Imperícias Profissionais na Saúde

2.271 visualizações

Publicada em

Diferenciação de Imperícia, Iatrogenia e Erro Médico e papel do sistema educacional no ato médico

Publicada em: Saúde e medicina
1 comentário
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Interesante presentacion sobre odontologia en costa rica, me fue de mucha utilidad ya que estoy iniciando mis estudios en esta area, si están interesados comparto con ustedes el sitio http://medicoscr.net/26-odontologia.html donde encontrarán un directorio de especialistas en odontologia, saludos y espero ver más aportes.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.271
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Imperícias Profissionais na Saúde

  1. 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS ESCOLA SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DISCIPLINA DE METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO IMPERÍCIAS PROFISSIONAIS NA ÁREA DA SAÚDE: UMA VISÃO ÉTICA Acadêmicos: Ana Cláudia da Cunha Ferreira Professor Orientador: Claudio Ruy Fonseca13/12/2011
  2. 2. INTRODUÇÃO Iatrogenia Erro Médico Crime Crime Culposo Doloso IMPERÍCIA Imprudência Negligência13/12/2011
  3. 3. IMPERÍCIA  É o desconhecimento da lex artis, é incompetência, inexperiência, inaptidão técnica, despreparo profissional, carência de aptidão prática ou teórica.13/12/2011
  4. 4. IMPERÍCIA  Não significa apenas desconhecer totalmente o procedimento, mas também aplicar deficientemente o conhecimento que o profissional da saúde possui ou deveria possuir.13/12/2011
  5. 5. RESPONSABILIDADE ÉTICA Do ponto de vista ético-moral, a responsabilidade ética independe de um resultado danoso, isto é na apreciação da responsabilidade ética é irrelevante a presença do dano.13/12/2011
  6. 6. RESPONSABILIDADE PROFISSIONAL  A responsabilidade médica criminal se apóia no nexo de causalidade;  Nexo de causalidade: relação que deve haver entre o resultado danoso ao paciente e a ação ou omissão do profissional;  Qualquer ato médico deve ser autorizado pelo paciente – Principio da Autonomia. .13/12/2011
  7. 7. SITUAÇÕES QUE FAVORECEM A OCORRÊNCIA DE IMPERÍCIAS  QUANTO AO MODELO BIOMÉDICO Díade Doente/Doença Visão Fragmentada do Paciente  NO ÂMBITO DA RELAÇÃO PROFISSIONAL-PACIENTE Não priorizar a relação com o paciente. Estímulo da Anamnese Dirigida.13/12/2011
  8. 8. SITUAÇÕES QUE FAVORECEM A OCORRÊNCIA DE IMPERÍCIAS  NO ÂMBITO DA FORMAÇÃO ACADÊMICA • Método de Ingresso • O Papel do Professor • O Ensino nas Intituições de Saúde • A Valorizacão da Especialização Precoce • Formação Acadêmica Deficiente sobre diversos ângulos: Excessiva abordagem organicista e fragmentada13/12/2011
  9. 9. CONSEQUÊNCIAS DO ERRO MÉDICO  Danos irreparáveis;  Dores imediatas;  Perdas de órgãos;  Perdas de funções;  Na vida profissional causa prejuízos financeiros;  Geram problemas na esfera ética, civil e criminal13/12/2011
  10. 10. PREVENÇÃO DE IMPERÍCIAS  O PAPEL DA EDUCAÇÃO ACADÊMICA • Busca da Integralidade • Adotar Uma Posição de Humildade • A Escolha da Conduta Terapêutica - Todos os benefícios e riscos em questão devem ser considerados.13/12/2011
  11. 11. ATUAÇÃO DOS CONSELHOS DE ÉTICA  Promover normas éticas de conduta, zelar por elas, julgar desvios, tudo no sentido da proteção da saúde da sociedade.  Os conselhos instauram mais processos ético- profissionais por iniciativa própria do que por denúncia de terceiros.13/12/2011
  12. 12. PUNIÇÕES  Conselhos: Afastamento da Atividade – Medida Administrativa  Código Penal: Pena - Medida Punitiva13/12/2011
  13. 13. CASO CLÍNICO  Ravy da Silva e Silva, de 6 anos, foi internado no Hospital Infantil Ismélia Silveira, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, para uma operação de fimose e hérnia umbilical e, no fim do procedimento, sofreu parada cardíaca. Ele foi vítima de um erro. Era uma cirurgia simples, que exigia anestesia local. Ravy recebeu anestesia geral, aplicada nas costas, que lhe deixou uma lesão cervical. Ele ficou tetraplégico.13/12/2011
  14. 14. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. CONSELHO FEDERAL DE ODONTOLOGIA. Código de ética odontológica. Disponível em: <http://www.cfo.org.br>. Acesso em: 25 abr. 2010. 2. CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA. Resolução nº 1.246, de 1988. 3. TAVARES, Felipe de Medeiros. Reflexões acerca da Iatrogenia e Educação Médica. Revista brasileira de educação médica, Rio de Janeiro, v. 31, n. 2, p. 180-185, 2007. .13/12/2011
  15. 15. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 4. SIQUEIRA, José Eduardo. A bioética e a revisão dos códigos de conduta moral dos médicos no Brasil. Revista Bioética, Brasília, v. 16, n. 1, p. 85-95, 2008. 5. Projeto coloca novas penas disciplinares para médicos. Disponível em: <http://www.isaude.net/profissaosaude/noticias.html> Acesso em: 27 abr. 2010.13/12/2011

×