicação de vacinas, como forma de diminuir o risco de se contrair as doenças
    infecciosas a que estão expostos vários grupos profissionais, também deve integrar o
    conjunto de medidas preventivas. Por isso, recomenda-se aos médicos que, em suas
    preocupações profissionais e éticas, incluam o acompanhamento do estado vacinal dos
    trabalhadores sob seus cuidados, para a garantia de permanente atualização.
   Para vacinar os funcionários, a empresa deverá encaminhá-los à rede pública ou a um
    serviço privado de vacinação devidamente credenciado pela ANVISA. Se for de interesse
    da empresa que seu serviço médico aplique vacinas será necessário possuir toda
    documentação necessária.
   No calendário abaixo está especificado a vacina que cada trabalhador em setores
    determinados devem tomar e também informando a duração dos intervalos e reforços.
4. As vacinas devem ser gratuitas aos
            trabalhadores.

    A NR 32 fixa claramente a obrigatoriedade de o empregador disponibilizar
    todas as vacinas registradas no país que possam, segundo critérios de
    exposição a riscos, estar indicadas para o trabalhador e estabelecidas no
    Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.
   (PCMSO): “32.4.22.6 Sempre que houver vacinas eficazes contra os agentes
    biológicos a que os trabalhadores estão, ou poderão estar expostos, o
    empregador deve disponibilizá-las gratuitamente aos trabalhadores não
    imunizados”. É oportuno lembrar que essa recomendação deve ser extensiva
    aos servidores públicos civis e militares, autônomos, trabalhadores avulsos,
    cooperados, celetistas e informais. Comentaremos a seguir os sete itens da
    NR 32 que tratam especificamente da vacinação dos trabalhadores dos
    Serviços de Saúde. O mesmo ocorre com a gratuidade dos Equipamentos de
    Proteção Individual (EPI). A presença dos agentes biológicos transmissores de
    doenças no ambiente de trabalho obriga o empregador a prover os meios de
    proteção para que o trabalhador não se acidente ou, caso se acidente, não
    sofra as conseqüências de uma possível contaminação por microorganismos
    que provoquem doenças perfeitamente evitáveis por vacinas.
Todos os setores da empresa devem
 ser vacinados, inclusive a diretoria.
- As três formas de se vacinar:

•  Na própria empresa, contratando-se clínicas
  com licença para a vacinação extramuros (o
  que permite economia de tempo e dinheiro
  com deslocamentos).
 • Encaminhando os trabalhadores para a rede
  do SUS e/ou para a clínica de vacinação.
 • O Serviço de Saúde da firma poderá obter o
  credenciamento junto à ANVISA, obedecendo
  as Portarias, como ocorre com clínicas
  privadas.
- Registro e comprovante da
                  vacinação:

   “A vacinação deve ser registrada no prontuário
    clínico individual do trabalhador, previsto na NR 7” e
    “deve ser fornecido ao trabalhador comprovante das
    vacinas recebidas (cartão de vacinação)”.
   Como já citado, de acordo com a Portaria 1.602, de
    17 de julho de 2006, apenas atestados emitidos por
    serviços (públicos ou privados) credenciados junto
    ao PNI serão legalmente reconhecidos e neles deve
    constar o número do lote da vacina aplicada.
5. Conclusões finais do grupo.

    A vacinação correta dos trabalhadores em uma
    empresa resulta em baixos índices de doenças
    ocupacionais também proporciona à empresa
    menores custos com um operário doente como, por
    exemplo, auxílio doença e afastamentos temporários
    e dependendo da gravidade da doença adquirida até
    afastamentos permanentes, além de garantir maior
    segurança e bem estar a um operário em exercício
    de sua função.
SIPAT ( Semana Interna de Prevenção
    de Acidentes de Trabalho).
Referências bibliográficas.


   Fontes de pesquisa:
   •
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAPHIAA/manual-vacinas
   •
    http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAaWsAH/vacinacao-ocupacion
   •
    http://segurancaesaudedotrabalho.blogspot.com.br/2009/09/vacinacao
   • http://alergovaccine.com.br/vacinas/detalheVacinas.php?
    idEscolhido=36
   • http://www.sbim.org.br/sbim_guia_ocupacional.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vacinação ocupacional
Vacinação ocupacionalVacinação ocupacional
Vacinação ocupacionalCosmo Palasio
 
Saúde do Trabalhador
Saúde do TrabalhadorSaúde do Trabalhador
Saúde do TrabalhadorMilena Silva
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)ivanaferraz
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Amanda Moura
 
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroOficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroProqualis
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemFernando Dias
 
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Proqualis
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemJardiel7
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemjakemarques
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagemElter Alves
 
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagemResponsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagemlidianeosantos
 
História da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalhoHistória da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalhoMarcos da Silva
 

Mais procurados (20)

Vacinação ocupacional
Vacinação ocupacionalVacinação ocupacional
Vacinação ocupacional
 
Teorias de Enfermagem
Teorias de EnfermagemTeorias de Enfermagem
Teorias de Enfermagem
 
Saúde do Trabalhador
Saúde do TrabalhadorSaúde do Trabalhador
Saúde do Trabalhador
 
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) Comissão de  Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH)
 
Introdução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do TrabalhoIntrodução à Enfermagem do Trabalho
Introdução à Enfermagem do Trabalho
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE)
 
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o ErroOficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
Oficina de Seguranca do Paciente: Aprendendo com o Erro
 
Historia Da Enfermagem
Historia Da EnfermagemHistoria Da Enfermagem
Historia Da Enfermagem
 
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?Segurança do Paciente/Doente, o que é?
Segurança do Paciente/Doente, o que é?
 
História da enfermagem
História da enfermagemHistória da enfermagem
História da enfermagem
 
Fundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagemFundamentos de enfermagem
Fundamentos de enfermagem
 
Vigilancia em saude
Vigilancia em saude Vigilancia em saude
Vigilancia em saude
 
As teorias de enfermagem
As teorias de enfermagemAs teorias de enfermagem
As teorias de enfermagem
 
Infecção hospitalar
Infecção hospitalarInfecção hospitalar
Infecção hospitalar
 
Florence Nightingale
Florence NightingaleFlorence Nightingale
Florence Nightingale
 
1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem1ª aula introducao de-enfermagem
1ª aula introducao de-enfermagem
 
Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem Processo de Enfermagem
Processo de Enfermagem
 
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CERESTSaúde do Trabalhador no SUS - CEREST
Saúde do Trabalhador no SUS - CEREST
 
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagemResponsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
Responsabilidade ética e legal do profissional da enfermagem
 
História da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalhoHistória da enfermagem do trabalho
História da enfermagem do trabalho
 

Destaque

Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúdeNr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúdeRogério Eustáquio Dos Santos
 
Boas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoBoas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoPortal Canal Rural
 
Guia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completoGuia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completoIsmael Costa
 
PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalPCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalRenato Sfolia
 
Programa de imunização
Programa de imunizaçãoPrograma de imunização
Programa de imunizaçãoLucas Matos
 
Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016imunizacao
 
Apresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoApresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoLiene Campos
 
5. orientação normativa nº 01
5. orientação normativa nº 015. orientação normativa nº 01
5. orientação normativa nº 01Ulisses Vakirtzis
 
Apresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinha
Apresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinhaApresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinha
Apresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinhaMinistério da Saúde
 
Informe Técnico - Campanha de Vacinação HPV_Autorização
Informe Técnico - Campanha de Vacinação HPV_AutorizaçãoInforme Técnico - Campanha de Vacinação HPV_Autorização
Informe Técnico - Campanha de Vacinação HPV_AutorizaçãoClaudia Elisabete Silva
 
Vacina hepatite a informe técnico
Vacina hepatite a   informe técnicoVacina hepatite a   informe técnico
Vacina hepatite a informe técnicoJosé Ripardo
 
Relação de postos de vacinação no DF
Relação de postos de vacinação no DFRelação de postos de vacinação no DF
Relação de postos de vacinação no DFsubnovagdf
 

Destaque (20)

Trabalho vacinas
Trabalho vacinas Trabalho vacinas
Trabalho vacinas
 
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúdeNr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
Nr 32 - Resumo da Norma Regulamentadora dos profissionais da saúde
 
Manual de vacinação
Manual de vacinaçãoManual de vacinação
Manual de vacinação
 
Boas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na VacinaçãoBoas práticas de manejo na Vacinação
Boas práticas de manejo na Vacinação
 
Guia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completoGuia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completo
 
PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde OcupacionalPCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Programa de imunização
Programa de imunizaçãoPrograma de imunização
Programa de imunização
 
Imunização
ImunizaçãoImunização
Imunização
 
NR7 PCMSO
NR7 PCMSONR7 PCMSO
NR7 PCMSO
 
Nr 7, a teoria e a prática
Nr 7, a teoria e a práticaNr 7, a teoria e a prática
Nr 7, a teoria e a prática
 
Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016Apresentação Calendário Vacinal 2016
Apresentação Calendário Vacinal 2016
 
Vacinas
VacinasVacinas
Vacinas
 
Apresentação multivacinação
Apresentação multivacinaçãoApresentação multivacinação
Apresentação multivacinação
 
5. orientação normativa nº 01
5. orientação normativa nº 015. orientação normativa nº 01
5. orientação normativa nº 01
 
Apresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinha
Apresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinhaApresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinha
Apresentação - Campanha Nacional de Multivacinação #zegotinha
 
Informe Técnico - Campanha de Vacinação HPV_Autorização
Informe Técnico - Campanha de Vacinação HPV_AutorizaçãoInforme Técnico - Campanha de Vacinação HPV_Autorização
Informe Técnico - Campanha de Vacinação HPV_Autorização
 
Vacinação
Vacinação Vacinação
Vacinação
 
Vacina hepatite a informe técnico
Vacina hepatite a   informe técnicoVacina hepatite a   informe técnico
Vacina hepatite a informe técnico
 
Relação de postos de vacinação no DF
Relação de postos de vacinação no DFRelação de postos de vacinação no DF
Relação de postos de vacinação no DF
 

Semelhante a Vacinação ocupacional

Vacinação Ocupacional.pptx
Vacinação Ocupacional.pptxVacinação Ocupacional.pptx
Vacinação Ocupacional.pptxJoaoSilva278891
 
manual-de-prevencao e Segurnça na condção
manual-de-prevencao e Segurnça na condçãomanual-de-prevencao e Segurnça na condção
manual-de-prevencao e Segurnça na condçãomanbadoo
 
HIGIENE E Proxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncri
HIGIENE E ProxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncriHIGIENE E Proxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncri
HIGIENE E Proxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncrimalvs7507
 
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSOPROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSORenata Araújo
 
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9TORRESGEOTECNIA
 
Pcmso alpha plast
Pcmso alpha plastPcmso alpha plast
Pcmso alpha plastDayvdCampos
 
Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...
Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...
Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...lucimaraambrosio1
 
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSOwebgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSOMirtes Campos
 
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdfapresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdfEnfaVivianeCampos
 
Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...
Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...
Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...Universidade Federal Fluminense
 
Aula metas internacionais.pptx
Aula metas internacionais.pptxAula metas internacionais.pptx
Aula metas internacionais.pptxKelengomez
 
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...Ministério da Saúde
 
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...Luciana Nazaret
 
O que é segurança e saúde no trabalho.pptx
O que é segurança e saúde no trabalho.pptxO que é segurança e saúde no trabalho.pptx
O que é segurança e saúde no trabalho.pptxaline588427
 

Semelhante a Vacinação ocupacional (20)

Vacinação Ocupacional.pptx
Vacinação Ocupacional.pptxVacinação Ocupacional.pptx
Vacinação Ocupacional.pptx
 
Erro de Imunização: um evento adverso evitável
Erro de Imunização: um evento adverso evitávelErro de Imunização: um evento adverso evitável
Erro de Imunização: um evento adverso evitável
 
Pcmso e cipa
Pcmso e  cipaPcmso e  cipa
Pcmso e cipa
 
Nr32 resumo
Nr32 resumoNr32 resumo
Nr32 resumo
 
manual-de-prevencao e Segurnça na condção
manual-de-prevencao e Segurnça na condçãomanual-de-prevencao e Segurnça na condção
manual-de-prevencao e Segurnça na condção
 
HIGIENE E Proxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncri
HIGIENE E ProxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncriHIGIENE E Proxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncri
HIGIENE E Proxiadkkfjfirijfafbuhuofhhfafncri
 
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSOPROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO
PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO E SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO
 
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
Resumo nr 6, nr 7 e nr 9
 
Biossegurança
BiossegurançaBiossegurança
Biossegurança
 
Pcmso alpha plast
Pcmso alpha plastPcmso alpha plast
Pcmso alpha plast
 
Manual subst quim agentes biológicos
Manual subst quim agentes biológicosManual subst quim agentes biológicos
Manual subst quim agentes biológicos
 
Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...
Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...
Cartilha-de-Proteção-Respiratória-contra-Agentes-Biológicos-para-Trabalhadore...
 
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSOwebgincana do (PPRA)e(PCMSO
webgincana do (PPRA)e(PCMSO
 
Pcmso
PcmsoPcmso
Pcmso
 
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdfapresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
apresentao-hff-111121054539-phpapp02.pdf
 
Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...
Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...
Lista de verificação e identificação de não conformidades relacionadas à saúd...
 
Aula metas internacionais.pptx
Aula metas internacionais.pptxAula metas internacionais.pptx
Aula metas internacionais.pptx
 
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
Ministério da Saúde e Anvisa anunciam ações para aumentar segurança do pacien...
 
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
Ministerio da Saude e Anvisa anunciam açoes para aumentar segurança do pacien...
 
O que é segurança e saúde no trabalho.pptx
O que é segurança e saúde no trabalho.pptxO que é segurança e saúde no trabalho.pptx
O que é segurança e saúde no trabalho.pptx
 

Vacinação ocupacional

  • 2. 1. Introdução à vacinação ocupacional.  A vacinação de adultos tem dois objetivos principais – ambos no sentido de diminuir a mortalidade precoce e a melhoria da qualidade de vida: a eliminação de doenças no país e a proteção individual.  Hoje as doenças infecciosas são percebidas como um agravo a que estão expostos os trabalhadores de diversas atividades, e algumas delas como causadoras de prejuízos socioeconômicos para as empresas – é o caso da gripe, por exemplo.  Esses fatos colocam a vacinação ocupacional como uma necessidade.
  • 3. Trabalhador da empresa TECNART se vacinando.
  • 4. 2. Aplicação de vacinas e suas vantagens.  A vacina é uma das principais aliadas do serviço de saúde ocupacional porque permite, a partir de ações simples e de baixo custo, alcançar seu objetivo: a saúde dos trabalhadores, com diminuição do risco de absenteísmo.  Sabemos que a atenção dedicada à informação sobre vacinas é, ainda, muito limitada na formação dos profissionais de saúde. Não é incomum que até mesmo muitos deles não tenham completado seus esquemas vacinais de forma adequada ao melhor exercício do trabalho. Cabe ao médico a responsabilidade de prescrição da vacina, porém sua aplicação pode ser realizada por profissionais competentes a essa função, também cabe ao médico do trabalho ser um vigilante das imunizações do grupo de trabalhadores E é sua obrigação informar o pacientes obre qualquer recurso disponível para a manutenção da sua saúde.
  • 5. Dia de vacinação em uma empresa.
  • 6. 3. As profissões e seus calendários de vacinação.  Nos Calendários Vacinais (SBIm), os elencos de vacinas são apresentados de acordo com as recomendações e características especiais de cada faixa etária ou grupo e profissões que necessitam de tal imunização.  Muitos trabalhadores aptos ao desempenho de suas funções mostram condições de saúde que os tornam mais vulneráveis a determinadas infecções ou, uma vez infectados, apresentam um risco aumentado de complicações.  A indicação de vacinas, como forma de diminuir o risco de se contrair as doenças infecciosas a que estão expostos vários grupos profissionais, também deve integrar o conjunto de medidas preventivas. Por isso, recomenda-se aos médicos que, em suas preocupações profissionais e éticas, incluam o acompanhamento do estado vacinal dos trabalhadores sob seus cuidados, para a garantia de permanente atualização.  Para vacinar os funcionários, a empresa deverá encaminhá-los à rede pública ou a um serviço privado de vacinação devidamente credenciado pela ANVISA. Se for de interesse da empresa que seu serviço médico aplique vacinas será necessário possuir toda documentação necessária.  No calendário abaixo está especificado a vacina que cada trabalhador em setores determinados devem tomar e também informando a duração dos intervalos e reforços.
  • 7.
  • 8. 4. As vacinas devem ser gratuitas aos trabalhadores.  A NR 32 fixa claramente a obrigatoriedade de o empregador disponibilizar todas as vacinas registradas no país que possam, segundo critérios de exposição a riscos, estar indicadas para o trabalhador e estabelecidas no Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional.  (PCMSO): “32.4.22.6 Sempre que houver vacinas eficazes contra os agentes biológicos a que os trabalhadores estão, ou poderão estar expostos, o empregador deve disponibilizá-las gratuitamente aos trabalhadores não imunizados”. É oportuno lembrar que essa recomendação deve ser extensiva aos servidores públicos civis e militares, autônomos, trabalhadores avulsos, cooperados, celetistas e informais. Comentaremos a seguir os sete itens da NR 32 que tratam especificamente da vacinação dos trabalhadores dos Serviços de Saúde. O mesmo ocorre com a gratuidade dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI). A presença dos agentes biológicos transmissores de doenças no ambiente de trabalho obriga o empregador a prover os meios de proteção para que o trabalhador não se acidente ou, caso se acidente, não sofra as conseqüências de uma possível contaminação por microorganismos que provoquem doenças perfeitamente evitáveis por vacinas.
  • 9. Todos os setores da empresa devem ser vacinados, inclusive a diretoria.
  • 10. - As três formas de se vacinar: • Na própria empresa, contratando-se clínicas com licença para a vacinação extramuros (o que permite economia de tempo e dinheiro com deslocamentos).  • Encaminhando os trabalhadores para a rede do SUS e/ou para a clínica de vacinação.  • O Serviço de Saúde da firma poderá obter o credenciamento junto à ANVISA, obedecendo as Portarias, como ocorre com clínicas privadas.
  • 11. - Registro e comprovante da vacinação:  “A vacinação deve ser registrada no prontuário clínico individual do trabalhador, previsto na NR 7” e “deve ser fornecido ao trabalhador comprovante das vacinas recebidas (cartão de vacinação)”.  Como já citado, de acordo com a Portaria 1.602, de 17 de julho de 2006, apenas atestados emitidos por serviços (públicos ou privados) credenciados junto ao PNI serão legalmente reconhecidos e neles deve constar o número do lote da vacina aplicada.
  • 12. 5. Conclusões finais do grupo.  A vacinação correta dos trabalhadores em uma empresa resulta em baixos índices de doenças ocupacionais também proporciona à empresa menores custos com um operário doente como, por exemplo, auxílio doença e afastamentos temporários e dependendo da gravidade da doença adquirida até afastamentos permanentes, além de garantir maior segurança e bem estar a um operário em exercício de sua função.
  • 13. SIPAT ( Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho).
  • 14. Referências bibliográficas.  Fontes de pesquisa:  • http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAPHIAA/manual-vacinas  • http://www.ebah.com.br/content/ABAAAAaWsAH/vacinacao-ocupacion  • http://segurancaesaudedotrabalho.blogspot.com.br/2009/09/vacinacao  • http://alergovaccine.com.br/vacinas/detalheVacinas.php? idEscolhido=36  • http://www.sbim.org.br/sbim_guia_ocupacional.pdf