Acidente hospitalar - Enfermagem

1.636 visualizações

Publicada em

Desenvolvido para esclarecer os ricos, os acidentes e como prevenir os acidentes hospitalares.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.636
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
74
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acidente hospitalar - Enfermagem

  1. 1. ÁREA HOSPITALAR • O AMBIENTE HOSPITALAR É UM DOS POUCOS ONDE ENCONTRAMOS TODOS OS RISCOS EXISTENTES - FÍSICO, QUÍMICO BIOLÓGICO E ERGONÔMICO - ASSIM SENDO CONSIDERADO AMBIENTE DE TRABALHO INSALUBRE. São riscos: ► DE ACIDENTES; ► BIOLÓGICOS; ► MECÂNICOS; ► QUÍMICOS; ► FÍSICOS; ► ERGONÔMICOS E PSICOSSOCIAIS;
  2. 2. ÁREA HOSPITALAR • A PREOCUPAÇÃO COM OS PROFISSIONAIS DESTA ÁREA SURGIU NA DÉCADA DE 70, QUANDO PESQUISADORES DA USP ENFOCARAM NA SAÚDE OCUPACIONAL DO PROFISSIONAL DESTA ÁREA, OBSERVADO-SE QUE EM 1971 OCORRERAM 4.468 ACIDENTES NESTE TIPO DE ESTABELECIMENTO NO BRASIL. • A CONSCIENTIZAÇÃO, PREVENÇÃO, RECONHECIMENTO DOS RISCOS NO AMBIENTE DE TRABALHO E TREINAMENTO CONTÍNUO SÃO ESSENCIAIS PARA A SEGURANÇA DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE E PACIENTES.
  3. 3. O SESMT, A CIPA E A SEGURANÇA • A INSTRUÇÃO NORMATIVA NÚMERO 78 DE 2002, DEFINE ACIDENTE DO TRABALHO "EXERCÍCIO DA ATIVIDADE Á SERVIÇO DE EMPRESA OU PELO EXERCÍCIO DO TRABALHO DOS SEGURADOS ESPECIAIS, PROVOCANDO LESÃO CORPORAL OU PERTUBAÇÃO FUNCIONAL QUE CAUSE A MORTE OU A PERDA OU A REDUÇÃO, PERMANENTE OU TEMPORÁRIA, DA CAPACIDADE PARA O TRABALHO". • AS RAZÕES PARA EXPLICAR O ELEVADO NÚMERO DE OCORRÊNCIAS DE ACIDENTES NO AMBIENTE HOSPITALAR SÃO FALHAS NOS PROJETOS DE SISTEMAS DO TRABALHO, EQUIPAMENTOS, FERRAMENTAS, DEFICIÊNCIA NOS PROCESSOS DE MANUTENÇÃO E O FATOR HUMANO, COMO CARACTERÍSTICAS PSICOSSOCIAIS E ATITUDES NEGATIVAS PARA COM AS ATIVIDADES PREVENCIONISTAS. A sigla SESMT significa Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho A sigla CIPA significa Comissão Interna de Prevenção de Acidentes
  4. 4. O SESMT, A CIPA E A SEGURANÇA AOS ACIDENTES DE TRABALHO SE DIVIDEM EM TRÊS CATEGORIAS: • TÍPICOS: AQUELES DECORRENTES DA ATIVIDADE PROFISSIONAL REALIZADA PELO INDIVÍDUO; • DE TRAJETO: OCORREM DURANTE O PERCURSO ENTRE A RESIDÊNCIA E O LOCAL DE TRABALHO; • DOENÇAS DO TRABALHO: OCASIONADAS POR QUALQUER TIPO DE DOENÇA PROFISSIONAL LIGADA A DETERMINADO RAMO DE ATIVIDADE.
  5. 5. NORMA REGULAMENTADORA 32 - NR 32 • DE ACORDO COM A NORMA REGULAMENTADORA 32 (NR-32, 11/11/2005), ENTENDE-SE POR SERVIÇOS DE SAÚDE QUALQUER PAVIMENTO OU EDIFICAÇÃO DESTINADA À PRESTAÇÃO DE ASSISTÊNCIA A SAÚDE DA POPULAÇÃO E TODA E QUALQUER AÇÃO DESTINADA À PROMOÇÃO, RECUPERAÇÃO, ASSISTÊNCIA E PESQUISA DE ENSINO EM SAÚDE SEJA QUALQUER NÍVEL DE COMPLEXIDADE. • CONSIDERAM-SE AGENTES BIOLÓGICOS TODOS OS MICROORGANISMOS MODIFICADOS OU NÃO EM LABORATÓRIO, AS CULTURAS EM CÉLULA, OS PARASITAS, AS TOXINAS E OS PRÍONS. ESSA NORMA AINDA ESTABELECE QUE TODO E QUALQUER SERVIÇO DE SAÚDE DEVE, CONFORME EXPÕE A NORMA REGULAMENTADORA 9 (PPRA/ NR 9), CUMPRIR COM O PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (PPRA). A sigla PPRA significa Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
  6. 6. NORMA REGULAMENTADORA 32 - NR 32 • EM TODA OCORRÊNCIA DE ACIDENTE DE TRABALHO ENVOLVENDO OS RISCOS BIOLÓGICOS COM OU SEM AFASTAMENTO, DEVE SER PREENCHIDA A COMUNICAÇÃO DE ACIDENTE DE TRABALHO (CAT) E ENCAMINHADA AOS ÓRGÃOS COMPETENTES NO PRAZO DE 24 HORAS DO OCORRIDO. EM CASO DE EXPOSIÇÃO ACIDENTAL OU INCIDENTAL AS MEDIDAS DEVEM OBRIGATORIAMENTE SER TOMADAS MESMO QUE NÃO CONTE NO PCMSO OU PPRA DO ESTABELECIMENTO DE OCORRÊNCIA. A sigla PCMSO significa Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional A sigla PPRA significa Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
  7. 7. RISCOS NO AMBIENTE HOSPITALAR • RISCOS ACIDENTAIS: SÃO OS QUE COLOCAM EM SITUAÇÃO DE PERIGO O TRABALHADOR, PODENDO AFETAR SUA INTEGRIDADE FÍSICA OU MORAL. COMO EXEMPLO: EXPLOSÕES. • RISCOS ERGONÔMICOS: TRATAM-SE DE RISCOS QUE PODEM INTERFERIR NAS CARACTERÍSTICAS PSICOFISIOLÓGICAS DO TRABALHADOR, CAUSANDO DESCONFORTO OU AFETANDO SUA SAÚDE. COMO EXEMPLOS TÊM OS TRAUMATISMOS DE COLUNA DOS PROFISSIONAIS DA ENFERMAGEM AO REALIZAREM O TRANSLADO DE PACIENTES DE DETERMINADO LUGAR PRA OUTRO.
  8. 8. RISCOS NO AMBIENTE HOSPITALAR • RISCOS FÍSICOS: SÃO AS DIFERENTES FORMAS DE ENERGIA QUE O TRABALHADOR PODE ESTAR EXPOSTO COMO CALOR, FRIO, RADIAÇÕES IONIZANTES. • RISCO QUÍMICO: SÃO AS SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS MANIPULADAS PELOS TRABALHADORES DE FORMA DIRETA OU INDIRETA NO AMBIENTE DE TRABALHO, COMO: POEIRAS, NÉVOAS E NEBLINAS.
  9. 9. RISCOS NO AMBIENTE HOSPITALAR • RISCOS BIOLÓGICOS: COMPREENDEM-SE AS EXPOSIÇÕES OCUPACIONAIS AOS MAIS DIVERSOS AGENTES BIOLÓGICOS COMO VÍRUS, BACTÉRIAS, E FUNGOS DENTRE OUTROS.
  10. 10. ACIDENTES E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) • OS ACIDENTES MAIS COMUNS NA ÁREA HOSPITALAR ESTÃO NOS SETORES DE ENFERMAGEM E LIMPEZA, NA MAIORIA DOS CASOS CAUSADOS POR MATERIAIS PÉRFURO-CORTANTES COMO AGULHAS, NAVALHAS, BISTURIS E VIDROS. HÁ TAMBÉM TRANSMISSÕES DE DOENÇAS ATRAVÉS DESTES MATERIAIS E CONTATO COM FLUÍDOS CORPÓREOS, ALÉM DE INFECÇÕES CAUSADAS POR MICROORGANISMOS.
  11. 11. ACIDENTES E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL (EPI) • OS ACIDENTES OCASIONADOS POR PICADA DE AGULHAS SÃO RESPONSÁVEIS POR 80 A 90% DAS TRANSMISSÕES DE DOENÇAS INFECCIOSAS ENTRE TRABALHADORES DE SAÚDE. • OUTRO SETOR DO ESTABELECIMENTO HOSPITALAR QUE OFERECE GRANDES RISCOS É A SALA DE RAIO X, LOCAL ONDE O PROFISSIONAL ESTÁ EXPOSTO Á RADIAÇÃO IONIZANTE PARA TODOS SETORES DO AMBIENTE HOSPITALAR.
  12. 12. PROCEDIMENTOS PARA A PREVENÇÃO • A PREVENÇÃO DE ACIDENTES DE TRABALHO DEVE SER UMA PREOCUPAÇÃO MANIFESTADA TANTO PELOS PROFISSIONAIS QUANTO PELAS INSTITUIÇÕES HOSPITALARES. OS PROFISSIONAIS DEVEM SER CONSCIENTES EM RELAÇÃO À NECESSIDADE DE CONHECER E EMPREGAR ADEQUADAMENTE AS NORMAS DE BIOSSEGURANÇA E EXIGIR SEGURANÇA NO AMBIENTE HOSPITALAR AOS SEUS EMPREGADORES PARA O EXERCÍCIO ASSISTENCIAL COM MENOR RISCO PARA A SUA SAÚDE OCUPACIONAL. ISTO É DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA, UMA VEZ QUE OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE SE OPÕEM À UTILIZAÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL, SUBESTIMANDO O RISCO DE SE INFECTAREM.
  13. 13. PROCEDIMENTOS PARA A PREVENÇÃO • O MINISTÉRIO DA SAÚDE RECOMENDA, EM CASO DE EXPOSIÇÃO PERCUTÂNEA OU CUTÂNEA, À LAVAGEM EXAUSTIVA COM ÁGUA E SABÃO OU SOLUÇÃO ANTISSÉPTICA. NO CASO DE EXPOSIÇÃO EM MUCOSAS, É RECOMENDADA A LAVAGEM EXAUSTIVA COM ÁGUA OU SOLUÇÃO FISIOLÓGICA. • AFIM DE QUE SE POSSA REDUZIR O NÚMERO DE ACIDENTES DESSA NATUREZA É PRECISO UMA ATUAÇÃO EXPRESSIVA E EFICIENTE DA CCIH (COMISSÃO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR - PROGRAMA DE TRABALHO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE CUJO OBJETIVO É A REDUÇÃO DA EXPOSIÇÃO AOS DIVERSOS AGENTES INFECCIOSOS) E DO SESMT NOS LOCAIS DE MAIOR OCORRÊNCIA, PARA TANTO É NECESSÁRIO QUE SE PROCEDA O RECONHECIMENTO DE TODAS AS ÁREAS HOSPITALARES BEM COMO A EPIDEMIOLOGIA DO TIPO DE ACIDENTE EM CADA INSTITUIÇÃO. ASSIM COMO OS EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO SÃO IMPORTANTES PARA PREVENIR ACIDENTES E DOENÇAS OCUPACIONAIS, A VACINAÇÃO CONTRA HEPATITES B , C E AIDS É UMA MANEIRA DE PREVENÇÃO. FONTES: http://tecnicosegtrab2013.blogspot.com.br/2013/05/area-hospitalar-riscos-acidentes.html IMAGENS: https://www.google.com.br/imghp?hl=pt-BR&tab=wi&ei=u7mSVoSwBsjBwATzpLWoCA&ved=0EKouCBQoAQ
  14. 14. TURMA 296 TÉCNICO DE ENFERMAGEM TATIANA – RAYSSA – HILANA – ERICA – URSULA - GUSTAVO Rio de Janeiro 11 de Janeiro de 2016 Conteúdo produzido por:

×