RESUMO DE GEOGRAFIA DO BRASIL-PROF GESIEL OLIVEIRA                                  exterior brasileiro, no ultimo quarto ...
A Região Sul viveu um processo de urbanização lento até a década de 1970. A         Nordeste encontram-se as de Salvador, ...
mesmo o nordeste brasileiro, principalmente na cidade de Curitiba, Fortaleza e      Três subdivisões da Zona da mata: área...
foi descoberta recentemente (Bacia de Santos) que deve entrar em atividade           15-Centro-oeste paranaense e catarine...
19- Soja e pecuária no centro-oeste: Depois da déc. de 70 tivemos um forte        Rondônia, atraindo muitas pessoas, princ...
florestal devastada atingia apenas 3,8% do total. Em 2004, esse índice era de     reconhecem-se seis grandes Domínios morf...
nenhum outro lugar do planeta. A caatinga ocupa uma área de cerca de 750.000       As faixas de transição correspondem a v...
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira

6.878 visualizações

Publicada em

Melhor resumo de Geografia do brasil e geografia do amapá, elaborado pelo Professor e geógrafo amapaense Gesiel de Souza oliveira

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.878
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
222
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Melhor resumo de geografia do brasil e geografia do amapá do Prof Gesiel Oliveira

  1. 1. RESUMO DE GEOGRAFIA DO BRASIL-PROF GESIEL OLIVEIRA exterior brasileiro, no ultimo quarto do século XIX, através das exportaçõesCAP I – O Processo de Construção do Espaço Brasileiro de borracha natural, (1870-1912) centrada em Belém, secundada em Manaus.Formação geo-histórica do território brasileiro A expansão Marítimo-Européia (século XV – XVI) Cap II- A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA Busca de novas mercadorias 2.1 – Característica da Industrialização Brasileira Expansão dos mercados  Foi do tipo tardia ou retardatária.Desenvolvimento do capital mercantil na Europa (Burguesia Mercantil)  Utilizou capital e tecnologia do exterior, originando a dependência tecnológica e o endividamento externo.Principais Conseqüências  Ocorreu a priorização das industrias e bases de consumo, em Incorporação de áreas para serem domínios das potências européias detrimento às de bases, originando um parque industrial incompleto. (Colônias)  Por ter se acelerado no período entre guerras. Neocolonialismo (Dominação econômica)  Por ser do tipo substitutiva. Inserção do Brasil no modelo capitalista de produção.  Concentrada no Sudeste Brasileiro (principalmente em SP e RJ)FRENTES ECONÔMICAS:  O processo industrial solidificou-se a partir da década de 50 com aA Economia o Espaço Colonial e o Processo de Expansão do território. abertura do mercado com grandes empréstimos do exterior, medidas1.1-A FRENTE DA ECONOMIA AÇUCAREIRA: essas que integravam o Plano de Metas do Governo J.K.A) Contexto: a partir da quarta década do século XVI.  A metrópole paulista e o ABCD : Ao longo do eixo da via Anchieta -B) Espaço: litoral oriental do nordeste(zona da mata). Imigrantes, na direção da Baixada Santista, os municípios de SantoC) Características: André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul e Diadema posição geográfica litorânea privilegiada passaram a abrigar as grandes montadoras automobilísticas implantadas no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961). Com elas, instalaram- iminência de Portugal perder tal território para outras potencias se fábricas de autopeças e metalúrgicas e, mais tarde, indústrias clima tropical úmido e do solo de massapé químicas. O chamado ABCD transformou-se na maior região industrial implantação do sistema de capitanias hereditárias da América Latina. culturas secundarias (interior) pecuária extensiva bovina e algodão no sertão  O vale do Paraíba: É o coração econômico do Brasil, maior e cultivo do fumo no recôncavo baiano concentração populacional, industrial e científica Nordeste: como centro econômico e político da colônia (capital Salvador 1580-1763) 2.2 – Conseqüências do Processo Industrial Amazônia: Coleta drogas do sertão: séc XVII  A divisão territorial do trabalho na Amazônia, Nordeste e Centro-Sul, originando um desenvolvimento desigual e combinado.1.2- A ECONOMIA MINERADORA E A EXPANSÃO TERRITORIAL:  A superação do isolamento regional, através da efetivação da estratégiaA) Contexto: Século XVIII. de “Integração Regional” por meio das rodovias radiais e a construçãoB) Espaço: Interior do espaço brasileiro como os estados de Minas Gerais de Brasília.(sudeste), Goiás e Mato Grosso (Centro-Oeste).  A hipertrofia do setor terciário e a expansão informal, em virtude daC) Fatores: indústria não terem absorvido a maioria da população que imigrou oC.1 - A decadência da economia açucareira, (proibição de comercio do açúcar campo.com os holandeses)  Acentuação da dependência externa em virtude do grandeC.2 - Entrada e bandeiras (busca de jazidas de metais e pedras preciosas, bem endividamento.como para à caça ao índio, destruição de quilombos e fundação de fortes), queconsistiu na deflagração de expedições particulares e estatais.  Na déc. de 80 começa a desconcentração industrial: para o interior,Características: menos impostos, preço de imóveis.- A frente da mineração manteve a mesma estrutura político-sócio-econômicoda economia açucareira. As indústrias se dividem, genericamente, em dois setores básicos:- A grande participação do estado português na cobrança de imposto sobre a a) O setor de bens de produção e b) bens de consumo.produção mineral, o que deu origem a movimentos de contestação a Portugal, Assim, a indústria de bens de produção ou de bens de capital produzcomo a inconfidência mineira. mercadorias que são utilizadas pelos capitalistas para produzir outras- A predominância de técnicas de exploração do ouro arcaicas,(esgotamento mercadorias, que têm como destino o consumidor final. Essa indústriaprecoce das jazidas e desse ciclo econômico) no final do século XVIII. pode ser subdividida em:- A transferência do eixo econômico do nordeste para o Centro-Sul (Minas  de bens intermediários, quando produz matérias-primas ou insumosGerais e Rio de Janeiro)-Capital Copabana 1763-1961 básicos destinados a outras indústrias;-Migrações e povoamento em direção ao interior do país com a fundação de  de bens de equipamento, quando produz maquinário utilizado para acidades ao longo das áreas produtoras de minerais preciosos. produção de novas mercadorias.1.3 - A ECONOMIA CAFEEIRA: A indústria de bens de consumo é produtora de mercadorias destinadas ao consumidor final. Subdivide-se em:A) Contexto: Primeira metade do século XIX ate meados do século atual.  de bens duráveis, quando suas mercadorias apresentam um ciclo deB) Espaço: Centro-Sul brasileiro (Vale do Paraíba, Oeste paulista e Norte do reposição longo, como é caso da indústria automobilista e deParaná). eletrodomésticos;C) Fatores:  de bens não duráveis, quando suas mercadorias têm ciclo de reposiçãoa abertura dos portos (1808), a quebra do pacto colonial, a vinda da família real curto, como ocorre com a indústria têxtil, alimentícia, de calçados,para o Brasil. etc.C.3 - A grande participação do capital britânico, que financiou a infra-estruturapara o beneficiamento do café, através de empréstimos financeiros, visando CAP III - URBANIZAÇÃO BRASILEIRAincorporar ainda o Brasil como um grande mercado consumidor e fonte de Processo acelerado de urbanização a partir da segunda metade do séculomatérias-primas para a economia inglesa. XX. (20.000.000 em 1950, e 180.000.000 em 2007),Conseqüência da Cafeicultura Na última década do século XX, o número de pessoas vivendo nas áreas A fundação de cidades importantes ao longo das ferrovias. rurais do Brasil baixou para 31,8 milhões, número inferior àquele registrado A expansão do transporte ferroviário e o aparelhamento do porto de Santos. 50 anos antes. No início do século XXI, menos de 30% dos brasileiros vivem a imigração estrangeira, sobretudo de italianos, que contribuíram ara o nas zonas rurais. processo de industrialização. O acúmulo e capitais, utilizados posteriormente na industrialização. Desigualdades regionais A descentralização política, com a adoção da República e a política dos O processo de urbanização da população brasileira não é uniforme. As governadores. diferentes regiões e estados do país apresentam uma urbanização desigual e contrastes marcantes na distribuição da população entre o meio rural e o1.4- O arquipélago econômico: regiões que desenvolviam atividades com meio urbano. As desigualdades no ritmo do processo de urbanizaçãorelações precárias, sem uma efetiva integração econômica do país ate a década refletem as disparidades econômicas regionais e a própria inserçãode trinta. Cinco grandes regiões mercantis: a) centro cafeeiro, com núcleo no diferenciada de cada região na economia nacional. A elevada parcela daRio de Janeiro:b) o nordeste açucareiro e algodoeiro, centrado em recife;c) a população urbana no conjunto total da população do Sudeste expressa umBahia — com sede em Salvador — que inicia o período como produtora de estágio avançado de modernização econômica, com profundaaçúcar e fumo, mas que lentamente transforma-se em exportadora de cacau no transformação da economia rural e subordinação da agropecuária àfinal do século XIX; d) o sul, orientado para a pecuária e para a fabricação de indústria. Expressa também o peso decisivo da economia urbana nacharque: e, por final, e) a Amazônia, que assume importância crescente no produção regional da riqueza.
  2. 2. A Região Sul viveu um processo de urbanização lento até a década de 1970. A Nordeste encontram-se as de Salvador, Recife, Fortaleza, Natal, Maceió eestrutura agrária familiar e policultora restringia o êxodo rural. Depois, a São Luís; no Centro-Oeste, Goiânia e a Região Integrada demecanização acelerada da agricultura e a concentração da propriedade da Desenvolvimento (Ride) do entorno Brasília, e finalmente no Norte na RMterra impulsionaram a transferência rápida da população rural para o meio de Belém.urbano. Esse conjunto de áreas metropolitanas concentra cerca de 40% daNo Nordeste, o movimento urbanizador assemelha-se à trajetória sulista população brasileira. As principais RMs do Sudeste concentram cerca deanterior a 1970. Uma população rural relativamente elevada decorre da metade da população de todo o conjunto das áreas metropolitanas.estrutura minifundiária e familiar tradicional da faixa do Agreste, que retém a Segundo os novos critérios de classificação de RMs, podem-se distinguirforça de trabalho no campo e controla o ritmo de êxodo rural. A baixa áreas onde o processo de metropolização já se verificou de forma plena ecapitalização e produtividade do setor agrícola limita a expulsão da população outras onde este processo se encontra em diferentes fases de evolução. Dorural. O desenvolvimento insuficiente do mercado regional limita a atração ponto de vista quantitativo, considera-se como uma área deexercida pelas cidades. Além disso, parcela significativa do êxodo rural da metropolização plena aquela em que o principal município tenha pelopopulação nordestina jamais apareceu nas estatísticas regionais. Trata-se das menos 800.000 habitantes, já que um núcleo urbano desse porte apresentamigrações inter-regionais direcionadas para o Sudeste, que transferiram popu- funções urbanas diversificadas e especializadas, características inerentes alações do campo nordestino para as áreas urbanas de São Paulo, Minas Gerais e uma grande metrópole.Rio de Janeiro. As RMs de São Luis, Natal, Maceió, Londrina, Baixada Santista, norte-As novas frentes pioneiras agrícolas e o conseqüente fluxo de populações para a nordeste catarinense, Florianópolis, Maringá, Grande Vitória, Vale do ItajaíAmazônia, nas últimas décadas, orientaram-se para as áreas rurais, restringindo e Vale do Aço, estão no estádio de ―metropolização emergente"; as demaiso crescimento relativo da população urbana. São esses fluxos que explicam a já apresentam "metropolização plena".A constituição das aglomeraçõessignificativa parcela de população rural em estados como Maranhão, Pará, metropolitanas fez emergir um conjunto de problemas que ultrapassavam aTocantins e Rondônia. competência política do poder municipal. As prefeituras não estavamEm poucas décadas, o Brasil transformou-se numa sociedade urbana, deixando habilitadas paraplanejar o desenvolvimento de meios de transporte, infra-para trás as estruturas econômicas e os comportamentos reprodutivos típicos do estrutura viária, serviços de saneamento e abastecimento de água para asmundo rural. Essa "revolução silenciosa" teve profundo impacto sobre os áreas urbanizadas que englobavam os limites de vários municípiospadrões de crescimento vegetativo da população. conurbados. A criação das regiões metropolitanas visou fornecer um quadro administrativo capaz de responder às novas realidades urbanas.O processoAS FORMAS DE URBANIZAÇÃO de metropolização, que contínua a se desenvolver, está conduzindo aoO processo de urbanização brasileiro apoiou-se essencialmente no êxodo rural, aparecimento da primeira megalópole do país, no espaço geográfico deou seja, na transferência de populações do meio rural para as cidades. A expansão das duas principais aglomerações urbanas brasileiras. Pelo Vale domigração rural-urbana tem como condição prévia a formação de uma força de Paraíba, adensa-se o espaço urbanizado sob o comando imediato dastrabalho excedente no campo, que perdeu os meios de sobrevivência no setor metrópoles de São Paulo e do Rio de Janeiro. A presença de barreirasagropecuário. Uma das causas da sua formação é a modernização técnica do físicas muito nítidas - a Serra do Mar, a leste, e a Serra da Mantiqueira, atrabalho rural, com a substituição do homem pela máquina. oeste -aprofunda a tendência à formação de uma verdadeira megalópole,Outra causa é a persistência de uma estrutura fundiária concentradora. O valorizando o espaço geográfico do Vale do Paraíba. A concentração demonopólio das terras por uma elite resulta na carência de terras para a maioria estabelecimentos industriais e o crescimento dos núcleos urbanos dessedos trabalhadores rurais. Essa carência manifesta-se pela extrema subdivisão e eixo agravam os problemas de circulação da megalópole.parcelamento das propriedades em determinadas áreas, em função do A antiga e congestionada rodovia Dutra é cada vez mais insuficiente paracrescimento das famílias. A continuidade do crescimento vegetativo gera uma dar vazão ao tráfego de mercadorias e pessoas, impondo obras depressão demográfica sobre a terra, cuja válvula de escape é o movimento ampliação da velha rodovia, a modernização da ponte aérea e a discussãomigratório. de projetos de ligações ferroviárias modernas (o trem-bala).A atração exercida pelas cidades só pode ser compreendida se analisado oprocesso de abandono do campo. Destituída dos meios de sobrevivência na zona NIVEIS DE URBANIZAÇÃOrural, a população dirige-se às cidades em busca de empregos e salários na Abaixo estão listados termos comuns ao conceito de metropolizaçãoconstrução civil, no comércio ou nos serviços. A presença de um mercado relacionados às megalópoles.urbano diversificado abre a possibilidade do trabalho informal, sem vínculo  Conurbação ou aglomeração urbana:Corresponde ao encontro ou junçãoempregatício. Os serviços públicos de assistência social e hospitalar, mesmo entre duas ou mais cidades em virtude de seu crescimento horizontal. Embastante precários, realçam a atração exercida pelo meio urbano. geral esse processo dá origem a formação de regiões metropolitanas.CIDADES E METRÓPOLESNos países de antiga industrialização do noroeste da Europa, o movimento  Metrópole:A cidade principal ou cidade-mãe, isto é, a cidade que possui os melhores equipamentos urbanos do país (metrópole nacional), ou de umaurbanizador produziu, há mais de um século, um pequeno número de aglomera- grande região do país (metrópole regional)". No Brasil cidades como Sãoções metropolitanas assentadas sobre uma vasta rede de cidades médias e Paulo e Rio de Janeiro são metrópoles globais, e Belém, Manaus, Recife,pequenas. No Brasil, o processo de urbanização, muito mais recente, foi metrópoles regionais. Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Salvador eessencialmente concentrador: gerou cidades grandes e metrópoles. Fortaleza são metrópoles nacionais.A tendência à metropolização foi um reflexo das condições em que ocorreu amodernização da economia do país. A industrialização baseou-se em  in- Região metropolitana:Corresponde ao conjunto de municípios conurbadosvestimentos volumosos de capital, provenientes do Estado, de empresas a uma metrópole e que desfrutam de infra-estrutura e serviços em comum.transnacionais ou de grandes grupos privados nacionais. O monopólio constituiu Megacidade:Corresponde ao centro urbano com mais de dez milhões deo arcabouço da economia urbano-industrial desde a década de 1930 e, habitantes. Hoje em torno de 21 cidades do mundo podem ser consideradasprincipalmente, durante a industrialização acelerada do pós-guerra. megacidades, dessas 17 estão em países subdesenvolvidos. No Brasil, SãoA implantação de uma economia monopolista correspondeu à concentração da Paulo está nessa categoria, normalmente representada por umaprodução, da força de trabalho e do mercado em determinados pontos do megalópole.território. Um número reduzido de cidades que apresentavam vantagens prévias  Tecnopólo: Corresponde a uma região tecnológica, ou seja, locais onde sefoi alvo dos volumosos investimentos. Elas se tornaram pólos de atração desenvolvem pesquisas de ponta. Como exemplo temos o Vale do Silício napopulacional, crescendo e diversificando a sua economia. A concentração costa oeste dos EUA; Tsukuba, cidade japonesa, dentre outras. No Brasil,econômica determinou a aglomeração espacial. temos alguns tecnopolos localizados em especial no estado de São Paulo,Na última década, porém, o êxodo rural conheceu alterações significativas. O como Campinas (UNICAMP), São Carlos (UFSCar), e vale do Paraíba (ITA,ritmo de crescimento das cidades médias ultrapassou o das metrópoles, em UNITAU, e algumas unidades da (FATEC).conseqüência da tendência à dispersão industrial pelas cidades do interior,especialmente na Região Sudeste.  Cidade global: são as cidades que polarizam o país todo e servem de elo deAs regiões metropolitanas ligação entre o país e o resto do mundo, possuem o melhor equipamentoA Lei Complementar nü 14, de 1973, estabeleceu a noção de Região urbano do país, além de concentrarem as sedes das instituições queMetropolitana (RM), aplicando-a às nove principais aglomerações urbanas do controlam as redes mundiais, como bolsas de valores, corporaçõespaís (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Porto bancárias e industriais, companhias de comércio exterior, empresas deAlegre, Recife, Fortaleza e Belém). Esse dispositivo legal definiu as RMs como serviços financeiros, agências públicas internacionais. As cidades mundiaisáreas administrativas formadas pêlos maiores municípios do país e pêlos estão mais associadas ao mercado mundial do que a economia nacional.municípios em seu entorno.  Desmetropolização: Processo recente associado à diminuição dos fluxosDepois de 1990, em função das grandes transformações que ocorreram em migratórios em direção das metrópoles. Esse processo se deve em especialnosso país e por conta de mudanças nos critérios internacionais de classificação a chamada desconcentração produtiva, que faz com que empresas em- que, além da população, leva em conta a estrutura produtiva -, o conceito de especial industrias, se retirem dos grandes centros onde os custos deRM foi estendido para mais 14 áreas, inclusas aí as nove áreas originais. produção são maiores, e se dirijam para cidades de porte médio e pequeno,Essas 23 RMs estão regionalmente assim distribuídas: no Sudeste estão São onde é mais barato produzir, em função de vários fatores como, porPaulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Vale do Aço (MG), Campinas (SP) exemplo, os incentivos fiscais. Hoje no Brasil cidades como Rio de Janeiroe Baixada Santista (SP); no Sul, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Vale do ou São Paulo não são mais aquelas que recebem os maiores fluxos deItajaí (SC), norte/nordeste catarinense, Maringá (PR) e Londrina (PR); no migrantes, mas sim regiões como interior paulista, o sul do país ou até
  3. 3. mesmo o nordeste brasileiro, principalmente na cidade de Curitiba, Fortaleza e Três subdivisões da Zona da mata: áreas geoeconômicas Zona da Mata até mesmo Brasília e Manaus. açucareira, onde a secular e decadente cultura canavieira e as grandes Verticalização:Processo de crescimento urbano que se manifesta através da propriedades dominam a paisagem rural. E uma área problemática tanto na proliferação de edifícios. A verticalização demonstra valorização do solo zona rural como na urbana. No campo, o trabalhador muito mal urbano, ou seja, quanto mais verticalizado, mais valorizado. remunerado vive em precárias condições socioeconômicas. Nas cidades, inchadas pelo êxodo rural, os crônicos problemas ligados a pobreza Megalópole é uma extensa região urbanizada, pluri-polarizada por metrópoles evidenciam-se pela favelização e precariedade dos serviços básicos de conurbadas, formada pela aglutinação e fusão de duas ou mais metrópoles. saneamento. A segunda área geoeconômicas e o Recôncavo Baiano, localizado nas PRINCIPAIS MEGALÓPOLES proximidades de Salvador. Nessa tradicional área de cultivo do tabaco e Abaixo está uma lista das maiores megalópoles do globo. expressiva exploração petrolífera, a industrialização se intensificou nas Bos-wash: O nome vem de Boston à Washington, DC; Localização: nordeste dos ultimas décadas, desde a instalação do Pólo Petroquímico de Camaçari. Estados Unidos; População: cerca de 50 milhões de habitantes; Metrópoles Por fim, no sul da Bahia(ou zona da mata cacaueira) esta a mais abrangentes: Boston, Nova York, Filadélfia, Baltimore e Washington, DC. importante área cacaueira do pais, organizada em torno das cidades de Chippits: Localização: ao norte dos Estados Unidos, na região dos Grandes Ilhéus e Itabuna. A tradicional cultura do cacau entrou em decadência, não Lagos; População: equivalente à de Bos-wash; Metrópoles só devido as condições internacionais, mas principalmente em função da abrangentes:Cleveland e Detroit; devastação provocada pela praga "vassoura-de-bruxa". Os áureos tempos da Tokkaido : Localização: sudeste do Japão; População: cerca de 45 milhões de riqueza cacaueira já fazem parte do passado da Bahia meridional. habitantes; Metrópoles abrangentes: Tóquio, Kawasaki, Nagoya, Quioto, Kobe, Nagasaki e Osaka; Obs: a seca não é o principal motivo da emigração do sertão, o principal fator é o econômico Megalópole renana: Localização: Europa ocidental, junto ao vale reno; Indústria da seca: Para os latifundiários do Sertão, a seca tornou-se um População: cerca de 33 milhões de habitantes; Metrópoles abrangentes: negócio lucrativo. Alem de as obras hidráulicas e de transportes Amsterdã, Düsseldorf, Colônia, Bonn e Stuttgart. valorizarem suas propriedades, eles também tinham o "direito" de escolher Vale do Paraíba : Localização: Entre São Paulo e Rio de Janeiro; quais trabalhadores mereceriam participar das frentes de trabalho, fortalecendo ainda mais o controle político de tipo coronelistico que CAP IV- REGIONALIZAÇÃO DO ESPAÇO BRASILEIRO mantinham sobre a população local. 1-REGIÕES DO IBGE; Áreas de destaque: Complexo minero-metalúrgico do Maranhão (porto de 2-REGIÕES GEOECONÔMICAS Itaqui); Pólo têxtil e de confecções de Fortaleza, no Ceará; Pólo 3-REGIÕES MORFOCLIMÁTICAS petroquímico de Camaçari, na Bahia (Recôncavo Baiano); Complexo 4- REGIÔES DE PLANEJAMENTO agroindustrial de Petrolina e Juazeiro (fruticultura), em Pernambuco e na Bahia; Áreas de moderna agricultura de grãos, nos cerrados do oeste 3.1- REGIÕES DO IBGE baiano, no sul do Maranhão e do Piauí; Áreas de moderna agricultura de As Regiões do Brasil são uma divisão que tem caráter legal e que foi proposta grãos, nos cerrados do oeste baiano, no sul do Maranhão e do Piauí. (polpa pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 1969. O IBGE levou de frutas para exportação); em consideração apenas aspectos naturais na divisão do país, como clima, relevo, vegetação e hidrografia; por essa razão, as regiões também são CENTRO-SUL conhecidas como "regiões naturais do Brasil". Há uma pequena exceção com Características econômicas e da intensa forma de ocupação do espaço: relação à região Sudeste, que foi criada levando-se parcialmente em conta  alta concentração industrial, com um parque moderno e diversificado, aspectos humanos (desenvolvimento industrial e urbano). Cada um destes além de elevados índices de produtividade; grupos é uma região, e as regiões brasileiras são: 1 • Centro-Oeste,( 3 estados-  predomínio da agropecuária comercial e mecanizada, que também MT,GO e MS-18,9% do Brasil) 2 • Nordeste (9 Estados-PI,MA,PB,CE,PE,RN,BH,SE apresenta grande produtividade; e AL-18,2%), 3 • Norte(7 Estados AM,AP,AC,RR,RO,TO e PA, 45,2%), 4 • Sudeste  intensa atividade comercial, interligada ao mercado nacional e mundial; (SP,RJ,MG e ES, 10,6%), 5 • Sul (RS,PR e SC, 6,8%).  avançada rede de serviços bancários, médico-hospitalares e educacionais; 3.2 - REGIÕES GEOECONÔMICAS  rede de transportes densa e moderna, que contribuiu para a grande Em 1967, o geógrafo Pedro Pinchas Geiger propôs a divisão regional do Brasil integração intra-regional maior do país, e para o próprio em três regiões geoeconômicas ou complexos regionais. Essa divisão tem por desenvolvimento da integração nacional; base as características histórico-econômicas do Brasil, ou seja, os aspectos da  alta concentração de capitais, com o mais elevado índice de economia e da formação histórica e regional. investimento externo do país; 1- Região geoeconômica Nordeste  predomínio da população urbana; 2- Região geoeconômica Centro-Sul  presença da única metrópole internacional do país, São Paulo. 3- Região geoeconômica Amazônia  Entre as atividades produtivas, destaca-se o parque industrial da região, o maior da América Latina. 1- NORDESTE:  Alto IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) Devido as diferenciações do espaço regional nordestino, costuma-se dividir esse complexo regional em quatro sub-regiões: o Nordeste ocidental (ou Meio- PRINCIPAIS SUB REGIÕES Norte), o Sertão, o Agreste e a Zona da Mata. 1- Eixo da Via Dutra ou Vale do Paraíba 1.1- Meio Norte: extrativismo vegetal do babaçu e da carnaúba. Os principais Entre São Paulo e Rio de Janeiro: é um conjunto de cidades industriais. núcleos urbanos nessa região são as cidades de São Luis e Teresina, capitais No estado de São Paulo, destacam-se: São José dos Campos (aviões, políticas estaduais,destaque para exportação de ferro pelo porto de Itaqui máquinas, automóveis, componentes eletrônicos, equipamentos cirúrgicos, (PGC) fibras ópticas e material bélico, este último vinculado ao Instituto Tecnológico da Aeronáutica - ITA); e Taubaté (máquinas pesadas, metalur- 1.2-O Sertão: É a mais extensa, clima semi-árido, vegetação da caatinga; gia, automóveis). No estado do Rio de Janeiro, as principais são; Volta escassez das chuvas, (secas). A atividade mais importante: pecuária Redonda (siderurgia), Barra Mansa (metalurgia) e Resende (química e extensiva."brejos", são espécies de "oásis" em meio ao Sertão Principal cidades farmacêutica).Uma das atividades tradicionais do Vale do Paraíba é a são: Fortaleza, metrópole regional do litoral setentrional. Sobral, Juazeiro do criação de gado para a produção do leite que abastece São Paulo e o Rio de Norte e Crato (no Ceara), Patos (na Paraíba), Garanhuns e Petrolina (em Janeiro. Pernambuco), Juazeiro e Jacobina (na Bahia) funcionam como centros 2- Zona da Mata Mineira. Área de pecuária leiteira, atualmente também importantes do interior sertanejo. tem desenvolvido grandes plantações de café. Juntamente com as do Triângulo Mineiro, suas plantações fazem de Minas Gerais o grande produtor 1.3- O Agreste: zona de transição entre o Sertão e a Zona da Mata. Climático: nacional de café, participando com quase a metade do total nacional. transição. As principais atividades: policultura comercial — dedicada ao 3- Estado do Espírito Santo. É hoje o segundo produtor nacional de café, algodão, ao café e a produtos de subsistência — e a pecuária leiteira. As além de desenvolver outros cultivos. No litoral do Espírito Santo, têm principais cidades da sub-região são conhecidas como "capitais do Agreste" (caso grande importância os portos de Vitória e Tubarão. Este merece destaque de Campina Grande, na Paraíba) ou de capitais regionais (como ocorre com especial, pois é através dele que a produção de ferro do Quadrilátero Caruaru, em Pernambuco, Feira de Santana e Vitória da Conquista, na Bahia, e Ferrífero de Minas Gerais (2ª maior exploração de ferro do Brasil) é Arapiraca, em Alagoas). exportada, em especial para os Estados Unidos, a Europa e o Japão. Em 1995, o espaço urbano que envolve a capital do estado foi elevado pelo 1.4-A Zona da Mata: se estende pela faixa de planícies costeiras, IBGE à categoria de região metropolitana. acompanhando o litoral desde o Rio Grande do Norte ate o sul da Bahia. 4- Bacia de Campos. Área tradicionalmente produtora de cana-de-açúcar, Antiguidade de seu povoamento; Concentra duas grandes metrópoles ganhou destaque nacional pela grande produção de petróleo na plataforma nordestinas (Salvador e Recife), alem das outras capitais políticas estaduais continental, hoje possui a maior produção em atividades. Uma outra área (Natal, João Pessoa, Maceió e Aracaju).
  4. 4. foi descoberta recentemente (Bacia de Santos) que deve entrar em atividade 15-Centro-oeste paranaense e catarinense e noroeste gaúchosomente em 2010 Área de solos férteis, foi ocupada predominantemente por imigrantes5- Depressão Periférica Paulista. Apresenta extensa área recoberta por cana- europeus, na maioria italianos e alemães, mas também eslavos. No inícioviais, cultivados principalmente a partir da década de 80, quando teve início o da colonização, apresentava grande número de pequenas e médiasuso do álcool como combustível. Embora muitas culturas da área, sobretudo as propriedades dedicadas à policultura associada à criação de suínos e aves.de subsistência, tenham sido substituídas por canaviais, ainda merecem A partir da década de 70, no entanto, o cultivo e a expansão da sojadestaque os cultivos de laranja e milho.Entre as cidades importantes dessa sub- transformaram a área. As propriedades ampliaram-se, concentrando umaregião estão Piracicaba e Tatuí. série de pequenas propriedades, os minifúndios. Como o número de 6- Triângulo Mineiro. Sua atividade tradicional é a pecuária de corte, empregos foi reduzido, essas áreas também passaram a apresentar odestacando-se o gado zebu. Embora criado de forma parcialmente extensiva, fenômeno da emigração.apresenta boa rentabilidade, pois pratica-se a seleção de espécies e há Com a modernização e as inovações tecnológicas introduzidas, a criação depastagens cultivadas. Também é antiga e tradicional a cultura do arroz suínos e de aves passou a ser atividade cada vez mais especializada e(rizicultura), desenvolvida na terra roxa dos vales fluviais, principalmente no do integrada à indústria de carnes e conservas, os frigoríficos. Veja no mapario Grande. Recentemente, foram introduzidas na área outras culturas abaixo as principais áreas de criação de todo o Sul do país.comerciais, como o café, que é plantado em solos de cerrado, antigamente Novos gêneros agrícolas também passaram a ser produzidos na área a partirconsiderados impróprios para a cultura. Parte das plantações de café de Minas da modernização, como a maçã em Vacaria, no Rio Grande do Sul, eGerais, o primeiro produtor brasileiro, está no Triângulo Mineiro. Fraiburgo, em Santa Catarina. Fraiburgo tem atraído várias indústriasDuas cidades disputam a liderança econômica da área: Uberaba e Uberlândia, nacionais e estrangeiras produtoras de geléia e suco de maçã.seguidas de Araguari, Ituiutaba e Araxá, famosa estância hidromineral. 16-Nordeste do Rio Grande do Sul7- Oeste Paulista. Essa área beneficia-se da terra roxa e produz principalmente Povoado a partir do século XIX por imigrantes italianos, que introduziram nacafé e algodão. Em geral, o café é plantado no topo das colinas, enquanto o área o cultivo da uva, o nordeste do Rio Grande do Sul apresenta a maisalgodão é cultivado nos vales. Nos terrenos menos favoráveis, cultiva-se tradicional produção de vinho do país. Caxias do Sul cresceu com asamendoim, geralmente em pequenas propriedades. Outras culturas da área são vinícolas e é hoje a segunda cidade mais importante do estado, por ser ummamona, milho, cana-de-açúcar e soja. A criação e a engorda de gado bovino pólo metal-mecânico. Tem um parque industrial diversificado, no qual sesão realizadas juntamente com a agricultura. O plantio de capim para a destacam, entre outras, as indústrias químicas e de material de transporte,formação de pastagens nas áreas de criação permite o aproveitamento das como carrocerias de ônibus. Também são importantes as cidades de Bentoterras cansadas. Há pastagens especiais denominadas invernadas destinadas Gonçalves, Farroupilha e Garibaldi. Na agropecuária, além da uva háapenas à engorda de gado antes da venda aos frigoríficos. Algumas cidades também o cultivo da maçã e a criação de aves.importantes dessa área são Bauru, Araçatuba e Presidente Prudente. Destaque 17- Centro-sul do Rio Grande do Sulpara a produção de Laranja e Cana-de-açúcar. Apresenta três áreas distintas: a) Campanha Gaúcha, b) a região central e8- Noroeste de São Paulo. Ocupa o primeiro lugar na produção nacional de o c) sudeste.laranja, sobretudo na região entre as cidades de Araraquara e São José do Rio 17.1- Campanha Gaúcha: o relevo plano de coxilhas e a vegetação dePreto, com destaque para Bebedouro. O suco da laranja é industrializado e campos possibilitaram a ocupação desde o século XVIII, com a pecuáriaexportado, principalmente para os Estados Unidos. extensiva. Atualmente, além dos bovinos, a área tem também o maior9- Vale do Ribeira. Considerado a área mais pobre do estado de São Paulo, o rebanho de ovinos do Brasil. A produção agrícola mais destacada é a doVale do Ribeira tem plantações de banana e chá, cultivado por imigrantes arroz, mas têm-se desenvolvido o cultivo de soja e a vinicultura, em San-japoneses e seus descendentes. Registro é a principal cidade do Vale. tana do Livramento. A criação do Mercosul trouxe benefícios à Campanha.10- O Norte de Minas Gerais: Área predominantemente agrícola, com plan- Sua posição geográfica de fronteira com dois dos integrantes da aliança,tações de algodão, arroz e milho, tem também criação extensiva de gado de Argentina e Uruguai, é um dos fatores que facilitam- as trocas comerciais.corte. A sub-região possui várias características naturais semelhantes às do Até a década de 70, o Sul apresentava o segundo maior rebanho de bovinosNordeste, como clima semi-árido e vegetação de caatinga, razão pela qual está do Brasil, superado apenas pela região Sudeste. No entanto, conforme aincluída no chamado Polígono das Secas. Aí se localiza o Vale do Jequitinhonha, região centro-oeste expandiu essa atividade, o Sul passou a ter o terceiroconsiderado o mais pobre de todo o Sudeste. As cidades de maior importância rebanho do Brasil.Nos últimos anos, aumentou o número de pastosregional são Governador Valadares, Teófilo Otôni e Montes Claros. plantados no Sul, a alimentação do gado foi melhorada com o uso de11- Área metropolitana de Curitiba e litoral paranaense: A cidade de forrageiras e teve inicio o cruzamento de espécies européias com espéciesCuritiba, situada num planalto, a aproximadamente 900 metros de altitude, de gado zebu. Tudo isso permitiu que a região mantivesse regularmente suapossui quase 1,5 milhão de habitantes. Sua área metropolitana, composta de 14 produção de carne e começasse a produzir também para exportação,municípios, tem aproximadamente 2,5 milhões de habitantes. É a segunda sobretudo para a União Européia. As principais cidades da Campanha sãometrópole da região Sul, com grande desenvolvimento industrial, foi atingida Uruguaiana, Santana do Livramento e Bagé.pela desconcentração industrial da região metropolitana de São Paulo, 17.2-Região central do Rio Grande do Sul: a pecuária também é asuperada apenas pelo interior paulista. atividade econômica mais importante, embora seja praticada a cultura deEssa área concentra indústrias alimentares vinculadas à intensa atividade arroz, soja e fumo. No Rio Grande do Sul, a produção de fumo desenvolveu-agropecuária do estado, além de empresas dos setores madeireiro, químico e se a partir da década de 1920, com a instalação de indústrias de cigarros.de material elétrico. Sua principal zona de atuação são os estados do Paraná, Hoje essa área central é uma importante região fumageira, estando emSanta Catarina e São Paulo. A importância econômica e o rápido crescimento Santa Cruz do Sul a maior fábrica de cigarros da América do Sul, voltadadessa sub-região tornaram o porto de Paranaguá o mais movimentado do estado sobretudo para a exportação.e um dos mais importantes do Brasil. Esse porto também é de fundamental 17.3- Sudeste do RS: já teve participação decisiva na formação do estado,importância para o Paraguai, já que o país não tem saída para o mar. principalmente com a indústria saladeiril do século XIX, o sudeste do Rio12- Norte paranaense : Considerado uma das áreas agrícolas mais importantes Grande do Sul tem perdido importância em relação a outras áreas gaúchas.do Brasil, o norte do Paraná foi durante muitos anos a principal zona cafeeira Apesar disso, Pelotas é um dos maiores centros urbanos do estado,do país. No entanto, quando a soja passou a ser mais valorizada no mercado destacando-se por sua indústria alimentícia (doces e conservas). A cidadeinternacional, grandes áreas tradicionalmente cafeeiras desapareceram para de Rio Grande, que possui expressiva indústria pesqueira e química, tendedar lugar ao novo cultivo. Desse modo, na década de 80 o papel ocupado pelo a ampliar sua importância, graças à reativação de sua função portuária,norte do Paraná na produção de café foi aos poucos se transferindo para o estimulada pelo Mercosul.estado de Minas Gerais. Atualmente, o Paraná é o quarto produtor nacional de 18-Área metropolitana de Porto Alegre: Situada à margem do lagocafé. Hoje a região é considerada policultora, com plantações de milho, arroz, Guaíba, a cidade de Porto Alegre apresenta uma posição geográfica quefeijão, algodão, trigo e soja. O estado do Paraná é o principal produtor nacional muito favoreceu o seu desenvolvimento. Está próxima ao rio Jacuí, quede algodão, trigo, milho e feijão, além de deter o segundo lugar na produção de possibilita a ligação hidroviária com o interior, e da laguna dos Patos, quesoja do país. facilita a ligação com o oceano Atlântico. O Rio Grande do Sul foi o estadoAs principais cidades dessa sub-região são Londrina e Maringá, que compõem a da região Sul que menos se beneficiou da desconcentração econômica dosegunda zona mais industrializada do Paraná. Desde o processo de Sudeste, sobretudo em função de seu maior isolamento geográfico. Apesarmodernização agrícola iniciado na década de 70 e do esgotamento dessa fron- disso, a metrópole de Porto Alegre — cuja área metropolitana é compostateira agrícola no início dos anos 80, todo o norte paranaense tem perdido por 24 municípios — desenvolveu atividades industriais diretamentehabitantes com a emigração. vinculadas à produção agro-pecuária: têxtil, de vestuário, de calçados e de13-O vale do Itajaí: região colonizada principalmente por alemães, é uma das produtos alimentares. São importantes também as indústrias química,mais importantes áreas industriais do Sul. Destacam-se as cidades de Blumenau, petroquímica e siderúrgica. A indústria automobilística, instalada emBrusque e Joinville, grandes centros de indústrias têxteis.e de confecção, e Gravataí, próxima à capital, deve iniciar a produção em 1999. Porto AlegreJoinville, com indústrias diversificadas. A policultura associada à criação de é a maior metrópole da região Sul e a quarta do Brasil, comsuínos e aves demonstra a influência dos imigrantes na área. aproximadamente 1,3 milhão de habitantes, e mais de 3 milhões, em sua14-Vale do Tubarão (litoral sul de SC): No litoral Sul a atividade econômica área metropolitana. A área de influência da metrópole.é o próprio Riomais importante é a extração do carvão mineral, principalmente nos municípios Grande do Sul, além do sul e do oeste catarinense. Mas, em alguns setoresde Criciúma, Siderópolis, Urussanga e Lauro Müller. Uma parte do carvão de atividade, sua influência ultrapassa o extremo meridional do país.catarinense é utilizada nas usinas termelétricas; outra é transportada peloporto de Imbituba até as siderúrgicas da região Sudeste.
  5. 5. 19- Soja e pecuária no centro-oeste: Depois da déc. de 70 tivemos um forte Rondônia, atraindo muitas pessoas, principalmente quando a extração daavanço da soja, em razão da correção de acidez do solo e da expansão da cassiterita era feita sob a forma de garimpo. Para sua exploração foipecuária extensiva construída a Hidrelétrica de Samuel no Rio Jamari, em RO.Essa é uma das áreas de maior tensão agrária da Amazônia. AMAZÔNIA: OS GRANDES PROJETOS PÚBLICOS E PARTICULARES NA AMAZÔNIA EA região geoeconômica da Amazônia ou Complexo Regional da Amazônia é a SUAS REPERCUSSÕES AMBIENTAISmaior do Brasil Os militares no período de 1964 a.1982 partiram para a execução dasA agropecuária é a principal atividade econômica, seguida do extrativismo seguintes medidas:vegetal e da exploração mineral. 1. Criação de órgãos de desenvolvimento regional — a Sudamimensos recursos minerais (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) e a Sudeco (Superin-Clima Equatorial quente e úmido tendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste).Vegetação higrófila e latifoliada 2. Construção de rodovias com o objetivo de integrar a AmazôniaSolos pobres a ácidos, naturalmente impróprios para o cultivo internamente e com as demais regiões do Brasil. As rodoviasRios perenes, possui o maior rio do mundo (cerca de 7000Km de extensão) Transamazônica, Cuiabá — Santarém, Brasília — Acre, Perimetral Norte,A floresta sobrevive de si própria: retroalimentação Manaus—Porto Velho e outras exerceram grande influência no aumentoa) A cultura da pimenta-do-reino e da juta populacional da Amazônia.Em 1930 ocorreu a imigração de japoneses para a Amazônia. Uma parte se 3. Levantamento e mapeamento dos recursos naturais da Amazôniaestabeleceu no estacado Pará, em Tomé-Açu, não muito distante da cidade de através de fotografias aéreas.Belém O PROJETO RADAM (Radarb) A cultura da malva da Amazônia) localizou eA cultura da malva, uma planta nativa, também foi responsável pelo mapeou jazidas minerais,povoamento da Amazônia a partir de 1930.A cultura da malva espalhou-se pela permitindo que o governoárea próxima a Bragança, no Pará. Com a construção da Rodovia Belém—Brasí- federal estabelecesse planoslia, no governo de Juscelino Kubitschek (1956-1961), e as facilidades advindas para a exploração mineral napara o transporte, a cultura da malva ocupou áreas ao longo dessa rodovia, no região.sudeste do Pará. Municípios como Paragominas e Capitão Poço tornaram-se as 4. Instalação, em 1985, doprincipais áreas produtoras PROJETO CALHA NORTE,C) Borracha natural: Em 1870, o nordeste do Brasil foi atingido por uma seca que estabelecia basesprolongada o que levou muitos nordestinos a migrarem. Muitos se dirigiram para militares ao norte dos valesa Amazônia, onde desenvolveram uma agricultura de subsistência e a coleta de (calhas) dos rios Solimões elátex, das seringueiras nativas. Amazonas, com o objetivo de controlar militarmente a região, combater oEsse período coincide com a invenção do pneu por Dunlop (1888) e com o início contrabando de ouro e apaziguar os conflitos entre garimpeiros, indígenas,da produção de automóveis. A borracha passava a ser um produto de grande empresários e fazendeiros. Apenas algumas das bases previstas pelo projetovalor e de grande procura no mundo. foram estabelecidas.Em vista disso, a produção de borracha na Amazônia aumentou bastante. Em A garimparem de ouro e diamante1910, metade da borracha consumida no mundo saía da Amazônia. A procura de A garimpagem atraiu milhares de pessoas para a Amazônia: ouro em Serraseringueiras nativas em meio à Floresta Amazônica levou muitas pessoas, Pelada, no Pará; diamante e ouro em Roraima e no estado do Amazonas, noinclusive os migrantes nordestinos, a se embrenharem na floresta. Chegaram vale do Rio Tapajós e seus afluentes da margem direita; ouro no vale do Rioaté a região que é hoje o estado do Acre, que na época, início do século XX, Madeira, no Amazonas; diamante em Tocantins etc.pertencia à Bolívia. Acontece que a garimpagem tem causado enormes danos ambientais. AlémMuitos conflitos em razão da maior presença de brasileiros que bolivianos nesse da erosão de terras provocada pelo desvio de água dos rios para a atividadeterritório levaram o Brasil a assinar com a Bolívia o Tratado de Petrópolis em de garimpagem, o uso do mercúrio pelo garimpeiro no processo final da1903. Por meio desse tratado o Brasil comprou o Acre por 2 milhões de Libras extração do ouro tem causado o envenenamento de pessoas e peixes. Oesterlinas (moeda do Reino Unido) , e a Bolívia recebeu um pedaço do território vale do Rio Tapajós é a principal área de garimpo no Brasil e uma das maisbrasileiro que possibilitava o seu acesso ao Rio Madeira, afluente do Amazonas. poluídas com o mercúrio usado pêlos garimpeirosO ciclo da borracha chega ao seu fim, quando alguns ingleses entram na PROJETO GRANDE CARAJÁS: Em 1967 descobriu importante jazida deAmazônia e coletam milhares de mudas de seringueiras e as levam para cultivá- minério de ferro e de manganês na Serra dos Carajás, no vale médio do Riolas no sudeste asiático, provocando uma forte concorrência para as vendas do Tocantins, no sul do Pará .Brasil, aliado a isso, tivemos a criação da borracha sintética, que não depende Estudos mais detalhados realizados posteriormente mostraram que a regiãodo látex. Isso por volta de 1912. de Carajás é uma importantíssima área de jazidas minerais, talvez a maisd) A exploração do minério de manganês da Serra do Navio: do início ao fim importante do mundo. Além do minério de ferro e manganês foram aíEm 1953, a Icomi (Indústria e Comércio de Minérios), em associação com a encontrados níquel, cobre, zinco, molibdênio, ouro, bauxita (minério deBethlehem Steel Corp,, poderoso grupo norte-americano, recebeu autorização alumínio) e outros.do governo brasileiro para explorar o minério de manganês da Serra do Navio, Para o escoamento da produção dos minérios da Serra dos Carajás foino Amapá, por 50 anos (até o ano 2003). construída a Estrada de Ferro Carajás, que une Carajás ao Porto de Itaqui,As das reservas do minério de manganês de alto teor (teor de 40%) foram no Maranhão. De Itaqui, os minérios são exportados para os Estados Unidos,extraídas nos trinta primeiro anos, no restante dos anos a empresa passou a Japão, Alemanha, Canadá e outros países. O Projeto dos Pólos de Alumínio,explorar minério de baixo teor juntamente com outros minerais. controlado por um consorcio entre a CVRD e transnacionais - a americanaA produção de manganês destina-se aos Estados Unidos. Da Serra do Navio, Alcoa, a anglo-holandesa Billiton-Shell e a japonesa Nalco, e outrolocalidade distante de Macapá cerca de 198 km, o minério de manganês é empreendimento do Programa Grande Carajás. A transformação da bauxitatransportado pela Estrada de Ferro do Amapá até o porto marítimo de Santana. em alumínio consome grandes quantidades de energia elétrica. ParaTanto a ferrovia como o porto marítimo foram construídos com a finalidade de resolver esse problema, a Eletronorte construiu a usina hidrelétrica deescoar o minério de manganês. O manganês, formando liga com o ferro, dá Tucurui, no Rio Tocantins, que provocou inundação de um grande trecho deorigem a um tipo de aço, sendo, portanto, uma matéria-prirna muito floresta, mortes de animais e parte da flora.importante para a indústria siderúrgica. A exploração do minério de manganês PROJETO TROMBETAS: A bauxita do Vale do Rio Trombetas- A bauxita dano Amapá e a construção da ferrovia e do Porto de Santana tiveram e ainda Serra de Oriximiná, no Vale do Rio Trombetas, foi descoberta em 1966 pelacontinuam tendo influência na ocupação e povoamento do Amapá. A maior Alcan, empresa canadense que esta entre as seis grandes corporaçõesparte do manganês extraído do Amapá está guardado no Deserto de Nevada, mundiais do alumínio. Nos anos 1970, o projeto de exploração do minérionos Estados Unidos. foi acelerado como reação aos esforços dos paises exportadores, lideradose) A exploração de cassiterita (minério de estanho) em Rondônia pela Jamaica, para aumentar os preços internacionais do produto. O Brasil,Em 1958 teve início a exploração da cassiterita em Rondônia, sob a forma de que não participa da associação dos paises produtores de bauxita, tornava-garimpagem. Muitas pessoas migraram para lá, mas os métodos primitivos de se assim um elemento chave para a estratégia das grandes empresasextração e as dificuldades de escoamento impediam, no entanto, um maior transnacionais.desenvolvimento da produção. Em 1975, foi criada a Mineração Rio do Norte (MRN), um consórcio deEm 1965, quando a Rodovia Brasília— Acre alcançou Porto Velho, capital de grupos estatais, privados e transnacionais para explorar a bauxita na região.Rondônia, facilitando por conseguinte as comunicações e o transporte, a Atualmente, os principais acionistas da Mineração Rio do Norte são a CVRD,extração da cassiterita tomou novo rumo. Pessoas que se dedicavam à coleta de a Alcan, a anglo-holandesa Billiton-Shell Metais e a Companhia Brasileira delátex na floresta passaram a partir daí a dedicar-se à extração de cassiterita. Alumínio, do grupo Votorantim. A MRN produz 6.000.000 t de bauxita porAlém disso, foi organizada uma empresa de mineração para explorar com ano, o que equivale a cerca de 73% da produção nacional desse minério. Otécnicas modernas o produto. Em poucos anos, essa empresa tornou o Brasil pólo de exploração da MRN abrange a jazida, o porto fluvial do Rioexportador de estanho. Até 1969, dependíamos da importação do produto. A Trombetas e a usina de beneficiamento situada junto ao porto.partir de 1970, o Brasil passou a exportador.O estanho é um metal utilizado na DESMATAMENTOfabricação de latas para acondicionar produtos alimentícios. A exploração desse O desmatamento intenso da Floresta Amazônica e um fato relativamenteminério contribuiu para a ocupação e o desenvolvimento econômico de recente, verificado em especial a partir dos anos 1970. Em 1978, a área
  6. 6. florestal devastada atingia apenas 3,8% do total. Em 2004, esse índice era de reconhecem-se seis grandes Domínios morfoclimáticos no Brasil:cerca de 17%. A maior extensão de desmatamento na historia da Amazôniaocorreu em 1995, quando foram perdidos 29.100 km2 de florestas. A segunda DOMÍNIO AMAZÔNICOmaior deu-se em 2004, com a perda de 26.100km2. Ocupa mais de 2,5 milhões de km; é uma floresta heterogênea e latifoliadaOs estados mais afetados foram Para, Mato Grosso e Maranhão, que concentram (folhas largas); A vegetação de terrenos inundáveis (matas de várzea emais de três quartos de toda a destruição florestal. igapós) ocupa aproximadamente 10% do ecossistema florestal. A vegetaçãoComo os menores índices de desmatamento ocorrem no Amapá e em Roraima, de terra firme (a chamada Hiléia) estende-se por cerca de 80% da área.conclui-se que o fenômeno tem-se verificado de forma mais dramática nas Além disso, o Domínio Amazônico apresenta múltiplos enclaves de camposporções meridional e oriental da Amazônia, área que passou a ser conhecida e cerrados. Abriga aproximadamente oitenta mil espécies vegetais e trintacomo "arco do desmatamento". Essa concentração geográfica da destruição tern mil espécies de animais, compondo uma imensa diversidade biológica: umcomo explicação o processo de ocupação pelo qual a região vem passando nas verdadeiro paraíso para a engenharia genética e suas aplicações nasultimas décadas. Ate os anos 1960, o desmatamento era pouco expressivo, não indústrias de alimentos e farmacêutica. Por isso, a preservação da florestasó em razão da reduzida população ali radicada, mas também pelo tipo de deixou de ser bandeira exclusiva dos ecologistas, tornando-se temaatividades econômicas desenvolvidas, especialmente o extrativismo vegetal, estratégico de grandes empresas transnacionais. A riqueza e a exuberânciaque causavam danos apenas superficiais ao ambiente. Nessa época, havia, do ecossistema florestal, porém, contrastam com a pobreza de grande par-praticamente, apenas uma forma de penetração na região, que era a te dos solos da região. Mais de 70% do Domínio Amazônico são constituídosnavegação fluvial, o que contribuía para a preservação da floresta. por solos ácidos e intemperizados, de baixa fertilidade. Apenas algumas planícies aluviais, inundadas pelo Rio Amazonas, apresentam solos ricos emA criação da Zona Franca de Manaus nutrientes. Esse contraste revela a fragilidade do ecossistema amazônico, AEm 1967, o governo militar criou a Zona Franca de Manaus, sob o controle da reciclagem dos nutrientes orgânicos e minerais necessários à manutençãoSuframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus). Localiza-se no distrito dos ecossistemas regionais não é feita pêlos solos, mas pela própria flo-industrial da cidade de Manaus, onde empresas nacionais e multinacionais resta. As toneladas de folhas, frutos e flores que caem anualmente sobre opodem se instalar sem a obrigatoriedade de pagar impostos (Imposto sobre solo transformam-se em matéria orgânica e mineral que são consumidosProdutos Industrializados, Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, pela vegetação. Ou seja: a vegetação nutre-se dela mesma. Além, aImposto sobre Exportação e Importação) . A Zona Franca de Manaus começou a floresta protege os solos, impedindo que os poucos nutrientes sejamfuncionar somente em 1972, depois que as obras de infra-estrutura do distrito carregados pelas águas da chuva.industrial estavam terminadas. É um sistema semelhante ao implantado em Há cálculos que indicam que o desmatamento já atingiu mais de 16% deHong Kong e Cingapura, na Ásia, ou seja, um porto livre. toda a Amazônia. As áreas mais afetadas concentram-se especialmente aoVárias empresas estrangeiras ali se instalaram, principalmente as de origem longo das rodovias Belém-Brasília e Cuiabá - Porto Velho. Em função dasjaponesa (Sanyo, Sony, Toshiba, Yamaha, Honda etc.), seguidas de empresas direções dos fluxos migratórios, os estados de Rondônia e do Pará têm sidonorte-americanas, alemãs, francesas e italianas. São principalmente indústrias os mais afetados, enquanto o estado do Amapá e Amazonas são aquelesdo setor eletrônico, elétrico, relojoeiro, mecânico, metalúrgico, químico, que, até agora, menores impactos sofreram.madeireiro etc. Os produtos não são fabricados aí; são montados com peças A construção de usinas hidrelétricas, como as de Balbina (no Rio Uatumã,importadas.A isenção de impostos e a mão-de-obra barata foram os principais próximo a Manaus) e Tucuruí (no Rio Tocantins), provocou a submersão defatores que atraíram as indústrias para a Zona Franca. Com isso, elas exportam vastas áreas florestadas e trouxe diversas influências danosas aosmercadorias de alta competitividade no mercado internacional, devido a seu ecossistemas e às populações locais.baixo custo. Domínio dos Cerrados O Domínio dos Cerrados abrange as chapadas e chapadões do Brasil central.SIVAM: Sistema de Vigilância da Amazônia- é um projeto elaborado pelas Trata-se de uma região tropical, de verões chuvosos e invernos secos. Asforças armadas do Brasil com a finalidade de monitorar o espaço aéreo da características climáticas são, em parte, responsáveis pela baixa fertilidadeAmazônia. O SIVAM tem como finalidade a monitoramento da Amazônia Legal dos solos. No verão, as chuvas abundantes "lavam" o solo, retirando seus(que compreende a Região Norte do Brasil, o estado do Mato Grosso e parte do nutrientes. No inverno, a seca prolongada aumenta as taxas de evaporação,estado do Maranhão). Para tanto, foram criados subsistemas de monitoramento provocando o acúmulo de ferro e de alumínio, responsáveis pela toxidez ecom os seguintes objetivos: acidez dos solos. O cerrado, vegetação dominante, é composto prin- Monitoramento da atividade aérea - cuja responsabilidade é do Comando da cipalmente por dois estratos: o arbóreo-arbustivo, de caráter lenhoso, e o Aeronáutica, envolvendo a FIR Amazônica. Inclui no seu acervo de sensores, herbáceo-subarbustivo, formado por gramíneas e outras ervas. A radares bidimensionais e tridimensionais, bem como a capacidade de combinação desses estratos produz uma cobertura vegetal em forma de um integrar informações de aviões de alarme aéreo antecipado AEW, integrados grande mosaico, constituída por trechos de campos limpos (predominância por meio de enlace de dados. de gramíneas), de campos sujos (gramíneas e arbustos), de campos cerrados (predominância de arbustos, com espécies de três a cinco metros) Monitoramento da região amazônica - cuja responsabilidade é da Casa Civil e cerradões (florestas cujas copas se tocam e criam sombra, e onde o da Presidência da República, através do SIPAM. Suas capacidades vão desde estrato herbáceo-arbustivo é muito ralo). Nos vales dos rios que cortam o o monitoramento da mata amazônica, unidades de conservação, cerrado, aparece uma formação florestada conhecida como mata ciliar, ou meteorologia, vigilância do espectro eletromagnético, vigilância terrestre e mata galeria. Ela forma uma proteção natural contra o assoreamento dos célula de comando e controle de operações. rios, A derrubada dessas matas, em razão da ampliação das terrasO equipamento necessário para a montagem do sistema foi fornecido pela cultivadas (principalmente soja) ou destinadas a pastagens (pecuáriaempresa estadunidense Raytheon e pelas empresas brasileiras Atech e Embraer. extensiva), é um dos principais problemas ambientais do Domínio dosO SIVAM troca informações com o Sistema de Proteção da Amazônia – SIPAM e Cerrados. O cerrado compõe um ecossistema bastante peculiar,com o Sistema de Controle do Espaço Aéreo, trabalhando de maneira integrada radicalmente distinto das florestas tropicais úmidas. O ecossistemaentre si. Será uma grande base de dados e todos os órgãos vão compartilhar florestal, quando desmatado pelas queimadas, não se regenera. O cerrado,esse conhecimento. ao contrário, abriga espécies que só sobrevivem em virtude das queimadas. A relação especial entre o cerrado e o fogo ainda continua intrigando os es- DOMÍNIOS OU REGIÕES MORFOCLIMÁTICAS tudiosos do assunto, pois é um tipo de vegetação que se regenera com o fogo.CONCEITO: Domínio morfoclimático é um conjunto espacial de grandes Uma parte considerável dos problemas ambientais do cerrado tem comodimensões caracterizado por uma interação coerente entre as feições do causa principal a expansão da agropecuária nessa região. Os projetosrelevo, os tipos de solo, as condições de clima e hidrologia e as formas de agropecuários têm causado, direta e indiretamente, a redução da flora e davegetação. Os diversos elementos que formam o conjunto influenciam uns aos fauna, e ameaçado a existência de várias espécies características do Brasiloutros, gerando equilíbrios ecológicos peculiares. central. Hidrografia rala, com pouco rios. Vegetação tropófila (adapta-seDe acordo com o modelo de classificação elaborado por Aziz Ab’Saber, tanto à ambientes secos como à úmidos).Clima tropical semi-úmido ou típico. DOMÍNIO DA CAATINGA Caatinga (do Tupi-Guarani: caa (mata) + tinga (branca) = mata branca). Localiza-se na região do interior do Nordeste, apresentando depressões e clima semi-árido, caracterizado pelas altas temperaturas e pela má distribuição de chuvas durante o ano. A massa equatorial atlântica, formada no arquipélago dos Açores, ao chegar ao Nordeste, é barrada no Planalto Nordestino (notadamente Borborema, Apodi e Araripe), onde ganha altitude e precipita (chuvas orográficas), chegando praticamente seca à Caatinga. Apesar de sua aparência, a vegetação da Caatinga é muito rica, variando a maioria delas conforme a época de chuvas e conforme a localização. É o único bioma exclusivamente brasileiro, o que significa que grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em
  7. 7. nenhum outro lugar do planeta. A caatinga ocupa uma área de cerca de 750.000 As faixas de transição correspondem a vastas extensões territoriais nãokm², cerca de 11% do território nacional englobando de forma contínua parte incluídas em nenhum dos Domínios. São unidades paisagísticas nas quais sedos estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, mesclam características dos Domínios morfoclimáticos vizinhos ou, ainda,Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e parte do Norte de Minas Gerais no Vale áreas onde a instabilidade das condições ecológicas deu origem a umado Jequitinhonha (Sudeste do Brasil). Apresenta baixo IDH de sua população, interação entre os elementos naturais que nada têm a ver com aspredominância de rios temporários e ocorrência périódica de secas. Obs.: O características dos Domínios circundantes. Ex: Pantanal Mato-Grossense, oclima não é o principal fator responsável pela emigração, pois o principal é o Meio-Norte do Brasil, (entre o Domínio Amazônico e a Caatinga), osfator econômico. Nas áreas de maior altitude, que recebem chuvas de relevo, manguezais, o Agreste Nordestino, etc...encontram-se alguns trechos de matas úmidas, conhecidas regionalmente como"brejos". A irrigação, o sobrepastoreio, o cultivo excessivo e a mineração REGIÕES DE PLANEJAMENTO:figuram entre as principais causas dos processos de desertificação já iniciados Foram órgãos criados pelo Governo federal com o objetivo de fomentar ona bordas da caatinga. desenvolvimento de determinadas regiões onde iriam se estabelecer. Vejasmo as principais: DOMÍNIO DOS MARES DE MORROSLocalizado em grande parte da porção leste, é assim chamado por causa de sua SUDAM: A Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia , é umaforma, oriunda da erosão, gerada principalmente pela ação das chuvas. autarquia do governo federal do Brasil, criada no governo de Castelo BrancoEncontram-se na região a floresta tropical, Mata Atlântica ou mata de encosta, em 1966, com a finalidade de promover o desenvolvimento da regiãocaracterizada pela presença de uma grande variedade de espécies, a planície amazônica, criando incentivos fiscais e financeiros especiais para atrairlitorânea, largamente devastada (95% da vegetação já foi desmatada), onde investidores privados, nacionais e internacionais. A SUDAM veio a substituirainda se destacam as dunas, os mangues e as praias, e serras elevadas, como a uma outra autarquia denominada Superintendência do Plano de ValorizaçãoSerra do Mar, a Serra do Espinhaço e a Serra da Mantiqueira. No litoral do Econômica da Amazônia (SPVEA), criada por Getúlio Vargas em 1953.Nordeste, encontra-se o solo de massapê, excelente para a prática agrícola, Também tinha o objetivo de desenvolver a região amazônica. Em 24 desendo historicamente ligado à monocultura latifundiária da cana-de-açúcar. agosto de 2001, o presidente Fernando Henrique Cardoso, na medidaApresenta clima tropical típico e tropical litorâneo, caracterizado pela atuação provisória nº. 2.157-5, criou a Agência de Desenvolvimento da Amazôniada massa tropical atlântica, formada no arquipélago de Santa Helena. (ADA), e extinguiu a Superintendência do Desenvolvimento da AmazôniaTambém chamado de domínios de "meia-laranjas". Trata-se de uma formação (SUDAM), devido às inúmeras denúncias de corrupção envolvendo aflorestal densa e heterogênea, ainda mais rica em espécies vegetais que a organização. Esta decisão foi tomada após várias críticas quanto àHiléia amazônica. A introdução do cultivo da cana-de-açúcar no Nordeste e, eficiência desta autarquia, passando a ser a responsável pelomais tarde, do café nas serras do Sudeste, foram responsáveis pelo início da gerenciamento dos programas relativos à Amazônia Legal. Em agosto dedevastação da mata original. Hoje, restam menos de 5% da cobertura vegetal 2003 o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, anunciou a recriação daprimária, verdadeiras ilhas florestais em alguns trechos montanhosos das Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).escarpas planálticas. Certas áreas — como a zona da mata nordestina ou a zona Area de competência: era a chamada Amazônia Legal é uma área queda mata mineira — possuem "mata" apenas no nome. engloba vários nove estados brasileiros pertencentes à Bacia amazônica e,A devastação da Mata Atlântica tem agravado os processos erosivos que atingem conseqüentemente, possuem em seu território trechos da Florestaa região, como os desmoronamentos e deslizamento de materiais, Amazônica.especialmente nas escarpas mais íngremes. SUFRAMA: A Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) é DOMÍNIO DAS ARAUCÁRIAS uma autarquia criada pelo Decreto-Lei nº 288, de 28 de fevereiro de 1967,As araucárias se estendiam a grandes porções do Planalto Meridional, mas, por vinculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exteriorcausa da intensa devastação gerada para o desenvolvimento da agropecuária e (MDIC) que administra a Zona Franca de Manaus - ZFM, com ado extrativismo, hoje só são encontradas em áreas reflorestadas e áreas de responsabilidade de construir um modelo de desenvolvimento regional quepreservação. (90% já foi desmatada). Abrange planaltos e chapadas, utilize de forma sustentável os recursos naturais, assegurando viabilidadeconstituindo uma vegetação aciculifoliada(folhas em forma de agulha), aberta e econômica e melhoria da qualidade de vida das populações locais. Arica em madeira mole, utilizada na fabricação de papel e papelão. Destaca-se Suframa viabilizou a implantação dos três pólos que compõem a ZFM -ainda na região o solo de terra roxa, localizado em praticamente toda porção comercial, industrial e agropecuário - e promove a interiorização doocidental da região sul,sudoeste de São Paulo e Sul do Mato Grosso Do desenvolvimento por todos os estados da área de abrangência do modelo,Sul.Altamente fértil e oriundo da decomposição de rochas basálticas, o solo de identificando oportunidades de negócios e atrai investimentos para a regiãoterra roxa, foi largamente utilizado no cultivo do café. Apresenta clima tanto para o Pólo Industrial de Manaus quanto para os demais setoressubtropical, caracterizado por chuvas bem distribuídas durante todo o ano, por econômicos da sua área de atuação.verões quentes e pela atuação da massa polar atlântica, responsável pelosinvernos frios, marcados pelo congelamento do orvalho(geada). SUDENE - Superintendência de desenvolvimento da amazônia: é uma entidade de fomento desenvolvimentista brasileiro, destinado a promover DOMÍNIO DAS PRADARIAS soluções sócio-econômicas para a Região Nordeste do Brasil,Localizado no extremo sul do Brasil, também apresenta clima subtropical, periodicamente afetada por estiagens e com populações com baixo podersendo portanto marcado pela atuação da massa polar atlântica. Abrange os aquisitivo e de instrução. Criada orginalmente pela lei 3.6921 de 1959, opampas, Campanha Gaúcha ou Campos Limpos, marcados pela presença do solo órgão foi idealizado no governo do Presidente Juscelino Kubitscheck, tendode brunizens, oriundo da decomposição de rochas sedimentares e ígneas, o que à frente o economista Celso Furtado, como parte do programapossibilita o desenvolvimento da agricultura e principalmente da pecuária desenvolvimentista então adotado. Seu principal objetivo era encontrarbovina semi-extensiva. soluções que permitissem a progressiva diminuição das desigualdadesAs pradarias ocupam a região conhecida como campanha gaúcha e apresentam verificadas entre as regiões geo-econômicas do Brasil. Para tal fim, foramum relevo suavemente ondulado, em forma de colinas, que são chamadas de engendradas ações de grande impacto, tais como a colonização do"coxilhas"(colinas arredondadas e ricas em herbáceas e gramíneas) e das matas- Maranhão, projetos de irrigação em áreas úmidas, cultivo de plantasgalerias nas margens dos rios. Pradaria é uma planície vasta e aberta onde não resistentes às secas, e outras. Absorvida pelas administrações que sehá sinal de árvores nem arbustos, com capim baixo em abundância. São regiões seguiram, durante a Ditadura militar de 1964 foi sendo cada vez tendo seumuito amplas e oferecem pastagens naturais para animais de pastoreio e as uso desviado dos objetivos primaciais, sendo considerada uma entidadeprincipais espécies agrícolas alimentares foram obtidas das gramíneas naturais que, além de não realizar os fins a que se propunha, era um foco deatravés de seleção artificial, sendo este o fator que facilitou a introdução da corrupção. Por conta disso, e após uma sucessão de escândalos, em 1999 apecuária desde os tempos coloniais. imprensa iniciou um debate sobre a existência do órgão, extinto finalmenteEssas colinas são recobertas por vegetação campestre e, nos topos mais planos, em 2001 por Fernando Henrique Cardoso. A retomada das propostas deforma-se um tapete herbáceo ralo e pobre em espécies. Nas encostas, a Juscelino e Furtado, porém, foram defendidas pela administração de Lula,vegetação torna-se mais densa e diversificada. A pecuária extensiva é a e finalmente o órgão foi, em 2002, recriado, desta feita com o nome deprincipal atividade econômica da região. Por causa do pisoteio excessivo do Agência do Desenvolvimento do Nordeste e a sigla ADENE.gado, registra-se uma sensível diminuição das espécies forrageiras nativas doscampos gaúchos. O uso recorrente da queimada como técnica de limpeza das SUDEVAP - Superintendência do Desenvolvimento do Vale do Paraíba dopastagens contribui para o empobrecimento dos solos. A pecuária e a Sul: criada a partir de um projeto de lei de 1977 cuja função era amonocultura de trigo e soja, em expansão nas áreas originalmente recobertas recuperação econômica e social da bacia do rio Paraíba do Sul, mas suapêlos campos, têm provocado a diminuição da fertilidade dos solos, o aumento atuação se restringia ao norte paulista, sul do Rio de Janeiro e sudestedos processos erosivos e até, em algumas áreas, o início de um processo de mineiro. A idéia tem origem a partir de um grupo de trabalho formado pordesertificação. Há 50 anos, o "deserto de São João", no município de Alegrete prefeitos paulistas em 1967. A SUDEVAP seria uma autarquia vinculada ao(RS) Rosário do Sul, São Borja e Itaqui, abrangia doze ha; hoje, ultrapassa os Ministério do Interior com atuação na Bacia do Rio Paraíba do Sul e com a185 ha. real finalidade de racionalizar e dinamizar o desenvolvimento no Vale Paraíba ante o progresso industrial da região e a falta de investimentos, AS FAIXAS DE TRANSIÇÃO principalmente em relação ao saneamento básico. Alguns autores dão a entender que esta superintendência não passou de um projeto.

×