SlideShare uma empresa Scribd logo

Induastrialização brasiledira 2

1 de 48
Baixar para ler offline
PROFESSORA Euna
OS DIFERENTES TIPOS DE
INDÚSTRIAS
INDÚSTRIAS TRADICIONAIS- que utilizam muita mão
de obra e menos máquinas;
 INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO- transforma a
matéria prima em produto final e podem ser:
Bens duráveis- automóveis, eletrodomésticos,
Informática
Não-duráveis- bebidas, cigarros, alimentos etc...
Bens intermediários- peças, ferramentas;
As três revoluções indústriais
• PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDÚSTRIAL- O
pioneirismo inglês, no século XVIII, devido ao
acumulo de capital; em razão da expansão do
comércio ultramarino; as reservas de carvão e ferro; e
grande quantidade de mão de obra;
• Revolução Gloriosa- assinalou o final do absolutismo
inglês e colocou a burguesia no controle do Estado;
• Avanços técnicos- desenvolvimento de maquinas,
como a máquina a vapor e o tear mecânico.
Segunda Revolução Industrial
Inicia-se em 1870, com industrialização da França, da
Alemanha, da Itália, dos EUA e do Japão;
Novas fontes de energia- eletricidade e petróleo;
Surgiram máquinas e ferramentas mais modernas;
Taylorismo e fordismo.
TERCEIRA REVOLUÇÃO INDÚSTRIALGLOBALIZAÇÃO- avanços da automação e informática;
alta tecnologia e mão de obra especializada;
Terceirização;
Conglomerado de países industrializados;
 trustes- empresas que detêm grande parte da produção de
um determinado produto;
Cartéis- um grupo de empresas que unidas por acordo
detêm em conjunto grande parte da produção;
Toyotismo.
INDUSTRIALIZAÇÃO
CONTEMPORÂNEA
Esta relacionada a evolução técnico-científica;
Maior qualificação da mão de obra;
Desconcentração industrial;
Holding- controle de várias empresas mediante a
aquisição de suas ações
O processo de industrialização no
Brasil
Está ligada a três acontecimentos externos:
1ª Guerra Mundial (1914 a 1918)- industrias de bens de
consumo não-duráveis;
Crise de 1929- a Grande Recessão;
2ª Guerra Mundial (1939 a 1945);
O processo industrial do Brasil acelera pós 2ª guerra.
Diversos países, como Argentina, México e
Brasil, iniciaram o processo de
industrialização efetiva a partir da segunda
metade do século XX, no entanto, o embrião
desse processo no Brasil ocorreu ainda nas
primeiras décadas de 30, momentos depois
da crise de 29. Crise essa que ocasionou a
falência de muitos produtores de café, com
isso, a produção cafeeira entrou em
declínio.
Quando se fala em industrialização do
Brasil é bom ressaltar que tal processo
não ocorreu em nível nacional, uma vez
que a primeira região a se desenvolver
industrialmente foi a Região Sudeste.
A industrialização brasileira nesse período
estava vinculada à produção cafeeira e aos
capitais derivados dela. Entre o final do
século XIX e as primeiras décadas do
século XX, o café exerceu uma grande
importância para a economia do país, até
porque era praticamente o único produto
brasileiro de exportação. O cultivo dessa
cultura era desenvolvido especialmente nos
estados de São Paulo, Rio de Janeiro,
Espírito Santo e algumas áreas de Minas
Gerais.
Após a crise que atingiu diretamente os
cafeicultores, esses buscaram novas
alternativas produtivas, dessa maneira,
muitas das infraestruturas usadas
anteriormente na produção de transporte
do café passaram, a partir desse
momento, a ser utilizadas para a
produção industrial.
Outro fator importante para a
industrialização brasileira foi a utilização das
ferrovias e dos portos, anteriormente usados
para o transporte do café, passaram a fazer
parte do setor industrial. Além desse fator,
outro motivo que favoreceu o crescimento
industrial foi a abundante quantidade de
mão de obra estrangeira, sobretudo
de italianos, que antes trabalhavam na
produção do café.
Um dos fundamentais elementos para a
industrialização brasileira foi a aplicação de
capitais gerados na produção de café para a
indústria, a contribuição dos estrangeiros
nas fábricas, como alemães, italianos e
espanhóis.
O Estado também exerceu grande
relevância nesse sentido, pois realizou
elevados investimentos nas indústrias de
base e infraestrutura, como ferrovias,
rodovias, portos, energia elétrica, entre
outros.
Mais tarde, após a Segunda Guerra
Mundial, a Europa não tinha condições de
exportar produtos industrializados, pois todo
o continente se encontrava totalmente
devastado pelo confronto armado, então o
Brasil teve que incrementar o seu parque
industrial e realizar a conhecida
industrialização por substituição de
exportação.
Nessa mesma década aconteceu a
inserção de várias empresas derivadas de
países industrializados que atuavam
especialmente no seguimento da indústria
automobilística, química, farmacêutica e
eletroeletrônica. A partir de então, o Brasil
ingressou efetivamente no processo de
industrialização, deixando de ser um país
essencialmente produtor primário para um
Estado industrial e urbano.
Governo J K (1956 a 1961)
Deslanche industrial;
Plano de metas- 31 metas, voltadas para educação,
transportes, vias de transporte, construir um
parque automobilístico, infra-estrutura;
Crescer 50 anos em 5;
Capital nacional e estrangeiro;
Criou a UNB (Universidade de Brasília), investiu
na EMBRATEL, CSN,Petrobras.
Durante o governo de Juscelino
Kubitschek (1956 -1960) o
desenvolvimento industrial brasileiro
ganhou novos rumos e feições. JK abriu
a economia para o capital internacional,
atraindo indústrias multinacionais. Foi
durante este período que ocorreu a
instalação de montadoras de veículos
internacionais (Ford, General Motors,
Volkswagen e Willys) em território
brasileiro.
Induastrialização brasiledira 2
Pontos positivos
Positivo- urbanização, mais acesso á saúde, educação
e saneamento básico
Criação de inúmeras cidades;
O país deixa de ser agroexportador para exportador
de produtos industrializados;
Criação de novos empregos.
Pontos negativos
Forte endividamento externo;
Êxodo rural;
Favelização;
Aumento da violência urbana.
Milagre econômico ou brasileiro
(1967 a 1973)General Médici- consolidou o crescimento
industrial;
Recursos usados em empresas estatais, privadas,
multinacionais principalmente no segmento
industrial;
Crescimento do mercado externo (exportação);
Atraiu muitas multinacionais com mão de obra
barata, redução de impostos, matéria prima em
grande quantidade;
Qualquer manifestação por melhores salários
eram duramente reprimidos pelo governo.
Induastrialização brasiledira 2
Os militares, assim que assumiram,
criaram o Programa de Ação Econômica
do Governo (PAEG), que tinha como
objetivos combater a inflação e realizar
reformas estruturais, que permitissem o
crescimento. Com a “estabilidade
política”, os recursos estrangeiros
retornaram ao Brasil maciçamente. Com
tamanho volume de capital, a economia
se estabilizou.
Em 1967, a economia dava sinais de
recessão. Delfim Netto, então encarregado
pela economia do país, passou a investir nas
empresas estatais, nas áreas de siderurgia,
petroquímica, geração de energia, entre
outras. As medidas surtiram efeito, e os
investimentos nas estatais renderam muitos
lucros. O processo de industrialização
finalmente havia chegado ao Brasil, gerando
milhões de empregos. Em 1969, quando
Emílio Garrastazu Médici assumiu a
presidência, o “Milagre Econômico” acontecia.
Como resultado, nos anos seguintes, a
classe média teve aumentos consideráveis
em sua renda, enquanto aumentava o
abismo social no país. O aumento das
desigualdades sociais e as divida externa
assumida nessa época são as principais
heranças do Milagre Econômico no Brasil.
Induastrialização brasiledira 2
Como podemos perceber, apesar de
crescente o desenvolvimento industrial
nordestino, estados do Sudeste, como São
Paulo ainda estão bem à frente do Nordeste.
Entre as bases da industrialização, dada a
partir da criação da Superintendência do
Desenvolvimento do Nordeste (Sudene),
destaca-se a riqueza das seguintes matérias-
primas: cana-de-açúcar (açúcar e álcool);
algodão (indústria têxtil); frutas nativas e não
nativas (indústria alimentícia); tabaco
(indústria de charuto); sal (no Rio Grande do
Norte e Ceará)
Atualmente, vêm ganhado importância as
indústrias automobilísticas e navais no
Nordeste, com destaque à Indústria Naval do
Ceará – INACE (estaleiro brasileiro com sede
em Fortaleza, fundado em 1969).
Ainda pode-se ressaltar as empresas de
petróleo e gás natural, que são explorados
principalmente nos litorais do Rio Grande do
Norte, Sergipe, Alagoas e da Bahia. Os
principais centros industriais estão localizados
nas regiões metropolitanas.
Incentivos fiscais: Nos últimos anos,
muitas indústrias que antes se
localizavam no Sudeste transferiram-se
para o Nordeste, atrás dos incentivos
fiscais. Ainda com todo esse avanço dos
últimos tempos, combater a pobreza é um
desafio a ser alcançado.
Induastrialização brasiledira 2
Tecnopolos
São centro industriais ou cidades com conjunto
de métodos industriais de inovações tecnológicas;
Capazes de criar, reciclar, difundir tecnologia de
ponta;
Apoio de universidades e instituições de ensino;
Mão de obra de elevado padrão técnico-científico.
Distribuição industrial no
espaço brasileiro
SUDESTE
É responsável por mais da metade de toda a atividade
industrial do país;
O Estado de São Paulo é o maior destaque: concentra
cerca de 40% dos estabelecimentos industriais e 48%
do pessoal ocupado nas industrias;
A grande São Paulo, sobretudo o ABCD ( Santo
André, São Bernardo, São Caetano) Diadema, Osasco,
Guarulhos e outras áreas metropolitanas, possui a
maior concentração industrial da América Latina;
Minas Gerais- 1º lugar em produção de aço do país;
Vem aumentando a cada ano a produção industrial;
Esta posição esta apoiada na abundancia de recursos
minerais;
Usiminas, Belgo-Mineira entre outras
RIO DE JANEIRO- Grande Rio Poli-industrial,
construção naval, química, refino de petróleo, turismo
entre outros;
CSN em Volta Redonda;
Siderúrgica Barra Mansa ;
Região Sul
Segunda região mais industrializada;
As indústria mais importantes são as de bens de
consumo: alimentícias, frigoríficos e vinícolas;
Forte colonização européia
Região Centro-Oeste, Norte e
Nordeste
A região Nordeste é a terceira mais
industrializada, produtos minerais, alimentação,
metalúrgica, refino de petróleo, fumo entre
outros;
Região Norte- setor eletrônico em Manaus, Belém
e Macapá;
Região Centro-Oeste- Mecanização da atividades
primárias;
Regiões periféricas- enclaves industriais
Produção do espaço urbano
 A urbanização ocorre quando há aumento da porcentagem
da população urbana e está relacionada
ao conjunto de intervenção no espaço urbano para
melhores infraestruturas.
 No Brasil, o processo acelerado de urbanização ocorreu no
período de intensa industrialização do pós-guerra, tendo
se iniciado nas últimas décadas do século XX.
 De acordo com as estatísticas oficiais produzidas em 2004
pelo IBGE, cerca de 81% da população brasileira estava
concentrada nas cidades no ano 2000.
Produção do espaço urbano
Populações urbana e rural
3 O processo de urbanização
O êxodo rural e suas causas
O processo de urbanização brasileiro está relacionado com o
êxodo rural.
Repulsão da força de
trabalho do campo
Atração da força de trabalho
nas cidades
Formação de uma
superpopulação
relativa
Latifúndio
Empregos
Surgimento do trabalho
informal
Urbanização e desigualdades regionais
Evolução regional da urbanização
3 O processo de urbanização
A rede urbana
brasileira
Brasil:
hierarquia urbana
Os espaços metropolitanos
 Em 1950, o Brasil tinha três cidades de grande porte: Rio de
Janeiro, São Paulo e Recife, que abrigavam mais de 500 mil
habitantes.
 Em 2000, 30 cidades já haviam ultrapassado a marca de meio
milhão de habitantes, perfazendo um total de cerca de 57
milhões de pessoas.
 O caráter pontual e concentrador da urbanização decorreu das
condições em que ocorreu a modernização da economia do
país.
 A concentração econômica determinou a aglomeração espacial:
o resultado foi a metropolização.
As metrópoles e a gestão pública
A expansão econômica das metrópoles produziu o crescimento
demográfico do núcleo urbano central e dos demais situados no seu
entorno.
Integração física das manchas
urbanizadas
Conurbação
Separação das manchas urbanizadas
por áreas rurais
Integração funcional
Descompasso entre os limites municipais e a
mancha urbanizada
3 O processo de urbanização
As metrópoles e a gestão pública
Estrutura territorial das
megacidades
Megacidade – cidade populosa com uma
população total de 10 milhões ou mais de
habitantes;
Cidade Global – cidade que exerce influencia a
nível mundial independente do número de
habitantes.
No Brasil somente RJ e SP são cidades globais.
As metrópoles e a gestão pública
 A Grande São Paulo, terceira maior metrópole do mundo, abriga
nos seus 39 municípios quase 18 milhões de habitantes, cerca de 10% da
população nacional.
 O lixo coletado diariamente está em torno de 16 mil toneladas.
 O número de veículos supera 6 milhões na capital e 18 milhões no estado.
 Ocorrem aproximadamente
11,5 milhões de viagens/dia
em transportes coletivos.
 A população favelada é de
cerca de 1 milhão de
habitantes.
Os 39 municípios da região metropolitana
de São Paulo formam uma única e
imensa mancha urbana. Imagem
captada por satélite em 2001.
EARTHSATELLITE/LATINSTOCK
3 O processo de urbanização
A megalópole e a metrópole
expandida
 São Paulo e Rio de Janeiro, separadas por apenas cerca de 400 km, configuram o
principal eixo econômico do país.
 A expansão das suas regiões metropolitanas e das cidades localizadas sobre o
eixo de circulação que as conecta está conduzindo ao surgimento da primeira
megalópole do país.
A megalópole em formação

Recomendados

Processo de industrialização brasileira
Processo de industrialização brasileiraProcesso de industrialização brasileira
Processo de industrialização brasileiraalequadrado
 
Indústria no brasil
Indústria no brasilIndústria no brasil
Indústria no brasilWander Junior
 
Desconcentração industrial no brasil
Desconcentração industrial no brasilDesconcentração industrial no brasil
Desconcentração industrial no brasilMatheus Alves
 
A indústria no brasil
A indústria no brasilA indústria no brasil
A indústria no brasilProfessor
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileiraflornomandacaru
 
Industria brasileira 2011
Industria  brasileira 2011Industria  brasileira 2011
Industria brasileira 2011alfredo1ssa
 
A Indústria no Brasil
A Indústria no BrasilA Indústria no Brasil
A Indústria no BrasilSimone Morais
 
Industrialização geografia. o que é indústria setores da economia setor prim...
Industrialização geografia. o que é indústria  setores da economia setor prim...Industrialização geografia. o que é indústria  setores da economia setor prim...
Industrialização geografia. o que é indústria setores da economia setor prim...UNESA - RJ
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRANinho Cristo
 
O espaço industrial brasileiro
O espaço industrial brasileiroO espaço industrial brasileiro
O espaço industrial brasileiroFernanda Lopes
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileirajoao paulo
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRANinho Cristo
 
Industrializacao Brasileira
Industrializacao BrasileiraIndustrializacao Brasileira
Industrializacao Brasileirahsjval
 
Indústria Brasileira
Indústria BrasileiraIndústria Brasileira
Indústria BrasileiraItalo Malta
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileiraflornomandacaru
 
Regiões industriais do brasil1
Regiões industriais do brasil1Regiões industriais do brasil1
Regiões industriais do brasil1recoba27
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografiaSarinha Silva
 
A industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completoA industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completoAna Maciel
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileiraArtur Lara
 
A grande concentração industrial na região sudeste
A grande concentração industrial na região sudesteA grande concentração industrial na região sudeste
A grande concentração industrial na região sudesteRosemildo Lima
 
Espaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzaga
Espaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzagaEspaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzaga
Espaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzagaEdu Gonzaga
 
A industrialização brasileira pós 2ª guerra
A industrialização brasileira pós 2ª guerraA industrialização brasileira pós 2ª guerra
A industrialização brasileira pós 2ª guerrakarolpoa
 
Crise do café e industrialização do brasil
Crise do café e industrialização do brasilCrise do café e industrialização do brasil
Crise do café e industrialização do brasilLilian Damares
 
Industrialização brasileira (3) (1)
Industrialização brasileira (3) (1)Industrialização brasileira (3) (1)
Industrialização brasileira (3) (1)Thiago Pereira
 

Mais procurados (20)

Modulo 12 - A indústria brasileira
Modulo 12 - A indústria brasileiraModulo 12 - A indústria brasileira
Modulo 12 - A indústria brasileira
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
 
O espaço industrial brasileiro
O espaço industrial brasileiroO espaço industrial brasileiro
O espaço industrial brasileiro
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
 
Industrializacao Brasileira
Industrializacao BrasileiraIndustrializacao Brasileira
Industrializacao Brasileira
 
Indústria Brasileira
Indústria BrasileiraIndústria Brasileira
Indústria Brasileira
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Regiões industriais do brasil1
Regiões industriais do brasil1Regiões industriais do brasil1
Regiões industriais do brasil1
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
A industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completoA industrialização no Brasil - Material completo
A industrialização no Brasil - Material completo
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Industria brasil
Industria brasilIndustria brasil
Industria brasil
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileira Industrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
A grande concentração industrial na região sudeste
A grande concentração industrial na região sudesteA grande concentração industrial na região sudeste
A grande concentração industrial na região sudeste
 
Espaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzaga
Espaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzagaEspaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzaga
Espaco industrial brasileiro 2011 prof edu gonzaga
 
A industrialização brasileira pós 2ª guerra
A industrialização brasileira pós 2ª guerraA industrialização brasileira pós 2ª guerra
A industrialização brasileira pós 2ª guerra
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Crise do café e industrialização do brasil
Crise do café e industrialização do brasilCrise do café e industrialização do brasil
Crise do café e industrialização do brasil
 
Industrialização brasileira (3) (1)
Industrialização brasileira (3) (1)Industrialização brasileira (3) (1)
Industrialização brasileira (3) (1)
 

Destaque

A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssA guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssEuna Machado
 
Criação de apresentações - animações
Criação de apresentações - animaçõesCriação de apresentações - animações
Criação de apresentações - animaçõesEb 2,3 de beiriz
 
Hotmart Templates Box Vol. 1
Hotmart Templates Box Vol. 1Hotmart Templates Box Vol. 1
Hotmart Templates Box Vol. 1expertsdeck
 
Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...
Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...
Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...Marisa Marzanasco
 
Filosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoFilosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoEuna Machado
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Euna Machado
 
Filosofia 2ª ano 2
Filosofia 2ª ano 2Filosofia 2ª ano 2
Filosofia 2ª ano 2Milena Leite
 

Destaque (11)

A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urssA guerra-fria-e-o-fim-da-urss
A guerra-fria-e-o-fim-da-urss
 
Criação de apresentações - animações
Criação de apresentações - animaçõesCriação de apresentações - animações
Criação de apresentações - animações
 
Imagens na-historia
Imagens na-historiaImagens na-historia
Imagens na-historia
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Hotmart Templates Box Vol. 1
Hotmart Templates Box Vol. 1Hotmart Templates Box Vol. 1
Hotmart Templates Box Vol. 1
 
Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...
Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...
Templates Joomla! Onde e como escolher o template comercial e quando desenvol...
 
Globalizacao (1)
Globalizacao (1)Globalizacao (1)
Globalizacao (1)
 
Filosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3anoFilosofia da-linguagem-3ano
Filosofia da-linguagem-3ano
 
Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-Biomas brasileiros-
Biomas brasileiros-
 
Filosofia 2ª ano 2
Filosofia 2ª ano 2Filosofia 2ª ano 2
Filosofia 2ª ano 2
 
Relevo brasileiro
Relevo brasileiroRelevo brasileiro
Relevo brasileiro
 

Semelhante a Induastrialização brasiledira 2

A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º VaA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º VaProfMario De Mori
 
PARTE 2 da AULA 1 - industria brasileira
PARTE 2 da AULA 1 -  industria brasileiraPARTE 2 da AULA 1 -  industria brasileira
PARTE 2 da AULA 1 - industria brasileiraCADUCOC1
 
Indústria brasileira
Indústria brasileiraIndústria brasileira
Indústria brasileiradobtumblr
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileirafernandesrafael
 
Industria brasileira 2
Industria brasileira 2Industria brasileira 2
Industria brasileira 2Sílvia Almada
 
Atividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasilAtividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasilBruna Azevedo
 
Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1eunamahcado
 
A Industrialização no Brasil 2020.ppt
A Industrialização no Brasil 2020.pptA Industrialização no Brasil 2020.ppt
A Industrialização no Brasil 2020.pptLoCruz1
 
COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...
COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...
COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...Faga1939
 
Aula 16 indústria brasileira
Aula 16   indústria brasileiraAula 16   indústria brasileira
Aula 16 indústria brasileiraJonatas Carlos
 
Economias emergentes- a industrialização recente (1).pdf
Economias emergentes- a industrialização recente (1).pdfEconomias emergentes- a industrialização recente (1).pdf
Economias emergentes- a industrialização recente (1).pdfHitaloSantos8
 
A industrialização brasileira II
A industrialização brasileira IIA industrialização brasileira II
A industrialização brasileira IIAnnellyezyAparecida1
 
Notas sobre o processo da industrialização no Brasil
Notas sobre o processo da industrialização no BrasilNotas sobre o processo da industrialização no Brasil
Notas sobre o processo da industrialização no BrasilGabrieldibernardi
 
Seminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdf
Seminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdfSeminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdf
Seminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdfTiagoSilvaMoreira1
 
A industrialização pós 2ª guerra
A industrialização pós 2ª guerraA industrialização pós 2ª guerra
A industrialização pós 2ª guerraSuely Takahashi
 
O espaço industrial e o processo de urbanização
O espaço industrial e o processo de urbanizaçãoO espaço industrial e o processo de urbanização
O espaço industrial e o processo de urbanizaçãoCamila Brito
 

Semelhante a Induastrialização brasiledira 2 (20)

A indústria no brasil ifpe
A indústria no brasil ifpeA indústria no brasil ifpe
A indústria no brasil ifpe
 
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º VaA IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
A IndustrializaçãO Do Brasil Atividade 1º Va
 
PARTE 2 da AULA 1 - industria brasileira
PARTE 2 da AULA 1 -  industria brasileiraPARTE 2 da AULA 1 -  industria brasileira
PARTE 2 da AULA 1 - industria brasileira
 
Indústria brasileira
Indústria brasileiraIndústria brasileira
Indústria brasileira
 
Industrialização brasileira
Industrialização brasileiraIndustrialização brasileira
Industrialização brasileira
 
Industria brasileira 2
Industria brasileira 2Industria brasileira 2
Industria brasileira 2
 
Brasil Industrializado
Brasil IndustrializadoBrasil Industrializado
Brasil Industrializado
 
Atividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasilAtividades economicas do brasil
Atividades economicas do brasil
 
Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1Industrialização+brasileira 1
Industrialização+brasileira 1
 
Industrias
IndustriasIndustrias
Industrias
 
A Industrialização no Brasil 2020.ppt
A Industrialização no Brasil 2020.pptA Industrialização no Brasil 2020.ppt
A Industrialização no Brasil 2020.ppt
 
COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...
COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...
COMO REINDUSTRIALIZAR O BRASIL E DESCONCENTRAR, MODERNIZAR E TORNAR SUSTENTÁV...
 
Brasil industrialização
Brasil industrializaçãoBrasil industrialização
Brasil industrialização
 
Aula 16 indústria brasileira
Aula 16   indústria brasileiraAula 16   indústria brasileira
Aula 16 indústria brasileira
 
Economias emergentes- a industrialização recente (1).pdf
Economias emergentes- a industrialização recente (1).pdfEconomias emergentes- a industrialização recente (1).pdf
Economias emergentes- a industrialização recente (1).pdf
 
A industrialização brasileira II
A industrialização brasileira IIA industrialização brasileira II
A industrialização brasileira II
 
Notas sobre o processo da industrialização no Brasil
Notas sobre o processo da industrialização no BrasilNotas sobre o processo da industrialização no Brasil
Notas sobre o processo da industrialização no Brasil
 
Seminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdf
Seminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdfSeminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdf
Seminário de Geografia_20240105_064058_0000.pdf
 
A industrialização pós 2ª guerra
A industrialização pós 2ª guerraA industrialização pós 2ª guerra
A industrialização pós 2ª guerra
 
O espaço industrial e o processo de urbanização
O espaço industrial e o processo de urbanizaçãoO espaço industrial e o processo de urbanização
O espaço industrial e o processo de urbanização
 

Último

Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Henry Quaresma
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...sdl192405
 
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSCATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSJulioCesarrPro
 
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...assessoria DL S5
 
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...DL assessoria 28
 
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSMANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSJulioCesarrPro
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...assessoria DL S5
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...sdl192405
 
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024DL assessoria 30
 
E-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceisE-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceisSergio Augusto da Luz
 
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORASCOMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAScaiorsantos2345
 
apresentação............................
apresentação............................apresentação............................
apresentação............................Judite Silva
 
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!francielekeren
 
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdfMaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdfNilsonSouza49
 
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...DL assessoria 29
 
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...Raislane Santos
 
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da HinodeAPN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da HinodeFernandoAndrade274099
 
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024assedlsam
 

Último (18)

Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
Comércio Exterior de Santa Catarina em 2023
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
 
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSCATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
CATALOGO OZONTECK ATUALIZADO 2024 CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
 
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
Em nossa disciplina Prática Pedagógica: Saberes Digitais, estamos imersos em ...
 
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
Olá, estudante! Chegou o momento de colocarmos em prática toda aprendizagem c...
 
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOSMANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
MANUAL DE PRODUTOS OZONTECK CONHEÇA OS NOVOS PRODUTOS
 
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
A prescrição de exercícios físicos deve ser realizada de forma correta e base...
 
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
O ATP (Adenosina Tri-fosfato) é descrito como uma “moeda energética”, por ser...
 
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
MAPA - DIDÁTICA - 51/2024MAPA - DIDÁTICA - 51/2024
 
E-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceisE-book Mercado Financeiro finanças fáceis
E-book Mercado Financeiro finanças fáceis
 
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORASCOMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
COMO VENDER NA KIWIFY HOJE EM 24!! HORAS
 
apresentação............................
apresentação............................apresentação............................
apresentação............................
 
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
Diga adeus às filas e aos CALOTES! Venda com máquina de cartão!
 
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdfMaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
MaterialTreinamentoExecuoOramentriaDEOFI.pdf
 
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
E-commerce ou comércio eletrônico, é um processo de compra e venda de produto...
 
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
CONTRIBUIÇÕES DA CONSULTORIA EMPRESARIAL NA REDUÇÃO DAS FALHAS DE CONHECIMENT...
 
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da HinodeAPN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
APN hinode - conheça a apresentação de negocio da Hinode
 
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024ATIVIDADE 1 - DIDÁTICA - 51/2024
 

Induastrialização brasiledira 2

  • 2. OS DIFERENTES TIPOS DE INDÚSTRIAS INDÚSTRIAS TRADICIONAIS- que utilizam muita mão de obra e menos máquinas;  INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO- transforma a matéria prima em produto final e podem ser: Bens duráveis- automóveis, eletrodomésticos, Informática Não-duráveis- bebidas, cigarros, alimentos etc... Bens intermediários- peças, ferramentas;
  • 3. As três revoluções indústriais • PRIMEIRA REVOLUÇÃO INDÚSTRIAL- O pioneirismo inglês, no século XVIII, devido ao acumulo de capital; em razão da expansão do comércio ultramarino; as reservas de carvão e ferro; e grande quantidade de mão de obra; • Revolução Gloriosa- assinalou o final do absolutismo inglês e colocou a burguesia no controle do Estado; • Avanços técnicos- desenvolvimento de maquinas, como a máquina a vapor e o tear mecânico.
  • 4. Segunda Revolução Industrial Inicia-se em 1870, com industrialização da França, da Alemanha, da Itália, dos EUA e do Japão; Novas fontes de energia- eletricidade e petróleo; Surgiram máquinas e ferramentas mais modernas; Taylorismo e fordismo.
  • 5. TERCEIRA REVOLUÇÃO INDÚSTRIALGLOBALIZAÇÃO- avanços da automação e informática; alta tecnologia e mão de obra especializada; Terceirização; Conglomerado de países industrializados;  trustes- empresas que detêm grande parte da produção de um determinado produto; Cartéis- um grupo de empresas que unidas por acordo detêm em conjunto grande parte da produção; Toyotismo.
  • 6. INDUSTRIALIZAÇÃO CONTEMPORÂNEA Esta relacionada a evolução técnico-científica; Maior qualificação da mão de obra; Desconcentração industrial; Holding- controle de várias empresas mediante a aquisição de suas ações
  • 7. O processo de industrialização no Brasil Está ligada a três acontecimentos externos: 1ª Guerra Mundial (1914 a 1918)- industrias de bens de consumo não-duráveis; Crise de 1929- a Grande Recessão; 2ª Guerra Mundial (1939 a 1945); O processo industrial do Brasil acelera pós 2ª guerra.
  • 8. Diversos países, como Argentina, México e Brasil, iniciaram o processo de industrialização efetiva a partir da segunda metade do século XX, no entanto, o embrião desse processo no Brasil ocorreu ainda nas primeiras décadas de 30, momentos depois da crise de 29. Crise essa que ocasionou a falência de muitos produtores de café, com isso, a produção cafeeira entrou em declínio.
  • 9. Quando se fala em industrialização do Brasil é bom ressaltar que tal processo não ocorreu em nível nacional, uma vez que a primeira região a se desenvolver industrialmente foi a Região Sudeste.
  • 10. A industrialização brasileira nesse período estava vinculada à produção cafeeira e aos capitais derivados dela. Entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX, o café exerceu uma grande importância para a economia do país, até porque era praticamente o único produto brasileiro de exportação. O cultivo dessa cultura era desenvolvido especialmente nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e algumas áreas de Minas Gerais.
  • 11. Após a crise que atingiu diretamente os cafeicultores, esses buscaram novas alternativas produtivas, dessa maneira, muitas das infraestruturas usadas anteriormente na produção de transporte do café passaram, a partir desse momento, a ser utilizadas para a produção industrial.
  • 12. Outro fator importante para a industrialização brasileira foi a utilização das ferrovias e dos portos, anteriormente usados para o transporte do café, passaram a fazer parte do setor industrial. Além desse fator, outro motivo que favoreceu o crescimento industrial foi a abundante quantidade de mão de obra estrangeira, sobretudo de italianos, que antes trabalhavam na produção do café.
  • 13. Um dos fundamentais elementos para a industrialização brasileira foi a aplicação de capitais gerados na produção de café para a indústria, a contribuição dos estrangeiros nas fábricas, como alemães, italianos e espanhóis. O Estado também exerceu grande relevância nesse sentido, pois realizou elevados investimentos nas indústrias de base e infraestrutura, como ferrovias, rodovias, portos, energia elétrica, entre outros.
  • 14. Mais tarde, após a Segunda Guerra Mundial, a Europa não tinha condições de exportar produtos industrializados, pois todo o continente se encontrava totalmente devastado pelo confronto armado, então o Brasil teve que incrementar o seu parque industrial e realizar a conhecida industrialização por substituição de exportação.
  • 15. Nessa mesma década aconteceu a inserção de várias empresas derivadas de países industrializados que atuavam especialmente no seguimento da indústria automobilística, química, farmacêutica e eletroeletrônica. A partir de então, o Brasil ingressou efetivamente no processo de industrialização, deixando de ser um país essencialmente produtor primário para um Estado industrial e urbano.
  • 16. Governo J K (1956 a 1961) Deslanche industrial; Plano de metas- 31 metas, voltadas para educação, transportes, vias de transporte, construir um parque automobilístico, infra-estrutura; Crescer 50 anos em 5; Capital nacional e estrangeiro; Criou a UNB (Universidade de Brasília), investiu na EMBRATEL, CSN,Petrobras.
  • 17. Durante o governo de Juscelino Kubitschek (1956 -1960) o desenvolvimento industrial brasileiro ganhou novos rumos e feições. JK abriu a economia para o capital internacional, atraindo indústrias multinacionais. Foi durante este período que ocorreu a instalação de montadoras de veículos internacionais (Ford, General Motors, Volkswagen e Willys) em território brasileiro.
  • 19. Pontos positivos Positivo- urbanização, mais acesso á saúde, educação e saneamento básico Criação de inúmeras cidades; O país deixa de ser agroexportador para exportador de produtos industrializados; Criação de novos empregos.
  • 20. Pontos negativos Forte endividamento externo; Êxodo rural; Favelização; Aumento da violência urbana.
  • 21. Milagre econômico ou brasileiro (1967 a 1973)General Médici- consolidou o crescimento industrial; Recursos usados em empresas estatais, privadas, multinacionais principalmente no segmento industrial; Crescimento do mercado externo (exportação); Atraiu muitas multinacionais com mão de obra barata, redução de impostos, matéria prima em grande quantidade; Qualquer manifestação por melhores salários eram duramente reprimidos pelo governo.
  • 23. Os militares, assim que assumiram, criaram o Programa de Ação Econômica do Governo (PAEG), que tinha como objetivos combater a inflação e realizar reformas estruturais, que permitissem o crescimento. Com a “estabilidade política”, os recursos estrangeiros retornaram ao Brasil maciçamente. Com tamanho volume de capital, a economia se estabilizou.
  • 24. Em 1967, a economia dava sinais de recessão. Delfim Netto, então encarregado pela economia do país, passou a investir nas empresas estatais, nas áreas de siderurgia, petroquímica, geração de energia, entre outras. As medidas surtiram efeito, e os investimentos nas estatais renderam muitos lucros. O processo de industrialização finalmente havia chegado ao Brasil, gerando milhões de empregos. Em 1969, quando Emílio Garrastazu Médici assumiu a presidência, o “Milagre Econômico” acontecia.
  • 25. Como resultado, nos anos seguintes, a classe média teve aumentos consideráveis em sua renda, enquanto aumentava o abismo social no país. O aumento das desigualdades sociais e as divida externa assumida nessa época são as principais heranças do Milagre Econômico no Brasil.
  • 27. Como podemos perceber, apesar de crescente o desenvolvimento industrial nordestino, estados do Sudeste, como São Paulo ainda estão bem à frente do Nordeste. Entre as bases da industrialização, dada a partir da criação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), destaca-se a riqueza das seguintes matérias- primas: cana-de-açúcar (açúcar e álcool); algodão (indústria têxtil); frutas nativas e não nativas (indústria alimentícia); tabaco (indústria de charuto); sal (no Rio Grande do Norte e Ceará)
  • 28. Atualmente, vêm ganhado importância as indústrias automobilísticas e navais no Nordeste, com destaque à Indústria Naval do Ceará – INACE (estaleiro brasileiro com sede em Fortaleza, fundado em 1969). Ainda pode-se ressaltar as empresas de petróleo e gás natural, que são explorados principalmente nos litorais do Rio Grande do Norte, Sergipe, Alagoas e da Bahia. Os principais centros industriais estão localizados nas regiões metropolitanas.
  • 29. Incentivos fiscais: Nos últimos anos, muitas indústrias que antes se localizavam no Sudeste transferiram-se para o Nordeste, atrás dos incentivos fiscais. Ainda com todo esse avanço dos últimos tempos, combater a pobreza é um desafio a ser alcançado.
  • 31. Tecnopolos São centro industriais ou cidades com conjunto de métodos industriais de inovações tecnológicas; Capazes de criar, reciclar, difundir tecnologia de ponta; Apoio de universidades e instituições de ensino; Mão de obra de elevado padrão técnico-científico.
  • 33. SUDESTE É responsável por mais da metade de toda a atividade industrial do país; O Estado de São Paulo é o maior destaque: concentra cerca de 40% dos estabelecimentos industriais e 48% do pessoal ocupado nas industrias; A grande São Paulo, sobretudo o ABCD ( Santo André, São Bernardo, São Caetano) Diadema, Osasco, Guarulhos e outras áreas metropolitanas, possui a maior concentração industrial da América Latina;
  • 34. Minas Gerais- 1º lugar em produção de aço do país; Vem aumentando a cada ano a produção industrial; Esta posição esta apoiada na abundancia de recursos minerais; Usiminas, Belgo-Mineira entre outras
  • 35. RIO DE JANEIRO- Grande Rio Poli-industrial, construção naval, química, refino de petróleo, turismo entre outros; CSN em Volta Redonda; Siderúrgica Barra Mansa ;
  • 36. Região Sul Segunda região mais industrializada; As indústria mais importantes são as de bens de consumo: alimentícias, frigoríficos e vinícolas; Forte colonização européia
  • 37. Região Centro-Oeste, Norte e Nordeste A região Nordeste é a terceira mais industrializada, produtos minerais, alimentação, metalúrgica, refino de petróleo, fumo entre outros; Região Norte- setor eletrônico em Manaus, Belém e Macapá; Região Centro-Oeste- Mecanização da atividades primárias; Regiões periféricas- enclaves industriais
  • 38. Produção do espaço urbano  A urbanização ocorre quando há aumento da porcentagem da população urbana e está relacionada ao conjunto de intervenção no espaço urbano para melhores infraestruturas.  No Brasil, o processo acelerado de urbanização ocorreu no período de intensa industrialização do pós-guerra, tendo se iniciado nas últimas décadas do século XX.  De acordo com as estatísticas oficiais produzidas em 2004 pelo IBGE, cerca de 81% da população brasileira estava concentrada nas cidades no ano 2000.
  • 39. Produção do espaço urbano Populações urbana e rural 3 O processo de urbanização
  • 40. O êxodo rural e suas causas O processo de urbanização brasileiro está relacionado com o êxodo rural. Repulsão da força de trabalho do campo Atração da força de trabalho nas cidades Formação de uma superpopulação relativa Latifúndio Empregos Surgimento do trabalho informal
  • 41. Urbanização e desigualdades regionais Evolução regional da urbanização 3 O processo de urbanização
  • 43. Os espaços metropolitanos  Em 1950, o Brasil tinha três cidades de grande porte: Rio de Janeiro, São Paulo e Recife, que abrigavam mais de 500 mil habitantes.  Em 2000, 30 cidades já haviam ultrapassado a marca de meio milhão de habitantes, perfazendo um total de cerca de 57 milhões de pessoas.  O caráter pontual e concentrador da urbanização decorreu das condições em que ocorreu a modernização da economia do país.  A concentração econômica determinou a aglomeração espacial: o resultado foi a metropolização.
  • 44. As metrópoles e a gestão pública A expansão econômica das metrópoles produziu o crescimento demográfico do núcleo urbano central e dos demais situados no seu entorno. Integração física das manchas urbanizadas Conurbação Separação das manchas urbanizadas por áreas rurais Integração funcional Descompasso entre os limites municipais e a mancha urbanizada 3 O processo de urbanização
  • 45. As metrópoles e a gestão pública Estrutura territorial das megacidades
  • 46. Megacidade – cidade populosa com uma população total de 10 milhões ou mais de habitantes; Cidade Global – cidade que exerce influencia a nível mundial independente do número de habitantes. No Brasil somente RJ e SP são cidades globais.
  • 47. As metrópoles e a gestão pública  A Grande São Paulo, terceira maior metrópole do mundo, abriga nos seus 39 municípios quase 18 milhões de habitantes, cerca de 10% da população nacional.  O lixo coletado diariamente está em torno de 16 mil toneladas.  O número de veículos supera 6 milhões na capital e 18 milhões no estado.  Ocorrem aproximadamente 11,5 milhões de viagens/dia em transportes coletivos.  A população favelada é de cerca de 1 milhão de habitantes. Os 39 municípios da região metropolitana de São Paulo formam uma única e imensa mancha urbana. Imagem captada por satélite em 2001. EARTHSATELLITE/LATINSTOCK 3 O processo de urbanização
  • 48. A megalópole e a metrópole expandida  São Paulo e Rio de Janeiro, separadas por apenas cerca de 400 km, configuram o principal eixo econômico do país.  A expansão das suas regiões metropolitanas e das cidades localizadas sobre o eixo de circulação que as conecta está conduzindo ao surgimento da primeira megalópole do país. A megalópole em formação

Notas do Editor

  1. Professor: o trecho que selecionamos do documentário Motoboys – Vida Loca traz a entrevista do urbanista Paulo Mendes da Rocha sobre a formação dos centros urbanos.
  2. Professor: o ritmo da transferência da população do meio rural para o meio urbano é bastante heterogêneo. No Sudeste, a população urbana ultrapassou a rural na década de 1950. A urbanização do Centro-Oeste foi impulsionada pela fundação de Brasília, em 1960. A região Sul, pelo contrário, conheceu urbanização lenta até o início da década de 1970. No Nordeste, a trajetória da urbanização permaneceu relativamente lenta. A estrutura agrária assentada sobre minifúndios familiares, na faixa do agreste, contribuiu para reter a força de trabalho no campo e controlar o ritmo do êxodo rural. A região Norte foi a segunda mais urbanizada há algumas décadas, tendo se transformado na menos urbanizada na década de 1980.
  3. Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no módulo.
  4. Professor: a escala indicada se refere ao mapa impresso no módulo.