SlideShare uma empresa Scribd logo
Mateus, 5: 27 - 28
Aprendestes que foi dito aos antigos:
“Não cometereis adultério”.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Mateus, 5: 27- 28
Eu, porém, vos digo que aquele que houver olhado
uma mulher, com mau desejo para com ela, já em seu
coração cometeu adultério com ela.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
A palavra adultério não deve
absolutamente ser entendida
aqui no sentido exclusivo da
acepção que lhe é própria,
porém, num sentido mais geral.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6.
Muitas vezes Jesus a empregou
por extensão, para designar o
mal, o pecado, todo e qualquer
pensamento mau,
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6.
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6.
Não está somente nos atos; está
também no pensamento, porquanto
aquele que tem puro o coração,
nem sequer pensa no mal.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c
w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Foi o que Jesus quis dizer: ele condena
o pecado, mesmo em pensamento,
porque é sinal de impureza.
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Sofrem-se as consequências de
um pensamento mau, embora
nenhum efeito produza?
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
da imperfeição da alma; mas, de
acordo com o desejo que alimenta de
depurar-se, mesmo esse mau pensamento
se lhe torna uma ocasião de adiantar-
se, porque ela o repele com energia.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
É indício de esforço por apagar uma
mancha. Não cederá, se apresentar
oportunidade de satisfazer a um mau desejo.
Depois que haja resistido, sentir-se-á
mais forte e contente com a sua vitória.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Aquela que, ao contrário, não tomou boas
resoluções, procura ocasião de praticar o mau
ato e, se não o leva a efeito, não é por virtude
da sua vontade, mas por falta de ensejo.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
É, pois, tão culpada quanto o seria se o
cometesse.
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Naquele que nem sequer concebe a ideia
do mal, já há progresso realizado.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c
w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Naquele a quem essa ideia acode, mas
que a repele, há progresso em vias de
realizar-se.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c
w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Naquele, finalmente, que pensa no mal e
nesse pensamento se compraz, o mal
ainda existe na plenitude da sua força.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c
w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Naquele, finalmente, que pensa no mal e
nesse pensamento se compraz, o mal
ainda existe na plenitude da sua força.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7.
Num, o trabalho está feito; no outro,
está por fazer-se.
Deus, que é justo, leva em conta todas
essas gradações na responsabilidade
dos atos e dos pensamentos do homem.
C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o mC o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

AULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalhoAULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalho
Harleyde Santos
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
gmo1973
 
Pluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos HabitadosPluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos Habitados
Fórum Espírita
 
Casamento na visão espirita
Casamento na visão espiritaCasamento na visão espirita
Casamento na visão espirita
Lisete B.
 
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais -  - Instituto Espírita de EducaçãoLeis Morais -  - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
Instituto Espírita de Educação
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Graça Maciel
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
gmo1973
 
Palestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e EspiritismoPalestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e Espiritismo
Victor Passos
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
Antonino Silva
 
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
   Cap.15 evangelho segundo espiritismo   Cap.15 evangelho segundo espiritismo
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
rodrigo ariola
 
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdadeSegundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
CeiClarencio
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Izabel Cristina Fonseca
 
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoNinguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
CEENA_SS
 
3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx
Marta Gomes
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
Divulgador do Espiritismo
 
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
Marta Gomes
 
Buscai e achareis 1 a 5
Buscai e achareis 1 a  5Buscai e achareis 1 a  5
Buscai e achareis 1 a 5
Angela Ewerling
 
Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
Marcos Antônio Alves
 
Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento
Henrique Vieira
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
Izabel Cristina Fonseca
 

Mais procurados (20)

AULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalhoAULA- Lei do trabalho
AULA- Lei do trabalho
 
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvaçãoCap 15 Fora da caridade não há salvação
Cap 15 Fora da caridade não há salvação
 
Pluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos HabitadosPluralidade Dos Mundos Habitados
Pluralidade Dos Mundos Habitados
 
Casamento na visão espirita
Casamento na visão espiritaCasamento na visão espirita
Casamento na visão espirita
 
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais -  - Instituto Espírita de EducaçãoLeis Morais -  - Instituto Espírita de Educação
Leis Morais - - Instituto Espírita de Educação
 
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidosMuitos os chamados, poucos os escolhidos
Muitos os chamados, poucos os escolhidos
 
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmoCap xi Amar ao proximo como a si mesmo
Cap xi Amar ao proximo como a si mesmo
 
Palestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e EspiritismoPalestra Natal e Espiritismo
Palestra Natal e Espiritismo
 
Evangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida FuturaEvangeliza - A Vida Futura
Evangeliza - A Vida Futura
 
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
   Cap.15 evangelho segundo espiritismo   Cap.15 evangelho segundo espiritismo
Cap.15 evangelho segundo espiritismo
 
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdadeSegundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
Segundo Módulo - Aula 11 - Lei de liberdade
 
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
Conhece se a árvore pelos frutos gec 03-09-2011
 
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novoNinguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
Ninguém pode ver o Reino dos Céus se não nascer de novo
 
3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx3.8 - Lei do Progresso.pptx
3.8 - Lei do Progresso.pptx
 
Palestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amorPalestra Espírita - Lei de amor
Palestra Espírita - Lei de amor
 
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
3.11 - Lei de justiça, de amor e de caridade.pptx
 
Buscai e achareis 1 a 5
Buscai e achareis 1 a  5Buscai e achareis 1 a  5
Buscai e achareis 1 a 5
 
Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)Esperança (Palestra Espirita)
Esperança (Palestra Espirita)
 
Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento Indissolubilidade do casamento
Indissolubilidade do casamento
 
A felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundoA felicidade não é deste mundo
A felicidade não é deste mundo
 

Destaque

Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
Lorena Dias
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
Graça Maciel
 
Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14
Leonardo Pereira
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
Dalila Melo
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
Wagner Júnior
 
O que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismoO que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismo
Fatoze
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
Fórum Espírita
 
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - PensamentoAula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Mocidade Espírita União Fraternal
 
Sintonia e pensamento
Sintonia e pensamentoSintonia e pensamento
Sintonia e pensamento
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Salvador Dali
Salvador DaliSalvador Dali
Salvador Dali
Lourdes Baltrons
 
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIIIO evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
Mario Emilio do Amaral Coelho
 
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
Degas de Ravel
 
Pensamento e adultério
Pensamento e adultérioPensamento e adultério
Pensamento e adultério
Fatoze
 
D. Quijote. Capítulo IX
D. Quijote. Capítulo IXD. Quijote. Capítulo IX
D. Quijote. Capítulo IX
Paulinita10
 
Desperte e seja feliz!
Desperte e seja feliz!Desperte e seja feliz!
Desperte e seja feliz!
Leonardo Pereira
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
Leonardo Pereira
 
Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4
Leonardo Pereira
 
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira). Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Leonardo Pereira
 
Em busca do homem integral (Leonardo pereira)
Em busca do homem integral (Leonardo pereira)Em busca do homem integral (Leonardo pereira)
Em busca do homem integral (Leonardo pereira)
Leonardo Pereira
 
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Espiritismo e mediunidade -  10 - conexõesEspiritismo e mediunidade -  10 - conexões
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Leonardo Pereira
 

Destaque (20)

Pecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultérioPecado por pensamento e adultério
Pecado por pensamento e adultério
 
Pensamento benévolo
Pensamento benévoloPensamento benévolo
Pensamento benévolo
 
Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14Estudos do evangelho 14
Estudos do evangelho 14
 
Pensamento e vontade
Pensamento e vontadePensamento e vontade
Pensamento e vontade
 
Formas pensamento
Formas pensamentoFormas pensamento
Formas pensamento
 
O que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismoO que é o evangelho segundo o espiritismo
O que é o evangelho segundo o espiritismo
 
Pensamento
PensamentoPensamento
Pensamento
 
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - PensamentoAula M1 (09/06/2011) - Pensamento
Aula M1 (09/06/2011) - Pensamento
 
Sintonia e pensamento
Sintonia e pensamentoSintonia e pensamento
Sintonia e pensamento
 
Salvador Dali
Salvador DaliSalvador Dali
Salvador Dali
 
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIIIO evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
O evangelho segundo o Espiritismo - Capítulo VIII
 
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16Mateus   capitulo  4 - versículo 12 a 16
Mateus capitulo 4 - versículo 12 a 16
 
Pensamento e adultério
Pensamento e adultérioPensamento e adultério
Pensamento e adultério
 
D. Quijote. Capítulo IX
D. Quijote. Capítulo IXD. Quijote. Capítulo IX
D. Quijote. Capítulo IX
 
Desperte e seja feliz!
Desperte e seja feliz!Desperte e seja feliz!
Desperte e seja feliz!
 
O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !O problema do ser do destino e da dor !
O problema do ser do destino e da dor !
 
Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4Nos dominios da mediunidade cap. 4
Nos dominios da mediunidade cap. 4
 
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira). Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
Conflitos existenciais e o atendimento no centro espírita(Leonardo Pereira).
 
Em busca do homem integral (Leonardo pereira)
Em busca do homem integral (Leonardo pereira)Em busca do homem integral (Leonardo pereira)
Em busca do homem integral (Leonardo pereira)
 
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Espiritismo e mediunidade -  10 - conexõesEspiritismo e mediunidade -  10 - conexões
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
 

Mais de Graça Maciel

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
Graça Maciel
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
Graça Maciel
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
Graça Maciel
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
Graça Maciel
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
Graça Maciel
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
Graça Maciel
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
Graça Maciel
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
Graça Maciel
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Graça Maciel
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
Graça Maciel
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
Graça Maciel
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Graça Maciel
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
Graça Maciel
 
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Graça Maciel
 
O homem depois da morte
O homem depois da morte O homem depois da morte
O homem depois da morte
Graça Maciel
 

Mais de Graça Maciel (20)

Missao dos Espiritas
Missao dos EspiritasMissao dos Espiritas
Missao dos Espiritas
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Regeneração da humanidade
Regeneração da humanidadeRegeneração da humanidade
Regeneração da humanidade
 
Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4Obsessão por fascinação - parte 4
Obsessão por fascinação - parte 4
 
Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3Obsessão por fascinação - parte 3
Obsessão por fascinação - parte 3
 
Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2Obsessão por fascinação - parte 2
Obsessão por fascinação - parte 2
 
Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1Obsessão por fascinação - parte 1
Obsessão por fascinação - parte 1
 
Missão dos espíritas
Missão dos espíritasMissão dos espíritas
Missão dos espíritas
 
Não vim destruir a lei
Não vim destruir a leiNão vim destruir a lei
Não vim destruir a lei
 
Amai os vossos inimigos
Amai  os  vossos  inimigosAmai  os  vossos  inimigos
Amai os vossos inimigos
 
Ação da prece
Ação da preceAção da prece
Ação da prece
 
Pressentimentos
PressentimentosPressentimentos
Pressentimentos
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
 
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudaráAjuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
Ajuda-te a ti mesmo que o céu te ajudará
 
Missão dos Pais
Missão dos PaisMissão dos Pais
Missão dos Pais
 
Obsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritasObsessão nos grupos espíritas
Obsessão nos grupos espíritas
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
O mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconheceO mau pensamento como se reconhece
O mau pensamento como se reconhece
 
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
Não basta não fazer o mal é preciso fazer o bem.
 
O homem depois da morte
O homem depois da morte O homem depois da morte
O homem depois da morte
 

Último

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
FernandoCavalcante48
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
Nelson Pereira
 

Último (11)

Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptxBíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
Bíblia Sagrada - Jonas - slides testamento3 (1).pptx
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermosEnfermos - Unção para consagração dosa enfermos
Enfermos - Unção para consagração dosa enfermos
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdfPROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
PROFECIAS DE NOSTRADAMUS SÃO BÍBLICAS_.pdf
 

Pecado por pensamento

  • 1.
  • 2. Mateus, 5: 27 - 28 Aprendestes que foi dito aos antigos: “Não cometereis adultério”. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 3. Mateus, 5: 27- 28 Eu, porém, vos digo que aquele que houver olhado uma mulher, com mau desejo para com ela, já em seu coração cometeu adultério com ela. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 4. A palavra adultério não deve absolutamente ser entendida aqui no sentido exclusivo da acepção que lhe é própria, porém, num sentido mais geral. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6.
  • 5. Muitas vezes Jesus a empregou por extensão, para designar o mal, o pecado, todo e qualquer pensamento mau, C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6.
  • 6. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6. Não está somente nos atos; está também no pensamento, porquanto aquele que tem puro o coração, nem sequer pensa no mal. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 7. Foi o que Jesus quis dizer: ele condena o pecado, mesmo em pensamento, porque é sinal de impureza. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 6. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 8. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Sofrem-se as consequências de um pensamento mau, embora nenhum efeito produza? C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 9. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. da imperfeição da alma; mas, de acordo com o desejo que alimenta de depurar-se, mesmo esse mau pensamento se lhe torna uma ocasião de adiantar- se, porque ela o repele com energia. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 10. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. É indício de esforço por apagar uma mancha. Não cederá, se apresentar oportunidade de satisfazer a um mau desejo. Depois que haja resistido, sentir-se-á mais forte e contente com a sua vitória. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 11. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Aquela que, ao contrário, não tomou boas resoluções, procura ocasião de praticar o mau ato e, se não o leva a efeito, não é por virtude da sua vontade, mas por falta de ensejo. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m É, pois, tão culpada quanto o seria se o cometesse.
  • 12. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Naquele que nem sequer concebe a ideia do mal, já há progresso realizado. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 13. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Naquele a quem essa ideia acode, mas que a repele, há progresso em vias de realizar-se. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 14. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Naquele, finalmente, que pensa no mal e nesse pensamento se compraz, o mal ainda existe na plenitude da sua força. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 15. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Naquele, finalmente, que pensa no mal e nesse pensamento se compraz, o mal ainda existe na plenitude da sua força. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m
  • 16. Allan Kardec – ESE, capítulo VIII, item 7. Num, o trabalho está feito; no outro, está por fazer-se. Deus, que é justo, leva em conta todas essas gradações na responsabilidade dos atos e dos pensamentos do homem. C o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o mC o n h e c e r, S e n t i r, Vi v e r K a r d e c - w w w. l u z d o e s p i r i t i s m o . c o m