Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel01.Os vaga-lumes machos e fêmeas emitem sinais luminosos para seatraíre...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. EmanuelQuestões 03 e 04Etapas iniciais do desenvolvimento humano estão esquema...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelou por doenças, configurando-as como células-tronco embrionárias.Uma li...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelvida e a ética na conduta biotecnológica.(V) células-tronco não embrion...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanueld) O fungo aumenta o potencial biótico das populações de barbaeiros.e) ...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelfluidos orgânicos de doentes.e) o tratamento mais eficaz da Doença de C...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel01) presença de um mosquito como agente transmissor.02) presença do pro...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel(morcegos do “Velho Mundo”) e Phylostomatidae (morcegos do “NovoMundo”)...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel03) fato de serem zonas transicionais associadas com a manutenção dahom...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. EmanuelI. A comunidade E por ser ecese representa uma sucessão primária.II. Se...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel9 Ruim Razoável Bom Bom10 Razoável Razoável Razoável BomPara o reflores...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanueldissipação de calor imposto à terra pela radiação solar, é correto cons...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelenergéticoc) organização das cadeias alimentares com número ilimitado d...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel01. D – Os vagalumes são de espécies distintas, logo a relação é de pre...
Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Treinamento para a AV1 - II bimestre

2.248 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.248
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
201
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento para a AV1 - II bimestre

  1. 1. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel01.Os vaga-lumes machos e fêmeas emitem sinais luminosos para seatraírem para o acasalamento. O macho reconhece a fêmea de sua espéciee, atraído por ela, vai ao seu encontro. Porém, existe um tipo de vaga-lume,o Photuris, cuja fêmea engana e atrai os machos de outro tipo, o Photinusfingindo ser desse gênero. Quando o macho Photinus se aproxima da fêmeaPhoturis, muito maior que ele, é atacado e devorado por ela.A relação descrita no texto, entre a fêmea do gênero Photuris e o macho dogênero Photinus, é um exemplo dea) comensalismo.b) inquilinismo.c) cooperação.d) predatismo.e) mutualismo.02. Os micro-organismos foram às primeiras formas de vida na Terra. Comeles, iniciava-se a história da sua futura relação com o ser humano. Asbactérias foram testemunhas de todas as formas de vida que surgiram aseguir e de muitas que viriam a se extinguir. Surgiram há cerca de quatrobilhões de anos e reinaram absolutas até seiscentos milhões de anos, épocaem que apareceram outras formas de vida, dessa vez multicelulares.É possível identificar como uma característica exclusiva do padrãoorganizacional dos organismos que representam as primeiras formas devida presentes na Terra aA) presença de uma membrana lipoproteica, que permite isolar a célula dastrocas com o ambiente externo.B) diversidade de estruturas endomembranosas que desempenham funçõesespecíficas no citoplasma celular.C) presença do material genético restrito a um ambiente próprio e internodevido à existência de uma membrana de limitante.D) presença de material genético imerso no hialoplasma devido à ausênciade endomembranas..E) pequena diversidade metabólica o que restringe a ocupação de diferenteshabitat
  2. 2. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. EmanuelQuestões 03 e 04Etapas iniciais do desenvolvimento humano estão esquematizadas nailustração, com destaque para os folhetos germinativos, a partir dos quais seformarão os diversos tecidos.03. O desenvolvimento, a partir do óvulo fertilizado, se caracteriza pora) gerar, no blastocisto, uma massa celular interna constituída de célulasespecializadas.b) exigir o silenciamento diferencial de certas famílias de genes para acriação de tecidos diferenciados.c) manifestar a necessidade de uma cariogamia entre dois gametasfemininos para que ocorra a restauração da diploidia..d) descartar as células da massa celular interna (nó embrionário), após anidação.e) prescindir de interações complexas com os ambientes interno eexterno para sua evolução.04. As características das células do blastocisto permitem pensar napossibilidade de utilizá-los para regenerar os órgãos lesados acidentalmente
  3. 3. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelou por doenças, configurando-as como células-tronco embrionárias.Uma limitação biológica para a efetivação dessas terapias reside noseguinte:a) As células no estágio de blastocisto mantêm sua totipotência, podendogerar clones.b) Células-tronco embrionárias apresentam um baixo potencial de divisãocelular.c) Células retiradas de embriões na fase de blastocisto perdem o seucomportamento social.d) Os caminhos seguidos na diferenciação de células toti e pluripotentesnão são totalmente previsíveis.e) A quantidade de nutrientes exigida pelas células-tronco inviabiliza aprodução de meios de cultura adequados.05. “Todo organismo pluricelular é composto por diferentes tipos decélulas. Todos os 200 tipos celulares distintos encontrados entre as cerca de75 trilhões de células existentes em um homem adulto, derivam das célulasprecursoras denominadas células-tronco, também denominadas células-mãe. São células mestras que têm a capacidade de se transformar em outrostipos de células, incluindo as do cérebro, coração, ossos, músculos e pele.O processo de geração das células especializadas - do sangue, dos ossos,dos músculos, do sistema nervoso e dos outros órgãos e tecidos humanos -é controlado pelo genes específicos na célula-tronco, mas os pesquisadoresainda não dominam todos os fatores envolvidos no processo. Compreendere controlar esse processo é um dos grandes desafios da ciência naatualidade.”(Revista Ciência Hoje)Utilizando as informações do texto e os seus conhecimentos, é corretoafirmar:(I) a diferenciação que culmina com a formação de células como oneurônio resulta da perda seletiva de genes ao longo deembriogêneses.(II) existe uma relação inversamente proporcional entre a especialização eo poder mitótico da célula.(III) o ambiente celular é bastante relevante na expressão dos genes duranteo processo de desenvolvimento.(IV) a utilização de células-tronco embrionárias necessita da criação deuma legislação específica que aborde temas como a manipulação da
  4. 4. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelvida e a ética na conduta biotecnológica.(V) células-tronco não embrionárias, como as retiradas da medula óssea,não possuem restrições terapêuticas, podendo ser utilizadas para otratamento de qualquer tipo de doença degenerativa.(VI) durante a especialização, as células vão incorporando novas moléculasde DNA ao seu patrimônio genético.(VII) a desdiferenciação pode levar células diferenciadas a perderem asociabilidade tecidual.Assinale a opção que contém as afirmativas corretas.a) I, II, III e Vb) II, III, IV e Vc) I, II, IV e VIId) II, V, VI e VIIe) II, III, IV e VIIQuestões 06 e 07Pesquisadores da Universidade Federal de Goiás vêm realizando estudos decombate ao barbeiro – Triatoma sordida – utilizando o fungo Beauveriabassiana. Testes realizados em galinheiros na região de São Luís deMontes Belos (GO) mostraram os seguintes resultados: 25 dias após aaplicação de uma solução com o fungo a população de barbeiros foireduzida a menos de 20%, pois o fungo tem a propriedade de colonizar osórgãos do inseto e liberar toxinas letais.Apesar de sua eficácia, B. bassiana é sensível a variações de umidade,temperatura e luz ultravioleta, produzindo mais efeitos em períodos de altaumidade.06. Com base em seus conhecimentos a da análise desse trabalho, sobperspectiva ecológica, pode-se afirmar:a) A doença de Chagas é conseqüência da entrada do homem emrelações tróficas já bem estabelecidas.b) A substituição do homem pelas aves constitui uma alternativa viávelde hospedeiro definitivo de T. cruzi.c) Beauveria bassiana atua sempre como inimigo natural do barbeiro deT. sordida, em comunidades da zona rural.
  5. 5. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanueld) O fungo aumenta o potencial biótico das populações de barbaeiros.e) Interações bem sucedidas entre fungos e barbeiros independem defatores abióticos.07. A aplicação dos resultados obtidos nos experimentos indica apossibilidade de:a) extinção da espécie Triatoma sordida, por falta da fonte de nutrientes.b) erradicação da doença de Chagas, pela eliminação do agente etiológico.c) controle biológico de populações de T. sordida, vetor do protozoárioflagelado Trypanosoma. cruzi.d) combate ao patógeno, pela destruição de galinheiros próximos àsmoradias na zona rural.e) ataque ao barbeiro com inseticidas na época das chuvas, quando o fungoé menos eficienteQuestões 08 e 09O paciente não conseguia subir de uma só vez a ladeira até o hospital.Depois do transplante, ele a sobe de uma só vez, pedalando, celebraRicardo Ribeiro dos Santos, pesquisador titular da Fundação InstitutoOswaldo Cruz, em Salvador. A descrição é de um paciente com doença deChagas, tratado com transplante de células-tronco tiradas da medula.......................................................................................Sempre usamos células da medula, então cortamos o problema ético.Agora, a minha defesa é que tem que ser liberado o uso das embrionáriaspara beneficiar as pessoas que não têm possibilidade de usar sua própriacélula, por causa de defeitos genéticos.08. A doença de Chagas que leva à morte por insuficiência cardíaca é umaendemia mais freqüente na zona rural e, em especial, nas regiões Norte eNordeste do Brasil.Sobre essa endemia, já existe um corpo sólido de conhecimentos, entre osquais se pode referir:a) em geral, a doença tem apenas uma etapa aguda caracterizada por umarápida hipertrofia cárdica.b) A transmissão da Doença de Chagas pode ser por via oral em situaçõescomo: amamentação e pessoas ingerindo alimentos contaminados comfezes de barbeiros contaminados.c) uma vez instalado no hospedeiro vertebrado, o parasita invade os tecidospenetrando nas células e evoluindo para a sua forma flagelada.d) as formas mais comuns de transmissão da doença são o contato com
  6. 6. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelfluidos orgânicos de doentes.e) o tratamento mais eficaz da Doença de Chagas baseia-se na aplicação deantibióticos potentes.09. A terapia com células-tronco, que restaurou a função cardíaca no casoapresentado, fundamenta-se em características dessas células, entre as quaisse inclui:a) a propriedade de induzir a apoptose – morte celular programada – nascélulas cardíacas danificadas.b) a capacidade de proliferação e diferenciação em tipos celularesespecíficos, sob condições ambientais controladas pela medicina.c) o poder de reparar danos no material genético de células invadidas porparasitas.d) a possibilidade de recuperar células lesadas, tornando-as saudáveis eresistentes à reinfecção por patógenos.e) a existência, na medula óssea, de células totipotentes.10. Aspectos da biologia dos organismos vetores da malária incluem oseguinte:01) O tipo de ciclo vital dos mosquitos restringe o nicho ecológico dessasespécies às interações com seres humanos.02) Os hábitos hematófagos dos mosquitos Anopheles darlingi e Aedesaegypti permitem agrupá-los em um mesmo gênero.03) Os vetores de doenças como a malária exibem baixa capacidade deadaptação a diferentes hábitats.04) A capacidade interativa vetor/hospedeiro se concretiza através dosmachos da espécie vetora.05) A relação trófica entre o vetor da malária e os seres humanos éestabelecida através de uma hematofagia que possibilita a inoculação dosesporozóitos no homem.11. Com base na análise da ilustração, uma característica exclusiva dadoença esquematizada é a
  7. 7. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel01) presença de um mosquito como agente transmissor.02) presença do protozoário do gênero Plasmodium que promovemhemólise e o pico febril.03) penetração do parasito pela picada do vetor e reproduçãoexclusivamente no tecido hepático.04) presença de dois hospedeiros, necessários ao cumprimento do ciclovital.05) reprodução do parasita no organismo humano, com repercussõessistêmicas no individuo.12. No combate às larvas dos mosquitos Aedes (transmissores da dengue efebre amarela) foi utilizado, com eficiência, um microcrustáceo larvófago(Classe Copepoda). A utilização desse animal em experimentos controladosde campo e laboratório foi bem-sucedida no interior do estado de SãoPaulo. O método citado, não-tóxico, pode substituir o tradicional uso deDDT ou outros inseticidas para matar os mosquitos.A ação do microcrustáceo em relação às larvas dos mosquitos é umexemplo dea) amensalismo.b) comensalismo.c) predação.d) mutualismo.e) competição.13. Os morcegos frugívoros estão incluídos nas famílias Pteropodidae
  8. 8. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel(morcegos do “Velho Mundo”) e Phylostomatidae (morcegos do “NovoMundo”). Na família Phylostomatidae, está incluída a subfamíliaCarollinae, que compreende os gêneros Carollia e Rhinophylla, espéciesque interagem com plantas pimenteiras.No gênero Carollia, destaca-se a espécie Carollia perspicillata, pequenomorcego, com cerca de 13g, que se alimenta, principalmente, de frutos dafamília Piperaceae, com preferência, pela espécie Piper nigrum – apimenta do reino.Com base nos princípios da sistemática biológica, pode-se depreender oseguinte.a) As espécies do gênero Carollia, facultativamente, podem serincluídas na família Phylostomatidae.b) A totalidade das espécies do gênero Rhinophylla é incluída nasubfamília Corallinae.c) Carollia e Rhinophylla podem pertencer a ordens diferentes.d) Pteropodidae e Piperaceae são famílias que incluem gêneros, entresi, muito aparentados.e) Carollia e Rhinophylla identificam o táxon que inclui os organismosque mantêm, entre si, maior identidade genética.14. Em alguns países, os manguezais são preservados porque adecomposição de folhas, troncos, galhos e animais fornece matériaorgânica. (...) Parte dessa produção é exportada para os oceanos e mares.A produtividade pesqueira de águas tropicais está intimamente ligada àpresença de manguezais.Professores e alunos do Departamento de Botânica da UFRJ vêmestudando a interferência, na produção de matéria orgânica, de insetose caranguejos que consomem as folhas do mangue, ocasionando umaperda de área foliar de 6,3%.(Ciência Hoje, p. 65)A importância da preservação dos manguezais está associada a (ao):01) existência de cadeias alimentares em regiões costeiras queprescindem da atividade dos manguezais.02) completa autonomia dos ecossistemas aquáticos e terrestres.
  9. 9. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel03) fato de serem zonas transicionais associadas com a manutenção dahomeostasia entre as comunidades que se sobrepõe para a suaformação.04) permanência dos nutrientes in loco, favorecida pela circulação deáguas com diferentes salinidades.05) ocorrência, nos manguezais, de espécies endêmicas comdiversificada capacidade de colonização de outros hábitats.15. Considere três espécies de animais que vivem em uma comunidade,indicadas por 1, 2 e 3:I. a espécie 1 é presa de 3;II. a espécie 2 é predadora de 1;III. a espécie 3 é presa de 2.Um pesquisador constatou que a espécie 1 é herbívora, o que permiteconcluir que, na cadeia alimentar em questãoa) 1 é produtora.b) 2 é consumidora secundária e terciária.c) 3 é consumidora secundária e terciária.d) 1 e 2 são consumidoras primárias.e) 2 e 3 são consumidoras primárias.16. Ao fim da estação seca, os índios derrubavam a vegetação de uma faixade floresta (A), ateavam fogo(B e C) e iniciavam ciclos de culturas anuais.Algum tempo depois, a vegetação seguia o curso natural: de culturaabandonada para capoeira(E), para mata(F) e floresta(G)."National Geographic", maio de 2009.Observe a representação gráfica dos eventos descritos.Leia as afirmativas a seguir.
  10. 10. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. EmanuelI. A comunidade E por ser ecese representa uma sucessão primária.II. Se G = A, a comunidade G tende à estabilidade.III. A biodiversidade tende a aumentar e a PPL a diminuir de D até G.IV. Em D, a partir do solo descoberto, inicia-se uma sucessão vegetal queinflexivelmente recupera a biodiversidade original de A.Estão corretasa) apenas I e II.b) apenas I e III.c) apenas II e III.d) apenas II e IV.e) apenas III e IV.17. Uma pesquisadora deseja reflorestar uma área de mata ciliar quase quetotalmente desmatada. Essa formação vegetal é um tipo de floresta muitocomum nas margens de rios dos cerrados no Brasil central e, em seuclímax, possui vegetação arbórea perene e apresenta copa fechada, compouca incidência luminosa no solo e nas plântulas. Sabe-se que a incidênciade luz, a disponibilidade de nutrientes e a umidade do solo são os principaisfatores do meio ambiente físico que influenciam no desenvolvimento daplanta. Para testar unicamente os efeitos da variação de luz, a pesquisadoraanalisou, em casas de vegetação com condições controladas, odesenvolvimento de plantas de 10 espécies nativas da região desmatada sobquatro condições de luminosidade: uma sob sol pleno e as demais emdiferentes níveis de sombreamento. Para cada tratamento experimental, apesquisadora relatou se o desenvolvimento da planta foi bom, razoável ouruim, de acordo com critérios específicos. Os resultados obtidos foram osseguintes:Condição de LuminosidadeEspécie Sol pleno sombreamento30% 50% 90%1 Razoável Bom Razoável Ruim2 Bom Razoável Ruim Ruim3 Bom Bom Razoável Ruim4 Bom Bom Bom Bom5 Bom Razoável Ruim Ruim6 Ruim Razoável Bom Bom7 Ruim Ruim Ruim Razoável8 Ruim Ruim Razoável Ruim
  11. 11. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel9 Ruim Razoável Bom Bom10 Razoável Razoável Razoável BomPara o reflorestamento da região desmatada,a) a espécie 8 é mais indicada que a 1, uma vez que aquela possui melhoradaptação a regiões com maior incidência de luz.b) recomenda-se a utilização de espécies pioneiras, isto é, aquelas quesuportam alta incidência de luz, como as espécies 2, 3 e 5.c) sugere-se o uso de espécies exóticas, pois somente essas podem suportara alta incidência luminosa característica de regiões desmatadas.d) espécies de comunidade clímax, como as 4 e 7, são as mais indicadas,uma vez que possuem boa capacidade de aclimatação a diferentesambientes.e) é recomendado o uso de espécies com melhor desenvolvimento àsombra, como as plantas das espécies 4, 6, 7, 9 e 10, pois essa floresta,mesmo no estágio de degradação referido, possui copa fechada, o queimpede a entrada de luz.Questões 18 e 19Os seres vivos são estruturas altamente organizadas. Além disso, nodecorrer da evolução, surgiram espécies cada vez mais complexas e,portanto, com maior grau de organização. [...] a luta pela vida consistenos esforços dos seres vivos para dissipar o gradiente de temperaturainduzido na terra pela radiação.(GARROTE FILHO, 2008, p. 37).18. A partir da análise da ilustração que relaciona a atividade biológica à
  12. 12. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanueldissipação de calor imposto à terra pela radiação solar, é correto considerar:a) A energia solar é totalmente captada pela planta e utilizada integralmentepara a produção da PPB.b) A energia solar convertida em energia química na fotossíntese éconsumida e dissipada na manutenção da dinâmica dos ecossistemas.c) O nível trófico dos grandes carnívoros retém a maior quantidade deenergia captada pelos produtores.d) Os herbívoros constituem um nível trófico com menor capacidade deaproveitamento da produtividade primária do ecossistema.e) O esforço dos seres vivos para dissipar o gradiente de temperatura deveser relacionado à capacidade da biosfera de absorver 100% da radiaçãosolar incidente19. Em relação à participação dos animais como sistemas que participamdo fluxo de energia, é correto afirmar:a) A manutenção da temperatura interna envolve mecanismos que semprerestringem a dissipação do calor.b) Os pecilotérmicos são mais eficientes gestores de calor que oshomeotérmicos.c) O aperfeiçoamento do aparelho locomotor nos vertebrados terrestres,com maior demanda alimentar, favorece a dissipação da energia.d) A respiração aeróbica, degradando a glicose em CO2 e H2O, é ummecanismo que participa apenas do ciclo de matéria não se relacionandocom o fluxo de energia.e) Os sistemas de regulação dos endotérmicos evoluíram com mecanismode baixo consumo energético.20. “Essa capacidade de armazenar energia recebida do Sol faz das plantasuma fonte energética virtualmente inesgotável. Surge daí a idéia de´plantações verdes´, ou seja, cultura de espécies vegetais que possam servirdireta ou indiretamente como fonte de energia”.(CARVALHO, Ciência Hoje, 2008, p. 32)Pela capacidade de armazenar energia recebida do Sol, as plantas seconstituem fonte energética virtualmente inesgotável que impulsiona avida, mantendo a dinâmica da Biosfera traduzida ema) conservação da mesma quantidade de energia e biomassa a cada níveltrófico.b) independência total na realização dos ciclos matéria e do fluxo
  13. 13. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuelenergéticoc) organização das cadeias alimentares com número ilimitado de níveistróficos.d) reciclagem de energia pela atividade de decompositores possibilitando adevolução da mesma para a fonte primária.e) estruturação do ecossistema na transferência de matéria e energia atravésde relações alimentares.
  14. 14. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel01. D – Os vagalumes são de espécies distintas, logo a relação é de predatismo02. D – As primeiras células vivas devem ter sido procariontes desprovidos deorganização nuclear e de endomembrana03. B - Durante a embriogênese ocorre a ativação diferencial dos genes04. D – Como as células toti e pluripotentes possuem um elevado potencial o seu usoterapêutico depende da elucidação dos processos associados a sua diferenciação.05. E – São falsas:I – Não ocorre perda de genes durante a diferenciaçãoV – As células tronco não embrionárias não podem ser utilizadas no tratamento dequalquer doença, pois possuem uma baixa potencialidade.VI – Durante a especialização não ocorre incorporação de novas moléculas deDNA06. A – A doença de chagas deriva da entrada do homens nos habitats onde aconteciao ciclo silvestre envolvendo o Protozário, o vetor e os animais reservatórios.07. C - O texto indica a utilização de seres vivos (fungos) Para o controle e eliminaçãoda população de barbeiros, tratando-se de um controle biológico.08. B – Existe a possibilidade da uma contaminação por via oral como nas condiçõescitadas na proposição09. B - O uso das células tronco citadas fundamenta-se na sua capacidade derepovoarem o tecido danificado uma vez que as mesmas podem diferenciar-se emtecidos específicos de acordo com as necessidades terapêuticas.10. E – A transmissão da malária esta associada a hematofagia das fêmeas deAnopheles que inoculam na corrente sanguínea humana os esporozóitos11. B – são características EXCLUSIVAS da malária a presença do agente causadordo gênero plasmodium gerando hemólises e pico febril.12. C – O controle biológico em questão envolve um caso de predatismo13. B – De acordo com o texto na família Phylostomatidae, está incluída a subfamíliaCarollinae, que compreende os gêneros Carollia e Rhinophylla.14. 03 – Os manguezais são zonas ecótones, funcionando como zonas deproteção,alimentação e desova para seres de várias comunidades que se sobrepõe nasua formação15. B - A espécie 1 comporta-se como consumidor primário, portanto a espécie 2 éconsumidor secundário e terciário, já que a espécie 3 é consumidor secundário.16. C – A sucessão descrita é secundária(I) e numa sucessão secundária nem sempre serecupera a biodiversidade original (II)17. B - Um programa de reflorestamento deve seguir os passos de uma sucessãoecológica e, nesse caso, uma vez que na região desmatada há incidência solardireta, as plantas indicadas para iniciar esse processo seriam as espécies pioneiras,como as plantas 2, 3 e 5, que suportam uma incidência maior de luz18. B – na cadeia alimentar a energia segue um fluxo unidirecional e decrescente19. C – Animais que tem maior demanda alimentar por consumirem mais energiafavorecem a dissipação de calor20. E – Os ecossistemas são fundamentados nas relações de transferência de energia ematéria ao longo das cadeias alimentares
  15. 15. Treinamento para a AV1 – II unidade – prof. Emanuel

×