Emancipação Parcial da Alma 2

2.184 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.184
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
21
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
153
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Emancipação Parcial da Alma 2

  1. 1.  O sono É um fenômeno fisiológico pelo qual o corpo entra em repouso. Nele se dá uma suspensão da vida ativa e de relação que possibilita
  2. 2.  -recuperar suas faculdades espirituais (cuja ação a in-fluência da matéria impedia ou limitava); -reconhecer-se como ser imortal e ver com clareza a finalidade de sua existência atual; -lembrar-se do passado (até mesmo vidas anteriores) e prever acontecimentos.
  3. 3.  Observação: A amplitude ou não dessas possibilidades é relativa ao .
  4. 4.  Sono e morte O sono parece um pouco com a morte (desencarnação). Só que, nesta, pelo perecimento do corpo, o , ao passo que, no sono, a emanci-pação é parcial.
  5. 5.  No sono, os cordões fluídicos, mesmo lassos, continuam a possibilitar perfeita comunicação com o corpo; se for ne-cessário o pronto retorno, o espírito tomará imediato conhe-cimento e regressará incontinenti.
  6. 6.  Vivência do espírito durante o sono O espírito nunca está inativo. O sono, que repousa o cor-po, é, para o espírito, , a fim de haurir orientação, conforto e forças para prosseguir com acerto em sua jornada terrena.
  7. 7.  Emancipando-se parcialmente do corpo, cada espírito vai agir segundo seu estado evolutivo. Assim, varia a vivência do espírito durante o sono.
  8. 8.  Os inferiores, presos que estão por interesses egoístas, materialistas, pouco se afastam do corpo ou do ambiente terreno;
  9. 9.  Os benévolos ou evoluídos vão a onde se instruem e trabalham, junto a entidades superiores, e
  10. 10.  Visitas espíritas entre pessoas vivas Não somente com os desencarnados podemos nos relacio-nar espiritualmente, enquanto o corpo dorme.
  11. 11.  Também podemos visitar criaturas encarnadas e com elas conviver, de maneira superior ou inferior, conforme sejam o grau de evolução, propósitos e anseios, nossos e delas.
  12. 12.  O sonho Há sonhos que são apenas um processo fisiopsíquico e outros que são sonhos espíritas (que têm relação com a vida espiritual).
  13. 13.  No primeiro caso, o sonho: -retrata condições orgânicas (perturbações circulatórias, digestivas, ruídos ambientes, calor, frio etc.).
  14. 14.  -ou revela criações mentais nossas (subconsciente), com base no que houver afetado a nossa mente na vigília (pensa-mentos, impressões, anseios, temores etc.). Podem ajudar a interpretar nosso mundo psíquico.
  15. 15.  Já o sonho espírita é o resultado da enquanto o corpo dormia; é a lembrança do que ele viu, sentiu ou fez durante a emancipação parcial.
  16. 16.  Às vezes, nada lembramos dessa vivência espiritual, por-que, durante ela, o cérebro físico não foi utilizado e depois, no retorno ao corpo, a matéria deste, pesada e grosseira, tam-bém não permitiu o registro das impressões trazidas pelo espírito.
  17. 17.  Outras vezes, lembramos apenas as impressões do que nosso espírito experimentou à saída ou no retorno ao corpo. Se essas lembranças se misturarem aos problemas fisiopsíquicos, tornam-se confusas, incoerentes.
  18. 18.  Quando necessário, os bons espíritos atuam magnetica-mente sobre nós para que, ao acordar, lembremos algo de maior importância tratado no mundo espiritual. Mesmo que não lembremos tudo perfeitamente, do que foi vivido durante o sono do corpo, ficará uma , que nos sugere ideias, ações.
  19. 19.  Os espíritos maus também podem fazer o mesmo, se, pelo nosso modo de viver, tivermos concedido a eles essa ascen-dência sobre nós.
  20. 20.  Importância do sono e o preparo para ele O fato de passarmos um terço de nossa existência dor-mindo (8 das 24 horas do dia) indica a importância: que enseja repouso orgânico, liberação de toxinas etc.;
  21. 21. para o equilíbrio psíquico (pessoasimpedi-das de sonhar sofrem perturbaçõesgraves) e espiritual (a vi-vência espiritual quedesfrutamos enquanto o corpo dorme é comohora de visitas ou de tomar sol no pátio para odetento numa prisão).
  22. 22.  Façamos, pois, um preparo para o nosso repouso diário: -orgânico (refeições leves, higiene, silêncio etc.); -mental (leituras, conversas, filmes, atividades come-didas, não afligentes ou desgastantes);
  23. 23.  -espiritual (leitura edificante, meditação, serenidade, perdão, prece). Assim, nosso corpo e mente repousarão, enquanto em espírito teremos melhor oportunidade de alcançar a convi-vência com os espíritos bons e amigos.
  24. 24.  Avaliação: 1-Que é o sono, do ponto de vista espírita? 2-Que é o sonho, do ponto de vista espírita? 3-Além dos cuidados com o corpo, qual deve ser o prepa-ro a fazer para o nosso repouso diário?
  25. 25.  Bibliografia: Coleção: Estudos e cursos Mediunidade Therezinha de Oliveira
  26. 26.  De Allan Kardec: -O Livro dos Espíritos, 2ª parte, cap. VIII, questões 400 a 418; -Obras Póstumas, 1ª parte, "Manifestações dos Espíri-tos", § 4º. De Léon Denis: -No Invisível, 2ª parte, cap. XIII.

×