EutidemoEstudo da Obra
PlatãoO Escritor
Quem era?   Foi um filósofo e matemático do período    clássico da Grécia Antiga, autor de diversos    diálogos filosófic...
   Acredita-se que seu nome verdadeiro tenha    sido   Arístocles;   Platão    era       um   apelido    que, provavelmen...
Os diálogosA sofisticação de Platão como escritor é especialmente evidente em seus diálogos socráticos; trinta e cinco di...
 Estas   obras também foram publicadas em diversas épocas, e das mais variadas maneiras,    o   que    levou      a    di...
 Embora não exista qualquer dúvida de que Platão lecionou na Academia fundada por ele, a função pedagógica de seus diálog...
Resumo de seu Pensamento:   Em linhas gerais, Platão desenvolveu a noção de    que o homem está em contato permanente com...
 Talconcepção de Platão também é  conhecida por Teoria das Ideias ou Teoria  das Formas. Foi desenvolvida como hipótese ...
E costume distinguir três períodos nacomposição dos Diálogos de Platão,   1) Diálogos socráticos: a personagem principal ...
   2) Diálogos da maturidade: Sócrates é sempre o    protagonista. Prevalece o ensino positivo; e, pela boca    de Sócrat...
   3) Diálogos da velhice: nítida evolução na teoria    das Ideias. Sócrates é relegado para último plano    ou desaparec...
EUTIDEMO
Em resumo Trata-se   de uma representação em forma        de caricatura do Método da        Erística, utilizado pelos Sof...
 “No   Eutidemo, em que Sócrates denuncia também a vaidade do saber enciclopédico dos sofistas, é-nos dito que, mesmo que...
Quem eram os Sofistas?   Os sofistas são os primeiros a romperem com    a busca pré-socrática por uma unidade    originár...
 Eles   ensinavam técnicas que auxiliavam  as     pessoas   a   defenderem        o     seu  pensamento particular e suas...
A principal doutrina sofística consiste, em uma visão relativa de mundo (o que os contrapõe a Sócrates que, sem negar a e...
   A verdade, segundo Protágoras, depende de    cada um, depende de como cada coisa    aparece para cada um em seu juízo....
O que é ErísticaA   erística é a arte de lutar com palavras e de "refutar tudo o que se vai dizendo, seja falso ou verdad...
   “Pois,   a luta que lhes restava por exercer, essa       agora eles realizaram    plenamente, de modo que ninguém será...
   Os interlocutores do diálogo, os dois irmãos    Eutidemo e Dionisodoro, divertem-se a    demonstrar, por exemplo, que ...
   Nesse ponto Sócrates se opõe dizendo que    não haveria nada que ensinar e nada que    aprender, e sendo assim a própr...
   E neste ponto o diálogo deixa de ser crítica do    procedimento sofístico para se transformar em    exortação à filoso...
   Esta parte é importante acima de tudo    porque contém a ilustração do objeto    próprio da filosofia:   Platão defin...
É para a               utilidade              do homem             FilosofiaSabedoria                     A única é saber ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Eutidemo

1.119 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Eutidemo

  1. 1. EutidemoEstudo da Obra
  2. 2. PlatãoO Escritor
  3. 3. Quem era? Foi um filósofo e matemático do período clássico da Grécia Antiga, autor de diversos diálogos filosóficos e fundador da Academia em Atenas, a primeira instituição de educação superior do mundo ocidental. Juntamente com seu mentor, Sócrates, e seu pupilo, Aristóteles, Platão ajudou a construir os alicerces da filosofia natural, da ciência e da filosofia ocidental.
  4. 4.  Acredita-se que seu nome verdadeiro tenha sido Arístocles; Platão era um apelido que, provavelmente, fazia referência à sua característica física, tal como o porte atlético ou os ombros largos, ou ainda a sua ampla capacidade intelectual de tratar de diferentes temas, entre eles a ética, a política, a metafísica e a teoria do conhecimento.
  5. 5. Os diálogosA sofisticação de Platão como escritor é especialmente evidente em seus diálogos socráticos; trinta e cinco diálogos e treze cartas são creditadas tradicionalmente a ele, embora os estudiosos modernos tenham colocado em dúvida a autenticidade de pelo menos algumas destas obras.
  6. 6.  Estas obras também foram publicadas em diversas épocas, e das mais variadas maneiras, o que levou a diferentes convenções no que diz respeito à nomenclatura e referenciação dos textos.
  7. 7.  Embora não exista qualquer dúvida de que Platão lecionou na Academia fundada por ele, a função pedagógica de seus diálogos - se é que alguma existia - não é conhecida com certeza. Os diálogos, desde a época do próprio Platão, eram usados como ferramenta de ensino nos tópicos mais variados, como filosofia, lógica, retórica, matemática, entre outros
  8. 8. Resumo de seu Pensamento: Em linhas gerais, Platão desenvolveu a noção de que o homem está em contato permanente com dois tipos de realidade: a inteligível e a sensível. A primeira é a realidade imutável, igual a si mesma. A segunda são todas as coisas que nos afetam os sentidos, são realidades dependentes, mutáveis e são imagens da realidade inteligível.
  9. 9.  Talconcepção de Platão também é conhecida por Teoria das Ideias ou Teoria das Formas. Foi desenvolvida como hipótese no diálogo Fédon e constitui uma maneira de garantir a possibilidade do conhecimento e fornecer uma inteligibilidade relativa aos fenômenos.
  10. 10. E costume distinguir três períodos nacomposição dos Diálogos de Platão, 1) Diálogos socráticos: a personagem principal é Sócrates: busca-se uma definição; o diálogo geralmente não conclui (diálogo aporético); o diálogo contém geralmente um pequeno drama, com personagens vivas e animadas.São eles: Apologia de Sócrates, Críton, HípiasMenor, Alcibíades, Eutifron, Protágoras, Íon, Laques,Lísis, Cármides, Hípias Maior.
  11. 11.  2) Diálogos da maturidade: Sócrates é sempre o protagonista. Prevalece o ensino positivo; e, pela boca de Sócrates, Platão emite a sua própria doutrina: elaboração da teoria das Ideias.São os seguintes:Górgias, Ménon, Menêxeno, Eutidemo, Crátiloe, sobretudo, os quatro grandes diálogos clássicos:Banquete, Fédon, República, Teeteto.Estes diálogos foram escritos entre a primeira e a segundaviagem à Sicília.
  12. 12.  3) Diálogos da velhice: nítida evolução na teoria das Ideias. Sócrates é relegado para último plano ou desaparece, até, do diálogo (Leis). O ensino é exclusivamente lógico; a forma dialogada já não é processo de exposição.São eles: Fedro(?), Parmênides, Sofista, Político, Filebo e, após aterceira viagem à Sicília, o Timeu, Crítias, Leis, CartaVII.
  13. 13. EUTIDEMO
  14. 14. Em resumo Trata-se de uma representação em forma de caricatura do Método da Erística, utilizado pelos Sofistas.
  15. 15.  “No Eutidemo, em que Sócrates denuncia também a vaidade do saber enciclopédico dos sofistas, é-nos dito que, mesmo que existisse uma ciência capaz de tornar imortal, de nada serviria se não soubéssemos usar essa imortalidade. Precisamos, então, de um saber que ao mesmo tempo produza e saiba usar aquilo que produz (289 b).”
  16. 16. Quem eram os Sofistas? Os sofistas são os primeiros a romperem com a busca pré-socrática por uma unidade originária (a physis) iniciada com Tales de Mileto e finalizada em Demócrito de Abdera (que embora tenha falecido pouco tempo depois de Sócrates, tem seu pensamento inserido dentro da filosofia pré-socrática).
  17. 17.  Eles ensinavam técnicas que auxiliavam as pessoas a defenderem o seu pensamento particular e suas próprias opiniões contrárias para que, dessa forma, conseguissem seu espaço.
  18. 18. A principal doutrina sofística consiste, em uma visão relativa de mundo (o que os contrapõe a Sócrates que, sem negar a existência de coisas relativas buscava verdades universais e necessárias).A principal doutrina sofística pode ser expressa pela máxima de Protágoras: "O homem é a medida de todas as coisas".
  19. 19.  A verdade, segundo Protágoras, depende de cada um, depende de como cada coisa aparece para cada um em seu juízo. O que pode ser verdade para um, pode não o ser para outro. Com esse relativismo moral, ele rejeita toda verdade universal. Se algo te parece bom, faça. Se isso traz benefício a você e prejuízo aos outros, faça assim mesmo.
  20. 20. O que é ErísticaA erística é a arte de lutar com palavras e de "refutar tudo o que se vai dizendo, seja falso ou verdadeiro".
  21. 21.  “Pois, a luta que lhes restava por exercer, essa agora eles realizaram plenamente, de modo que ninguém será capaz de sequer erguer-se contra eles, de tal forma tornaram-se hábeis em lutar com palavras (ἐν τοῖς λόγοις μάχεσθαι) e em refutar completamente o que, a cada vez, é dito, de forma semelhante se for falso e se for verdadeiro.” Eutidemo 272A5-B1
  22. 22.  Os interlocutores do diálogo, os dois irmãos Eutidemo e Dionisodoro, divertem-se a demonstrar, por exemplo, que só o ignorante pode aprender e, logo a seguir, que contrariamente só o sábio aprende... ...que só se aprende o que se não sabe e a seguir que só se aprende o que sabe, etc. O princípio desse exercício é a doutrina de que não é possível o erro e que, seja qual for a coisa que se disser, se diz coisa que é, logo verdadeira.
  23. 23.  Nesse ponto Sócrates se opõe dizendo que não haveria nada que ensinar e nada que aprender, e sendo assim a própria erística seria inútil. Na verdade, nada há que se possa ensinar a não ser a sabedoria; e a sabedoria só pode ensinar-se e aprender-se amando-a, isto é filosofando.
  24. 24.  E neste ponto o diálogo deixa de ser crítica do procedimento sofístico para se transformar em exortação à filosofia (propreptikon) Curiosamente... Por ser um discurso introdutório tornou-se famoso na antiguidade, tendo sido muitas vezes imitado.
  25. 25.  Esta parte é importante acima de tudo porque contém a ilustração do objeto próprio da filosofia: Platão define esse objeto como o uso do saber para utilidade do homem. A filosofia é a única disciplina em que o fazer coincide com o saber servir-se do que se faz (Eut., 289 b). ... Ou seja, a única disciplina que produz conhecimento ao mesmo tempo que ensina a utilizar o próprio conhecimento para utilidade e felicidade do homem.
  26. 26. É para a utilidade do homem FilosofiaSabedoria A única é saber o disciplina que produz que fazer conhecimentocom o que e ensina se sabe. utilizá-lo

×